Missão com Mulheres


- Brasil
Telefone(s): (51) 3284-5400
secretariageral@ieclb.org.br
ID: 2674

Outubro Rosa - Subsídios para celebrar e refletir - 2019

Auxílio Litúrgico

01/10/2019

 

OUTUBRO ROSA
SUBSÍDIOS PARA CELEBRAR E REFLETIR
 Paula Naegele

  É pastora na Paróquia Evangélica de Confissão Luterana em Farroupilha/RS – Sínodo Nordeste Gaúcho

BRO ROS
Acolhida
“É pela fé que entendemos que o Universo foi criado pela palavra de Deus e que aquilo que pode ser visto foi feito daquilo que não se vê. ” (Hebreus 11.3)
 
Canto: 04 (LCI) – Onde reina o amor
Oração
Deus de bondade e amor! Graças por nos reunires neste encontro. Graças, que Tu tens cuidado e acompanhado a cada pessoa que aqui está. Tu tens fortalecido a fé, a esperança em nossos corações. Graças porque Tu tens nos dado forças para enfrentar os obstáculos em nossa caminhada. Pedimos-te: que em nossas vidas aconteça o que Tu queres, pois como Tu queres caminharemos. Ajuda-nos a tua vontade compreender! Tudo o que vem de Ti é bom! Dá-nos coragem para cada novo dia. Guia-nos e acompanha-nos. Amém.
 
Canto: 205 (LCI) – Oração da Igreja
 
PARA REFLETIR
 
O diagnóstico positivo para algum tipo de câncer representa um grande impacto na vida das pessoas. O sofrimento e a incerteza sobrevêm indiferente de idade, sexo, cor ou classe social. Os índices de sobrevivência causam um estremecimento que palavras não conseguem expressar. O câncer assusta e faz sofrer!
 
Segundo o Atlas do Câncer (http://canceratlas.cancer.org/assets/uploads/2015/04/The-Cancer-Atlas-Second-Edition-in-Portuguese.pdf), no Brasil 15% no total de mortes, são relacionadas ao câncer. A cada ano surgem 600 mil novos casos, dentre os quais, 40% das pessoas não sobrevivem. Estima-se que, o crescimento e o envelhecimento da população, faça com que o número de novos casos de câncer aumente a cada ano alcançando um crescimento de 14 milhões (dados de 2012) para aproximadamente 22 milhões até 2030. Suspeita-se que 70% do aumento dos casos de câncer ocorrerá em continentes que pouco ou nada dispõem de recursos adequados para lidar com pacientes diagnosticados com a doença. Segundo o estudo,  estima-se que a cada cinco brasileiros e brasileiras que alcançarem a idade de 75 anos de vida, pelo menos um ou uma será paciente oncológico.
 
O câncer de pulmão e o de próstata são os casos mais comuns em homens, seguidos pelos cânceres de cólon e reto, de estômago e de fígado. No caso das mulheres, o câncer de mama é o que ocorre com maior frequência em 140 países do mundo, ao passo que o câncer de colo do útero é o mais comum em 39 países.
 
Existem várias terminologias médicas usadas para identificar cada tipo de doença! Na oncologia, o câncer tem cinco possíveis fases: a suspeita, a investigação, o diagnóstico, o tratamento e no insucesso deste último, a indicação de cuidados paliativos. O que sabemos, sem muitas explicações, é que em qualquer uma destas fases, a doença deixa suas marcas. A pessoa sofre integralmente tendo sua vida afetada psicologicamente, emocionalmente, fisicamente, socialmente podendo afetar também a sua espiritualidade.
 
Para muitas pessoas, o acolhimento, o acompanhamento através de grupos, a presença e a oração da comunidade de fé são elementos importantes que ajudam a enfrentar o câncer com mais coragem e esperança.
 
Para pessoas e grupos de apoio, visita e oração que desejam acompanhar pacientes com câncer é muito importante que busquem informações sobre a doença, sobre os cuidados necessários durante o tratamento, sobre os efeitos colaterais, psicológicos e emocionais que afetam a vida do paciente e de sua família.
 
Conhecer e compreender o que se passa com a pessoa diagnosticada ou em tratamento de câncer, respeitar a ela e a sua família é uma forma de bem querer e bem cuidar,
 
Nesse sentido, promover espaços para a partilha de experiências e vivências; apoiar a divulgação de campanhas de prevenção à doença, promover palestras informativas; motivar para a manutenção de exames preventivos são algumas das  iniciativas de cuidado e apoio que a comunidade cristã pode oferecer.
 
Como Igreja, somos o Corpo de Cristo formado de membros distintos, cada qual com qualidades e dons e importância. Quando uma parte deste Corpo sofre ou passa por dificuldades, todo o corpo sente.
 
Ao longo da caminhada pastoral acompanhamos e convivemos com muitas pessoas. Nestes últimos anos, a incidência de câncer tem chamado atenção! Ao receber a notícia, as pessoas, nas mais diversas idades se questionam, buscam possíveis motivos, culpas, culpados. Compartilho o testemunho de uma mulher que, em sua fragilidade, conseguiu perceber a mão de Deus a lhe acompanhar na luta contra o câncer de mama.
 
FATOS DA VIDA
 
“Ao iniciar este testemunho, preciso fazer uma pergunta: Você já ouviu falar de cavalo mal domado? Pois é, espero que esta figura nos ajude a compreender o que se passou comigo. O cavalo mal domado é aquele que esquece do que aprendeu. Por isso, ele precisa passar pelo processo de aprendizagem sempre de novo. Gente entendida no assunto diz ser quase impossível reverter esse processo. Nesse caso, a confiança e a fidelidade ao dono são fundamentais para uma boa relação..
Indo direto ao assunto: inconscientemente, ou não, eu sempre quis fugir de mim mesma, mas nunca consegui. Mudei de residência muitas vezes.  Um dia, fui morar em uma cidade turística.  Depois de um tempo, voltei para a minha terra natal. Saí novamente de lá pensando: “agora sim vou ser feliz para sempre”.
Quando mudei de cidade pela primeira vez, para longe da minha terra natal, sofri muito. Depois de um tempo na nova cidade, recebi a visitada de um irmão em Cristo. Ele me perguntou como eu estava. E eu respondi: Lê o Salmo 88 e saberás exatamente como eu me sinto! Ele, sempre bem-humorado me disse: - O quê? Já está na Bíblia? Rimos, diante da espontaneidade dele.
Apesar de ser uma pessoa crente e confessar que Jesus é o Senhor da minha vida, não costumava confiar a Deus os meus projetos de vida. Mas dessa vez foi diferente. Foi um tempo de muito choro. De joelhos dobrados pedi a Deus por livramento daquela situação. Depois de longos quatro anos, Deus me livrou do sofrimento. Foi um grande alívio. Mesmo com o sentimento de ter que deixar amigos queridos pra trás, segui com minha família para o lugar de onde eu nunca deveria ter saído. Um lugar perfeito para morar. Lugar abençoado, perto da família, perto da igreja e de irmãos e irmãs amadas e amados em Cristo.
Passados dez anos, me aposentei como professora. Novamente, assaltou-me aquela vontade de me mudar, ou de fugir (Quem sabe?).  Desta vez,  eu tinha por absoluto a concordância de meu marido. Éramos apenas nós dois. O que poderia dar errado?
Fomos para onde estamos hoje. Voltei a chorar, a implorar, a questionar Deus:  – O que fiz de novo? Ajuda-me! Socorro!  Dói muito! A tristeza e a solidão fazem doer nosso físico. Eu chorava e falava com Deus dizendo: Se eu estivesse doente teria motivos para chorar, lutar pela vida. De onde vem essa dor?
Por vezes, penso que falei alto de mais! Faz cinco anos que tive um diagnóstico de câncer de mama! E posso dizer: Perdi o chão que eu achava que não tinha! Mas também encontrei a mão de Deus na qual me agarrei com todas as forças. Pedi por perdão e misericórdia enquanto passava “pelo vale escuro da sombra da morte” (Salmo 23.4)!
Não foi nada fácil! De certo modo, eu acreditava que todas as coisas pelas quais eu estava passando tinha algum ensinamento pra vida: Confiar-se nos cuidados de Deus, aquietar o coração, acalmar o espírito sob as suas asas em meio às calamidades como  cirurgias, exames de prevenção, quimioterapias, perda dos cabelos, radioterapias, medicações que traziam efeitos colaterais, consultas, dúvidas, medos, etc.  Em contrapartida, pude sentir, de maneira mais forte, o amor de meus familiares, principalmente do meu marido, filhos e netos, dos meus irmãos e irmãs da igreja, tanto os daqui onde moro, quanto os que moram nas outras cidades pelas quais passei . 
Desta vez, Jesus me mostrou quem era o meu “dono” – sua vara e seu cajado me consolam e agora continuo atenta às suas “ordens” porque eu quero ser, a partir de tudo isto, um “cavalo bem domado” por Ele! Quero ser uma filha que se sente amada por seu Senhor.
 
PARTILHA
Proporcione um espaço para conversar e partilhar sentimentos, impressões, descobertas, dúvidas a respeito do relato e das informações iniciais.
 
Comentário
Indiferente, se somos homens ou mulheres, todos e todas sofremos! Em meio às duvidas e medos, nosso Deus conosco está! Há momentos nos quais fraquejamos, duvidamos e por vezes até nos afastamos de Deus. Também nesses momentos, conosco Ele está. Ele envia pessoas ao nosso encontro, que com abraços, carinho e cuidado nos trazem sua companhia na luta. O nosso corpo e o nosso coração poderão fraquejar, “mas Deus é a força do meu/nosso coração e a minha/nossa herança para sempre. ” (Salmos 73.26). Ele, em sua misericórdia, entende e acolhe os nossos medos e temores. 
 
 
DINÂMICA
Desenvolvimento:
Cada pessoa presente, pega um retalho e algumas fitas. Enquanto o grupo canta a canção do Cuidado (Livro de Canto - 287), um retalho é amarrado ao outro... com paciência, amor e cuidado! Ao final, terá se formado uma colcha/rede. Com todas as pessoas em pé, segurando a colcha, a oração pode ser feita!
Canto: 287 (LCI) – Canção do cuidado
 
ENCERRAMENTO
 
Oração + Pai Nosso
Tu, oh Deus, estás perto de nós quando nosso ânimo nos quer abandonar e com medo pesamos nosso valor. Agradecemos-te por tua força amorosa com a qual nos fortaleces nas adversidades e nos ajuda a construir pontes sobre abismos. Graças pelas vezes em que fraquejamos e tememos e Tu estás ao nosso lado. É bom saber que também hoje estás aqui conosco e ao lado de tantas pessoas que te ti necessitam. Agradecemos-te pelo cuidado, pela força e pelo animo que dás a nós e também aos nossos familiares.  És a nossa fortaleza em meio aos caminhos de incertezas. (Seguir incluindo motivos de intercessão, agradecimentos, finalizar com a oração do Pai Nosso).
 
Bênção
Pedimos de Deus a sua paz, dias tranquilos, coração descansado, e sabedoria para vivermos cada dia o seu dia, dando um passo de cada vez, e acreditando no cuidado de Deus para com a nossa vida, com os nossos sonhos e com o nosso coração. Que sejamos pessoas agradecidas, fortes e esperançosas. Que tenhamos fé, e que tudo seja como o Senhor quiser. Amém. (Adaptado – Trecho de Cecilia Sfalsin)
 
 
 
Mês de campanha dedicado à saúde, principalmente das mulheres. É uma campanha de conscientização com o objetivo principal de alertar as mulheres e a sociedade sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de mama e do colo de útero, que em muitos casos pode ser letal. A campanha tem como símbolo o laço cor de rosa.       
 
 
 
 
Promoção e Divulgação
Coordenação de Gênero, Gerações e Etnias
Secretaria da Ação Comunitária

 

AÇÃO CONJUNTA
+
tema
vai_vem
pami
fe pecc

Que cada um use o seu próprio dom para o bem dos outros!
1Pedro 4.10b
REDE DE RECURSOS
+
O meu Deus é a minha força.
Isaias 49.5
© Copyright 2019 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br