Sínodo Mato Grosso



Rua Aristides Félix de Andrade , 840 - Araés
CEP 78005-605 - Cuiabá /MT - Brasil
Telefone(s): (65) 2129-6592
sinodomt@luteranos.com.br
ID: 10

Lucas 24.13-35 - 3º Domingo da Páscoa - 04.05.2014

Caderno de Cultos 2014

04/05/2014

04/05/2014 - 3° Domingo na Páscoa
Sl 116. 1-4, 12-19; 1 Pe 1. 17-23; Pregação: Lc 24.13-35
P. Paulo Marcos Jahnke – Vila Rica

LITURGIA DE ABERTURA
Importante: Colocar galhos secos com pequenos brotos
à frente da mesa da Ceia / Altar.
ACOLHIDA
Bom dia / boa noite! “Os discípulos de Emaús disseram um ao outro: Porventura, não nos ardia o coração, quando ele, pelo caminho, nos falava, quando nos expunha as Escrituras?” Com essas palavras de Lucas 24.32 acolhemos a todos e a todas que vieram para este culto. Há duas semanas atrás comemoramos a Páscoa e lembramos que Jesus enfrentou a morte para que nós pudéssemos ter vida. Podemos, pois, louvar a Deus e buscar com alegria a presença.

CANTO DE ENTRADA
Jesus em tua presença (HPD II, 473)

Ou: Nº ____________________________________________________

SAUDAÇÃO
Quando nos reunimos em culto o fazemos em nome de Deus Pai, Filho e Espírito Santo. Amém.

CANTOS DE INVOCAÇÃO
Deus está aqui (HPD II, 332)

Ou: Nº ____________________________________________________

CONFISSÃO DE PECADOS
Confessemos os nossos pecados.
Senhor, nosso bondoso Deus! Buscamos a tua presença porque precisamos ouvir a tua orientação para a nossa vida. Mas, reconhecemos de antemão que não somos dignos de nos colocarmos diante de ti. O que temos a oferecer são os galhos secos, os nossos pecados, cometidos através de gestos e palavras que revelam a nossa falta de amor com as outras pessoas. Nós confessamos que, muitas vezes, nos esquecemos de que nosso Senhor Jesus Cristo morreu na cruz e ressuscitou por amor a todos nós. Nós confessamos que nos esquecemos de testemunhar os teus feitos em vidas. Apresentamos-te nossa grande culpa e te pedimos perdão, quando juntos suplicamos: Tem misericórdia.
HINO: Tem misericórdia (HPD II, 408).

ANÚNCIO DO PERDÃO
Deus nos oferece sua palavra de graça e reconciliação. Assim diz o apóstolo Paulo: “Mas Deus, sendo rico em misericórdia, por causa do grande amor com que nos amou, e estando nós mortos em nossos delitos, nos deu vida juntamente com Cristo, pela graça sois salvos” (Efésios 2.4-5) Portanto, alegremo-nos no Senhor, pois ele nos concedeu o seu perdão.

GLÓRIA IN EXCELSIS
Porque Deus, em seu amor e em sua bondade, ouve e acolhe os nossos pedidos glorifiquemos e bendizemos o seu nome cantando Bendirei ao Senhor.
HINO: Bendirei ao Senhor (HPD I, 263)

ORAÇÃO DO DIA
Deus Todo-Poderoso, contigo a vida tem outro valor, porque somos envolvidos pela ação salvífica por meio de Jesus Cristo. Estamos neste momento em tua presença para entender melhor o que tu espera de nós e buscar orientação na tua Palavra. Vem e derrama o teu Santo Espírito para nos animar em nossa vida como discípulos e discípulas. Dá-nos ânimo e alegria. Em nome de Jesus, amém.

HINO: Salmo 19 (HPD II, 383).

LITURGIA DA PALAVRA

LEITURAS BÍBLICAS
1ª Leitura Bíblica: Certa vez disse Martim Lutero: “Pare em cada versículo da Bíblia e, por assim dizer, sacuda cada ramo dele, para que, se possível, pelo menos caia algum fruto”. Acompanhemos com muita atenção e devoção a Liturgia da Palavra. A primeira leitura encontramos no livro de Salmos 116. 1-4, 12-19.

2ª Leitura Bíblica: 1 Pedro 1. 17-23.

Aclamação do Evangelho: Aclamemos o Evangelho, de pé, cantando Halleluja.
HINO: Halleluja (HPD II, 353.
Evangelho: Ouçamos o evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo segundo Lucas 24. 13-35.

PREGAÇÃO (baseada em Lucas 24. 13-35.
Irmãs e Irmãos na fé!
O relato do evangelista Lucas é muito especial para mim, pois toda vez que o leio, arde meu coração. Talvez semelhante ao dos discípulos que caminhavam com Jesus, reclamando que não entendiam o que tinha acontecido com o Nazareno e Jesus em solidariedade com eles começa a lhes falar sobre o que realmente as Sagradas Escrituras diziam. Essa pregação de Jesus foi tão especial que ardia o coração deles, mas eles não entendiam, não conseguiam reconhecer que era Jesus quem estava caminhando com eles.
Os dois discípulos caminham cabisbaixos, de ombros caídos para longe de Jerusalém. Atrás de si as últimas fagulhas de esperança estão se extinguindo. À frente está Emaús e o velho mundo de expectativas limitadas. Por um breve momento eles haviam experimentado um mundo de uma nova e maravilhosa realidade. Mas agora Jesus está morto e aparentemente não há nada mais a fazer, a não ser caminhar de volta para Emaús.
No caminho alguém se achega aos dois discípulos e quer saber sobre o que eles estão conversando. Eles se viram em direção ao estranho, e numa das passagens mais irônicas dos Evangelhos, eles perguntam: Você é o único viajante em Jerusalém que não sabe o que está acontecendo por aqui?” É de fato uma imagem bastante engraçada, pois os discípulos perguntam a Jesus na época da Páscoa: “Você não sabe o que está acontecendo”?
A intenção do humor não é depreciar os discípulos. Muito pelo contrário, há uma verdadeira preocupação pastoral por parte de Jesus. Como você deve Ter percebido, estes discípulos estavam sobre grande estresse e frustração emocional – pareciam um “ramo seco”. Sua desilusão era tamanha que até mesmo para um completo estranho eles estavam dispostos a abrir seus corações e compartilhar seus sentimentos. Por acaso é comum às pessoas compartilharem seus sentimentos com estranhos?
Eu não sei se Jesus cursou uma classe sobre comunicação e cuidado pastoral, mas certamente Jesus sabe o que fazer. Pacientemente, ele ouve seus discípulos. Jesus se torna presente na vida deles como um ouvinte, para quem os discípulos podem compartilhar suas tristezas, a desilusão de seus sonhos, as suas incertezas quanto ao futuro. A verdade é Deus se achega a nós assim como Jesus se aproximou destes discípulos. Deus vem ao nosso encontro quando estamos desanimados, desiludidos, ansiosos. Deus se torna presente em nossas vidas para ouvir as nossas lamentações, nossas tristezas, medos e frustrações. Deus se torna nossa companhia em tempos de solidão. Deus caminha conosco pela estrada de “Emaús”.
Porém, o relato não termina aqui. Jesus, após ouvir aos dois discípulos, prega-lhes um sermão. Deve ter sido um longo sermão porque o texto começava com Moisés e percorria por todos os profetas. E o sermão manteve eles ocupados até chegarem à cidade de Emaús. Parece-me que havia algo de especial naquele sermão. Os discípulos insistiram que o pregador ficasse com eles para o jantar.
Enquanto sentavam à mesa, o estranho, adotando o papel de um anfitrião, pega o pão. Os discípulos, com seus olhos fixos nele, observam todo movimento. Ele pega o pão, abençoa e quebra-o, e dá um pedaço para cada um dos discípulos. Nós não sabemos o que passou pela mente destes discípulos naquele exato momento; talvez a visão de uma multidão à margem do mar da Galiléia, onde em certa ocasião 5.000 pessoas famintas foram alimentadas; ou possivelmente a memória do perfume preenchendo uma casa, onde uma mulher chorava lágrimas de gratidão enquanto os outros convidados estavam admirados demais para continuarem comendo.
A verdade é Deus fala conosco assim como Jesus falou com estes discípulos. Numa refeição simples e usando gestos do dia a dia, Jesus lhes abriu os olhos e restaurou suas expectativas.
Deus transforma o ramo seco em brotos verdes, a nossa escuridão em luz, nossa ignorância em sabedoria, e nosso desespero em esperança, através de lugares, palavras, pessoas, e estórias do dia a dia. Já que a criação está em Deus e Deus está presente em toda a criação, Deus pode usar qualquer coisa ou qualquer um para falar conosco.
Algumas palavras do teólogo brasileiro Leonardo Boff ilustram bem o poder de Deus para conversar conosco através do mundo criado, mesmos nos lugares mais inesperados:
Dedico este livrinho à montanha que visita sempre minha janela. Às vezes o sol a castiga. Outras a afaga. Freqüentemente a chuva a machuca. Não raro a névoa gentilmente a envolve. Nunca a ouvi queixar-se por causa do calor ou do frio. Jamais cobrou alguma coisa por sua beleza. Nem mesmo uma palavra de agradecimento. Ela se dá simplesmente. E quando o sol a castiga ou o vento fumega, não se incomoda. Tampouco se aborrece quando as pessoas sobem suas encostas. A montanha é como Deus; tudo suporta, tudo sofre, tudo acolhe e dá boas vindas. Deus se porta da mesma maneira.
Portanto, amados no Senhor, quando estiver na estrada para Emaús, esteja atento para como Deus vai falar contigo, olhe para os lados e veja a voz de Deus, descubra seus ouvidos e ouça a voz de Deus, abra seu coração e dê boas vindas à voz de Deus. Pois Deus não apenas anda conosco na estrada para Emaús, mas fala conosco. Deus vem ao nosso encontro para guiar nossos passos de volta a Jerusalém.
O galho seco que temos sobre o altar neste domingo representa a nossa vida, e os brotos, a esperança e a força que vêm de Cristo. Significa que, mesmo quando achamos que nada é possível, com Ele, o Cristo, sempre é possível recomeçar. É possível, todos os dias, construir e reconstruir uma nova base, um novo alicerce em e com Cristo. Pense nisso, amém.

HINO: No Caminho de Emaús (O Povo Canta, 112)

CONFISSÃO DE FÉ
Em Romanos 10.10 diz: “Porque nós cremos com o coração e somos aceito por Deus; falamos com a boca e assim somos salvos”. Por isso convido a comunidade para numa só voz, confessar a nossa fé com as palavras do Credo Apostólico. Creio em Deus Pai, ...

CANTO PÓS CONFISSÃO (proceder motivação e o recolhimento das ofertas)
HINO: Conta as bênçãos (HPD II, 460)


LITURGIA DE DESPEDIDA

AVISOS
Próximo Culto: ___/___/______ às ___:___ h.
Oferta último Culto: R$ _________ - destinada para ...
______________ _________________________________________
________________________________________________________
________________________________________________________
________________________________________________________
________________________________________________________
ORAÇÃO DE INTERCESSÃO
Motivos de Oração:
1. Aniversariantes
2._______________________________________________________
3._______________________________________________________
4._______________________________________________________
5._______________________________________________________
6._______________________________________________________
Hino: Ao orarmos Senhor (HPD II, 423)
Misericordioso Deus, Tu que vieste através de Teu filho Jesus nos trazer a salvação, dirigimos a Ti nossos agradecimentos e nossos pedidos.
...
Misericordioso Deus acolhe-nos, a nós e as nossas suplicas que colocamos sob o teu olhar, orando em nome de Jesus. Pai nosso...
PAI NOSSO

BÊNÇÃO
Senhor, abençoe o primeiro e o último dia.
Abençoe as horas que nos são concedidas.
Que nossas mãos abençoem o que elas tocam.
Que nossos ouvidos abençoem o que eles ouvem.
Que nossos olhos abençoem o que veem.
Bênção venha dos nossos lábios.
Que nosso vizinho seja abençoado e ele também possa nos abençoar.
Senhor, não permita que nos afaste dos teus olhos, de tuas mãos, dos teus ouvidos, do teu coração; neste dia e em todos os outros dias.
A bênção de Deus Pai, Filho e Espírito Santo. Amém.

ENVIO
Vamos na bênção e na paz do Senhor. Sirvamos ao Senhor com alegria. Até o nosso próximo encontro.

CANTO FINAL
A paz do Senhor (HPD II, 377)


Autor(a): Paulo Marcos Jahnke
Âmbito: IECLB / Sinodo: Mato Grosso
Natureza do Domingo: Páscoa
Perfil do Domingo: 3º Domingo da Páscoa
Testamento: Novo / Livro: Lucas / Capitulo: 24 / Versículo Inicial: 13 / Versículo Final: 35
Título da publicação: Caderno de Cultos - Sínodo Mato Grosso / Ano: 2014
Natureza do Texto: Pregação/meditação
Perfil do Texto: Prédica
ID: 26209

AÇÃO CONJUNTA
+
tema
vai_vem
pami
fe pecc

Ajuda-nos, Senhor, nosso Deus, porque em ti confiamos.
2Crônicas 14.11
EDUCAÇÃO CRISTÃ CONTÍNUA
+

REDE DE RECURSOS
+
Como um perfume que se espalha por todos os lugares, somos usados por Deus para que Cristo seja conhecido por todas as pessoas.
2Coríntios 2.14
© Copyright 2019 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br