Paróquia Cachoeira do Sul

Sínodo Centro-Campanha-Sul



Rua Ernesto Alves , 689 Rio Branco - Rio Branco
CEP 96506-576 - Cachoeira do Sul /RS - Brasil
Telefone(s): (51) 3722-4077
martimlutero@cbarao.com.br
ID: 40

História da Comunidade Martim Lutero de Cachoeira do Sul/RS

Em 1867, pela primeira vez, um Pastor evangélico, visitou oficialmente a cidade de Cachoeira do Sul. O visitante era o Pastor de São Leopoldo, Dr. Hermann Borchardt, que, gentilmente, foi hospedado na casa do Diretor de Colonização, Barão Von Kahlden.

Em Cachoeira, hóspede do Barão Von Kahlden, visitou a cidade e as poucas famílias de origem germânica. São dele as constatações: Cachoeira é uma cidade bem construída e afável, que conta com três mil habitantes. Mas lá só residem nove famílias de origem germânica: dois comerciantes, dois sapateiros, um relojoeiro, um seleiro, um fotógrafo e um pedreiro.

No decorrer de vinte anos, o número de famílias de origem germânica aumentou consideravelmente. Em parte, eram famílias que desembarcaram em Cachoeira, em parte famílias que trocaram o trabalho agreste, na nova colônia de Agudo, pelo exercício de uma profissão, aprendida na velha Pátria, na cidade.

Nos anos de 1885 e 1886, o Pastor Friedrich Pechmann, de Santa Maria da Boca do Monte, visitou Cachoeira, reunindo os evangélicos em casas particulares para ensina crianças e adultos, celebrar cultos e dar-lhes assistência espiritual.

Talvez a vinda de Santa Maria fosse muito penosa, por isso, de 1867 a 1893, os evangélicos cachoeirenses foram visitados pelo Pastor Michael Haetinger, de Candelária.

Os Pastores Pechmann e Haetinger devem ter oficiado dois ou três cultos por ano. Permaneciam na cidade de três a sete dias.

A primeira reunião importante dos evangélicos realizou-se no dia 08 de junho de 1893, ocasião em que decidiram elaborar estatutos e criar uma Comunidade. Resolveram, também, adquirir uma casa, que servisse de Escola e de Capela. No dia doze do mesmo mês, uma comissão adquiriu, em nome da futura Comunidade, uma casa do senhor Antônio Neves por 2:750$000, situada ao leste da Praça José Bonifácio.

Mas a grande data da Comunidade recaiu no dia 03 de julho de 1893. Na Assembléia que os evangélicos realizaram nesse dia, decidiram a sua criação, Os estatutos, previamente elaborados, foram lidos e aprovados. Como Presidente, foi eleito o senhor Philipp Adam, seu principal idealizador e batalhador. Também foram eleitos para cargos da diretoria os senhores Johann Gerdau, Rudolfo Homrich, Otto Büchler e Augusto Trommer.

Os vinte e sete membros fundadores foram: Philipp Adam, Johann Gerdau, Wilhelm Goessling, Rudolfo Homrich, João F. Pohlmann, Júlio Jakobiny, Augusto Trommer, Jakob Fritsch, Otto Büchler, Wilhelm Hausen, Jacob Matte, Hermann Wolff, Karl Wolff, Wilhelm Franke, J. Trarbach, Barão Von Kahldem, Constans Josephson, Friedrich Willhoeft, Albert Fischer, Hermann Weckerle, Karl Koch, Geog Klausen, Heinrich Muller, Pedro Gaspary, A . Holte e Jacob Bauerfeld.

Na assembléia de 08 de fevereiro de 1894, a Comunidade decidiu convidar o professor Heinrich Gauss, de Agudo, para assumir o pastorado e a Escola.

Como a casa comprada do senhor Antônio Neves era muito pequena para servir de moradia do professor e de Escola - capela, a Comunidade decidiu, na Assembléia do dia 7 de agosto de 1894, contratar o senhor F. Zenkner para construir uma nova Escola - capela pelo preço de Rs 4.150$000.

Na assembléia do dia 2 de fevereiro de 1896, a Comunidade decidiu que a inauguração da nova capela - Escola seria no dia de Páscoa. Provavelmente, o culto de inauguração realizou-se em cinco de abril, pois a ata registrou que a festa de inauguração, o Kirchweihfest, deverá ser no dia seis de abril, segundo dia de Páscoa, na chácara do senhor Andreas Becker, com a participação dos alunos.

Assim, no dia 6 de abril de 1896, realizou-se o primeiro Kerb (Kirchweih = inauguração de igreja), na Comunidade Evangélica de Cachoeira do Sul.

Poucos cultos foram celebrados. O espírito comunitário esmoreceu. Basta dizer que, nos dez anos compreendidos entre 1899 e 1909, não realizou nenhuma Assembléia. O futuro da Comunidade, assolada por inúmeras dificuldades, principalmente financeiras, tornou-se obscuro e imprevisível.

A Comunidade durante nove anos de inatividade, esteve cada vez mais doente, apática e resignada. Alguns membros não se importavam com essa situação. Entretanto, outros, liderados pelo comerciante Franz Rother, não se conformavam e exigiram que fosse convocada uma Assembléia, a qual realizou-se no dia 15 de fevereiro de 1910. O professor Heinrich Gauss apresentou um relatório sobre as atividades da Escola e da Comunidade nos últimos dez anos. Ato contínuo, a Assembléia resolver encerrar as atividades da Escola e da Comunidade, devido ao pequeno número de membros e à falta de cooperação. A Comunidade não foi dissolvida, apenas interrompeu suas atividades, tanto no campo educacional como no espiritual. No entanto, não deixou de eleger uma nova diretoria. Escolheram o senhor Franz Rother para Presidente e o senhor Augusto Zimmer para Tesoureiro.

No dia 30 de abril de 1910 foi convocada uma Assembléia pelo senhor Franz Rother, ficando decidido que a Comunidade seria reativada e que seria solicitado a indicação de um Pastor, ao Sínodo da Igreja Evangélica.

A base da nova Comunidade ficou constituída de cinqüenta e dois evangélicos.

No dia 29 de maio de 1910 foi realizada uma Assembléia, na qual participou o Pastor viajante Paul Sudhaus, onde ficou decidido que a Comunidade iria se filiar ao Sínodo da Igreja, deixando de ser uma Comunidade isolada.

A Diretoria do Sínodo confirmou, no dia 25 de janeiro de 1911, a designação do primeiro Pastor para a Comunidade de Cachoeira do Sul, o Pastor Hans Thaler. O novo Pastor designado chegou a Cachoeira nos primeiros dias de fevereiro de 1911.

A Assembléia do dia 12 de junho de 1911, elegeu a nova Diretoria tendo como Presidente Augusto Wilhelm.

Na primavera de 1912, o Pastor Hans Thaler por estar muito doente, deixou a Comunidade de Cachoeira do Sul.

Na Assembléia de 21 de dezembro de l912, foi eleita a nova diretoria, tendo como Presidente Emílio Schlabitz. No dia 2 de março de 1913 o Pastor Christoph Sellins foi apresentado à Comunidade e investido no cargo de Pároco pelo Pastor Paul Sudhaus.

Atribuiu-se ao Pastor Sellins a idéia de fundar uma sociedade escolar, integrada pelos imigrantes alemães, tanto evangélicos como católicos, encarregada de construir o prédio e manter a Escola.

A entidade foi criada no dia 5 de fevereiro de 1913, com o nome de Sociedade Escolar Teuto - Brasileira (Deutsch - Brasilianischer Schulverein).

Após intensivo trabalho de conscientização, no dia 25 de fevereiro de 1913, o Pastor Sellins criou em Cachoeira um grupo da Ordem Auxiliadora de Senhoras Evangélicas (OASE). No início do ano de 1914, o Pastor Sellins aceitou o convite da Comunidade Evangélica de Ijuí e transferiu-se para aquela localidade.

A Sociedade Escolar Teuto - Brasileira adquiriu metade de uma quadra no Bairro Rio Branco. A outra metade foi comprada pela Comunidade Evangélica. Foi encomendado o projeto de um prédio espaçoso e bonito, de dois andares, que deveria incluir quatro salas de aula, uma sala maior, chamada AULA, e um apartamento para o Diretor.

O novo prédio da nova Escola foi inaugurado festivamente no dia 13 de março de 1914. O então Vice - Intendente Municipal, Dr. João Neves da Fontoura, proferiu o discurso de inauguração.

A Sociedade Escolar combinou com a Comunidade Evangélica que o Pastor da Comunidade assumiria a direção da Escola e, em retribuição, esta colocaria, gratuitamente, à disposição da Comunidade, a AULA ( o auditório) para celebrar cultos, e o apartamento para moradia do Pastor.

No dia 29 de março de 1914, o Pastor Hermann Dohms foi, em culto solene, investido no cargo de Pároco da Comunidade de Cachoeira.

Mas nuvens escuras começaram a ameaçar o trabalho tão animador e empolgante na Comunidade e na Escola. Por motivo das ameaças, em conseqüência da 1ª Guerra Mundial, na reunião do dia 18 de novembro de 1917, a Diretoria resolveu suspender a realização dos cultos, temporariamente. Só em 19 de maio de 1918, o Pastor Dohms iniciou novamente a celebração de cultos.

No ano de 1916, o P. Dohms apresentou à Assembléia da Comunidade a moção da construção de um prédio que servisse como Casa Paroquial e internato para meninos. A moção foi aceita e, no mesmo ano, iniciou-se a construção de um prédio espaçoso, que ficou pronta em meio ano. Instalado na nova Casa Pastoral, o P. Dohms tornou-se o administrador do internato.

No dia 9 de março de 1919, apresentou à Direção do Sínodo uma moção, pedindo a licença para criar um Proseminar (Instituto Pré - Teológico), com o objetivo de dar início à formação de Pastores em terra brasileira.

Em Assembléia realizada, de 7 a 10 de maio de 1919, o Sínodo homologou a moção e criou, dessa forma, oficialmente, o Proseminar (Instituto Pré - Teológico).

No dia 28 de abril de 1919, o P. Dohms editou o primeiro número de primeira revista luterana no Brasil, denominada Folhas Teuto - Evangélicas. Essa revista teológica destinou-se a homens e mulheres que querem refletir sobre as tarefas que cabem ao protestantismo de rito alemão no Brasil.

No ano de 1920, foi criado o primeiro grupo de Juventude Evangélica na Comunidade de Cachoeira do Sul.

As atividades do Proseminar tiveram início no dia 1º de julho de 1921.

O Proseminar (Instituto Pré - Teológico) foi a primeira Escola humanística do Rio Grande do Sul, aberta a todos os interessados, mesmo aos que, no futuro, não desejassem estudar Teologia.

Na Assembléia de 12 de janeiro de 1927, o Pastor Hermann Dohms comunicou que o Sínodo o havia transferido, junto com o Proseminar para São Leopoldo, cidade mais perto da capital e berço da imigração alemã. Ao deixar a Comunidade, o P. Dohms o fez lançando a idéia da construção de uma igreja própria.

No ano de 1927 o Pastor Karl Hünermund assumiu os cargos de Pároco e Diretor da Escola.

Um único tema marcou os anos de 1927 a 1930: a construção do templo.

No dia 25 de julho de 1927, a Assembléia Geral compôs a comissão responsável pela construção da nova igreja, integrada por: Emílio Wilhelm, Rodolfo Müller, Emílio Schlabitz, Roberto Jagnow, Carl Grabau e Pastor Hünermund. Mais tarde, os seguintes membros também foram eleitos para fazer parte da comissão: Dr. Artur Frederico Decker, Reinoldo Treptow, Reinaldo Roesch e Wilhelm Preussler. Para presidente da Comissão de Construção, foi eleito o Pastor Hünermund.

O terreno para construir a Igreja foi permutado com a Sociedade Escolar e situava-se entre a Casa Paroquial e a rua Venâncio Aires (hoje, Avenida Presidente Vargas).

A Assembléia de 01-06-1929 aprovou o projeto Quo Vadis que previa a construção de uma Igreja com uma base octogonal de puro estilo gótico, construção esta sem similar no mundo inteiro. O arquiteto foi o Sr. Theo Wiederspahn, de Porto Alegre e a contrutora foi Schütz e Matteis, O orçamento aprovado foi de 171:026$026.

Foi organizado um plebiscito entre os membros da Comunidade para escolher o nome da Igreja. A maioria escolheu a denominação Igreja Martim Lutero, em homenagem ao quarto centenário da Confissão de Augsburgo. Em 27 de julho de 1930 a Comunidade Evangélica de Cachoeira do Sul, reunida no pátio da Escola, procedeu ao lançamento da Pedra Fundamental.

A construção da Igreja teve início no dia 12 de junho de 1930. A Igreja foi edificada em oito meses, com a seguinte arquitetura: na parte externa, destacam-se os pilares, as janelas, os símbolos no parapeito do terraço, e as corujas lança - água, nas conjunções das calhas; a arquitetura interna é rica em símbolos como, por exemplo: as três portas externas, o saguão com a rosa de Lutero no piso, as três portas internas, o corredor, as três escadas de acesso ao altar, o próprio altar com o crucifixo, os dois candelabros e a Bíblia, os pilares laterais, os vitrais em forma de rosetas, os símbolos no parapeito das galerias, as rosetas com os símbolos dos sacramentos, atrás do altar, e os símbolos das tábuas da lei ou dos dois testamentos, no púlpito. A construção da Igreja custou 211:391$600.

No dia 4 de janeiro de 1931 chegaram ao porto de Cachoeira, os sinos que vieram da Alemanha.

No dia 1º de março de 1931, os sinos foram inaugurados festivamente. Inicialmente, o Presidente da Comunidade procedeu ao leilão das primeiras batidas. Conforme o resultado do leilão, tornaram-se padrinhos os senhores Carlos Goltz, Luiz Diefenbach e Wilhelm Ritter.

O Templo Martim Lutero foi inaugurado no dia 19 de abril de 1931.

No ato de inauguração, o Prepósito Funke, representante da Igreja Evangélica da Alemanha, proferiu as seguintes palavras: Pela ação e vontade de Deus, esta casa, a Igreja Martim Lutero, de Cachoeira, está consagrada como santuário do Senhor. E nós o colocamos com seu altar, seu púlpito, seu batistério, vasos sagrados e o badalar dos sinos a serviço de Sua Igreja. Em nome de Deus o Pai, e do Filho e do Espírito Santo!

A Diretoria, reunida no dia 29 de junho de 1931, aceitou a sugestão da Direção do Sínodo e resolveu apresentar o nome do Pastor Reusch, como sucessor do Pastor Hünermund, que deixou a Comunidade, por motivo de saúde, em 01 - 04 - 1931. A Assembléia de 1º de julho de 1931, aprovou a indicação e elegeu o Pastor Gustav Reusch para o cargo de Pároco da Comunidade. A Sociedade Escolar elegeu-o também para o cargo de Diretor da Escola.

De 23 a 26 de abril de 1932 a Comunidade sediou, pela primeira vez, um Concílio da Igreja, o 39º Concílio sinodal.

No dia 17 de abril de 1938 foi inaugurado o Jardim de Infância. Junto com o evento, a Comunidade comemorou o aniversário da inauguração da igreja e o jubileu de prata da OASE.

No dia 5 de dezembro de 1938, a Diretoria decidiu, lamentavelmente, encerrar as atividades do Jardim de Infância, devido às leis de nacionalização.

A Sociedade Escolar, em Assembléia no dia 2 de maio de 1938 resolveu auto - dissolver-se, também devido às leis de nacionalização. A Sociedade Escolar Alemã Brasileira foi incorporada à Comunidade Evangélica de Cachoeira em 04 de maio de 1939. A Escola Alemã Brasileira passou a chamar-se Escola Evangélica da Comunidade Evangélica de Cachoeira e mais tarde Colégio Evangélico Brasileiro.

A nacionalização e o ingresso do Brasil na guerra contra a Alemanha, em 22 de agosto de 1942, tiveram como conseqüências uma onda de hostilidade, perseguições, depredações e confiscos. Em Cachoeira foram visados para serem depredados, os clubes de origem germânica e ítala, a igreja e a Escola da Comunidade Evangélica.

A massa cercou a igreja e a depredou. Os grandes e bonitos vitrais foram impiedosamente quebrados a pedradas. Forçaram as portas. Entraram na Igreja e a saquearam. Após o vandalismo e a depredação da Igreja, da Escola e da Casa Paroquial, em agosto de 1942, a Escola foi fechada para restauração.

Em novembro de 1942, após a restauração, a Escola reabriu suas portas para receber todos os que desejassem continuar seus estudos. O fim da guerra encontrou tanto a Comunidade quanto a Escola em pleno funcionamento.

O relógio da Igreja foi doado pela OASE e inaugurado em junho de 1951.

Em 21 de janeiro de 1957, o Pastor Reusch, após vinte e cinco anos de fiel e dedicado trabalho em Cachoeira, deixa a Comunidade.

Na Assembléia do dia 6 de março de 1957, a Diretoria resolveu convidar para assumir o cargo de Pároco da Paróquia de Cachoeira do Sul, o Pastor Kurt Benno Eckert, radicado em Serra do Cadeado, município de Ijuí.

Com os senhores Emílio Wilhelm, Arnim Brendler e Balduíno Roos na presidência, encerrou-se um período importante na vida da Comunidade, o período dos pioneiros e dos seus cooperadores diretos.

Com a nova Diretoria, integrada pelo Dr. Fritz Strohschoen, Aldo Rohde e Dr. Walter Bittelbrunn, teve início uma nova era.

Em 27 de junho de 1957 chegou a Cachoeira do Sul o Pastor Kurt Benno Eckert. No dia 15 de setembro de 1957, em culto vespertino, o Pastor Eckert foi apresentado à Comunidade pelo Pastor Distrital Rudolfo Brauer, de Agudo.

O Pastor Eckert permaneceu como Pároco da Comunidade até 20 de dezembro de 1983, quando se aposentou.

No dia 1º de janeiro de 1984 assumiu a Paróquia o Pastor Renato Siewert, permanecendo até o início do ano de 1986, quando regressou aos Estados Unidos.

Com a saída do Pastor Renato, foi convidado para atender a Comunidade no período de janeiro a julho de 1986, o Pastor Kurt Benno Eckert.

Em julho de 1986 foi investido como Pároco da Comunidade o Pastor Dorlei Diesel.

Ocorreu no dia 02 de dezembro de 2001 o brusco falecimento do Pastor Dorlei Diesel vítima de um infarto fulminante. Era filho de Balduino Reynoldo Diesel e Elcy Lampert Diesel. Nasceu em 18 de abril de 1942 em São Pedro do Sul, RS. Era casado com Zuleica Gutheil Diesel natural de São Pedro do Sul e tinha as filhas: Letícia Diesel, Melissa Diesel e Pâmela Diesel.

O velório ocorreu no salão de atividades múltiplas do Colégio Sinodal Barão do Rio Branco e foi sepultado no Cemitério de São Pedro do Sul, RS.

Em 20 DEZ 2001 foi convidado para assumir, provisoriamente, a Paróquia de Cachoeira do Sul o P. Alberto Gallert, natural de Giruá,RS. Em 29 JAN 2002 o P. Alberto Gallert foi investido na Paróquia de Cachoeira do Sul.

Em Julho de 2002 foi criado o 2º Pastorado na Paróquia de Cachoeira do Sul e em 01 JUL 2002 foi investido o P. Roberto Luiz Schulz, natural de Três de Maio, que veio da cidade de Taquara,RS.

Em março/2006 o P. Roberto Luiz Schulz foi transferido para Joinville-SC e assumiu a Paróquia Bom Jesus daquela cidade. A Comunidade Martim Lutero deseja boa sorte nesta nova etapa da vida do Pastor Roberto.

O P. Alberto Gallert foi transferido, a partir de 15 de maio de 2006, para a Comunidade de Teófilo Otoni em Minas Gerais. A Comunidade Martim Lutero agradece ao P. Alberto pelo trabalho desenvolvido em Cachoeira do Sul e deseja-lhe muitas felicidades e que tenha uma caminhada abençoada junto àquela Comunidade.

De Maio à Julho de 2006 a Paróquia foi atendida pela estudante de Teologia Paula Ludtke natural de Paraíso do Sul.

No dia 29 JUL 06 foi apresentado o Pastor Elio Scheffler natural de Três de Maio, RS, casado com a também Pastora Regene Lamb natural de Cunha Porá, SC, suas filhas Iuna Lamb Scheffler e Moema Lamb Scheffler. O P. Elio e sua família vieram da cidade de Ji Paraná em Rondônia pertencente ao Sínodo da Amazônia. No dia 01 SET 06 foi realizado o Culto de instalação do P. Elio Scheffler como Obreiro da Paróquia e a Pa. Regene Lamb no Pastorado Voluntário.

No dia 17 de julho de 2011 o Pastor Elio Scheffler e a Pastora Regene Lamb foram transferidos para a Paróquia de Monte Alverne (Santa Cruz do Sul). A Comunidade Martim Lutero agradece ao Pastor Elio e a Pastora Regene pelo trabalho desenvolvido em Cachoeira do Sul e deseja-lhes felicidades e sucesso no novo campo de trabalho.

De agosto de 2011 à meados de janeiro de 2012 a Paróquia foi atendida pelo bacharel em teologia Jonas Krause.

No dia 16 de janeiro de 2012 assume a Paróquia de Cachoeira do Sul o Pastor Martin Timóteo Dietz que veio da Alemanha onde em dezembro de 2011 conclui o seu doutorado.

No dia 31 Julho de 2016 o P. Martin Timóteo Dietz foi transferido para a EST em S. Leopoldo, assumindo uma cátedra na referida Faculdade. Agradecemos o trabalho que o P.Martin aqui desenvolveu, desejando muito sucesso e alegrias nesse novo campo de trabalho.

No dia 01 Agosto de 2016 assumiu a Paróquia de Cachoeira do Sul o P. Orlando Schmidt, vindo da cidade de Lajeado, RS.

No dia 01/02/2020, o P. Jonas Zenkner Beier, vindo da cidade de Uberlândia/MG, iniciou os trabalhos juntos à Paróquia de Cachoeira de Sul.

 


Foram Presidentes da Comunidade Evangélica de Cachoeira do Sul, os seguintes membros:

Phillip Adams : 1893 - 1897
Luiz Gauss : 1898
Josef Müller : 1899
Franz Rother : 1910
August Wilhelm : 1911 / 1917 - 1921
Emil Schlabitz : 1912 - 1916
Willy Tesch : 1922 - 1928
Rudolf Müller : 1929 - 1934 / 1944 - 1945
Dr. Arthur Decker : 1929
Emílio Wilhelm : 1935 - 1943 / 1950 - 1954
Rodolfo Kämpf : 1946 - 1947 / 1961 - 1962
Arnim Brendler : 1948 - 1949
Balduíno Geraldo Roos : 1955 - 1956
Dr. Fritz Strohschen : 1957 - 1960
Rudy Triska : 1963 - 1964
Heini Massirer : 1965 - 1966
Arnim Kämpf : 1967 - 1970
Eurico Scheidt : 1971 - 1974
Telmo Wollmann : 1975 -1976
Bruno Fürstenau : 1977 - 1978
Werner Bittelbrunn : 1979 - 1980
Armando Donicht : 1981 - 1982
Írio Becker : 1983 - 1984
Abílio Pfüller : 1985 - 1986
Arnildo Schütz : 1987 - 1988
Guido Arno Grohs : 1989 - 1990
Darci Losekann : 1991 - 1992
Rudiberto Hamann : 1993 - 1996
Edilson Alves da Cunha : 1997 - 1998
John Army Parnow - 1999 - 2000
Mirtis Preuss - 2000 - 2004
José Rodrigues Voigt - 2004 - 2009
John Army Parnow - 2009 - 2011
José Rodrigues Voigt - 2011 - 2015
Mirtis Preuss - 2015 -


AÇÃO CONJUNTA
+
tema
vai_vem
pami
fe pecc

Quanto mais a gente de embrenha na Criação, maiores os milagres que se descobre.
Martim Lutero
EDUCAÇÃO CRISTÃ CONTÍNUA
+

REDE DE RECURSOS
+
Arrisco e coloco a minha confiança somente no único Deus, invisível e incompreensível, o que criou o céu e a terra.
Martim Lutero
© Copyright 2022 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br