Sínodo Mato Grosso



Rua Aristides Félix de Andrade , 840 - Araés
CEP 78005-605 - Cuiabá /MT - Brasil
Telefone(s): (65) 2129-6592
sinodomt@luteranos.com.br
ID: 10

Números 21.4-9 - 4º Domingo na Quaresma - 15.03.2015

Caderno de Cultos 2015

15/03/2015

15/03/2015- 4º Domingo na Quaresma
Pregação: Nm 21.4-9; Leituras: Jo 3.14-21; Ef 2.1-10
Ministro Candidato Diácono Vanderlei Hüther – Cuiabá- MT

LITURGIA DE ABERTURA

ACOLHIDA

Bom Dia!

Sejam bem vindos todos a este culto, onde queremos nos colocar diante de Deus, nosso Senhor, para ouvir daquilo que ele tem a nos dizer e, para colocar nossas vidas em suas mãos e entregar a Ele todas as situações de nossa vida em oração.

Neste 4º Domingo na Quaresma, saúdo a cada um/a de vocês com as palavras do Apóstolo Paulo, escrita em Efésios 2.4: “Mas Deus, sendo rico em misericórdia, por causa do grande amor com que nos amou, nos deu vida juntamente com Cristo.”

Pela graça e pela misericórdia, desejo que cada um sinta-se bem acolhido, na presença do nosso Deus. Amém.

Acolher os/as visitantes

CANTO DE ENTRADA
437 – HPD II – Quando o povo se reúne

Ou: Nº ____________________________________________________

SAUDAÇÃO TRINITÁRIA
Atendendo ao chamado do nosso Senhor e Salvador, nos reunimos aqui na presença do nosso Trino Deus: Pai + Filho + Espírito Santo. Amém.

CANTOS DE INVOCAÇÃO
332 – HPD II – Deus está aqui

Ou: Nº ____________________________________________________

CONFISSÃO DE PECADOS
Como comunidade, nos coloquemos em pé, e confessemos nossos pecados em oração a Deus.

Pai de Amor, queremos neste dia, nos achegarmos a Ti e pedir perdão por todas as nossas falhas e nossos erros, que cometemos contra nosso próximo - nosso irmão, e contra Ti, em pensamentos, palavras e ações, de maneira consciente ou até mesmo inconsciente.
Perdoa-nos quando deixamos de amparar e cuidar do nosso irmão que está sofrendo. Perdão Senhor, porque de maneira egoísta e mesquinha olhamos somente para nós mesmo e para nosso interesses. Perdão Senhor, pelas muitas vezes que não olhamos e valorizamos o grande sacrifício que Teu Filho, nosso Salvador Jesus, fez por cada um de nós, entregando-se na Cruz do Calvário para que nós tivéssemos acesso ao grande Perdão e a Salvação. Por isso, Senhor, humildemente chegamos diante de Ti e pedimos o teu perdão. Apague de nós toda a culpa, e que a Tua misericórdia impere em nossas vidas. Por Jesus Cristo é que pedimos e oramos. Amém.

ANÚNCIO DO PERDÃO
O Evangelho segundo Jo3.14s nos anunciam: E do modo por que Moisés levantou a serpente no deserto, assim importa que o Filho do Homem seja levantado, para que todo o que nele crê tenha a vida eterna.

Querida comunidade o Evangelho nos conta sobre a missão de Cristo. Morrer para que todos os que crêem tenham vida eterna. Queridos irmãos, todos aqueles que, em fé e em verdade, se confessam a Deus e pedem perdão pelos seus erros, podem ter a certeza do Perdão. Por este motivo, vos anuncio que em Jesus Cristo todos vossos pecados são perdoados. Em nome do Pai, Filho e Espírito Santo. Amém.

KYRIE
Enquanto comunidade reunida, queremos colocar diante de Deus, todas as situações, causadas pelo próprio ser humano, que vão contra a sua vontade e que ferem toda a dignidade da criação de Deus.
Queremos orar contra a divisão dos povos; Contra os injustos confrontos e guerras; Pela situação de miséria que enfrentamos no Brasil e em todo o mundo; Orar contra a destruição da natureza, que é criação preciosa de Deus.
Por estas e tantas outras, cantemos pelas dores deste mundo, (Kyrie Eleison).

HINO: Kyrie Eleison – Pelas dores deste mundo (By Rodolfo Gaede Neto)

GLÓRIA IN EXCELSIS
A Deus, por ouvir nosso pedido de socorro e de perdão, e atender a nossa súplica em favor da criação, Bendizemos o seu Santo nome cantando:

263 – HPD I – Bendirei ao Senhor

ORAÇÃO DO DIA
Obrigado Senhor, porque mais uma vez podemos nos reunir em culto, enquanto comunidade, para agradecer por todo o teu cuidado que se estende a nós. Agradecer pelas inúmeras bênçãos e dádivas que são renovadas em nossa vida diariamente. Pedimos-te nesta celebração que, da mesma maneira com que te revelaste ao teu povo no antigo Israel, te revele também a nós, em toda sua bondade misericórdia e amor. É isso que te pedimos, por Jesus Cristo, que contigo e na unidade do Espírito Santo, vive e reina, de eternidade a eternidade. Amém.

LITURGIA DA PALAVRA

CANTOS DE INVOCAÇÃO
380 – HPD II – A tua Palavra

Ou: Nº ____________________________________________________

LEITURAS BÍBLICAS
1ª Leitura Bíblica: Efésios 2.1-10

2ª Leitura Bíblica: João 3.14-21


CÂNTICO INTERMEDIÁRIO
379 – HPD II – Estou pronto Senhor

PREGAÇÃO
Números 21.4-9

A Bíblia nos conta a história de dois homens muito importantes, Arão e Moisés. Estes foram encarregados por Deus para libertar e tirar o povo israelita do Egito. Foi uma caminhada dura e difícil. Durante a viagem pelo deserto, os israelitas passaram fome e sede.
O povo já viajava por um longo tempo, até que Arão morreu. Moisés ficou encarregado de conduzir os israelitas à Terra de Canaã, a terra prometida. O tempo foi passando. O povo estava cansado da caminhada. O desânimo existia por toda parte. Dos que estavam a caminho, muitos se revoltavam, xingavam e reclamavam. Tinham perdido totalmente a esperança. Achavam que iriam morrer de fome, sede ou de fraqueza. Reclamavam dizendo: “Melhor teria sido morrer de barriga cheia lá no Egito, do que morrer de fome e sede neste deserto.” O povo começou a perder a confiança em Deus. Passaram a duvidar que Deus tinha poder de tirá-lo dali. E neste instante aconteceu algo curioso. Deus se manifestou de forma bem concreta. Em Números 21.4 - 9 nos é contado como isso aconteceu.

(Ler o texto bíblico Números 21.4-9).

O povo havia se revoltado contra Deus, havia falado mal de Moisés e de Deus. As pessoas reclamavam que Deus teria enganado o povo ao conduzi-lo através do deserto, fazendo-o enfrentar por tantas dificuldades. Se diziam enjoadas do maná, daquele pão que estavam recebendo de Deus.
Deus ouviu as reclamações do povo e não gostou nada delas, porque na verdade Ele não tinha abandonado o povo. Os testemunhos Bíblicos nos mostram que Deus jamais deixou faltar o sustento básico aos israelitas. Embora a caminhada pelo deserto fosse pesada e perigosa, o povo tinha a proteção do próprio Deus e deveria confiar nele.
A desconfiança do povo aborreceu a Deus. Como sinal do seu aborrecimento, Ele mandou cobras venenosas, que morderam e mataram muitos israelitas.
Parece que o castigo que o povo recebeu foi consequência de sua falta de fé e da vontade de voltar novamente para a escravidão. Eles já não estavam reconhecendo a ação do Deus, que os queria libertar e salvar.
É possível perceber que diante da vida, nós também somos muito parecidos com os israelitas. A nós cabe confiar nesta presença de Deus e enfrentar os desafios da vida, mas nem sempre confiamos.
Na verdade, não gostamos nenhum pouco quando em nosso caminho aparecem situações dificuldades a enfrentar, preocupações, doenças e outras. Facilmente caímos na tentação de agir como os israelitas. Murmuramos contra Deus. Achamos que Ele se esqueceu de nós. Em algumas situações, os desafios que aparecem em nossa vida são provas que atestam o grau de confiança que temos em Deus.
Para os israelitas que caminhavam no deserto, Deus mandou as cobras como castigo, mas também mostrou algo bem maior. Deus ordenou que Moisés fizesse uma cobra de metal e a pregasse num poste bem alto, e quando alguém fosse mordido por elas deveria olhar para o alto, para a cobra de metal e assim ficaria curado.
Essa maneira de Deus agir nos parece estranha. O que Deus quis mostrar com aquela cobra morta? Em primeiro lugar é preciso ser dito que Deus apresentou uma solução de cura para as pessoas, porque viu que elas haviam se arrependido (v. 7). Os israelitas inclusive pedem para que Moisés ore por eles, pedindo perdão pelas suas falhas.
Ao pedir que Moisés colocasse uma cobra de metal Deus não tinha o objetivo de que as pessoas adorassem a cobra, mas vissem naquele acontecimento um sinal do agir libertador de Deus. Basta olhar para cima e os israelitas poderão enxergar na cobra morta a vitória de Deus sobre todos os males.
Olhar para cima significa colocar em Deus a nossa confiança, orar a Ele e acreditar que Deus tem o poder de nos libertar e salvar.

Mais tarde, o mesmo aconteceu de forma definitiva na cruz. Através de Jesus Cristo, que foi pendurado numa cruz, Deus nos mostra que a verdadeira vida e a superação de todos os males só é possível para aqueles que olham para cima, olham para a Cruz do Calvário (sugiro apontar para a Cruz neste momento). Para nós cristãos a Cruz de Cristo é sinal da libertação que Deus oferece a humanidade.
Neste tempo que antecede a Páscoa, nós enquanto comunidade, somos chamados a olhar para cima, para a cruz de Cristo. Não com medo, mas com a esperança e certeza de que ali está a solução para enfrentarmos os nossos problemas.
Lastima que, se olharmos ao nosso redor na sociedade, ainda vemos muitas pessoas que já não tem mais nem força para olhar para cima. Olham somente para baixo. O Desespero, o rancor, a ansiedade, a depressão, enfim, todos os problemas fazem elas olharem para baixo. Não enxerga mais nenhuma solução.
Eis aí um grande desafio missionário para nossa igreja. Auxiliar as pessoas a olhar para cima, olhar para Jesus Cristo que quer acolhe-las e salva-las. Que Deus nos dê ânimo e coragem para olharmos para cima, reconhecendo seu ato salvador, e apontar à cruz para mais pessoas vejam o Cristo crucificado. Essa tarefa é de cada um de nós. É minha e é sua também. Que Deus nos ajude. Amém.


HINO
452 – HPD II – Senhor eu quero amar-te

CONFISSÃO DE FÉ
Com fé no Deus que se entrega por todos nós na cruz, confessemos todos juntos nossa fé com as palavras do Credo Apostólico

Creio em Deus Pai, ...

CANTO PÓS CONFISSÃO (proceder motivação e o recolhimento das ofertas)
440 – HPD II – Somos Igreja


ORAÇÃO DE INTERCESSÃO

Óh Senhor, diante de Ti estamos, com o que temos e o que somos para te agradecer por tua bondade infinita. Por teu amor, que em nossos momentos de fraquezas, nos torna FORTES. Obrigado por termos a oportunidade de Te agradecer, agradecer por todas as bênçãos e maravilhas que pudemos experimentar das tuas mãos. Te agradecer pelo amparo que tivemos durante essa semana que passou.
Por isso Senhor, obrigado pela dádiva da vida, que a cada novo instante é renovada por ti; obrigado pelo alimento que nos sacia, pela água que mata nossa sede, pela nossa casa, trabalho e por todas as coisas que são indispensáveis para o nosso viver.
Mas o mais importante, Obrigado Senhor por não nos abandonar sob nenhuma circunstância, por sempre termos em Ti nosso alicerce e nossa morada segura em nossa vida.

Pedimos que olhes por todos nós, tomando-nos em tuas mãos e fazendo fortes nas tribulações, por isso pedimos:

Motivos de Oração:
1. Aniversariantes__________________________________________
2. Enfermos______________________________________________
3._______________________________________________________
4._______________________________________________________
5._______________________________________________________

Senhor Deus, tudo mais o que estiver dentro do nosso coração, nos te entregamos quando juntos oramos a oração que Jesus Cristo nos ensinou dizendo:

PAI NOSSO
Pai nosso ...

LITURGIA DE DESPEDIDA

AVISOS
Próximo Culto: ___/___/______ às ___:___ h.
Oferta último Culto: R$ _________ - destinada para ...
________________________________________________________
________________________________________________________
________________________________________________________
________________________________________________________

BÊNÇÃO
O Senhor te abençoe e te guarde; Que o Senhor faça resplandecer o seu rosto sobre ti e tenha misericórdia de ti; Que o Senhor sobre ti levante o seu rosto e te dê a paz. Que assim te abençoe o Trino Deus: Pai+Filho+Espírito Santo. Amém.

ENVIO
Envio

CANTO FINAL
474 - HPD II – Ontem, hoje e sempre


Autor(a): Vanderlei Hüther
Âmbito: IECLB / Sinodo: Mato Grosso
Área: Celebração / Nível: Celebração - Ano Eclesiástico / Subnível: Celebração - Ano Eclesiástico - Ciclo da Páscoa
Natureza do Domingo: Quaresma
Perfil do Domingo: 4º Domingo na Quaresma
Testamento: Antigo / Livro: Números / Capitulo: 21 / Versículo Inicial: 4 / Versículo Final: 9
Título da publicação: Caderno de Cultos - Sínodo Mato Grosso / Ano: 2015
Natureza do Texto: Pregação/meditação
Perfil do Texto: Prédica
ID: 31265

AÇÃO CONJUNTA
+
tema
vai_vem
pami
fe pecc

O Deus da paz opere em vós o que é agradável diante dele, por Jesus Cristo, a quem seja a glória para todo o sempre.
Hebreus 13.20-21
EDUCAÇÃO CRISTÃ CONTÍNUA
+

REDE DE RECURSOS
+
Quem persiste na fé, verá, ao final, que Deus não abandona os seus.
Martim Lutero
© Copyright 2021 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br