Ó mundo, a tua vida

LCI 409

01/03/1651

 

1. Ó mundo, a tua vida
está na cruz erguida,
sucumbe o Salvador.
O Rei magnificente
sujeita-se, paciente,
ao ódio, escárnio e vil rancor.

2. Vem cá e vê de perto
seu corpo recoberto
de sangue e de suor.
Sua alma nobre e pura
suspira em amargura,
suporta inexprimível dor.

3. Por quem foste espancado,
por quem tão maltratado,
tu, minha salvação?
És livre de pecados,
nós somos os culpados.
Tu não conheces transgressão.

4. Por mim e meu pecado
tu foste condenado
à morte, meu Jesus.
Tu nada cometeste,
por mim é que sofreste
amarga e torturante cruz.

5. Sou eu quem deveria
sofrer, em agonia,
no inferno, a tua dor.
Tu foste açoitado,
por mim tens suportado
o que eu bem mereci, Senhor.

6. Por ti fui redimido.
Mas eu, Senhor querido,
mui pouco tenho a dar.
Porém, teus sofrimentos
e os teus cruéis tormentos
em toda a vida hei
de lembrar.

7. Contigo à cruz me prego,
Senhor, e a ti me apego,
cumprindo o Teu querer.
Tudo o que te é odioso,
eu deixo, pressuroso,
e renuncio ao vil prazer.

8. As dores padecidas
e as lágrimas vertidas
por ti, meu Salvador.
As tuas mãos me guiem,
na morte me confiem
a ti, amparo e protetor.


Autoria da letra: Paul Gerhardt

Autoria da melodia: Heinrich Isaac
 


Autor(a): Paul Gerhardt
Âmbito: IECLB
Natureza do Texto: Música
ID: 49090
REDE DE RECURSOS
+
Arrisco e coloco a minha confiança somente no único Deus, invisível e incompreensível, o que criou o céu e a terra.
Martim Lutero
© Copyright 2019 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br