Jornal Evangélico Luterano

Ano 2017 | número 808

Quinta-feira, 17 de Junho de 2021

Porto Alegre / RS - 18:17

Gratidão

Sou parte da Comunidade!

A participação em uma Comunidade é parte fundamental da vida cristã. É na Comunidade que aprendemos mais sobre a vontade de Deus, somos consolados, consoladas, fortalecidos e fortalecidas. É na comunidade que conhecemos os nossos dons, concedidos pelo Espirito Santo. Somos capacitados, capacitadas, animados e animadas para exercitá-los e servir ao nosso próximo.

Durante a Reforma, Lutero enfatizou o Sacerdócio Geral de todas as Pessoas Crentes, baseando a sua afirmação em dois textos: Vós [...] sois [...] sacerdócio real (1Pe 2.9), e nos constituiu Reino, sacerdotes (Ap 1.6). O Sacerdócio Geral é tanto uma responsabilidade quanto um privilégio. A nossa unidade e igualdade em Cristo é demonstrada por nosso amor mútuo e nosso cuidado de umas pessoas pelas outras. Participamos da comunhão dos santos, isso implica que ninguém pode ser uma pessoa cristã sozinha (conforme Timothy George, em A Teologia dos Reformadores).

Muito importante, no entanto, é saber que não podemos nos acomodar simplesmente com a Comunidade já existente e com as pessoas que vão chegando por meio de amizades, casamentos e evangelizações. Precisamos lembrar do ide de Jesus (Mt 28.19) e ser uma Comunidade intencionalmente missional. Precisamos aprender a ir até as pessoas nesta sociedade e nessa cultura cada vez mais secularizada, em que muita gente tem vergonha de ir a uma Igreja ou foge de qualquer conversa sobre espiritualidade.

Muitas vezes, até mesmo membros afastados da IECLB têm uma visão distorcida, em que a Igreja perdeu o sentido de ser. Então, a pergunta é: Como podemos alcançar pessoas completamente secularizadas ou sem interesse por Deus? Precisamos ter atitudes intencionais de nos relacionar e entrar na vida de pessoas que não são cristãs.

Podemos começar na nossa vizinhança ou com pessoas das nossas relações diárias: no mercado, no posto de combustível, no trabalho ou na escola. O simples fato de você se interessar verdadeiramente pela vida de uma pessoa, passando a vê-la como alvo do amor de Deus, fará toda diferença.

Outra ideia é criar espaços neutros ou eventos nos quais pessoas cristãs e não cristãs possam interagir significativamente. Por que não pensar sobre isso em nossas Comunidades? A organização de fóruns ou conversas temáticas em um café, por exemplo, pode quebrar tabus, conquistando pessoas que, mais tarde, passarão a ser parte da Comunidade. As pessoas precisam se sentir aceitas e amadas, sem distinção. A partir do bom perfume de Cristo, exalado pelas pessoas cristãs (2Co 2.14 e 15), outras podem sentir o significado da vivência comunitária.

Em meio a uma sociedade cada vez mais individualista, as pessoas sentirão a diferença quando se perceberem valorizadas e ajudadas em meio ao sofrimento e à solidão. Uma Comunidade que está sempre investindo em novos participantes é uma Comunidade em novidade de vida, na qual o tédio e as desavenças não têm lugar nem tempo. Será uma Comunidade que constantemente se atualiza em relação ao que tem para oferecer aos novos membros, tornando os Cultos e demais trabalhos mais atrativos. Isso tudo custa tempo, mas vale a pena!

Uma Comunidade viva é formada por pessoas cristãs maduras, que discipulam outras, que mais tarde farão novas pessoas discípulas, sempre com vistas para fora dos muros da Igreja. Se não for assim, a Igreja pode passar a ser vista como um clube, no qual as pessoas são servidas, mas nunca, de fato, confrontadas com o Evangelho, sem, portanto, vivenciar a alegria de ser instrumento de Deus na transformação de vidas.

Uma Comunidade atuante é relevante para o seu contexto. Assim, gostaria de concluir com uma frase do Pastor Dietrich Bonhoeffer: Igreja é apenas Igreja quando ela existe para os de fora.

Pa. Dra. Marceli Fritz Winkel | Ministra na Paróquia em Presidente Getúlio/SC

Ultima edição

Edição impressa para folhear no computador


Baixar em PDF

Baixar em PDF


VEJA TODAS AS EDIÇÕES


Gestão Administrativa

Ser Igreja de Jesus Cristo em contexto de pandemia

Em perspectiva de balanço do ano que passou, compartilhamos, de forma adaptada e atualizada, partes da Carta Pastoral da Presidência, de Pastoras e Pastores Sinodais, publicada em agosto de 2020. A partir de março de 2020, passamos a conviver com a pandemia do Covid-19, (+)



Educação Cristã Contínua

Igreja que valoriza o Sacerdócio Geral (parte 3/3)

Desafios Com base nas atividades que estão sendo realizadas e considerando o cenário atual, a Coordenação de Educação Cristã (CEC) vislumbra os seguintes desafios para a efetivação da Meta Missionária 1 (Áreas de prioridade (+)

AÇÃO CONJUNTA
+
tema
vai_vem
pami
fe pecc
Quisera não ter outro pensamento que este: a ressurreição aconteceu para mim!
Martim Lutero
© Copyright 2021 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br