Capela Luterana



ID: 2547

Que mundo maravilhoso | Salmo 67.1-7

6º Domingo da Páscoa

20/05/2022

 

Amados irmãos, amadas irmãs,

“se o mundo acabasse amanhã, ainda hoje eu pagaria as minhas dívidas e plantaria uma árvore”. Essa é uma frase atribuída a Martinho Lutero. É uma frase sobre esperança, mas não a esperança de um jeito apenas falado, mas realizado, pois não basta esperar de braços cruzados. Não! É preciso agir! Nesse caso, esperança, para Lutero, é plantar uma árvore mesmo sabendo que amanhã o mundo pode terminar. Esperança é compromisso!

O salmo que ouvimos é um convite para louvar a Deus. Mas, não é um convite fechado: está aberto a todos os povos. Deus cuida tão bem do seu povo que isso é percebido pelos povos vizinhos a Israel. O louvor do Salmo 67 anuncia e clama pela bênção de Deus ao seu povo. Aqui, a bênção de Deus está manifestada no fato de que Deus cuida do seu próprio povo. Eles são alimentados e amparados em todas as suas necessidades. Deus vem ao encontro do seu povo e o abençoa. O salmista confessa que a terra tem dado o seu fruto. Sim, tudo vem de Deus, pois a Criação não é boa em si mesma, mas a bondade da Criação repousa sobre o amor transbordante de Deus1.

Entretanto, o ser humano – em sua ganância e egoísmo – tem destruído a boa Criação de Deus. Esta é a tragédia do pecado que faz o ser humano e a Criação serem marcados pela morte. A relação entre Deus e o ser humano foi rompida por causa do pecado. Assim, o ser humano rompeu também a sua relação com o seu próximo e com a Criação. O nós foi trocado pelo eu; a colaboração foi trocada pela competição; a sustentabilidade foi trocada pela destruição.

Toda a Criação sofre com a realidade da morte que redunda também em prejuízo a todos os seres vivos. A Criação geme e sofre aguardando novos céus e nova terra. Como cristãos, precisamos ser lembrados da importância da Criação de Deus e de que Deus não é inimigo de sua Criação. Para refletirmos, vamos aos seguintes pontos:

1 A BOA CRIAÇÃO NOS SUSTENTA E EVANGELIZA

Esta é uma importante confissão. Talvez, ela esteja bastante esquecida pelos cristãos: através da boa Criação, Deus alimenta a todas as suas criaturas, tanto justos como injustos (cf. Mateus 5.45). Já na boa Criação de Deus vemos o seu amor paternal, embora seja um amor mascarado que só se revelou plenamente na pessoa e obra de Jesus Cristo.

Através da Criação, Deus sustenta a todos os povos e não apenas os cristãos. Deus cuida da sua casa (economia), embora o ser humano insista em a derrubar e destruir. Como diz o professor Dr. Euler Renato Westphal,

Não bastaram os sete dias da criação. No oitavo dia, o ser humano criou o admirável mundo novo. O pequeno-homem-deus redesenhou os seres vivos e os seres humanos à sua imagem e semelhança dos interesses utilitaristas do deus-mercado.2

As boas dádivas da Criação nos mostram o cuidado de Deus. Por isso, a própria Criação é a maior missionária que existe: “Pois o que se pode conhecer a respeito de Deus é manifesto entre eles, porque Deus lhe manifestou. Porque os atributos invisíveis de Deus, isto é, o seu eterno poder e a sua divindade, claramente se reconhecem, desde a criação do mundo, sendo percebidas por meio das coisas que Deus fez”. (Romanos 1.19-20). Assim, através da boa Criação, o ser humano pode saber do cuidado e da presença de Deus, ainda que essa presença seja mascarada.

A criação de Deus testemunha do seu Criador. Ela fala daquele que a criou através do poder da Palavra! Basta olhar para a beleza de uma flor ou para a complexidade de uma célula para sermos levados a pensar em Deus. Isaac Newton, o físico, diz: “Este mais belo Sistema do Sol, Planetas e Cometas, só poderia proceder do conselho e domínio de um ser inteligente e poderoso”3. Portanto, destruir a boa Criação significa não apenas destruir o nosso próprio sustento, mas também a maior missionária que existe.

2 A BOA CRIAÇÃO É NOSSO PRÓXIMO

Quando Deus criou o primeiro ser humano, deu a ele o nome de Adão. Você já se perguntou o motivo desse nome? Adão, no hebraico Adam, significa humanidade tem a mesma raiz da palavra Adamah que significa terra. O ser humano – ou a humanidade – foi formado por Deus da terra. Adam e Adamá não são realidades separadas e distintas, mas uma só realidade: o ser humano é inseparável da terra, pois do pó viemos e ao pó voltaremos.

Assim, “precisamos desconstruir a ideia de que nós (humanos) somos melhores que os demais seres vivos (animais, plantas). Precisamos olhar para a Criação como um próximo, alguém ao qual estamos intimamente ligados num processo de ação e reação”4. Portanto, a Criação é nosso próximo. Logo, amar ao próximo significa também amar e cuidar da boa Criação de Deus.

Neste caso, o mandamento “não matarás” (Êxodo 20.13) não se aplica apenas aos seres humanos, mas também à Criação que deve ser administrada com responsabilidade para que seus recursos possam ter tempo de se renovarem. Além disso, matar a boa Criação de Deus é sinal de incredulidade, pois a pessoa que teme verdadeiramente a Deus irá proteger e cuidar daquilo que é de Deus (cf. Salmo 24.1)

É preciso enxergar a Criação como nosso próximo, sejam as flores, as árvores, o céu, os animais, enfim. É preciso olhar para a Criação com olhos de misericórdia, amor e cuidado. A Igreja é chamada a fazer a diferença, pois as pessoas que não temem a Deus não farão diferença alguma para o bem.

Cuidar da Criação significa cuidar de nós mesmos em um ato de amor, esperança e solidariedade. A Criação é nosso próximo. Então, vamos amá-la e tomarmos atitudes para sua preservação.

A Criação está gemendo e morrendo. A culpa não é de Deus. A responsabilidade é nossa! Precisamos tomar atitudes hoje para que novas gerações vivam bem o amanhã.

3 A BOA CRIAÇÃO NÃO ESTÁ À VENDA

Este é um ponto importante. Crer no Deus Criador significa também ter coragem e ousadia para denunciar aqueles que vendem, destroem e exploram irresponsavelmente a boa Criação de Deus, quando os jardineiros se transformam em predadores.

Por isso, precisamos compreender que nem sempre aquilo que dá dinheiro e faz bem ao mercado, faz bem também à Criação e ao futuro. Derrubar uma floresta inteira pode até dar lucros gigantescos a pessoas do nosso tempo; porém, no futuro, o preço será cobrado. Já agora presenciamos desastres naturais e eventos extremos nunca vistos. Podemos não pagar o preço, mas nossos filhos e netos pagarão. Há futuro para eles?

Por isso, é nossa tarefa dizer que “a Criação de Deus não está à venda”. O dinheiro não está acima de tudo. O lucro não deve ser o nosso deus. A ganância não é um valor do Reino de Deus. Ao contrário, Jesus disse: “Bem-aventurados os pobres em espírito, porque deles é o Reino dos Céus”. (Mateus 5.3). Em outras palavras: felizes os que estão satisfeitos com aquilo que têm. Portanto, nem tudo o que é financeiramente ou tecnicamente possível também é eticamente e teologicamente viável.

A nossa tarefa também é se opor às injustiças contra a Criação de Deus. Vivemos no país da violência que acontece nas ruas, mas também nos lares: isso é agressão à Criação de Deus; violência que acontece nos garimpos ilegais do norte brasileiro onde indígenas são mortos a bala, tem suas mulheres estupradas ou são expulsos de suas terras: isso é agressão à Criação de Deus; violência que ocorre quando árvores são derrubadas ilegalmente por homens que só pensam em si mesmos e acham que as florestas nunca irão acabar: isso é agressão à Criação de Deus; violência que acontece quando alimentos são desperdiçados: isso é agressão à Criação de Deus; violência que ocorre quando o esgoto não tratado vai para rios e mares: isso é agressão à Criação de Deus; violência que acontece com o acúmulo de ilhas e mais ilhas de plástico nos oceanos: isso é agressão à Criação de Deus; violência que ocorre quando irresponsavelmente aquecemos o planeta e derretemos as geleiras: isso é agressão à Criação de Deus; violência que acontece quando deixamos água parada para que o mosquito da dengue se prolifere: isso é agressão à Criação de Deus.

Amados irmãos, amadas irmãs,

o convite do salmista está feito. Aceitar o convite de louvar a Deus pelas suas dádivas significa não apenas cantar com as vozes ou com o coração, mas com as mãos, com os pés, com a mente disposta à reeducação.

Se aceitarmos verdadeiramente este convite, a bênção de Deus estará sobre nós: veremos essa bênção na diminuição dos lixos nas ruas; respiraremos essa bênção em um ar mais limpo; ouviremos essa bênção em um ambiente mais contemplativo e silencioso; nos alimentaremos dessa bênção através de uma alimentação livre de transgênicos e agrotóxicos; saberemos da bênção de Deus ao ouvirmos que todos foram cuidadosos e que, por isso, o mosquito da dengue não existe mais. Assim por diante!

Dessa forma, poderemos convidar outros a se juntarem conosco: “venham, entrem com a gente nessa jornada de amor, cuidado e ação. Venham louvar em ação com a gente!” E todos poderão louvar ao Senhor através da ousadia de fazer diferente do que a maioria faz. E o que veremos então? Esse mundo maravilhoso realmente pode existir?

 

Aceitemos esse convite ao amor: amemos a Deus de todo o nosso coração; amemos também ao nosso próximo como a nós mesmos. E não esqueça: a Criação de Deus também é nosso próximo. Nossa irmã! Nosso irmão!

E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará os nossos corações e as nossas mentes em Cristo Jesus, amém.


6º DOMINGO DA PÁSCOA | BRANCO OU DOURADO | CICLO DA PÁSCOA | ANO C

22 de Maio de 2022 | Dia das Mães


P. William Felipe Zacarias 


1 Cf. ALTMANN, Walter. Bioética – O Cuidado pela vida. 2008. in: <https://www.luteranos.com.br/textos/bioetica-2008>. Acesso em: 17. mai. 2022.

2 WESTPHAL, Euler Renato. O Oitavo Dia: Na Era da Seleção Artificial. São Bento do Sul: União Cristã, 2004. p. 124.

3 NEWTON, Isaac. 'General Scholium' from the Mathematical Principles of Natural Philosophy. in: <https://www.newtonproject.ox.ac.uk/view/texts/normalized/NATP00056>. Acesso em: 17. mai. 2022. Tradução própria.

4 ACKER, Gerson (Coord.). Juventudes & Justiça Ambiental. Cartilha. Porto Alegre: IECLB, 2022. p. 7.


Autor(a): P. William Felipe Zacarias
Âmbito: IECLB / Sinodo: Rio dos Sinos / Paróquia: Sapiranga - Ferrabraz
Área: Confessionalidade / Nível: Confessionalidade - Prédicas e Meditações
Testamento: Antigo / Livro: Salmos / Capitulo: 67 / Versículo Inicial: 1 / Versículo Final: 7
Natureza do Texto: Pregação/meditação
Perfil do Texto: Prédica
ID: 67041
MÍDIATECA
Façam todo o possível para juntar a bondade à fé que vocês têm. À bondade, juntem o conhecimento e, ao conhecimento, o domínio próprio. Ao domínio próprio, juntem a perseverança e, à perseverança, a devoção a Deus. A essa devoção, juntem a amizade cristã e, à amizade cristã, juntem o amor.
2Pedro 1.5-7
© Copyright 2022 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br