Jornal Evangélico Luterano

Ano 2014 | número 771

Domingo, 24 de Outubro de 2021

Porto Alegre / RS - 23:14

Unidade

Lutero - Reforma: 500 anos

   Culto é a reunião comunitária na presença de Deus para render-lhe glória, confessar os pecados, ser agraciado com o perdão, agradecer, interceder, ouvir a Palavra, receber as dádivas dos Sacramentos e a bênção divina. Como tudo isto acontece? O culto acontece mediante uma liturgia. Todo culto segue uma liturgia! Sem liturgia, a Comunidade nem mesmo chega a se reunir. Liturgia é o 'conjunto de atos, palavras e formas, carregados de significado, expressos de certo jeito, em certa sequência' (Livro de Culto). Trata-se do passo a passo do culto. Esse passo a passo não é aleatório. No culto, cada passo é dado de acordo com um sentido, tendo em vista um objetivo. Liturgia é ritmo e visa à evolução do culto e ao seu todo!

   Lutero, ao discorrer sobre o culto, fala sobre a importância de uma ordem do culto. Conforme o Reformador, a ordem do culto é entendida como algo exterior, que não tem importância quanto à nossa consciência perante Deus, entretanto ela é útil, porque ajuda as pessoas a compreenderem o que acontece no culto, é instrumento de participação no culto, evita que cada qual faça a sua própria ordem litúrgica, é parte da identidade cristã. No dizer do Reformador, 'devemos, por amor, como ensina S. Paulo, procurar a unanimidade e, da melhor forma possível, ter as mesmas formas e procedimentos, assim como todos os cristãos têm o mesmo Batismo, o mesmo Sacramento, não tendo ninguém recebido de Deus algo especial' (Obras Selecionadas, 7, 177).

   Para ajudar as Comunidades a manterem a sua identidade cristã e confessional no culto, a IECLB possui um Livro de Culto, aprovado em Concílio. No ano de 2013, este Livro completou 10 anos. Nesse livro lemos sobre a compreensão de liturgia e culto, os fundamentos bíblicos, históricos, teológicos e antropológicos do culto, assim como encontramos uma descrição da nossa liturgia, das suas partes e dos seus elementos.

   Como é a liturgia do culto na IECLB? De que jeito celebramos? Quais as partes e os elementos que caracterizam a nossa liturgia?

O culto é formado por quatro partes, que são: Liturgia de Abertura, Liturgia da Palavra, Liturgia da Ceia e Liturgia de Despedida.

   A Liturgia da Palavra e a Liturgia da Ceia estão no centro do culto. Elas pertencem ao núcleo do culto cristão desde o seu surgimento. É a herança do culto que recebemos das primeiras comunidades cristãs. Mais tarde, foram desenvolvidas e ampliadas as demais partes, a Liturgia de Abertura e a Liturgia de Despedida.

Vejamos todas as partes da liturgia e os seus respectivos elementos: 

Liturgia de Abertura

   A sua função é preparar o clima do culto, do encontro de Deus, que vem a nós na Palavra e nos Sacramentos. Os elementos litúrgicos que compõem a Liturgia de Abertura são os seguintes:

Oração silenciosa individual: é o preparo individual para o culto, quando entramos no templo.

Prelúdio ou cântico de entrada: o prelúdio é uma peça musical executada por Músicos ou cantada pelo Coral. Ajuda a Comunidade a concentrar-se. Pode ser substituído por um cântico de entrada, entoado pela Comunidade.

Acolhida: é um elemento informal do culto. Objetiva criar um ambiente familiar no culto. São dadas as boas vindas e as pessoas visitantes são acolhidas. É importante cuidar para que este momento não seja extenso.

Saudação: esta é formal, pois declara em nome de quem o culto é realizado, lembrando Mateus 18.20. Deixa claro que o culto ocorre por incumbência, em nome e para a honra e glória de Deus.

Confissão de pecados e absolvição ou anúncio da graça: tem característica de uma oração preparatória, ou seja, ao nos reunirmos diante de Deus, antes mesmo de ouvirmos a sua Palavra, lembramos quem somos, reconhecemos os limites humanos, com os nossos pecados e somos lembrados de que vivemos a partir da graça de Deus. A Confissão de Pecados é seguida de uma Absolvição ou Anúncio da graça.

Kyrie: as palavras Kyrie eleison significam Senhor, tem compaixão (Mt 15.22, 17.15 e 20.30). No culto, o Kyrie é o momento em que a Comunidade carrega diante de Deus as dores do mundo e pede pelo testemunho da Igreja frente à realidade que causa tais situações.

Gloria in excelsis: é o canto da Comunidade em louvor e adoração ao Deus que vem ao encontro do seu povo. Baseia-se no canto dos anjos, conforme Lc 2.14, que anunciou a vinda de Deus ao mundo em Jesus! O Gloria in excelsis expressa que o Deus a quem damos glória é o Deus de Jesus Cristo, o encarnado, o crucificado e o exaltado.

Oração do dia: trata-se de uma oração breve, que faz referência ao tema do culto, tendo a função de encerrar a Liturgia de Abertura, preparando para a Liturgia da Palavra

Liturgia da Palavra

Com a Liturgia da Palavra, a Comunidade chega ao coração do culto. Compõem a Liturgia da Palavra:

Leituras bíblicas: a Igreja adotou um Lecionário, livro que indica as leituras bíblicas para cada Domingo e festas do Ano Eclesiástico. Para cada culto, estão previstas três leituras. Uma leitura corresponde ao Antigo Testamento e duas correspondem ao Novo Testamento, sendo uma delas a de um Evangelho.

Cantos intermediários: são os cantos que intercalam as Leituras Bíblicas. Eles são breves e ajudam a Comunidade a responder em louvor ao texto lido ou a meditar sobre a sua mensagem.

Pregação: a Palavra de Deus é interpretada e atualizada para a vida da Comunidade e tem por base um dos textos lidos (conforme o previsto pelo Lecionário) ou o conjunto deles.

Confissão de fé: após a Pregação, a Comunidade responde à mensagem recebida por meio do Credo Apostólico. É a sua forma de dizer: nesse Deus eu creio.

Ofertas: é uma expressão de gratidão a Deus e um sinal de compromisso comunitário com a comunhão do corpo ao qual pertencemos. A oferta tem cunho diaconal. 

Oração geral da Igreja: orar é um serviço da Comunidade do qual ela não pode prescindir. A oração geral da Igreja segue uma estrutura clássica. Intercede-se pelas autoridades civis e eclesiásticas, pelos Ministros e Ministras da Igreja, pela Comunidade, pelos serviços que ela mantém, por suas lideranças e pelas pessoas que sofrem. 

Quanto mais uma Comunidade conhece o passo a passo do culto, mais ela se envolve, mais ela participa e se torna mais comprometida com o culto, evento principal da vida da comunidade cristã.

 

Liturgia da Ceia

   A Ceia do Senhor é o que de mais genuíno há no culto cristão. O culto cristão nasceu porque Jesus deixou esta incumbência: façam isto em minha memória, referindo-se ao partir do pão e à distribuição do cálice (conforme 1Co 11.23-25), por isso a Comunidade celebra a Ceia com frequência e recebe este Sacramento como um presente precioso, uma dádiva divina das mais ricas. A Liturgia da Ceia consiste dos seguintes elementos básicos:

Preparo da mesa: o pão, o cálice, os jarros já estão sobre a mesa ou são levados à mesa, neste momento, por um grupo da Comunidade.

Oração preparatória: é a oração de graças pelo que Deus vai realizar na Ceia com os frutos do nosso cotidiano, o pão e o fruto da videira, em nosso favor.

Diálogo: é o diálogo inicial que antecede a oração de mesa da Ceia do Senhor entre Oficiante e Comunidade, com frases de pergunta e resposta.

Oração eucarística: por um lado, é a oração de mesa da Ceia do Senhor. Com ela, a Comunidade, por meio da pessoa oficiante, dá graças pelo que Deus fez e faz por nós em Jesus Cristo. Entretanto, sobretudo, é a afirmação daquilo que Deus nos concede na Ceia. A Oração eucarística é concluída com o Pai Nosso, a grande oração da família do Senhor.

Gesto da paz: Ceia é reconciliação, de Deus conosco, entre nós e Deus e entre nós, membros do Corpo de Cristo, por isso, na Ceia, somos convidados a estender o Gesto da Paz, respondendo ao abraço que Deus nos dá, buscando viver como pessoas reconciliadas.

Fração: refere-se ao gesto de partir o pão e de elevar o cálice.

Comunhão: é o momento auge da Ceia. Tudo está preparado para que se viva a comunhão com Cristo e entre as pessoas. Ter comunhão com Deus é receber o que somente Ele concede e é viver comunhão com o próximo. Partilhar a vida no altar é impulso para vivermos a partilha no dia a dia.

Oração pós-comunhão: é a oração que conclui a Liturgia da Ceia. 

Liturgia da Despedida

Avisos: antes de a Comunidade partir, dão-se os Avisos referentes à vida comunitária, lembrando que as atividades do dia a dia também são colocadas sob a bênção de Deus.

Bênção: como despedida, o Ministro ou a Ministra invoca a presença de Deus na vida de cada pessoa presente no culto, pois o Deus que nos reúne no culto é o mesmo que nos acompanha na vida diária.

Envio: abençoada, a Comunidade é enviada a servir a Deus na vida cotidiana.

Poslúdio ou hino final: assim como na abertura, uma peça musical executada por Músicos ou um hino entoado pelo Coral ou pela Comunidade ajudam a deixar o culto ecoar. 

   As partes e os elementos aqui descritos caracterizam a liturgia do culto na IECLB. É importante observar que a liturgia do culto nem sempre contém todos os elementos. É possível organizar uma liturgia combinando os seus elementos. A isso chamamos de moldagem litúrgica. Decisivo é cuidar para que os elementos litúrgicos considerados imprescindíveis estejam na liturgia, que haja coerência entre os elementos combinados e que se respeite o lugar e a função de cada um deles dentro da liturgia.

   Seguir uma boa liturgia é importante, mas não é tudo. O que acontece no culto é, em última análise, fruto da ação graciosa de Deus. Ter consciência disso não nos isenta de preparar bem o culto, de zelar pelo que vai acontecer e de conhecer bem a liturgia do nosso culto. Quanto mais uma Comunidade conhece o passo a passo do culto, mais ela se envolve, mais ela participa e se torna mais comprometida com o culto, evento principal da vida da comunidade cristã. 

Culto é a reunião comunitária na presença de Deus para render-lhe glória, confessar os pecados, ser agraciado com o perdão, agradecer, interceder, ouvir a Palavra, receber as dádivas dos Sacramentos e a bênção divina.

 

 

Cat. Dra. Erli Mansk, graduada em Teologia, com ênfase no Pastorado e em Educação Cristã, com Mestrado Profissionalizante em Liturgia e Doutorado em Teologia Prática (A ritualização das passagens da vida: desafios para a prática litúrgica da Igreja), todos pela Faculdades EST, em São Leopoldo/RS, é Coordenadora de Liturgia da IECLB 

Ultima edição

Edição impressa para folhear no computador


Baixar em PDF

Baixar em PDF


VEJA TODAS AS EDIÇÕES


Gestão Administrativa

Ser Igreja de Jesus Cristo em contexto de pandemia

Em perspectiva de balanço do ano que passou, compartilhamos, de forma adaptada e atualizada, partes da Carta Pastoral da Presidência, de Pastoras e Pastores Sinodais, publicada em agosto de 2020. A partir de março de 2020, passamos a conviver com a pandemia do Covid-19, (+)



Educação Cristã Contínua

Igreja que valoriza o Sacerdócio Geral (parte 3/3)

Desafios Com base nas atividades que estão sendo realizadas e considerando o cenário atual, a Coordenação de Educação Cristã (CEC) vislumbra os seguintes desafios para a efetivação da Meta Missionária 1 (Áreas de prioridade (+)

AÇÃO CONJUNTA
+
tema
vai_vem
pami
fe pecc
À casa de Deus não pertence nada mais que a presença de Deus com a sua Palavra.
Martim Lutero
© Copyright 2021 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br