Curitiba - Igreja de Cristo

Sínodo Paranapanema



Rua Inácio Lustosa , 309 - São Francisco
CEP 80510-000 - Curitiba /PR - Brasil
Telefone(s): (41) 3223-8696
christuskirche.igrejadecristo@gmail.com
ID: 2897

Advento - um ciclo se fecha e outro ciclo se abre.

Deus nos inspira com a Igreja em Tessalônica.

26/11/2021

1 Tessalonicenses 3. 9-13
Veja também em: https://www.theologie.uzh.ch/predigten/1-tessalonicenses-3-9-13/

Estimada Comunidade reunida
Estimados e estimadas ouvintes da radiowebluteranos.com

Que a graça de nosso Senhor Jesus Cristo, o amor de Deus nosso Pai e a comunhão do Espírito Santo esteja entre nós. Amém

Iniciamos hoje o tempo de Advento. Um tempo em que costumamos falar fortemente de esperança. Essa esperança tem como mensagem central a chegada do Filho de Deus a esse mundo. Deus vai abrir as portas do céu e vai descer – em seu Filho Jesus Cristo - aqui para a terra. E a presença de Jesus vai transformar esse mundo radicalmente.

Mas essa transformação não acontece de forma mágica. Ela precisa da participação do ser humano. Deus até poderia fazer tudo sozinho – como ele fez lá em Gênesis – mas não seria pedagógico. O ser humano precisa valorizar essa nova realidade. Caso contrário, ele não vai cuidar dela.
Para muitos povos indígenas de nossa América Latina, falar de um novo tempo significa falar de um ciclo que se fecha e outro ciclo que se abre. Portanto, a sabedoria dos povos indígenas nos ensina que o fim de um ciclo – de uma fase da vida - é também o início de um novo ciclo – de uma nova fase na vida. Nessa mudaça, Deus nos dá a oportunidade de deixar os erros do ciclo anterior para trás e recomeçar a vida com novos pensamentos e novas atitudes. Com o tempo de Advento começa um novo ciclo também em nossas vidas. O Advento nos diz mais uma vez que Jesus vem ao encontro do ser humano para transformar a vida das pessoas. Ele veio para falar e mostrar que Deus é amor, é misericórdia, é perdão, é possibilidade de recomeços, de uma vida melhor a cada dia. Terminamos um ciclo de vida e estamos começando outro.

Portanto, Deus está abrindo um novo ciclo para nossas vidas. E a mudança que Jesus nos pede deve ser visível em nossas igrejas. É acolher e viver os valores do Evangelho que são a solidariedade, a justiça, a amizade, a alegria, a compaixão, o perdão. Não usar a Bíblia para atacar ninguém, para promover discriminação e ódio. É o diabo que ensina as pessoas a usar a Bíblia dessa maneira, não Jesus. Jesus não promove essas coisas. O que Jesus promove é a fé em Deus que quer transformar o coração do ser humano para que a pessoa cristã tenha novos pensamentos e novas atitudes. Por isso, diante das dificuldades sempre devo me perguntar: Qual a minha parcela de culpa no mal que estamos vivendo?

No Advento nós anunciamos o nascimento de Jesus, mas Jesus já está no meio de nós. Mas devemos nos perguntar se ele não ficou de lado nesse ano que passou. E ele mais uma vez nos chama para que orientemos nossa vida pela vontade de Deus, que busquemos a orientação de Deus através da oração e assumamos os ensinamentos de Jesus como o nosso projeto de vida.

O apóstolo Paulo participou na criação de várias igrejas, entre elas da Igreja de Tessalônica, capital da Macedônia. E como bom pastor, o apóstolo Paulo sempre quis permanecer em contacto com o rebanho de Deus. Para ele era importante visitar e acompanhar aqueles que estão em Cristo Jesus. Mas ele não conseguia fazer isso sozinho, por isso ele nos quer mostrar que trabalhar para o reino de Deus não é responsabilidade de uma única pessoa, mas que esse trabalho pede colaboração, participação, ... mãos dadas.

Tessalônica era uma comunidade que dava gosto. Nos primeiros dois capítulos o apóstolo Paulo elogia os tessalonicenses que dele receberam o Evangelho, por volta do ano 50dC, com tanta seriedade. O livro de Atos dos Apóstolos (Atos 17.1-15) conta a história dessa igreja. Paulo e Silvano chegaram em Tessalônica na sua segunda viagem missionária e pregaram por três semanas na sinagoga local. Nesse tempo surgiu uma forte polêmica com as autoridades judaicas da sinagoga. O conflito foi ficando pior a cada dia e os apóstolos mudaram o lugar de reunião para a casa de Jasão e, depois, tiveram que fugir da cidade. As comunidades judaicas temiam perder seus privilégios legais e não queriam atrair a oposição das autoridades romanas. Além disso, a novidade cristã foi considerada uma seita dentro do judaísmo, que entrou em conflito com as leis e preceitos judaicos. Para a comunidade judaica, tornar-se cristão significava primeiro assumir os preceitos judaicos. Para os apóstolos, uma comunidade cristã deve ser atrativa, acolhedora, inclusiva. Um lugar onde as pessoas se sentem bem. Um lugar onde se pratica a solidariedade, que anuncia a salvação através da fé em Jesus Cristo e onde se espera o seu retorno em poder e em glória. Muitas pessoas pobres, de periferia, acostumados ao trabalho pesado e que viviam num contexto econômico social massacrante, ouviram essa mensagem dos apóstolos e desejaram fazer parte de uma comunidade assim. No entanto, as autoridades judaicas da sinagoga exigiam que os apóstolos pregassem a necessidade de submissão aos preceitos judaicos. Aí começa o conflito. Primeiro os apóstolos precisam se esconder na casa de Jasão e depois precisam fugir de Tessalônica.

Mas eles não perdem o contato com a igreja em Tessalônica. As notícias de Tessalônica eram contraditórias, e por isso Timóteo é enviado ao local, para ver o que estava acontecendo. Quando retorna, Timóteo traz boas notícias: apesar da perseguição, da precariedade, das dificuldades, as pessoas cristãs em Tessalônica mantiveram com firmeza a sua fé e a sua comunidade. Essas boas notícias renovam o ânimo dos apóstolos, enche-os de grande alegria e envolve-os em gratidão. Os tessalonicenes, explorados na sociedade e pelo Império, na comunidade cristã se sentiam como irmãos e irmãs, eleitos e amados por Deus, participavam da igreja e tinham um compromisso com a vida fraterna e com o cuidado mútuo.

Apesar da situação difícil, os apóstolos percebem que sempre há motivos de agradecimento. Jesus está presente na Comunidade e a mantém firme, a comunidade vive a fé e o amor, apesar de suas limitações. A semeadura do Evangelho não foi em vão. As boas notícias fazem os apóstolos terem vontade de voltar para Tessalônica. Mesmo firmes na fé, algumas pessoas têm dúvidas sobre o que acontece com as pessoas que morrem antes do retorno de Jesus em poder e glória? Por isso, os apóstolos pedem a Deus a oportunidade de voltar para Tessalônica para continuar falando desse Kyrios que promove a vida e que faz a Comunidade crescer na prática do amor.

Uma comunidade cristã precisa ouvir e praticar o amor/ágape. Essas duas coisas juntas fazem a Comunidade superar as dificuldades e a capacidade de resistência contra o mal. E assim, viver em santidade é viver de modo a agradar a Deus. Isso significa romper com os pensamentos e as práticas egoístas, de inveja, de injustiça, de ociosidade, de preguiça e de covardia. Uma comunidade cristã precisa ser diferente do sistema do império. Uma comunidade cristã – enquanto espera a vinda do Senhor Jesus - precisa sempre apostar na fé, no amor e na esperança.

Desta forma, a palavra bíblica nos quer dizer que Advento é tempo de preparação, de espera ativa, de encerrar um ciclo – uma fase – da vida e começar outro, deixando os equívocos para trás e recomeçar a vida.

Essa é a mensagem do Evangelho. A fé em Jesus Cristo nos possibilita recomeços. Nem sempre tudo vai voltar a ser como era antes. Algumas coisas boas, também não vão voltar mais. Advento nos quer dizer que – apesar de tudo – precisamos aprender a agradecer mais do que a lamentar. É preciso saber agradecer que Jesus nos dá novas oportunidades para corrigir nossos equívocos.

Por isso, preparemo-nos para a chegada do Filho de Deus. Que as pessoas possam também falar de nossas comunidades como lugares onde a Palavra de Deus reorienta sentimentos, pensamentos, palavras, gestos, atitudes, ações e programas pelo amor fraternal, pelo amor que procede de Deus. Essa é a marca registrada das pessoas batizadas e seguidoras de Jesus.

Que a graça de nosso Senhor Jesus Cristo, o amor de Deus nosso Pai e a comunhão do Espírito Santo permaneçam entre nós. Amém
 


Autor(a): Nilton Giese
Âmbito: IECLB / Sinodo: Paranapanema / Paróquia: Curitiba - Igreja de Cristo
Área: Confessionalidade / Nível: Confessionalidade - Prédicas e Meditações
Área: Celebração / Nível: Celebração - Ano Eclesiástico / Subnível: Celebração - Ano Eclesiástico - Ciclo do Natal
Testamento: Novo / Livro: Tessalonicenses I / Capitulo: 3 / Versículo Inicial: 9 / Versículo Final: 13
Natureza do Texto: Pregação/meditação
Perfil do Texto: Prédica
ID: 65347

AÇÃO CONJUNTA
+
tema
vai_vem
pami
fe pecc

A misericórdia de Deus é como o céu, que permanece sempre firme sobre nós. Sob este teto, estamos seguros, onde quer que nos encontremos.
Martim Lutero
EDUCAÇÃO CRISTÃ CONTÍNUA
+

REDE DE RECURSOS
+
Sejam bons administradores dos diferentes dons que receberam de Deus. Que cada um use o seu próprio dom para o bem dos outros!
1Pedro 4.10
© Copyright 2022 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br