A Igreja em Tempos de Coronavírus



ID: 3207

5º Domingo da Páscoa - Vista Gaúcha ( Erval Seco/RS)

Paróquia Martin Luther de Erval Seco

10/05/2020

Culto VGaucha - Convite
Igreja da Comunidade Gustavo Adolfo em Vista Gaúcha - Erval Seco/RS
Culto Vista Gaúcha - Dia das Mães
Culto Vista Gaúcha - Dia das Mães
Culto Vista Gaúcha - Dia das Mães
Culto Vista Gaúcha - Dia das Mães
Culto Vista Gaúcha - Dia das Mães
Culto Vista Gaúcha - Dia das Mães
Culto Vista Gaúcha - Dia das Mães
Culto Vista Gaúcha - Dia das Mães
Culto Vista Gaúcha - Dia das Mães
Culto Vista Gaúcha - Dia das Mães
Culto Vista Gaúcha - Dia das Mães
Culto Vista Gaúcha - Dia das Mães
Culto Vista Gaúcha - Dia das Mães
Culto Vista Gaúcha - Dia das Mães
Culto Vista Gaúcha - Dia das Mães (41)
Culto Vista Gaúcha - Dia das Mães (43)
1 | 1
Ampliar

Celebração em tempos de Corona vírus

DIA DAS MÃES

Sino

LITURGIA DE ENTRADA

Canto de Entrada: Ao orarmos Senhor – 208 LCI

Acolhida e Saudação Trinitária:

Queridas irmãs e irmãos em Cristo!

Saudamos a todos e todas vocês membros das 13 Comunidades de nossa Paróquia Martin Luther com as palavras que abrem esta nova semana conforme as nossas Senhas Diárias. São palavras que encontramos no Evangelho de João, capítulo 15, versículo 6. Jesus Cristo diz: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim.

Que a presença de Deus, que em Cristo e pelo Espírito Santo, é caminho, verdade e vida, esteja conosco neste momento especial de Culto onde também lembraremos o Dia das Mães.

Pastor João e eu, juntamente com o Sr. Nelson e algumas pessoas da Comunidade que vieram para ajudar nos momentos de Cantos, estamos hoje na Igreja da Comunidade Evangélica de Confissão Luterana Gustavo Adolfo em Vista Gaúcha, município de Erval Seco. Continuamos a realizar os nossos cultos através da transmissão de um vídeo que chega até a casa de nossos membros, cada qual em seu município e em sua casa. Entretanto, mesmo não podendo ainda nos encontrar na Comunidade estamos juntos em oração através destes momentos. Neste fim de semana teríamos culto nas Comunidades de Dois Irmãos das Missões, Erval Seco e Coronel Finzito. Com certeza teríamos a Igreja cheia em cada um desses lugares. Dia das Mães é sempre um dia que meche com nossas lembranças e emoções, e toca fundo o coração de todos e todas nós.

Desta forma, mesmo estando cada qual em seu lar...

Que neste momento possamos encontrar aconchego, tranquilidade, paz e carinho, assim como o colo de uma mãe transmite...

Que possamos buscar força, esperança, coragem para fazer o bem e promover cuidado, assim como o colo de uma mãe transmite...

Que possamos encontrar orientação para fé, estímulo para o perdão e reconciliação, e correção para as injustiças e maldades, assim como o colo de uma mãe transmite.

Cantemos juntos...

Canto: O Nosso Encontro (virtual) vai ser abençoado – 18 LCI

Na força que permite aguentar a dor do parto, pelo sorriso mais lindo que vem ao mundo.

Na esperança de velar as noites de sono, vendo os primeiros passos, as primeiras palavras.

Na fé que une as mãos pedindo segurança, saúde, vida em graça.

No amor que gera a vida e o abraço acolhedor, o olhar terno, o sorriso meigo, a palavra amiga e o colo acolhedor, celebramos este momento de Culto neste Dia das Mães tão diferente.

Nosso Deus é um Deus de amor, de cuidado, um grande colo, um grande abraço que nos envolve e nos motiva a abraçar e acolher outras pessoas em fé, esperança e amor. E nestes tempos difíceis, onde o abraço ainda não podemos dar, nos sustenta e fortalece.

Damos graças a este Deus que nos ama e nos cuida...

Canto: Damos graças ao Senhor... – 478 LCI

Confissão de Pecados

Deus da vida, tão certo como o céu é sem limites, nós nos apresentamos como criaturas limitadas diante de ti. Tão certo como as estrelas brilham neste céu sem fim, nós nos inclinamos para confessar-te os nossos limites. Estamos vivendo tempos difíceis. Quantas tristezas temos visto por meio das redes sociais. Quantas desavenças e quantas mentiras. Antes da pandemia ouvíamos ou presenciávamos as crises familiares, que levam tantas vidas ao desespero, à insegurança, ao desamor. Com o isolamento social esta realidade fica mais forte e mais presente. Confessamos que como mães, pais, filhos e filhas, sentimo-nos perdidos e perdidas em muitas situações, e agora nestes tempos confusos e angustiantes mais ainda. Aproxima-te de nós, estende-nos as tuas mãos, faz-nos pessoas amorosas e compreensivas. Dá-nos sabedoria para vivermos estes tempos de pandemia. Não sabemos quanto tempo será, mas queremos nos manter fiéis a ti e à tua Palavra de amor e que indica o caminho e nos fala da vida verdadeira. Que não desistamos de seguir pelos caminhos da paz, do amor, da mansidão e da justiça. Por Jesus Cristo, amém.

Anúncio da Graça

Tendo em vista nossa confissão, o profeta Isaías, no capítulo 66, versículo 13 nos lembra o que Deus diz: “Como a mãe consola o seu filho, eu também consolarei vocês” (Is 66.13). Deus como uma mãe amorosa vem ao nosso encontro com seu abraço acolhedor, com paciência ouve a nossa oração e em Cristo acolhe a nossa dor e nos perdoa. Amém.

Kyrie Eleison

Assim, como podemos reconhecer as nossas dores, os nossos clamores, reconhecer que pecamos como mães, como filhos e filhas, como pessoas de fé, também podemos pedir a Deus, que acolha o clamor do mundo gerado pelo pecado e a maldade humana e que grita por um tempo, um mundo melhor. Clamemos a Deus pelas dores deste mundo...

Canto: Pelas dores deste mundo... – 56 LCI

Glória

Aquele que é o Caminho, a Verdade e a Vida ouve o nosso clamor, vê a nossa dor, sabe das nossas angústias e do nosso medo pelo futuro. Ele se coloca ao nosso lado, nos sustenta e fortalece. Ele abre os nossos olhos para a vida, nos mostra a verdade, nos indica o caminho. Demos glória a Deus!

Canto: Glória

Oração do dia

Oremos: Deus de amor e de bondade. Graças por este novo dia, pela vida, pela oportunidade de podermos em casa participar de um momento de Culto, neste dia em que homenageamos as mães. Graças pelas pessoas que assumem a tarefa de ofertar um colo, uma palavra de ânimo ou de orientação. Envia teu Espírito, Deus, para que abra nossos corações e mentes para o que tu tens hoje a nos dizer. Por Cristo, teu Filho, que contigo e com o Espírito Santo vive e reina hoje e eternamente. Amém.

LITURGIA DA PALAVRA

Queremos agora ouvir as Palavras Bíblicas para este culto. Que os Textos Sagrados sejam recebidos como a chuva que lava ou o fogo que arrasa, ou seja, que venham para limpar e purificar. Mas que também venham como um abraço, ou seja, como a chuva que molha quando cai mansamente na terra ou como o sol que aquece como um carinho num dia de inverno. Cantemos:

Canto: É como a chuva que lava / É como a chuva que molha – 149 LCI

Leitura Bíblica: João 14.1-14

A Palavra de Deus é lâmpada para guiar nossos passos, é luz que ilumina o nosso caminho. Aleluia!

Canto: Ale, ale luuia...

Mensagem

A graça de nosso Senhor Jesus Cristo, o amor de Deus e a comunhão do Espírito Santo estejam em cada lar, com cada pessoa que nos ouve. Amém.
Leitura de Oséias 11.1,3-4

O Senhor Deus diz: Quando Israel era criança, eu já o amava e chamei o meu filho, que estava na terra do Egito. (...) Fui eu que ensinei o meu povo a andar; eu os segurei nos meus braços, porém eles não sabiam que era eu que cuidava deles. Com laços de amor e de carinho, eu os trouxe para perto de mim; eu os segurei nos braços como quem pega uma criança no colo. Eu me inclinei e lhes dei de comer.

Olá gente querida de nossas Comunidades da Paróquia Martin Luther de Erval Seco. Hoje queremos chegar até vocês com uma mensagem especial para o Dia das Mães. Trago palavras baseadas numa pregação escrita pela pastora Pamela Milbratz. Ela inicia a sua mensagem compartilhando uma crônica do psicanalista, educador, teólogo, escritor e pastor presbiteriano Rubem Alves. Esta crônica tem como título: Os 33 nomes de Deus.

A crônica trás um profundo sentimento de Rubem Alves quando ele era indagado se acreditava em Deus:

De vez em quando me perguntam se acredito em Deus. Mas é claro. Acredito mais que a maioria das pessoas. Tenho até trinta e três nomes para ele. (...) É só falar o nome, ver na imaginação o que o nome diz, para que todo o nosso ser se encha de uma alegria que só pode ser a manifestação da presença de Deus em nosso viver… Mas é preciso ler bem devagarinho…

1. Mar da manhã.
2. Barulho da fonte nos rochedos sobre as paredes de pedra.
3. Vento do mar de noite, numa ilha…
4. Abelha.
5. Vôo triangular dos cisnes.
6. Cordeirinho recém-nascido…
7. Mugido doce da vaca, mugido selvagem do touro.
8. Mugido paciente do boi.
9. Fogo vermelho no fogão.
10. Capim.
11. Perfume do capim.
12. Passarinho no céu.
13. Terra boa…
14. Garça que esperou toda a noite, meio gelada, e que vai matar sua fome no nascer do sol.
15. Peixinho que agoniza no papo da garça.
16. Mão que entra em contato com as coisas.
17. A pele, toda a superfície do corpo
18. O olhar e tudo o que ele olha.
19. Um sorriso.
20. Um abraço bem apertado.
21. O som de uma viola e de uma flauta indígena.
22. Um gole de uma bebida fria ou quente.
23. Pão.
24. As flores que saem da terra na primavera.
25. Sono na cama.
26. Um cego que canta e uma criança enferma.
27. Cavalo correndo livre.
28. A cadela e os cãezinhos.
29. Sol nascente sobre um lago gelado.
30. O relâmpago silencioso.
31. O trovão que estronda.
32. O silêncio entre dois amigos.
33. A voz que vem do leste entra pela orelha direita e ensina uma canção…

E a crônica termina dizendo: Não é preciso que sejam os seus. Faça a sua própria lista.

Assim a esta lista a pastora Pamela ainda acrescentou:
 Ouvir a sonata Apassionata de Beethoven.
 Sapos coaxando no charco.
 O canto do sabiá.
 Banho de cachoeira.
 A beleza das borboletas
 O sorriso de uma criança.
 O sorriso de uma pessoa idosa
 Balançar num balanço tocando com o pé as folhas da árvore…
 Morder uma jabuticaba…

Quais seriam as nossas alegrias e sentimentos?

Eu ainda acrescentaria:
 - Um abraço gostoso do amor da sua vida, ou de uma pessoa amiga ou da família;
 - A lembrança do tempo de criança, do abraço do pai e da mãe, dos momentos vividos em família;
 - Uma conversa repleta de lembranças de outros tempos;
 - O visitar pessoas amigas que há tempo não vemos e que fazem parte das nossas lembranças de outros tempos;
 - A coberta quentinha em dias de inverno;
 - O lagartear no sol nos dias frios;
 - O bate papo regado a chimarrão, e muita conversa divertida, repleta de gargalhadas;
 - O desfrutar de uma linda paisagem, um por do sol;
 - O conhecer lugares e gente de culturas diferentes;
 - O tempo com as plantas e flores no jardim;
 - O ronronar das minhas queridas gattas...

Sim! Em todas essas coisas e tantas outras podemos perceber a face e a presença de Deus.

Sim, acredito muito em Deus, afirma a pastora Pamela e eu me uno a ela nesta afirmação, nesta confissão de fé.

Vejam! Como não conseguimos ver Deus, precisamos, assim como Rubem Alves, vinculá-lo e perceber a presença Dele em nosso viver a partir de fatos, de coisas e das outras pessoas. Fazemos isso para conseguirmos nos aproximar de Deus e para conseguirmos estabelecer uma relação de intimidade e de confiança com Ele.

Cada pessoa se utiliza de nomes, de gente que faz parte da sua história ou de coisas vísiveis e vividas, coisas do seu dia a dia, para se referir e para se aproximar de Deus; e também para perceber a proximidade Dele conosco.

Sim! Cada pessoa tem uma maneira bem específica de ver Deus e de se relacionar com Ele, fazendo isso a partir das suas experiências, alegrias, tristezas, sonhos e necessidades. E este jeito de falar de Deus também encontramos nas Sagradas Escrituras...

Entretanto, os nomes, as coisas e as pessoas que utilizamos para falar de Deus ou para perceber a presença Dele em nosso viver, não conseguem abarcar a totalidade e a complexidade de Deus. Ele é mais do que o pensar, o agir e o falar humano.

Poderíamos dizer que a possibilidade de criarmos maneiras de falar e de ver Deus tem a ver com a disposição do próprio Deus em sempre de novo se aproximar e de mostrar a sua presença durante toda a nossa história e viver. Afinal, como vimos na leitura do Evangelho, Deus mesmo em Cristo se apresenta como o Caminho, a Verdade e a Vida.

Assim como nós e Rubem Alves, os relatos bíblicos apresentam diversas maneiras de falar e de perceber Deus. No texto bíblico de Lucas 24, que relata sobre o caminho de Emaús, fato ocorrido logo após a ressurreição de Jesus Cristo, e que tivémos como pregação a dois domingos, Deus é visto como aquele, que se faz ser humano, enfrenta a morte, ressuscita, que caminha com os dois discípulos entristecidos pela perda do seu amado mestre e que através do seu falar sobre a sua promessa amorosa da ressurreição consola-os a tal ponto que os seus corações são aquecidos e aconchegados.
Já no relato bíblico do profeta Oséias, o profeta apresenta Deus como uma mãe amorosa, que chama a nação de Israel afastada de Deus pela fé em outros deuses. Deus chama Israel de filho. Deus ensinou-os a andar, tomou-os em seus braços, cuidou e sarou das dores deles com gestos de amor e foi ao encontro deles para alimentá-los e cuidar das suas necessidades.

Penso que no dia de hoje, quando homenageamos as mães, olhar para a maneira que o profeta Oséias fala e nos apresenta Deus é muito especial. Isso porque, quando nascemos a nossa mãe, juntamente com o nosso pai, é a nossa primeira referência e experiência de fé, pois é com ela que estabelecemos as nossas primeiras relações de confiança e afeto. Ou seja, a forma com que nos relacionamos com nossa mãe e também com o nosso pai, e ele e ela conosco, vai nos ajudar, ou não, a estabelecermos a nossa relação com Deus.

É através do carinho, do amor, do cuidado, dos ensinamentos, dos exemplos, da educação, das exigências de nossas mães que perceberemos a presença e o cuidado amoroso de Deus em nosso viver. E nesta relação de amor e família a mãe se torna instrumento da presença amorosa de Deus em nossa vida.
Que Deus nos ajude a perceber a nossa mãe e também o nosso pai como sinais visíveis do amor incondicional de Deus em nossa vida.

Que àquele que é o Caminho, a Verdade e a Vida nos inspire sempre a amar, a cuidar, a respeitar, a perdoar e a valorizar todos os feitos da nossa mãe e do nosso pai em nosso favor.

Que o Deus da Vida encha o nosso coração de gratidão e alegria para que em todos os momentos do nosso viver possamos sempre agradecer pelos maravilhosos presentes que são ou foram a nossa mãe e o nosso pai.

Que Deus que vem a nós como um pai e uma mãe possa sempre ser aquele que conduz o nosso caminhar, que nos mostre e afirme a sua verdade e nos lembre de que Ele é a vida verdadeira. Amém.

Canto: Grandioso és tu – 623 LCI

Oração Geral da Igreja

Deus de amor e bondade, tu que és o caminho, a verdade e a vida. Nós nos achegamos a ti na certeza de que tu ouves a nossa oração.

Nós te agradecemos por todo amor e cuidado que nos tens concedido em todos os tempos e circunstâncias, sobretudo nestes tempos de pandemia.

Agradecemos pelo dia de hoje, pelo amanhecer, por este momento de Culto.

Agradecemos pelas mães que com carinho e muito amor dedicam-se para que seu filho e ou filha vivam em um ambiente de segurança, paz, saúde e justiça.

Nós te agradecemos pela vida de cada pessoa de nossas 13 Comunidades, pelas dádivas concedidas e pelo teu cuidado nestes tempos de pandemia.

Agradecemos pela amizade e pelo carinho que temos vivenciado, mesmo à distância, por conta do isolamento social.

Neste dia dedicado às mães, nós oramos e pedimos por todas as mães, para que possam a cada dia, serem as melhores mães que conseguem ser. E nestes tempos sombrios pedimos que lhes dê sabedoria e paciência para administrar seu tempo e o espaço de sua casa.

Nós também queremos lembrar e colocar em tua presença as mães que não sabem ser mães; que não tiveram tempo para se preparar ou não têm condições de exercer a maternidade dignamente. Dá a elas sabedoria e que possam em Ti encontrar amor e tranquilidade para exercer a maternidade.
Lembramos também em tua presença a todas as mães que neste dia com tristeza e saudade lembram um filho ou uma filha que já partiu desta vida. Dá a elas teu consolo.

Colocamos também em tua presença todas as filhas e todos os filhos que lembram com saudade e tristeza da sua mãe que já partiu desta vida. Dá-lhes teu aconchego.

Lembramos de todas as pessoas que sofrem, que estão enfermas, que enfrentam a doença da depressão, que estão sozinhas ou abandonadas. Olha com carinho por essas pessoas. Com a impossibilidade de sair e interagir com outras pessoas sua situação ficou mais grave. Dá-lhes esperança e um olhar esperançoso pela vida que recebemos de tuas mãos.

Lembramos de todas as famílias enlutadas. São muitas, Deus. Além do ciclo natural da vida, este novo coronavírus tem ceifado muitas vidas... Volta teu rosto para nós. Tem compaixão. Há cheiro de morte no ar. Há muito medo e uma dor tremenda em muitos corações. Acolhe estas famílias em teus braços. Não permita que entrem em desespero e percam a fé. Dá-lhes paz, consolo e esperança.

Assim Deus, o Caminho, a Verdade e a Vida, aos teus cuidados nós entregamos nossa vida, confiantes que tu ouves nossa oração e cuida de nossos dias.
E na esperança e fé por tempos novos e melhores, oramos como Jesus, teu Filho e nosso Irmão, nos ensinou:

Pai Nosso

Bênção

Que a bênção de Deus, que nos ama como uma mãe e um pai;
Do seu Filho Jesus, que teve a companhia de sua mãe em todos os momentos marcantes de sua missão;
E a força do Espírito Santo que dá coragem, força e fé, esteja com cada um e cada uma de vocês. Amém.

Envio:
Sigamos junto àquele que é o Caminho, a Verdade e a Vida. Abençoado Dia das Mães!

Sino
 

MÍDIATECA

AÇÃO CONJUNTA
+
tema
vai_vem
pami
fe pecc

Jamais alguém pode louvar a Deus sem que antes o ame. Da mesma forma, ninguém pode amar Deus se não conhece Deus do modo mais amável e perfeito.
Martim Lutero
REDE DE RECURSOS
+
Ninguém pode louvar a Deus a não ser que o ame.
Martim Lutero
© Copyright 2020 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br