Habilitação ao Ministério com Ordenação



ID: 2864

Dia após dia Deus nos carregou no colo!

05/01/2020

LITURGIA DE ABERTURA

ACOLHIDA
Bom dia. Sejamos todos e todas bem vindos/as. Saúdo com as palavras do profeta Isaías “E todos os dias, ano após ano, ele os pegava e carregava no colo”
É tempo de epifania, que significa revelação. Deus se revelou a todos nós através do nascimento do menino Jesus.

HINO: O nosso encontro

SAUDAÇÃO
Estamos reunidos/as, e celebramos este culto lembrando do trino Deus, Pai Filho e Espírito Santo.
Neste início de novo ano temos muitas expectativas e esperanças. Desejamos nos últimos dias muitos “FELIZ ANO NOVO”. O que significa desejar e buscar um ano novo? O poeta Carlos Drummond de Andrade nos responde com um poema!
Para você ganhar belíssimo Ano Novo...

Não precisa fazer lista de boas intenções
para arquivá-las na gaveta.
Não precisa chorar arrependido
pelas besteiras consumadas
nem tolamente acreditar
que por decreto de esperança
a partir de janeiro as coisas mudem
e seja tudo claridade, recompensa,
justiça entre os homens e as nações,
liberdade com cheiro e gosto de pão matinal,
direitos respeitados, começando
pelo direito augusto de viver.

Para ganhar um Ano Novo
que mereça este nome,
vocês, meus caros, tem de merecê-lo,
tem de fazê-lo novo, eu sei que não é fácil,
mas tente, experimente, consciente.
É dentro de vocês que o Ano Novo
cochila e espera desde sempre.
Carlos Drummond de Andrade.

HINO: 184 - Vamos nós trabalhar

CONFISSÃO DE PECADOS
Senhor nosso Deus, sabemos que nos carrega no colo e tem nos conduzido ao longo de todos os dias do ano. Mas com o decorrer do nosso cotidiano, Senhor, nos esquecemos das muitas vezes que nos ampara. Nos esquecemos das muitas vezes que atendeu nosso pedido. Das muitas vezes que acalmou nosso coração. Das muitíssimas pequenas coisas que fez por nós. Confessamos que nosso maior pecado é o esquecimento. E por isso, baseamos nosso crer em falsas esperanças. Amado Deus, pedimos humildemente teu perdão.

HINO: 150 – Se sofrimento te causei

ANÚNCIO DO PERDÃO
Hebreus 2.11: “Jesus purifica as pessoas dos seus pecados; e todos, tanto ele como os que são purificados, têm o mesmo Pai. É por isso que Jesus não se envergonha de chamar-nos de irmãos”.

HINO: 385 - A ti, Senhor, elevo a minha alma.

ORAÇÃO DO DIA
Bondoso e eterno Deus, tu nos revelaste por meio do teu filho Jesus, a salvação. A revelação que veio através de um bebe nascido de uma família humilde e que teve como mãe uma mulher desconhecida e sem nenhum poder. Ao longo da história, essa mensagem sustentou a igreja e os crentes simples e humildes que creram em Ti. Teu Santo Espírito nos ajudou a discernir onde deveríamos colocar nossa fé. Por isso, nosso Deus, pedimos que continuei a nos guiar com comunidade. Pedimos o mesmo para as nossas autoridades que continuam a apostar na guerra e na morte suas políticas. Pedimos pelas autoridades nacionais e locais. Nos conduza pelos caminhos tortuosos deste ano que inicia.

LITURGIA DA PALAVRA

LEITURAS BÍBLICAS
1ª Leitura Bíblica: Mt 2.13-23

HINO: 379 – Estou pronto, Senhor
2ª Leitura Bíblica: Is 63.7-9-38; [pregação]

Tema: Dia após dia Deus nos carregou no colo

Prezada Comunidade reunida.
O que vocês desejaram para este novo ano? Fizeram planos? Tem esperanças de muitas melhoras?
Na virada do ano, a maioria das pessoas projetam para o próximo ano promessas de mudanças individuais. De cuidar mais da saúde, de se dedicar mais à família. Que no próximo ano será mais solidário. Energizado pelas festas de fim de ano e pela emoção da presença de familiares no natal, as pessoas desejam muitas coisas novas. Cria-se a expectativa de que o próximo ano será diferente, Melhor e mais feliz. Nos iludimos que o mundo será melhor, sem fazer nada por isso.
Lembramos brevemente das dificuldades. Pode ser que lembremos das pessoas que se foram. Somos lembrados de um resumo das notícias do ano que a TV acha que são as mais importantes. Muita gente faz festa, fogos de artifício. Brindes. Comida saborosa. Abraços.
Mas aí o ano começa. De volta à rotina e aos problemas. As contas para pagar. O que de verdade foi sonhado e esperado acontecerá? Será que lembramos de fato daquilo que importa e de como fomos amparados por Deus no ano que passou.
Por isso convido para lermos o texto da mensagem de hoje (Is 63.7-9)
O profeta Isaías está falando para o povo de Israel que voltou do exílio da babilônio. Esse mesmo povo, após anos exilado sonhou com a volta para Israel para Jerusalém. Sonhou que as montanhas se abririam e as estradas seriam retas e planas, onde atravessariam de volta à terra natal. Nesse caminho haveria abundância de água e comida.
E de volta à terra reviveriam todas as suas lembranças de glória dos tempos passados. Mas a realidade foi diferente. Jerusalém estava em ruinas. E o grande sonho de superar as dores e o sofrimento do exílio cedeu lugar às misérias do dia a dia da readaptação.
Desolado, desanimado e como dizem as crianças e adolescentes hoje, estavam cheios de tédio e angustiados. O mais difícil era lidar com a frustração do sonho baseado num passado glorioso.
A este povo Isaías dirige sua mensagem, para lembrar o povo de tudo que Deus fez no passado. E sobretudo, esteve com o povo nos momentos de maior angustia e sofrimento.
A história do povo de Israel é semelhante a do Joel.
Joel saiu jovem da casa de seus pais. Ao completar seus dezoito anos, com profundo desejo de se formar professor. Ser professor era seu grande sonho. Para isso precisava estudar, fazer faculdade.
Era um tempo em que não havia faculdades à distância. Precisava se mudar do sítio de seus pais, situado num vilarejo longe das grandes cidades. A faculdade ficava muito distante. Mas seu sonho era muito grande e apesar de amar seus pais, irmãos, avós e amigos de escola, era tempo de decisão na vida, e Joel preparou suas poucas coisas. Se despediu de todo mundo. Foi difícil. Dolorido. Deixou os pais chorando. Eles sabiam que o filho buscava algo melhor.
Durante a viagem no ônibus, Joel olhava a paisagem montanhosa pela janela. Era primeiro de janeiro, estação das chuvas. Tudo estava verde radiante. As plantações vistosas, prometiam grandes colheitas.
E Joel seguiu seu destino. Chegando à faculdade, iniciou seus estudos e logo que pode começou a trabalhar, fazendo bicos e trabalhos nos finais de semana. Retornava duas vezes apenas na casa dos pais para matar a saudade. Mas eram poucos dias, precisa retornar aos estudos e ao trabalho.
Chegou o dia de sua formatura. Momento de grande conquista para Joel e sua família. Podia realizar seu grande sonho de voltar para a terra natal e ser professor perto de sua família. Após anos longe de casa, seu sonho era poder reviver o tempo que podia conviver com os pais e irmãos, com os parentes. Que podia comer a comida da avó e aproveitar a paisagem montanhosa.
Nos primeiros dias de volta para casa, foram muitos momentos de euforia. Contudo, Joel já não era o mesmo. Como também sua família tinha mudado. A esperança de um tempo maravilhoso com o trabalho que gostava e tendo um bom salário foi sendo confrontado com a realidade da vida. O trabalho de professor não era tão fácil assim. Exigia bem mais que os tempos de estudo. O salário não era grandes coisas. Com poucas horas na carteira precisa trabalhar em outras atividades. Inclusive capinando e colhendo nas lavouras café, cana, milho... Nos dias de sol escaldante pensava, o desânimo vinha e tomava conta junto com o cansaço.
O convívio com os irmãos e irmã não era simples, pois as vezes abusavam da boa vontade dos pais. Os irmãos não queriam estudar. Mas os estudos também não trouxeram a realização dos sonhos. Viva um dilema.
E dia após dia, o cotidiano da vida de Joel foram se transformando numa grande frustração. Com isso, começou a se esquecer de tudo o que fizera sonhar. De todas as vezes que foi ajudado. Suas memórias se tornaram névoa, como as do inverno, que não permitem enxergar mais longe.
Até que um dia Joel vinha de moto, na volta do trabalho na escola, tarde da noite, ficou completamente no escuro. O farol da moto estragou e ele, em alta velocidade, ficou completamente sem rumo e perdido. Segurou nos freios com toda força. Tempo depois acordou com o socorro do vizinho. Sobreviveu por pouco. Ficou preso na cerca. Sua moto caiu num lago.
Após esse dia, Joel começou a pensar mais profundamente na vida. De todas as coisas boas que tinham lhe acontecido. De ter uma família. Relembrou dos seus sonhos e como tinha ganhado forças para se formar, apesar de vir de uma família humilde. Sua memória se encheu de lembrança e seu coração de gratidão por tudo que Deus tinha lhe concedido. Retomou sua vida com nova disposição.
Essa história nos lembra que Deus, dia após dia nos carrega no colo. Nos pequenos detalhes, nas coisas que passas despercebidas. Nossos pedidos em oração são atendidos sem que a gente se dê conta.
Assim como na história do Joel nos enganamos em nossas esperanças para os novos tempos que se iniciam. E isso acontece porque apenas confiamos nossos desejos e vontades. Somos egoístas.

As palavras do Profeta Isaías nos faz lembrar de cada passo que Deus deu do nosso lado. E quando nos recordamos de cada vez que fomos pegos pelas mãos pelas pessoas que nos cercam, daremos mais valor à amizade. Saberemos também que precisamos ser diferentes. Ser mais solidários. E especialmente, de olhar para as injustiças deste nosso mundo e nos colocar a ajudar. A esperança de um novo ano é colocar-se a trabalhar e fazer diferente. Agir no serviço.
Ao invés do egoísmos de desejos de coisas para nosso bem apenas, para o ano ser diferente necessitamos ir ao encontro das dos outros. E certamente o Senhor Deus nos auxiliará nisso. Amém

ORAÇÃO
HINO: 418 – uma canção de amizade

ORAÇÃO DE INTERCESSÃO
Motivos de Oração:
Todos estes pedidos e agradecimentos e das pessoas que aqui não puderam estar colocamos na oração que teu filho Jesus Cristo nos ensinou.

PAI NOSSO
Pai nosso, que estás nos céus! Santificado seja o teu nome. Venha o teu Reino; seja feita a tua vontade, assim na terra como no céu. Dá-nos hoje o nosso pão de cada dia. Perdoa as nossas dívidas, assim como perdoamos aos nossos devedores. E não nos deixes cair em tentação, mas livra-nos do mal, porque teu é o Reino, o poder e a glória para sempre. Amém.

LITURGIA DE DESPEDIDA

AVISOS
1 – O próximo culto será no sábado que vem, 11/01, neste mesmo horário, às 20 horas.
2 – Férias com Jesus. Ajuda para o lanche (usar no ppt)
3 – Aniversariantes, nascimento e casamento.
4 – As ofertas do Culto do último sábado resultaram num valor de R$ 431,00. E a as ofertas para o culto de hoje são destinadas para a nossa comunidade
5 – Lembramos também das ofertas para o culto infantil...

HINO FINAL: 119 – Chuvas de bênçãos teremos

BÊNÇÃO FINAL (cantada)
“Deus te abençoe, Deus te Proteja, Deus te dê a paz, Deus te dê a paz”

ENVIO: Ide em paz, e servi ao Senhor com muita alegria.
 


Autor(a): PPHMista Willian Kaizer de Oliveira
Âmbito: IECLB / Sinodo: Norte Catarinense / Paróquia: Garuva-SC (Martinho Lutero)
Área: Confessionalidade / Nível: Confessionalidade - Prédicas e Meditações
Área: Celebração / Nível: Celebração - Ano Eclesiástico / Subnível: Celebração - Ano Eclesiástico - Ciclo do Natal
Área: Ministério / Nível: Ministério - Habilitação
Natureza do Domingo: Natal
Perfil do Domingo: 2º Domingo após Natal
Testamento: Antigo / Livro: Isaías / Capitulo: 63 / Versículo Inicial: 7 / Versículo Final: 9
Natureza do Texto: Pregação/meditação
Perfil do Texto: Prédica
ID: 54874

AÇÃO CONJUNTA
+
tema
vai_vem
pami
fe pecc

Servi ao Senhor com alegria, apresentai-vos diante dele com cântico.
Salmo 100.2
REDE DE RECURSOS
+
Há algo muito vivo, atuante, efetivo e poderoso na fé, a ponto de não ser possível que ela cesse de praticar o bem. Ela também não pergunta se há boas ações a fazer e, sim, antes que surja a pergunta, ela já as realizou e sempre está a realizar.
Martim Lutero
© Copyright 2020 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br