Sínodo Mato Grosso



Rua Aristides Félix de Andrade , 840 - Araés
CEP 78005-605 - Cuiabá /MT - Brasil
Telefone(s): (65) 2129-6592
sinodomt@luteranos.com.br
ID: 10

Gênesis 50.15-21 - 14º Domingo após Pentecostes - 14.09.2014

Caderno de Cultos 2014

14/09/2014

14/09/2014 – 14º Domingo após Pentecostes
Mt 18.21-35; Rm 14.1-12; Pregação: Gn 50.15.21
P. Elisângela Borchardt Röwer – Cuiabá

LITURGIA DE ABERTURA

ACOLHIDA
Bendiga o Senhor a minha alma! Não esqueça nenhuma de suas bênçãos! É ele que perdoa todos os seus pecados.( Sl 103. 2-3a).

Bom dia! Sejam bem-vindos a este culto! Sintam-se todos acolhidos na paz do Senhor! Sintam-se acolhidos no perdão do Senhor!

Neste culto, somos convidados pelos textos bíblicos previstos para este final de semana a refletir sobre o perdão. Como seres humanos que somos com as nossas muitas falhas, constantemente machucamos pessoas com o nosso agir, com as nossas palavras. Por vezes também sentimos a dor da ofensa em nossa própria pele. São situações que podem ser resolvidas em pouco tempo, mas que, não raras vezes, duram anos para serem solucionadas. Certamente todos aqui já passaram por alguma situação que não pôde ser resolvida sem o perdão.

Não esqueçamos que o maior ato de perdão Deus nos concedeu com a entrega de seu Filho Jesus na cruz. Nesta alegria estamos aqui reunidos para louvá-lo, para pedir perdão e agradecer.
Senhor, aquieta agora o nosso ser, para que ouçamos a tua boa-nova e saiamos daqui renovados para te servir e glorificar. Amém!

Acolher os/as visitantes

CANTO DE ENTRADA
Nº 209 – HPD I – Deus sempre me ama

Ou: Nº ____________________________________________________

SAUDAÇÃO
Celebramos em nome de Deus Pai, Filho e Espírito Santo. Em nome do Deus triuno que perdoou todos os nossos pecados por graça através da morte e ressurreição de Jesus Cristo e nos mantém como cristãos unidos em sua fé e pela força do Espírito Santo nos conduz ao perdão entre irmãos e irmãs. Amém!

CANTOS DE INVOCAÇÃO
Nº 408 – HPD II – Tem misericórdia

Ou: Nº ____________________________________________________

CONFISSÃO DE PECADOS
Bondoso Deus, novamente estamos diante de ti para confessar que temos pecado contra ti em        pensamentos, palavras e ações. Confessamos que nem sempre conseguimos viver em família a maravilha do perdão. Somos rudes e cobramos a culpa do esposo, da esposa ao invés de oferecer o nosso perdão! Também não conseguimos viver plenamente o teu perdão com irmãos e irmãs na fé. Perdoa-nos quando em comunidade queremos fazer prevalecer o nosso pensamento sem tolerância! Perdoa-nos quando não conseguimos acolher nosso em próximo com o perdão! Perdoa-nos quando nos sentimos tão grandes ao ponto de não querer pedir perdão pelos nossos próprios erros.

Perdão quando passa por nós o pensamento: Isso é imperdoável! Quem somos nós Senhor para negar o perdão a alguém! Perdoa-nos! E tem piedade de nós, Senhor! Amém!

ANÚNCIO DO PERDÃO
José, quando Jacó faleceu, disse a seus irmãos: Não tenham medo. Eu sustentarei vocês e seus filhos. (Gn50.21). Nessa fé que Deus também nos sustenta e perdoa diariamente, anuncio-lhes o perdão dos pecados em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém!

KYRIE
Deus de compaixão! Acolhe as nossas angústias com o estado em que se encontra o nosso mundo (cidade, país). Desavenças e guerras ferem a tua bela criação. Injustiça e opressão comprometem as relações sociais. Os fortes não têm coração para os miseráveis. Há brigas por herança e desentendimentos diversos nas famílias. A nossa comunidade não consegue influenciar para que as relações familiares e sociais se tornem mais compreensivas e amorosas, para que se tenha paciência com aqueles que se tornaram devedores. As diferenças culturais em nossa comunidade dificultam ainda mais a convivência baseada no teu grande perdão. Tem piedade, Senhor!


GLÓRIA IN EXCELSIS
E damos glória Senhor pela benção do teu perdão. Rendemos-te louvor por cada semente de perdão que germina em nossa família, em nossa comunidade, cantando:

Nº 322 – HPD II – O povo de Deus

ORAÇÃO DO DIA
Todo-poderoso, eterno Deus, nós te pedimos, sê com teu Espírito Santo entre nós. Desperta nossos corações para que recebamos tua palavra. Desperta nossas consciências para que ouçamos tua vontade. Faze de nós pessoas que anunciem tua grandeza e levem teu perdão ao mundo. Permite que o teu amor nos conduza sempre ao nosso próximo dispostos a perdoar. Amém!

LITURGIA DA PALAVRA

LEITURAS BÍBLICAS
1ª Leitura Bíblica: Rm 14.1-12

2ª Leitura Bíblica: Mt 18.21-25

CÂNTICO INTERMEDIÁRIO
Nº 437 – HPD II – Quando o Espírito de Deus Soprou

3ª Leitura Bíblica: Gn 50.15-21

PREGAÇÃO

Prezada comunidade!

Um devocionário custa R$ 10,00, um CD com hinos do povo de Deus custa R$ 20,00, uma Bíblia com comentários de Lutero custa R$ 30.... Receber o perdão de alguém, perdoar um irmão, uma irmã, ser perdoado por Deus e ganhar a vida eterna – isso não tem preço! É uma bênção que só pode ser vivida por quem tem amor no coração, por quem tem Deus em seu coração.

Perdão! Palavra maravilhosa! Perdão. Palavra salvadora! Palavra capaz de salvar relacionamentos, capaz de salvar famílias, capaz de salvar amizades, capaz de salvar vidas, capaz de trazer a paz. A paz entre as pessoas e a paz de espírito. Perdão de Deus. Palavra que traz salvação.

Perdão é a palavra central do texto do Evangelho e do texto de Gênesis que acabamos de ouvir. No texto de Mateus, a pergunta de Pedro revela como nós seres humanos pensamos – tudo tem um limite até o perdão! Também não posso ficar sempre perdoando! Será? A resposta de Jesus a Pedro nos revela que perdoar não tem limite. Devemos perdoar sempre e assim como demonstrado na parábola, ou seja, de modo gratuito.

De certa forma, no texto de Gênesis, que é o foco da mensagem de hoje, também percebemos que os irmãos de José pensavam assim como Pedro. Quando o pai Jacó morre, eles pensam que o perdão de José dado a eles chegou ao seu limite. Mas José havia perdoado-os do fundo do seu coração. Apesar de tudo, ele não guardava mágoas por eles.

José havia sido excluído pelos irmãos por seguir sempre o que era correto. Quando não parecia ter como piorar o relacionamento, seus irmãos o vendem como escravo. Queriam se ver livres de José. Quando José tem a faca e o queijo na mão para castigar seus irmãos, ele cuida deles, e cuida do seu pai Jacó.

No texto de Gênesis, que ouvimos, os irmãos de José ficam com medo quando Jacó morre, pois acreditam que José só cuidou deles até agora por causa do pai, e agora Jacó estava morto. Eles chegam a José e pedem: Perdoa a nossa maldade, os nossos erros, perdoa os nossos pecados, pois somos servos do Deus do seu pai. Eles não entendem José. Não entendem que o perdão é maior do que a raiva. Não entendem porque José chora. Não entendem que o que eles tinham feito, Deus havia transformado em bem. José respondeu: “Não tenham medo. Estaria eu no lugar de Deus? Vocês planejaram o mal contra mim, mas Deus o tornou em bem, para que fosse preservada a vida de muitos. Por isso, não tenham medo. Eu cuidarei de vocês e dos seus filhos (19-20).”

Pela leitura do texto, não sabemos exatamente se os irmãos de José pediram perdão a ele porque estavam arrependidos de fato ou porque tinham medo da vingança. Poderiam ser as duas coisas ao mesmo tempo. Além disso, o argumento que usaram parece envolvido por um espírito de esperteza. Eles não se identificam simplesmente como irmãos que erraram, mas como “servos do Deus de teu pai”. José não questionou a sinceridade dos irmãos. Ele simplesmente perdoou.

Pensar no perdão assim como José o fez, pode parecer estranho para nós também. José foi maltratado. Foi vendido como escravo. Não pode mais viver ao lado de seus pais. Sofreu no Egito. Ou seja, ele tinha todos os motivos para guardar raiva, ressentimento e desejo de vingança. Mas não! Ele os perdoou!

Querida comunidade, e como nós agimos? Sabemos perdoar? Ou guardamos aquele velho ressentimento por décadas? Saberíamos perdoar como José o fez se estivéssemos em seu lugar? Ou antes, de perdoar queremos colocar tudo na ponta da caneta para ver quem errou mais? Sabemos simplesmente perdoar e buscar um novo começo, independentemente de quem foi a culpa? Penso que isso é difícil para nós.

Esse texto nos fala de relações familiares, corações que sabem perdoar e corações que têm dificuldade para entender o que é o verdadeiro perdão. Esse texto fala daquilo que vivemos em nossa vida constantemente. Quantos lares, famílias infelizes, despedaçadas porque o erro ocorreu, porque ocorreu uma briga, mas após o erro não veio o perdão! Não veio o reconhecimento da culpa e o pedido de perdão. E aquela velha história passa anos cozinhando e destruindo corações, pessoas, famílias. Perdão, palavra poderosa!

Perdão, palavra também por vezes esquecida em nossos relacionamentos em comunidade! Comunidade cristã entre pessoas que não conseguem perdoar-se, isso é possível? Isso seria algo totalmente contraditório ao central da fé cristã – Cristo morreu por nós na cruz para perdoar os nossos pecados e de forma gratuita! E nós vamos reter o perdão que deveríamos conceder ao nosso irmão? Vocês lembram da parábola do servo impiedoso que ouvimos há pouco? Ele teve a sua grande dívida perdoada, mas não perdoou a pequena dívida de seu devedor. Se agimos como esse servo, então nós tiramos a glória que é de Deus. Nossos olhos precisam estar atentos para o que Deus fez em nós, por nós. Ele perdoou uma dívida impagável. Em Cristo, nos declarou justos. Cristo nos deixou a lição do perdão. E crer em Jesus Cristo não é apenas receber o perdão, mas também perdoar. Perdoados, perdoamos. Vamos exercitar isso em família, com os irmãos, em comunidade!

Conta-se que certa vez, havia um membro muito participativo numa comunidade, mas para ele o altar deveria estar encostado na parede. Quando um novo pastor chegou naquela igreja com idéias novas que havia aprendido na faculdade, ele logo afastou o altar e começou a realizar os cultos de frente para a comunidade. Aquele membro nunca mais voltou para o culto e quando o pastor foi para outro local, na primeira oportunidade que teve, ele colocou o altar de volta encostado na parede. E voltou para os cultos. Será que não seria muito mais importante estar na presença de Deus? Não houve perdão e reconciliação nem na pessoa desse membro nem na pessoa do pastor.

Quando ouvimos uma história assim, achamos a situação ridícula. Quanta cabeça dura! Mas nem percebemos que muitas vezes nós mesmos nos envolvemos em situações como essas e criamos a maior briga, pode ser em casa, na comunidade, no trabalho. Um diálogo saudável entre aquele membro e o pastor poderia ter resolvido a controvérsia numa boa. Um deveria ceder um pouco, mas não acabaria com a vida de ninguém.

Isso nos leva ao texto de Romanos de hoje. Esse texto nos ensina que os cristãos devem ter tolerância entre si. Existem questões abertas em que a diferença de opinião é possível. Quando essas diferenças aparecem, isso não significa que não seja possível conviver. Todos devem colocar-se diante do Senhor, e então a convivência, até mesmo entre os diferentes, é possível. Se um prefere a Santa Ceia no cálice comum, tudo bem, se o outro prefere no cálice individual, tudo bem. O importante é que tudo seja feito em amor para e com Deus.

O próprio Salvador Jesus Cristo nos ensina isso com seu exemplo. Ele recebe pessoas com culturas, costumes e opiniões diferentes. Ele ama a todos. Isso não significa tolerância com o pecado, mas perdão e amor. Vamos discutir, vamos divergir, mas vamos fazê-lo em amor.

Irmãos e irmãs na fé, o amor de Deus e o perdão entre irmãos transformou a família de Jacó e o desejo do Pai, nosso Deus, é que a nossa família e a nossa comunidade também sejam transformados pelo perdão. Sendo perdoados por Deus e perdoando.

Querida comunidade, agora ao final dessa mensagem peço perdão. Peço perdão por um equívoco que cometi ao iniciar esta mensagem. Não. Não é verdade que o perdão não tem preço. Teve preço sim. O mais alto de todos. Por causa do seu amor por você, Jesus pagou o preço que era devido – pelo nosso perdão pagou com a sua vida na cruz! Mas o perdão entre irmãos é gratuito! Não custa nada para perdoar e ser perdoado. Pelo contrário, todos ganham e muito no exercício do perdão. Amém!

HINO
Nº 195 – HPD 1 – Meu irmão tu precisas falar com Jesus

CONFISSÃO DE FÉ
Como cristãos e cristãs sabedores que somos salvos por Deus pelo seu perdão concedido através da morte de Cristo na cruz, confessemos a nossa fé com as palavras do Credo Apostólico.

Creio em Deus Pai, ...

CANTO PÓS CONFISSÃO (proceder motivação e o recolhimento das ofertas)
Nº 455 - HPD – Cada dia o dia inteiro


ORAÇÃO DE INTERCESSÃO
Motivos de Oração:
1. Aniversariantes
2._______________________________________________________
3._______________________________________________________
4._______________________________________________________
5._______________________________________________________
6._______________________________________________________

Bondoso Deus! De José e por meio da tua palavra aprendemos o exemplo do perdão, da bondade e da compaixão. Dá-nos a sabedoria de conduzir a nossa vida tal como José fez. Dá-nos o entendimento para que saibamos perdoar tal como José nos ensinou. Concede-nos sempre a sabedoria de reconhecer nossas falhas, nossos erros e clamar por perdão ante Deus e nosso próximo. Permite que nos tornemos pessoas mais tolerantes, pessoas que saibam reconhecer que diferentes opiniões são possíveis. Permite que através do perdão velhos e novos desentendimentos possam ser superados, que o rancor e o ódio sejam afastados do nosso coração.

Neste momento também queremos interceder por governantes com a sabedoria de José. Que possamos, nestas eleições que se aproximam separar o joio do trigo e votar em pessoas comprometidas com a verdade, envolvidas na busca por melhorias em nossas cidades, estados e nação.

Assim também intercedemos por tua Igreja, intercedemos por nossa comunidade, intercedemos por cada pessoas envolvida em tua missão. Que o perdão que tu concedeste a nós, seja o nosso guia no relacionamento com nossos irmãos e irmãs. Que preço pago pelo nosso pecado na cruz não tenha sido em vão.

Senhor, também queremos interceder por (incluir os motivos de intercessão).

Senhor, tudo mais que está em nossos corações levamos diante de ti quando oramos...

PAI NOSSO
Pai nosso ...

LITURGIA DE DESPEDIDA

AVISOS
Próximo Culto: ___/___/______ às ___:___ h.
Oferta último Culto: R$ _________ - destinada para ...
______________ _________________________________________
________________________________________________________
________________________________________________________
________________________________________________________
________________________________________________________

BÊNÇÃO
Nº 350 – HD2 – (cantado ou lido)
O Senhor te abençoe e te guarde;
O Senhor faça resplandecer o seu rosto sobre ti
E te conceda graça;
O Senhor volte para ti o seu rosto
E te dê a paz! Amém!

ENVIO
Ide na fé em Cristo e vivam a graça do perdão de Deus em suas vidas. Amém!

CANTO FINAL
Nº 378 – HPD II – Abençoe-vos o Deus


Autor(a): Elisângela Borchardt Röwer
Âmbito: IECLB / Sinodo: Mato Grosso
Natureza do Domingo: Pentecostes
Perfil do Domingo: 14º Domingo após Pentecostes
Testamento: Antigo / Livro: Gênesis / Capitulo: 50 / Versículo Inicial: 15 / Versículo Final: 21
Título da publicação: Caderno de Cultos - Sínodo Mato Grosso / Ano: 2014
Natureza do Texto: Pregação/meditação
Perfil do Texto: Prédica
ID: 29334

AÇÃO CONJUNTA
+
tema
vai_vem
pami
fe pecc

Ame o Senhor, seu Deus, com todo o coração, com toda a alma, com toda a mente e com todas as forças.
Marcos 12.30
EDUCAÇÃO CRISTÃ CONTÍNUA
+

REDE DE RECURSOS
+
Quem está unido com Cristo é uma nova pessoa.
2Coríntios 5.17
© Copyright 2019 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br