Jornal Evangélico Luterano

Ano 2021 | número 848

Quarta-feira, 06 de Julho de 2022

Porto Alegre / RS - 09:49

Conselho da Igreja

O nosso compromisso é o Evangelho(parte 3/3)

GT Ministério Compartilhado

O GT Ministério Compartilhado elaborou uma cartilha de estudo sobre o assunto, a qual foi enviada aos Sínodos, em junho/2019, para que estes a encaminhassem às Comunidades. A cartilha propôs quatro perguntas para discussão. As respostas foram reunidas pelos Sínodos e encaminhadas à Secretaria Geral. O GT compilou e analisou as respostas.

O GT obteve 12 retornos, alguns dos quais refletem apenas a opinião de uma ou outra Paróquia. Um dos três Centros de Formação Teológica enviou manifestação. Houve manifestação da Comunhão Diaconal, do Conselho Nacional da Juventude Evangélica e do Seminário Nacional de Diaconia. Com base nos retornos recebidos, o GT apresenta seis constatações com proposições e encaminhamentos e, adicionalmente, aprimora a proposta de condições para o termo de reconhecimento de uma segunda ênfase.

As constatações são: 1) As quatro ênfases são necessárias, 2) Não há indicativo para mudança de nomenclatura, 3) É necessário revisar a formação teológica, criando um núcleo comum para as quatro ênfases, 4) A formação para as ênfases ministeriais deve ser coordenada pela IECLB e 5) É necessário criar um programa para formação e exercício do Sacerdócio Geral de todas as pessoas crentes. O GT também propôs a discussão de alteração no documento sobre Condições para reconhecimento de segunda ênfase. O Conselho da Igreja (CI) acolheu a proposta do GT  aprovou o encaminhamento do documento aos Sínodos, em preparação para o próximo Concílio, em 2022.

GT Política de Justiça de Gênero

O GT realizou a sua primeria reunião em agosto/2019, na Sede Nacional da IECLB, em Porto Alegre/RS, oportunidade na qual definiu a sua agenda de trabalho. A segunda reunião foi realizada em novembro/2019. Os membros do GT definiram que, inicialmente, se trabalharia na elaboração da base bíblico-teológica da Política de Justiça de Gênero. Para a realização dessa tarefa, o GT utilizou como base de estudo o documento da Federação Luterana Mundial (FLM).

O GT previa a apresentação de um informe atualizado do seu trabalho no Concílio de 2020 e um esboço do documento para apreciação e deliberação no Concílio de 2022. Na impossibilidade do Concílio de 2020 visualizar o esboço do documento, o mesmo será compartilhado em outros espaços com a participação de lideranças sinodais.

Mensagem final

Concluímos o Relatório ao XXXII Concílio da Igreja com a reflexão elaborada pelo CI, na fase inicial da pandemia, em abril/2020, e compartilhada com as instâncias da Igreja via correspondência:

Vivemos dias de incerteza. Muitas perguntas são formuladas, mas poucas são as respostas até o momento. Preocupações de lideranças, Ministros e Ministras das Comunidades são manifestadas. Sabemos que algumas Comunidades serão mais duramente atingidas na sua capacidade de sustentabilidade.

Estamos diante de um momento ímpar e desafiador. Como pessoas movidas pela fé e orientadas pelo Espírito Santo, confiamos que seremos capazes de dar respostas solidárias e impactantes. Desafiamos Comunidades, Paróquias e Sínodos que estejam em uma condição mais sólida para se solidarizarem com Comunidades mais fragilizadas, seja no contexto sinodal ou fora dele. Encaminhamos igual desafio à Secretaria Geral. Tal movimento resultará em um impactante testemunho evangélico e será essencial para que a Palavra de Deus persista sendo pregada e anunciada. Essa tarefa é de todas e todos nós.

A fé em Deus é a razão de existência da Igreja e também da nossa. A ação do Espírito Santo cria fé e Comunidade ali onde a Palavra é pregada e os Sacramentos são administrados de acordo com o Evangelho, por isso, mais que a sua sustentação financeira, ocupamo-nos com a sua sustentabilidade em termos abrangentes.

Continuaremos a ser Igreja sustentável se a nossa Missão for relevante onde estamos presentes, se tivermos credibilidade, se a receita for compatível com as necessidades, se a gestão for democrática e eficiente, se conseguirmos planejar e avaliar de forma adequada, se a comunicação for boa, se tivermos influência na sociedade, se estabelecermos parcerias em ações, se a prestação de contas for transparente.

Para finalizar, o CI entende que deve contribuir na reflexão e sugestão de encaminhamentos práticos para a Missão da IECLB enquanto Igreja de Jesus Cristo. Queremos olhar para frente com paixão e responsabilidade. Assuntos recorrentes em nossa pauta de reuniões precisam ser objeto de atenção especial na agenda futura. Citamos três deles: reflexão propositiva sobre a sustentabilidade financeira, vocação e formação de Ministros e Ministras, além da ampliação do engajamento missionário das nossas Comunidades. Assim o Conselho da Igreja segue no firme propósito de ser Igreja de Jesus Cristo. 

Presidência do Conselho da Igreja

Ultima edição

Edição impressa para folhear no computador


Baixar em PDF

Baixar em PDF


VEJA TODAS AS EDIÇÕES


Gestão Administrativa

Ser Igreja de Jesus Cristo em contexto de pandemia

Em perspectiva de balanço do ano que passou, compartilhamos, de forma adaptada e atualizada, partes da Carta Pastoral da Presidência, de Pastoras e Pastores Sinodais, publicada em agosto de 2020. A partir de março de 2020, passamos a conviver com a pandemia do Covid-19, (+)



Educação Cristã Contínua

Igreja que valoriza o Sacerdócio Geral (parte 3/3)

Desafios Com base nas atividades que estão sendo realizadas e considerando o cenário atual, a Coordenação de Educação Cristã (CEC) vislumbra os seguintes desafios para a efetivação da Meta Missionária 1 (Áreas de prioridade (+)

AÇÃO CONJUNTA
+
tema
vai_vem
pami
fe pecc
Foi assim que Deus mostrou o seu amor por nós: Ele mandou o seu único Filho ao mundo para que pudéssemos ter vida por meio dele.
1João 4.9
© Copyright 2022 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br