IECLB e Dia Mundial de Oração - DMO



ID: 2706

Informações sobre o país - Cuba

Dia Mundial de Oração 2016

30/10/2015

 

DIA MUNDIAL DE ORAÇÃO

Escrito pelo Comitê do DMO de Cuba
 

4 de março de 2016

“Quem receber esta criança em meu nome, a mim me recebe.”

 

Informações sobre o país

Geografia

A República de Cuba é um arquipélago verde e formoso. É composta por 4.195 ilhas. Ocupa uma superfície de 110.060 km2, localizada à entrada do Golfo do México, razão por que é chamada de “A chave do Golfo”. As cidades mais antigas datam do século XVI, fundadas quando da expansão da metrópole espanhola sobre nosso território. Cuba está dividida em 145 províncias e l68 municípios. Tem uma população de 11.116.000 habitantes. Sua capital é La Habana, com cerca de 2 milhões de habitantes. O idioma oficial de Cuba é o Espanhol.

O clima é subtropical cálido e húmido. A temperatura média é de 25,5º C. A flora é diversa e rica. A palma real, encontrada em todo o país, foi escolhida como “Árvore Nacional de Cuba”, que aparece no escudo, como símbolo da fertilidade desta terra. A Flor Nacional de Cuba é a Flor Borboleta Branca.

Breve resenha histórica

Cuba é um vocábulo indígena que significa “terra cultivada”. As expedições espanholas chegaram ao continente em 1492, em busca de riquezas, lideradas por Cristóvão Colombo, que encontrou uma população nativa de indígenas aruaques.

O trabalho, em condições de escravidão, a que foi submetida esta população autóctone por parte da colonização espanhola, provocou sua gradual e quase total extinção, sendo substituída por escravos comprados em diferentes partes da África. Esta situação durou até meados do século XIX, enquanto se ia estabelecendo um entremeado de relações entre as famílias, resultando no surgimento do “crioulo”, homens e mulheres nascidos/as em solo cubano.

Em 1895, cubanos liderados por José Marti e outros, deram início a uma revolta, conhecida como “Guerra da Independência”. O término da guerra com a Espanha foi mediado pelo governo dos Estados Unidos, que assegurou seus interesses no processo da ruptura com o colonialismo espanhol. Isso significou fracasso para os ideais libertários dos patriotas cubanos que, então, se viram submetidos à ingerência norte-americana.

A República de Cuba estabeleceu-se como nação em 1902, embora condicionada à “Emenda Platt”, que outorgou aos Estados Unidos direito de intervir nos assuntos internos da ilha, quando assim entendesse conveniente. Em 1934, esta lei foi abolida por um novo tratado entre ambos os governos, mas conservava, aos Estados Unidos, os direitos sobre a Base Naval de Guantánamo, na qualidade de arrendamento.

Toda a primeira metade do século XX esteve caracterizada por dezenas de governos, uns mais ineptos e outros mais autênticos, que se sucederam durante este período. Na década dos anos 50 uma ditadura devastou a vulnerável sociedade cubana, quando se generalizou a miséria. Surgiu, então, um movimento dirigido por Fidel Castro Ruz, conhecido como Guerra da Libertação Nacional, que triunfou em 1º. de janeiro de 1959. A vitória da Revolução converteu-se em um ponto de partida para a história dos segmentos mais desfavorecidos. O latifúndio foi exterminado através da Lei da Reforma Agrária, que repartiu a terra entre os camponeses, que eram realmente os que trabalhavam. Foi oferecida saúde pública a toda a população.

Apoiada política e economicamente por todos os países do chamado “campo socialista”, constituídos em um bloco pelo CAME (Conselho de Ajuda Mútua e Econômica), a Revolução Cubana derivou cada vez mais em direção à ideologia marxista leninista. Devido à queda do “Muro de Berlim” em 1989 e à grande mudança política e econômica entre os países socialistas, Cuba se viu submergida em uma profunda crise. Cuba perdeu a ajuda que recebia em aspectos tão importantes como alimentação do povo, transporte, combustível, artigos domésticos, etc. Começou então para os cubanos o chamado “Período Especial”, tempo caracterizado pelo aumento da escassez dos produtos básicos e pela ampliação do bloqueio que o governo dos Estados Unidos manteve sobre o país.

Forma de Governo

A República de Cuba mantém, desde o ano de 1961, um governo de modelo socialista democrático, dirigido pela Assembleia Nacional do Poder Popular, que é o único órgão com poder constituinte e legislativo no país. Seus membros são representantes eleitos por voto universal, direto e secreto dos eleitores em cada um dos municípios e províncias, e são os encarregados de organizar, dirigir e velar pela vida social, econômica e política da nação. Desde 2008, Raul Castro Ruz é o presidente e o Primeiro Secretário do Comitê Central do Partido Comunista em Cuba, o único existente no país.

Economia

A economia cubana tem atravessado períodos desiguais. Os salários não se ajustam às necessidades e, em reiteradas ocasiões, há falta de produtos como medicamentos, alimentos, artigos de higiene pessoal, transporte e outros, que não podem ser totalmente cobertos pelas famílias. A moeda nacional é o Peso Cubano, emitido regularmente pelo Banco Nacional de Cuba, mas circula também o Peso Cubano Livremente Conversível (CUC), que equivale aproximadamente ao dólar americano.

Em razão das recentes mudanças na política econômica da ilha, os ingressos mais significativos provêm do turismo internacional, cooperativismo e abertura à iniciativa privada. São importantes as exportações de café, níquel e tabaco.

Educação e Cultura

Em 1961 realizou-se a grande “Campanha de Alfabetização”. Foram abertas escolas elementares, técnicas e universidades, bem como programas diversos de educação à distância. Atualmente em nosso país as mulheres são maioria no sistema educacional, não somente no papel de estudantes, como também como educadoras em todos os níveis de ensino.

O povo cubano recebeu a influência das grandes culturas-mães: indígena, espanhola e africana. O nacionalismo musical e o surgimento de gêneros propriamente cubanos como a rumba, o mambo, chachachá, a canção cubana, a guaracha expressam-se em bailes muito ritmados e sincopados. Algumas igrejas incorporaram, nas celebrações, uma linguagem musical cada vez mais afinada com a cultura cubana.

Saúde

Cuba conta com um sistema de saúde projetado para satisfazer as necessidades e bem-estar físico e emocional do povo, com numerosos programas de prevenção, promoção de saúde, diagnósticos de prevenção destinados à infância e adolescência, às mulheres, aos anciãos/as e às pessoas com deficiências. Em Cuba, cada indivíduo que busque assistência médica é atendido, de forma gratuita, sem distinção de credo, ideologia, raça e sexo.

Religião

Em Cuba a profissão de fé é um componente sócio espiritual da vida do povo e está inserido na cultura, apesar de ter atravessado um período de tempo em que os praticantes de qualquer credo foram marginalizados pela oficialização de uma política ateísta.

A partir dos anos 90, a Constituição retomou seu caráter laico e assegurou a liberdade religiosa. O povo retornou à prática visível da fé, pois muitos a guardaram e praticaram em oculto. Hoje observa-se um graças às valiosas mulheres, que foram capazes de ocupar posições, inclusive pastorais, quando muitos pastores emigraram aos Estados Unidos da Américas ou foram convocados para o serviço militar.

A Igreja Católica Romana, com mais de 600 templos espalhados por todo o país atualmente, chegou no início da colonização espanhola. Na segunda metade do século XIX as igrejas protestantes ou evangélicas de diferentes filiações foram sendo inseridas e hoje alcançam um total de sessenta denominações, desde as históricas – presbiterianas, metodistas, episcopais e batistas – até as pentecostais, neopentecostais e as ortodoxas.

Grande aceitação popular têm as religiões afro-cubanas, que fixam suas raízes na religiosidade trazida e cultivada pelos africanos escravizados. Em Cuba também existem, embora em menor proporção, o Islamismo, o Judaísmo, o Espiritismo e os novos movimentos religiosos cristãos de tendências fundamentalistas.

Situação das mulheres

As mulheres cubanas desempenham importante papel tanto na sociedade, como na igreja e no seio da família, embora enfrente uma grande cadeia de sofrimentos e discriminação.

Para tornar realidade seus objetivos igualitários, pleitearam uma série de medidas para a inserção na esfera de trabalho, entre elas a renovação na estrutura e no sistema de empregos, o que permitiu às mulheres superar algumas barreiras e ocupar postos de trabalho tradicionalmente atribuídos aos homens: a diversificação de ofícios, estímulo para a superação cultural, técnica e profissional, mudança na Constituição da República e do Código de Trabalho, garantindo a igualdade de direitos entre homens e mulheres, e a criação dos Círculos Infantis para mães trabalhadoras.

HISTÓRIA DO DIA MUNDIAL DE ORAÇÃO EM CUBA

Em 1930 a Igreja Presbiteriana Reformada de Cuba celebrou o Dia Mundial de Oração pela primeira vez, com um programa enviado por mulheres dos Estados Unidos da América. A Igreja Metodista começou sua celebração no ano de 1931. A primeira participação no DMO foi em 20 de fevereiro de 1931. O Exército da Salvação manifesta que já no ano de 1972 celebravam o DMO. Essas três denominações foram as primeiras a ter contato direto com o Dia Mundial de Oração, graças às parceiras nos Estados Unidos, que lhes enviavam material diretamente daquele país. A primeira sexta feira de março converteu-se em um dia muito especial entre as mulheres metodistas, presbiterianas e salvacionistas.

Em 1975, Ano Internacional da Mulher, promovido em todo o mundo pela Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura da UNESCO, o então Conselho de Igreja Evangélicas de Cuba organizou o Departamento de Mulheres.

Lois Kroheler, única missionária presbiteriana estadunidense que permaneceu em Cuba depois do início da Revolução de 1959, e Dora Valentin, impulsionaram a celebração do Dia Mundial de Oração. Foi assim que o DMO foi se expandindo, primeiramente pelo mundo evangélico e/ou protestante e depois, em algumas paróquias católicas. Hoje temos quase 30 diferentes denominações que participam do DMO.

Em 2011 foi organizado o Comitê Nacional do DMO. Diretoria:
Presidente - Ormara Nolla Cao, da Fraternidade de Igrejas Batistas;
Secretária - Isis Garcia Basulto, da Igreja Católica Romana;
Tesoureira - Noemi Manrique Arango, da Igreja de Cristo;
Programas e Projetos - Sandra Zaldívar Ferrer, do Exército da Salvação.
 


Âmbito: IECLB / Organismo: Dia Mundial de Oração - DMO
Natureza do Texto: Artigo
ID: 35607
Nós não anunciamos a nós mesmos. Nós anunciamos Jesus Cristo como o Senhor.
2Coríntios 4.5
© Copyright 2020 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br