Sínodo Mato Grosso



Rua Aristides Félix de Andrade , 840 - Araés
CEP 78005-605 - Cuiabá /MT - Brasil
Telefone(s): (65) 2129-6592
sinodomt@luteranos.com.br
ID: 10

Marcos 5.21-24,35-43 - Finados

Caderno de Cultos 2015

02/11/2015

02/11/2015- Finados
Pregação: Mc 5.21-24,35-43; Leituras: Sl 118.5-6,15-21; 1Ts 4.13-18
Pa. Evelyne Regina Goebel – Primavera do Leste - MT

LITURGIA DE ABERTURA

ACOLHIDA
As sagradas escrituras dizem: “Alegrai-vos com os que se alegram, chorai com os que choram” (Rm 12.15). Fiéis a esse preceito apostólico, aqui nos reunimos como família de Deus para amparar e consolar e fortalecer nossa fé na promessa da ressurreição. Assim, que tenhamos um encontro conosco mesmo, com o nosso próximo, e com o próprio Deus. Sejam todos bem vindos e bem vindas.

Acolher os/as visitantes

CANTO DE ENTRADA
159 – HPD1 – Creia sempre

Ou: Nº ____________________________________________________

SAUDAÇÃO
Reunimo-nos aqui em nome e na presença do Deus, Pai, Filho e Espírito Santo. Amém. Convido-os para cantarmos o hino...

CANTOS DE INVOCAÇÃO
85 – HPD1 – Vem Espírito dvino

Ou: Nº ____________________________________________________

CONFISSÃO DE PECADOS
O pecado nos afasta de Deus e nos leva para a vida sem sentido, sem qualidade. Destrói nosso corpo, nossa alma, nossa vida, nossos relacionamentos. O pecado nos enfraquece e leva à morte agora e para sempre. O perdão, pelo contrário, nos aproxima de Deus.Por isso carecemos de confessá-los perante o nosso Deus.
Oremos:
Bondoso Deus, tu manifestaste teu poder libertador e vivificador em tantas situações de nossa vida, como, por exemplo, em perigo ou em doença. Mesmo em caso de morte e luto nos tens assistido, através de pessoas queridas e sensíveis. Nós, porém, muitas vezes nos esquecemos disso, principalmente quando estamos em crise. Então, entramos em desespero ou nos tornamos insensíveis para com a dor alheia e não percebemos o braço que tu estendes, através de uma pessoa irmã. Perdoa e renova-nos, por causa de Jesus Cristo. Amém.

ANÚNCIO DO PERDÃO
No Salmo 30.5 encontramos um alento para as nossas angustias e também um alívio para a nossa confiança, o texto diz: “A sua ira dura só um momento, mas a sua bondade é para a vida toda. O choro pode durar a noite inteira, mas de manhã vem a alegria.” Sabermos disso, nos torna mais leves para seguirmos a nossa vida adiante, mas como filhos e filhas de Deus, não só rogamos por nós mesmos, rogamos também por todas as pessoas do mundo e também pela criação, por isso oremos:

KYRIE
Deus e Pai, aqui estamos para rogar a tua misericórdia sobre este mundo que carece tanto de amor, compaixão, perdão, cuidado e fraternidade. Que nós como tua Igreja possamos ser uma luz neste mundo, que possamos dar testemunho de que tu enviaste teu Filho, Jesus Cristo, para trazer vida plena a todas as nações. Amém.

GLÓRIA IN EXCELSIS
Agraciados com o perdão de Deus cantemos glórias ao seu nome. (cantar o glória que a comunidade conhece)

ORAÇÃO DO DIA
Louvado sejas bondoso e misericordioso Deus, porque tu fazes que o choro não seja a realidade última. Muito antes, possibilitas que seja vencido pela alegria. Manifesta o teu poder nesse sentido, também agora, quando ouviremos tua palavra e a interpretação dela. Faz-nos perceber e experimentar algo do teu poder vivificador que cria do nada, por causa de Jesus Cristo. Amém.

LITURGIA DA PALAVRA

LEITURAS BÍBLICAS
1ª Leitura Bíblica: Sl 118.5-6,15-21

2ª Leitura Bíblica: 1 Ts 4.13-18

3ª Leitura Bíblica: Mc 5.21-24,35-43

CÂNTICO INTERMEDIÁRIO
132 – HPD1 – Fonte da celeste vida

PREGAÇÃO
Prezada comunidade! Caros irmãos e irmãs na fé!
A morte faz parte da existência de todos nós, faz parte do mistério da vida. Somos seres mortais. Ninguém vive para sempre neste mundo. Tudo é passageiro e temporário, como afirma o Salmo 90.10.
A morte é algo que mexe profundamente conosco. É uma perda que todos sentem e sofrem. Provoca um ferimento profundo na alma. O próprio Jesus chorou a dor da morte, a sua e a de seus amigos. A morte é como a força invisível do vento que apaga a chama da vida. Diante dela nos sentimos frágeis, pequenos, fracos, limitados e finitos. A morte nos revela que não temos vida por nós mesmos. Somos totalmente dependentes de Deus.
Quando a morte chega, ela interrompe o nosso existir e o nosso conviver. Deixa um saudoso vazio, nos faz chorar. Ela nos silencia e sensibiliza, levanta perguntas e nos deixa meditativos.
Diante da morte de um ente querido, nos questionamos sobre a nossa vida, o nosso saber, poder e auto-suficiência; o nosso orgulho, as nossas vaidades e ilusões. A morte abre os nossos olhos racionais, tão ofuscados pelo materialismo do ter, e nos faz ver a vida de maneira mais profunda. A morte nos revela o que realmente é vida, o que verdadeiramente é essencial e vital, ou seja, a morte também nos ensina.
Isso tudo Jairo sente ao ver sua pequena filha desfalecer. Por isso ele procura Jesus para salvá-la da morte. Quando Jesus chega a casa diz que ela está dormindo. E a vivifica para passar mais um tempo com sua família e com os seus. Mas precisamos nos lembrar que nesta passagem, Jesus ressuscita a criança, não para a vida eterna, mas para a vida terrena. A menina foi vivificada, devendo também morrer como todos nós morreremos. Para nós evangélicos de confissão luterana, baseados nos textos bíblicos, quando alguém falece, a morte é integral, ou seja, morre o ser todo: corpo, alma e espírito. Como disse Jesus ela dorme. A menina não estava no paraíso ainda. Está no mundo dos mortos, lá onde Cristo também ficou durante três dias, até ser ressuscitado. Não ficou vagando como um fantasma ou espírito desencarnado. Ele todo, corpo, alma e espírito estava morto. E inteiro e todo, foi ressuscitado. Corpo, alma e espírito.
Jesus foi levado ao céu em corpo não somente em espírito. Assim podemos concluir que nosso corpo também é importante. É ele que será resgatado para a ressurreição, no dia do juízo final. Nisso cremos e assim confessamos no Credo Apostólico. Alguns poderão até questionar: Se vamos ser ressuscitados, então precisamos morrer?
Poderemos afirmar com convicção: sim, precisamos morrer, pois podemos afirmar que também na morte encontramos os propósitos de Deus. Como alguém disse, ela é a mestre da vida. A morte é um chamado à conversão aos verdadeiros princípios e valores que iluminam e dão sentido à vida. Ela nos convida a vermos a vida para além do horizonte desse mundo. Revela-nos que a existência humana não se limita ao planeta Terra.
Para podermos aceitar e compreender o mistério da morte, precisamos olhar para o mistério da morte e da ressurreição de Jesus. Com ele aprendemos que a morte não é o fim, pois Deus o ressuscitou. Jesus ensina que a morte precisa ser vista além dela mesma. Ela não tem um fim em si mesmo, mas é o caminho e a porta pela qual todos terão de passar para chegarem à eternidade junto de Deus; é a possibilidade da nossa vida um dia continuar existindo junto a Deus. Assim como Deus não permitiu que a morte pusesse fim à vida de Jesus, também não permitirá que a morte ponha fim à nossa vida. E isso é um grande consolo e conforto para nós.
A ressurreição é o troféu da vida sobre a morte. Jesus trouxe a luz à vida e a imortalidade (2Tm 1.10). A morte perdeu o poder de nos tirar a vida e nos separar de Deus (Rm 8.31-39). Por um certo tempo a morte nos impede de vivermos, mas não para sempre, pois cremos na ressurreição. Jesus disse: Eu sou a ressurreição e a vida. Quem crê em mim, ainda que morra, viverá; e todo o que vive e crê em mim, não morrerá eternamente. Crês nisto? (Jo 11.25-26).
Sabemos que a morte atinge a todos. Mas não precisamos ter medo. Quando ela chegar para nós, ou para alguém próximo a nós, não estaremos sozinhos e desassistidos. O Deus que nos criou estará conosco no profundo e escuro vale da morte - na hora da morte e depois dela. Deus enviará sobre nós o Espírito Santo consolador para nos fortalecer e confortar. Ele estará do nosso lado na hora da morte e durante o período do luto. Ele irá restaurar o nosso ser ferido pela morte.
Que Deus nos dê o dom da fé na ressurreição e que renove em cada um de nós a esperança na vida eterna por meio de Jesus Cristo. Que assim seja! Amém.

HINO
237 – HPD1 – Graças dou por esta vida

CONFISSÃO DE FÉ
Depois de ouvirmos da palavra de Deus e a sua interpretação, convido-os para confessarmos a nossa fé no Deus único e poderoso, e fazemos isso com as palavras do Credo Apostólico...

Creio em Deus Pai, ...

CANTO PÓS CONFISSÃO (proceder motivação e o recolhimento das ofertas)
117 – HPD1 – Jesus, pastor amado

ORAÇÃO DE INTERCESSÃO
Motivos de Oração:
1. Aniversariantes
2._______________________________________________________
3._______________________________________________________
4._______________________________________________________
5._______________________________________________________
6._______________________________________________________
Senhor, aqui estamos para render-te graças e louvor por tudo o que temos e somos: pela vida, pela família, pelo trabalho digno, pela convivência comunitária, pela tua Igreja que busca servir-te em todos os tempos e lugares. Em especial agradecemos pelos aniversariantes de mês, que a tua mão sempre os conduza nos caminhos da paz, da alegria e do amor e que nos momentos de dificuldades eles e elas se sintam carregados e abençoados por ti, obrigada por mais um ano de vida que tu os presenteia.
Quando nos reunimos em comunidade não só pedimos por nós mesmos, mas lembramo-nos de nossos irmãos e irmãs que passam por necessidades, muito especialmente neste dia, onde nos lembramos dos nossos entes falecidos, consola-nos Senhor, com o teu Espírito de verdade e de poder sobre a morte.
Acolhe os pedidos mencionados, e responda a cada qual, conforme a tua bondade e misericórdia, tudo o mais queremos colocar na tua presença com as palavras da oração que teu próprio Filho nos ensinou...
PAI NOSSO
Pai nosso ...

LITURGIA DE DESPEDIDA

AVISOS
Próximo Culto: ___/___/______ às ___:___ h.
Oferta último Culto: R$ _________ - destinada para ...
______________ _________________________________________
________________________________________________________
________________________________________________________
________________________________________________________
________________________________________________________

BÊNÇÃO
E o Deus da paz, que trouxe dentre os mortos a Jesus nosso Senhor, o grande Pastor das ovelhas, pelo sangue da eterna aliança, vos aperfeiçoe em todo bem, para cumprirdes a sua vontade, operando em vós o que é agradável diante dele, por Jesus Cristo, a quem seja a glória para todo o sempre. Amém.
ENVIO
Vamos na paz do Senhor e na esperança da ressurreição de todos os mortos.

CANTO FINAL
286 – HPD1 – Obrigado, Pai Celeste


Autor(a): Evelyne Regina Goebel
Âmbito: IECLB / Sinodo: Mato Grosso
Área: Celebração / Nível: Celebração - Ano Eclesiástico / Subnível: Celebração - Ano Eclesiástico - Ciclo do Tempo Comum
Natureza do Domingo: Dia de Finados

Testamento: Novo / Livro: Marcos / Capitulo: 5 / Versículo Inicial: 21 / Versículo Final: 43
Título da publicação: Caderno de Cultos - Sínodo Mato Grosso / Ano: 2015
Natureza do Texto: Pregação/meditação
Perfil do Texto: Prédica
ID: 33728

AÇÃO CONJUNTA
+
tema
vai_vem
pami
fe pecc

Ninguém sabe o que significa confiar em Deus somente, a não ser aquele que põe as mãos à obra.
Martim Lutero
EDUCAÇÃO CRISTÃ CONTÍNUA
+

REDE DE RECURSOS
+
Deixem que o espírito de Deus dirija a vida de vocês.
Gálatas 5.16
© Copyright 2021 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br