Comunicação


ID: 2771

Quando alguma palavra do culto e da prédica parece ter sido dirigida diretamente a você!

Prédica

28/06/2020

Prezada Comunidade:

Nessa semana – dia 29 de junho - a igreja cristã lembra os apóstolos Pedro e Paulo. Tanto Pedro como Paulo viveram sua vocação apostólica com características próprias. Cada um, a sua maneira, levou adiante seu ministério com responsabilidade. Esses dois apóstolos não pensavam da mesma maneira. Muitas vezes eles tiveram conflitos um com o outro. Eles tinham formas diferentes de apresentar o Evangelho para as pessoas.

O apóstolo Pedro pensava que o cristianismo devia ser uma espécie de movimento, de um grupo dentro do judaísmo. Portanto, era necessário aceitar a religião judaica antes de tornar-se um cristão. A circuncisão vinha antes do batismo. O apóstolo Pedro era mais apegado as tradições do judaísmo.

Para o apóstolo Paulo, no entanto, a partir de Jesus o povo de Deus não se limita mais ao povo judeu. O importante era o batismo e o cristianismo não deveria ser uma continuidade do judaísmo. O novo povo de Deus – a igreja de Jesus – nasceu a partir do Evangelho, da mensagem, da morte e da ressurreição de Jesus. A igreja deve seguir somente a Jesus, denunciar as injustiças, anunciar o perdão dos pecados, reconciliar inimigos, capacitar para a paz, evangelizar o povo, socorrer nas horas de aflição, conceder bênção, mediar experiencias do sagrado, chamar a fé, habilitar ao amor, mostrar o sentido da vida e construir esperança.

Também hoje vemos práticas diferentes entre as diversas igrejas. Se essa diversidade de comunidades vem desde o tempo dos apóstolos, então parece um tanto paradoxal tentar hoje uniformizar a igreja de Jesus. A diversidade de formas e expressões comunitárias é legítima e até mesmo necessária.
Existem pessoas que gostam de comunidades mais agitadas, com banda de música, pregações incandescentes. Outros gostam de comunidades mais tranquilas, um espaço que valorize a individualidade de cada pessoa. Essas formas externas de ser igreja de Jesus Cristo são possíveis.

Mas o que não é possível é mudar o conteúdo do Evangelho que a igreja deve anunciar. Na igreja luterana – uma coisa não deve mudar nunca: A igreja deve orientar a vida das pessoas com a Palavra de Deus e essa Palavra de Deus deve sempre promover a Jesus Cristo. Em palavras mais simples isso quer dizer: Quando tivermos dúvidas sobre que pensar, que atitudes tomar, nesses casos, devemos nos perguntar: Em minha situação o que faria Jesus?

O conteúdo do Evangelho não pode se adaptar ao gosto das pessoas. Isso quer dizer – por exemplo - que um(a) pastor(a) não pode perguntar para as pessoas o que ele pode ou não pode falar na pregação. Antes de sermos ministros e ministras da IECLB nós somos ministros e ministras de Deus no Evangelho de Cristo. Portanto, nossa primeira responsabilidade é servir à Palavra de Deus. E por isso, nós - ministros e ministras - seremos julgados por Deus com mais rigor que as outras pessoas. (Tg 3.1).

Algumas vezes não é fácil falar sobre a Palavra de Deus. Hoje – por exemplo - as palavras de Jesus que ouvimos do Evangelho de Mateus nos dizem que na pregação da Palavra de Deus deve ter lugar a profecia. Profecia significa denunciar o pecado pessoal e estrutural e anunciar a vontade de Deus. A profecia diz que a igreja de Jesus Cristo não pode ficar indiferente ao pecado que produz sofrimento no mundo. A profecia diz que a Palavra de Deus não pode ser um discurso vazio e sem sentido para a vida das pessoas.

Falar profeticamente não é tomar partido contra um governo e a favor de outro. A profecia nos lembra que a lei de Deus e as leis do país devem ser iguais para todas as pessoas. Ninguém deve estar acima da lei. As autoridades devem ser um exemplo. Não podem mentir. Não podem roubar. Não se pode espichar as leis, de acordo com a importância ou o dinheiro da pessoa acusada.

As palavras de Jesus sobre a profecia nos lembram que é usar o nome de Deus em vão quando as autoridades invocam o nome de Deus e ao mesmo tempo violam os mandamentos de Deus.

A palavra profética mostra onde está o pecado. E o pecado está em desobedecer os ensinamentos de Deus. Conhecendo o nosso pecado, a Palavra de Deus nos chama ao arrependimento. E nenhum ser humano está livre do pecado. Os sentimentos contrários a Deus – como a arrogância, a prepotência, o orgulho e a intolerância – não gostam de ouvir a palavra pecado. Esses sentimentos fecham nossos ouvidos para Deus e fecham também o nosso coração para o próximo.

Por isso, nos cultos da igreja luterana, a primeira oração que fazemos é uma confissão de pecados. Pedimos perdão a Deus e rogamos por sua misericórdia para que Deus nos oriente com a sua Palavra. Mas para que o perdão de Deus chegue até nós, é preciso que tenhamos a boa vontade de mudar o que está errado.

Jesus não quer que pactuemos com a maldade. A Palavra de Deus quer brilhar por meio de nossas atitudes e nossa maneira de pensar. As primeiras comunidades cristãs eram admiradas porque as pessoas eram solidárias, generosas, porque cultivavam pequenos gestos de generosidade, como dar um copo de água fresca. Certamente também havia divergências de opinião – como ouvimos de Pedro e de Paulo – mas as pessoas haviam aprendido que Deus colocou um pouco da verdade no coração de cada um deles. As pessoas aprenderam que sem escutar uns aos outros, - sem escutar quem pensa diferente - elas jamais entenderiam a verdadeira vontade de Deus.

Quando o pecado nos domina, então costumamos nos ofender com algumas coisas que se fala na igreja. Mas a Palavra de Deus não quer nos ofender. Deus não é nosso adversário. Ao ouvir a Palavra de Deus nos questionando, devemos ter uma atitude de humildade, de escuta, de reflexão, de meditação, de avaliação e de mudança – sempre que isso for necessário. Deus nos quer livrar do mal.

Por isso, se alguma palavra do culto e da prédica parece ter sido dirigida diretamente a nós, - demos graças a Deus por isso. Isso significa que Deus está falando conosco. Isso significa que alguma coisa não está bem em nós e, por isso, Deus quer que avaliemos o seu presente e com as lições aprendidas transformemos o nosso futuro em algo melhor. Isso significa que Deus – não esqueceu de gente. Ele nos quer voltemos a andar nos seus caminhos.

Que a graça de nosso Senhor Jesus Cristo e o amor de Deus nosso Pai e a comunhão do Espírito Santo fiquem no coração de cada um(a) de nós. Amém.


 


Autor(a): Nilton Giese
Âmbito: IECLB / Sinodo: Paranapanema / Paróquia: Curitiba - Igreja de Cristo
Área: Confessionalidade / Nível: Confessionalidade - Prédicas e Meditações
Área: Comunicação / Nível: Comunicação - Programas de Rádio
Testamento: Novo / Livro: Mateus / Capitulo: 10 / Versículo Inicial: 40 / Versículo Final: 42
Natureza do Texto: Pregação/meditação
Perfil do Texto: Prédica
ID: 57395
MÍDIATECA

AÇÃO CONJUNTA
+
tema
vai_vem
pami
fe pecc

Tu és o meu Deus, eu te louvarei. Tu és meu Deus, eu anunciarei a tua grandeza.
Salmo 118.28
REDE DE RECURSOS
+
Assim como o fogo sempre produz calor e fumaça, também a fé sempre vem acompanhada do amor.
Martim Lutero
© Copyright 2020 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br