Sínodo Sudeste



Rua Barão de Itapetininga , 255 Cj 510 - Centro
CEP 01042-001 - São Paulo /SP - Brasil
Telefone(s): (11) 3257-8418
sinodosudeste@luteranos.com.br
ID: 18

Orando Pela Paz na Cidade

06/06/2014

Orando pela cidade
Orando pela cidade
Orando pela cidade
1 | 1
Ampliar

Orando Pela Paz na Cidade


(Jovens da UP Campinas, estudante de Teologia Daniel e P. Alberi)

Materiais necessários para montagem de um altar: vela, cruz, bíblia, vaso de flor, mesinha, pano branco e recortes de jornais com situações que envolvem dores (violência, abandono, fome, miséria, filas em hospitais, etc.) no cotidiano das cidades.

APRESENTAÇÃO DO TEMA

Certa vez um jovem chamado Augusto fez o seguinte comentário no facebook, expondo a sua opinião sobre um tema em discussão: “Apenas orar a Deus no Culto é muito fácil e cômodo, quero ver mesmo é vocês também se envolverem com aquelas dores pelas quais estão pedindo”.

A opinião desse jovem denuncia algo que precisamos levar muito a sério. Para ele, alguns comentários da discussão davam a entender que a oração do Culto não significava também ação ou envolvimento em favor daquilo que se era pedido. Na compreensão de Augusto, uma visão assim sobre oração e Culto era incompleta e dissociava fé e vida.

A partir do testemunho bíblico temos que reconhecer que Augusto estava certo, pois uma espiritualidade sadia, completa, é compreendida de duas partes inseparáveis: por um lado é um conectar-se com Deus, confiando nele; por outo lado, e ao mesmo tempo, é uma ação em favor de alguém ou de uma causa pela qual pedimos. Toda conexão com Deus nos compromete com o que dialogamos com Ele. Em outras palavras, orar é “conexão e ação”. Ou ainda, o Culto é relação entre fé e vida.

Nesse mesmo sentido, o Dr. Martim Lutero dizia: “Devemos orar com tanto vigor como se tudo dependesse de Deus e trabalhar com tanta dedicação como se tudo dependesse de nosso esforço”.

No lema de nossa IECLB temos o seguinte convite: “Procurai a paz da cidade para onde vos desterrei e orai por ela ao Senhor; porque na sua paz vós tereis paz.” (Jeremias 29. 7)

O texto bíblico nos chama a procurar a paz da cidade e a orar por ela. Somos assim convidados a promovermos a paz e a colocar a nossa cidade em oração, demonstrando para com ela amor e carinho, bem como levando as dores dela para o Culto e dele buscando coragem e orientação para agirmos e intervirmos nela, de modo que oração seja simultaneamente “conexão com Deus e ação em favor da vida”. Isso vemos, por exemplo, muito bem nos jeitos de Jesus, em seu falar e agir. Jesus trazia suas dores e das pessoas ao Pai e ao mesmo tempo “descruzava os dedos” em favor do que pedia.

VER, JULGAR E AGIR

Após essa breve introdução convido-os agora para uma reflexão mais prática, levando em questão o método VER, JULGARE AGIR. Ele desperta o senso crítico para que o jovem cristão desenvolva a sua capacidade de perceber a realidade como ela é.

VER – Neste ponto somos convidados a OLHAR para o contexto de nossas cidades e perceber nelas as suas dores e desafios.

Que situações em nossa cidade não vão bem, caminham mal, estão desmanteladas, merecem mais atenção, cuidado e transformação, seja do poder público, da população, das igrejas, das Ong´s e de nós mesmos? (Peça aos jovens que escrevam em pequenas folhinhas e depois partilhem-nas com o grande grupo)

JULGAR - Neste espaço somos convidados _ a partir do contexto em que estamos inseridos _ a olhar para os textos bíblicos/Palavra de Deus e JULGAR que desafios eles nos colocam como missão. Julgar no sentido de analisar para discernir o que está certo e o que está errado e depois partir para uma ação transformadora. Ou ainda, formar a consciência crítica à luz libertadora do Evangelho.

O que a Palavra de Deus nos diz sobre essa realidade que nos desafia?

(Divida o grupo em dois e dê para cada grupo uma chave bíblica. Peça para que cada grupo busque na Bíblia, textos bíblicos que nos orientem ao que fazer diante de tais realidades que apontamos e depois partilhem-nas com o grande grupo).

AGIR – Neste momento somos convidados à luz do evangelho a nos envolvermos com nossa cidade, a propormos ações ou projetos. A ação é diferente da atividade na medida em que é profunda, duradoura, refletida e transformadora.

Que ações o evangelho nos desafia?

(Ainda nos grupos, peça que cada grupo escolha duas ações que poderiam ser realizadas em favor da cidade durante os próximos anos e depois partilhem-nas com o grande grupo).

CONEXÃO E AÇÃO EM TORNO DO ALTAR

Como encerramento, reunir o grupo em pé, formando um círculo em torno do altar. A seguir, de mãos dadas colocar as 04 ações em oração, bem como as dores constatadas no ponto 1 (pedir para que cada jovem leia o que escreveu em sua folhinha no início do encontro). Após o momento de oração, comunicar ao grupo que as 04 ações ou projetos serão estudados com mais tempo e fôlego nos dois próximos encontros da JE, com o objetivo de que elas se tornem concretas para dentro das cidades.

Colaboradores/as: Jean, Cristiane, Yuri, Vilmar, P. Alberi, Daniel, Karen, Pamella, Gustavo, Laleska, César, Eduardo, Vinicius, Leonardo e Patrícia.


Voltar para o Caderno Estudos para Jovens 2014 Sínodo Sudeste

 

 

 

 

 

 


Autor(a): Alberi Neumann
Âmbito: IECLB / Sinodo: Sudeste
Título da publicação: Estudos para Jovens / Ano: 2014
Natureza do Texto: Educação
ID: 28740

AÇÃO CONJUNTA
+
tema
vai_vem
pami
fe pecc

O maior erro que se pode cometer na cristandade é não zelar corretamente pelas crianças, pois, se queremos que a cristandade tenha um futuro, então, precisamos preocupar-nos com as crianças.
Martim Lutero
EDUCAÇÃO CRISTÃ CONTÍNUA
+

REDE DE RECURSOS
+
Deus é um forno ardente repleto de amor, que abraça da terra aos céus.
Martim Lutero
© Copyright 2021 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br