Jornal Evangélico Luterano

Ano 2019 | número 833

Terça-feira, 20 de Outubro de 2020

Porto Alegre / RS - 23:33

Habilitação ao Ministério

O meu primeiro envio? Amei!!

Em 2009, eu concluía o Período Prático de Habilitação ao Ministério (PPHM) e, finalmente, estava apta a atuar como Pastora. Um sonho, a minha vocação! Manifestei que gostaria de um contexto urbano e não restringi local. Então, quando eu li, no Portal Luteranos, que o meu Primeiro Envio como Ministra da IECLB havia sido para Goiânia, no Sínodo Brasil Central, fui tomada pela decepção. O meu Mentor apontou várias possibilidades de crescimento, mas nada parecia me convencer.

Chegou o dia e eu mudei para o lugar que teria que viver pelos próximos três anos. Seriam longos três anos? Sim, mais do que isso! O início foi como eu previa: não é o meu lugar. Não sirvo para este contexto: Comunidade pequena, sem Secretária, espalhada por Goiás, casa pequena, transporte público... Realmente, parecia difícil passar três anos para estar ‘liberada’.

Entre os muitos sentimentos, o de impotência foi um dos mais fortes. Diante dele, identifiquei, pelo menos, duas possibilidades: esperar que o tempo passasse ou encontrar formas para que a minha presença não fosse indiferente. Então, percebi que os membros tinham um diferencial: eram famílias jovens e economicamente ativas, membros que queriam viver Igreja! Apesar das dificuldades financeiras, as pessoas contribuíam mais que nos ouros lugares que eu conhecera.

Era uma Comunidade por amor! Junto de pessoas apaixonadas pela Igreja, eu fui acolhida, envolvida e transformada por uma Comunidade viva, com os sonhos e a dedicação que despertaram em mim o desejo de ver o que seria possível fazer. Chegou o tempo de renovar e eu escolhi ficar! Renovamos para mais três anos. Completados os seis anos, renovamos para mais quatro... e eu saí de Goiânia este ano, faltando alguns dias para completar dez anos, para assumir a função de Pastora Sinodal.

O que aprendi com essa experiência? Que amor realmente é decisão! Quando aprendemos a amar as pessoas, o nosso servir fica mais leve, com sentido, e encontramos inspiração e criatividade para superar as barreiras que existem e as que nós construímos. Ainda há muito a ser feito, mas o resultado dessa relação de confiança e cuidado é que não somos mais as mesmas... nem eu nem a Comunidade. 

Pa. Patrícia Bauer 

Pastora Sinodal do Sínodo Brasil Central

Ultima edição

Edição impressa para folhear no computador


Baixar em PDF

Baixar em PDF


VEJA TODAS AS EDIÇÕES



Educação Cristã Contínua

Viver em Comunidade

Cresci em um lar luterano. Domingo sempre era dia de ir à Igreja e se reunir com a família! Durante o Ensino Confirmatório, foi despertada a curiosidade para conhecer mais sobre o conteúdo da Bíblia. Assim foi crescendo a certeza do grande amor de Deus por nós e sua obra salvadora. Tudo (+)

AÇÃO CONJUNTA
+
tema
vai_vem
pami
fe pecc
Eu também sou parte e membro dessa congregação, coparticipante e codesfrutante de todos os bens que possui. Pelo Espírito, a ela fui levado e incorporado, pelo fato de haver ouvido e ainda ouvir a Palavra de Deus, que é o princípio para nela se entrar.
Martim Lutero
© Copyright 2020 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br