Auxílios Homiléticos - Proclamar Libertação



ID: 2911

Efésios 5.15-20

Auxílio Homilético

15/08/2021

 

Prédica: Efésios 5.15-20
Leituras: Provérbios 9.1-6 e João 6.51-58
Autoria: Jorge Batista Dietrich de Oliveira
Data Litúrgica: 12° Domingo após Pentecostes
Data da Pregação: 15/08/2021
Proclamar Libertação - Volume: XLV

Chamados e chamadas para a vida verdadeira

1. Introdução

Os textos indicados para o 12º Domingo após Pentecostes apresentam a Sabedoria como caminho para a vida verdadeira. Cada qual apresenta pistas distintas de como desfrutar dessa vida ofertada por Deus. No texto de Provérbios, a Sabedoria constrói sua casa, prepara um banquete e convida para a festa da vida. Ela diz: Deixem a companhia dos tolos e vivam! A vida consiste em conhecer e temer a Deus. No evangelho, Jesus se apresenta como o verdadeiro pão do céu que Deus mandou para dar vida ao mundo. Ele é a vida verdadeira, ele é o alimento e sustento para a vida eterna.

Na epístola, Paulo admoesta seus leitores e leitoras a andarem como pessoas sábias, sendo sensatas e procurando compreender qual é a vontade de Deus para suas vidas. Elas devem aproveitar as oportunidades para conduzir aquelas que são de fora a Cristo, demonstrando a sabedoria de Deus por meio do preenchimento do Espírito, falando entre si e louvando ao Senhor com hinos e cânticos espirituais e rendendo sempre muitas graças por tudo o que Deus faz.

2. Exegese

A Carta aos Efésios é um escrito doutrinário exortativo aparentemente sem destinatários definidos. Durante três anos Paulo morou e trabalhou na cidade de Éfeso (At 19.1 e 20.31). Era de se esperar, portanto, que ele fizesse alguma referência ao tempo que lá esteve ou mencionasse o nome de pessoas que conhecera tão bem nessa comunidade. No entanto, não existe nenhuma referência nem notícias pessoais de qualquer espécie. Essa carta não trata de nenhum problema específico das pessoas cristãs ou situações reais a quem se destina, como ocorre com as outras cartas paulinas. A referência a Éfeso no início da carta (1.1) falta em diversos manuscritos antigos. Além disso, há indícios de que seus destinatários não eram bem conhecidos do autor (1.15; 3.2; 4.20). Portanto esse documento parece mais um sermão ou uma carta circular que contém a síntese da mensagem paulina dirigida a cristãos gentios da Ásia. É provável que Paulo tenha escrito essa mensagem na mesma época da Epístola aos Colossenses, devido à semelhança entre elas e pelo fato de mencionarem Tíquico como portador de ambas (Ef 6.21; Cl 4.7).

Esse tratado pode ser dividido em duas grandes partes. A primeira é doutrinal (1 – 3). Fala da igreja, que se baseia na morte e ressurreição de Jesus,  que une gentios e judeus num só corpo. A segunda parte (4 – 6) é parenética e enfatiza quais deveriam ser as consequências práticas para a vida e as relações humanas. A perícope em estudo faz parte desse segundo bloco, que apresenta um grande complexo de admoestações e recomendações práticas para a vida cristã.

V. 15 – No contexto menor anterior (5.1-14), Paulo exorta as pessoas crentes a serem imitadores de Cristo, afastando-se das obras infrutíferas das trevas e permanecendo na luz de Cristo. Agora, o apóstolo recomenda que os leitores e as leitoras mantenham um controle dos princípios pelos quais governam suas vidas. Portanto, vede prudentemente como andais significa: sede estritamente cuidadosos acerca da vida que levais. Não como néscios, e sim como sábios: a admoestação de andar como pessoas sábias está fortemente enraizada na tradição judaica. Também os gregos apreciavam muito a sabedoria. Por isso Paulo aborda esse tema em diversas passagens da carta. Lembra que eles receberam a sabedoria de Deus (1.8,17) e devem demonstrá-la em suas vidas (3.10), tal como a afirmação de Colossenses 4.5: Portai-vos com sabedoria para com os que são de fora, aproveitando as oportunidades.

V. 16 – Andar em sabedoria tem a ver com o uso adequado do tempo e a oportunidade dada por Deus (kairos). Paulo lembra que os dias são maus, ou seja, os seguidores e as seguidoras de Cristo enfrentam condições desfavoráveis. Por isso devem usar cada oportunidade para conduzir outros das trevas para a luz. Cada oportunidade deve, portanto, ser aproveitada antes que seja tarde demais.

V. 17 – Não vos torneis insensatos dá a entender que os leitores e as leitoras corriam o risco de saírem do estado de integridade e bom senso com que começaram a agir. Para aproveitar as oportunidades, deviam compreender a vontade do Senhor para o seu tempo. Paulo repetidamente apresenta essa procura em conhecer e fazer a vontade de Deus como prioridade no andar diário da pessoa cristã. A verdadeira sabedoria consiste em vivermos em conformidade com o plano de Deus para nossas vidas, para que compartilhemos da imagem de Cristo, de sua plenitude (1.23) e da própria plenitude de Deus (3.19).

V. 18 – A embriaguez é apresentada como um exemplo concreto da falta de bom senso. Por isso a recomendação apostólica não exige abstinência completa do “vinho”. Mas a ausência de autocontrole não deveria ser vista naqueles que encontraram em Cristo a origem e o caminho da sabedoria.

O apóstolo propõe um caminho melhor para estimular a mente, a palavra e a ação, do que pelo uso de bebidas alcoólicas. Enchei-vos do Espírito significa deixar sua vida aberta para ser constante e repetidamente cheia pelo Espírito de Deus. Paulo já havia dito que eles foram selados pelo Espírito (1.13-14) e que não deveriam entristecer o Espírito (4.30). Agora ele ordena: sejam cheios do Espírito.

V. 19 – Em vez da embriaguez, deve haver um extravasamento na forma de cântico e louvor, pois a música é a expressão do pulsar do coração das pessoas e tem um grande lugar na vida e na adoração da igreja. As pessoas cristãs também celebram suas festas e expressam seus sentimentos, mas sob a orientação do Espírito Santo. Na comunhão, onde quer que os seguidores e as seguidoras de Cristo se encontrem reunidos, há alegria por meio de hinos e cânticos de adoração a Deus de todo o coração (Cl 3.16-17). 

V. 20 – E o apóstolo instrui que a pessoa cristã, seja em cânticos, seja de outras maneiras, deve viver dando sempre graças por tudo ao nosso Deus. O agradecimento em nome de nosso Senhor deve ser entendido no sentido de Romanos 8.32ss, onde Deus é louvado pelo fato de já ter dado a nós seu Filho, esperando-se que, por esse motivo, venha a nos dar também todas as coisas.

3. Meditação

O texto da pregação é por demais desafiador, pois nos exorta a examinarmos a maneira como estamos vivendo e testemunhando a fé em Cristo perante outras pessoas. Todos os dias, vivenciamos as mais diferentes experiências no convívio com pessoas e situações, quando necessitamos agir com sabedoria para o bom testemunho do reino de Deus. Será que nos portamos como filhos e filhas de Deus em meio às situações adversas da vida no contexto relacional humano? E o que seria agir com sabedoria?

Para o autor da epístola, a sabedoria é o caminho para a vida verdadeira. Ele usa o contraste para falar sobre estilos de vidas diferentes. Em versículos anteriores ele contrasta velho e novo ser humano, luz e trevas (4.22-23; 5.8-13). Aqui ele usa sabedoria e insensatez para falar de um modo de comportar-se, da maneira de viver.

A primeira recomendação para alcançar a vida verdadeira é aproveitar bem todas as oportunidades que temos para progredir no caminho da sabedoria, cuidando para que nossa vida seja agradável a Deus e aos irmãos e irmãs, a fim de alcançar as pessoas de fora para Cristo. Nossa conduta é importante, pois a maneira como nos portamos no tempo presente se encontra ligada com o bom testemunho perante “os de fora”.

Também nós enfrentamos dias maus. Enquanto elaboro este estudo, o Brasil está mergulhado numa crise sem precedentes. Não apenas pela pandemia da Covid-19, que gerou o caos na saúde e milhares de mortes, mas também por uma recessão econômica, desemprego em massa e uma enorme crise na política e na sociedade em geral. O mundo que conhecemos não será mais o mesmo depois dessa crise, que acelera transformações nos relacionamentos, gerando mudanças profundas no comportamento e no estilo de vida de todas as pessoas. Forçosamente, os hábitos a partir de agora tendem a ser outros. Diante disso, somos chamados e chamadas a aproveitar as oportunidades para testemunhar a vida verdadeira, promovendo a paz, a justiça e a vida digna para todos e todas. Assim, podemos estabelecer nosso comportamento para com os outros no modelo do perdão e da graça de Deus para conosco.

A segunda dica é crescer no conhecimento da vontade de Deus. Paulo está dizendo que uma pessoa sábia é aquela que aproveita bem seu tempo, vive procurando qual é o propósito de Deus para sua vida, busca compreender e praticar a vontade do Senhor. A verdadeira sabedoria consiste em vivermos em conformidade com o plano de Deus para nossas vidas. Deus revela seu plano por meio de sua Palavra, de seu Espírito em nossos corações e das circunstâncias nos relacionamentos dentro da comunidade cristã e com o mundo em geral. 

Uma terceira dica para desfrutar da vida verdadeira é dar lugar ao Espírito Santo. Paulo recomenda, em vez de vinho, enchei-vos do Espírito. Como fazer isso? Segundo Paulo, o Espírito Santo enche nossa vida à medida que louvamos a Deus e somos gratos e gratas a ele por todas as coisas. A passagem bíblica afirma: falando entre vós. Isso nos apresenta a ideia da coletividade. Claro que há lugar para as experiências individuais na espiritualidade cristã, mas a congregação dos filhos e filhas de Deus é parte indispensável para o enchimento do Espírito e a vivência da vida verdadeira. Quando o apóstolo fala sobre entoar salmos, louvar de coração ao Senhor com hinos e cânticos espirituais, somos lembrados que a adoração, em essência, é marcada pela genuína busca de Deus e pela gratidão, que é inclusiva e alcança todos os meandros da nossa existência. Está expressa uma gratidão por “tudo”. Isso nos livra da murmuração e lança-nos numa confiança plena de que Deus está cuidando das nossas vidas.

Assim, o conhecimento da vontade de Deus nos leva a um processo em que nosso comportamento se ajusta a essa vontade divina. Contando com a ação do Espírito, vivemos e testemunhamos a vida verdadeira que Jesus nos dá. Amém.

4. Imagens para a prédica

Urgência de viver

Esperamos demais para fazer o que precisa ser feito, num mundo que só nos dá um dia de cada vez, sem nenhuma garantia do amanhã. Enquanto lamentamos que a vida é curta, agimos como se tivéssemos à nossa disposição um
estoque inesgotável de tempo.

Esperamos demais para dizer as palavras de perdão que devem ser ditas, para pôr de lado os rancores que devem ser expulsos, para expressar gratidão, para dar ânimo, para oferecer consolo. Esperamos demais para ser generosos, deixando que a demora diminua a alegria de dar espontaneamente.

Esperamos demais para ser pais de nossos filhos pequenos, esquecendo quão curto é o tempo em que eles são pequenos, quão depressa a vida os faz
crescer e ir embora.

Esperamos demais para dar carinho aos nossos pais, irmãos e amigos. Quem sabe quão logo será tarde demais?

Esperamos demais para ler os livros, ouvir as músicas, ver os quadros que estão esperando para alargar nossa mente, enriquecer nosso espírito e expandir nossa alma.

Esperamos demais para enunciar as preces que estão esperando para atravessar nossos lábios, para executar as tarefas que estão esperando para serem cumpridas, para demonstrar o amor que talvez não seja mais necessário amanhã.

Esperamos demais nos bastidores, quando a vida tem um papel para desempenhar no palco. Deus também está esperando nós pararmos de esperar. Esperando que comecemos a fazer agora tudo aquilo para o qual este dia e esta vida nos foram dados.

É hora de VIVER!
(Henry Sobel)

5. Subsídios litúrgicos

Oração de confissão de pecados
Misericordioso Deus! Confessamos que temos pecado em pensamentos, palavras, ações e omissões. Não temos te amado de todo o nosso coração, nem as pessoas próximas de nós. Confessamos que muitas vezes não conseguimos realizar o bem que gostaríamos. Sendo assim, magoamos pessoas, ferimos tua Criação e ignoramos tua vontade em nossas vidas. Temos dificuldade em confiar plenamente na tua palavra e em teu amor. Preferimos confiar em nossa sabedoria do que buscar a sabedoria que vem do alto.
Quantas vezes agimos como pessoas tolas e assim nos afastamos de ti, de nossa comunidade de fé, da comunhão plena contigo e com nossos irmãos e irmãs. Por tudo isso, ó Deus, confessamos que estamos arrependidos e arrependidas. E pedimos: tem compaixão de nós e perdoa nossos pecados! Por meio de teu Santo Espírito, dá-nos uma nova oportunidade de te servir e trilhar teus caminhos. Caminhos de sabedoria e de conhecimento da tua palavra. Oramos em nome de Jesus Cristo, nosso Senhor e Salvador. Amém!

Oração do dia
Deus de amor! Rendemos graças a ti porque ao longo da história sempre de novo tu te voltas para o teu povo e concedes sabedoria e conhecimento de tua vontade. Que teu Espírito Santo abra nossos corações e mentes para ouvir, compreender e viver a tua Palavra. Oramos em nome de teu Filho Jesus Cristo, nosso Senhor e Salvador, que contigo e com o Espírito Santo vive e reina de eternidade a eternidade. Amém!

Oração de intercessão
Deus de amor! Nosso coração se alegra por ouvir novamente a tua palavra. Ela nos desafia a sermos sensatos e a procurarmos compreender qual é a tua vontade para nossas vidas. Dá que possamos sempre beber de tua fonte de sabedoria e que possamos assim testemunhar teu amor e tua paz em nosso mundo. Intercedemos por nossa igreja, por seus ministros e ministras e por suas lideranças. Permita que tenhamos ouvidos abertos e atentos para a tua Palavra. Dessa forma, poderemos proclamar e realizar a tua vontade junto a todas as pessoas, especialmente as mais necessitadas.
Intercedemos pelas autoridades de nossa nação. Dá que possam governar com justiça e ética, sem interesses pessoais e visando ao bem comum. Dá a elas também a sabedoria que vem do alto para discernir entre o que é bom e mau.
Intercedemos por todas as pessoas que sofrem por doença e pelas famílias enlutadas. Lembramos de............... Entregamos tudo em tuas mãos quando oramos conforme teu Filho Jesus Cristo nos ensinou: Pai nosso... Amém.

Bênção
Que a sabedoria de Deus nos instrua no conhecimento de sua vontade.
Que o amor de Jesus Cristo nos sustente na comunhão do seu povo.
Que o Espírito Santo nos preencha com sua paz
e nos impulsione para o testemunho da vida verdadeira.
Assim abençoa-nos o Deus todo poderoso que é Pai, Filho e Espírito Santo
(+). Amém.

Bibliografia

COMBLIN, José. Epístola aos Efésios. São Paulo: Metodista; São Leopoldo: Sinodal; Petrópolis: Vozes, 1987. (Comentário Bíblico – NT).
FOULKES, Francis. Efésios. Introdução e comentário. São Paulo: Vida Nova, 1981.


Voltar para índice do Proclamar Libertação 45
 


Autor(a): Jorge Batista Dietrich de Oliveira
Âmbito: IECLB
Área: Governança / Nível: Governança - Rede de Recursos / Subnível: Governança-Rede de Recursos-Auxílios Homiléticos-Proclamar Libertação
Área: Celebração / Nível: Celebração - Ano Eclesiástico / Subnível: Celebração - Ano Eclesiástico - Ciclo do Tempo Comum
Natureza do Domingo: Pentecostes
Perfil do Domingo: 12º Domingo após Pentecostes
Testamento: Novo / Livro: Efésios / Capitulo: 5 / Versículo Inicial: 15 / Versículo Final: 20
Título da publicação: Proclamar Libertação / Editora: Editora Sinodal / Ano: 2020 / Volume: 45
Natureza do Texto: Pregação/meditação
Perfil do Texto: Auxílio homilético
ID: 64876

AÇÃO CONJUNTA
+
tema
vai_vem
pami
fe pecc

Procurem a ajuda do Senhor. Estejam sempre na sua presença.
Salmo 105.4
REDE DE RECURSOS
+
Tu és o meu Senhor. Outro bem não possuo, senão a ti somente.
Salmo 16.2
© Copyright 2022 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br