Diversidade étnica



ID: 2907

Atos 4.32-35

Caderno de Celebrações 2019 - Sínodo da Amazônia

03/04/2019

Abril de 2019
Pregação: Atos 4.32-35
Pa. Jandira Keppi

LITURGIA DE ABERTURA

ACOLHIDA
Querida comunidade! Como é bom vivermos unidas e unidos. Partilha, comunhão e respeito ao outro à outra é o tema de nosso culto de hoje.

Que bom estarem aqui para participar do culto neste mês de abril em que celebramos o período da quaresma, da páscoa e também o mês que os povos indígenas celebram o ABRIL INDÍGENA, em alusão ao antigo dia do Índio - de 19 de abril.

Quaresma, Páscoa, Abril Indígena – morte, ressurreição, luta por direitos, experiências, Bem Viver, esperança. Nosso mês de abril está recheado de conteúdos.

Acolher as visitantes e os visitantes

CANTO DE ENTRADA

Livro de canto da IECLB: N. 08 – canção da chegada

SAUDAÇÃO

Estamos aqui reunidos e reunidas na presença de Deus, de seu Filho Jesus Cristo e do Espírito Santo o Consolador.

CANTOS DE INVOCAÇÃO

Canto n. 29 - Senhor, Tu nos chamaste

CONFISSÃO DE PECADOS

Querido Deus, confessamos aqui muito humildemente nosso pecados. Perdoa- nos Deus por nossos cotidianos pecados. Pecamos contra Ti, contra a Tua Criação e contra as pessoas, nossos semelhantes. Temos dificuldades de viver e experimentar a comunhão e a partilha entre irmãos e irmãs. Temos dificuldades de respeitar a Tua Criação, a Terra, que deveria ser nosso espaço sagrado. Temos dificuldades de respeitar o outro a outra culturalmente diferente de nós. Perdoa-nos senhor pelas nossas fraquezas.

Por isso, perdão Senhor!
Canto: perdão Senhor, perdão.

ANÚNCIO DO PERDÃO

Quem com sinceridade reconhece e confessa os seus pecados a Deus, com alegria recebe a palavra de graça e perdão. Deus é um Deus da misericórdia e da compaixão. Por isso, Ele sempre estende sua poderosa mão àqueles e àquelas que Nele confiam.


KYRIE
Cantando queremos neste momento clamar a Deus pelas dores do mundo

Canto n. 56 - Pelas dores deste mundo


GLÓRIA IN EXCELSIS

O Deus da misericórdia sempre acolhe os nossos clamores, por isso cantamos:
Gloria, Gloria, Gloria a Deus nas alturas, Glória, Gloria paz entre nós, paz entre nós.

ORAÇÃO DO DIA

Querido Deus, seja conosco para que possamos ter nossos corações e mentes livres para ouvir e sentir a Tua Palavra. Concede-nos sabedoria para que possamos permitir que os teus ensinamentos nos modifiquem, nos façam pessoas melhores, com senso do amor, da partilha e do respeito com a Tua Criação.

LITURGIA DA PALAVRA

LEITURAS BÍBLICAS:
Salmo 121

Evangelho: Lucas 17.20-21

CÂNTICO INTERMEDIÁRIO

Canto n. 33 - Vaso novo

PREGAÇÃO

Que a graça de nosso Senhor Jesus Cristo, o amor de Deus e a comunhão do Espírito Santo estejam com todos/as nós.

Prezada Comunidade aqui reunida, hoje refletiremos sobre o Bem Viver dos povos indígenas e seus reflexos para a humanidade. Nesse mês de abril, estamos no período da quaresma, páscoa, pós-páscoa e também celebramos o ABRIL INDIGENA, mês de muita movimentação desses povos indígenas na defesa de seus direitos.

Nossa reflexão de hoje encontramos em Atos 4: 32-35:

As primeiras comunidades cristãs falaram:
32- Da multidão dos que creram era um o coração e a alma. Ninguém considerava exclusivamente sua nem uma das coisas que possuía; tudo, porém, lhes era comum.
33- Com grande poder, os apóstolos davam testemunho da ressurreição do Senhor Jesus, e em todos eles havia abundante graça.
34- Pois nenhum necessitado havia entre eles, porquanto os que possuíam terras ou casas, vendendo-as, traziam os valores correspondentes
35 e depositavam aos pés dos apóstolos; então, se distribuía a qualquer um à medida que alguém tinha necessidade.


O texto de Atos provavelmente é muito conhecido por nós. Mas, além de ser uma informação, o quanto este texto bíblico foi e é experienciado por nós no dia a dia?
Temos experiências de partilha, de ter coisas em comum? Não pensemos aqui somente em coisas materiais. Temos em comum, com a multidão das pessoas que creem, a firme fé de que algo transformador aconteceu na Páscoa?

Na Páscoa aconteceu algo tão transformador, tão cheio de vida, que ultrapassou todos os limites de um viver social baseado na ganância, no seu próprio bem e interesse pessoal. A presença vivificadora de Jesus, fez com que ninguém conseguisse mais viver desta forma. A visão era coletiva, era comunitária, todos e todas tinham que ter acesso aos bens necessários para a vida.

Essas experiências das primeiras comunidades cristãs relatadas pelos apóstolos eram experiências daquelas comunidades, naqueles contextos e dentro daquelas culturas.

Os povos indígenas também têm suas experiências de vida comunitária. São na verdade filosofias de vida, que podem ser clarificados numa expressão de origem quéchua denominada sumak kawsay que significa Bem Viver.

O Bem Viver dos povos indígenas significa a vida em harmonia de todas as pessoas e de todos os demais seres vivos com a natureza. Não há exploração e discriminação entre as pessoas e não há destruição da natureza. A terra é vista como um ser vivo, como uma mãe que dá o seu leite para que todos e todas tenham possibilidade de crescer saudáveis. Por isso ela é respeitada e tida como sagrada. Nela só se produz o suficiente para as necessidades da comunidade. Não há excessos. E nela se praticam a reciprocidade, outro fundamento do Bem Viver. Não há acúmulos, o que uma família tem pra comer, a outra também tem.
Para os Guarani do Rio Grande do Sul, Deus, chamado na sua língua de ” Nhanderu “revelou o território para os Guarani, para que eles o povoassem e fossem os guardiões de tudo o que ele criou.” O povo Guarani é guardião, pois cuidam uns dos outros, cuidam da natureza.
Apesar disso, passam por necessidades. Suas terras não estão em suas mãos, mas nas mãos do latifúndio, do agronegócio, de quem está interessado na terra para explorá-la e destruí-la. Muitos povos indígenas no Brasil ainda não têm suas terras demarcadas.

Eva Canoé, uma professora do povo Canoé, Guajará Mirim/RO, falou:
Nós povos indígenas ainda praticamos o Bem Viver. E o Bem Viver para nós está ligado com a terra, com a natureza, com todo o meio ambiente e com as pessoas a nossa volta. Temos muitos exemplos e muitos jeitos de viver esse Bem Viver. Nós indígenas e não indígenas somos convidados a fazer parte da construção desse Bem Viver. Eu acredito que, apesar de todo esse capitalismo, de todo esse progresso ...... eu acredito que é possível nós, pessoas humanas solidárias, sermos capazes de juntas construir um Bem Viver, onde cada um possa viver respeitando um ao outro e de acordo com as necessidades.”

Como um paradigma, o Bem Viver dos povos indígenas também é uma utopia, está no horizonte, mas é vivenciado no dia a dia de cada povo indígena.

Essa é a experiência de muitos povos indígenas no Brasil e na América, especialmente. É uma experiência que pode nos inspirar a respeitar mais a natureza e a exercer mais a reciprocidade entre nós, na partilha do pão, por exemplo. Mas para além disso, precisamos respeitar esse jeito do Bem Viver dos Povos Indígenas, esse jeito de lidar com a terra e com as pessoas. O importante para esses povos é que a terra continue tendo florestas, rios limpos , peixes saudáveis e que as pessoas sejam respeitadas do jeito que elas são, com suas culturas, suas línguas e seu jeito de ver e conceber o mundo.

Que nós possamos abrir nossas mentes e nossos corações para outras experiências de vida, de comunhão e de partilha e que possamos sempre rememorar a experiência das primeiras comunidades cristãs e nos inspirar nelas e de igual forma conhecer e respeitar mais as experiências atuais do Bem Viver dos Povos Indígenas.
Amem.

Em resposta à mensagem, confessemos nossa fé com as palavras do Credo Apostólico


CONFISSÃO DE FÉ
Convido a comunidade para confessarmos a nossa fé:

Creio em Deus, Pai todo-poderoso,
Criador do céu e da terra.
E em Jesus Cristo, seu único Filho, nosso Senhor,
o qual foi concebido pelo poder do Espírito Santo,
nasceu da virgem Maria,
padeceu sob o poder de Pôncio Pilatos,
foi crucificado, morto e sepultado,
desceu ao mundo dos mortos, ressuscitou no terceiro dia, ,
subiu ao céu, e está sentado à direita de Deus Pai, todo-poderoso,
de onde há de vir para julgar os vivos e os mortos.
Creio no Espírito Santo,
na Santa Igreja cristã, na comunhão dos santos,
na remissão dos pecados,
na ressurreição do corpo e na vida eterna. Amém.

CANTO PÓS CONFISSÃO (proceder motivação e o recolhimento das ofertas)

Destino das ofertas:

Canto: 217: Te ofertamos nossos dons


ORAÇÃO DE INTERCESSÃO
Motivos de oração:
1- Aniversariantes
2- ......
Graças Senhor , por Tua bondade e Teu amor. Graças porque podemos confiar na Tua Palavra, porque vieste nos servir com Teus Santos Ensinamentos. Agradecemos Te por ter nos guiado até aqui, com amor e com cuidado. Oramos por tua Igreja e por todas as autoridades. Oramos por todas as pessoas que sofrem, as adoentadas, as enlutadas, as tristes ( mencionar...) Oramos pelos aniversariantes ( mencionar) . Esteja sempre conosco, cuidando de nós nas nossas aflições e também nas nossas alegrias Que possamos ser pessoas que buscam a partilha e a comunhão entre nós, que possamos respeitar a terra como um ser sagrado que tudo nos dá. Que possamos ser pessoas que se respeitam uns aos outros Todos os nossos pedidos e agradecimentos colocamos na oração que Tu nos ensinaste: Pai nosso....

PAI NOSSO
Pai Nosso que estás nos céus, santificado seja o teu nome. Venha o teu reino. Seja feita a tua vontade, assim na terra como no céu. O pão nosso de cada dia nos dá hoje. E perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós também perdoamos aos nossos devedores. E não nos deixes cair em tentação, mas livra-nos do mal. Pois teu é o reino, o poder e a glória para sempre. Amém

LITURGIA DE DESPEDIDA

AVISOS
Próximo Culto: ___/___/______ às ___:___ h.
Oferta último Culto: R$ _________ - destinada para ...

BÊNÇÃO

O Senhor te abençoe e te guarde; o Senhor faça resplandecer o rosto sobre ti e tenha misericórdia de ti; o Senhor sobre ti levante o rosto e te dê a paz.

ENVIO

Vamos nesta paz e sirvamos ao Senhor com alegria.

CANTO FINAL
Nº - 290 - chuvas de bênçãos


  


Autor(a): Pa. Jandira Keppi
Âmbito: IECLB / Sinodo: Amazônia
Área: Missão / Nível: Missão - Multiculturalidade
Testamento: Novo / Livro: Atos / Capitulo: 4 / Versículo Inicial: 32 / Versículo Final: 35
Título da publicação: Caderno de Celebrações - Sínodo da Amazônia / Ano: 2019
Natureza do Texto: Pregação/meditação
Perfil do Texto: Prédica
ID: 51425

AÇÃO CONJUNTA
+
tema
vai_vem
pami
fe pecc

A graça só tem um recipiente - o nosso coração.
Martim Lutero
REDE DE RECURSOS
+
O verdadeiro arrependimento inicia com amor à justiça e a Deus.
Martim Lutero
© Copyright 2019 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br