Dia da Reforma



ID: 2892

Romanos 3.21-31 - Dia da Reforma

Prédica

31/10/2004

Queridos irmãos:

O dia 31 de outubro de 1517 é um marco na história da nossa igreja e da igreja cristã como um todo. É o dia em que Lutero afixou as suas 95 teses na Igreja do Castelo de Wittenberg. Desde lá, comemoramos essa data como sendo a data da Reforma da Igreja. Não quero entrar em detalhes históricos quanto a essa data. Gostaria hoje de tecer breves comentários sobre os quatro pilares da Reforma e trazer, a partir deles, uma mensagem para as nossas vidas.

A Reforma tem como base 4 pilares que é: somente a fé, somente a graça, somente as Escrituras, somente Cristo.

Sobre o tema reforma, inicialmente quero fazer um comentário sobre o mundo religioso à nossa volta. Irmãos, a gente tem notado um grande crescimento de novas igrejas e seitas no nosso país. Parece haver uma procura por uma igreja verdadeira, por uma igreja que satisfaça a mim e aos meus interesses. Alguns procuram uma igreja que discipline os seus filhos. Outros buscam uma igreja onde há uma grande camaradagem. Talvez outros estejam famintos por louvor e adoração. Outros, quem sabe, procuram uma igreja que lhes prometa um bem estar material, curas, etc. Outros querem reformar a sua própria igreja, a fim de que ela se torne atraente para as demais pessoas e para si mesmos.

Quantas pessoas dizem: A Igreja Luterana precisa de reformas, se não irá perder todos os seus membros. Reformas são necessárias, são importantes.

Mas eu gostaria também de dizer uma coisa sobre isso: A Reforma da Igreja acontece primeiramente na minha vida e no meu lar. Porque, na verdade, eu faço parte da Igreja. Ou, até melhor, junto com os irmãos, eu sou a igreja. É assim que a Igreja Luterana nos seus escritos define igreja: “é a comunhão dos santos”, ou seja, comunhão dos crentes em Cristo.

Uma coisa eu digo, irmãos, se o meu coração, se o meu lar não é reformado, então eu sempre procurarei a igreja certa ou procurarei reformar a igreja e nunca estarei satisfeito.

No entanto, se o meu coração, o meu lar, é reformado, então eu encontrarei paz, alegria, consolo, fortalecimento em qualquer igreja, seja ela tradicional ou não. O que tem que reformar primeiramente é a minha própria vida, o meu coração. As outras coisas são coisas externas. Podem até ser reformadas, mas a reforma principal tem que vir de dentro.

Por isso, a partir desses 4 pilares da Reforma: graça, fé, Escrituras e Cristo, gostaria de dar algumas sugestões de mudanças que seriam úteis para as nossas vidas e, conseqüentemente, para a igreja, pois, repito: nós somos a Igreja.

No tocante à graça, o apóstolo escreve nos versículos 23 e 24: “pois todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus, e são justificados gratuitamente pela sua graça, pela redenção que há em Cristo Jesus.”

Penso que o texto nos fala de uma reforma que se faz necessária em nossas vidas. Quantos cristãos estão completamente equivocados no tocante ao tema da salvação. Acham que serão salvos por causa das suas obras. “Eu fiz isso, aquilo e aquilo outro. Meu pai ou meu avô fizeram isso e aquilo.” As boas obras têm o seu lugar, são importantes, mas não salvam. A salvação, diz o texto, é graça, é presente de Deus que nós recebemos através da fé. E esse presente, essa graça tem o nome de Jesus. Ou seja, para ser salvo, eu preciso receber a Jesus em minha vida como Salvador e Senhor. Talvez você pergunte: “Ah, mas eu não preciso fazer mais nada?” Ora, irmão, Jesus já fez tudo, morrendo na cruz em nosso lugar. Só que esse receber a Jesus tem um preço a ser pago que é procurar andar em conformidade com a sua pregação, com os seus ensinamentos. Não é aceito por Deus quem quer dizer sim para Jesus, mas não quer compromisso de o seguir. Por isso, penso eu, muitos acham que podem abusar da graça de Deus. Ou seja, dizem sim para Jesus, mas não querem compromisso de fidelidade a Ele. A salvação é gratuita, é graça, tem um nome que é Jesus, mas é necessário se comprometer com Ele e ser fiel, se queremos a salvação, a vida eterna.

A graça de Deus, irmãos, é um dos pilares da Reforma e que deve nortear a nossa vida tanto como igreja como a nível individual, como crente em Cristo.

Um outro pilar sem dúvida é a Escrituras Sagradas, a Bíblia. O apóstolo Paulo, que escreveu o nosso texto de hoje, faz toda uma defesa dos seus pensamentos com base nas Escrituras Sagradas. Basta ler os seus escritos. Há uma constante referência ao Antigo Testamento, que era a única Escritura Sagrada da época. Penso que uma grande Reforma na vida de muitos irmãos passa por adquirir ou readquirir o hábito de ler a Bíblia.

Nós fomos conhecidos como a Igreja da Palavra. Lutero traduziu a Bíblia para o alemão para a colocar nas mãos do povo, a fim de que o mesmo pudesse ler o que Deus nos deixou. Mas a gente tem notado que muitas pessoas, muitos irmãos luteranos, já não têm o hábito de ler a Bíblia. E por deixarem de ler a Bíblia, estão se desviando do caminho de Deus, seguindo, por exemplo, orientações de múltiplas religiões. Quantos seguem muitas seitas cristãs que têm surgido, e que têm oferecido uma variedade de bênçãos materiais e espirituais. Mas se temos um bom conhecimento bíblico, não nos deixamos seduzir por falsas religiões e teologias que não têm amparo consistente nas Escrituras Sagradas.

Se temos um bom conhecimento bíblico, se estudamos a Bíblia, não somos seduzidos. Nós sabemos dizer não, com bons argumentos, à teologias e filosofias que querem nos desviar do caminho certo. E não só sabemos dizer não para nós mesmos, mas sabemos também como orientar o outro.

O hábito de ler a Bíblia, irmão, deve ser repensado por mim e por você como uma boa reforma que devemos fazer. Lembrando também da promessa que há no Salmo 1.3 no tocante à pessoa que medita na Palavra do Senhor. Lá está escrito sobre essa pessoa: “É como árvore plantada à beira das águas correntes: Dá fruto no tempo certo e suas folhas não murcham. Tudo o que ele faz prospera!”.

A graça e as Escrituras, irmãos, são dois pilares da Reforma imprescindíveis numa reforma de vida.

E sobre um terceiro pilar também gostaria de comentar que é a fé. O apóstolo Paulo e toda Escritura Sagrada insistem em colocar que a fé é elemento essencial na vida de todo servo de Deus. A graça, podemos entender, que é o presente de Deus. E pela fé, nós usufruímos não só da graça, mas de tudo aquilo que o Senhor tem para nós. Usufruímos de todos os seus presentes.

Sabem, irmãos, apesar de crermos em Deus, de aceitarmos que a salvação é graça, é presente de Deus, apesar de estarmos nos esforçando para obtermos um melhor conhecimento bíblico, mesmo assim ainda podemos passar por dias muito difíceis, por dias maus, onde até pensamos: “Onde está Deus nisso tudo?”.

Felizmente uma boa parte dos cristãos sabe que Jesus não é Salvador apenas nos dias bons, mas também nos dias maus. Contudo, como passar por esses momentos de sofrimento de cabeça erguida? Penso que só há uma maneira: através da fé, crendo que Deus está presente e que tem a situação nas mãos.

Fé que tinha o apóstolo Paulo, fé que tinha Lutero, fé que tinha o salmista Davi que afirmou; “Ainda que eu ande pelo vale da sombra da morte, não temerei mal nenhum porque o Senhor está comigo...”

Irmãos, se estamos inteiramente confiados ao Senhor, não iremos sucumbir diante das dificuldades, mas encontraremos descanso em meio ao temporal. Mas não são apenas pessoas do passado que experimentam o quão o Senhor é bondoso em meio às tribulações. São milhares de cristãos que dia após dia experimentam o quão o Senhor é bondoso.

Quem sabe você também já passou por uma experiência difícil e pode sentir a

mão de Deus junto a você. Isso reforça a sua fé no Senhor. Mas existem ainda dificuldades pela frente a serem suportadas.

Não podemos ser vitoriosos apenas numa batalha e sermos derrotados em outra. Mas se nos mantivermos firmes em Deus em todas as circunstâncias, então seremos mais que vencedores, como nos afirma Paulo.

Viver a vida com fé no Senhor Jesus é extremamente importante. É uma reforma necessária nas nossas vidas. Somente dessa forma podemos enfrentar as dificuldades com serenidade e podemos também usufruir das coisas boas que Deus tem para nós.

E, para finalizar, ainda falo brevemente de um quarto pilar, que é na verdade a pedra angular da Igreja. Pedra que tem o nome de Jesus. O apóstolo Paulo, que escreve o nosso texto de hoje, passou também por uma profunda reforma na sua vida após o seu encontro com o Senhor Jesus. O reformador Martin Lutero, certamente, só pode fazer o que fez porque também teve a sua vida toda reformada pelo Senhor.

Eu penso, quanto a isso, que uma coisa que deveria ser reformada na vida da maioria dos cristãos é sua vida íntima com Jesus. É sua vida de comunhão com o Senhor. Há muitas pessoas que têm uma vida devocional muito pequena ou mesmo nem têm essa vida devocional. E isso faz com que sejam pessoas fracas espiritualmente.

Vejam, Jesus diz que Deus recompensa a quem se dirige ao seu quarto e ora em secreto. Ele diz: “...quando você orar, vá para seu quarto, fecha a porta e ore a seu Pai, que está em secreto. Então seu Pai, que vê em secreto, te recompensará.” (Mateus 6.6).

Não sei se dá para determinar qual é a recompensa que Deus tem para os seus que o buscam diariamente em oração no seu lugar secreto. Mas creio, de

coração, que está ligado à força que Deus dá para superar as adversidades. Creio que está ligado com uma vida abundante.

Jesus mesmo diz em João 10.10: “Eu vim para que tenham vida em abundância”.

Queridos irmãos, eu tenho a convicção de que se procurarmos, com a ajuda de Deus, reformarmos a nossa vida com base nesses 4 pilares: graça, Escrituras, fé e Cristo, então teremos não só uma vida melhor, mas uma igreja melhor. Porque não ficaremos apenas olhando os defeitos da igreja e da sua liderança, mas Deus nos abrirá os olhos para enxergarmos as coisas boas. E nos alegraremos com as muitas coisas boas que Deus tem nos dado também através da nossa igreja.

E Deus não só nos abrirá os olhos, mas também colocará em nós a vontade de construirmos juntos uma Igreja constantemente reformada pela Palavra de Deus e pela ação do Espírito Santo em nós.

Por isso, procuremos, com a ajuda de Deus, reformar a nossa vida, a nossa relação com Deus, e certamente a Igreja Luterana nunca deixará de ser para ti aquele bom lugar onde você absorve coisas boas da Palavra do Senhor. Ela não será objeto de suas críticas, mas de seu amor. E quando você for falar dela, falará com orgulho e com carinho, pois pertence a uma boa Igreja.

Que você procure reformar a sua vida com Deus. Dessa forma receberás como recompensa das mãos do Senhor, uma vida abundante. O Senhor te abençoe com a Palavra de hoje. Amém.
 


Autor(a): Telmo Noé Emerich
Âmbito: IECLB / Sinodo: Sudeste / Paróquia: Petrópolis (RJ)
Área: Celebração / Nível: Celebração - Ano Eclesiástico / Subnível: Celebração - Ano Eclesiástico - Dia da Reforma
Natureza do Domingo: Dia da Reforma

Testamento: Novo / Livro: Romanos / Capitulo: 3 / Versículo Inicial: 21 / Versículo Final: 31
Natureza do Texto: Pregação/meditação
Perfil do Texto: Prédica
ID: 20987

AÇÃO CONJUNTA
+
tema
vai_vem
pami
fe pecc

Não se preocupem com nada, mas em todas as orações peçam a Deus o que vocês precisam e orem sempre com o coração agradecido.
Filipenses 4.6
REDE DE RECURSOS
+
A misericórdia de Deus é como o céu, que permanece sempre firme sobre nós. Sob este teto, estamos seguros, onde quer que nos encontremos.
Martim Lutero
© Copyright 2022 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br