IECLB e Dia Mundial de Oração - DMO



ID: 2706

João 13: 1-17

Estudo Bíblico 1 - Dia Mundial de Oração 2015

17/11/2014

Dia Mundial de Oração 2015 - Bahamas
 

Tema: “Jesus disse: “Vocês entenderam o que eu fiz?
 

Estudo Bíblico 1
Texto: Evangelho de João 13: 1-17

CONTEXTO

Nosso Salvador terminou os seus discursos públicos. Ele agora se concentra em uma conversa particular com seus amigos. Assim nós temos um relato do que aconteceu entre ele e seus discípulos.
(1) Ele lavou os pés de seus discípulos: Jesus e seus discípulos estavam jantando. Jesus levantou-se, tirou a sua capa, e amarrou uma toalha na sua cintura.
(2) Jesus sabia que ele seria traído por um de seus discípulos, negado por outro e abandonado por todos: Ainda assim, ele agora mostra a eles a extensão total do seu amor. Deus nos conhece completamente assim como Jesus conhecia os seus discípulos (João 2:24-25, 6: 64)

INTRODUÇÃO

João 13: 1-17 - Estes versículos nos contam o que Jesus disse aos seus discípulos na noite anterior à sua morte. Tendo apenas os discípulos como sua audiência, Jesus deu as instruções finais para prepará-los para a sua morte e ressurreição. Esta situação era bem solene. Ele escolheu lavar os pés dos discípulos e desse modo estabelecer um exemplo. Isso mudaria a vida deles para sempre.

Quatro razões podem ser estipuladas como e porque Cristo fez isso:

(1) Para mostrar a natureza de seu amor incondicional pelos seus discípulos – versículos 1

(2) Para expressar o seu amor incondicional através de sua humildade voluntária – versículos 3-5

(3) Para exemplificar seu amor incondicional através do trabalho servil de lavar os pés. Isto é uma mudança de paradigma importante significando não apenas uma troca de ação entre senhor e servo, mas também uma transformação espiritual.

(4) Para estabelecer um exemplo de amor incondicional para todo o cristão para que cada um possa ser “o servo dos servos” – versículos 12-17

I. Capítulo 13: 1-2 A natureza de seu amor incondicional pelos seus discípulos e pelo o mundo.

O amor é a ênfase maior desse capítulo (João 13). O amor é renúncia da sua vida própria, e assim sendo, amor significa amar até o fim (João 3:16). Este foi o amor que Jesus mostrou através de seu ministério e o praticou até o final. Ele nunca retirou a sua amorosa bondade, apesar de existirem pessoas que não acreditavam em seu ministério. Ele não deixou de lado os seus amigos antigos, mas permaneceu com eles; ele nunca deixou de amá-los e cuidar deles. E na crucificação nós vemos a última revelação desse amor em sua extensão total.
De fato, todo o Evangelho de João põe em evidência o amor incondicional. O amor de Deus não é estático ou centrado em si, ele atinge outros e os traz para si. É Deus que estabelece o modelo do amor verdadeiro, e a base para todos os relacionamentos de amor.

Quando você ama alguém verdadeiramente, você tem o desejo de dar-se livre e incondicionalmente a ponto de sacrificar-se. Deus pagou muito caro pela vida de seu filho, o preço mais alto que ele poderia pagar. Jesus aceitou o nosso castigo, pagou o preço pelos nossos pecados, e então nos ofereceu a vida nova que ele comprou para nós. Quando nós compartilhamos o Evangelho com os outros, nosso amor deve ser como o de Jesus. Um amor que abdica do próprio conforto e segurança a fim de que outros possam receber o amor de Deus.

II. Capítulo 13: 3-5 Seu amor incondicional como exemplificado através de sua própria humilhação voluntária.

Jesus levantou-se, tirou a sua capa, e amarrou uma toalha em sua cintura. Jesus foi o servo modelo, e ele mostrou sua atitude de servo aos seus discípulos. Lavar os pés dos convidados era um trabalho para um servo doméstico fazer quando o convidado chegava, mas Jesus amarrou a toalha em sua cintura como o escravo mais humilde fazia, lavou e enxugou os pés de seus discípulos. Você está disposto a seguir o exemplo de servir como Jesus?

Por outro lado, o lavar os pés era algo que as esposas faziam pelos seus maridos, filhos pelos seus pais, e discípulos pelos seus mestres. Pode-se dizer que havia certo grau de intimidade nestes casos, diferente de quando escravos gentios lavavam os pés. No caso de Jesus o papel foi invertido com os discípulos.

O lavar de Jesus dos pés de seus discípulos é um símbolo de grande humildade. Se nós desejamos o amor de Deus e do homem, nós precisamos ser humildes, pois um coração orgulhoso não ama senão a si mesmo. “A voz da humildade é a música de Deus, e o silêncio da humildade é a retórica. A humildade prevalece onde nem a virtude nem a força podem subsistir, nem mesmo a razão” (Francis Quarles).

III. Capítulo 13: 6-11 Seu amor incondicional como exemplificado através do trabalho servil de lavar os pés. Isto é uma mudança de paradigma importante significando não apenas uma troca de ação de senhor/servo, mas também uma transformação espiritual.

Imagine-se sendo Pedro, e observando Jesus lavar os pés dos outros, e cada vez mais próximo de você. Ver o seu mestre agindo como um escravo deve ter confundido Pedro. Ele ainda não tinha entendido o ensinamento de Jesus, que para ser um líder, uma pessoa também precisa ser um servo. Como você trata os seus subordinados – sejam eles crianças, empregados ou voluntários? Para Pedro teria sido mais apropriado se um dos discípulos lavasse os pés de Jesus. Na resposta de Pedro nós vemos orgulho e vontade própria, que estão no âmago de todo o pecado.

Pedro perguntou: O Senhor vai lavar os meus pés?
Jesus respondeu: Você agora não entende o que estou fazendo, mas vai entender mais tarde!
Pedro disse: O Senhor nunca lavará os meus pés!
Jesus respondeu: Se eu não lavar, você não será mais meu discípulo!
Então, Senhor, não lave somente os meus pés; lave também as minhas mãos e a cabeça! – pediu Simão Pedro.

Se Pedro vai compartilhar com Jesus a vida eterna que vem através da fé, então ele precisa ser lavado por Jesus. Nós todos precisamos ser lavados por Jesus, por seu sangue purificador, se quisermos viver com ele algum dia. Jesus sabia que Judas ia traí-lo, por isso ele disse, nem todos estão limpos (ou “Todos menos um”, versículo 11).

IV. Capítulo 13: 12-17 O seu amor incondicional como um exemplo para todos os crentes que em Jesus são transformados para ser “o servo dos servos”.

Depois que Jesus terminou de lavar os pés dos discípulos, ele pôs a sua capa e voltou ao seu lugar na mesa, perguntando “Vocês entenderam o que eu fiz?” (versículo 12). Jesus não lavou os pés de seus discípulos apenas para que eles fossem bonzinhos uns para com os outros. O seu objetivo maior era ampliar a sua missão na terra depois de sua partida. Esses homens deveriam viver no mundo servindo aos outros e levando a mensagem da salvação.

Este é um ato de verdadeira humildade. Os discípulos reconheceram Jesus como Mestre e Senhor, e Jesus o confirma como parte de sua identidade; a humildade que Jesus está mostrando aqui não é falsa humildade; está fundamentada na verdade. Enquanto os discípulos estavam pensando neste acontecimento, Jesus disse: “Agora que eu, seu Mestre e Senhor, lavei os pés de vocês, vocês também devem lavar os pés uns dos outros. Eu dei a vocês o exemplo para que vocês façam o que eu fiz por vocês” (versículos 14-15).

O que Jesus tinha em mente? Algumas denominações estabeleceram a cerimônia do lava-pés, tanto como uma celebração à parte, ou como parte da celebração da Quinta-feira Santa, ou mesmo como uma celebração da Sexta-feira Santa. Entretanto alguns podem argumentar que Jesus não disse para fazer “o que” ele fez, mas “como” ele fez.

Todos os crentes em Jesus Cristo devem revelar o amor de Deus, através do servir um ao outro, independentemente de sua posição ou status na vida. Você pode ter uma posição de renomada liderança no corpo de Cristo, mas o exercício da liderança deve seguir este modelo de servir.

Se Jesus assumiu o papel de servo, e ele é nosso Senhor e Mestre, então nós que professamos ser seus servos devemos fazer o mesmo (versículo 16). Jesus acrescenta “Eu afirmo que o empregado não é superior ao patrão nem o mensageiro é mais importante do que aquele que o enviou.” Isso nos lembra de que nós estamos em uma missão. Jesus instruiu os seus discípulos a ir por todo o mundo, testemunhando às pessoas de todas as nações.

Deus tem um trabalho importante para nós fazermos por ele, mas precisamos fazê-lo pelo poder do Espírito Santo. Jesus é o enviado do Pai, e os discípulos junto aos demais crentes são enviados por Jesus. Em outras palavras, como Jesus foi submisso ao Pai, assim também nós precisamos estar sob a autoridade de Jesus.

O modelo de vida exemplificado no lava-pés é o amor incondicional e a humildade. Como cristãos, nós temos que ser como Cristo. Ele quer que nós coloquemos os outros à frente da nossa própria agenda. Procure uma necessidade e tome a iniciativa, execute pequenos atos anonimamente; comece o dia pensando nos outros, e acima de tudo não deixe que nada atrapalhe o seu relacionamento com Deus.

Jesus conclui dizendo: “Agora vocês conhecem esta verdade e, se a praticarem, serão felizes” (versículo 17).

CONCLUSÃO:

Humildade: Como alguém a põe em prática?

O amor incondicional surge da humildade, da compaixão e do compromisso que muitas vezes requer renúncia e serviço. Não é mero servilismo. Não deve ser confundido com maneiras e sistemas que reproduzem racismo, classicismo, sexismo, abuso ou medo. Mudar o paradigma pode levar a lições sobre o amor incondicional. O Espírito Santo ensina-nos a ver, sentir e identificar o amor verdadeiro no Corpo de Cristo e no mundo.

O Espírito Santo nos ensinará a ver, sentir, e identificar a verdadeira humildade.

1. Humildade é o pé silencioso das mulheres bahamenses quando elas marcharam e se posicionaram firmemente pelos seus direitos democráticos, durante o Movimento das Mulheres pelo Direito de Voto, cerca de cinquenta anos atrás.

2. A humildade é vista em uma mulher de 89 anos quando ela se senta com dignidade, sua cabeça graciosamente inclinada enquanto que seus olhos gentis sorriem em baixo da aba larga de seu bonito chapéu.

3. Nós testemunhamos humildade na incansável energia de nossos agricultores engajados na tarefa de semear e colher enquanto caminham pelos campos, e nos nossos pescadores/pescadoras quando ondas de cor água marinha quebram-se por cima das barreiras, banhando os seus pés.

4. A humildade está também no levantar do sol que se eleva com calor e toca a nossa pele com um espírito brando de liberdade e libertação.

1. Quais são alguns serviços que nós podemos fazer na nossa comunidade que poderão ser compreendidos como verdadeira humildade e amor?

Pontos de discussão

1. Doar seu tempo para lares de idosos e/ou de crianças.
2. Cuidar de pais doentes.
3. Cuidar do marido doente que estava separado de você.

2. Você pode lembrar-se de alguma vez quando você se ofereceu para ajudar alguém que continuadamente não procedeu corretamente com você? Se não ajudou, por que não?

Pontos de discussão

1. Não tive oportunidade.
2. Fiquei na dúvida se ele ou ela aceitaria minha ajuda.
3. Dei uma carona até o hospital em uma emergência, para um vizinho inoportuno.

3. Converse sobre maneiras de como compartilhar serviço voluntário e humilde.

Pontos de discussão

1. Enquanto participando no ministério local de sua igreja.
2. Enquanto apoiando uma organização de serviço em sua comunidade.
3. Fazendo seu próprio ministério.
4. Outras.

4. Qual foi a ajuda mais útil que você já recebeu? O que fez essa ajuda ser mais útil do que as outras ajudas?

Pontos de discussão

1. Ajuda de uma fonte cristã que veio de encontro a uma necessidade imediata ou proveu uma solução a longo prazo.
2. Ajuda de uma fonte circular, ou de uma carta, ou de uma informação que tenha chegado em momento oportuno para solucionar uma dificuldade.

5. Converse sobre essa afirmação: “Algumas vezes, medo ou/e fraqueza podem ser tomados erroneamente por humildade”.

Pontos de discussão

1. Abuso matrimonial
2. Condições no local de trabalho
3. Problemas entre professor e aluno

6. Já houve uma vez na sua vida cristã em que alguém, manifestando amor e serviço, ajudou-a a aliviar os seus temores?

Pontos de discussão

1. Questões de saúde
2. Questões financeiras
3. Questões do local de trabalho
4. Questões familiares
 


Âmbito: IECLB
Área: Ecumene
Área: Missão / Nível: Missão - Mulheres / Organismo: Dia Mundial de Oração - DMO
Natureza do Texto: Educação
Perfil do Texto: Estudo Bíblico
ID: 30747
Louvem o Senhor pelas coisas maravilhosas que tem feito. Louvem a sua imensa grandeza.
Salmo 150.2
© Copyright 2021 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br