Sínodo da Amazônia



Avenida Paraná , 431 - Novo Horizonte
CEP 76962-053 - Cacoal /RO - Brasil
Telefone(s): (69) 9845-48890 | (69) 8454-8890
sinododamazonia@gmail.com
ID: 8

Lucas 24.13-35

Caderno de Celebrações 2014/2015 - Miss. Dione Schlemper

05/05/2015

CULTO PARA MAIO 2015
Departamento de Música e Liturgia do Sínodo da Amazônia
Leitura Bíblica: Sl 116.1-4,12-19; 1 Pe 1.17-25;
Pregação: Lc 24.13-35
Miss. Dione Schlemper – Boa Vista – RR
 

LITURGIA DE ABERTURA

ACOLHIDA
Queridos (as) irmãos e irmãs em Cristo, saúdo a todos (as) com o versículo bíblico de Lucas 24.32, que nos diz: “Os discípulos de Emaús disseram um para o outro: Porventura, não nos ardia o coração, quando ele, pelo caminho, nos falava, quando nos expunha as escrituras?”. Hoje Cristo também quer nos falar ao coração por meio das Escrituras, quer que nos alegremos com a salvação que Ele nos dá por meio da sua morte e ressurreição. Por isso, que bom que todos vieram! Sejam muito bem vindos (as).

Acolher os/as visitantes

CANTO DE ENTRADA
Nº 229 - ENE – Reunidos aqui

Ou: Nº ____________________________________________________

SAUDAÇÃO
Reunimo-nos hoje aqui em nome do Deus trino: Pai, Filho e Espírito Santo. Amém.

CANTOS DE INVOCAÇÃO
Nº 46 - ENE – Vem, Espírito de Deus

Ou: Nº ____________________________________________________

CONFISSÃO DE PECADOS
Em provérbios 28.13 está escrito: “Quem tenta esconder os seus pecados não terá sucesso na vida, mas Deus tem misericórdia de quem confessa os seus pecados e os abandona”. Assim, convido para confessarmos os nossos pecados a Deus, buscando sua misericórdia e seu perdão:

Oração: Deus da graça e do perdão! Apresentamo-nos diante do teu trono enrustido de santidade para humildemente pedir que não tire teu olhar misericordioso e não afaste tua face, de nós pobres pecadores. Sabemos, oh Deus, que temos falhado não realizando tua vontade. Pedimos perdão quando conscientemente agimos em desacordo com tua palavra, quando nosso testemunho prejudica a nós e a tua Igreja e quando deixamos de prestar ajuda ao necessitado. Que tua mão bondosa permaneça estendida sobre nós neste dia e que por tua misericórdia sejamos perdoados. Pedimos ainda que nos guie pelo caminho certo, pois se nos guiares andaremos corretamente pelo caminho dos teus mandamentos. Em nome do teu filho amado Jesus Cristo que oramos. Amém.

ANÚNCIO DO PERDÃO
Tiago 5.11 nos diz que “o Senhor é cheio bondade e de misericórdia”, portanto se confessamos os pecados e os abandonamos, temos a certeza que Deus nos perdoa. Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém.

KYRIE
Que o perdão e a misericórdia de Deus se estendam a todas as pessoas enquanto cantamos:
N° 23 - Hino de Louvor ao Senhor: Cancioneiro I – Kyrie Eleison

GLÓRIA IN EXCELSIS
Convido a darmos glória ao Senhor pela benção da salvação. Rendemos a Ele louvor por se tornar o caminho para esta salvação. Cantamos:

Glória, glória, glória a Deus nas alturas.
Glória, glória, paz entre nós, paz entre nós.

ORAÇÃO DO DIA
Querido Deus. Obrigado por que ter nos conduzido até aqui. Permite com que possamos ouvir a tua palavra sem qualquer impedimento. Afasta de nós pensamentos que nos distanciam de ti e atrai nossa atenção somente para a Palavra que agora ouviremos. Usa-a como instrumento para derrubares conceitos e pensamentos enraizados no pecado e edificas os sinais do teu reino em nossas vidas. Por teu Filho Jesus Cristo. Amém.

LITURGIA DA PALAVRA

LEITURAS BÍBLICAS
1ª Leitura Bíblica: Salmo 116.1-4, 12-19

2ª Leitura Bíblica: 1 Pedro 1.17-25


CÂNTICO INTERMEDIÁRIO
Nº 44 - ENE – No caminho de Emaús

PREGAÇÃO

Texto Bíblico para a pregação: Lucas 24.13-35
Aclamar o texto cantando Aleluia.
(ler o texto bíblico da pregação)
Costumamos comparar nossa vida a uma caminhada. Na caminhada passamos por montanhas e vales. Às vezes, temos a sensação que estamos nas montanhas, no auge de nossa felicidade, conseguimos deslumbrar a paisagem da vida e temos clareza por onde caminhar. Mas é preciso caminhar, não dá para ficar parado. A caminhada também nos leva aos vales, os momentos difíceis da vida onde a paisagem ao redor não parece muito motivadora. Nesse momento, a única coisa certa é o caminho que temos que percorrer e não sabemos o que nos espera à frente.
No texto em que lemos eis dois discípulos que caminhavam. Eles representam-nos em nossa caminhada. Estavam no vale de suas vidas. Não podemos afirmar que os dois discípulos estavam numa caminhada de fé. Pelo contrário, esta caminhada resultava do descrédito da mensagem da ressurreição e levava as marcas do medo, da fuga e da frustração.
O Descrédito da mensagem da ressurreição se dava pelo fato que os ocorridos recentemente, com Jesus e os seus discípulos, não faziam nenhum sentido. O Messias morreu numa cruz, fato que nenhum discípulo esperava; Havia diversas versões do desaparecimento do corpo de Jesus, sugerindo que alguns haviam roubado seu corpo ou que ele tivesse sido ressuscitado por Deus. A confusão em suas mentes era tão grande, que nem sequer creram no circulo próximo de amigos, onde as mulheres que foram ao tumulo e viram o anjo e Jesus ressuscitado;
O Medo e a fuga se davam no pensamento de que o que aconteceu com Jesus poderia acontecer com eles. Muito parecido com Jonas que foge da vontade de Deus indo para Nínive, esses discípulos estavam a caminho de Emaús. Emaús era um lugar sem muito significado, e o que é mais grave, estavam se afastando de Jerusalém. Lugar onde tudo tinha acontecido. Lugar onde estavam os outros discípulos. Lugar onde a Igreja iria nascer.
Diante desse turbilhão de pensamentos e emoções, a frustração veio à tona. Disseram: “A nossa esperança era que fosse ele quem iria libertar o povo de Israel” (v.21). O judeu esperava que o Messias fosse aquele que seria enviado da parte de Deus, que com o uso da força e da espada derrotaria os reinos da terra e instauraria o reino de Deus, libertando o seu povo. Esses discípulos colocaram sua esperança em Jesus e que ele cumpriria esse papel, mas para eles, isso não aconteceu.

Disse no início, que esses discípulos representam-nos em nossa caminhada! Afinal, em nosso caminho não há momentos de descrença, medo, fuga e frustração? Não há momentos que confundidos por descrença, medo ou sentimentos, fugimos numa jornada, um caminhar de Jerusalém à Emaús?
Os discípulos lutavam com um turbilhão de pensamentos, fatos e decepções. E, justamente, nesta caminhada participa o Senhor ressurreto, que continua a missão de buscar e salvar o perdido. Há esperanças! Louvado seja este Senhor.
O texto bíblico diz: “Enquanto conversavam e discutiam, o próprio Jesus chegou perto e começou a caminhar com eles, mas alguma coisa não deixou que eles o reconhecessem(v.15-16)...e começou a explicar todas as passagens das escrituras (v.27)”.
No silêncio da estrada, as coisas são colocadas na ordem certa. Jesus explica as Escrituras. Dá sentido aos acontecimentos. Trata-se de um processo longo, mas a caminhada também é longa. Para colocar ordem nisso tudo, foi necessário usar a palavra. Em meio à desesperança, a palavra é a ferramenta usada por Deus para atrair-nos. O peão na fazenda busca um gado com o laço. Um policial busca o foragido da justiça com algemas. Mas o Senhor ressurreto não faz uso de instrumentos de força para buscar seus discípulos: seu instrumento é a palavra. Ela faz nascer a fé: A fé vem pela pregação e a pregação pela palavra de Cristo (Rm 10.17). Não há outro caminho, pois como crerão naquele de quem nada ouviram? E como ouvirão, se não há quem pregue? (Rm 10.14). Em contrapartida, afastados desta palavra redentora, não há fé, e sem fé não haverá jamais reconhecimento da realidade da ressurreição.

O caminho a Emaús chega ao fim! “Então Jesus entrou para ficar com os dois. Sentou-se à mesa com eles, pegou o pão e deu graças a Deus. Depois partiu o pão e deu a eles. Aí os olhos deles foram abertos, e eles reconheceram Jesus (v.29-31)”
A ceia remeteu-os a auto entrega de Jesus Cristo e isto lhes fez abrir os olhos e enxergar que estavam com o salvador. Jesus Cristo revelado e experimentado mostra outra realidade, dá vida a caminhada.
Os dois discípulos, “na mesma hora, levantando-se voltaram para Jerusalém”. Depois da experiência de comunhão com o ressurreto, retornaram às pressas para Jerusalém, para junto dos outros seguidores de Jesus, que estavam passando pela mesma experiência. Mudaram seus planos. Estavam prontos para viver a vida em novidade de vida, na presença do Cristo ressuscitado e na comunhão com os irmãos na fé.
Não dava mais para ficar parado e voltaram a caminhar. Mas agora de forma diferente. Nessa caminhada diferente precisamos estar. È um remar contra a maré. Pois a verdade é que para uns este mundo caótico, com turbilhões de pensamentos, fatos e decepções, é a melhor ordem; para eles convém que as coisas tenham essa dinâmica. Só que para nós que convivemos com a esperança advinda da ressurreição de Jesus, a ordem das coisas precisa ser outra. Precisamos ver e experimentar a ressurreição na vida! Isso faz toda a diferença na caminhada!

HINO
Nº 125 - ENE – Meu irmão, tu precisas falar com Jesus.

CONFISSÃO DE FÉ
A caminhada implica saber o que cremos. Pois se não sabemos no que cremos, facilmente nos desviamos do caminho. O Credo Apostólico é o resumo do que cremos. Portanto, convido a todos para confessarem a fé através das palavras do credo Apostólico.

Creio em Deus Pai...

CANTO PÓS-CONFISSÃO (proceder motivação e o recolhimento das ofertas)
(Ler motivação da oferta do dia na agenda sinodal 2014)
Nº 233 - ENE – Deus tem amado

ORAÇÃO DE INTERCESSÃO
Motivos de Oração:
1. Aniversariantes
2._______________________________________________________
3._______________________________________________________
4._______________________________________________________
5._______________________________________________________
6._______________________________________________________

Deus, todo poderoso! Tu que és o Deus do caminho, que acompanhaste teu povo no deserto, assististe Moisés, Elias, Jesus diante do seu ministério, para que vencessem as tentações. Olha também para as tentações que hoje nos perturbam e confundem, auxiliando-nos em nossas decisões da vida, para que sejamos teus fiéis seguidores e proclamemos a tua glória neste mundo. Pedimos-te também ... (orar pelosos motivos acima). E tudo o mais que trazemos em nossos corações, com confiança, colocamos em tuas mãos orando juntos... PAI NOSSO...

PAI NOSSO
Pai nosso...

LITURGIA DE DESPEDIDA

AVISOS
Próximo Culto: ___/___/______ às ___:___ h.
Oferta último Culto: R$ _________ - destinada para ...
______________ _________________________________________
________________________________________________________
________________________________________________________
________________________________________________________
________________________________________________________

BÊNÇÃO
Convidar a comunidade para ficar de pé, cada pessoa abraça o irmão(ã) ao lado, enquanto todos cantam o canto final (N° 236 – ENE – Que a graça do Senhor). Atenção: não esquecer o envio.

ENVIO
Pelo caminho, vão em paz e sirvam ao Senhor com alegria.

CANTO FINAL
Nº 236 - ENE – Que a graça do Senhor
 


Autor(a): Miss. Dione Schlemper
Âmbito: IECLB / Sinodo: Amazônia
Testamento: Novo / Livro: Lucas / Capitulo: 24 / Versículo Inicial: 13 / Versículo Final: 35
Título da publicação: Caderno de Celebrações - Sínodo da Amazônia / Ano: 2014
Natureza do Texto: Pregação/meditação
Perfil do Texto: Prédica
ID: 26489

AÇÃO CONJUNTA
+
tema
vai_vem
pami
fe pecc

A vida cristã não consiste em sermos piedosos, mas em nos tornarmos piedosos. Não em sermos saudáveis, mas em sermos curados. Não importa o ser, mas o tornar-se. A vida cristã não é descanso, mas um constante exercitar-se.
Martim Lutero
EDUCAÇÃO CRISTÃ CONTÍNUA
+

REDE DE RECURSOS
+
A intenção real de Deus é, portanto, que não permitamos venha qualquer pessoa sofrer dano e que, ao contrário, demonstremos todo o bem e o amor.
Martim Lutero
© Copyright 2024 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br