Espiritualidade Evangélica Luterana


ID: 2686

Oração em Tempos de Pandemia - Sínodo Sudeste

Em tempos de Coronavírus

19/01/2022

Saúde Mental - Provérbios 4.23 - P. Tiago Sacht Ushino Jaske - 20 de janeiro de 2022
 

Janeiro é um mês especial para muitas pessoas! Tempo de descanso, de ir à praia, de encontrar a família, e assim “recarregar as energias”. É importante parar! É importante descansar! É importante cuidar de si mesmo! Por isso também neste mês temos a Campanha “Janeiro Branco”, é o mês do cuidado com a saúde mental: O MUNDO PEDE SAÚDE MENTAL!

A Palavra de Deus nos ajuda muito nesta questão: Um pai sábio aconselha seu filho em Provérbios 4.23 “De tudo o que se deve guardar, guarde bem o seu coração, porque dele procedem as fontes de vida.” O coração na cultura hebraica era o centro da vida, dos sentimentos, emoções e pensamentos. Ele deve ser bem guardado, bem cuidado! Esse cuidado é dado em primeiro lugar pelo próprio Deus, por isso, para uma boa saúde mental, precisamos orar com o Salmista “Cria em mim, ó Deus, um coração puro e renova dentro de mim um espírito inabalável”. Peça, ore diariamente, e gostaria de incentivar especialmente a uma oração de qualidade: tenha pelo menos 10min do dia, longe da agitação do dia-a-dia, e fale com Deus, com suas palavras, tudo que te preocupa, bem como os motivos de gratidão! Do coração vem a fonte de vida, do coração também brota o mal, o pecado, como Jesus disse (Mateus 15.19). Por isso, confessar os pecados, admitir os erros, confiante que Deus te perdoa, por causa do que Jesus fez na cruz, é um bom remédio para o coração, para a saúde mental. E, sempre que puder, abra o coração para alguém, especialmente alguém que possa te consolar, corrigir ou ajudar por meio da Palavra de Deus: conte com o ministro ou ministra de sua Paróquia.

Vamos exercitar agora a oração? Se puder, feche os olhos:

Senhor, muito obrigado, de coração, por teu grande amor, incondicional, incomparável e tão abundante. O mundo precisa pede saúde mental! Tantas pessoas ansiosas, entristecidas, desesperadas! Elas precisam de teu amor! Nós também precisamos dele a cada dia. Dá-nos este amor, para que nosso coração seja uma verdadeira fonte de vida, não só para nós mesmos, mas que transborde em direção às pessoas que estão perto de nós. Em nome de Jesus, Amém!


Orar pelos testemunhos da comunidade - 1 Tessalonicenses 1.3 - P. Marcos Jair Ebeling - 13 de janeiro de 2021
 

Irmão e irmã, a paz de Jesus Cristo.

Você e eu oramos a Deus todos os dias. Quero refletir com você sobre o conteúdo da oração que fazemos. Normalmente apresentamos agradecimentos e pedidos. Agradecemos pelo que alegrou o coração e pedimos por aquilo que angustia.

É justo e necessário colocar assim a vida diante de Deus.

Na primeira carta aos tessalonicenses, capítulo 1, versículos 3, o apóstolo Paulo fala da oração que faz em favor da comunidade: “Lembramos continuamente, diante de nosso Deus e Pai, o que vocês têm demonstrado: o trabalho que resulta da fé, o esforço motivado pelo amor e a perseverança proveniente da esperança em nosso Senhor Jesus Cristo.” (1 Tessalonicenses 1.3)

Além dos pedidos pessoais, Paulo ora pelo testemunho da coletividade, pelo testemunho da comunidade. Ele ora pelo trabalho que é fruto da fé, pelo esforço que as pessoas fazem quando são motivadas pelo amor e pela perseverança que tem sua origem na esperança em Jesus Cristo.

Todos precisamos trabalhar. Mas nem todo trabalho é resultado da fé, do amor e da esperança em Cristo. É uma clara diferenciação em relação a trabalhos que visam ganhar dinheiro ou projeção social.

O pastor e professor Vitor Westhelle nos ajuda a definir a diferença na motivação entre um trabalho e outro. Ele cita como referência a ação das mulheres em Lucas 24 quando, no domingo da Páscoa bem cedo, vão ao túmulo de Jesus com perfumes para cuidar do corpo.

Qual a motivação delas para cuidar de um corpo já morto e sepultado? Sua resposta é: tão somente a gratidão por tudo que experimentaram na vida ao lado de Jesus pois um corpo desfalecido não pode mais oferecer retorno nenhum. E mais: por agirem motivadas pela gratidão tornam-se as primeiras testemunhas da ressurreição.

Certamente Paulo ora por este trabalho também.

Pare e reflita por um minuto: quais testemunhos sua comunidade rende que são movidos pela gratidão e não geram retorno nenhum?

No sábado participei de um jantar comunitário. A generosidade das pessoas fez sobrar muitos alimentos. Então alguém perguntou: o que vamos fazer com as sobras? Alguém sugeriu que cada família

levasse um pouco; outra pessoa sugeriu guardar o que fosse possível para o próximo evento; uma terceira disse: vamos fazer marmitas e doar para quem precisa. Assim foi feito. Fiz parte da equipe que foi entregar os alimentos. O que recebemos em troca foi um “muito obrigado”, um “ora pra nós” e um pedido de ajuda para sair do mundo das drogas.

Paulo certamente olaria por está ação resultado da fé.

Oremos:

Amado Deus. Agradecemos por fazeres nascer e crescer no coração de teus filhos gestos de amor desmedido.

Obrigado por cada grupo de visitação que existe em nossas comunidades.

Obrigado por cada grupo de diaconia e pelas pessoas que fazem doações.

Obrigado por cada grupo de OASE, casais, jovens, crianças que desenvolve sua tarefa cristã com amor e gratidão.

Obrigado por cada liderança perseverante que permanece fiel mesmo sendo o grupo pequeno e por vezes desanimado.

Obrigado por cada testemunho solidário que irrompe para dentro da sociedade e transforma a vida das pessoas neste tempo de chuvas intensas.

Obrigado, Senhor, por nos dares ainda hoje pessoas que rendem testemunhos movidas pela gratidão a exemplo das mulheres que foram ao túmulo de Jesus. São as pessoas hoje vão à casa do vizinho, ao hospital, encontram as depressivas, enlutadas, desanimadas e carregam um alimento, um remédio ou uma palavra de ânimo.

Por Jesus Cristo, amém.

Deus seja com vocês no novo ano.


O Senhor nos guarda - Salmo 121 - P. Luís Carlos Oliveira - 11 de janeiro de 2021
 

Bom dia! Paz e bem a você, nesta manhã.

Este é mais um dia que o Senhor fez, nos diz a sua palavra, e queremos viver este dia como presente do Senhor para cada uma e cada um de nós.

Desta forma, nada melhor como iniciarmos nossa caminhada com a Palavra do Senhor. Convido você para um breve momento de reflexão e de oração.

Vamos meditar nas palavras do Salmo 121 como nossa motivação para este dia. Leio aqui:

“Elevo os meus olhos para os montes; de onde me vem o socorro? O meu socorro vem do Senhor, que fez os céus e a terra. Não deixará vacilar o teu pé; aquele que te guarda não dormitará. Eis que não dormitará nem dormirá aquele que guarda a Israel. O Senhor é quem te guarda; o Senhor é a tua sombra à tua mão direita. De dia o sol não te ferirá, nem a lua de noite. O Senhor te guardará de todo o mal; ele guardará a tua vida. O Senhor guardará a tua saída e a tua entrada, desde agora e para sempre.”

O Senhor é conosco em cada momento. Podemos contar com isso sempre. Nossa confiança está firmada na certeza da presença do Senhor. Como diz o apóstolo Paulo: Ele é por nós! Quem será contra nós e poderá suplantar a Deus? Para este novo dia tenhamos a mesma firmeza de fé em nossas atividades. Guardemos firmes, a esperança que nos anima, e andemos em novidade de vida a cada momento.

Você ora comigo?

Bondoso Deus! Tua graça está sobre nós e nela nos firmamos e dela tudo aguardamos. Sabemos que conheces tudo o que vivemos e somos. Colocamos nossa vida em tuas mãos em mais este dia. Como diz o salmista, socorre-nos também neste dia e nos ajuda a viver conforme tua vontade para também vivermos na tua alegria. Fica conosco pois tua presença aquece nosso coração. Por Jesus Cristo, teu filho amado. Amém.

Desejo que você tenha mais um dia sob a mão do Senhor e viva em sua paz e sua graça hoje e sempre.

Um bom dia a você! Deus guarde sua vida. 


Quem ama, acolhe! - Mateus 19.14; Marcos 2.16; João 8.1-10; Mateus 8.16 - P. Gerson Acker - 06 de janeiro de 2022
 

Saudação: Olá meu irmão! Olá minha irmã! Que a graça e a paz de Jesus Cristo esteja contigo. Amém!

Reflexão: Amar a Deus e as Pessoas - Esse é o tema do ano da Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil. E o que significa amar a Deus e amar as pessoas? Vamos buscar subsídios no lema bíblico que é de primeira João, capítulo três, versículo dezoito, que nos diz: “Não amemos de palavra, nem da boca para fora, mas de fato e de verdade”.

O que significa amar de fato e de verdade? Como subsidio nós desdobramos o tema em cinco verbos do imperativo. Vamos dar um exemplo bem concreto do que é amar de fato e de verdade, os cinco verbos do imperativo são: Acolha, Sirva, Ensine, Pacifique e Dialogue.

Quando a gente pensa em acolhimento, é impossível não pensar na ação do próprio Jesus Cristo. Jesus Cristo, ele acolheu as crianças dizendo deixai vir a mim os pequeninos, quando os adultos queriam afastar as crianças da presença do mestre. Jesus acolhia as pessoas ao redor da mesa. Jesus comeu com pecadoras, com prostitutas, com pessoas consideradas naquele tempo de “má fama”. Jesus, ele também acolhe aquela mulher pega em adultério e evita que ela seja morta apedrejada. Jesus também acolhia pessoas doentes, tocando neles, curando elas. Resgatando a dignidade de vida dessas pessoas enquanto a sociedade imputava sobre elas cargas pesadíssimas, como, vocês são impuros ou, você esta doente ou vocês está cego porque você é um pecador, por que Deus está te castigando.

Jesus olhava a miséria humana e acolhia. Acolhia sem ressalvas, mostrando o quanto Deus é gracioso. Quando a gente fala de amar de verdade, a gente precisa entender, olhando o exemplo de Jesus Cristo, de que uma pessoa que se diz Cristã e uma pessoa que verdadeiramente ama, ela acolhe. Ela acolhe as outras pessoas. Assim como Deus nos acolhe, nós também podemos acolher e assim concretizar o amor. Pense com carinho nisso!

Oração: Ora comigo? Querido Deus obrigado por nos dar acolhimento. Nos ajuda a acolher também as outras pessoas. Agradecemos, ó Deus, por tantas pessoas que já nos acolheram e nos foram abrigo. Obrigado, porque assim também experimentamos o teu amor. Por Cristo Jesus. Amém!

Benção: Que Deus mantenha a tua cabeça fria, o coração quente, as mãos abertas e os pés sem pressa e sem preguiça. Que assim te abençoe o Deus que é Pai, Mãe, Filho e Santo Espírito. Amém!


Votos de ano novo - Romanos 8.28 - P. Gerson Acker - 04 de dezembro de 2021
 

Saudação: Olá meu irmão! Olá minha irmã! Que a graça e a paz de Jesus Cristo esteja contigo. Amém!

Reflexão: Na primeira semana de 2022 a gente já começa a colocar em cheque grande parte das promessas que a gente fez na virada de ano. Quanta gente que prometeu fazer dieta, já deixou para a próxima segunda feira. Quanta gente que desejou paz, já está atritando geral com todo mundo.

Meu querido irmão, minha querida irmã, a gente precisa, verdadeiramente, ter um ano melhor, os esmerarmos nas nossas atitudes, nas nossas ações, na maneira como que a gente lida com as pessoas. A palavra bíblica para nos orientarmos vem de Romanos, capítulo oito, versículo vinte e oito que nos diz assim: “Pois sabemos que todas as coisas trabalham juntas para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles a que ele chamou de acordo com o seu plano”.
Às vezes a gente fica reclamando que as coisas não dão certo né? Que a minha vida não engrena. Por que eu não consigo o trabalho que eu quero. E a gente fica se lamuriando e carregando essa ideia, esse pessimismo pro ano inteiro. Talvez a grande pergunta seja: será que eu tenho pegado as rédeas da minha vida para valer? Eu tenho me dado conta de que todas as minhas opções, as minhas ações e talvez as minhas omissões, me levam a ter o resultado que eu tenho. A gente precisa levar a vida com mais seriedade sabendo que ela é muito preciosa. O novo ano que Deus está nos dando é muito precioso.

Para terminar, essa meditação, eu quero partilhar de um trecho de um poema de Cora Coralina, ela diz assim: “Tenho consciência de ser autêntica e procuro superar todos os dias a minha própria personalidade. Despedaçando dentro de mim tudo que é velho e morto. Pois lutar é palavra vibrante que levanta os fracos e determina os fortes. O importante é semear, é produzir milhões de sorrisos de solidariedade e de amizade. Procuro semear o otimismo e plantar sementes de paz e de justiça. Digo o que penso com esperança. Penso no que faço com fé. Faço o que devo fazer com amor. Eu me esforço para ser cada dia melhor. Pois bondade também se aprende”.

Eu desejo meu irmão, minha irmã que a gente se esmere, por ser a nossa melhor versão. Seguindo o exemplo de Jesus Cristo neste ano que só está começando.

Oração: Ora comigo? Amado Deus, guia os nossos passos nesse ano que recém iniciou, dá-nos a tua companhia e nos ajuda a tomar as rédeas da nossa vida, e a sermos consequentes com todas as nossas atitudes. Dá-nos sabedoria e sobriedade. Por Cristo Jesus. Amém!

Benção: Que Deus mantenha a tua cabeça fria, o coração quente, as mãos abertas e os pés sem pressa e sem preguiça. Que assim te abençoe o Deus que é Pai, Mãe, Filho e Santo Espírito. Amém!


Gratidão pelas orações diárias e esperanças para o novo ano - Salmo 106.1-2 - P. Marcos Jair Ebeling - 31 de dezembro de 2021
 

Irmão e irmã, a paz de Jesus Cristo.

O salmo 106, versículos 1 e 2 dizem: Louvai ao Senhor. Louvai ao Senhor, porque ele é bom, porque a sua misericórdia dura para sempre. Quem pode contar as obras poderosas do Senhor? Quem anunciará os seus louvores?

Hoje é dia trinta e um de dezembro. Último dia do ano. Um dia no qual devemos muito agradecer a Deus por todos os cuidados recebidos ao longo deste ano. Foi um ano de pandemia, um ano no qual a maioria do povo brasileiro foi vacinado e o número de mortes por coronavírus caiu drasticamente no segundo semestre.. Também as atividades presenciais puderam ser retomadas em nossas comunidades com mais segurança. Deus nos cuidou. Louvado seja Deus por cada cuidado recebido.

Mas foi também um ano difícil. Antes da vacina muitas pessoas morreram precocemente, o desemprego e a fome aumentaram, a crise social, política e também a de fé rondam nossas vidas. Oro para que Deus não permita levarmos para dois mil e vinte e dois os mesmos problemas que enfrentamos em dois mil e vinte e um. Mais do que promessa de fim de ano, oro para que Deus nos conceda essa graça.

Para o novo ano tenho ainda uma outra notícia. Hoje encerramos um projeto chamado Orações Diárias no Sínodo Sudeste. Na medida em que as atividades presenciais retornam, naturalmente, a ênfase do testemunho precisa estar ali. Cabe a mim, então, externar a palavra de louvor e gratidão.

Agradeço aos ministros e ministras do Sínodo Sudeste que, desde março de dois mil e vinte e um elaboram mensagens e orações bíblicas, de fé e de esperança para o nosso dia. Foi um grande mutirão. Um mutirão da fé, da esperança e da vida orientado pela palavra bíblica.

Agradeço também a você que diariamente orou e meditou conosco. Você deu-nos sua mão e caminhou junto. Você orou por nós. Hoje agradecemos está sua parceria. Muito obrigado.

Nestes quase Dois anos foram elaborados cerca de 650 vídeos. Se por um lado o número de vídeos pode ser contado, é impossível mensurar os benefícios da palavra proclamada. Quem pode somar o consolo, a fé fortalecida e a esperança renovada? O divino na travessia da pandemia mostrou-se em uma experiência do cuidado recebido. Você e eu sabemos e sentimos o poder destas mensagens e orações em nossas vidas.

Em dois mil e vinte e dois a dinâmica será um pouco diferente. Nos meses de janeiro e fevereiro você receberá duas orações por semana, sempre na terça e na quinta feira. A partir do mês de março está pensado um grande mutirão nacional de orações. Onze Sínodos planejam esta atividade conjuntamente. Ore para que o projeto seja abençoado por Deus e se concretize.

Oremos: Senhor amado. Invocamos teu nome em tom de lamento pois muitas vezes nos perguntamos os porquês de uma pandemia e a morte precoce de muitas pessoas.
Ao mesmo tempo, Senhor, invocamos teu nome em gratidão por teres despertado pessoas e nos guiado ao longo de quase dois anos com orações e mensagens mantendo acesa a chama da fé, da esperança, do cuidado, da comunhão e da solidariedade. Obrigado, Senhor, por este mutirão de fé e vida e por cada ministro e ministra que dele participou. Entre nós anunciaste maravilhas.

Abençoa o novo ano, Senhor. Especialmente, que não levemos para os novos dias erros e pecados deste ano. Abençoa a continuidade deste espaço de oração e meditação na transição e o grande mutirão nacional a partir do mês de março. Por Jesus Cristo, amém.

Abençoado dia e abençoado ingresso no novo.


Fim de ano e “treta” de família - Efésios 4.32 - P. Gerson Acker - 30 de dezembro de 2021
 

Saudação: Olá meu irmão. Olá minha irmã. Que a graça e a paz de Jesus Cristo esteja contigo. Amém!

Reflexão: Estamos na última semana de 2021. A gente já reuniu a nossa família no natal. Muita gente está com visita em casa e já está pensando nas festividades da virada de ano. E quando a gente junta a família, ah..., sempre dá problema. Posso estar exagerando. Brincadeiras à parte, é muito bom reunir a família. Mas, geralmente a gente acaba atritando ou criando algum desentendimento, por que as são pessoas são diferentes, por que os jovens pensam de um jeito, os mais idosos, às vezes, são mais conservadores. Esse choque intergeracional, acaba acontecendo dentro das nossas casas nesse tempo e aí dá “treta”...

Para isso, importante lembrar-se da palavra de Efésios 4.32, que tem um bom conselho para esse período: “Sejam bons e atenciosos uns para com os outros e, perdoem uns aos outros, assim como Deus por meio de Cristo perdoou vocês”.

Ser bom e atencioso, talvez, seja uma primeira ferramenta para fazer com que essa união da família realmente aconteça. O que me faz lembrar um trecho do livro “O arroz de palma” do Francisco Azevedo e, ele diz o seguinte:

“Família é prato difícil de preparar, são muitos ingredientes.
Reunir todos é um problema, não é para qualquer um.
Os truques, os segredos, o imprevisível.
Às vezes, dá vontade até de desistir.
Família é um prato que emociona, e a gente chora mesmo. De alegria, de raiva, de tristeza.
O pior é que, ainda tem gente que acredita na receita da família perfeita.
Bobagem! Tudo ilusão!
Família é afinidade, é a moda da casa.
E cada casa gosta de preparar a família a seu jeito.
Há famílias doces, outras meio amargas, outras apimentadíssimas.
Enfim, a receita de família não se copia, se inventa.
A gente vai aprendendo aos poucos, improvisando e transmitindo o que sabe no dia a dia.
Muita coisa se perde na lembrança.
Aproveite ao máximo.
Família é prato que quando se acaba, nunca mais se repete.”

Pense com carinho, cuide bem da sua família!

Oração: Ora comigo? Querido e bondoso Deus, cuida das nossas famílias. Reconhecemos que elas não são perfeitas, mas, são nossa essência, são nossa vida. São as pessoas que mais convivemos. São famílias de laços de sangue e, às vezes, famílias de laços de amizade. Abençoe querido Deus, todas as famílias e de para todos os lares, um abençoado ano de 2022. Por Cristo Jesus. Amém!

Benção: Que Deus mantenha a tua cabeça fria, o coração quente, as mãos abertas e os pés sem pressa e sem preguiça. Que assim te abençoe o Deus que é Pai, Mãe, Filho e Santo Espírito. Amém!


Sejamos Luz - Mateus 5.14-16 - PPHMista Jéssica Lais Kriese Duffeck - 29 de dezembro de 2021
 

— Vocês são a luz para o mundo. Não se pode esconder uma cidade construída sobre um monte. Ninguém acende uma lamparina para colocá-la debaixo de um cesto. Pelo contrário, ela é colocada no lugar próprio para que ilumine todos os que estão na casa. Assim também a luz de vocês deve brilhar para que os outros vejam as coisas boas que vocês fazem e louvem o Pai de vocês, que está no céu. (Mateus 5.14-16)

Estamos iniciando mais um ano. Quantos planos, promessas, desejos temos para este ano? Quantas pessoas queremos rever, visitar, aproveitar ao máximo? O texto bíblico nos lembra que somos luz para o mundo e que devemos brilhar para iluminar outras pessoas.

Dessa forma, tenho um item para acrescentar a sua lista de afazeres do ano: ser LUZ. Não quero com isso que essa seja uma tarefa pesada ou árdua, daquelas que chegamos no final de mais um ano sem realizar, mas quero que seja algo que se torne rotina, que faça parte do seu dia-a-dia.

Não vou mentir, não é fácil ser luz. É preciso ter a coragem de Jesus. O mundo gosta de ficar no escuro, porque aí sua maldade não aparece. Tem gente que gosta de viver na mentira e da mentira. Aí a verdade não aparece, a injustiça permanece, o ódio aumenta. Onde brilha a luz, porém, há paz, amor, justiça, verdade.

Como cristãos ou cristãs carregamos essa missão de ser LUZ, uma luz que não brilha para si mesmo, uma luz que não ofusca as outras pessoas, mas uma Luz que ajuda, que edifica, que renova, que dá coragem e esperança em meio as dificuldades.

Que neste novo ano a luz de Cristo brilhe em nós, que nos deixemos ser luz. Cada um de nós conhece essa luz; cada um de nós que recebeu no seu Batismo o convite de Jesus — Vem e segue-me — está convidado a juntar sua luz à luz de outros cristãos, de outras cristãs, para dar testemunho da fé que foi fortalecida em vocês. Assim, a luz de Jesus há de brilhar.

Somos convidados e convidadas a colocar os nossos dons a serviço, á disposição, somos convidados e convidadas a não esconder essa luz que recebemos de Deus. Devemos deixá-la brilhar para iluminar as outras pessoas e para transformar o ambiente em nosso redor. Assim quero convidar você a ter um momento de oração:

Oração: Querido e amado Deus, tantas vezes escondemos a nossa luz, a ofuscamos, tantas vezes fazemos isso com as pessoas ao nosso redor. Nos ajude a ser Luz que brilha e que ilumina e que aprendamos a deixar que as outras pessoas também sejam luz. Que assim juntos e juntas possamos iluminar caminhos e aquecer corações. Amém.

Que Deus continue sendo a luz de vocês, e que vocês levem essa luz adiante, para outras pessoas. Que Deus nos ajude a SERMOS LUZ PARA O MUNDO. Amém.


Deus ouve as nossas orações - Romanos 8.26b - PPHMista Evair Tonn - 28 de dezembro de 2021
 

Porque não sabemos orar como convém, mas o próprio Espírito intercede por nós com gemidos inexprimíveis. (Romanos 8.26b)

Como é bom saber que Deus ouve as nossas orações, mesmo quando não conseguimos expressar verbalmente aquilo que desejamos falar com ele. Mesmo assim, ele nos ouve!

Quando oramos criamos um relacionamento mais intimo com o Senhor, podemos falar abertamente tudo aquilo que pesa dentro do nosso coração, falar de nossas alegrias, interceder pelas pessoas em nossa volta, podemos abrir nosso coração com o nosso bom Deus.

Sem dúvida a oração é um maravilhoso presente que Deus nos dá. No entanto, não é a oração que nos ajuda e sim Deus! Pois quando precisamos da ajuda de alguém não é o meio pelo qual nos comunicamos que vai nos auxiliar, mas a pessoa com a qual procuramos ajuda. Da mesma forma é com a oração, ela é a ferramenta que Deus nos deu para nos comunicarmos com ele. Quem nos ajuda sempre é o Senhor.

Oração

Senhor Deus, o seu agir é muito maior que podemos entender, tua obra com o ser humano é maravilhosa. Obrigado por nos resgatar do pecado e da perdição. Somos imensamente gratos porque em ti encontramos um verdadeiro amigo, um amigo para todas as horas, com o qual podemos contar e caminhar em todos os momentos. Pedimos, enche o nosso coração com a tua presença, para que possamos te servir todos os dias, testemunhando e ensinando o teu evangelho. Amém! 


Relembrar o que Deus fez por nós - Salmo 77.11-12 - P. Jonathan Klebber - 27 de dezembro de 2021
 

Meus amados irmãos e amadas irmãs! Que a graça e a paz de Cristo estejam conosco! Amém.

Estamos na última semana do ano. Um momento especial que nos convida a olhar para o que passou!

Os canais de televisão preparam programas especiais que fazem a retrospectiva do ano que está chegando ao fim e nos auxiliam a recordar de momentos que lembrávamos e outros que havíamos esquecido.

Como seria bom se fizéssemos uma retrospectiva de nossas vidas! Relembrar as alegrias e tristezas que vivemos. Relembrar aquilo que aprendemos.

Relembrar nossos erros e refletir sobre o que podemos mudar daqui para frente. Relembrar o que Deus fez por nós.

A palavra de Deus nos ensina a olhar para trás e lembrar aquilo que Deus fez por nós. O salmista diz no Salmo 77.11-12: Recordarei os feitos do Senhor; certamente me lembrarei das tuas maravilhas da antiguidade. Meditarei em todas as tuas obras e pensarei em todos os teus feitos poderosos.

Quando relembramos o que Deus fez, enxergamos que Ele sempre estava conosco. Vemos que Deus nos ama e que caminha ao nosso lado conduzindo nossos passos como um bom pastor nos momentos de alegria e de dor.

Relembrar aquilo que Deus fez por nos impacta nossas vidas!

Relembrar gera gratidão porque ficamos surpresos ao ver o quando Deus já fez e quantas razões temos para louvá-lo.

Relembrar fortalece a esperança porque ao ver o agir de Deus no passado, sabemos que Ele continua conduzindo nossos passos hoje, e conduzirá no futuro também.

Meu amado irmão! Minha amada irmã! Olhe para o passado! Recorde e medite a respeito de tudo aquilo que Deus tem feito por ti, por tua família e pelas pessoas que você ama.

Que possamos fazer isto não apenas ao findar deste ano de 2021, mas a cada novo dia!

Oração: Deus de amor! Ensina-nos a olhar para o que passou e ajuda-nos a relembrar o teu agir, teu amor e tua presença em cada instante de nossas vidas. Que o teu agir amoroso gere gratidão, restaure nossa esperança e nos dê coragem a cada novo dia. Amem!

Benção: Que Deus te abençoe e te guarde hoje e sempre!


A véspera, o esperar e a nossa humildade: mensagem de Natal 2021 - Lucas 2.1-7 - P. Éder Beling - 24 de dezembro de 2021
 

Hoje acordamos com a sensação de que aquele dia que tanto havíamos esperado e nos preparado já chegou! É dia de finalizar os últimos preparativos para o momento de reunião em família! Há também aqueles que optam por uma árvore de Natal natural que aproveitam esse dia para montá-la!

Hoje é o dia do Senhor! Dia de lembrar seu humilde nascimento. Dia de invertermos as prioridades em nossas vidas. Assim, como foi o nascimento de Jesus. Em seu nascimento, humilde e simples, descobrimos que precisamos de poucas coisas para nos fazerem realmente felizes. Como a primeira cama de Jesus que foi uma manjedoura, ou se olharmos lá na fazendo e no campo, um cocho no qual é depositada o alimento dos animais. Vejam que inversão!

O Rei que não nasce em palácio e nem tem as melhores roupas e comidas em seu nascimento.
Sempre me chama a atenção que Jesus nasce de forma humilde e simples e que as primeiras testemunhas do Salvador da humanidade são os animais. É claro que sua mãe e seu pai estavam lá, Maria e José, passando por uma situação de grande atenção, mas as primeiras criaturas que veem tal momento são os animais.

Irmão e irmãs, não falo nada de que nós não tenhamos ouvido em nossas vidas em algum momento, visto em algum filme, pintado em um desenho, visto numa pintura num museu ou em algum outro contexto. E sempre de novo somos chamados e chamadasa ouvirmos sobre o verdadeiro significado do Natal, somos chamados e chamadas a vivermos o verdadeiro nascimento de Jesus. Somos chamados e chamadas a darmos testemunho do que realmente é o Natal.

Ano, após anos, certamente temos feito o esforço de compreender, tentar entender o que isso realmente significa. Que este ano não fiquemos nos questionando, nem tentando entender o que tudo isso significa. Que vivenciemos o Natal e o nascimento de Jesus estando em conjunto com as pessoas que amamos. Que lá, ocorra o nascimento de Jesus, que nos ensina a sermos humildes e simples em nossa vida. Humildade e reciprocidade caminham em conjunto com as testemunhas do nascimento de Jesus.

Oremos: Ó Deus de infinita bondade, que assumindo nossa carne no seio de Maria, conhecestes e compreendestes a fraqueza humana... Ó Rei da paz, ó Luz nas trevas, ó Imagem, a nova humanidade, faze de nós, por tua misericórdia, uma só família; transforma a nossa vida para reconhecer-Te em cada pessoa; ilumina nossos passos para trilhar os caminhos da Paz e da verdadeira fraternidade. Tu que sois um com o Pai, no Espírito Santo. Amém.

Benção: Que o amor de Deus, Salvador de todos os povos, se faça de novo presente como uma criança em cada pessoa.
Que o nosso mundo seja transformado em Seu Reino pela ação do Seu Espírito de amor.
E que a nossa vida seja pela de alegria porque, uma criança nos foi dada!
“O mundo tornou a começar”. Amém.

Abençoada véspera de Natal e celebração do Nascimento de Jesus.

Referências:

RODRIGUES, Paulo Roberto. Deus de infinita bondade. In: ALVES, Rubem (Org.). CultoArte: celebrando a vida – Advento/Natal/Epifania. Petrópolis: Vozes; São Paulo: CEBEP, 1999. p. 42.
RODRIGUES, Paulo Roberto; RAMOS, Luiz Carlos. IluminaçõesAnunciamCaminho. In: ALVES, Rubem (Org.). CultoArte: celebrando a vida – Advento/Natal/Epifania. Petrópolis: Vozes; São Paulo: CEBEP, 1999. p. 48.


Oração do dia - P. Luís Carlos Oliveira - 23 de dezembro de 2021
 

Bom dia a todas e todos! Paz e bem a vocês.

Para esta manhã quero convidar para uma breve reflexão, e depois uma oração para iniciar o dia. A reflexão é sobre o texto de Colossenses 3. 12 a 17. É uma exortação de Paulo aos colossenses com o intuito de ajuda-los a viver da melhor maneira a fraternidade e a comunhão comunitária e com as pessoas do dia a dia. Ela serve para nos também!

O texto diz:

Revesti-vos, pois, como eleitos de Deus, santos e amados, de ternos afetos de misericórdia, de bondade, de humildade, de mansidão, de longanimidade. Suportai-vos uns aos outros, perdoai-vos mutuamente, caso alguém tenha motivo de queixa contra outrem. Assim como o Senhor vos perdoou, assim também perdoai vós; acima de tudo isto, porém, esteja o amor, que é o vínculo da perfeição. Seja a paz de Cristo o árbitro em vosso coração, à qual, também, fostes chamados em um só corpo; e sede agradecidos. Habite, ricamente, em vós a palavra de Cristo; instruí-vos e aconselhai-vos mutuamente em toda a sabedoria, louvando a Deus, com salmos, e hinos, e cânticos espirituais, com gratidão, em vosso coração. E tudo o que fizerdes, seja em palavra, seja em ação, fazei-o em nome do Senhor Jesus, dando por ele graças a Deus Pai.

Ao mesmo tempo, é uma exortação simples de ser entendida e buscada, mas que exige muita dedicação de nossa parte. Podemos, e devemos, viver bem nosso dia a dia, sempre com o intuito de fazer a vontade de Cristo Jesus, nosso Senhor e Salvador, que é a fraternidade e o cuidado mútuo. Tomemos esta exortação como propósito para nosso dia. O Senhor se alegrará e quem receber nosso cuidado se alegrará mais ainda.

Oramos: Amado Deus, ajuda-nos a viver segundo o teu querer e segundo tua palavra que é vida e bênção. Queremos viver em paz e em solidariedade com as pessoas que nos cercam. Ali onde estiver ao nosso alcance, nos ajuda a sermos agentes de teu amor e teu cuidado pelo ser humano. Entregamos este dia em tuas mãos e pedimos que nos conduza também nele. Tens acompanhado nosso vida ao longo de tantos anos. Continua, Senhor, para que sejamos teus instrumentos de vida verdadeira. Em nome de Cristo Jesus, amém.

Tenham todas e todos um ótimo e dia e o Senhor acompanhe vocês em tudo o que fizerem. Fiquem com Deus. 


Esperança no novo céu e nova terra - Isaías 65.17 - P. Fabrício Wagner - 22 de dezembro de 2021
 

Bom dia! Que o Deus trino de amor seja com todos e todas nós neste dia.

Sou Fabricio Wagner, Pastor na Paróquia Evangélica de Confissão Luterana em Cosmópolis.

Neste dia, quero compartilhar com vocês do profeta Isaías. No capítulo 65, versículo 17 diz: “Eu estou criando um novo céu e uma terra; o passado será esquecido, e ninguém lembrará mais dele”. Isaías relata um novo céu, uma nova terra: o caráter escatológico do texto encaminha a reflexão para além dos tempos, apontando para a esperança de um “novo céu e nova terra” ou seja, tudo novo, tudo diferente, uma nova realidade recriada por Deus. Um novo céu e uma nova terra onde o passado será esquecido, ninguém mais se lembrará dele!

Queridos e queridas, como seria bom se pudéssemos experimentar dessa nova realidade neste novo ano, esquecer o ano que está findando, ano marcado e lembrado ainda por dores, sofrimentos e incertezas. Mas esse novo céu e nova terra, essa nova realidade do Reino de Deus ainda não está completamente entre nós, apesar de já percebermos sinas deste Reino. Em alguns dias vamos celebrar e rememorar o nascimento de Jesus, o menino que nasceu para nos reaproximar de Deus. Este que está preparando nosso lugar neste novo céu, nova terra, nova realidade. Quero te motivar a continuar confiante, receba da graça de Deus e peça para que Ele aumente sua fé. Façamos das lembranças deste ano força para iniciarmos 2022 cheios e cheias de fé, esperança e amor.

Te convido a orar comigo: Ó Deus, Tu que sabes de todas as coisas, nos concede fé para superarmos este ano e iniciarmos 2022 cheios e cheias de fé. Nós concede sabedoria para vivermos uma vida de comunhão contigo, assim como com as pessoas à nossa volta. Abençoe e guarde o nosso dia, nossa vida, Amém. 


Feliz Aniversário! - Isaías 9.6 - P. Francisco Santos - 21 de dezembro de 2021
 

Olá, pessoal. Paz e bem! Hoje estou fazendo 50 anos, na próxima sexta-feira, Jesus está também fazendo aniversário. Em Isaías 9.6, o profeta diz assim: “Pois já nasceu uma criança, Deus nos mandou um menino que será o nosso rei. Ele será chamado de Conselheiro maravilhoso, Deus poderoso, Pai eterno, Príncipe da Paz.”

E o poeta, Fernando Pessoa escreveu: “Não importa se a estação muda... Se o século vira, se milénio é outro. Se a idade aumenta... Conversa a vontade de viver, não se chega à parte alguma sem ela.”

Durante minha jornada quantos sonhos se realizaram, quantos se perderam, quantas alegrias recebi em nome de nosso Senhor Jesus. Quantos projetos ainda aguardam na vila de espera para a sua realização? Alguém escreveu com acerto essa frase: fazer aniversário é olhar para trás com gratidão e para frente com fé.

Lembremos das palavras de Edna Frigato como uma oração:

“Se for faxinar a casa: faxine antes o coração. Se for enfeitar a árvore comece com a gratidão. Se for ascender as luzes: acenda antes a da oração. E se for preparar a ceia: inclua no cardápio paz, fraternidade e união.”

Um grande abraço para todos e todas, Shalom!


Árvore Genealógica - Mateus 1.1,16 - P. Tiago Sacht Ushino Jaske - 20 de dezembro de 2021

 

Você já montou sua árvore genealógica, pelo menos até onde é possível conseguir a informação com facilidade? Se você teve esta oportunidade, pôde perceber a sua existência, a sua vida, depende de diversos encontros e desencontros, momentos alegres como casamentos, mas também de rompimentos. Somos parte de algo muito maior, somos parte também do plano de Deus!

O próprio Jesus tem sua genealogia em destaque no evangelho segundo Mateus. No capítulo 1, versículo 1, está escrito: “Livro da genealogia de Jesus Cristo, filho de Davi, filho de Abraão” (Nova Almeida Atualizada). “Filho de Davi” – porque Jesus é o herdeiro das promessas do Reino Eterno dadas a Davi; e “filho de Abraão” porque Jesus também é herdeiro das promessas dadas a Abraão, especialmente a de que Deus abençoaria a toda a humanidade, toda a terra, por meio dele: Jesus é o cumprimento dessas profecias!

Além destes nomes, ao longo de Mateus 1 são citados diversos outros. Temos os nomes dos patriarcas, nomes de reis, inclusive nome de uma prostituta. Lemos os nomes de pessoas em destaque ou desconhecidas, com histórias de rompimentos e histórias de união. Jesus se torna um ser humano seguindo uma longa história. Mateus 1.16 diz: “E Jacó gerou José, marido de Maria, da qual nasceu Jesus, que se chama o Cristo.” Deus usou todas essas histórias para fazer chegar o Salvador até nós! Ele cumpre a profecia do reinado eterno de Davi porque Jesus reina eternamente, mas constrói essa história por meio de José, descendente de Davi, mas que não é pai de sangue, do Senhor. Deus cumpre suas promessas de uma forma diferente do que o povo esperava! Também cumpre de forma diferente do que nós esperamos!

A nossa vida também é diferente do que nós esperamos! Temos um ideal de perfeição e muita cobrança para termos uma vida perfeita, bem vivida! Mas nunca alcançamos este padrão! Em nossas famílias também experimentamos a ambiguidade, a imperfeição. Muitas vezes ficamos frustrados porque a vida não é como deveria ser. Olhar para a genealogia de Jesus e perceber quantas histórias diferentes, e até mesmo mínimo inusitadas, Deus usou para cumprir seu plano! Da mesma forma ele inclui você neste plano! Quantas pessoas viveram antes de você para você nascer? Ainda assim você nasceu porque Deus te criou! Deus te fez para que você pudesse ter um relacionamento com Ele e, por isso, ter esperança por meio da confiança em suas promessas!

Olhar para nossa história nos ajuda a sermos mais misericordiosos, termos mais compaixão para com nosso próximo, que erra, e também conosco mesmos. Olhar para a história de Jesus nos ajuda a ter esperança para o futuro: de que também nossas ambiguidades e dificuldades serão superadas no futuro, na eternidade, e que aqui e agora, Deus te aceita e te ama muito, assim como você é! Ele quer caminhar contigo nesta vida! Siga firme nessa esperança!

Oração: Senhor Deus, muito obrigado porque tens conduzido a história com tua mão poderosa. Tu fizeste chegar ao mundo nosso Salvador! Construíste esta história usando pessoas no mínimo inusitadas aos olhos humanos, mas Tu sabes de tudo! Assim também te agradecemos por nos incluirmos neste plano maravilhoso que tens para com a humanidade, nos fazendo seus filhos e filhas. Ajude-nos a termos compaixão de nosso próximo, a não esperarmos dele uma perfeição inalcançável, e a termos compaixão de nós mesmos, por meio e por causa de Tua compaixão por nós. Tu nos aceitas como somos, ajude-nos também a nos aceitar nossas dificuldades e a colocá-las em tuas mãos, com a esperança de que elas passarão e com a esperança de que constróis tua história neste mundo, nos usando, apesar de nossas dificuldades. Assim oramos em nome de Jesus Cristo, Amém!

Assim te abençoe, e à sua família, o Deus Todo-Poderoso: o Pai, o Filho e o Espírito Santo! Amém!


Gratidão... - Sl 103.1-2; 1Ts 5.18 - P. Eldo Kruger - 18 de dezembro de 2021
 

Bom dia. Graça e paz.

O ano de 2021 está terminando. Quero hoje refletir com vocês sobre gratidão. Você é uma pessoa agradecida?

Todas as religiões e até mesmo a ciência reconhecem o valor e o poder extraordinário da gratidão. A gratidão é uma das características e virtudes mais importantes da vida e da fé cristã. No Salmo 103.1-2 está escrito: “Bendize, ó minha alma, ao Senhor, e tudo o que há em mim bendiga o seu santo nome. Bendize, ó minha alma, ao Senhor e não te esqueças de nem um só de seus benefícios”. Em 1 Tessalonicenses 5.18 está escrito: “Em tudo dai graças, porque esta é a vontade de Deus em Cristo Jesus para convosco”.

A gratidão é muito importante. É a memória do coração. É o reconhecimento de que o que eu tenho e sou não é só mérito meu. Não é só fruto do meu esforço.

A gratidão precisa estar sempre presente na nossa alma. Precisa fazer parte da nossa maneira de ser e viver, da nossa maneira de ver e lidar com a vida e tudo o que ela nos proporciona.

Infelizmente nem sempre somos agradecidos, nem sempre reconhecemos e damos valor ao que a vida nos deu. A gratidão não é um caminho natural da alma. A nossa tendência é registrar e guardar mais as coisas ruins e negativas do que as coisas boas. A nossa tendência é murmurar e reclamar. É a insatisfação. E isso, vamos ser honestos, nos torna uma pessoa chata.

Ao meu ver a falta de gratidão é um sinal de pobreza de espírito e de alma. Mais ainda. A pessoa que não é agradecida geralmente é uma pessoa muito perfeccionista e exigente, crítica, negativa e pessimista. É alguém que não reconhece e não dá valor ao outro. É alguém que costuma não ter uma energia boa e por isso não é agradável de se conviver.

Todos os dias nós temos inúmeros motivos para agradecer. Agradecer à pessoas, agradecer quando alguém nos dá algo ou quando faz algo por nós, seja de graça ou mesmo quando pagamos.

Além de agradecer às pessoas, precisamos lembrar de agradecer a Deus, que é origem de todo bem. Agradecer pela vida, pela saúde, por poder respirar, andar, ver, ouvir, se alimentar e sentir o sabor dos alimentos. Agradecer pela providência generosa de Deus cercando a sua vida o tempo todo. Isso não é algo banal. Aliás, nada é banal. Tudo na vida é presente e graça de Deus.

A gratidão não é só uma virtude, é uma energia poderosíssima. Segundo a ciência, a gratidão produz hormônios e neurotransmissores que geram enorme sensação de bem estar e felicidade. Existem estudos que revelam que as pessoas agradecidas desfrutam de muitos benefícios. São mais felizes, saudáveis, criativas, otimistas, bem dispostas, dormem melhor, sofrem menos de doenças cardiovasculares, sofrem menos de ansiedade e de depressão.

A gratidão, quando é algo sincero e verdadeiro, promove equilíbrio e paz, me ajuda a ser uma pessoa mais tranquila, mais positiva e contente, mais focada no bem. A gratidão estimula as pessoas a fazer o bem. Quando agradecemos alguém pelo que fez pra nós, nós reforçamos na pessoa a vontade de fazer o bem. Eu estou certo de que a gratidão promove o amor e fraternidade entre as pessoas.

Gratidão é uma necessidade, é uma questão de inteligência, é atitude de pessoas sábias. Assim sendo, apesar das dificuldades e lutas que enfrentamos neste ano, Deus cuidou de nós e nos abençoou. Pessoas agradecidas são mais felizes. Amém.  


O profeta Isaías diz: Eis que a virgem conceberá e dará à luz um filho, e ele será chamado pelo nome de Emanuel, que significa Deus conosco. (Mateus 1.23)

No próximo domingo celebramos o 4o Domingo de Advento. Estamos bem próximos de uma das maiores festas da cristandade. Já vem perto o Natal:

1. Já vem perto o Natal,
tempo celestial.
Há sons festivos no ar,
vibram acordes no lar.

2. Cessem prantos e dor:
vence as mágoas o amor
do meigo infante Jesus –
trevas transformam-se em luz.

3. Louva o meu coração:
ouve a doce canção
da multidão celestial.
Eis que está perto o Natal.

Autoria da letra e da melodia: Eduard Ebel

LCI 355 


Advento: Tempo de avaliação - Colossenses 3.23 - P. Gerson Acker - 16 de dezembro de 2021
 

Saudação: Olá meu irmão! Olá minha irmã! Que a graça e a paz de Jesus Cristo esteja contigo. Amém!

Reflexão: Época do finalzinho de ano, a turma do colégio começa a ficar preocupada por que vem as avaliações do final de ano. Os que já estudaram, talvez, já passaram, mas aqueles que ainda precisam de pontos, ficam naquela apreensão.
“Avaliação” nada mais é do que ver o que você aprendeu ou que você precisaria ter aprendido ao longo do ano. Terceira semana do Advento é tempo de avaliação...

Meu querido irmão, minha querida irmã, para a gente se preparar de verdade para o Natal, a gente precisa, sim, tirar uns minutinhos para avaliar como anda a nossa vida, como andam os meus relacionamentos, a minha relação com o próximo e, também, a minha relação com Deus, e não menos importante, como anda a minha relação comigo mesmo. Para trazer luz a essa reflexão, eu quero partilhar o que nós encontramos na sagrada escritura, em Colossenses 3.23. Penso que esse versículo seja maravilhosamente oportuno para a avaliar a nossa vida. Diz assim: “O que vocês fizerem, façam de todo o coração, como se estivessem servindo o Senhor e não as pessoas”.

Meu querido irmão, minha querida irmã, nesse tempo de avaliação, te pergunte: Eu tenho feito tudo de coração, eu tenho me amado de coração, eu tenho amado a Deus com todo o meu coração, os meus relacionamentos eu estou de coração neles? Acho que é um bom crivo de reflexão. Desejo que o Advento seja tempo de avaliação.

Oração: Ora comigo? Querido e bondoso Deus, ajuda-nos a avaliar a nossa a vida, a perceber nossas faltas e falhas e a nos dedicar mais àquilo que precisamos aprimorar. Que a vontade do nosso coração seja a mesma vontade que Tu tens para a nossa vida. Que acima de tudo seja feita a Tua vontade. Em nome de Cristo Jesus. Amém!

Benção: Que Deus mantenha a tua cabeça fria, o coração quente, as mãos abertas e os pés sem pressa e sem preguiça. Que assim te abençoe o Deus que é Pai, Mãe, Filho e Santo Espírito. Amém!


A Solução Para Os Dias Ruins - Mateus 11.28 - P. Astor Albrecht - 15 de dezembro de 2021

Em Mateus 11.28 nós lemos: “Vinde a mim todos os que estais cansados e sobrecarregados, e eu vos aliviarei”. A maneira como lidamos com os tempos difíceis permanece conosco por muito tempo.

E como você lida com os seus dias ruins? Quando a esperança por algo melhor tomou o último trem? Quando você está cansado de tentar? Cansado de perdoar? Como você lida com os seus dias difíceis?

Há pessoas que fazem uso de um frasco de comprimidos ou um copo de bebida. Uma hora no bar ou uma semana na praia. Muitas pessoas optam por tratamentos assim. E são tantas que podemos presumir que esses tratamentos trazem a energia de volta para a vida desanimada. Mas será que isso realmente acontece? Ninguém vai negar que essas coisas nos ajudam por um tempo, mas o que dizer a longo prazo? Elas aliviam a dor, mas conseguem eliminar ela?

Existe um caminho melhor? Seja rápido em orar. Pare de falar consigo mesmo. Fale com Cristo! Ele convida: “Vocês estão cansados? Esgotados do que não alimenta a alma? Venham a mim! Andem comigo e irão recuperar a vida. Vou ensiná-los a ter descanso verdadeiro”. Deus, que nunca fica abatido, não se cansa de nossos dias ruins; ele nos acolhe com amor. Busque por ele nesta esperança. Ele certamente cuidará bem de você.

Vamos orar: Salvador amoroso, obrigado por me levantares nos meus dias ruins. Ensina-me a voltar-me para ti em oração continuamente e, quando minha mente estiver sobrecarregada de pensamentos dominadores, que então eu encontre paz e descanso em ti. Na tua presença encontrarei alegria. Assim creio e assim quero confessar. Amém”. 


Advento de Preparação - Mateus 25.1-13 - P. Gerson Acker - 11 de dezembro de 2021
 

Saudação: Olá meu irmão! Olá minha irmã! Que a graça e a paz de Jesus Cristo esteja contigo. Amém!

Reflexão: Uma das imagens que se usa para falar da segunda vinda de Cristo é a imagem do casamento. Quem não gosta de uma festa de casamento? Umas das parábolas mais conhecidas, nesse tocante, nós encontramos no Evangelho de Mateus 25 que nos narra um casamento “meio estranho” comparado com os casamentos da nossa cultura. Quando cinco moças chamadas de “néscias” vão ao casamento sem levar óleo para as suas lamparinas e, cinco moças consideradas “sábias” ou “prudentes” levam óleo (extra) para suas lamparinas. A narrativa vai até o ponto em que chega o noivo para o casamento (metáfora da vinda do próprio Cristo) e aquelas que estão preparadas, entram para a festa e aquelas que não tinham azeite para as suas lamparinas acabam ficando fora da festa, porque tinham saído para comprar mais.
Essa parábola, não tem o intuito de nos causar medo ou apreensão, mas é um convite para estarmos sempre alertas e preparados para a vinda de Cristo. Advento é tempo de preparação. Para preparar não só o exterior, enfeitando a casa para o Natal, colocando enfeites... Mas também, prepara-se interiormente para receber a festa que é o Reino de Deus. Seja prudente! Não deixe sua lamparina sem azeite!
Desejo meu irmão, minha irmã que você tenha um excelente tempo de preparação. Se preparar de verdade para a vinda de Cristo.

Oração: Ora comigo? Querido Deus, dá-nos a sabedoria e diligência de estarmos sempre preparados e preparadas para a tua vinda. Que tu possas nos acolher na grande festa do teu Reino. Por Cristo Jesus. Amém!

Benção: Que Deus mantenha a tua cabeça fria, o coração quente, as mãos abertas e os pés sem pressa e sem preguiça. Que assim te abençoe o Deus que é Pai, Mãe, Filho e Santo Espírito. Amém! 


Oração do dia - Julia Tenoury Trespach - Mt 24.36-39 - 10 de dezembro de 2021
 

É tempo de festas e já começamos nossos preparativos para o Natal, momento de confraternização, presentes e comida boa, mas não podemos deixar que isso se torne a mensagem principal do Natal.

Nesse momento, vivemos o período do Advento, palavra que significa vinda e aponta para a chegada de Cristo no mundo ou então, para a sua volta.

Quando Jesus volta e o que a gente deve fazer enquanto isso?

Jesus continuou, dizendo: — Mas ninguém sabe nem o dia nem a hora em que tudo isso vai acontecer, nem os anjos do céu, nem o Filho, mas somente o Pai. A vinda do Filho do Homem será como aquilo que aconteceu no tempo de Noé. Pois, antes do dilúvio, o povo comia e bebia, e os homens e as mulheres casavam, até o dia em que Noé entrou na barca. Porém não sabiam o que estava acontecendo, até que veio o dilúvio e levou todos. Assim também será a vinda do Filho do Homem. Mt 24.36-39

Bom, ninguém sabe quando Jesus volta, mas pode ser logo. Enquanto isso, tudo que temos que fazer é nos voltarmos a Ele em todos os momentos, dependendo no amor, na graça e no perdão que temos em Cristo.

É claro, nem sempre isso é fácil. Mas, ao percebermos que pecamos, voltemos nossos corações genuinamente arrependidos para Deus e confessemos nos pecados, tendo a certeza de que ele nos perdoa, pois, isso também é se preparar.

Para nós, que seguimos a Cristo, essa é uma mensagem de esperança de que dias melhores virão quando menos esperarmos. Até que isso aconteça, descansamos nele todas as nossas aflições. 


Advento, tempo de espera! - P. Fabrício Wagner - 09 de dezembro de 2021
 

Bom dia! Que o Deus trino de amor seja com todos e todas nós neste dia.

Sou Fabricio Wagner, Pastor na Paróquia Evangélica de Confissão Luterana em Cosmópolis.

Estamos na segunda semana de advento, já refletimos e ouvimos sobre esse tempo em anos passados e também em meditações passadas. Advento sempre foi e será um tempo esperado, tempo de novamente olharmos para a Palavra de Deus e vermos que Jesus Cristo foi anunciado e esperado. Advento nos remete a vigília. Quando se fala desta época, é muito comum ouvir histórias de como as famílias se preparavam para o Natal. Suas casas, suas vidas.

Como estamos nos preparando para esse novo ano?

Rogo que a espera, preparação e esperança seja a mesma, ou melhor, que seja ainda maior. Vivemos a incerteza dessa nova variante da Covid, a incerteza das festas e dos encontros familiares, mas também rememoramos a certeza da vinda do Messias e aguardamos confiantes no seu retorno final. Como pessoas cristãs, a nossa esperança não é no mundo, mas em Cristo, esse que se fez criança para entrar no mundo, e mostrar que Deus se solidariza com nossas dores e dificuldades. Esse Cristo que traz luz, em tempos de escuridão, de incertezas, de dificuldades e morte.

Advento reforça a nossa esperança em dias melhores.

Que Deus continue guardando e reforçando a nossa fé no menino Jesus, que se fez pequeno, frágil e pobre, assim como nós o somos.
Abençoado tempo de preparação, abençoado Advento.

Ore comigo: Deus, tu que vieste através de Jesus Cristo para nos orientar e salvar, nós te pedimos: abençoe nosso dia, nossas escolhas, nossas vidas, para que, no final do dia, possamos ter a certeza de que vivemos para ti e por ti. Amém.

 


Bendito aquele que vem! - Lucas 13.35 - Missionário Felipe Milani - 08 de dezembro de 2021
 

E eu afirmo a vocês que não me verão mais, até que venham a dizer: “Bendito o que vem em nome do Senhor!” (Jesus de Nazaré - Lucas 13.35)

Olá,
Aproveitando este tempo de celebrações a partir do calendário cristão – Advento e Natal, queria dizer que Se há uma coisa de fato escandalosa e contraditória para nós viventes deste mundo, é esta história de um Ser Superior, Todo Poderoso, a qual chamamos de Deus, se fazer humano. E mais, se fazer humano na fragilidade, na vulnerabilidade, na pobreza.

Por assim Deus se mostrar na história das gentes, O Advento, o Natal são tidos como eventos revolucionários, que apontam para a transformação da realidade, da recuperação de algo que uma vez se esvaneceu: a simplicidade, a inocência, o amor incondicional, o companheirismo, a partilha, a comunhão que não vê cara, nem religião, mas coração. Recupera a dignidade de imagem e semelhança do Deus da justiça, da graça, da vida.

Apesar de vermos por aí grandes forças antagônicas contra essa Utopia, o bendito que vem, jamais será domesticado. Jamais será domesticado pelo capital, pelo glamour, pela moda, por ideologias, por fundamentalismos.

Deixo, por fim, alguns fragmentos do poema intitulado Bendito, de Roberto Zwetsch, que além de poeta e professor de teologia, é pastor da nossa Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil.

Ele escreve o seguinte:

Bendito aquele que vem.
Bendito aquele que vem
e traz consigo esperança.
Bendito aquele que vem
e faz-nos crianças de novo.
(...)
Bendito aquele que vem
anunciando utopias
que sempre escandalizam
os doutos e os fariseus.
Louvado seja o escândalo
do presépio de Belém.
Sinal pobre e vulnerável
e, no entanto, crucialmente
revolucionário.
Deus feito ser humano
Deus – ser humano – criança
envolto em trapos.
(...)
Ah, tu, menino bendito,
ajuda-nos a não domesticar
este santo escândalo.
Ajuda-nos ainda mais
a estender-te as mãos
nas ruas e esquinas da cidade
onde sobrevives dos restos
de uma mesa reservada para poucos.

Bendito aquele que vem.
Para sempre seja bendito
Escândalo e vida nossa!


Preparar o caminho! - Lucas 3.4 e 6 - P. Ernani Ropke - 07 de dezembro de 2021
 

Desejo que Deus te abençoe com belas realizações nesse dia!

Advento é tempo para refletir a chegada, a presença e os propósitos de Deus. O profeta Isaías diz no evangelho de Lucas 3.4 e 6: Voz que clama no deserto: Preparai o caminho do Senhor, endireitai as suas veredas. E toda a humanidade verá a salvação de Deus.

A pregação de João Batista, inspirada nas palavras do profeta Isaías, convida a preparar o caminho do Senhor. Como você está preparando o caminho do Senhor? O que significa, afinal, preparar o caminho do Senhor?

Primeiro: Preparar o caminho do Senhor é olhar para a própria vida. Ainda tenho tempo para Deus? Ainda tenho tempo para orar e ouvir a Palavra de Deus? Ainda tenho tempo para a comunhão com a família e irmãos e irmãs na fé? Como é difícil parar e silenciar neste mundo tão agitado, corrido e estressante e deixar a voz de Deus falar ao coração! Como é difícil ter tempo para contemplar, abraçar e ouvir! Tempo para deixar Deus faxinar tudo o que sobrecarrega e não deixa viver em paz! O deserto evoca silêncio, um tempo para reflexão, para revisão da própria vida. Preparar o caminho do Senhor é, primeiramente, voltar-se para dentro de si mesmo e abrir-se para o amor de Deus que vem a nós no Natal.

Segundo: Preparar o caminho é também se perguntar: O que é que devemos fazer? O convite que João Batista faz é para ser solidário, justo e não agir falsamente. Três atitudes extremamente necessárias na nossa sociedade nos dias de hoje. Por quê? Porque temos muitas pessoas necessitadas, muita extorsão, muita corrupção e muita falsidade. Quando deixamos o amor do Menino Jesus preparar nossos corações e mentes afloram sim a solidariedade, a justiça e a verdade. Aflora em nós o desejo de ajudar quem está necessitado, de visitar e animar quem está desanimado, de pagar justamente por um trabalho prestado, de lidar honestamente com os recursos a nós confiados, de propagar informações que protegem e cuidam da vida.

A travessia pelo deserto da vida é ameaçadora e sem perspectiva quando não olhamos para aquele que João Batista anuncia: O Menino Jesus. Ele é o caminho, a verdade e a vida no deserto da vida, nas pandemias da vida. No olhar e preparo para a sua chegada acontece transformação em nossa vida e nas veredas de nossas famílias, comunidades, país e planeta. No olhar e preparo para a sua chegada seremos voz que clama nos desertos da vida por solidariedade, justiça e verdade. Amém.

Oração: Senhor, tu te colocas a caminho por intermédio do teu Filho para nos preparar a tua salvação. Em Jesus derramas sobre nós o teu amor, a tua paz, a tua justiça, a tua misericórdia e o teu perdão. Inspira-nos com o teu Santo Espírito para que nesse tempo de Advento possamos preparar e construir caminhos de solidariedade, justiça e verdade junto as pessoas que andam necessitadas e sedentas nos desertos da vida. Amém.

Bênção:

O Senhor nos abençoe e proteja.
O Senhor resplandeça a sua face sobre nós que nos inspire a preparar a sua solidariedade.
O Senhor resplandeça a sua face sobre nós que nos faça apaixonados e sensíveis as pessoas que vivem nos desertos da vida. Amém.


Sua tarefa planejada por Deus - Lucas 9.23 - P. Astor Albrecht - 06 de dezembro de 2021
 

Em Lucas 9.23 Jesus disse o seguinte: “Dizia a todos: Se alguém quer vir após mim, a si mesmo se negue, dia a dia tome a sua cruz e siga-me”. Observe que Jesus dizia isso para todas as pessoas que o ouviam. A frase “tome a sua cruz” não se deu muito bem com os ouvidos de muitas pessoas! Se pedir por uma definição, pode ser que você vá ouvir as seguintes respostas: “minha cruz é o meu trabalho ou meu chefe mal-humorado”. Predomina a ideia de que a cruz é qualquer aflição constante ou incômodo pessoal. Deus, pensam alguns, distribui cruzes como o guarda entrega multa para quem estacionou em lugar proibido. Você não quer, mas tem que levar. Não tem opção! É como se cada pessoa tivesse a sua cruz e tenha que se acostumar com ela.

Vamos falar sério. Jesus está reduzindo a cruz a incômodos ou dores de cabeça? Certamente que não! A cruz significa mais do que isso. Ela é a ferramenta de Deus para a nossa redenção, instrumento de salvação – prova de seu amor por nós. Tomar a cruz, portanto, é carregar o fardo de Cristo pelas pessoas do mundo. Ainda que nossas cruzes sejam parecidas, nenhuma delas é igual.

Cada um tem a sua própria cruz para carregar – uma tarefa que Deus preparou para você realizar. Esta tarefa combina com suas paixões e vai pedir que você faça uso dos dons e talentos que ele te concedeu. Tome a sua cruz e seja uma bênção para a vida muitas pessoas.

Vamos orar: Senhor Jesus, que com alegria usemos nossos dons e talentos para ajudar o ferido, para alimentar o faminto e para compartilhar nosso amor com aquelas pessoas que estão desorientadas. Que assim encontremos nosso chamado em ti. Graças damos. Amém.

 


Poesia: Caminhando até a manjedoura - PPHMista Jéssica Lais Kriese Duffeck - 04 de dezembro de 2021
 

Caminhamos sonhando Paz,
Paz que o Vento de Ruach traz
movimenta nosso ser, nossos corpos, nossas esperanças...
paz comprometida com a vida humana,
com a vida de cada espécie que respira e que não respira...
Advento é esse caminho cheio de esperança
que nos leva até o curral, pertinho da manjedoura...
ali tem cheiro da paz do cotidiano em meio aos animais,
ressalta aos olhos e ao coração a simplicidade e o aconchego,
o calor e abrigo ...
Advento é a espera com esperança,
Abundante confiança, cuidado e ternura...
é essa estrada que seguimos uma estrela
pra encontrar a Criança que revela o rosto de Deus...
Emanuel, Deus conosco, presente,
pura misericórdia que preenche nossa vida de sentido...
Promessa anunciada a todas as pessoas:
defensor das empobrecidas,
refúgio das que clamam por vida digna e justa,
alívio das pecadoras;
vem salvar o que está perdido;
vem criar um mundo novo
a Paz tão sonhada chega dançando....
o impossível não existe no coração
de quem acredita nos mistérios de Deus...
no berço de palha, o sonho mais lindo de Deus acontecendo...
parece que fala pra gente:
não desista das coisas bonitas que você sonha e acredita...
não escolha qualquer caminho...
caminha até a manjedoura,
nela e ao redor dela encontrarás todos os ensinamentos
de uma Vida com Paz,
Paz não apenas sonhada,
porque está ali o Amor, o Verbo que se tornou carne, o Menino Jesus.

Autora: Pastora Elisabet Lieven


Filho do Altíssimo - Lucas 1.30-32a - PPHMista Evair Tonn - 03 de dezembro de 2021
 

Não tenha medo, Maria; porque você foi abençoada por Deus. Você ficará grávida e dará à luz um filho, a quem chamará pelo nome de Jesus. Este será grande e será chamado Filho do Altíssimo. (Lucas 1.30-32)

Que privilégio de Maria, ser a mãe do Filho de Deus, o nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. O nome desse menino que Maria iria gerar receberia o nome de Jesus e seria chamado Filho do Altíssimo. Reis dos reis e Senhor dos senhores, nele jamais foi encontrado orgulho ou ambição, coisas que são tão comuns em nossos dias.

Jesus vem ao nosso mundo em forma humana e inaugura um novo reino. Os governantes daquela época não entendiam qual era esse reino de Jesus. Um reino de amor, perdão, salvação e esperança. E o propósito de Jesus era, e continua sendo, o de transformar vidas humanas.

Jesus nos convida a encontrar nele o verdadeiro caminho da salvação e o sentido da vida pelo qual tanto ansiamos. Ele veio ao mundo com a missão de se entregar e morrer por mim e por você, para nos reconciliar com Deus. Executou o plano da salvação e reconciliação na cruz do Calvário, derramando o seu sangue em favor do ser humano.

Que nesse tempo de Advento possamos receber o Senhor Jesus, refletir sobre sua obra redentora, e encontrar nele um verdadeiro amigo. Também testemunhar para o mundo quem é Jesus, Senhor e Salvador de toda pessoa que crer nele.

Oração
Senhor Deus, o seu agir é muito maior que podemos entender, tua obra com o ser humano é maravilhosa. Obrigado por nos resgatar do pecado e da perdição. Somos imensamente gratos porque em ti encontramos um verdadeiro amigo, um amigo para todas as horas, com o qual podemos contar e caminhar em todos os momentos. Pedimos, enche o nosso coração com a tua presença, para que possamos te servir todos os dias, testemunhando e ensinando o teu evangelho. Amém!


Pessoas são presentes - P. Eldo Kruger - 02 de dezembro de 2021
 

A tradição de dar presentes é muito forte no Natal. Essa cultura está baseada na narrativa dos reis magos que levaram presentes ao menino Jesus (ouro, incenso e mirra).

Dar e receber presentes é muito bom. Mas mais importante do que dar coisas como presentes, devemos dar a nós mesmos. Isto mesmo. Pessoas podem ser um presente na vida do outro.

Compartilho hoje com vocês um texto que se intitula: Pessoas são presentes.

Algumas vêm em embrulho bonito, ou em embalagem comum.

E há as que ficaram machucadas no correio. Eventualmente chega uma registrada. São os presentes valiosos.

Algumas pessoas trazem invólucros fáceis.

De outras, é dificílimo, quase impossível tirar a embalagem. É fita durex que não acaba mais.

Mas a embalagem não é o presente. E tantas pessoas se enganam, confundindo a embalagem com o presente.

Por que será que alguns presentes são tão complicados para a gente abrir? Talvez porque dentro da bonita embalagem haja muito pouco valor. A decepção seria grande.

Somos presente um para o outro. Você para mim, eu para você.

Triste, se formos apenas um presente-embalagem: muito bem empacotado e quase sem nada lá dentro!

Quando existe o verdadeiro encontro com alguém, deixamos de ser mera embalagem e passamos à categoria de real presente.

Nos verdadeiros encontros, acontece alguma coisa muito comovente e essencial: mutuamente nós vamos desembrulhando, desempacotando, revelando.

Essa alegria profunda que nasce do recôndito de uma alma, quando duas pessoas se encontram, se comunicam, virando presente uma para outra.

Conteúdo interno é o segredo para quem deseja tornar-se presente e não apenas embalagem.

A verdadeira alegria que a gente sente e não consegue descrever, só nasce no verdadeiro encontro com alguém.

Ah, não esqueçamos que Deus nos deu o maior e melhor de todos os presentes, seu Filho Jesus, nosso Salvador! 


Nos enfeites natalinos encontrar Cristo - João 1.14 - P. Marcos Jair Ebeling - 30 de novembro de 2021
 

Irmão e irmã, a paz.

O texto bíblico é vasto. São muitos livros e muitas páginas. Algumas pessoas fazem planos de leitura para ler toda a bíblia. Outras procuram histórias bíblicas inspiradoras para os desafios da vida. Outras ainda decoram versículos para serem usados em momentos chave.

Você já deve ter ouvido uma frase de Lutero sobre a Bíblia que diz assim: “Bíblia é uma manjedoura dentro da qual Cristo está deitado; se não O encontrares, só tens palha.”

A base para esta frase é o Evangelho de João. 1.14: “E o verbo se fez carne, e habitou entre nós, cheio de graça e de verdade, e vimos a sua glória, glória como do unigênito do Pai.”

Lutero oferece um importante critério para a leitura do texto bíblico: Cristo, morto e ressuscitado, é seu centro. Perceba que o diferencial não está em ler muito ou pouco a Bíblia, mas em encontrar nela o Cristo. Nas linhas bíblicas Deus prepara a vinda de Cristo, revela como ele viveu entre nós e aponta para as consequências do viver em Cristo.

É por isso que muitas pessoas, ao lerem o texto bíblico de forma literal ou como um livro de auto ajuda, não encontram nele Cristo, cheio de graça e misericórdia. E quando não encontram a Cristo ficam somente com a palha.

Com base neste exemplo faço outro exercício com você. Perceba! Agora no advento e Natal templos, casas e lojas enfeitam-se com símbolos natalinos. São muito bonitos. Atraem nossa atenção. Mas pergunte-se: com qual objetivo? Querem aproximar-te a Cristo, o Senhor e Salvador, ou há alguma outra intenção?

Não, certamente nem todo mundo que se esforça no preparo de enfeites natalinos quer apontar para a fé Cristo. O discernimento e a busca pelo Cristo farão você saber quando o símbolo natalino convida para a fé em Cristo ou para uma fé, digamos, comercial. Encontras Cristo nos símbolos natalinos, O tens, senão tens somente enfeites.

Este mesmo discernimento e busca valem para muitas outras áreas da vida. Especial cuidado recomendo com as redes sociais. Tem muita gente querendo ser a voz de Cristo. Recomendo: procure-o nas linhas bíblicas.

Oremos: Amado Deus. Nasces entre nós a fim de nos amar, perdoar e salvar. Assim te revelas a nós no texto sagrado. Faze com que sempre te procuremos onde te revelas. E, ao encontrar-te, te testemunhemos com vigor e amor. Por Jesus Cristo, amém.

A paz de Cristo seja contigo hoje e sempre, amém.


Advento: preparação para receber o humilde Jesus - Lucas 1 - Pastor Éder Beling - 29 de novembro de 2021
 

1. Advento é tempo de preparação,
de abrir caminhos para o Deus criança.
É estar disposto a ajudar um irmão
e a uma irmã encher de esperança.
Advento é tempo de avaliação,
de unir caminhos e a acertar estradas.
É tempo certo p'ra pedir perdão
e perdoar, seguindo de mãos dadas.

2. Advento é tempo de transformação,
mudar caminhos para um mundo novo.
É ver que o amor de Deus é doação,
e a novidade é para todo o povo.
Advento é tempo de decoração,
florir caminhos, aplainar colinas.
Encher de amor e luz o coração
para espalhar nas noites natalinas.

Essa música de Edson Ponick expressa bem o nosso sentimento no período de Advento.

Estamos nos preparando para receber o Deus criança. Começar a refletir em mais um ano litúrgico sobre o nascimento do nosso Salvador. Para isso, usamos muitos símbolos. Em muitas de nossas igrejas preparamos e colocamos a coroa de Advento que nos lembra que faltam quatro semanas para o dia do Nascimento de Jesus. A cada semana acendemos uma vela, como sinal de proximidade e preparação.

E não somente em nossas igrejas nos preparamos, mas também em nossas casas, lá também arrumamos o espaço e o enfeitamos com motivos natalinos. Como a arvore de Natal, com seus inúmeros enfeites.

Esses símbolos nos ajudam a preparar o nosso próprio coração! Assim, como Maria se preparou para receber o menino Jesus, quando o anjo a ela anunciou: o anjo lhe disse (Lucas 1):

Não tenha medo, Maria; você foi agraciada por Deus!

Você ficará grávida e dará à luz um filho, e lhe porá o nome de Jesus.

Ele será grande e será chamado Filho do Altíssimo. O Senhor Deus lhe dará o trono de seu pai Davi, e ele reinará para sempre sobre o povo de Jacó; seu Reino jamais terá fim.

Que entre todos os símbolos em nossa preparação ao Natal possamos nos firmar em Jesus Cristo e sua mensagem de amor, carinho e esperança. Que o seu nascimento humilde nos faça perceber o Evangelho de Deus em nossas vidas.

Oremos: Bondoso Deus, nesse período de advento nos preparamos para te receber em nossas igrejas, em nossas casas e em nossas vidas. Que a chegada humilde do menino Jesus, nos mostre que o Evangelho chega a todas as pessoas que confiam em Deus. Que o nascimento humilde de Jesus nos leve a sermos mais amorosos e a vivermos o seu mandamento do amor. Deus da esperança, que possamos ter um tempo de preparação e meditação sobre o que é a vinda de Jesus em nossa vida. Amém.

Benção: Que a benção do Deus de amor, que a benção do Deus filho e a benção do Deus Espírito Santo venha sobre nós. Amém. 


Sepulcros caiados - fariseus - Mateus 23.27-28 - P. Gerson Acker - 26 de novembro de 2021
 

Saudação: Olá meu irmão! Olá minha irmã! Que a graça e a paz de Jesus Cristo esteja contigo. Amém!

Reflexão: No tempo de Jesus existiam grupos políticos religiosos. Eram grupos que defendiam certas visões teológicas e tinham obviamente um respaldo político. Conhecemos os Fariseus, os Saduceus, os Escribas, os Essênios e os Zelotes. Destes grupos, o que Jesus mais atritou, sem dúvidas nenhuma, foi o grupo dos Fariseus. Os Fariseus eram conhecidos por serem altamente legalistas. Isso não significa que eles eram “legais”, significa que eles levavam a lei, o cumprimento da Torá e todos os seus desdobramentos de uma maneira muito severa. E isso incomodava Jesus profundamente, porque ele percebia que eles cobravam muito dos outros, mas de que eles próprios não tinham condições de cumprir tais preceitos.

No Evangelho de Mateus, capítulo 23, nós encontramos um longo texto em que Jesus vai criticar a ação hipócrita dos Fariseus e dos Escribas ou Mestres da lei.

Leio para nós de Mateus 23.27-28 que diz assim: “Ai de vocês mestres da lei e fariseus hipócritas, pois vocês são como sepulturas caiadas, ou seja, como túmulos pintados de branco que por fora parecem bonitos, mas por dentro estão cheios de ossos mortos de podridão. Por fora, vocês parecem boas pessoas, mas por dentro, estão cheios de mentiras e de pecado”.

Sem dúvida nenhuma é uma palavra muito ácida, muito dura de Jesus Cristo para as pessoas, que assim como os Fariseus, vivem uma vida de hipocrisia.

Meu querido irmão, minha querida irmã é muito fácil apontar a hipocrisia nas outras pessoas, mas a gente precisa aprender a fazer o exercício de autoavaliação e perceber quantas vezes eu exijo coisas das pessoas que eu não cumpro. Quantas vezes eu quero parecer uma pessoa perfeita, quando na verdade, eu estou me comportando como um sepulcro caiado.

Importante é primeiramente se conectar com Deus. Fazer essa limpeza interna. Ter uma postura coerente entre aquilo que você fala e aquilo que você vive; afastando todo e qualquer tipo de hipocrisia que sempre insiste em querer tomar lugar na nossa vida. Que a gente possa fazer e ser diferente dos Fariseus! Fica esse desafio para nossa experiência na vida cristã. Amém!

Oração: Ora comigo? Querido Deus, afasta-nos da tentação de querer apontar o erro dos outros sem perceber as nossas falhas. Afasta-nos de ter uma fé hipócrita. Afasta-nos de qualquer tipo de farisaísmo. Por Cristo Jesus. Amém!

Benção: Que Deus mantenha a tua cabeça fria, o coração quente, as mãos abertas e os pés sem pressa e sem preguiça. Que assim te abençoe o Deus que é Pai, Mãe, Filho e Santo Espírito. Amém!


Bem aventurados - Mateus 5.1-12 - P. Luis Carlos de Oliveira - 24 de novembro de 2021

Olá! Bom dia! Paz e bem a todas e todos vocês. Somos gratos pela noite que o Senhor nos deu e O bendizemos por mais um dia que Ele coloca à nossa disposição.

Convido vocês para iniciarmos este dia com um breve momento de reflexão e de oração. Queremos trazer tudo na presença do Senhor e viver mais um dia sob sua mão.

Nossa reflexão de hoje está nas Bem-aventuranças. Vamos ler este texto e depois oramos ao Senhor.

Mateus 5.1-12 diz assim:

Vendo Jesus as multidões, subiu ao monte, e, como se assentasse, aproximaram-se os seus discípulos;
e ele passou a ensiná-los, dizendo:
Bem-aventurados os humildes de espírito, porque deles é o reino dos céus.
Bem-aventurados os que choram, porque serão consolados.
Bem-aventurados os mansos, porque herdarão a terra.
Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque serão fartos.
Bem-aventurados os misericordiosos, porque alcançarão misericórdia.
Bem-aventurados os limpos de coração, porque verão a Deus.
Bem-aventurados os pacificadores, porque serão chamados filhos de Deus.
Bem-aventurados os perseguidos por causa da justiça, porque deles é o reino dos céus.
Bem-aventurados sois quando, por minha causa, vos injuriarem, e vos perseguirem, e, mentindo, disserem todo mal contra vós.
Regozijai-vos e exultai, porque é grande o vosso galardão nos céus; pois assim perseguiram aos profetas que viveram antes de vós.

Esta é a palavra para hoje. Vamos viver este dia buscando a presença do Senhor e sermos bem aventurados em nosso proceder. O Senhor é conosco. Bendito seja!

Convido para um momento de oração:

Bondoso Deus! Obrigado por mais uma noite de descanso que tivemos. Tua mão nos acompanhou e nos deu este novo dia que aí está. Queremos viver nas tuas bem-aventuranças neste dia. Guarda-nos do mal e nos ajuda a fazer tua vontade. Sabemos que teu Espírito vai nos conduzir. Dá-nos disposição para deixarmos teu Espírito agir em nós e através de nós. Que tua graça nos acompanhe sempre. Pedimos por nossa família, pelas pessoas com as quais vamos conviver. Dá-nos um bom testemunho de tua presença em nossa vida. Por Jesus Cristo, nosso Senhor. Amém.

Tenham todas e todos um ótimo dia e fiquem com Deus.  

 


Não tenha Medo - Marcos 5.36 - P. Astor Albrecht - 22 de novembro de 2021
 

Em Marcos 5.36 lemos: “Não fazendo caso do que eles disseram, Jesus disse ao dirigente da sinagoga: ‘Não tenha medo; tão somente creia’”.

Há situações na vida em que aquilo que temos para oferecer não é nada quando comparado ao que estamos pedindo. Jairo está num momento assim. O que poderia oferecer em troca da saúde de sua filha? Este pai vai e pede com todas as suas forças e fé a ajuda de Jesus.

Mas antes de Jesus chegar com Jairo até a sua casa para cuidar da menina que está muito doente, eles são interrompidos por emissários que chegam da sua casa. Eles trazem uma péssima notícia. Na verdade, a pior de todas: “’Sua filha morreu’, disseram eles. ‘Não precisa mais incomodar o mestre!’” (Marcs 5.35).

É neste momento que Jesus assume o controle da situação. O texto bíblico afirma: “Não fazendo caso do que eles disseram” (v.36). Eu gosto demais desta frase. Há um princípio crítico aqui presente que nos ensina sobre o que não deveria ser acolhido. Há vezes que você precisa ignorar o que as pessoas dizem. Desligue elas. Feche os olhos. E, se for o caso, se afaste.

Ignore aqueles que dizem que é tarde demais para recomeçar. Desconsidere quando dizem para você que nunca conseguirá coisa alguma. Sobretudo, não aceite quando dizem que nem o Senhor pode te ajudar.

Há ocasiões em que a fé é fortalecida quando colocamos algodão nos ouvidos. Jesus voltou-se para aquele pai e lhe falou ao coração: “Não tenha medo; tão somente creia” (v.36).

Vamos orar: Senhor Jesus, tu nos disseste que teremos problemas e provações aqui na terra mesmo sendo teus filhos e filhas. Mas tu também prometeste nos ajudar a lidar com esses problemas. Tu prometeste tua graça para superar e tua força para suportar e vencer os dias difíceis que surgirão em nosso caminho. Em ti queremos confiar. Ajuda-nos. Amém”.


Dia da Consciência Negra - Tiago 2. 8-9 - P. Francisco Santos - 20 de novembro de 2021
 

“Se vós, contudo, observais a lei régia segundo a Escritura: Amarás o teu próximo como a ti mesmo, fazeis bem; se, todavia, fazeis acepção de pessoas, cometeis pecado, sendo arguidos pela lei como transgressores” (Tiago 2. 8-9).

Olá! Graça e Paz. O dia 20 de novembro, passou a ser feriado nacional, Dia de Zumbi e da Consciência Negra. Para que serve essa data? Nós como Igreja e sociedade necessitamos enfrentar o racismo.

Quero trazer como referência uma jovem liderança afrodescendente, Gustavo Gomes, com 11 anos, foi homenageado com o Prêmio Cidade São Paulo, em 2015 e lançou um livro de poesias. Uma dessas poesias em seu livro se chama “Consciência” que partilho agora com vocês: Esse é o dia de lembrar o que o preconceito traz: nada! Já que por dentro todos somos iguais: ao contrário do que muitos pensam cultura Africana não é só capoeira e samba. Existem comidas, tradições, lendas vindas das terras africanas. Que haja paz, amor e boa vida, igualdade entre todos e muita, muita alegria.

A Igreja deve ser espaço de acolhimento e resistência a uma sociedade que discrimina e segrega pessoas por conta da cor da pele, religião ou cultura. Racismo é pecado, pense sobre isso.

Oração: Que tenhamos a consciência de que Deus não faz acepção de pessoas, somos iguais. Ele não mostra favoritismo com essa ou outra etnia. Senhor, tira de nossos corações toda forma de preconceito, seja racial ou qualquer outro. Devemos amar e respeitar as pessoas conforme nos ensinou Jesus Cristo.Que assim seja!

Benção: O Senhor esteja a tua frente para te mostrar o caminho correto, o Senhor esteja ao teu lado para te abraçar e proteger, o Senhor esteja atrás de ti para te proteger das flechas do inimigo. O Senhor esteja dentro do teu coração para te consolar quando estiver triste. O Senhor esteja acima de ti para te abençoar. Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém! 


A Segunda Vinda de Cristo - Apocalipse 22.20 - P. Me. Marcos Ebeling - 18 de novembro de 2021
 

Irmão e irmã, a paz.

Você crê na 2ª vinda de Cristo? O fim do calendário litúrgico nos faz refletir sobre os últimos dias.

Em Apocalipse capítulo 22, versículo vinte lemos: “Aquele que dá testemunho de tudo isso diz: Certamente venho logo! Amém. Vem, Senhor Jesus!”

João expressa uma fé confiante na 2ª vinda de Cristo. Nós também, no Credo Apostólico. Mas ninguém sabe como isto se dará.

Martim Lutero de um jeito muito pedagógico, comparou este tempo de ansiedade e espera pela vinda como a pessoa doente. A pessoa está doente e vai ao médico. Após consulta, o médico aplica uma medicação. Então cria-se a seguinte situação: a pessoa ainda está doente, com febre e dores, mas vive a esperança de que amanhã estará melhor pois foi medicada. Mas hoje ainda não está boa. Se não tiver cuidado poderá ter uma recaída e piorar sua situação.

Vivemos o mundo das dores e desencontros, um mundo “doente”. Mas é um mundo medicado pela fé. Em meio ao caos ouve-se a voz da promessa de Cristo que diz “vou voltar” e devolver a todas as pessoas abundância de vida (João 10.10), paz (1 Ts 5.23), justiça, redenção (Lc 21.28) e vida eterna (1 Co 15.35ss).

A fé na promessa da segunda vinda de Cristo mantém em nós a esperança que aponta para além das dores do momento e nos dá a certeza de que vale a pena perseverar em Cristo.

Nós já somos pessoas medicadas pela fé para acrescer esperança a um mundo doente, injusto e violento. Nossa voz é convidada a ecoar o fim deste tempo e a vinda de um novo tempo em Cristo.

Apocalipse 22.20 é o penúltimo versículo da Bíblia. Também as dores hoje experimentadas são penúltimas, pois a última palavra é da vida abundante em Cristo Jesus. Nisto cremos.

Amado Deus. Como é bela tua mensagem de esperança. Ela nos é luz e fonte de amor para um dia difícil. Torna nosso dia mais leves. Dá-nos a certeza de que o tempo difícil não durará para sempre e que, ao voltares, tornarás concreta e real a paz tão sonhada e desejada. Até lá, Senhor, mantém em nós esta fé viva que, movida pela esperança, se coloca em movimento. Por Jesus Cristo, amém.


Senhor, meu Deus, quando eu maravilhado - Interpretação: Musicista Fábio Lahass e Mezzo-Soprano Mônica Silva - 17 de novembro de 2021
 

1. Senhor, meu Deus,quando eu, maravilhado,
contemplo a tua imensa criação,
a terra e o mar e o céu todo estrelado
me vêm falar da tua perfeição:

Estr: Então minh’alma canta a ti, Senhor:
“Grandioso és tu, grandioso és tu.”
Então minh’alma canta a ti, Senhor:
“Grandioso és tu, grandioso és tu!”

2. E quando penso quanto Deus me ama —
que em meu lugar na cruz Jesus sofreu,
a gratidão meu coração inflama,
pois foi por mim que ele padeceu.

3. Tua palavra veio revelar-me
o eterno alvo que devo alcançar.
Com tantas bênçãos vens presentear-me:
Eternamente hei de te louvar! (623 LCI)


Não perca a fé - Romanos 4.18, 20-21 - Pa. Argéli Karsburg - 16 de novembro de 2021
 

Que a paz de Jesus Cristo guarde seu dia. Amém.

Tantas vezes a vida nos coloca em situações tão difíceis e dolorosas que não somos capazes de encontrar motivos para ter esperança. Talvez isto já aconteceu, está acontecendo ou venha a acontecer contigo.

Quero partilhar contigo uma passagem de Romanos 4. 18; 20-21 a respeito de Abrão. Assim está escrito:
“Abraão teve fé e esperança, mesmo quando não havia motivo para ter esperança, e por isso ele se tornou “o pai de muitas nações”. Como dizem as escrituras: “os seus descendentes serão muitos. Abrão não perdeu a fé, nem duvidou da promessa de Deus. A sua fé o encheu de poder, e ele louvou a Deus porque tinha toda certeza de que Deus podia fazer o que havia prometido”.

Meu querido irmão, minha querida irmã!
Mesmo que não exista motivos para ter esperança não perca a sua fé e jamais duvide do poder do nosso Deus. Louve a Deus mesmo quando você não vê nada em sua frente, como fez Abraão pois Deus é totalmente capaz de cuidar de você.

Convido você para uma oração de costumo fazer.
Senhor que eu tenha fé suficiente para jamais duvidar de ti. Amém.


Jubileu de Diamante - Salmo 136.1 - P. Francisco Santos - 15 de novembro de 2021
 

“Deem graças a Deus, o Senhor, porque ele é bom; e o seu amor dura para sempre.’’ Salmo136.1

Olá, Paz e Bem! Hoje 15 de novembro de 2021, a Igreja Luterana de Niterói, está comemorando 60 anos de inauguração de seu espaço de Comunitário de fé, em Niterói, Paróquia Esperança.

A história do início da Igreja Luterana, Paróquia Esperança em Icaraí, começou com a articulação das mulheres juntamente com o Pastor Zwilling, no ano de 1949, onde iniciaram um trabalho voluntário nos bazares e festas para a aquisição de um espaço próprio, que aconteceu no ano de 1954.

O salão Comunitário teve seu projeto arquitetônico assinado pelo arquiteto Paulo Quevedo, as paredes são de concreto, uma parte em madeira e outras em vidro, e janelas que se abrem para um jardim interno, e para o pátio que há entre o salão e a casa Pastoral. Na década de 70, os Cultos deixaram de serem realizados na sala da antiga casa e passaram a serem celebrados no salão Comunitário.

Pensando nessa trajetória da Igreja, ao celebrarmos o Jubileu de Diamante 1961-2021, recebemos o desafio de avaliar a jornada percorrida até aqui. Lembremo-nos das diversas luteranas e luteranos que ofertaram seus dons, orações e recursos para que a Igreja se consolidasse como um sinal de amor e diaconia do Evangelho para o bem da cidade de Niterói.

Nestes 60 anos tivemos momentos de alegria e êxito, principalmente na celebração do Jubileu de Ouro, em 2011, a celebração contou com a presença da saudosa Pa. Margarete Engelbrecht, que conduziu os intensos momentos de gratidão, oração e louvor. Foi um momento comemorado com alegria os sinais da vida criados pelo espaço comunitário de fé.

Desejamos que Deus continue abençoando todas a famílias que colaboram com a Igreja Luterana, para que possa continuar sua missão de cuidar de pessoas, celebrando a vida e testemunhando o Evangelho. Continuamos nossa jornada com comunhão e fé com vontade de superar obstáculos e de vencer desafios e a fé em um Deus amoroso que nos carrega nos braços como um filho ou uma filha.

Que venham outros 60 anos. Fiquem com Deus. Amém!


Cuidado com a saúde do nosso corpo - João 10.10 - P. Eldo Krüger - 13 de novembro de 2021
 

Jesus Cristo diz: “Eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância” (João 10.10). Vida plena e abundante inclui o cuidado permanente com a saúde do corpo. Salvação inclui cuidado com o corpo e a saúde.

Assim sendo, quero hoje lembrar a campanha NOVEMBRO AZUL, uma campanha de sensibilização e informação sobre o câncer de próstata, nos convida a cuidarmos bem da nossa saúde. A nossa Igreja apoia essa campanha.

O Câncer de Próstata, o mais recorrente nos homens e o segundo tipo que mais mata, é uma doença silenciosa que não costuma apresentar sintomas. A detecção precoce pode aumentar em 90% as chances de cura, mas pra isso os homens precisam vencer o preconceito que atrapalha na prevenção.

A prevenção é fundamental e pode evitar sofrimentos. Segundo o Instituto Nacional do Câncer, o câncer de próstata ocorre principalmente em homens mais velhos. Cerca de 6 em cada 10 casos são diagnosticados em homens com mais de 65 anos, sendo raro antes dos 40 anos. Quando há casos de câncer de próstata na família a recomendação médica é que a prevenção seja feita a partir dos 45 anos. Se não há casos de câncer de próstata na família o homem deve visitar o urologista anualmente a partir dos 50 anos e realizar o exame de toque e de PSA, principais meios para detectar a doença precocemente e aumentar as chances de cura e de tratamentos menos invasivos.

Queridos amigos! A vida é dádiva de Deus. O nosso corpo é criação e santuário de Deus. Cuidemos bem do nosso corpo e da vida que Deus nos deu. Dessa forma podemos evitar sofrimentos. Pense nisso com carinho!

Termino convidando você a se unir comigo em oração: Senhor, anualmente mais de um milhão de homens é diagnosticado com câncer de próstata. Neste momento, nos achegamos a ti em oração e de forma especial, intercedemos pelos homens. Oramos, para que cada homem cuide bem do seu corpo. Ajuda, ó Deus, para que todos os homens sejam sábios em cuidar bem de seu corpo e saúde. Cuida de todas as pessoas que já se encontram em tratamento ou recuperação. É o que nós te pedimos, em nome de Jesus. Amém.


Vigiar! - Mateus 24.42 - P. Ernani Röpke - 12 de novembro de 2021
 

Desejo que Deus lhe abençoe com belas realizações nesse dia.

No domingo de Advento, no dia 28 de novembro, a igreja inaugura um novo ano. Um novo tempo de espera. Por isso, até o romper do Advento os textos bíblicos indicados para reflexão apontam para o fim. Jesus disse aos seus discípulos em Mateus 24.42: “Fiquem vigiando, pois vocês não sabem em que dia vai chegar o seu Senhor”.

Falar em vigiar causa uma certa apreensão e até medo. Significa cuidar para não ser surpreendido. É estar atento. Vigiamos, pois achamos que algo externo vai nos colocar em perigo. O que Jesus, afinal, nos quer transmitir com o seu convite para vigiar?

Jesus ao convidar para vigiar não quer causar apreensão e medo. O seu convite para vigiar nos convida a uma reflexão interna. Ele nos convida a olhar para as nossas vidas. A vinda do Senhor é para dentro da minha vida. Como está a minha vida? Tenho paz interior? Consigo ver o que está errado na minha vida ou só consigo apontar os erros nas outras pessoas? Consigo também reconhecer o mal que existe em mim ou só na outra pessoa? Vigiamos as nossas próprias imperfeições ou apenas as imperfeições alheias? Ainda percebemos o mal que nos tenta ou nos aliamos a ele?

O convite de Jesus é para que possamos vigiar no seu amor, na sua paz, na sua justiça, na sua misericórdia e no seu perdão. É um vigiar que quer contribuir na diminuição da violência, da injustiça, da discriminação e do preconceito. É um vigiar que quer estender a mão a pessoa que está fragilizada, enferma e necessitada.

Deus veio em Jesus Cristo ao nosso encontro não para nos amedrontar, mas para nos fazer vigilantes no seu amor e testemunhas da sua salvação. Vamos juntos e juntas vigiar no amor do Cristo, pois é isso que renova a alegria e a esperança da vida e nos faz estar preparados para a sua chegada. Amém.

Oração: Senhor, ajuda-nos a vigiar na tua Palavra. Ela nos fala da tua verdade. Ela nos faz vigiar no amor, na paz, na misericórdia, na justiça e no perdão do teu Filho. Ela nos lembra que és um Deus fiel, um Deus que orienta e consola a nossa vida com o Espírito Santo. Amém.

Bênção: Que o Espírito Santo de Deus nos abençoe. Que ele nos conceda a força para vigiar no seu amor. Amém.


Relacionamento e Autoconhecimento - Provérbios 3.1-2 - P. Natanael da Silva - 11 de novembro de 2021
 

Filho meu, não te esqueças dos meus ensinos, e o teu coração guarde os meus mandamentos; porque eles aumentarão os teus dias e te acrescentarão anos de vida e paz. Provérbios 3.1-2

Estamos realizando esse momento de oração em nome do Deus Pai Filho Espirito Santo. Amém.

O autor do provérbio informa que a sabedoria está guardada no ensino. Você já percebeu essa situação humana. Muitas vezes, somos ou fazemos, conforme aprendemos? Esse aprendizado pode ser de forma pratica, quando uma pessoa nos ensina ou percebemos uma situação e aprendemos com ela ou, ainda, vemos um vídeo no Youtube sobre um assunto. Entrementes, também pode ser institucionalizada quando vamos até uma instituição para sermos instruídos em um determinado assunto. O Provérbios pede que não seja esquecido os ensinos que já foram recebidos. Aqui ele muda o foco não para o futuro, mas para o passado. O saber que já recebeste.

Esses ensinos devem ser guardados no coração, o coração como fonte do ensino chama a atenção, pois, é tratado como fonte de racionalidade e também emoção. O coração e a mente, que compreendeu essa verdade, adquiri sabedoria. Consequentemente terá longos dias de vida e paz.

Vocês conseguem perceber como as pessoas estão ansiosas, uma das situações que leva a esse estado, é a insegurança. A insegurança de que tudo mudou, que a família está com dificuldade, com a conquista de um novo trabalho, doença.

Para ajudar Deus deixou sua Palavra que ensina: Por isso, vos digo: não andeis ansiosos pela vossa vida, quanto ao que haveis de comer ou beber; nem pelo vosso corpo, quanto ao que haveis de vestir Mateus 6.25. Isso não quer dizer que vamos confiar cegamente, mas o texto quer nos ensinar o autoconhecimento e relacionamento. Essa informação é necessária para dizermos, Senhor aumenta minha fé, porque a situação está muito difícil. E o relacionamento nos ajuda para passarmos pelos problemas, pois ele é o Deus conosco, entende e compreende a nossa situação. Por isso guardemos suas palavras em nossos corações para vivermos hoje com alegria e saber que Deus tem cuidado de nós.

Oração: Deus que cria cuida de mim
Deus que Salva, mostra-me o teu cuidado
Deus que santifica, purifica meu coração. Amém.


Recordando o nascimento de Martim Lutero - P. Alberi Neumann - 10 de novembro de 2021
 

Hoje, dia 10 de novembro, recordamos o nascimento de Martim Lutero no ano de 1483, na Alemanha.

Lutero que, no desejo de seus pais, era para ter sido advogado, acabou sendo mesmo teólogo, professor, pastor, pregador, e reformador da igreja e da sociedade.

Para saber mais, eu recomendo a você assistir, por exemplo, no Portal Luteranos a microssérie Lutero: Muito Além da Religião (https://www.luteranos.com.br/conteudo_organizacao/500-anos/lutero-muito-alem-da-religiao). São 10 episódios lindíssimos! E no YouTube, o filme: Lutero (https://youtu.be/XQZ3Xfm8suI).

Nunca é demais dizer que Lutero foi há séculos, e ainda é hoje, inspiração para gerações em todo o mundo.

Por último, partilho um dos símbolos que condensa bem a confissão de fé de Lutero, criado por Katharina Von Bora, sua esposa, a pedido dele. É a conhecida Rosa de Lutero. Veja só que lindo:

Segundo o Reformador, Primeiro, no centro, deve haver uma cruz preta dentro de um coração para que eu seja lembrado que a fé no Crucificado (Jesus Cristo) nos salva. Pois quem crê de coração será justificado (Rm 10.10). “O justo viverá por fé” (Rm 1.17), pela fé no Crucificado; O coração deve estar no meio de uma rosa branca, para mostrar que a fé dá: alegria, conforto e paz. A rosa deve estar numa área de azul celeste, simbolizando que a alegria em espírito e fé é o começo da futura alegria no céu, que começa agora, mas é obtida em esperança, pois ainda não é revelada. Ao redor dessa área azul está um círculo dourado, simbolizando que a bênção da vida no céu dura para sempre; é sem fim. Tal bênção vai além de toda alegria e bens, assim como o ouro é o melhor metal, o mais valioso e precioso (Roteiro da OASE 2017, pág. 110).

Linda, não é mesmo?! Que a história de Martim Lutero seja sendo inspiração a todos e todas também hoje para reformas constantes na igreja e na sociedade. É dele a frase: Ore como se tudo dependesse de Deus. Trabalhe como se tudo dependesse de você. Amém.


Como foi seu dia de descanso? - Êxodo 33.14 - P. Rolf Rieck - 08 de novembro de 2021
 

Há anos tenho entre meus guardados uma série de slides entitulados “OS DOMINGOS PRECISAM SER FERIADOS”. Eles me inspiram hoje. Autor é o Rabino Nilton Bolder que, aqui no Rio, tive a satisfação de conhecer pressoalmente.

Hoje é segunda-feira e pergunto: Como foi seu dia de descanso? Seu Domingo foi um feriado?

A queixa é geral. Somos envolvidos em uma terrível “sociedade do cansaço”, não bastassem todos os desafios em “viver uma pandemia”. Se esta catástrofe global puder realmente ser um “freio de arrumação”, temos dado o devido respeito à nossa vida também em relação ao assunto “descanso”? Afinal, dar atenção ao descanso é dar atenção à vida.

O descanso preconizado pela lei bíblica — 3º mandamento — está relacionado a uma pausa respeitosa ao ciclo semanal da produção que, no nosso calendário, sempre recomeça às segundas-feiras. Deus descansou após seis dias de labor criacional. E a pausa foi determinada pelo Criador por saber que todo ser vivo precisa descansar para manter sua saúde física e mental.

Vejam a promessa que temos no livro do Êxodo 33.14 onde Deus diz a Moisés: “A minha presença irá contigo, e eu te darei descanso”. Com isso, Deus está dando segurança e sustento porque Ele é o autor da nossa esperança e segurança. Cada noite é uma pausa necessária assim como o inverno é pausa e mesmo a morte é pausa. E onde não há pausa, a vida lentamente se extingue.

No entanto, a pressão que sofremos é de que o mundo precisa funcionar 24 horas por dia, sete dias por semana. Com isso sofrem todos e não por último o meio ambiente. Também a Terra implora por uma folga. Os animais e o ciclo natural regenerativo de todas as coisas implora por pausa.

Nosso tempo de pausa parece ser necessariamente preenchido por alguma atividade. Precisa de diversão e alienação. Ou seja, o lazer não é feito de descanso, mas de ocupações “para não nos ocuparmos”. É o entretenimento que expressa o desejo de não parar e se divertir com alguma coisa que tenha a capacidade de nos distrair. Para isso formam-se longas filas, trânsito difícil, ajuntamento de pessoas, confusão. Ahh, e o fim de dia com gosto de vazio, não fossem as fotos que, eventualmente, tenham sido registradas.

Hoje é segunda-feira. O que faremos desta semana está, em parte, determinado pelo que fizemos ontem. O tempo de ontem não pode mais ser recuperado e pode estar nos marcando com uma ansiedade doentia no dia de hoje. Mas, durante a semana, poderemos resgatar as pausas que dão sentido à vida. Como Igreja da Reforma somos lembrados por Martin Luther: “Santifique o dia do descanso. Devemos temer e amar a Deus e, por isso, não desprezar a pregação e a sua palavra, mas devemos ter respeito por ela, ouvi-la e estudá-la com gosto”. Assim explicou o terceiro mandamento.

Podemos hoje começar a planejar nosso descanso no fim da semana. Vamos celebrar juntos Culto a Deus no domingo? Vamos privilegiar nosso tempo com Jesus Salvador e Senhor de nossa vida? Vamos começar uma caminhada de tempo de qualidade em oração e leitura da Palavra. Como diz o rabino: “Não haverá maior sábio do que aquele que souber quando algo terminou e quando algo vai começar”.

Oremos: Amado Deus. Nosso tempo de qualidade está em Tuas mãos. O sentido da nossa vida foi resgatado por teu Filho Jesus. Por isso nos dirigimos a ti em oração falando da nossa dependência de Ti para que tudo faça sentido em nossa vida. Aumenta em nós a confiança e, com isso, dá a nós o descanso. Quando nos deitamos para dormir, nosso Salvador, podemos avaliar o que Tu fizeste em nós. Quando descansamos, nosso Senhor, sabemos que nos amparas cheio de graça e misericórdia. Tu cuidas e providencias tudo em nosso favor quando colocamos a Ti em primeiro lugar em nosso tempo. Dá a nós a coragem de confiramos em Ti nesta nova semana, descansados. Amém.

Que a paz de Jesus traga alegria à sua vida. E não esqueçamos da promessa: “A minha presença irá contigo, e eu te darei descanso”.


Tempo de cuidar - Mateus 6.30 - PPHMista Jéssica Lais Kriese Duffeck - 06 de novembro de 2021

Bom dia!

Como você está?

Do que você precisa para viver? O que é realmente necessário para a sua sobrevivência?

Quando crianças, alguém sempre se preocupa pela gente, lembra que temos de comer, dormir, escovar os dentes. Quando crescemos, vamos gradativamente assumindo as responsabilidades de nossas vidas. E, às vezes, nos sentimos cansados e cansadas por tanta responsabilidade.

É muita coisa que precisamos gerir e dar conta, o que nos lembra que aquele cuidado que recebíamos quando crianças, precisa ser recordado, precisa ser feito por nós mesmos e a nós mesmos. Precisamos de tempo para nos cuidar.

Assim, como uma planta necessita de várias coisas para florescer e crescer, nós mesmos, quando grandes, ainda precisamos de um olhar carinhoso e de afeto.

Em Mateus 6.30 lemos: “E se Deus cuida tão maravilhosamente das flores que hoje estão aqui e amanhã já desaparecerão, será que Ele não vai, com toda a certeza cuidar de vocês?

Quero, neste dia em especial, lembrar que Deus tem esse cuidado e carinho conosco diariamente, ele nos alimenta para o bem crescer e nos dá o necessário para viver. Podemos confiar que ele sempre nos estende a sua mão.

Convido assim, para ouvirmos e cantarmos juntos e juntas o hino: Sabor e brilho. Que ele possa te animar, te cuidar e te guiar neste dia.

1. Uma planta necessita da chuva
e da terra bem fértil para não secar.
A videira que produz a uva doce
precisa ser bem limpa p'ra frutificar.
/:Somos plantas, ramos da videira em flor,
carentes do cuidado de um bom agricultor.
Deus nos alimenta para bem crescer.
É a fonte necessária p'ra viver.:/

2. Voa a ave, bem confiante, se lança no espaço,
abre as asas, livre pelo ar.
Da nascente brota a fonte
e o riacho percorre seu leito, vai parar no mar.
/:Somos caminhantes prontos para amar.
Enquanto a liberdade pela fé nos faz voar.
Deus nos acompanha, é nossa salvação.
Ele sempre nos estende a sua mão.:/

3. Cai o sal no alimento e logo se nota que ali há
novo e bom sabor.
Vem o sol detrás dos montes, dissipa as trevas e a terra
sente o seu calor.
/:Somos sal que o mundo pode saborear.
E luz que ilumina: nós nascemos p'ra brilhar.
Dá sabor à vida o sal que faz sorrir.
Brilha forte a luz disposta a servir. :/

 


Somos as pedras vivas de Deus: olhando para nossos lugares de culto: Parte 2 - P. Dr. Éder Beling - 04 de novembro de 2021
 

O local de culto faz parte da identificação e da relação dos membros com a sua igreja, nascemos e crescemos em determinado lugar, estamos enraizados com uma cultura e um lugar. Portanto, cada lugar de culto reflete a importância e a centralidade da mensagem evangélica em suas vidas. A falta de um local específico para o culto não implica na não identificação com a igreja e o Evangelho, no entanto, pode acarretar certa apatia e indiferença. E mesmo que o povo não se reúna numa igreja, a comunidade cristã tem a necessidade de se reunir em algum lugar marcado, esta reunião pode ser numa escola, numa casa, debaixo duma árvore, numa garagem, etc. Perpassaram por esses lugares vestígios de uma presença do sagrado (RASCHZOK, 2007, p. 573).

Em todos estes espaços imagens e símbolos nos remetem/rememoram a presença do sagrado. Nas igrejas ou em outros locais de culto sempre estarão presentes símbolos com a Bíblia, a cruz, as velas, as flores, a mesa (altar), as cadeiras ou os bancos, a pia batismal e os elementos da Ceia, etc. Sendo que, a organização desse espaço e seus elementos refletem a forma como entendemos a mensagem e centralidade do Evangelho de Jesus Cristo. No entanto, nesse local não devemos fazer história, mas vivê-la (AUGÉ, 2012, p. 53-54). Os locais de culto, nesse sentido, refletem a Jerusalém Celeste, a torre da igreja não aponta para o ser humano que ali entra, ela aponta para cima, para o Reino de Deus que desce e vem até nós, e se concretiza no nosso mundo.

É por isso que as igrejas enquanto local de reunião, de memória, de esperança, de sobrevivência, de epifania são espaços sagrados. Pois, os locais de culto representam “a experiência do sagrado”, já que “neles personificam-se não somente momentos de religiosidade, mas eles dão vivência à presença do divino” (BUSCH, 2010. p. 53). Os lugares de cultos são como “textos” que podem ser lidos e no qual ocorre uma sintopia com o divino. Com sintopia queremos dizer que da mesma forma como no corpo humano existe uma relação espacial entre os diferentes órgãos de corpo, há também uma relação do humano com divino através do espaço sagrado, seja através do canto, da arte, da arquitetura, da pregação e da liturgia.

Os lugares de culto sempre foram espaço de ensino e aprendizado. Por isso, todos os elementos que lá estão não possuem uma função somente decorativa, mas com suas cores, estampas, bordados, colorido, desenhos e símbolos possuem uma função educativa. O melhor exemplo é o vitral. Por muitos séculos ele foi considerado a biblia pauperum (bíblia dos pobres ou analfabetos). O vitral tem um sentido de evangelização através da imagem, muitas vezes mais forte do que a própria palavra escrita e falada. O vitral também é um verdadeiro catecismo ilustrado, pois ele está lá para todas as pessoas cumprindo a missão de ensinar as pessoas a missão de Deus.


E, entrando ele no barco, seus discípulos o seguiram - Mateus 8. 23 - Ma. Rosane Philippsen - 03 de novembro de 2021

 

Olá! A Palavra de Deus quer falar com nós. Sou Rosane Philippsen e faço parte da Comunidade de São José dos Campos, na Paróquia do Vale do Paraíba.

O final do ano está chegando. Passado o dia da Reforma já estamos nas últimas semanas do calendário litúrgico: logo começará o novo ano com o Primeiro Advento.

O comércio em geral tb nos lembra que Natal se aproxima, e, para as pessoas que creem em Cristo, celebram sua vinda e esperam sua volta.

Como igreja também é época de planejamento de atividades, de orçamento e calendário, certamente sua comunidade já fez ou está realizando seu plano para 2022. Mesmo com pandemia, não deixamos de planejar e buscar alternativas para testemunhar o Evangelho e continuamos fazendo.

Como remadores e remadoras num barco, é o esforço conjunto que faz o barco deslizar sobre as águas, sejam elas calmas ou turbulentas. Se você já observou, no remo, as pessoas que manejam os remos estão de costas para a chegada e dependem de uma referência para seu deslocamento.

Esta referência pode ser o ponto de saída ou as orientações do timoneiro. Num barco com timoneiro, ele é o único que tem a visão completa do ponto de chegada.

De forma semelhante, a Igreja de Jesus Cristo é este barco, que depende da força dos braços de seus tripulantes para se movimentar. Mas força sem direção pode ser inútil ou destrutiva. Carecemos da referência do passado e do timoneiro do barco, e no nosso caso, é Jesus Cristo.

E como tripulantes desta nau, devemos nos lembrar que estamos todos no mesmo barco e ele depende da nossa ação em sintonia e harmonia, para que possamos levar a boa nova de Cristo. Nosso testemunho e serviço é fundamental para viver a vontade de Deus para toda a criação e bem viver de seus filhos e suas filhas.

Essa breve meditação me faz lembrar o hino “Qual barco singra o mar” (LCI 577) e convido para orarmos juntas e juntas inspirados nesse cantico. Oremos: Como barco que singra pelo mar queremos ser sua igreja, Senhor! Não nos deixe esquecer que tu és o ponto de saída, a direção e o ponto de chegada. Que em meio às dúvidas, medos, anseios ou dor, tu nos guies e nos ampares. Sabemos que sem ti, o temor e a solidão nos domina, portanto, guia-nos, Senhor. Que juntas e juntos neste barco, remando em harmonia, possamos viajar para mais um ano, guiados e guiadas pelo bom navegador. Que permaneça a certeza de que unidos em seu nome, a coragem e a força teremos para alcançar o porto prometido. Amém.

Que Deus Pai de amor nos abençoe com a graça de Jesus Cristo e o ânimo de seu Santo Espírito. Amém.


Os mortos dormem em Deus - João 5.24-29 - P. Me. Marcos Ebeling - 01 de novembro de 2021
 

Irmãos e irmãs, a paz de nosso Senhor Jesus Cristo.

Amanhã é feriado no Brasil. É um feriado católico. Celebram finados. Um dia para lembrar e orar por quem faleceu antes de nós. Digo que é feriado católico pois para nós luteranos e luteranas esta data é celebrado no domingo da eternidade, também chamado de Domingo Cristo Rei, ou seja, domingo no qual declaramos que Jesus Cristo é rei e Senhor de vivos e mortos.

Quando falecemos, o que acontece conosco? O que é esse “dormir” em Cristo que tanto ouvimos falar?

Lutero ao ser questionado pelo tema ofereceu-nos profunda resposta de fé. Embora não seja possível dizer exatamente o que acontece conosco depois da morte, Deus nos permitiu saber que as almas vivem e descansam em paz, elas não correm o risco de sofrerem as dores e os tormentos infernais, mas que lhes está preparado um lugar onde dormem em paz. Ali são cuidadas pelo próprio Cristo.

Vejam o que faz uma mãe e um pai ao levarem seu filho para dormir à noite. Colocam-no no berço não para que morra, mas para que durma e descanse tranquilamente. Vigiam e velam a noite inteira e, ao menor barulho, lá estão para acudir a criança. Assim nossa alma é cuidada por Cristo, nosso Senhor e Salvador, até o dia em que Cristo voltar e ser tudo em todos, o dia do julgamento final.

A certeza da fé é esta: depois da morte nossa alma é cuidada e vive na presença de Deus, em sono profundo. (www.lutero.com.br)

Deixemos descansar em Cristo as pessoas que nos antecederam na morte. Elas agora são cuidadas por Cristo. Cristo também nos cuida diante das dores deste mundo e especialmente da saudade que sentimos. Sim, este é nosso Deus: Ele nos cuida antes e depois da morte. Nisto cremos e confiamos. Amém.

Nossa oração de hoje é a primeira estrofe do hino 221, do antigo Hinos do Povo de Deus, na voz de Elmo e Mariana Kempf (https://www.luteranos.com.br/textos/senhor-porque-me-guarda-a-tua-mao-1)


Um novo Cântico - Salmo 98 - P. Luis Carlos Oliveira - 30 de outubro de 2021
 

Olá! Bom dia! Acolho a todas e todos vocês, nesta manhã, desejando que paz e bem conduzam o seu dia de hoje e sempre.

Também saúdo a vocês lembrando o versículo 24 do salmo 118: Este é mais um dia que o Senhor fez; regozijemo-nos, e alegremo-nos nele. É presente de Deus para cada uma e cada um de nós, assim é motivo de grande alegria.

Antes de termos nosso momento de oração, convido para lermos o salmos 98, que é um salmo que convida a cantar, louvar e anunciar toda a bondade e a força de Deus. Tudo está posto para que tenhamos uma vida sob sua graça e sua misericórdia.

Lemos o salmo (98)
Cantem ao Senhor um novo cântico, pois ele fez coisas maravilhosas; a sua mão direita e o seu braço santo lhe deram a vitória!
O Senhor anunciou a sua vitória e revelou a sua justiça às nações.
Ele se lembrou do seu amor leal e da sua fidelidade para com a casa de Israel; todos os confins da terra viram a vitória do nosso Deus.
Aclamem o Senhor todos os habitantes da terra! Louvem-no com cânticos de alegria e ao som de música!
Ofereçam música ao Senhor com a harpa, com a harpa e ao som de canções, com cornetas e ao som da trombeta; exultem diante do Senhor, o Rei!
Ressoe o mar e tudo o que nele existe, o mundo e os seus habitantes!
Batam palmas os rios, e juntos, cantem de alegria os montes;
cantem diante do Senhor, porque ele vem, vem julgar a terra; julgará o mundo com justiça e os povos, com retidão.

Tudo está sob a mão do Senhor e Ele rege tudo. É motivo mais do que o suficiente para expressarmos, de todas as maneiras, nossa gratidão, nossa adoração, nosso louvor e anunciar a todas as pessoas que o Senhor é por nós. Ele nos conduz em meio a toda e qualquer situação. Bendito Seja.
Com este propósito, vamos viver este dia conforme tudo aquilo que Jesus nos ensinou e deixou na sua palavra, fazendo nossa vida ser um novo cântico ao Senhor.

Vamos ter um momento de oração: Amado Senhor nosso Deus. Agradecemos por mais um dia que se abre diante de nós. Tudo que aí está, está sob tua mão e, de tua maneira, vais conduzir nossa vida também neste novo dia. Por isso, entregamos nosso ser, nosso pensar e nosso agir nas tuas mãos e pedimos que nos faça viver conforme teu Evangelho. A tua graça está sobre nós, ajuda-nos a que esta graça também se espalhe de nós para as pessoas com as quais convivermos hoje. Teu amor é por nós e que nosso amor seja para com nosso próximo. Viveremos na certeza de que tua mão não se afasta de nós e sempre vai nos conduzir. Dá-nos um dia com tua presença e nada mais necessitaremos. Amém.

Fiquem com Deus e tenham um ótimo dia sob sua mão. Um bom dia a todas e todos.


Implicações da Reforma Protestante na Educação - P. Gerson Acker - 29 de outubro de 2021

 

Saudação: Olá meu irmão! Olá minha irmã! Que a graça e a paz de Jesus Cristo esteja contigo. Amém!

Reflexão: Nós estamos indo em direção ao dia da Reforma Protestante e por isso, estou dentro do nosso templo que literalmente está em reforma, para falar sobre as implicações da Reforma Protestante.

Essas implicações não aconteceram apenas no âmbito da religião, mas também se espraiaram para economia, para política e para questões sociais.

Lutero advogou desde muito cedo por uma escola pública, voltada para todas as pessoas, tanto para os meninos, quanto para as meninas. Lutero também desejava que o conhecimento partilhado nas escolas fosse um conhecimento útil, e ele bateu muito na tecla da importância da alfabetização de todas as pessoas.

Quero partilhar três frases de Lutero, justamente, sobre o tema da educação. Lutero diz: “A maior força de uma cidade é ter muitos cidadãos instruídos”. A ideia de que uma população com conhecimento é uma população adiantada, é uma população que se articula melhor e resolve melhor os problemas sociais. Cidadania e empoderamento popular a gente encontra em Lutero!

Uma outra frase de Lutero, dessa vez, voltada para os pais e para as mães. Ele diz assim: “Os pais que não mandarem seus filhos à escola, estão condenados ao inferno”. Lutero é bem taxativo em dizer que se um pai ou uma mãe não insere a educação na vida dos seus filhos, está condenando a si próprio e o seus filhos ao inferno.

E por último, não menos importante, talvez a frase mais importante, quando Lutero diz: “A cada um florim (a moeda da época) investido em armas, cem deveriam ser investidos em educação”. Para Lutero, um governo inteligente arma as pessoas com livros e não com armas.

Uma fé inteligente e consciente investe e advoga por educação. Que a gente não perca a educação, essa mola propulsora da Reforma Protestante. E que a gente possa advogar por ela, assim como Lutero fez!

Oração: Ora comigo? Querido Deus, nós queremos te agradecer por todos os professores e professoras. Suplicamos por escolas públicas com qualidade, para que todas as pessoas tenham acesso a conhecimento e assim possam melhorar a sua vida. Oramos em nome de Cristo Jesus, nosso Senhor e Salvador. Amém!

Bênção: Que Deus mantenha a tua cabeça fria, o coração quente, as mãos abertas e os pés sem pressa e sem preguiça. Que assim te abençoe o Deus que é Pai, Mãe, Filho e Santo Espírito. Amém!


Sociedade do cansaço - Jeremias 31.25 - Missionário Felipe Milani - 28 de outubro de 2021
 


Olá,

O filósofo Nietzsche, parecendo alertar sobre um futuro árduo para a civilização ocidental, em seu livro ‘humano demasiado humano’ escreveu: “Por falta de repouso nossa civilização caminha para uma nova barbárie (...) Uma correção precisa ser feita no caráter da humanidade. Fortalecer em grande medida o elemento contemplativo”.

Eu penso que enquanto sociedade fomos ou somos tão ávidos(as), insaciáveis nos ideais do progresso e desenvolvimento que acabamos desvalorizando algumas coisas vitais. Por exemplo: o ócio, o repouso, a quietude, o arejamento da mente e do corpo, a vida contemplativa.

Nos entregamos a um estilo de vida predatório. Exploramos tanto a natureza, exploramos tanto a nós mesmos, cobramos tanto uns dos outros, uma das outras. Como consequência, fazemos parte hoje do que alguns pensadores tem chamado de a sociedade do cansaço.

Por ultrapassar nossos limites, por termos dificuldades de dizer não, cansamos. Há cansaço no trabalho, em casa, na igreja, no cuidado com os filhos, cansaço mental, emocional. Chega um momento que o corpo, a mente, o planeta vão pedir arrego, como dizemos popularmente.

Uma correção precisa ser feita no caráter da humanidade. Fortalecer o elemento contemplativo, quer dizer, redescobrir uma humanidade profunda, libertadora, que cultiva a simplicidade de ser apenas si mesmo.

Enquanto trabalhamos na formação ou redescoberta de uma mentalidade contemplativa, e nisso a fé cristã pode em muito contribuir, acolhemos ao mesmo tempo a Palavra de Deus que promete não nos deixar num abatimento ou num cansaço perpétuo:

Através do Profeta Jeremias 31.25, Deus comunica: “Vou restaurar os corpos cansados. Vou renovar as almas fatigadas”.

Que assim seja! Que assim encontremos repouso e contemplação para melhor ser e viver neste mundo (e evitar novas barbáries).

Até mais.


Formação humana - P. Eldo Krüger - 26 de outubro de 2021
 

O ser humano não nasce pronto. É um Ser em permanente processo de formação. Conforme foi estabelecido pela UNESCO, todo processo de formação e desenvolvimento humano deve considerar quatro saberes: “saber ser, saber fazer, saber aprender e saber conviver”.

Esses saberes, que na verdade se entrecruzam, não são válidos apenas para um período da vida, como quando estamos estudando na escola ou na Faculdade. O aprendizado desses saberes vale durante toda a existência aqui na terra. Como a vida é dinâmica e vai mudando com o passar do tempo, nós precisamos sempre estar abertos para aprender o Saber da Vida. Isso é fundamental para a construção e a realização do nosso ser.

O saber é essencial para o crescimento e a manutenção integral do Ser humano. Mas o saber não se restringe somente a razão e ao intelecto, a assimilação e entendimento de conhecimentos conceituais teóricos. O saber também tem a ver com experiência, vivência e prática. O aprendizado do saber envolve a pessoa toda, tem a ver com a vida que pulsa no corpo, na alma e no espírito da pessoa.

Saber ser. Esta é uma lição importantíssima. É condição para alguém ser feliz, condição para alguém prosperar e ter ima vida bem sucedida. A maior realização e satisfação da vida não estão no ter, mas no Ser. o sentido e a felicidade da vida está nas essencialidades, isto é, está valores nos morais e espirituais que o afirmam e promovem como “pessoa criada a imagem e semelhança de Deus”, está na pureza e firmeza do caráter e na integridade moral e espiritual. É isto que desenvolve a dignidade e o sentido da vida humana.

Saber fazer. Deus criou o homem com a capacidade de criar e fazer coisas. Isto significa que toda pessoa carrega consigo um grande potencial criador, tem dons e habilidades que precisam ser descobertas, estimuladas, desenvolvidas e colocadas em ação como instrumento de serviço em favor da vida. Cada pessoa precisa investir na sua capacidade de fazer, buscar aperfeiçoá-la e melhorá-la. Isso não é só uma exigência do mundo globalizado de hoje, mas é uma necessidade de vida. Na medida em que sabemos criar e fazer (bem) coisas, experimentamos alegria e realização.

Saber aprender. Toda pessoa deve ser humilde, interessada e aberta para aprender. O aprender sempre, e sempre mais. Aprender nunca é demais. Precisamos estar sempre adquirindo e refletindo conhecimentos, procurar conhecer e saber mais do que sabemos.

Aprender é condição para o nosso crescimento, autonomia e responsabilidade para com a vida que temos. O exercício do aprender é fundamental, nos capacita a administrarmos e orientarmos nossa vida com inteligência e sabedoria, desenvolve nosso senso crítico e nossa visão de mundo.

Saber conviver. O ser humano é um ser social que necessita relacionar-se e conviver com outras pessoas. Isso é fundamental para o crescimento. Mas convivência exige aprendizado e capacitação. As pessoas são diferentes umas das outras. São pecadoras, têm fraquezas e limitações, cometem erros e provocam sofrimentos. Isso faz com a proximidade e interação humana nem sempre sejam fáceis. Saber conviver bem, com paz e harmonia, é um desafio diário. Exige de todos um coração repleto de bondade e amor, compreensão e misericórdia, respeito e aceitação, tolerância e capacidade de perdoar.

“Saber ser, saber fazer, saber aprender e saber conviver”. Todos esses saberes são necessários para a formação e o desenvolvimento integral do ser humano. Um conselho: alimentemos e pautemos a nossa vida não só com o saber dos homens, mas principalmente com o Saber (revelação) que provém de Deus, saber este que encontramos registrado na Bíblia Sagrada. Pense nisto!


 

Orai sem cessar - 1 Tessalonicenses 5.17 - P. Elton Pothin - 25 de outubro de 2021
 

Gostaria de refletir com vocês sobre a oração a partir de pessoas que dizem:

- Eu não oro, eu medito e, na meditação, encontro Deus.
- Deus conhece os meus problemas. Não é necessário orar.
- Orações não resolvem. O trabalho é que resolve.
- Você não pode mudar o futuro com orações.
- Oração é autossugestão, dirigida a você mesmo.
- Até mesmo as orações motivadas por boas finalidades muitas vezes ficam sem resposta.

A todas essas objeções, nós, que somos cristãos, respondemos::

Qual o pai que não se alegra ao ouvir a voz do seu filho ou da sua filha? Qual pai não gosta de conversar com seu filho? É por isso que eu oro.
Tenho mais alegria em receber alguma coisa depois de a pedir de coração do que em recebe-la sem pedir. É por isso que eu oro.

Eu também necessito de orientação e de força para trabalhar. É por isso que eu oro.
A oração redireciona meus propósitos e minhas atitudes para o bem. É por isso que eu oro.
Quando não enxergo nenhuma saída para escapar das redes do poder do mal, do diabo, eu sei que Deus pode me fortalecer na fé. É por isso que eu oro.
Quando ninguém mais é capaz de me ajudar, eu sei: Deus pode me ajudar. É por isso que eu oro.
A oração que é compartilhada na Igreja destrói nosso egoísmo e alimenta a fraternidade e a unidade. É por isso que oro com meus irmãos e irmãs na fé.

As orações alimentam dentro de mim os bons propósitos e me encorajam a usar o meu tempo e a minha energia para o bem. É por isso que eu oro.
Quando olho ao meu redor e vejo tudo que Deus fez para o meu bem-estar, fico feliz. É por isso que eu oro.
Quando olho para Jesus, o Filho de Deus, que morreu na cruz e ressuscitou para perdoar meu pecado e me salvar, meu coração fica sereno e em paz. É por isso que eu oro.

Assim poderíamos continuar a muitos motivos para orar. Por isso, ouça o conselho do Apóstolo Paulo: orai sem cessar.

Por isso, a cada dia, peça a Deus: “Ajuda-me a ser uma pessoa que ora.” Deus nos abençoe. Amém.


Sou conhecido - Salmo 139.1-4 - PPHMista Evair Tonn - 23 de outubro de 2021
 

Senhor, tu me sondas e me conheces. Sabes quando me sento e quando me levanto; de longe conheces os meus pensamentos. Observas o meu andar e o meu deitar e conheces todos os meus caminhos. A palavra ainda nem chegou à minha língua, e tu, Senhor, já a conheces toda. Salmo 139.1-4

Deus nos conhece por inteiro, cada detalhe de nossas vidas. Sabe aquilo que pensamos, aquilo que desejamos. Sabe inclusive aquilo que temos escondido nos cantos de nosso coração, que as demais pessoas não sabem; Deus sabe, Deus conhece. Inclusive, aquilo que os olhos humanos não veem.

Deus conhece a minha e a sua vida e não deixa de levar em conta o que passa no íntimo do nosso coração. Mesmo assim não usa seu conhecimento contra nós, porque nos quer bem. Como ele pode nos amar, mesmo conhecendo tudo isso sobre nossa vida? Deus ama sua criação e nós somos sua boa criação. Ele nos fez a sua imagem e a sua semelhança. Ele não ama nosso desejo egoísta, aquilo que fazemos contra a sua vontade, mas nos ama porque somos sua boa criação.

Assim ele também quer que amemos as pessoas que estão a nossa volta. Jesus diz que devemos amar o próximo como ele nos amou. Deus nos amou primeiro, nos resgatou do nosso pecado, nos enviou seu Filho amado para que tenhamos acesso ao Deus Pai; assim termos esperança na vida eterna.

Deus quer que levemos a mensagem de amor, que é o seu Evangelho, aos que estão a nossa volta. Assim, mais pessoas o conhecerão e se aproximarão dele. Que ele nos use e nos capacite nessa boa obra que é levar o seu Evangelho para mais pessoas.

Oração
Senhor Deus e Pai, muito obrigado por vir a nosso encontro com tanto amor e graça, nos reconciliando contigo. Agradeço por nos perdoar, aceitar e direcionar. Nos fortaleça para fazermos a sua vontade. Ajude-nos para levarmos a tua mensagem adiante, para impactarmos as pessoas a nossa volta, cuidando da sua boa criação. Zelando pelo bem estar das pessoas da nossa rua, bairro, cidade e país. Ajuda-nos por que isso nem sempre é fácil, para testemunharmos esse amor que o Senhor tem por nós. Tudo isso colocamos em sua presença, pedimos e agradecemos em nome de Jesus, amém.


Nosso valor é nato - Salmo 115.12-13 - P. Astor Albrecht - 22 de outubro de 2021
 

No Salmo 115.12-13 lemos: “O Senhor lembra-se de nós e nos abençoará (...) abençoará os que temem o Senhor, do menor ao maior”. Na Bíblia a pessoa está indo para algum lugar. Tem um destino maravilhoso. Estamos sendo preparados para caminhar pelo corredor da igreja e nos tornarmos a noiva de Jesus. Viveremos com ele. Reinaremos com ele. Nós somos considerados. Somos valiosos. E, além disso, nossa importância está embutida. Nosso valor é nato.

Sabe, se houvesse uma única coisa que Jesus quisesse que entendêssemos, seria isto: uma pessoa vale alguma coisa simplesmente porque é uma pessoa. É por isso que ele tratou as pessoas do jeito que tratou. Pense nisso. A menina flagrada fazendo bagunça com quem não deveria – ele a perdoa. O leproso intocável que pediu para ser limpo – ele o tocou. E o caso do cego à beira do caminho – ele o honrou. E aquele farrapo humano viciado em autopiedade sentado junto ao poço de Siloé – ele o curou!

Ouça com atenção. O amor de Jesus não depende daquilo que fazemos para ele. De forma alguma. Aos olhos do Rei, você tem valor simplesmente porque você existe. Você não precisa parecer bom nem sair-se bem. Seu valor é nato.

Pense nisto por apenas um minuto. Você é pessoa valiosa e amada simplesmente porque você está aí. Vamos orar:

Pai celestial, tu criaste todas as coisas e existimos para ti. A terra gira para ti. A lua brilha para ti. As flores explodem em botão para ti. Oro pedindo que minha vida traga glória a ti. Quero usar meu talento e minhas habilidades para ti. Todos os meus pontos fortes e fracos são para tua glória. Bendito seja sempre teu nome. Amém.


Deus é Castelo Forte - Salmo 46. 1 - P. Alberi Neumann - 21 de outubro de 2021

 

Que a graca, a paz e o amor de Deus sejam com todos e todas nós. Amém.

No Salmo 46. 1, lemos: Deus é o nosso refúgio e fortaleza, socorro bem presente nas tribulações.

Lutero se baseou neste Salmo para compor o hino Deus é castelo forte, cantado em todo o mundo, inclusive em igrejas ecumênicas.

Não sabemos ao certo quando Lutero compôs esse hino. Uma hipótese é que tenha sido quando a cidade de Wittenberg, em 1527, enfrentava a terrível ameaça da peste.

Trata-se de um hino de confiança em Deus e de consolo, em toda e qualquer tribulação e angústia. Sua letra transmite a mensagem de que em Deus podemos confiar, sempre, em todas as circunstâncias, as mais dramáticas que sejam, inclusive quando a morte se aproxima, pois Seu reino é nossa herança.

Convido a cantarmos juntos/juntas esse belo hino:

1 – Deus é castelo forte e bom, defesa e armamento.
Assiste-nos com sua mão, na dor e no tormento.
O rei infernal das trevas do mal,
com todo o poder e astúcia quer vencer:
igual não há na terra.

2 – A minha força nada faz, sozinho estou perdido.
Um homem a vitória traz, por Deus foi escolhido.
Quem trouxe esta luz? Foi Cristo Jesus,
o eterno Senhor, outro não tem vigor;
triunfará na luta.

3 – Se inúmeros demônios vêm, querendo exterminar-nos:
Sem medo estamos, pois não têm poder de superar-nos.
Pois o rei do mal, de força infernal,
não dominará, já condenado está
por uma só palavra.

4 – O Verbo eterno vencerá as hostes da maldade.
As armas o Senhor nos dá: Espírito, Verdade.
Se a morte eu sofrer, se os bens eu perder:
que tudo se vá! Jesus conosco está.
Seu Reino é nossa herança! 


Somos as pedras vivas de Deus: olhando para nossos lugares de culto: Parte 1 - P. Dr. Éder Beling - 19 de outubro de 2021
 

As pessoas se relacionam no tempo e no espaço. Como seres humanos relacionais não podemos escapar desse binômio. Toda relação humana, seja com o mundo, com as pessoas ou coisas, está intimamente ligada a estes dois: o tempo e o espaço. Afinal, o ser humano não é um ser atemporal e não-espacial. É imprescindível, refletir sobre o espaço e o lugar que se ocupa e habita no mundo. O ser humano vive num espaço organizado, seja por ele ou por outros; o qual passa constantemente por mudanças. A partir da antropologia tem-se falado da dificuldade de relação das pessoas com o espaço e como este tem, de certa forma, dificultado as relações do ser humano com seu semelhante.

Dessa forma, deveríamos refletir mais sobre o espaço e o lugar vivenciado ocupado pelo ser humano no mundo que ele habita e mora. Nesse artigo queremos refletir sobre o espaço litúrgico de nossas igrejas, nossos lugares de culto, com sua liturgia e a sua arquitetura. Quando falamos em “lugar de culto”, expressamos o que para muitos de nós é o espaço sagrado, igreja ou templo. Eu tenha a preferência em falar de “lugar culto”, pois o termo igreja pode ter a conotação de instituição (Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil, Igreja Católica Apostólica Romana, por exemplo), enquanto o termo templo faz referência somente à arquitetura e ao prédio enquanto espaço físico. “Lugar de culto” é, portanto, a relação entre espaço sagrado, igreja e templo, onde os três encontram-se unidos.

Isso não quer dizer que nossos lugares de culto não sejam espaços sagrados, muito pelo contrário, eles são verdadeiramente sagrados, pois nele pode-se vivenciar e experimentar a ação libertadora de Cristo, comungar na fé com outras pessoas irmãos, e compartilhar os Sacramentos: Batismo e Ceia do Senhor. Mas, o lugar de culto é sagrado somente porque nele há uma liturgia que é celebrada, um povo que se reúne entorno da sua fé, e os Sacramentos do Batismo, da Ceia e da Palavra são celebrados.

O sinal da espiritualidade cristã que se expressa através dos lugares de culto ajuda a transformar corações e mentes, que também são espaços sagrados. Mesmo as ruínas de uma igreja têm o poder e a força de nos fazer rememorar os acontecimentos salvíficos. Não se rememora o que se celebrou antes da igreja ser uma ruína, mas as pessoas rememoram aquilo que elas celebraram em suas comunidades e vivenciam tal experiência na ruína. Da mesma forma acontece quando entramos numa igreja desconhecida, ora haverá pessoas que se sentirão bem, ora haverá pessoas que rememoram a sua fé. Aqui se torna perceptível que o que transforma o espaço em sagrado, passa pela redescoberta da Reforma, o somente a fé e o somente Cristo.


Quem tem ouvidos para ouvir, ouça! - Ezequiel 3.27 - P. Rolf Rieck - 18 de outubro de 2021
 

“Onde dois ou três me invocam ao orar, ali estarei”, diz Jesus (Mt 18.20).

Deus Criador, Jesus Salvador e o Espírito Santo Consolador deixam-se encontrar onde pessoas se reúnem em seu nome, como aqui, mesmo que distanciados. Bem vindas/os.

Quase desde o início da pandemia do COVID-19 o Sínodo Sudeste tem nos convidado para este momento de oração. Orar é dialogar com Deus. No diálogo, evidentemente, um fala e outro ouve. Depois o outro ouve, enquanto o primeiro fala. Ao concluir algumas parábolas, Jesus repete esta expressão aos que o ouviam: “Quem tem ouvidos para ouvir, ouça”. É um provérbio que os ouvintes acolhiam como palavra que estaria encerrando o ensino proferido. Temos exemplos em Mateus 11.15; 13.9, 43 e Marcos 4.9, 23.

Moisés se refere ao povo que não faz questão de ouvir a vontade divina: “ah, se todo povo profetizasse”. Profetas anunciam ao povo a vontade de Deus. O resto é com o povo. Se o povo vai dar ouvidos ou não, isto é outro problema, no entanto a mensagem precisa ser anunciada. Diz o profeta Ezequiel: Mas, quando eu falar com você, abrirei sua boca e você lhes dirá: ‘Assim diz o Soberano, o SENHOR’. Quem quiser ouvir ouça, e quem não quiser não ouça; pois são uma nação rebelde. (Ezequiel 3.27).

Certamente temos muito a ouvir, para depois poder falar. Sugiro aqui alguns passos para uma audição ativa. 1) Ouvir significa acalmar seus próprios medos para que você não faça julgamentos precipitados sobre o que está sendo dito a você. 2) Ouvir significa dedicar seu tempo a outra pessoa e prestar total atenção. Não deixe sua mente vagar para suas próprias preocupações pessoais. Mantenha o foco. 3) Ouvir significa prestar muita atenção enquanto seu interlocutor inventa uma solução para o seu problema. A solução deles é a única que tem chance real de funcionar”, segundo pensam. 4) Nunca seja confrontador e não discuta. Você pode ouvir e não precisa fazer questão para que suas próprias opiniões sejam ouvidas. Se você reagir com um “Diga-me mais”, vai inspirar confiança. As pessoas que lutam para encontrar uma maneira de viver com sua dor precisam ser ouvidas, às vezes muitas vezes e por horas a fio. A escuta ativa os ajuda a encontrar uma maneira de continuar vivendo. 5) Termine com uma oração, mostrando ao seu interlocutor que Deus também quer ouvir dos seus problemas.

Oramos: Agradecemos, Senhor, por ouvires a nossa oração. Dá a nós ouvidos abertos para compreender as dores das pessoas que caminham conosco. Intercedemos, nosso Deus, por todos os teus filhos e as tuas filhas, para que a semente do escutar com paciência cresça, floresça e se multiplique, e assim o mundo experimente o verdadeiro bem-estar. Ainda, Senhor, que pela presença do Espírito Santo, não tenhamos atitudes, costumes, manias e outras coisas que promovem a discórdia. Que sejam transformados em sinais do teu Reino. Queremos ouvir a tua voz, Senhor, para agir como pessoas motivadas pela Tua vontade. Amém.

Bênção: Deus de poder, que a ousadia de teu Espírito nos transforme; que a doçura de teu Espírito nos dirija; que os dons de teu Espírito nos capacitem para servir-te e adorar-te, agora e sempre. Por meio de nosso Senhor Jesus Cristo. Amém!


Tudo tem o seu tempo! - Eclesiastes 3.1 - P. Marcos Ebeling - 16 de outubro de 2021

 

“Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu.” (Eclesiastes 3.1)

Este versículo certamente conhecemos e, imagino, já aplicamos diversas vezes para situações da vida.

É uma invocação à fé paciente, perseverante e à fé que é esperança, pois amanhã tudo pode ser diferente.

Mas especialmente é um convite para que os processos de Deus, da vida e da natureza sejam respeitados, pois nem tudo pode acontecer na velocidade da nossa ansiedade.

Quanto tempo uma laranja precisa para amadurecer e oferecer um suco saboroso? Colhê-la antes do tempo ou adicionar produtos artificiais não darão ao suco o mesmo sabor.

Quanto tempo leva uma pessoa para aprender a ler e escrever? E depois interpretar o que leu e escreveu? Quanto tempo para aprender a dirigir o carro ou a moto? Quanto tempo precisamos para formar uma liderança na igreja? Quanto tempo os namorados e namoradas precisam para bem conhecer-se e manter um relacionamento compreensivo, saudável, edificante?

Quanto tempo é necessário para alguém conhecer a fé cristã luterana, saber aplicar o discernimento em relação a outros credos e testemunhá-la de forma inspiradora às outras pessoas? Muitos anos, certamente.

Nesta manhã oro com você por fé que é paciência – fé paciência que sabe esperar o tempo ruim passar, a criança crescer, a liderança amadurecer, a laranja oferecer um suco bom;

Oro com você por fé perseverante – fé perseverante que não desiste da pessoa, da natureza, do testemunho justo quando algo por inexperiência, imprudência ou falta de habilidade não deu certo. A fé perseverante sabe dar uma 2ª, 3ª e 4ª oportunidade.

Oro com você por fé que é esperança – esperança que não desiste dos filhos e filhas de Deus; esperança que é fé viva por apontar para o novo, para a superação da dificuldade do momento; esperança que sabe que Deus tem outro projeto e propósito para a vida que não a dor agora experimentada.
Esta é uma fé ativa e viva que se sabe conduzida por Deus.

Oremos: Amado Deus. Cremos que todas as coisas cooperam para o bem e que em tuas mãos tudo tem um propósito. Dá-nos a fé paciente e perseverante em um amanhã melhor. Dá-nos a fé que é paciência histórica para dia após dia orar, clamar e testemunhar pelos mesmos assuntos que não conseguimos transformar e que precisam do teu cuidado misericordioso. Por isso oramos pela dor do corpo que não passa, pela doença que não cura, pelas pessoas que sempre usam de palavras duras para falar da tua igreja, pelas pessoas que não conseguem controlar a ansiedade, superar a solidão, o luto, a ausência de amigos e amigas, a ausência da paz, da justiça e do amor que é vida. Senhor, não pedimos para que todos os problemas sejam eliminados, mas que nos dês a fé paciente, perseverante e cheia de esperança para sermos, como tua igreja, uma luz inspiradora. Por Jesus Cristo, amém.

Deus abençoe tua vida com fé paciente, perseverante e cheia de esperança. Amém.


Dia das Crianças e do/a Professor/a - Marcos 10.13-16 - P. Eldo Krüger - 14 de outubro de 2021
 

Queridas crianças! Queridos professores/as!

Nesta semana comemoramos o dia da criança (12) e o dia do professor (15). Quero começar essa mensagem dando um grande abraço em vocês. Parabéns! Vocês são muito importantes! Desejo as bênçãos de Deus sobre a vida e a vocação de vocês.

Dia das crianças e dia do professor. Isso me faz lembrar Jesus. Ele também foi criança um dia e, quando cresceu, mostrou que gostava de crianças e defendeu a sua dignidade. O texto de Mc 10.13-16 mostra Jesus abraçando e abençoando as crianças e repreendendo os adultos que não lhes davam valor.

Como acontece com muitas crianças hoje, Jesus também nasceu numa família bem simples e humilde. Na verdade, nasceu num estábulo de animais. Um lugar inapropriado. Infelizmente isso ainda continua acontecendo hoje.

Graças a Deus, Jesus sobreviveu. Não pegou infecção e nem doença. Os pais cuidaram bem de Jesus. Deram a ele toda proteção e amor. Desde os primeiros dias encaminharam Jesus para também ter uma vida religiosa (Lc 2.21-24), o que serve de exemplo para todos os pais. Deveriam fazer isso com seus filhos.

Outro perigo que Jesus enfrentou tem a ver com o “governo”. Jesus ainda não tinha dois anos de idade e foi ameaçado de morte por Herodes. Só não morreu porque seus pais fugiram com ele para o Egito. A exemplo do que vem acontecendo hoje com o povo da Síria, Afeganistão e outros, que é obrigado a deixar seu país em busca de sobrevivência e melhor condição de vida, podemos dizer que Jesus também aprendeu cedo o que é ser um refugiado. Ele sobreviveu, mas as crianças da sua idade que permaneceram onde viviam, infelizmente acabaram morrendo por causa da tirania de Herodes. Essa história continua se repetindo...

Graças a Deus Jesus foi vencendo todas as dificuldades, perigos e ameaças. No evangelho segundo Lucas está escrito que Jesus “crescia e se fortalecia, enchendo-se de sabedoria; e a graça de Deus estava sobre ele” (Lc 2.40). Quando Jesus tinha 12 anos de idade seus pais o levaram a Jerusalém para comemorar a Páscoa e participar da catequese que preparava os adolescentes para se tornarem membros da religião judaica. Lá Jesus viveu uma experiência com os mestres da Lei (professores) que, com certeza, fortaleceu nele a vocação de também ser mestre quando adulto. O evangelista Lucas diz que Jesus escutava os mestres da Lei, fazia perguntas e respondia as perguntas que os mestres lhe faziam (Lc 2.46-47). Tinha sede pelo saber e todos se admiraram da sua inteligência. Podemos dizer que Jesus foi um exemplo de um bom aluno. Penso que as crianças e adolescentes de hoje deveriam se inspirar em Jesus como aluno.

Assim que Jesus completou 30 anos de idade, dentre os vários dons que teve e que exerceu, assumiu o dom e a vocação de mestre - “rabi” (Mt 4.19-25). Tornou-se um professor, um mestre em educação. Especialmente “educação popular”. Desempenhou essa vocação de educador com total competência e autoridade. O evangelista Mateus diz que as “multidões ficavam maravilhadas com o conhecimento que transmitia e a sua pedagogia de ensino” (Mt 7.28-29).

Podemos dizer que Jesus se destacou como mestre de ensino (professor). Isso está mais do que comprovado. Sempre foi muito inspirador e contextual na sua forma de ensinar. Arriscaria dizer que a sua forma pedagógica de ensinar era “construtivista”. Respeitava e considerava o saber das pessoas e a sua realidade de vida. Ensinava as pessoas a pensar e a aprender a ser sujeitos da sua vida, a serem cidadãos responsáveis no mundo. Por tudo isso, Jesus foi muito respeitado e ouvido, pelos seus alunos (discípulos), o povo e pelos mestres colegas de profissão. E antes de concluir sua missão na terra ele reafirmou a necessidade da vocação do educador. Disse que as pessoas “estão aflitas e exaustas como ovelhas que não tem pastor” (Mt 9.36,38). A necessidade do ensino continua sendo fundamental (Mt 28.19-20).

Finalizando. Jesus foi e continua sendo um exemplo inspirador de criança e de educador.


Desordem - 1ª Coríntios 14.33 - P. Gerson Acker - 13 de outubro de 2021
 

Saudação: Olá meu irmão! Olá minha irmã! Que a graça e a paz de Jesus Cristo esteja contigo. Amém!

Reflexão: Às vezes eu tenho a sensação de que a nossa vida se comporta como um lençol com elástico. Se você costuma arrumar sua cama, você sabe o quanto dá trabalho colocar isso aqui no seu devido lugar. Porque a gente coloca uma ponta e de repente coloca outra e aí a outra já escapa... É uma analogia da vida.

Quantas vezes as gente vai lá e coloca a vida pessoal em ordem, coloca o trabalho em ordem e aí de repente a espiritualidade escapa... Ou a gente “tá” como trabalho ok, vida pessoal ok, espiritualidade ok, mas a gente não consegue chegar lá para realizar os nossos sonhos e colocar a quarta ponta. E aí a gente vive a sensação de desordem, de bagunça.

O Apóstolo Paulo, quando escreve a comunidade de coríntios, na primeira carta, ele faz um série de admoestações, mas uma no que se refere a pregação dentro do culto, ele vai sugerir uma organização, para que todos pudessem ouvir e serem ouvidos. Diz assim, 1 Coríntios 14.33: “Pois Deus não quer que nós vivamos em desordem, e sim em paz”.

A palavra diz que o contrário de desordem é paz, é harmonia. E quantas vezes a gente não consegue usufruir de uma paz, de uma harmonia, porque, justamente, a gente procrastina o exercício de, justamente, colocar o lençol nos seus devidos lugares. E quantas vezes a gente terceiriza a culpa, dizendo assim: “Deus, por favor, resolve a desordem, a bagunça na minha vida!”.

Meu querido irmão, minha querida irmã, viver uma espiritualidade coerente com a palavra de Deus, é também nos reconhecer pessoas responsáveis pelas nossas atitudes.

Então, te convido meu irmão, minha irmã a organizar o lençol da sua vida de uma maneira tranquila, de uma forma a poder desfrutar da paz que Deus quer te dar. Mas, a resolução dos seus problemas, das suas desordens, compete a você. Pense com carinho!

Oração: Oramos juntos?! Querido Deus, nos perdoe quando nossa mente, nosso coração são só confusão, dá-nos a tua companhia para poder organizar a nossa vida, de forma que possamos viver em paz. É o que te pedimos em nome de Jesus, nosso Senhor e Salvador.

Benção: Que Deus mantenha a tua cabeça fria, o coração quente, as mãos abertas e os pés sem pressa e sem preguiça. Que assim te abençoe o Deus que é Pai, Mãe, Filho e Santo Espírito. Amém!

(Se arrumar a cama com esse lençol é difícil... Você já tentou dobrar ele?)


Dia das Crianças - Romanos 12.2 - Missionário Felipe Milani - 12 de outubro de 2021
 

Crianças não precisam de brinquedos caros, elas não fazem leituras monetárias da vida, das pessoas, da natureza, das coisas. Crianças não são capitalistas, nós adultos que as tornamos, assim, vorazes consumidoras.

Há um tempo, meu filho de 9 anos desmontou a bicicleta da irmã dele, 5 anos. Nunca mais conseguiu montar e nem eu.

Desmontou, também um computador antigo que não funcionava mais. Ele queria ver o que tinha dentro. Brincou com um pedaço qualquer de uma placa. E a tela do computador, nas mãos da minha filha virou um tablet.

E tantas outras coisas que eles já fizeram nessa vidinha infantil. Nós igualmente. Relembre o teu tempo de criança!

Nossa tendência, porém, é brigar, reprimir esse instinto. Mas crianças são imaginação pura, curiosidade imaculada. Nós adultos maculamos essa capacidade do fantástico, do imaginativo.

Crianças nos ensinam a questionar a realidade imposta, a partir dessas brincadeiras, desse jeito de ser, a desconstruir e reconstruir sob um novo alicerce, sob uma nova visão.

Jesus também fazia isso, descontruía para reconstruir. Apresentou nova perspectiva de mundo, de humano, de vida, de Deus.

Precisamos muito dessa mudança de mentalidade para o bem presente e futuro de nossas crianças e do nosso planeta. Basta de tanta insensatez.

Que neste dia das Crianças, deixemos Deus nos transformar por meio de uma completa mudança da mente, como afirmam as Escrituras em Romanos 12.2: “Não se amoldem ao padrão deste mundo, mas transformem-se pela renovação da sua mente”.


Deus provê - Êxodo 16.14 - P. Astor Albrecht - 11 de outubro de 2021
 

Você está lembrado de como Jesus nos ensinou a orar? “O pão nosso de cada dia nos dá hoje”. Esta sentença simples revela o plano de provisão de Deus: viva um dia por vez.

Deus revelou isso a Moisés e aos israelitas no deserto. Lemos em Êxodo 16.4: “Disse, porém, o Senhor a Moisés: ‘Eu lhes farei chover pão do céu. O povo sairá e recolherá diariamente a porção necessária para aquele dia’”.

Perceba os detalhes do plano de provisão de Deus.

Ele satisfaz necessidades diariamente. Codornizes cobriam os arredores ao cair da tarde; maná brilhava como neve fresca nas manhãs. Carne para o jantar. Pão para o desjejum. A comida caía todos os dias. Não anualmente, mensalmente ou a cada hora, mas diariamente.

Deus tem recursos sobre os quais nada sabemos, soluções fora da nossa realidade, provisões além da nossa possibilidade. Nós vemos os problemas. Deus vê a provisão.

A ansiedade perde força à medida que nossa lembrança da bondade de Deus permanece. Como diz o salmista: “Como é grande a tua bondade, que reservaste para aqueles que te temem, da qual usas, perante os filhos dos homens, para com os que em ti se refugiam” (Salmo 31.19).

ORAÇÃO: Senhor bendito, tu és Deus grande e bom. Tu supres as nossas necessidades a cada dia. Tu forneces paz quando enfrentamos problemas. Tu envias soluções para nossas lutas. Que assim experimentemos a tua bondade a cada novo dia. Em ti fazemos o nosso refúgio. Em nome de Jesus, Amém.


O alimento essencial - Mateus 4.3b-4b - PPHMista Evair Tonn - 09 de outubro de 2021

 

Você já pensou na variedade de alimentos que temos? Existem muitos alimentos! Acredito que, assim como eu, você ainda não experimentou todos estes sabores. A Bíblia nos diz que temos um alimento que é muito especial e que todos nós precisamos: a Palavra de Deus.

Jesus, depois de passar 40 dias no deserto, sentiu fome. E o tentador chega até Jesus indagando: “Se você é o Filho de Deus, mande que estas pedras se transformem em pão” (Mateus 4.3b). Em resposta Jesus diz: “O ser humano não viverá só de pão, mas de toda palavra que procede da boca de Deus” (Mateus 4.4b). Da mesma forma que precisamos de alimento para o corpo, também precisamos da Palavra de Deus que é alimento para nossa vida.

Do mesmo jeito que se tivermos um prato delicioso na nossa frente, com uma comida gostosa, se não consumirmos esse alimento, continuaremos com fome. Também é assim com a Palavra de Deus. Se não abrirmos a Bíblia para estudar e meditar nela, ficaremos desnutridos e fracos. Assim como Jesus diz nesta passagem, precisamos sim alimentar o corpo físico, mas também precisamos alimentar nossa vida espiritual por meio da Palavra. Ela rica e abundante, tem uma variedade enorme de ensinamentos, conhecimentos e sabedoria.

E o principal, ela tem a mensagem do Evangelho, a descrição da vinda, a vida, a morte e ressureição do nosso Senhor Jesus Cristo. Que nos leva para uma vida digna, nos traz salvação, esperança, libertação de nossos pecados. Que possamos a cada dia meditar na Palavra de Deus e nos alimentar desse cardápio tão rico.

Oração
Senhor Deus, obrigado pela tua Palavra. Agradeço pela revelação da sua vontade por meio da Escritura Sagrada; nos mostrar seu filho e o que ele fez quando andou na Terra como homem, suas instruções e ensinamentos. Também mostrou sua obra salvadora por meio do seu Filho na cruz do Calvário. Muito obrigado Senhor Deus. Ajuda-nos na nossa falta de fé, no nosso egoísmo e que busquemos assim todos os dias, na tua Palavra, esse precioso alimento que somente tu pode nos dar. Assim colocamos na tua presença, em nome de Jesus. Amém.


Qual o caminho certo? - Hebreus 13.9 e Salmo 86.11 - Rosane Philippsen - 07 de outubro de 2021

 

Olá! A Palavra de Deus quer falar com nós. Sou Rosane Philippsen e faço parte da Comunidade de São José dos Campos, na Paróquia do Vale do Paraíba.

Na carta os Hebreus, no capítulo 13, versículo 9, está escrito assim: “Não se deixem levar por ensinamentos diferentes e estranhos que tiram vocês do caminho certo”.

Como saber que estamos saindo do caminho?

Quando saímos para determinado lugar duas coisas são importantes: aonde queremos chegar e qual caminho iremos usar, principalmente quando fazemos o trajeto pela primeira vez. As orientações de quem conhece o caminho são fundamentais para chegarmos ao destino correto. Sejam as dicas de quem já andou por ali antes ou as coordenadas dos serviços de visualização de mapas.

Semelhantemente, quem segue a Cristo e aos seus ensinamentos, sabe que é por este caminho que chegaremos até Deus, nosso Pai (João 14.6). Jesus deixou a boa nova para que a divulgássemos e ensinássemos a todas as pessoas, testemunhando sua mensagem com palavras e ações.

Como discípulos e discípulas de Jesus, vamos no caminho, não mais sozinhos e sozinhas, mas em união com outras pessoas nesta mesma fé. Fé que abre fronteiras, que transpõe montanhas, atravessa rios e mares e nos faz ser igreja.

Jesus nos ensina a superar não somente os limites das distâncias geográficas, mas também as barreiras dos preconceitos, das exclusões, das desigualdades, das injustiças, das perdas, dos sofrimentos, das dores.

Sua vida e obra nos mostra o caminho através do serviço ao próximo, da esperança solidária, da força que se mostra na fraqueza, no acolhimento às pessoas rejeitadas, na visitação às pessoas doentes, na partilha do pão e do abrigo, na palavra que consola e anima e, quando não soubermos como agir, na confiança na misericórdia de Deus.

Por isso, junto com o salmista clamamos ao Senhor: “Ensina-me a servir com toda a devoção” (Salmo 86.11). Este é o caminho certo, servir ao Senhor, como discípulos e discípulas, chamados e chamadas nessa igreja, despertada pelo Espírito Santo de Deus.

Oremos: Querido Deus, te rendemos toda honra e toda glória! Nos alegramos porque ouvimos tua Palavra e queremos segui-la em nossas vidas. Dá-nos a força e a coragem para não duvidarmos dos teus ensinamentos e que sigamos testemunhando seu grande amor e servindo conforme sua vontade. Amém.

Bênção: Deus te abençoe, guarde teu andar. Mostre a cada passo, como caminhar. Quando vier a noite e não puderes ver, seja Deus a luz a te guiar. (LCI 298)


Deus sempre nos ouve? - Mateus 7.7-8 - P. Ernani Röpke - 06 de outubro de 2021

Que a graça e paz sejam conosco!

Diariamente em oração, colocamos as nossas preocupações, desejos e agradecimentos nas mãos de Deus. Mas será que Deus sempre nos ouve? Em Mateus 7.7-8 Jesus diz: — Peçam e lhes será dado; busquem e acharão; batam, e a porta será aberta para vocês. Pois todo o que pede recebe; o que busca encontra; e, a quem bate, a porta será aberta.

Deus sempre ouve o que pedimos. Porém, nem sempre os seus caminhos são os nossos caminhos. Ele enxerga além da curva e sabe o que acontecerá depois. Por isso, para ilustrar, que Deus sempre nos ouve, trago-vos a história da borboleta e a flor.

Certa vez, uma pessoa pediu a Deus uma flor e uma borboleta. Mas a vida lhe reservou um cacto e uma lagarta. A pessoa ficou triste, pois não entendeu o porquê do cacto espinhento e da lagarta em sua vida. Daí pensou: “- Também, com tanta gente para atender, Deus não deve ter ouvido o meu pedido.” Passado algum tempo veio a grande surpresa: Do espinhoso cacto nasceu uma linda flor. Da lagarta surgiu uma linda borboleta.

Quando nos confiamos nas bondosas mãos de Deus ele nos ampara com o seu amor. Ele transforma os espinhos, as durezas da vida, em manhãs de Páscoa. Deus, por intermédio de Cristo Jesus, transforma os espinhos de hoje em flores no amanhã. Ele nos ouve. A sua vontade é que os seus filhos e filhas tenham vida e a tenham em abundância, conforme João 10.10. Como disse Lutero: Confio em Deus sempre, por mais que ele tarde, e não lhe determino o alvo, o tempo, a medida ou o meio, mas, em fé verdadeira e franca, deixo tudo entregue à sua vontade divina. Amém.

Oração:
Querido e bondoso Deus, que bom podermos orar, pedir e agradecer. Que bom podermos colocar diante de ti a nossa vida, as nossas angústias e alegrias. Ajuda-nos, com o teu Santo Espírito, a confiar nas promessas do teu Filho Jesus Cristo, isto é, que nossas orações são ouvidas e atendidas conforme a tua vontade. Amém.

Bênção:
O Senhor te abençoe e te proteja;
o Senhor te olhe com carinho e te mostre a sua vontade;
o Senhor te olhe com amor e te dê a paz. Amém.


O que vem depois da morte? Você crê na ressurreição? - 1ª Coríntios 15. 14-21 - P. Alberi Neumann - 05 de outubro de 2021
 

Nossos templos luteranos de maneira geral tem no altar uma cruz vazia. Ela sinaliza uma confissão de fé muito importante: Cristo ressuscitou e nós também o seremos à semelhança dele. E isso é dádiva de Deus e expressão do seu amor!!!

Não raro, muitos de nossos templos recebem o nome “Ressurreição!” É o caso deste aqui em Santo André/SP. Essa igreja chama-se Igreja da Ressurreição. Nela inclusive há um painel de madeira esculpido, que é uma prédica materializada sobre a ressurreição de Jesus. Nele temos o Cristo ressurreto no centro, e nas laterais o envio dos discípulos e discípulas, que são impulsionados a levarem essa boa nova ao mundo, promovendo com o Cristo espaços de vida digna para todos e todas.

Dessa fé e consciência foram criadas duas Instituições Diaconais, a saber, o Centro Social Heliodor Hesse, em 1970, e a Casa Mateus, em 1980. Espaços de vida, de testemunho público da ressurreição, em meio aos sinais de morte. Afinal, crer na ressurreição tem implicações éticas! Implica identificar-se com o projeto de salvação de Jesus e de construção de uma realidade nova de justiça e paz. Implica solidariedade e visão diaconal com os mais vulneráveis e participação na vida comunitária com vistas a construir um futuro melhor. Implica não espiritualizar a ressurreição, mas testemunhá-la na concretude do dia-a-dia, numa fé que atua pelo amor.

Desde os primórdios da Igreja Cristã, Jesus foi proclamado como o Ressurreto. Tal foi a importância dada à mensagem da vitória Dele sobre a morte, que o apóstolo Paulo assim afirmou em 1ª Coríntios 15. 14-21: “Se Cristo não foi ressuscitado, nós não temos nada para anunciar, e vocês não têm nada para crer. E mais ainda: nesse caso estaríamos mentindo contra Deus, porque afirmamos que ele ressuscitou Cristo. Mas, se é verdade que os mortos não são ressuscitados, então Deus não ressuscitou Cristo. Porque, se os mortos não são ressuscitados, Cristo também não foi ressuscitado. E, se Cristo não foi ressuscitado, a fé que vocês têm é uma ilusão, e vocês continuam perdidos nos seus pecados. Se Cristo não ressuscitou, os que morreram crendo nele estão perdidos. Se a nossa esperança em Cristo só vale para esta vida, nós somos as pessoas mais infelizes deste mundo. Mas a verdade é que Cristo foi ressuscitado, e isso é a garantia de que os que estão mortos também serão ressuscitados. Porque, assim como por meio de um homem veio a morte, assim também por meio de um homem veio a ressurreição”.

Lindo texto, não é mesmo?!

O que vem depois da morte?

A Ressurreição!!!
A ressurreição de Cristo é o modelo de nossa ressurreição. Assim como ele vence a morte e é chamado à vida nova, também acontecerá com todos aqueles e aquelas que são dele.

Saber e confiar nisso, então, nos liberta da preocupação com a vida após a morte e nos chama, impulsiona e mobiliza para o serviço de amor na sociedade. Para o testemunho público da fé! Para uma fé conectada com o mundo e não espiritualizante. “O alvo da ética não é o céu, e, sim, a terra”, já dizia Lutero.

O Ressurreto segue criando espaços de vida no mundo em que vivemos. Sigamos unidos a Ele atuando em cooperação. A Seara é grande. Amém.


Para quê vivo? - Mateus 28.19,20 - Gênesis 12.2 - P. Elton Pothin - 04 de outubro de 2021
 

Cada um de nós faz esta pergunta. Queremos saber o objetivo da nossa existência. Vivemos somente por viver? Qual o propósito do meu existir? Para quê vivo?

E nós, que somos cristãos, buscamos na Sagrada Escritura a resposta para nossas perguntas. E a Sagrada Escritura nos dá duas respostas pra este questionamento sobre o propósito do nosso existir:

1. Jesus, em Mateus 28.19,20: “Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do pai, e do Filho, e do Espírito Santo; ensinando-os a guardar todas as coisas que vos tenho ordenado. Lutero comenta neste sentido: O cristão permanece vivo só em função de ser uma ajuda para outras pessoas. Se assim não fosse, tão logo alguém tenha sido batizado e começasse a crer, Deus poderia tirar a sua vida. Mas ele o deixa viver para que outras pessoas sejam trazidas à fé.

2. Deus diz a Abraão em Gênesis 12.2: “Sê tu uma bênção.” Este é o propósito de nossas vidas enquanto cristãos: ser uma bênção para as outras pessoas. Também neste sentido, Lutero comenta: “Deus não exige de nós nenhuma obra a não ser a fé em Cristo; com isto ele se satisfaz. Com isso, lhe damos a honra como o gracioso, misericordioso, sábio, bom, verdadeiro, etc. Depois disso, não pense em outra coisa que fazer para o próximo o que Cristo fez para ti. Volta todas as tuas obras e toda a tua vida ao próximo. Procura onde há pobres, doentes, e deficientes e ajuda-os. O exercício da tua vida seja que de ti aproveite quem precisa do teu corpo, honra e bens. Saiba que servir a Deus não é outra coisa que servir ao próximo.”

Para quê vivo?
Para trazer outras pessoas à fé. Para ajudar a quem de mim necessita.
Que possamos cumprir esta tarefa que Deus nos dá.


Escolha ser paciente - Provérbios 15.18 - Pa. Argéli Karsburg - 02 de outubro de 2021
 

Que a paz de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo esteja sobre você neste dia.

Você se considera uma pessoa irritável ou paciente?

Em Provérbios 15.18 está escrito: A pessoa de mau gênio sempre causa problemas, mas a pessoa que tem paciência traz a paz

Quando você decide ser paciente, você responde de maneira positiva à uma situação negativa. Você é tardio em irar-se. Prefere ter um pavio longo a se irritar facilmente. A paciência traz a calma interior em meio à tempestade exterior.

Ninguém gosta de ter uma pessoa impaciente por perto. A raiva quase nunca torna as coisas melhores. Mas a paciência paralisa o andamento do problema. A paciência, mais do que morder a língua, mais do que bater a mão na boca, é respirar

Se alguém lhe ofende, você rapidamente revida ou você se controla?

Você reage com raiva quando lhe tratam injustamente?

Se a resposta for sim, você está espalhando veneno ao invés de remédio.

Convido você a decidir demonstrar paciência hoje, e de modo algum diga algo negativo para as pessoas com quem convive. Tome isso como um desafio!

Tenham cuidado para que ninguém retribua mal com mal (1 Tessalonicenses 5.15).

 


Palavra das Senhas Diárias do Dia de Hoje - Jeremias 31.8; Lucas 14-16-17 - P. Luis Carlos Oliveira - 01 de outubro de 2021
 

Olá! Bom dia! Desejo paz e bem a você, bem como a sua família, nesta manhã. Sou o Pastor Luiz Carlos e convido para termos um breve momento de reflexão e de oração para iniciarmos este dia sob a Palavra do Senhor nosso Deus.

Como reflexão, vamos usar os versículos das Senhas Diárias de hoje. De Jeremias 31.8 temos: Eu os trarei e os ajuntarei dos lugares mais distantes da terra. Com eles virão os cegos e os aleijados, as mulheres grávidas e as que estão para dar à luz. Eles vão voltar como uma grande nação.
Esta palavra de Jeremias é uma promessa da parte de Deus, repetida tantas vezes, na qual Ele afirma que fará com que Israel volte a ser uma grande nação e seu povo haverá de voltar para sua terra. Reconstruirão tudo o que foi destruído e serão novamente um povo. É muito importante percebermos que nesta promessa também estão incluídos os que tem dificuldades de locomoção para fazer o longo caminho de volta para casa. Não serão deixados para trás. Pelo contrário, serão cuidados e amparados para chegar à terra e participar do novo tempo. Por mais frágil que alguém seja e por mais distante que possa estar em sua vivência de fé e vida, por conta de Deus, não ficará abandonado e nem será excluído. Isso é misericórdia pura e graça de Deus a todas e todos.

Já na palavra de Lucas 14.16 e 17 diz: Jesus diz: Certo homem convidou muita gente para uma festa que ia dar. Quando chegou a hora, mandou o seu empregado dizer aos convidados: “Venham, que tudo já está pronto”.
Jesus diz que o convite é para todas e todos. Os seres humanos estão todos incluídos nos planos de salvação de Deus através de Jesus. E isso será comemorado com uma grande festa. Tudo ficará pronto e será feito o convite. Igual ao profeta, também podemos entender que Jesus inclui todas e todos, até os mais fragilizados nesta festa. A parábola diz que muitos não vieram. Mas foi uma decisão pessoal de cada uma e cada um. Lugar, porém, há para todas e todos. Na festa do Senhor não há rejeição. Pode haver, isso sim, decisão de convidados em rejeitar pessoas de outra raça, outra fé, outra posição social, de outra compreensão de sexualidade ou de jeito de ser diferente. Mas na festa de Jesus há lugar para todas e todos. Somos incluídas e incluídos no amor de Deus, através de Jesus. Ele não esquece de nós. Não vamos esquecer umas das outras e uns dos outros.

Oramos ao Senhor: Senhor nosso Deus bendito sejas por um novo dia que começa e que recebemos de tua misericórdia e de tua graça que estão sobre nós. Sabes o que vamos viver neste dia. Colocamos tudo em tuas mãos e pedimos que nos acompanhe naquilo que vamos fazer, falar e até pensar. Conduze-nos, Senhor, e faça com que tenhamos o mesmo amor uns para com os outros assim como tens por nós. Por Jesus Cristo, amém.

Tenham todas e todos um ótimo dia e que o Senhor os abençoe e acompanhe onde estiverem. Fiquem com Deus. 


Misericórdia - Oséias 6.6 - P. Rolf Rieck - 30 de setembro de 2021

Encontrei nesses dias uma antropóloga norte-americana que veio ao Brasil trazer uma palestra. Falaria para uma equipe de engenheiros que está desenvolvendo carros autônomos — aqueles sem motorista — para uma montadora japoneza no Brasil. Gostariam saber sobre o comportamento humano diante da não mais necessidade de dirigir um carro no futuro. Na conversa descobri que a nova conhecida já tinha pertencido a uma igreja cristã, no entanto, estava agora participando de um grupo espiritualizado alternativo. Este grupo teria como proposta unificar todas as crenças. Segundo ela, tem como motivação central o exercício da misericórdia.

O versículo 6 de Oséias 6 indica precisamente para isto: “Misericórdia quero, e não sacrifício, e o conhecimento de Deus, mais do que holocaustos.” Jesus igualmente recomenda que se busque saber fazer o que o profeta está pedindo, por mandato de Deus (Mateus 9.13), e acrescenta: “…pois não vim chamar justos, e sim pecadores ao arrependimento”. Em outra passagem: “— Ai de vocês, escribas e fariseus, hipócritas, porque vocês dão o dízimo da hortelã, do endro e do cominho e desprezam os preceitos mais importantes da Lei: a justiça, a misericórdia e a fé. Mas vocês deviam fazer estas coisas, sem omitir aquelas!” (Mateus 23.23 NA17). E outra, Paulo citando Êxodo 33: “Pois ele diz a Moisés: ‘Terei misericórdia de quem eu tiver misericórdia e terei compaixão de quem eu tiver compaixão’”. (Romanos 9.15 NA17)

Do que o mundo realmente está precisando? O que as pessoas estão buscando para realizar seus anseios? E que está sendo tirado das pessoas, fazendo com que a humanidade esteja decadente? Que procedimentos já estão automatizados entre nós, tirando nossa sensibilidade em relação ao próximo? Como é possível vir ao encontro das necessidades das pessoas?

Misericórdia, no sentido bíblico, é o ato de compaixão e consequente envolvimento com as pessoas e suas necessidades. É palavra importante pois se repete mais de 70 vezes no Novo Testamento e normalmente se refere à misericórdia de Deus em relação à miséria humana. Já no Antigo Testamento esta palavra, que aparece em torno de 400 vezes e no hebraico é um verbo, vem associada à ordem, ao mandamento de que deve haver solidariedade entre as pessoas.

Misericórdia está relacionada ao pacto de exercitar o “amor sem hipocrisia” pelo qual somos convidados a nos amar “cordialmente uns aos outros com amor fraternal, preferindo-nos em honra uns aos outros”, como ensina o apóstolo Paulo em Romanos 12.

A misericórdia, que é um predicado – ou uma ação verbal –, está em falta no cristianismo atual? O que você acha?

Em tempo: A atenciosa antropóloga afirmou que a palavra “amor” está desgastada fazendo com que caia em desuso como atributo cristão.

Oremos: Senhor, nosso Deus, acende em nós a tua chama, para que nosso coração arda em misericórdia e amor. Que nossa vida seja dedicada à ações de misericórdia e amor também no dia de hoje . Que nós estejamos livres de medos e loucuras pessoais e possamos nos reconhecer como seres humanos, criados por Ti, ó Deus, que estendem as mãos da paz e da reconciliação por todas as terras e por todos os mares. Abençoa-nos neste dia e guarda-nos no Teu amor. Por Cristo Jesus. Amém!


A comunhão é novamente possível - Salmo 119 - P. Marcos Ebeling - 28 de setembro de 2021
 

Irmãos e irmãs, a paz de Cristo.

Depois da tempestade, vem a bonança.

Você certamente já ouviu este ditado popular. Ele reconhece as dificuldades e dores da vida. Mas especialmente aponta para a fé que crê num novo amanhã: tudo vai passar e um novo tempo, mais leve e sereno, vai novamente ser vivido.

Creio que este tempo mais sereno já pode ser experimentado. Na medida em que as pessoas são vacinadas também os números da pandemia caem e a vida comunitária pode, aos poucos e com cuidados, ser retomada.

Na oração do dia de hoje quero agradecer a paciência que tiveste quando os templos estavam fechados e os cultos aconteceram de forma virtual. Saiba que esta tua paciência foi muito importante. Nas visitas que fiz às comunidades ouvi que alguns membros luteranos foram infectados e outros infelizmente faleceram. Ouvi também que a situação só não foi pior porque presbitérios, lideranças e membros agiram com serenidade. Certamente a tua paciência salvou vidas. Por este teu gesto divino quero agradecer.

Agora os templos estão abertos novamente. Cultos e atividades são retomados. Se te sentires a vontade, participe. Claro, ainda com cuidados sanitários.
Mas perceba a palavra do Salmo 119.50: “Este é o meu consolo no meu sofrimento: a tua promessa dá-me vida.” No sofrimento Deus prometeu cuidar da vida e ele cumpriu a promessa em ti e em mim.

Agora podemos novamente celebrar a Santa Ceia da vida, o casamento do amor, a confirmação da fé, o batismo do perdão e a comunhão das pessoas em gratidão pela vida que foi preservada.

De novo agradeço tua paciência. Nela Deus realizou sua promessa.

Oremos: amado Deus. Graças rendemos porque destes serenidade e paciência no momento mais difícil da pandemia. Teu povo compreendeu que era hora do templo ficar fechado, não aglomerar e orar diante do computador ou da televisão. Porque nos deste esta serenidade e paciência, Senhor, vidas foram salvas. Obrigado pois tua mão misericordiosa repousou sobre nós.
Permite agora o reencontro comunitário acontecer. Neste retorno, Senhor, continua cuidando de todos e todas nós. Guarda-nos em teu amor. Por Jesus Cristo, amém.

A Bênção do trino Deus repouso por sobre ti hoje e sempre. Amém.


Pecado - Arrependimento - Salvação - Salmo 119.67 - 2ª Coríntios 7.10 - P. Klaus Wirth - 27 de setembro de 2021
 

Antes de me castigares, eu andava errado, mas agora obedeço à tua palavra (Sl 119.67).

A tristeza que é usada por Deus produz o arrependimento que leva à salvação. (2ª Co 7.10)

Querida irmã, querido irmão em Cristo! Que a Graça do nosso Senhor Jesus Cristo, o grande Amor de Deus, o Pai, e a Comunhão do Espírito Santo seja com você, com a sua família, também com suas amigas e amigos e com suas irmãs e irmãos lá da sua Comunidade de Fé.

Eu sou o Pastor Klaus, aqui da Paróquia Leste de São Paulo e sou responsável pela Oração do Dia.

Gostaria de meditar junto com você sobre dois versículos bíblicos e sobre uma música que eu gosto muito. O versículo bíblico do Antigo Testamento é o versículo das Senhas Diárias para o dia de hoje. Está registrado lá no Salmo 119, o capítulo mais comprido da Bíblia, no versículo 67 que diz: “Antes de me castigares, eu andava errado, mas agora obedeço à tua palavra”. Sim, às vezes nós, seres humanos, temos a sensação (e é isso mesmo) de que quando a gente faz coisa errada, a gente é castigad@. Sim, nós muitas vezes castigamos as nossas crianças, castigo correto, aquele que educa, aquele que faz perceber o erro e faz a criança refletir sobre o que fez de errado para não acontecer de novo. Deus faz a mesma coisa conosco! Muitas vezes Ele precisa nos castigar de uma ou de outra forma para nos fazer enxergar as coisas erradas que estamos fazendo e mudar o rumo da nossa vida.

Lá da carta que o apóstolo Paulo, a segunda carta que ele escreveu para a Comunidade lá em Corinto, capítulo 7.10 diz: ”A tristeza que é usada por Deus produz o arrependimento que leva à salvação.” É uma verdade que o apóstolo Paulo traz para nós. Sim, muitas vezes a gente faz coisa errada, percebe que está realmente errado, e isso nos leva a uma tristeza muito grande. Aí essa tristeza nos faz refletir sobre aquilo que fizemos de forma errada, e chegamos ao arrependimento. Toda pessoa que reflete profundamente sobre coisas erradas que fez vai chegar ao arrependimento, e esse arrependimento traz salvação, diz o apóstolo Paulo. Johann Schefler tem uma frase muito bonita que está registrada no hino 205 do Hinário o Povo de Deus 1. No verso 4 diz: “Andava errante como um cego, não Te buscando, Te encontrei; minha alma estava sem sossego, da luz da vida me afastei. Porém, agora o consegui pois tudo achei em Ti”.

E aí eu me lembrei de uma música que você conhece e todo mundo evangélico, todas as Igrejas Evangélicas e também na Igreja Católica cantam essa música. Diz o seguinte:

Oh, bem cego eu andei e perdido vaguei, longe, longe do meu Salvador! Mas da glória desceu e seu sangue verteu por salvar a um tão pobre pecador. Foi na cruz, foi na cruz que, a tremer, percebi meu pecado castigado em Jesus. Foi ali, pela fé, onde os olhos abri e hoje, salvo, me alegro em sua luz. Bem ouvia falar dessa graça sem par que nos deu um Salvador em Jesus. Mas eu surdo me fiz, converter-me não quis ao Senhor, que por mim morreu na cruz. Mas um dia senti meu pecado e tremi, vendo as penas da justiça e da lei. Apressado fugi, em Jesus me escondi e refúgio seguro nele achei. Quão feliz é, então, este meu coração, a gozar aquele tão santo amor, que levou meu Jesus a sofrer lá na cruz, por salvar a um tão pobre pecador!

Texto muito bonito de Isaac Watts que viveu entre 1674 e 1748 e também uma outra parte, o estribilho, é de Ralph Erskine Hudson que viveu entre 1843 e 1901.

Desejo convidar você para orar: Nosso querido Deus, nós nos colocamos perante Ti em oração, querendo pedir perdão pelos nossos pecados, pelas nossas falhas, por tudo aquilo que de errado fizemos. E queremos Te pedir que o Teu perdão venha para dentro de nossa vida e traga alento para nossa vida, traga novas forças e novo ânimo para a nossa caminhada. Permita, Senhor, que aquela sensação do pecado que já ficou para trás realmente desapareça da nossa vida e que assim possamos novamente ter alegria para a vida do dia-a-dia. Senhor, sabemos que sempre de novo falhamos, erramos e todos os dias necessitamos do Teu perdão. Então, que esse perdão, Senhor, venha sobre nós diariamente nos confortando e nos trazendo novas forças. É o que Te pedimos em nome de Jesus Cristo que na cruz morreu em favor de todas as pessoas. Amém!

Desejo a você uma abençoada segunda-feira e uma abençoada semana, e amanhã a gente se reencontra com outr@ colega que fará a Oração do Dia e que nós, junt@s, iremos acompanhar.

 


Como aproveitamos o tempo que Deus nos concede? - Salmo 103.15-16 - Jonathan Klebber - 25 de setembro de 2021
 

Meus amados irmãos e amadas irmãs! Que a graça e a paz de Cristo estejam conosco! Amém.

A nossa vida é um presente que recebemos de Deus. Cada ano, cada dia, cada hora e cada segundo que vivemos provém das bondosas mãos de Deus. Mas você já parou para refletir como a vida do ser humano é breve neste mundo?

O salmo 103. 15-16 nos convida a refletir: “A nossa vida é como a grama; cresce e floresce como a flor do campo. Aí o vento sopra, a flor desaparece, e nunca mais ninguém a vê.”

O Salmista compara a vida do ser humano com a flor do campo. Assim como a flor do campo, o ser humano também nasce, cresce e floresce.
De fato, a nossa vida cresce e floresce como uma flor do campo. Nós crescemos e nos desenvolvemos. Enquanto nossa saúde permite realizamos diversas atividades: estudamos, trabalhamos, nos dedicamos a nossa família entre tantas outras coisas.

Contudo, chega o momento em que o vento sopra, a flor desaparece e nunca mais ninguém a vê.
A nossa vida é breve. Ela passa num piscar de olhos. Por esta razão, é fundamental refletirmos sobre “Como aproveitamos o tempo que Deus nos concede?” Temos ocupado ele com algo que realmente vale a pena, ou temos desperdiçado ele com coisas sem valor? A vida é um presente valioso demais! Ela não deve ser desperdiçada!

Para aproveitar bem o tempo, necessitamos refletir sobre o que é importante em nossa vida e estabelecer prioridades. Enxergar as prioridades nos ajudará decidir onde dedicaremos nosso tempo e o que deixaremos de lado.

Se olharmos para a sociedade na qual vivemos, veremos que, infelizmente, há pessoas que carregam mágoas, ódio e inimizades durante anos em seu coração e não tem tempo para viver a partir do amor, do perdão e da paz. Ocupam seu tempo com muitas coisas, mas não tem tempo para dedicar à família, aos amigos e nem para Deus. Dedicam horas nas redes sociais, mas não tem tempo para abraçar e conversar com as pessoas em seu lar. Perdemos tempo discutindo, ao invés de nos unirmos para lutar por um mundo melhor.

Meu amado irmão e amada irmã! A nossa vida é breve! Não desperdice a vida que Deus te presenteia. Aproveite-a da melhor forma possível!

Oração: Senhor! Graças te damos pela vida que tu nos presenteaste. Graças por todas as alegrias e bençãos que tu nos concedes a cada dia. Ensina-nos, Senhor, a valorizarmos cada instante de vida que recebemos das tuas mãos. Dá-nos sabedoria para dedicarmos o tempo que temos para promover a paz, a justiça e o amor! Amém!

Bênção: Que Deus lhes conceda um dia abençoado sob o seu cuidado e proteção!


Prioridades - Monika - Lucas 10. 38-42 - 24 de setembro de 2021
 

Bom dia!
Gostaria de refletir com vcs sobre o tema PRIORIDADE, e convido vc para entrar em uma divertida dinâmica onde vc vai imaginar o seguinte: Dentro de algumas horas, vc vai viajar para uma ilha não habitada e sem nenhum recurso, onde irá morar por alguns anos. Vc vai de navio e não pode levar muita bagagem, por isso faça uma lista de 10 itens que julga necessário para levar à ilha. Um detalhe importante, vc pode levar qq. coisa como por exemplo, animal de estimação, família, remédio, alimento...só não pode passar de 10 itens.

Pronto.... lista feita e agora vc já está em alto mar e surge um problema com o navio onde é necessário eliminar peso e isso obriga o comandante a pedir para a tripulação eliminar 5 itens de sua bagagem e jogar ao mar. Qual será sua escolha? Suas prioridades?

Continuamos a viagem e...aí, aí, aí, uma tempestade se aproxima e é necessário jogar mais 3 itens fora, pois precisa deixar o navio mais leve, evitando assim um naufrágio e para preservar a vida de todos. Vc ficará só com 2 itens da sua lista de 10!

Muito bem, chegamos a ilha todos salvos com aquilo que vc priorizou.

Agora vamos fazer uma relação com o texto de LUCAS 10. 38-42, onde Jesus vai visitar as irmãs Maria e Marta e quando ele chega lá, as duas tem um comportamento muito diferente. Marta senta-se aos pés de Jesus e fica atenta a tudo que Ele fala, ensina, mas Marta, preocupada em ser uma boa anfitrião, quer deixar a casa em ordem, provavelmente preparar quitutes saborosos para servir ao Mestre Jesus.

Só que tem um probleminha, Marta fica indignada ao ver Maria sentada aos pés de Jesus e ela atarefada com tudo por fazer, resolve falar para Jesus chamar a atenção da irmã. E olhe o que Jesus responde nos versículos 41 e 42:

Respondeu o Senhor: Marta! Marta! Você está preocupada e inquieta com muitas coisas;
todavia apenas uma é necessária. Maria escolheu a boa parte, e esta não lhe será tirada. Lucas 10:41,42

Eu queria falar sobre essa passagem bíblica usando essa biblia e essa vassoura. A bíblia representa a Maria e a vassoura representa a Marta.

Muitas vezes somos Marta e outras Maria, só precisamos ter equilíbrio entre a palavra de Deus e entre a vassoura. Precisamos ter equilibrio com a nossa Marta e também com a nossa Maria. A nossa vassoura representa todas as nossas atividades que fazemos no nosso dia a dia, nosso emprego, nossos trabalhos domésticos, a vassoura representa os nossos filhos, netos, a vassoura representa a Netflix, o celular, facebook , e muito mais.

A Bíblia representa os pés do Senhor, o que a Maria escolheu.

Aqui quando Marta chegou pra Jesus e falou, você não se incomoda em ver eu fazer tudo sozinha e essa minha irmã, folgada ficou aí aos seus pés ? E Jesus falou : Marta voce está preocupada demais mas Maria escolheu a melhor parte que é estar na minha presença, que é estar aos meus pés. Jesus estava falando ali é o seguinte: o Marta está na hora de você soltar um pouquinho essa vassoura e se dedicar um pouquinho a estar aos meus pés.

Sabe qual é o nosso grande problema? Não é a vassoura em si, mas não ter equilíbrio entre a vassoura e a Bíblia, nossos afazeres e tudo que nos cerca e a palavra de Deus, seu aprendizado, tempo de refletir, conversar com Jesus.

Deus quer nos dar muitas coisas, mas não podemos esquecer da prioridade, a vassoura é necessária, mas estar aos pés de Jesus é prioridade. O que Jesus quis dizer naquela hora para a Marta, “solta essa vassoura um pouquinho (soltar a vassoura) porque Maria escolheu a melhor parte”. Jesus não mandou Marta jogar fora a vassoura, (ela está aqui, pegar ela) mas deixar ela de lado um pouquinho e se dedicar a ouvir a palavra de Deus.

Sabemos que temos muitas coisas para fazer, agenda cheia, mas não devemos nos esquecer que a melhor parte, JESUS deve ser a prioridade. As vezes pode acontecer, de certos horários agendados interferirem ou nos deixar pensativos, tudo bem, acontece, mas não pode ser sempre. Agora se for sempre, chegamos à conclusão que a palavra de Deus não é a nossa prioridade. Estar aos pés de Jesus é prioridade, porque Maria escolheu a melhor parte. Vamos nós também escolher a melhor parte?

ORAÇÃO: Senhor Jesus, Tu sabes que temos muitos afazeres e compromissos em nossa rotina diária e muitas vezes temos escolhas difíceis a serem feitas. Ajuda-nos a priorizar aquilo que realmente é importante e soltarmos a vassoura de vez em quando. Ajuda-nos a escolher a melhor parte. Atende nosso pedido Senhor. Amém.


Tempos líquidos - Mateus 7.24-27; Lucas 6.48 - P. Gerson Acker - 23 de setembro de 2021
 

Saudação: Olá meu irmão. Olá minha irmã. Que a graça e a paz de Jesus Cristo esteja contigo. Amém!

Antigamente, quando a gente comprava um eletrônico, um eletro doméstico, a gente tinha a sensação que ele durava muito mais. É bem verdade que a maioria dos produtos, atualmente, são altamente descartáveis. Estragou? A gente joga fora e compra de novo. É um traço da nossa sociedade consumista, nada é feito para durar.

Esse conceito de que nada é feito para durar, nos vem das pesquisas e dos livros que o Polonês sociólogo Zygmunt Bauman escreveu. E ele diz que a nossa modernidade é líquida porque ela se comporta como os líquidos. Os líquidos, eles são instáveis, eles tem falta de coesão e eles também não tem forma definida.

Me diz meu irmão, minha irmã se tantas e tantas vezes a gente se sente assim, boiando, sem um solo firme para pisar? Jesus nos questiona diante dessa situação, quando usa de uma parábola. Essa parábola, nós encontramos em dois evangelhos, Mateus e Lucas. É a parábola da pessoa que constrói a sua casa sob areia e a outra que constrói sob a rocha.

No evangelho de Mateus diz que quem ouve os ensinamentos de Jesus e quem vive de acordo com eles é como uma pessoa que constrói a sua casa, ou seja, a sua vida sobre uma base sólida.

No evangelho de Lucas, a gente tem uma nuance um pouquinho diferente. Eu gosto da versão de Lucas porque vai dizer que quem ouve os ensinamentos de Jesus e é obediente a eles é como a pessoa que cava, bem fundo, para colocar o alicerce da sua casa na rocha. E aí não tem tempestade, não tem tempo líquido que derrube a casa.

Meu querido irmão, minha querida irmã, a gente precisa se esforçar para ser o contraponto dentro desse mundo líquido. Enquanto tudo ao nosso redor, tende a sensação da liquidez, compete a nós solidificar, buscar bases firmes para conduzir as nossas vidas, as nossas relações e a nossa maneira de ser em sociedade. Que a nossa base, sejam os ensinamentos de Jesus Cristo. Que assim seja, Amém!

Oração: Ora comigo? Querido Deus não permita que naufraguemos no meio do caos dessas águas turbulentas dos tempos modernos. Dá – nos a paz que precisamos e a sabedoria para cavarmos fundo e buscarmos alicerces firmes em ti para conduzir a nossa vida. Por Cristo Jesus é que nós oramos. Amém!

Bênção: Que Deus mantenha a tua cabeça fria, o coração quente, as mãos abertas e os pés sem pressa e sem preguiça. Que assim te abençoe o Deus que é Pai-Mãe, Filho e Santo Espírito. Amém!


Uma criança os guiará - Marcos 9.37 - Missionário Felipe Milani - 22 de setembro de 2021

Olá!
O evangelho de Marcos 9.37 registra uma fala de Jesus. Ele diz:
“— Aquele que, por ser meu seguidor, receber uma criança como esta estará também me recebendo. E quem me receber não recebe somente a mim, mas também aquele que me enviou.”

As Crianças, na época de Jesus eram tidas como pessoas à margem da vida social e religiosa. Assim como viúvas, estrangeiros.
Jesus, no entanto, traz uma criança para o centro do grupo, para o centro da discussão que se fazia entre os discípulos. E de maneira pedagógica se identifica com aquela criança.

Quer passar a ideia de que o Reino de Deus acontece a partir do envolvimento com o vulnerável da vida, com o debilitável da vida...com aquele e aquela que se encontra nas adjacências da sociedade por qualquer motivo que seja.

É uma proposta bem prática. Quem interage dessa maneira no mundo, experimenta o divino no humano. Recebe o Cristo, recebe Deus. Entendeu o que é o mais importante na vivência do reino de Deus.

Vamos ter uma palavra de oração:
Dá, Senhor, que tenhamos no nosso dia a dia encontros com as vulnerabilidades e debilidades da vida e sociedade. Que nossa ambição não seja a construção de projetos de dominação e exclusão, mas a da busca por uma vivência humilde e terna ensinada por Jesus Cristo. Amém.

Paz e bem seja sobre você e sua família. Até mais!


Qual é o melhor dom? - 1 Coríntios 12.31a - P. Ernani Röpke - 21 de setembro de 2021
 

Graça e paz sejam contigo!

Em 1 Coríntios 12.31 o apóstolo Paulo diz: “Por isso se esforcem para ter os melhores dons”. Qual é o melhor dom para você? Uma história conta o seguinte: “Um executivo bem-sucedido e informado foi fazer um passeio turístico. Para a travessia de uma à outra margem do rio, alugou uma canoa. Durante o percurso, o executivo perguntou ao condutor, o pescador:
- Você sabe ler e escrever?
- Não, sou analfabeto – respondeu o pescador.
O Executivo então lhe disse: - Você está perdendo parte da sua vida por não saber ler e escrever.
E o pescador continuou o percurso. Mais adiante o executivo fez outra pergunta: - Você entende de política?
- Não, Senhor, pois nunca pude estudar – respondeu o pescador.
O executivo mais uma vez sentenciou: - Você está perdendo uma boa parte da vida.
A canoa, continuando seu curso, bateu numa pedra. O pescador perguntou então ao executivo: - O senhor sabe nadar?
- Não - respondeu ele, desesperado.
O pescador completou: - Pois então o senhor vai perder sua vida toda, pois a canoa está afundando”.
Qual é o melhor dom? Aquele que se considera melhor que a outra pessoa? Aquele que abandona a outra pessoa a própria sorte? O apóstolo Paulo diz: Por isso se esforcem para ter os melhores dons. Porém eu vou mostrar a vocês o caminho que é o melhor de todos. Eu poderia falar todas as línguas.... Poderia ter o dom de anunciar mensagens de Deus, ter todo o conhecimento, entender todos os segredos e ter tanta fé que até poderia tirar as montanhas do seu lugar,... Poderia dar tudo o que tenho e até mesmo entregar o meu corpo para ser queimado, mas, se eu não tivesse amor, isso não me adiantaria nada.

Qual é o melhor dom? É aquele que está imbuído do amor de Deus revelado em Jesus Cristo. Amor que não nos leva a presunção de nos acharmos melhores. Amor que não nos leva a abandonar pessoas a própria sorte nos naufrágios da vida. Amor que faz o nosso dom ser paciente e bondoso. Amor que faz o nosso dom não ser ciumento, nem orgulhoso, nem vaidoso, nem grosseiro, nem egoísta, nem irritado e guardador de mágoas....

Oração: Graças te damos, Senhor, pelos dons que nos dás por intermédio do seu Espírito Santo. Ajuda-nos a alicerçar sempre nossos dons no seu Filho Jesus Cristo, pois é dEle que emana o amor que nos faz cuidar das pessoas fragilizadas, necessitadas e desorientadas na vida. Amém.

Bênção: Que a bênção de Deus ilumine o seu dom para que possas abraçar nesse dia com muito amor as pessoas que Deus coloca em seu caminho. Amém.


Luz do mundo - 1 João 1.5 - PPHMista Evair Tonn - 20 de setembro de 2021
 

“A mensagem que dele ouvimos e que anunciamos a vocês é esta: Deus é luz, e não há nele treva nenhuma”. 1 João 1.5

Em Gênesis no capítulo 1 versículo 3 está escrito: “Deus disse: ‘Haja luz! E houve luz”. As trevas, o caos, a desordem desapareceram, e Deus criou todas as coisas com sua palavra poderosa. Deus é luz! A sua criação reflete a essência e a natureza do Criador.

O nosso Criador não deixou a humanidade sozinha, ele enviou seu Filho ao mundo. O qual trouxe luz, vida e paz aos corações aflitos que se encontram nas trevas do pecado, do medo e da injustiça.

Você tem percebido a luz de Cristo em sua volta? Você tem deixado essa luz entrar em seu coração? Não importa como você está neste momento, nas trevas do pecado, com medo das incertezas e aflições da vida ou com ansiedade. Jesus quer entrar em seu coração, irradiar e trazer luz para sua vida. Pois ele prometeu, dizendo “Eu sou a luz do mundo. Quem me segue não andará nas trevas; pelo contrário, terá a luz da vida”. João 8.12b.

Onde quer que você esteja e a forma como se encontra, saiba, que o nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo quer ser luz para você iluminando os seus passos e te guiando.

Oração
Senhor Deus, obrigado, por que em meio a escuridão, o caos, as incertezas e as injustiças, o Senhor traz vida, nos visita e diz, haja luz. Assim, não ficamos mais na escuridão, mas, na luz do teu Filho amado Jesus Cristo. Pedimos-te, venha com a tua mão bondosa, nos guardar de todo o mal. E quando passarmos por um vale escuro possamos ver a tua luz e nos firmar nela. Assim, pedimos e agradecemos em nome de Jesus, amém!


Dominados pelo amor - Efésios 5.1-2 - P. Rolf Rieck - 17 de setembro de 2021

Olá, como estão?
É muito bom reencontrar vocês neste momento de oração. Na distância e nas diferenças nos sentimos irmanados ao podermos parar um tempo, meditar e orar, antes de começarmos as atividades de cada dia. Ou então, podermos terminar o dia em um momento de reflexão e gratidão a Deus.

Somos Igreja e, como tal, sempre lembrados de seu chamado primário de orar, adorar, evangelizar e alcançar as pessoas para seguirem a Cristo. Como podemos fazer isso?

A Igreja é de Cristo e Jesus não foi apenas um lider carismático, ativista social e religioso, com obra e vida que os séculos foram incapazes de esquecer. Cristo Jesus é Filho de Deus, um com Deus, Deus-triuno, Pai, Filho e Espírito Santo. A Igreja se reúne em torno deste Deus, o adora e serve, e se preocupa com “integridade” — mesmo que algumas lideranças não façam questão de manter uma unidade —, “prudência” — quem sabe por isso ela tenha estado tão desacreditada em nosso contexto —, e “justiça”— sem tomar o partido de uma maioria contra uma minoria—. Nós todos, comunidade orante e que reflete nas verdades fundamentais da palavra de Deus sem sofrer a pecha de “funda mentalista”, somos convidados a agir de maneira responsável e consistente nesta sociedade. Atentos para que sempre estejamos cientes de que, por buscarmos o melhor para a sociedade humana, oremos e estudemos a palavra de Deus na cristalização de uma mente cristã, como Igreja, como denominação, não fixando nosso pensamento a um programa político específico.

Defendemos o que é justo, certo? Como escreveu John Stott, “o que o amor deseja, a justiça exige”. Justiça e amor andam de braços dados. Não são e nem podem ser excludentes. Amor e justiça nos ensinam a defender a democracia e uma das virtudes da democracia é que ela nos leva à humildade e à necessidade de ouvir uns aos outros, especialmente quando discordamos uns dos outros e passamos a tentar, juntos, um caminho que nos leve adiante.

Vamos admitir: nós atribuimos um alto valor ao batismo e, agora, ao chamado de colocar dons a serviço, mas não conseguiremos sem oração e sem Evangelho — ou evangelização — difundir valores que nos remetam a Jesus Cristo diante do qual todos o joelho haverá de se dobrar.
O apósatolo Paulo escreve: “Vocês são filhos queridos de Deus e por isso devem ser como ele. Que a vida de vocês seja dominada pelo amor, assim como Cristo nos amou e deu sua vida por nós” (Efésios 5.1-2).

Em oração, receba a Jesus. Jesus quer ser admitido através de uma fé humilde e penitente. Que fazemos como pessoas cristãs? Clamemos e trabalhemos por uma nova sociedade “Reino de Deus”. Como Igreja orante vamos exibir os ideais do governo de Deus no mundo e, assim, apresentar à humanidade uma realidade social alternativa.

Oremos: SENHOR, agradecemos pelos impulsos da tua Palavra ensinada através do Espírito Santo. Interrompe-nos, Senhor, quando começamos a confiar mais nas coisas humanas e quando nos deixamos submeter às pressões externas mais do que a ti. Levanta-nos e acorda-nos para que voltemos àquilo que tu imaginaste a nosso respeito e para toda humanidade. Abre nosso coração, nosso olhar e nossos ouvidos. Domina-nos com o Teu amor. Amém.


Mordomia Cristã - 1 Pedro 4.10 - Pa. Daiane Berndt Bottcher - 16 de setembro de 2021

 

Que a graça do nosso Senhor Jesus, o amor de Deus nosso Pai e a comunhão do Espírito Santo esteja e permaneça conosco, amém!

Aqui no Vale do Paraíba nos últimos cultos temos refletido sobre o importante tema da Mordomia Cristã. A palavra nos diz que tudo é do Senhor, todas as coisas que temos são emprestadas por Ele a cada um de nós. Nós somos chamados a sermos bons administradores daquilo que é de Deus. Cada pessoa que crê é mordomo de Deus, responsável por cuidar, zelar de tudo aquilo que pertence a Deus e que graciosamente nos é emprestado.

Paul C. Empie, defende que: a mordomia cristã é a resposta do amor cristão que nasce da fé em Cristo como Senhor e Salvador; e: para que a comunidade cristã possa realizar seu múltiplo serviço, ela necessita de pessoas e recursos. Cada membro da comunidade é co-responsável pelas tarefas da comunidade.
É a partir da Mordomia Cristã que a Igreja Cristã pode sobreviver no mundo. Deus usa os recursos do seu próprio povo para manter e edificar sua Igreja.

Aquelas pessoas que amam e creem em Jesus também tem o desejo de servir a Ele colocando seus dons/talentos, seu tempo e seus recursos à serviço da igreja. A igreja cresce na medida em que seus membros se conscientizam de que precisam se doar ou dar de si mesmos para o serviço.

Há muito trabalho a ser feito, se não houver pessoas envolvidas e comprometidas, se não houver recursos financeiros e humanos, estes trabalhos na igreja não acontecerão automaticamente e a igreja estará fadada a fracassar e ter um fim. Deus deu diferentes dons para cada pessoa, para que justamente não haja nenhuma “falta” de recurso. Mas se não nos dispusermos certamente haverá lacunas, pois fazemos parte de um corpo, onde cada parte é importante e tem sua função.

Por isso, a prática da mordomia cristã é fundamental para que a igreja siga existindo e seja saudável. É colocar em prática o Tema do Ano de nossa igreja: Viver o Batismo, dons a serviço. É perceber tudo o que o Senhor nos confiou e administrar bem, colocar à disposição.
O versículo de 1 Pedro 4.10 nos anima: Sirvam uns aos outros, cada um conforme o dom que recebeu, como encarregados de administrar bem a multiforme graça de Deus.

Que cada qual possa com alegria e gratidão ser um bom mordomo, um bom administrador daquilo que Deus lhe confiou, para edificação da Sua Igreja, para honra e glória do seu nome. Amém.

Oremos:

Que a benção do nosso Deus: Pai, Filho e Espírito Santo esteja e permaneça contigo hoje e sempre. Amém.

 


Tempo da Criação 2021 - Ministro Candidato Éder Beling - 14 de setembro de 2021
 

Todos os anos, de 1º de setembro a 4 de outubro, a família cristã se une para esta celebração mundial de oração e ação pela proteção da nossa casa comum.

Como seguidores e seguidoras de Cristo, de todos os cantos do mundo, partilhamos um papel comum de guardiões e guardiãs da Criação de Deus. Percebemos que nosso bem-estar está interligado com o bem-estar da Criação. Nós nos alegramos com esta oportunidade de cuidar de nossa casa comum e de nossas irmãs e irmãos que nela habitam.

A cada ano, o comitê diretivo ecumênico que organiza este Guia de Celebração propõe um tema para o Tempo da Criação. O tema de 2021 é Uma casa para todos? Renovando o Oikos de Deus.

O salmista proclama “ao Senhor pertence a Terra e tudo o que nela se contém.” Há duas declarações de fé no centro deste versículo. A primeira é que toda criatura pertence à comunidade da Terra. A segunda é que a comunidade inteira pertence ao Criador. Uma palavra grega para essa comunidade da Terra é oikos. Oikos é a raiz da palavra oikoumene, ou ecumênico, que descreve a nossa ‘casa comum’. Nossa casa comum, a Terra, pertence a Deus, e cada criatura amada pertence a esse oikos comum.

Enraizando nosso tema no conceito de oikos, destacamos a teia integral das relações que sustentam o bem-estar da Terra. A palavra ecologia (oikologia) descreve a ciência que estuda as relações entre animais, plantas, organismos não-sencientes e minerais, cada um com uma função vital para manter o equilíbrio desta comunidade amada. Cada ser criado é importante e contribui para a saúde e resiliência do ecossistema em que vive com sua biodiversidade. Os seres humanos pertencem à relação correta dentro dessa comunidade da Terra. Somos feitos de matéria da Terra e somos dependentes uns dos outros e do que o solo produz.

As relações humanas também têm um significado ecológico. Relações econômicas (oikonomia), sociais e políticas afetam o equilíbrio da Criação. Tudo que fabricamos, usamos e produzimos tem sua origem na Terra, seja de minerais, plantas ou animais. Nossos hábitos de consumo de energia e bens afetam a resiliência dos sistemas planetários e a capacidade da Terra de curar a si mesma e sustentar a vida. As relações políticas e econômicas têm efeitos diretos na família humana e nos membros “mais que humanos” do oikos de Deus. Gênesis 2:15 nos lembra que dentre as co-criaturas, Deus deu aos humanos uma vocação especial de cultivar e guardar o oikos de Deus.

Extrato do texto elaborado para a Campanha Tempo da Criação de 2021. Disponível em: tempodacriacao.org. Acesso em: 01 set. 2021.

Veja os vídeos da campanha em: Movimento Laudato Si' (PT)

Acesse: www.tempodacriacao.org

 


As manias de grandeza dos discípulos de Jesus! - Marcos 9. 33-37 - P. Alberi Neumann - 13 de setembro de 2021
 

Que a graça do nosso Senhor Jesus Cristo, o amor de Deus o Pai, e a comunhão com o Espírito Santo esteja com cada um e cada uma de nós. Amém!

No Evangelho de Marcos 9. 33-37, lemos: Jesus e os discípulos chegaram à cidade de Cafarnaum. Quando já estavam em casa, Jesus perguntou aos doze discípulos: — O que é que vocês estavam discutindo no caminho? Mas eles ficaram calados porque no caminho tinham discutido sobre qual deles era o mais importante. Jesus sentou-se, chamou os doze e lhes disse: — Se alguém quer ser o primeiro, deve ficar em último lugar e servir a todos. Aí segurou uma criança e a pôs no meio deles. E, abraçando-a, disse aos discípulos: Aquele que, por ser meu seguidor, receber uma criança como esta estará também me recebendo. E quem me receber não recebe somente a mim, mas também aquele que me enviou.

No caminho para Jerusalém, Jesus ensinava os seus discípulos. Falava-lhes de sua paixão (Marcos 9.30). Queria prepará-los para o inevitável sofrimento que ele passaria na cruz. E também para a missão deles. Temas profundos. Eles, contudo, não compreendiam isto e tinham medo de perguntar (Marcos 9.32). Em vez de encarar o assunto espinhoso, eles ficaram discutindo entre si quem era o maior”, o mais importante. Quem tinha mais prestígio. Tratava-se de disputa de egos, de status, de vaidades.

Ao chegarem em casa, Jesus, então, faz uma pergunta aos 12: “O que é que vocês estavam discutindo no caminho?”

Os discípulos ficaram calados. Bateu a vergonha. Afinal, a preocupação e os planos deles eram opostos aos de Jesus. Eles aspiravam à grandeza, a privilégios e honrarias. Havia muita arrogância naquela conversa pelo caminho.

Jesus, por sua vez, aproveita a oportunidade para com muita calma ensiná-los. Chama a atenção que Ele se assenta (Ou seja, ela não fala de cima para baixo. Ele se abaixa para falar com eles). Temos aqui um gesto de profunda humildade. E a seguir ele diz: “Se alguém quer ser o primeiro, deve ficar em último lugar e servir a todos” (v.35).

Servir a todas as pessoas... Isso significa renunciar a busca pela grandeza. É buscar o bem comum e não os seus próprios interesses. É não ser arrogante; Não se achar uma pessoa melhor que as outras. É ser uma pessoa com consciência social e diaconal; é ser uma Igreja diaconal.

E o ponto alto deste texto está no momento em que Jesus põe uma criança no meio deles e a abraça. Ao fazer isso Jesus desinstala e desconcerta os seus discípulos nas suas manias de grandeza.

Com muita humildade e ternura, o servo Jesus mostra como agir, como viver... como acolher os pequenos, como servir as pessoas humildes, as pessoas vulneráveis, as pessoas que mais precisam de cuidado.

Cuidemos para não cairmos na tentação da arrogância. Tenhamos a humildade do Mestre Jesus, que não veio para ser servido, mas para servir. Que Deus nos ajude. Amém.

 


Pare de olhar pra trás - Isaías 43.18-19a - Pa. Argéli Katiusa Karsburg - 11 de setembro de 2021
 

Todas as pessoas tem uma passado na sua caminhada marcado de bons e maus momentos. Tem gente que tem a capacidade de deixar o passado no seu devido lugar, no passado! Mas tem gente que adora carregar seu baú de lembranças e espiar toda hora. Lamentavelmente temos o péssimo hábito de carregar as experiências negativas no baú de lembranças e perder as positivas pelo caminho.

Se por acaso você for uma daquelas pessoas que adora viver do passado preste atenção nas palavras descritas em Isaías 43.18-19a. Não fiquem lembrando do que aconteceu no passado, não continuem pensando nas coisas que fiz há muito tempo. Pois agora vou fazer uma coisa nova que logo vai acontecer, e, de repente, vocês a verão.

Viver olhando pra trás e lembrando do que já aconteceu nos torna pessoas cegas para as novidades divinas. Nosso Deus tem toda capacidade do mundo de mudar e transformar nossa história, mas para que isso seja possível nós precisamos ter esperança, coragem e ousadia de olhar para frente e confiar na sabedoria divina. Que tal esquecer algumas decepções de muito tempo e olhar em frente? Que nosso Deus criativo faça coisas novas em tua vida.

 


Palavras agradáveis ao Senhor - Salmo 19.14 - P. Luiz Carlos Oliveira - 10 de setembro de 2021

 

Olá! Bom dia!

Paz e bem a todas e todos vocês nesta manhã e por todo o dia que teremos hoje.

Hoje coube a mim a reflexão, a breve reflexão e também um breve momento de oração para iniciarmos o dia a partir da palavra de Deus.

E quero meditar com vocês nesta manhã numa palavra do Salmo 19.14, que diz: As palavras dos meus lábios e o meditar do meu coração sejam agradáveis na tua presença, Senhor, rocha minha e redentor meu.

As palavras dos meus lábios sejam agradáveis na tua presença.

Esta palavra é sábia, como tantas outras palavras bíblicas, porque falar aquilo que seja agradável ao Senhor é falar aquilo que constrói para a vida das pessoas; que edifica situações; que procura construir para a vida de pessoas onde nós estamos. Pensando nisso, lembrei de uma pequena história ou estória, que nem sei se é real mesmo ou apenas algo inventado.

Conta-se que certo dia um rapaz foi conversar com Sócrates. Veio até ele para lhe contar um fato. Sócrates ergueu os olhos do livro que estava lendo e perguntou: - O que você quer me contar já passou pelas três peneiras? - Três peneiras?! Como assim, perguntou o rapaz. - Sim! Três peneiras. A primeira é a verdade. O que você quer me contar dos outros é um fato mesmo? Caso você não tenha certeza ou tenha apenas escutado falar, então a coisa deve morrer por aí mesmo. Suponhamos, entretanto, que seja verdade. Neste caso, você deve passar pela segunda peneira. Que se chama bondade. O que você quer me contar é coisa boa? Ajuda a construir ou a destruir a fama, a reputação do seu próximo? Se o que você quer contar é verdade, é coisa boa, deverá passar ainda pela terceira peneira que se chama convivência ou necessidade. Convém contar? É necessário contar? Resolve alguma coisa? Ajuda a pessoa ou as pessoas ao seu redor? O filósofo, dada a explicação, fechou a conversa com a seguinte palavra: - Se passar pelas três peneiras conte, relate. Tanto você, como sua irmã ou seu irmão, e as pessoas que cercam vocês vão crescer com certeza. Caso contrário esqueça e deixe tudo para trás. Diz a história que o rapaz curvou-se às ponderações do filósofo, decidindo não contar coisa alguma. Seu caso iria enroscar-se, certamente, em alguma peneira do sábio.

Conviemos com pessoas e nós também estamos na mesma situação. Muitas vezes nós somos agentes de palavras que não precisariam ser levadas adiante. E, como disse antes, convivemos com pessoas que parecem ter um desejo imenso, ou uma necessidade imensa de contar coisas que ouviram, não sabem se é verdade, mas que outros falaram. É sábio, como diz o salmo, que as palavras dos meus lábios, dos seus lábios, sejam agradáveis na tua presença. Vamos cuidar! Vamos cuidar com o que falamos, especialmente de outras pessoas. É fundamental que falemos o que constrói, o que ajuda, o que motiva para a vida e preserva a integridade moral e também a reputação de outras pessoas. Que assim seja o nosso dia! Que assim seja o que vamos viver neste dia, sob a mão do nosso Deus.

Convido para um momento de oração: Amado Senhor, nosso Deus, obrigado! Obrigado que tua palavra nos ensina que nossas palavras devem e podem ser boas; que constroem vidas; que ajudam pessoas a serem cada vez mais fortalecidas e animadas. Não permita que nós sejamos instrumentos de fofoca, de falar aquilo que não é legal, aquilo que não ajuda na vida das pessoas. Queremos falar do bem; queremos falar daquilo que constrói para onde nós estivermos, juntamente com a vida de pessoas. Pedimos, oramos e colocamos o dia em tuas mãos no nome santo de Jesus. Amém.

Tenham todos um bom dia e Deus os acompanhe em tudo o que vocês fizerem. E que as palavras dos seus lábios, dos meus lábios sejam agradáveis ao nosso Deus hoje e sempre. Até mais. 


Como Peixes - Tiago 1.14-15 - P. Elton Pothin - 09 de setembro de 2021
 

“Mas as pessoas são tentadas quando são atraídas e enganadas pelos seus próprios maus desejos. Então estes desejos fazem com que o pecado nasça. E o pecado, quando já está maduro, produz a morte.” (Tiago 1.14,15)

Um filho e seu pai estavam pescando. O menino, em meio à pescaria, começou a pensar: “como os peixes são bobos. Se deixam fisgar um a um.” Será que não percebiam que, escondido debaixo daquela isca, havia um anzol mortal? Algumas vezes, ao fisgar um peixe muito pequeno, o jogavam de volta na água.

O menino cresceu e acabou se conformando com a “burrice” dos peixes. Percebeu que continuavam os mesmos. Atraídos pela isca, acabavam fisgados e mortos. Algumas vezes, via a marca de uma fisgada anterior na boca do peixe. Mesmo tendo sido fisgado anteriormente e devolvido à água, o peixe caía novamente na armadilha.

Quando adulto, seus pensamentos voltavam-se à vida, ao trabalho, aos amigos. E ficava admirado como as pessoas caem no anzol da tentação. A isca os atrai: é apetitosa demais e acabam fígados pela tentação. Ficou convencido de que muitas pessoas são iguais aos peixes.

Mas um dia aconteceu que ele mesmo caiu na armadilha da isca apetitosa que envolvia o anzol mortal. E agora? Como fazer para reparar o erro? Pensou: “como fui burro! Sou igual aos peixes e aos meus amigos, que eu considerava tolos!”

Fico pensando nesta história dessa pessoa. E vejo como o ser humano se deixa enganar da mesma forma que os peixes pelos próprios maus desejos. A isca é muito apetitosa! Nunca vamos esquecer dos pastores que receberam propina de corrupção e rezaram agradecendo a Deus pela bênção que estavam recebendo. A tentação de tudo que se pode ter com o dinheiro nos faz esquecer nosso ser cristão. Existem muitas tentações. Mas não vamos citar mais para não nos alongarmos. Cada um de vocês as conhece.

Como cristãos, pensamos então como pensou a pessoa da nossa história acima: e agora? Há como reparar o erro?

Claro que há! “Arrependei-vos”, diz Jesus (Mateus 4.17) É somente isso que deve ser feito! É tudo isso que deve ser feito! Mas arrepender-se é o que existe de mais difícil para ser feito por um ser humano: reconhecer seu erro, arrepender-se, pedir perdão, mudar de atitude! Mas é o que precisa ser feito para que tudo possa ser melhor e para que não sejamos mais como os peixes.

Uma vez reconhecido o erro, tendo havido arrependimento sincero e mudança de atitude, há o perdão divino: “Se confessarmos os nossos pecados a deus, Ele cumprirá a Sua promessa e fará o que é correto: Ele perdoará os nossos pecados e nos limpará de toda maldade.” (1 João 1.9)

Mas, como o ser humano tem a natureza pecadora, cada um deve ficar sempre alerta para não morder a isca apetitosa do pecado. Vale para toda a vida o alerta de Jesus: “Vigiai e orai para que não entreis em tentação” (Marcos 14.38).

Oremos para que Deus nos fortaleça dia após dia para não cairmos tão facilmente nas tentações como os peixes.


Gratidão - A Primeira Palavra do Dia - P. Marcos Jair Ebeling - 07 de setembro de 2021
 

Irmão e irmã, a paz!

Tenho me esforçado para iniciar meu dia fazendo exercícios físicos. Passei a frequentar uma academia. Normalmente vou treinar bem cedo. Entendo que é saudável para o corpo.

Nesta academia às vezes tem música para estimular as pessoas ao exercício. Mas também tem uma televisão que fica próxima de quem caminha na esteira. Ela fica sintonizada num programa policial. As notícias são essas de roubo, corrupção, tiros, mortes, maldades mil. Confesso que parei de ouvir as notícias. Não para escondê-las, mas para não iniciar meu dia com tamanho peso. O mesmo fiz com o facebook e instagram, pois ao lado de notícias belas trazem também os azedos das pessoas. Acompanho as notícias e mídias durante o dia, depois que a alma já pode externar uma palavra de gratidão.

Esse ensinamento, trago-o desde a mais terna infância na casa dos meus pais e da prática do culto infantil. Como pessoa cristã queremos iniciar o dia com uma palavra de gratidão.

Gratidão pelo descanso da noite

Gratidão pelo novo dia

Gratidão pelo alimento logo cedo

E muitos motivos mais.

Meus pais ensinaram-me este cuidado observando a natureza. Falavam da bela algazarra dos pássaros pela manhã. Como é grande neles a alegria por um novo dia. Então lembrávamos de uma canção da fé que canta assim:

Damos graças ao Senhor, damos graças. Graças pelo seu amor. (2)

De manhã cedo os passarinhos estão cantando louvando o Criador. E tu amigo porque não cantas, louvando a Cristo, Jesus teu Salvador

Agradecer o amor recebido desperta em nós a força da gratidão. É o que quero para minha primeira hora do dia. Com ela no coração e pensamento, posso lidar com as dificuldades e palavras azedas do dia.

Oremos: Deus de amor. Obrigado por despertar em nós o sentimento da gratidão. Especialmente por ela ser o alicerce para cada novo dia. A gratidão torna o dia leve, faz reconhecer a presença graciosa de Deus em nossa vida, direciona pensamentos bons em favor de irmãs e irmãs. Cheios e cheias de gratidão, Senhor, podemos assumir com olhar de esperança, cada assunto deste novo dia.

Com olhar de gratidão por este dia, um dia para ser vivido em liberdade, um dia cheio da graça e da misericórdia de Deus, oramos agradecidos em nome de Jesus Cristo, amém.

Com a força da gratidão que brota do amor de Deus por nós, viva o seu novo dia.


A melhor oração é o AMAR! - P. Klaus Dieter Wirth - 06 de setembro de 2021
 

Querida irmã, querido irmão em Cristo!

Que a Graça do nosso Senhor Jesus Cristo, o grande Amor de Deus, o Pai, e a companhia sempre constante e consoladora do Espírito Santo seja com você, seja comigo, seja com nossos familiares, amigas e amigos, e irmãs e irmãos na caminhada de fé.

Hoje é meu dia, fiquei mais uma vez responsável pela Oração do Dia, aqui por parte do Sínodo Sudeste. Eu gostaria da sua companhia para a nossa reflexão, hoje.

Eu escolhi dois versículos bíblicos que estão nas Senhas Diárias para o dia de hoje. O primeiro é uma paulada na nossa cabeça, mas ao mesmo tempo uma verdade que eu acredito que você não vá questionar. Diz o Salmo 106.6 o seguinte: “Nós temos sido maus e perversos, pecamos como os nossos antepassados pecaram”. Aqui o salmista está reconhecendo que todas e todos nós somos pecadoras e pecadores, todas e todos nós falhamos em nossa
caminhada do dia a dia, nos afastamos da vontade de Deus e fazemos muitas vezes aquilo que não agrada a Ele.

E aí vem o versículo bíblico do Novo Testamento que traz um alento para nós e forças para vencer exatamente o que o salmista constatou e que você viu e que é uma verdade. Lá em Tito 2.14 diz o seguinte: “Jesus se deu a si mesmo por nós a fim de nos livrar de toda maldade e de nos purificar, fazendo de nós um povo que pertence somente a Ele e que se dedica a fazer o bem”.

É verdade: em Jesus Cristo nós encontramos um novo sentido para a nossa vida. Esse novo sentido nos faz ficar mais próximo de Deus e também percebermos a nossa irmã e o nosso irmão que precisam de uma ou de outra forma do nosso auxílio. E eu aqui não me refiro apenas à palavra auxílio como algo financeiro. Tem tantas e tantas formas que as pessoas necessitam de uma outra pessoa em sua vida. Às vezes é uma questão psicológica, outras vezes é a falta do emprego, outras vezes é uma tristeza tão grande que está tomando conta, por causa de tudo que acontece ao seu redor. Existem tantas formas que nós, como cristãs e cristãos, somos chamados a ajudar, a servir.

E a oração que eu gostaria de fazer para encerrar a nossa meditação do dia de hoje é uma música. Eu a conheço desde pequeno. Ela nunca esteve em nossos hinários, nem no HPD 1 (Hinos do Povo de Deus), nem no HPD 2 e nem no novo Livro de Cantos da IECLB, mas quem é luterano de berço (que tenha pelo menos a minha idade) conhece essa música de cor e salteado. Mas eu também escutei a minha esposa cantarolando essa música com versos com texto diferente daquele que eu aprendi desde pequeno. Vou primeiro compartilhar com você o texto que você conhece.

A melhor oração é o amor, a melhor oração é o amor!
Se tu queres orar então deves amar,
a melhor oração é o amor.

Meu Senhor eu já posso orar? Meu Senhor eu já posso orar?
Se eu já posso orar então devo amar.
A melhor oração é o amor.

E aí eu encontrei um outro texto que diz:

A melhor oração é o amar! A melhor oração é o amar!
Se não sabes amar tu precisas orar!
A melhor oração é o amar!

A melhor oração é o amar! A melhor oração é o amar!
Ensina-me amar e também perdoar!
A melhor oração é o amar.

E a terceira estrofe termina dizendo:

Meu Senhor eu já posso orar? Meu Senhor eu já posso orar?
Aprendi a amar e também perdoar.
Meu Senhor eu já posso orar!

Desejo a você uma abençoada semana e que você possa nos acompanhar dia após dia na Oração do Dia.  


Dedique o melhor para Deus! - Marcos 12.41-44 - P. Jonathan Klebber - 04 de setembro de 2021

 

Meus amados irmãos e amadas irmãs! Que a graça e a paz de Cristo estejam conosco! Amém.

Convido você a refletir neste dia a respeito das palavras que se encontram em Marcos 12.41-44.

Jesus estava no pátio do Templo, sentado perto da caixa das ofertas, olhando com atenção as pessoas que punham dinheiro ali. Muitos ricos davam muito dinheiro. Então chegou uma viúva pobre e pôs na caixa duas moedinhas de pouco valor. Aí Jesus chamou os discípulos e disse:

— Eu afirmo a vocês que isto é verdade: esta viúva pobre deu mais do que todos. Porque os outros deram do que estava sobrando. Porém ela, que é tão pobre, deu tudo o que tinha para viver.

O texto relata um momento em que Jesus estava no templo. Ele estava sentado observando enquanto as pessoas depositavam suas ofertas. Dentre as pessoas que ele observou, uma delas lhe chamou a atenção: uma viúva pobre que colocou duas moedas de pouco valor... Aos olhos humanos aquilo podia ser pouco se comparado com aquilo que as outras pessoas ofertaram. Na visão de Jesus, entretanto, esta viúva pobre deu mais do que todos. Porque os outros deram do que estava sobrando. Porém ela, que é tão pobre, deu tudo o que tinha para viver.

Meus amados irmãos e amadas irmãs! Será que nós temos dado o melhor de nós para Deus. O texto fala de ofertas em dinheiro, mas eu quero ir além, não pensando apenas na questão financeira, mas em toda nossa vida e tudo que podemos ofertar e dedicar a Deus.
Realizamos nossas ofertas com alegria e gratidão? As nossas ofertas financeiras são um gesto concreto de amor, fé, compromisso e gratidão a Deus por tudo que Ele tem feito por nós?

E o tempo que dedicamos a Deus? O tempo dedicado para oração e estudo da palavra é prioridade em nossas vidas ou dedicamos a Deus somente o tempo que sobra e se sobrar após nossos outros compromissos?

O que fazemos com os dons que Deus nos presenteou? Colocamos eles a serviço do Reino de Deus? Temos utilizado nossos dons para auxiliar ao nosso próximo e anunciar a palavra e amor de Deus?

Que o exemplo da viúva pobre nos inspire a ofertar o melhor de nós para Deus! Que possamos buscar o reino de Deus em primeiro lugar em todas as áreas da nossa vida!

Oração: Deus de amor! Tu nos concedes a vida, o pão de cada dia, o nosso tempo, os nossos dons e tantas outras coisas. Tudo o que temos provém de tuas bondosas mãos! Capacita-nos para buscarmos o teu reino em primeiro lugar e dedicarmos toda a nossa vida e tudo o que temos para anunciar a tua palavra e compartilhar o teu amor. Amém.

Benção: Que Deus lhes conceda um dia abençoado sob o seu cuidado e proteção!
 


A Palavra de Deus é Viva e Eficaz - Salmo 119.50 - P. Eldo Kruger - 03 de setembro de 2021
 

O Salmo 119 fala sobre o valor e o poder da palavra de Deus. Diz que a palavra de Deus é viva e eficaz, que sempre cumpre os propósitos para os quais Deus a designou. Segundo o salmista, a palavra de Deus é um meio através do qual Deus age e manifesta o seu poder na nossa vida. Ela é um poderoso instrumento que Deus inspira por meio do Espírito Santo e usa para nos amparar e apoiar, para nos consolar e vivificar, para nos fortalecer e animar, especialmente quando estamos fragilizados e entristecidos por causa de situações adversas e difíceis que estamos enfrentando.

No versículo 50, o salmista diz: O que me consola na minha angústia é isto: que a tua palavra me vivifica. Ele acredita nisso. Acredita que por meio de sua palavra Deus pode restaurar o estado de angústia que se instalou na sua alma, pode renovar dentro dele a fé, a coragem e a esperança, a força da vida e a alegria de viver. Pode recarregar a energia e a vitalidade da sua vida, tal como a eletricidade recarrega a bateria do nosso celular quando ela está com pouca carga.

Assim como o salmista, nós também passamos por situações adversas e difíceis que nos angustiam e preocupam. Muitas vezes nos sentimos como um celular com pouca ou sem nenhuma carga, ou como um gramado seco que precisa e espera ansiosamente pela chuva que tudo restabelece.

Penso que a palavra e o testemunho do salmista tem uma mensagem para mim e para você. O salmista nos motiva a também fazer o que ele fez, buscar a Deus em oração e pedir para que seja bondoso e misericordioso para conosco e envie o seu Espírito Consolador sobre nós para nos vivificar por meio de sua palavra, para fortalecer e restaurar a nossa vida, a nossa saúde física e emocional, o nosso equilíbrio e bem estar, a nossa paz e alegria. Que assim seja!


Deus existe? (Provocações filosóficas) - P. Gerson Acker - 02 de setembro de 2021
 

Saudação: Olá meu irmão! Olá minha irmã! Que a graça e a paz de Jesus Cristo esteja conosco. Amém!

Reflexão: Deus existe?

Essa pergunta ocupou a filosofia por muito tempo. E dentre os diversos filósofos e filósofas a gente vai perceber a formação de dois grandes grupos, um que tenta explicar a existência de Deus através da razão e outro grupo que tenta explicar a existência de Deus através das emoções, dos sentimentos.
Lá na Grécia antiga, no período clássico, o Aristóteles vai nos dizer que Deus existe porque tudo precisa ter uma causa impulsora, ou seja, tudo que tem um começo, para esse começo existir, precisa de algo e, esse algo é Deus.

Depois do Século XVI, vamos nos deparar com o pensamento de René Descartes, aquele do famoso slogan “penso, logo existo”. Ele vai dizer que se nós temos a ideia de um ser perfeito, se nós temos esse ideal de perfeição, é porque essa perfeição, que nós não alcançamos por sermos humanos, essa perfeição é Deus. Logo Ele existe!

No Século XVIII, vamos nos deparar com pensamentos do David Hume. E o Hume, ele diz que Deus é uma criatura infinitamente inteligente, sábia e boa. Logo, se nós temos essa percepção de Deus é porque a gente já experimentou em algum momento da nossa vida, a bondade, a inteligência e sabedoria. Para Hume, as nossas experiências vão definir a nossa maneira de ver Deus, o que muitos teólogos e teólogas corroboram quando dizem que a nossa imagem de Deus é formada na infância, na relação que nós temos com nosso pai, nossa mãe. Aquela ideia de cuidado, de proteção que o bebê desenvolve para com a mãe, com pai é a mesma noção/sensação de proteção e cuidado que ela vai sentir para com Deus.

No mesmo Século XVIII, nós vamos nos deparar com o pensamento de um filósofo luterano: Immanuel Kant. O Immanuel Kant vai dizer o seguinte: que nem a razão e nem a experiência, ou seja, os sentimentos, podem explicar a existência de Deus. Para o Kant, existe um “vácuo”, existe um lugar onde nem a razão, nem a emoção chegam e, nesse espaço vazio, nós temos o lugar da fé - fé religiosa, ou seja, para Kant apenas a fé, apenas a transcendência que podem nos fazer ter a certeza da existência de Deus.

Uma anedota que encontramos no livro, “O mundo de Sofia” do norueguês Jostein Gaarder (que inclusive eu recomendo a leitura), nos diz o seguinte: “certa vez um astronauta e um neurologista discutiam sobre religião. O neurologista era cristão e o astronauta não. Eu já estive várias vezes no espaço, gabou-se o astronauta e nunca vi Deus nem anjos”. O neurologista respondeu: “Eu já operei muitos cérebros inteligentes e nunca encontrei sequer um pensamento!”.

Meu querido irmão, minha querida irmã, nossa experiência, nossa percepção de Deus, vem da nossa história de fé. Vem daquilo que nos foi legado, vem daquilo que nós experimentamos nesse “vácuo” que o Kant diz que é a dimensão da transcendência, da nossa espiritualidade. E de fato, nem a razão consegue explicar Deus e nem os nossos sentimentos, por mais genuínos que eles sejam.

Provocações filosóficas e teológicas para você pensar um pouquinho.

Oração: Ora comigo? Querido Deus, obrigado por estar presente na nossa vida, mesmo quando nós duvidamos da tua existência. Permita que a nossa fé cresça e amadureça de forma que possamos galgar uma fé com sabedoria. Por Cristo Jesus. Amém!

Benção: Que Deus mantenha a tua cabeça fria, o coração quente, as mãos abertas e os pés sem pressa e sem preguiça. Que assim te abençoe o Deus que é Pai, Mãe, Filho e Santo Espírito. Amém!


Processo de mudança - Romanos 12.2 - P. Felipi Schütz Bennert - 01 de setembro de 2021
 

“Repentinamente, os grãos começaram a estourar, saltavam da panela com enorme barulheira. Mas o extraordinário era o que acontecia com eles: os grãos duros quebra-dentes transformavam-se em flores brancas e macias, que até as crianças podiam comer. As grandes transformações acontecem quando passamos pelo fogo. Quem não passa pelo fogo fica do mesmo jeito a vida inteira. São pessoas de uma mesmice e de uma dureza assombrosas. Na simbologia cristã, o milagre do milho de pipoca está representado pela morte e ressurreição de Cristo: a ressurreição é o estouro do milho da pipoca. É preciso deixar de ser de um jeito para ser de outro” (Rubem Alves).

Não vivam como vivem as pessoas deste mundo, mas deixem que Deus os transforme por meio de uma completa mudança da mente de vocês. Assim vocês conhecerão a vontade de Deus, isto é, aquilo que é bom, perfeito e agradável a ele. (Romanos 12.2)


Momento de Pausa - Jeremias 15.16 - Keite Soares - Paróquia do ABCD - 31 de agosto de 2021
 

Olá, linda terça-feira pra você. A última terça do mês de agosto.

Me recordo há um tempo atrás que as pessoas comentavam sobre o mês de agosto ser um mês que nunca acaba, que passa bem devagar.

Este ano eu não sei se seu mês de agosto foi devagar, se ele passou em um piscar de olhos ou quantas coisas aconteceram pra você e quantas ficaram no seu planejamento... O que sei é que tudo isso são fatores externos, que podem ou não interferir no nosso humor e na nossa alegria.

Por isso, neste momento vou te fazer um convite: quero que você pare, pare e perceba a sua respiração. Perceba, apesar dos fatores externos, como você está. Dê uma pausa nas procurações, nos planejamentos, e respire...

Neste momento somente observe... Perceba como pequenas atitudes podem ajudar a florescer um dia melhor para você e para os que te rodeiam; Seja com um sorriso, com uma palavra de cuidado ou um ato de caridade.

Quando damos uma pausa para observar como estamos e como estão as pessoas a nossa volta, conseguimos enxergar pequenos espaços na rotina onde podemos semear uma semente de alegria, de esperança.

Em Jeremias 15.16 vemos que o profeta prestou atenção em cada palavra que o Senhor falava pra ele. Para prestar atenção, é necessário desacelerar, ouvir com cuidado, e nesta escuta atenta Jeremias ouviu do Deus Todo-Poderoso, palavras que encheram o coração dele de alegria e de felicidade.

Espero que hoje seja um dia maravilhoso onde você consiga ouvir as pessoas e passar a elas palavras de alegria e esperança de uma caminhada agradável com Cristo.


Dia Bom e Dia Ruim - Eclesiastes 3.14 - Missionário Felipe Milani - 30 de agosto de 2021
 

“O dia bom é um convite para comemoração; O dia ruim é um chamado à reflexão. Os dois têm de Deus o seu lugar devido Para que saibamos que nada está garantido”. (Eclesiastes 3.14)

Começo perguntando: Como foi seu dia ontem? Como está sendo o seu dia hoje? Consegue encontrar razões para comemorar, para celebrar?
Se você consegue, então faça! Por que o dia bom dura bem menos que um dia ruim.

Eu sei que está difícil encontrar razões para celebrar. São tantas notícias intragáveis que vemos e ouvimos. São tantas dores que nos cercam, que cercam nosso próximo. Parece que o dia ruim não tem fim.

Se assim você se encontra, para baixo, desanimado, e certamente temos muitos motivos para ficarmos assim, então, reflita! Porque no exercício da reflexão, como também no exercício da celebração, encontramos Deus.

Deus tem o seu lugar devido no dia bom e no dia ruim. E quando o encontramos ou ele nos encontra, experimentamos nosso choro, a nossa tristeza, nosso lamento se converter em dança, em alegria.

Que Deus seja contigo! Amém.


A Graça da Lei - Deuteronômio 5.6 - Welson Alcântara Oliveira Silva - 27 de agosto de 2021
 

“Eu sou o Senhor, seu Deus, que o tirei da terra do Egito, da casa da servidão.” Deuteronômio 5.6

Neste momento de oração, vamos refletir acerca da “Graça da Lei”. Geralmente, pensamos na lei como uma imposição, como algo a ser obedecido a pulso, sob pena de duras punições em caso de desobediência. Mas, por que não pensar por um outro viés? Ocorre que o mesmo Deus que nos exige obediência perfeita, submissão completa, é o Deus que diz para cada um de nós: “Eu sou o SENHOR, teu Deus”. E assim como o povo de Israel foi tirado da terra do Egito, da casa da servidão, nós fomos tirados das nossas “casas de servidão”, pois éramos escravos do pecado, do diabo e do mundo. Mas agora que fomos libertos dessa escravidão por Cristo Jesus, somos desafiados a uma vida de livre obediência e gratidão ao Deus glorioso, que nos salvou e que vem a nós, dizendo: “Eu sou o SENHOR, o Deus da Aliança, o teu Deus”. É esse Deus da Aliança inquebrantável que nos chama para uma vida de submissão por amor e gratidão a Ele. E assim, oremos ao nosso Deus:

Oração

“Senhor, como tu és gracioso, pois falas a nós de uma maneira especial! Tu falas a nós como Deus da Aliança, que exige de nós submissão e obediência, mas também tem promessas gloriosas para nós. Obrigado por tua graciosa salvação que alcançou a nossa vida. Obrigado, Senhor, porque tens chamado a cada um de nós pelo nome para fazer parte do teu povo. Deus eterno, sê servido em nos guardar até o fim para o louvor da tua glória. Amém!”


Efatá! (Abra-se) - Marcos 7.34 - P. Ernani Ropke - 26 de agosto de 2021

 

“Então erguendo os olhos ao céu, [Jesus] suspirou e disse: - Efatá! – que quer dizer: “Abra-se!”

Que o Espírito Santo ilumine o falar e ouvir nesse momento de oração.

Hoje é o dia Mundial de Oração pela Diaconia. Você sabe o que é Diaconia? Diaconia é o serviço que socorre as pessoas em suas necessidades concretas. A Igreja cristã recebe a missão de servir de Jesus Cristo. Todo viver de Jesus foi doação. Por ele nos servir com o seu amor salvador, também nos dispomos a servir. E para esse servir, Jesus nos convida a erguer os olhos para o céu. No erguer os olhos para o céu, para Deus, é que acontece o verdadeiro servir. Quando trouxeram um surdo e gago para Jesus impor-lhe as mãos e curá-lo, Jesus realiza o seguinte gesto conforme Marcos 7.34:

“Então erguendo os olhos ao céu, [Jesus] suspirou e disse: - Efatá! – que quer dizer: “Abra-se!”

O olhar para o céu costuma ser visto muitas vezes como um sinal de impotência, isto é, não sei mais o que fazer. Só me resta orar a Deus. Só Deus para me ajudar.

Porém, aqui quem realiza esse gesto é o Filho de Deus. Não é alguém impotente. O que Jesus procura nos dizer com este gesto? Jesus revela aqui para o surdo e gago toda a sua relação de confiança com Deus. Jesus confia que Deus abrirá o céu para essa pessoa surda e gaga, isto é, que Deus abrirá os seus ouvidos e destravará a sua língua para que possa falar de si, ser ela mesma, ser, sobretudo, como Deus a criou. Por isso Jesus diz em oração a Deus: “Efatá, que quer dizer: Abra-se! Abra-se para o amor de Deus. Abra-se para a vida que Deus lhe dá. Abra-se e confie que tu és um filho e uma filha querido e amado por Deus. Abra-se e seja quem tu és. Não se deixe emudecer pelos traumas e nem pelos preconceitos e discriminações das pessoas a sua volta.

O erguer os olhos para o céu de Jesus fez os ouvidos se abrirem e a língua desse surdo e gago destravar. Jesus também nos diz: Quando não conseguires mais ouvir, quando a sua língua travar, erga os olhos para o céu, isto é, abra-se para o amor de Deus revelado por intermédio de mim. Abra-se diariamente para esse amor que cura da mudez, do travar da língua. Abra-se para esse amor que também não nos deixa surdos e mudos as dores, aos sofrimentos e as injustiças que estão a nossa volta. Abra-se para esse amor que diz não a tudo que violenta e faz as pessoas emudecer. Abra-se para esse amor que nos faz sensíveis, que nos faz servir com um ouvido aberto, atencioso, amoroso. Abra-se para esse amor que nos faz inclusivos, que nos faz ver cada pessoa como uma criação a imagem e semelhança de Deus. Amém.

Como oração e bênção segue o hino “Abre nossos olhos” cantado pelo musicista Fabio.

Um abraço e até a próxima...

1. Abre nossos olhos para ver o irmão;*
dá, Senhor, ouvidos que dão atenção!

2. Mãos que aprenderam dores a aliviar,
pés que não hesitam na hora de ajudar!

3. Corações que sabem repartir a dor,
partilhar prazeres, propagar louvor!

4. Lábios que, contentes, abrem-se a cantar,
convidando todos para se alegrar!

5. Pelos dons que deste: Graças, ó Senhor!
Pois os recebemos por teu grande amor.

6. Nada nos pertence; tudo Deus quer dar:
Quer por nós em Cristo o mundo abençoar.


Esperança - Isaías 43.1 - P. Elton Pothin - 25 de agosto de 2021
 

“Mas agora, povo de Israel, o Senhor Deus que o criou diz: “não tenha medo, pois Eu o salvarei; Eu o chamei pelo seu nome e você é Meu.” (Isaías 43.1)

Certa vez, uma mulher estava muito triste e desanimada. Havia perdido o emprego. Seu namorado a deixara e ele já estava com outra mulher. “Minha vida é só desgraça!”, se queixava. E, da mesma forma se queixava para Deus pelo sofrimento qual estava passado. Como participava da Igreja e lia o devocionário Castelo Forte, deparou-se com o texto de Isaías acima. E, ao ler o restante do capítulo d3, encontrou as palavras de esperança nos versículos 2 e 3: “Quando você atravessar águas profundas, Eu estarei ao seu lado e você não se afogará. Quando passar pelo meio do fogo, as chamas não o queimarão. Pois Eu sou o Senhor, o seu Deus, o Santo Deus de Israel, o seu Salvador.”

Tantas vezes em meu pastorado já me deparei com situações semelhantes às desta mulher. Pessoas com as quais aconteciam uma sucessão de eventos ruins na vida. Desemprego, doença, problemas familiares ou outras coisas ruins aconteciam de uma vez na vida da pessoa. Um após o outro. A pessoa se perguntava: o que mais me falta acontecer? O pensamento e sensação de que Deus nos abandonou se faz presente no coração. Tanto na mulher do relato citado acima como as pessoas que conheci, os maus momentos passaram, a vida voltou a ser boa e a dificuldade foi superada. E, em todos os casos as pessoas buscaram a Deus, tanto para se queixar da sua dificuldade como para pedir a deus forças pra tudo enfrentar e superar. E conseguiram.

Isaías escreve estas palavras de Deus para dar esperança aos exilados na Babilônia. No versículo 5 do mesmo capítulo 43, Deus diz: “Não tenha medo, pois Eu estou com você. Do leste e do oeste levarei o meu povo de volta para o seu país.” Foram muitos anos de exílio. Mas o exílio acabou. O retorno á terra natal aconteceu.

Hoje, estamos vivendo em meio à pandemia da COVID. Em 2020, esperávamos já ter superado a pandemia. Estamos em 2021 e, com a vacinação, já estávamos vendo a pandemia ser vencida. Mas veio uma nova variante e já não sabemos o que acontecerá.

A mulher da história acima e Israel buscaram a Deus. Orar a Deus e buscaram Nele forças para superar a dificuldade. Em meio à pandemia da COVID, muitos fazem o mesmo. Buscam a Deus, se queixam das dificuldades, pedem forças para poder tudo enfrentar e superar. Sejamos nós também como estas pessoas. Com Deus, poderemos suportar as dificuldades. Com Deus, poderemos superar e vencer.


Não esquecer nenhuma das bençãos - salmo 103.1-2 - Pa. Daiane Berndt Bottcher - 24 de agosto de 2021
 

Que a graça do nosso Senhor Jesus, o amor de Deus o Pai e a comunhão do Espírito Santo esteja conosco. Amém.

No último domingo tivemos em São José dos Campos o Culto em Ação de Graças. Na grande maioria das comunidades este culto é acompanhado de uma festa ou almoço comunitário, o que ainda não é possível. Sentimos falta destes momentos. Mesmo assim somos chamados a continuar dando graças porque temos muitos, muitos motivos para isso.

Este ano aqui na comunidade fizemos o Mural da Gratidão, onde as pessoas foram desafiadas a enviar fotos e frases que expressassem sua gratidão ao Senhor.

Foi um belo exercício. Onde pudemos perceber quantos e quantos motivos temos para agradecer.

A palavra do salmo 103.1-2 diz assim:

Ó Senhor Deus, que todo o meu ser te louve! Que eu louve o Santo Deus com todas as minhas forças! Que todo o meu ser louve o Senhor, e que eu não esqueça nenhuma das suas bênçãos!

Bendizer, louvar, agradecer ao Senhor com tudo o que temos e somos e não esquecer de nenhuma de suas bênçãos. Que desafio tremendo! Afinal, facilmente esquecemos das bençãos recebidas, diante dos dias difíceis, dos momentos de tribulação e situações de desespero. Ou ainda por causa da correria de nossos dias, o esquecimento é um perigo real. E para minimizar o esquecimento é importante trazer à memória as bençãos, lembrar, nomear, mencionar as bençãos. Das menores às maiores.

Perceber em cada uma delas o cuidado, a graça e a fidelidade do Senhor. Eis nosso desafio diário, porque Ele tem cuidado de nós com amor. Que possamos fazer exercício de gratidão ao Senhor a cada novo dia e que assim possamos ter um coração sensível e grato, que percebe em todas as coisas o cuidado amoroso do Senhor, e que diante disso possamos louvá-lo com todo nosso ser. Amém

Oremos

Que a benção do nosso Deus Pai, Filho e Espírito Santo esteja e permaneça conosco também neste dia amém.


O Senhor Está no Trono - Salmo 11.3-4 - P. Astor Albrecht - 23 de agosto de 2021
 

Quando uma pessoa próxima enfrenta sofrimento todos são afetados. O filho adoece, toda a família sofre. Personagens da Bíblia viram seu mundo desabar: José foi para a prisão, Moisés para o deserto, Daniel jogado na cova de leões. E o que dizer sobre o quanto Jesus sofreu?

O Salmo 11 trata dos ímpios que planejam e fazem o mal aos retos de coração. Então é feita uma pergunta: “Quando os fundamentos estão sendo destruídos, que pode fazer o justo?” (v.3). Esta pode ser também a nossa pergunta: Quando a doença ataca, o casamento entra em crise, os filhos sofrem, a morte leva pessoa amada, há falta de dinheiro: o que devemos fazer? Davi não responde. Ele faz uma declaração de fé: “O Senhor está no seu santo templo; o Senhor tem o seu trono nos céus. Seus olhos observam; seus olhos examinam os filhos dos homens” (v.4).

Deus não muda por causa de nossas tempestades. Não se espanta em razão de nossos problemas. Destroços e escombros nunca o desanimaram. Deus sempre transformou tragédia em triunfo. José tornou-se primeiro-ministro, Moisés foi líder do povo e Daniel foi conselheiro do rei. Jesus venceu a morte e é o único e suficiente Salvador. O Senhor continua no seu trono. Ainda está no controle. Nós é que nos afligimos e perguntamos: onde está Deus? Ele continua no seu trono nos céus.

Precisamos guardar este ensino: “Pai nosso, que estás nos céus!” (Mateus 6.9). Não deixe que as provas da vida façam Deus ser pequeno. Aí orações serão tímidas, superficiais, vazias. Noutro momento o salmista confessa esta sua fé: “Elevo os olhos para os montes e pergunto: De onde me vem o socorro? O meu socorro vem do Senhor, que fez os céus e a terra” (Sl 121.1-2).

Erga os olhos, veja o que Deus fez e observe como isso estimula a tua oração. Dá confiança enquanto enfrentamos o futuro incerto. Sabemos que Deus está no trono. Ele é Senhor. Ele não está tão acima que não veja o que acontece conosco, mas ele se inclina e ouve nossa oração enquanto confiamos nossa vida ao seu cuidado.

 


Por favor, mas não se irrite! - Pa. Argéli Katiusa Karsburg - 20 de agosto de 2021

 

Que a graça e a paz de nosso bom Deus seja com você!

Você é alguém que se aborrece com facilidade? Quais são as situações do dia-a-dia que tem aborrecido você?

Aborrecer-se é chatear-se, irritar-se e enfurecer-se diante de uma situação.

Quando você se aborrece, fica furioso/a ou com raiva isso te faz bem?

O Salmo 37.8 nos alerta que isso não faz bem.

Assim está escrito: “Não fique com raiva, não fique furioso. Não se aborreça, pois isso será pior para você”.

Aborrecer-se, alimentar a raiva e a fúria não fará você sentir-se melhor, ao contrário só será pior para você.

Mas o que fazer quando diariamente vivenciamos situações de injustiças, de maldades, de mentiras e falsidades?

A bíblia nos fala sobre isso no mesmo Salmo 37.

“Não se aborreça por causa dos maus, não tenha inveja dos que praticam o mal.

Confie em Deus, o Senhor, e faça o bem

Ponha sua vida nas mãos do Senhor, confie nele, e Ele o ajudará.

Não se irrite...

Tenha paciência...”

Ou seja, coloco tudo diante de Deus. Coloque as situações que te aborrecem e te irritam diante do Senhor, confie nEle e faça o bem, faça o certo, escolha o melhor.

Como diria o Chaves, por favor, mas não se irrite!

Que Espírito Santo lhe ajude lembrar destas palavras neste dia quando vivenciar situações que tiram você do sério.


Salmo 92 e as imagens da natureza - Ministro Candidato Éder Behling - 19 de agosto de 2021


O Salmos nos inspira a refletir sobre a nossa vida. às vezes ele nos falam das transgressões, daquilo que podemos mudar na nossa forma de pensar. Por vezes, os Salmos são protestos diante da maldade que ocorre no mundo. Há ainda os Salmos que lamentam diante das dificuldades da vida. Mas também há Salmos que nos fazem refletir sobre a fauna e a flora, pois utilizam imagens e metáforas no mundo animal e vegetal. É isso que encontramos no Salmo 92. Lá temos uma reflexão teológica e espiritual sobre a realidade conflitante do ser humano a partir de exemplos da natureza. A oração bíblica presente no Salmo 92 menciona a erva comparando-a com os perversos, ao mesmo tempo em que reflete sobre o justo como quem se torna semelhante à tamareira e ao cedro. O próprio salmista se compara com um bovino selvagem. E a pergunta que fica é: podemos pensar em espiritualidade ecológica?

A fauna e flora podem ajudar o ser humano a compreender a sua relação com o mundo, bem como com as demais pessoas. Toda a natureza possui a capacidade de transmitir uma lição de vida ao ser humano, sendo que tal lição revela a palavra de Deus e uma sabedoria específica nela contida.

A pessoa que ora o Salmo 92 utiliza metáforas e comparações com a fauna e a flora. Pois, provavelmente esses exemplos estão relacionados com o contexto geral das pessoas que irão ouvir a oração e, por isso, o salmista utiliza diversos vegetais e animais como forma de ilustrar sua fala. Isso nem sempre acontece em todos os Salmos, no entanto, a nomeação de árvores, vegetais baixos e animais chama a atenção do ouvinte-leitor dessas orações bíblicas.

Como estrutura o Salmo apresenta um discurso individual. Em grande parte do Salmo não sabemos quem é a pessoa que ora (v. 2-4), sendo que depois, o salmista adota, na parte central do poema (v. 5-12), a primeira pessoa do singular, falando a partir de si mesmo. Chama a atenção que em somente um momento, o “eu” do salmista cede espaço à visão comunitária, sendo que, no v. 14b, o salmista, ao olhar para o templo, diz “nosso Deus”, fazendo uso do plural – “nós”. Além disso, o eu do salmista, por sua vez, dialoga com o tu, que é o Senhor, Deus de Israel. Onde Deus é invocado sete vezes no Sl 92 (v. 2a.5a.6a.9a.10a.14a.16a), sendo sete importante para a cultura hebraica, pois assim ele faz referência para a semana na qual houve a criação de Deus (Gn 1,1–2,4a).

Em grande parte, o Salmista faz uma contraposição entre as pessoas que são boas e as pessoas que são ruins. No final do salmo, ao terminar sua oração, as palavras do salmista parecem até confundir-se com as palavras dos justos (v. 16). Todavia, para caracterizar o comportamento e o destino de ambos os grupos – dos justos e dos malfeitores perversos –, o salmista envolve, de forma extensa, comparações e metáforas ligadas à fauna e à flora.

Quando realidades caóticas atingem a pessoa, é difícil encontrar palavras para descrever o que acontece. Isso vale também para o salmista no Sl 92. Por isso, ele usa a palavra e a imagem da erva. Em muitas passagens a erva tem características positivas. Aqui o

Salmista adota uma outra intenção. As ervas à qual o Salmista se refere a uma espécie de gramíneas, ou seja, vegetais herbáceos, tratando-se ora de plantas selvagens, ora de plantas cultivadas pelo ser humano (Sl 104,14). Ao usar a erva como metáfora para os perversos, o Salmo 92 quer dizer que os “perversos floresceram como erva” (v. 8a) e que, assim, “brotaram todos os malfeitores” (v. 8b). No entanto, o destino dos dois seria “a supressão deles”, e isso “para sempre” (v. 8c). Cabe, portanto, às pessoas, de modo especial as insistentes na perversidade, aprender da erva a lição da brevidade e, com isso, a sabedoria de que, em princípio, será substituída rapidamente por outra erva. Mais ainda, nasce com isso um contraste irônico em relação aos perversos e malfeitores: a presença deles será curta (v. 8a), mas sua ausência será eterna (v. 8c). Para o justo sofredor, por sua vez, o Sl 92 prevê outro destino.

A segunda imagem no Sl 92, traz um animal: o “bovino selvagem” (v. 11a). Mas porque o Salmista iria comparar o ser humano a um boi selvagem? Segundo a literatura bíblica, o boi selvagem é “sinônimo de vigor e força, e até de soberania e liberdade”, pois o ser humano não tem poder sobre ele e nem consegue domesticá-lo (Jó 39,9-10). Mas, por mais forte que este animal seja, Deus exerce seu domínio sobre ele (Jó 39,9-10). E esse é um dos motivos pelos quais o Salmista usa essa comparação. Para afirmar que o ser humano é livre, que a criação de Deus é majestosa. Ademais ele quer dizer, “mesmo que muitos animais ameaçassem os humanos e que, por isso, estes últimos os combatessem, isso não impedia de também admirar tais animais”. Assim, ao observar a flora e a fauna o ser humano também pode aprender, que elas podem transmitir sua sabedoria.

O cedro existia, sobretudo, no Líbano e na Cilícia, mas não em Israel, por crescer em regiões montanhosas, sobre solos rochosos. Com sua altura de trinta a cinquenta metros e com um diâmetro de tronco de até dois metros, o cedro fornece madeira preciosa de construção, sobretudo por sua resistência. No mundo antigo, as diversas nações a importavam para construir navios (Ez 27,5), templos, palácios e móveis (2Sm 5,11; 7,2.7; 1Rs 5,20.22.24; 6,9.10.15.16.182x.20.36; 7,22x.3.7.11.12; 9,11; Jr 22,14; Ct 1,17; 8,9; Esd 3,7; 1Cr 14,1; 17,1.6; 22,42x; 2Cr 2,2.7), e até ídolos (Is 44,14). Além disso, conforme as leis de culto no Pentateuco, “a madeira do cedro e/ou as lascas dela eram importantes para ritos de santificação e purificação (Lv 14,4.6.49.51.52; Nm 19,6)”.

O que, por sua vez, caracteriza a presença do cedro nos Salmos? Deus tem sobre essa árvore majestosa (Sl 29,52x). O Senhor, Deus de Israel, é contemplado como quem “plantou os cedros do Líbano” e os sacia com a chuva que oferece (Sl 104,16). O justo” é analisado como quem “crescerá como um cedro no Líbano” (v. 13b). De um lado, cabem-lhe, portanto, altura, majestade, grandeza, poder, realeza e longevidade, a fim de servir a projetos de construção e à saúde física e espiritual dos seres humanos. De outro lado, por mais que se destaque e possa ter um bom futuro, o justo, como cedro, deve estar consciente do poder de Deus sobre ele e da primazia de Israel.

Quem reza no Salmo 92 contempla repetidamente fauna e flora. Além disso, o orante observa que, em meio à natureza, existem os processos de “florescer” (v. 8a.13a.14b), “brotar” (v. 8b), “crescer” (v. 13b), “plantar” (v. 14a), “prosperar” (v. 15a), “ser seivoso” (v. 15b) e “ser exuberante” (v. 11b.15b). Mais ainda, assim como existem “elevações” (v. 11a), também há a possibilidade de ocorrerem “supressões” (v. 8c). Com esse olhar atento e pormenorizado para a natureza, nasce a ideia de que fauna e

flora guardem uma lição de vida e/ou uma sabedoria própria para o ser humano, sendo que esta, constantemente, culmina na reflexão sobre Deus.

Os Salmos convidam a acolher e a respeitar a natureza. Consequentemente, a destruição de fauna e flora apenas iria eliminar um importante lugar de encontro com Deus.

Baseado em: GRENZER, Matthias. Erva, Bovino Selvagem, Tamareira e Cedro. Atualidade Teológica, Rio de Janeiro, v. 24, n. 64, p. 66-86, jan./abr.2020. Disponível em: <10.17771/PUCRio.ATeo.47868>. Acesso em: 17 jun. 2021.


A força que vem de dentro - Salmo 51.10-13 - P. Rolf Rieck - 17 de agosto de 2021
 

Salmo 51.10-13

10. Cria em mim, ó Deus, um coração puro, e renova dentro de mim um espírito inabalável.

11. Não me expulses da tua presença, nem tires de mim o teu Santo Espírito.

12. Devolve-me a alegria da tua salvação e sustenta-me com um espírito pronto a obedecer.

13. Então ensinarei os teus caminhos aos transgressores, para que os pecadores se voltem para ti.

Quando nos perguntamos pela fonte da vida plena, vamos encontrar expressões como coração e espírito. Assim lemos neste Salmo. Nosso coração, fonte de nossas emoções na liguagem poética, dá o ritmo da nossa vida. A sua pureza e sua constante busca por retidão trazem a paz e dão um curso adequado à vida. Nosso espírito, fonte do vigor, porque viver é respirar o espírito que Deus soprou em nossas narinas, é a cadência que traz sossego às nossas angústias e a devida calma diante de nossos medos.

Tendo como pano de fundo todas as inseguranças e incertezas que vivemos como povo brasileiro, somos convidados a aquietar e orar. A prática da oração sintoniza o ritmo do nosso coração na cadência da nossa respiração. Isto no traz paz e com ela temos a certeza plena de que Deus não irá retirar de nós Sua presença e Seu Espírito.

A angústia pessoal e social pode ser enorme e acachapante, porém, de forma pronta e generosa, Deus devolve toda a alegria que seu povo, crente, tem com a salvação. Esta alegria genuína é como um antídoto que nos cura da tentação de renunciar ao direito da liberdade da vida em Cristo.

Então, reconfortados e animados pelo que Deus opera em nosso coração e espírito, temos a pronta disposição de ensinar, testemunhar, transmitir adiante a nossa própria experiência de restauração. É nosso serviço ao próximo tomando forma a partir de nossos dons e recebendo vigor à medida que Deus cria em nós um coração puro e um espírito inabalável. Esta é a força que vem de dentro, porque Deus a dá.

Cria em mim, ó Deus, um puro coração. Renova dentro de mim um espírito inabalável! Amém!


Não pecar por irritação - Gênesis 4.6-7 - P. Marcos Jair Ebeling - 14 de dezembro de 2021

Irmão e irmã, a paz.

O que te leva a pecar?

Vencer o pecado pessoal é uma das grandes lutas da fé. E dar-se conta do que nos leva a cometê-lo é importante modo de evitá-lo.

Em Gênesis 4 temos a história de Caim e Abel. Os dois irmãos fazem uma oferta para Deus. Cada um oferta o que tem de melhor. Mas Deus se agrada mais da oferta de Abel. Caim tem dificuldades com a escolha de Deus. Fica irritado.

Deus percebe a irritação de Caim e então lhe fala:

“Por que você anda irritado? Por que você está com essa cara fechada? Se fizer o que é certo, não é verdade que você será aceito? Mas, se não fizer o que é certo, eis que o pecado está à porta, à sua espera. O desejo dele será contra você, mas é necessário que você o domine.” (Gn 4.6-7)

No conselho de Deus parece muito fácil não pecar: basta fazer o que é certo para manter o pecado longe; já a irritação é a porta de entrada do pecado na vida. Por fim Deus recomenda a Caim: controle-se para não pecar.

Faltou a Caim perceber que não é um problema ser preterido. Que o mais importante é fazer a oferta bondosa. Isso é o certo. É a oferta feita que honra a Deus, não o ter feito a oferta que Deus mais gostou. O resultado da oferta feita nós não controlamos. É decisão de Deus.

É aqui entra nosso maior problema. Nós avaliamos muito mais o resultado de uma ação do que o gesto e sua intenção. Resultados insatisfatórios irritam. E quando estamos irritados, irritadas é que cometemos as maiores injustiças contra as pessoas. É nesse momento que rompemos vínculos, falamos o que não edifica, nos tornamos servos do pecado. Foi tomado por profunda irritação e sentindo-se injustiçado diante de Deus que Caim tramou a morte de Abel, seu irmão.

O pecado pessoal, fruto da irritação, nos distancia de Deus, das pessoas, favorece o mal no mundo e nos condena à morte.
Irmão e irmã. Há pecados que não precisam ser cometidos. Um pouco de controle da língua, da soberba, do egoísmo, do que postamos nas redes sociais pode ser o suficiente. Mas quando cometidos, são perdoados pela fé em Cristo mediante confissão, arrependimento ou mesmo por graça divina.

Oremos:

Amado Deus. Dá-nos a força de vida necessária para não pecar. Não permita a ira e o ódio nos afastarem de ti e das pessoas. Faz com que também não irritemos as pessoas, levando-as a pecar contra ti e contra a pessoa próxima. Se pecamos, Senhor, sê tu nossa fonte de perdão. Dá-nos a fé que se arrepende, crê e acolhe o perdão. Por Jesus Cristo, amém.

A bênção de Deus seja com vocês no dia de hoje. Amém.


Louvado seja Deus pela alegria e salvação que dEle recebemos - P. Klaus Dieter Wirth - 12 de agosto de 2021
 

Querida irmã, querido irmão em Cristo, que a Graça do nosso Senhor Jesus Cristo, o grande Amor de Deus Pai e a comunhão do Espírito Santo seja com você e com toda a sua família.

Hoje é meu dia de Oração aqui pelo Sínodo Sudeste. Meu nome é Klaus, sou pastor aqui na Paróquia Leste da grande São Paulo. Eu quero compratilhar com você dois versículos bíblicos: o primeiro está registrado lá no Salmo 9.2 e que diz o seguinte: “Por causa de Ti eu me alegrarei e ficarei feliz, cantarei louvores a Ti, ó Deus Altíssimo”. Que a gente possa se juntar ao salmista e também dizer que, por causa do nosso Deus, nós somos pessoas alegres e felizes e que queremos louvá-Lo.

Lá de Efésios, a carta que Paulo escreveu à comunidade Cristã de Éfeso, capítulo 1.3, bem no início da carta, ele diz o seguinte: “Agradeçamos ao Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, pois Ele nos tem abençoado por estarmos unidos com Cristo, dando-nos todos os dons espirituais do mundo celestial!”. Tem um hino que é o 146 do nosso livro de cantos, e o autor do texto é Johann Olearius e o autor da melodia é Johann Crüger. O hino é maravilhoso e você conhece. Diz o seguinte:Louvado seja Deus, Senhor onipotente, o Pai que me criou, meu protetor clemente! Prostrado em oração, proclamo o seu louvor, entregue à proteção do eterno Criador.

E a segunda estrofe vai dizer: Louvado seja Deus, a Vida e a Luz do mundo, Jesus, meu Salvador, por seu amor profundo. Pois ele me salvou de desespero e dor, seu sangue derramou, meu Deus e meu Senhor.

A terceira estrofe vai dizer: Louvado seja Deus, Consolador sagrado, Espírito do Pai, por Cristo nos foi dado. Com celestial fulgor conforta o coração: Espírito de amor, de paz e comunhão.

E na última estrofe ele vai então falar da trindade. A primeira estrofe foi do Pai, segunda do Filho e a terceira do Espírito Santo, e agora ele encerra dizendo: Em honra ao trino Deus ressoe o nosso canto! Excelsa adoração se preste ao nome santo! O divinal amor bendigam terra e céus, cantando em santo ardor: louvado seja Deus!

Que a gente possa também no dia de hoje (e também na nossa vida) louvar a Deus o Pai, o Filho e o Espírito Santo por todos os dons, como está na carta do apóstolo Paulo, que Ele coloca em nossa vida. Louvar a Deus é um dos dons do Espírito. Amém! 


Reconciliação - P. Francisco Santos - 11 de agosto de 2021
 

Olá! Estamos começando o Momento de Oração. Que a paz de nosso Senhor, o amor e a graça de nosso bondoso Deus, sejam com todos vocês. Hoje vamos falar sobre reconciliação e a palavra para nos orientar está em 1 Co 6.5, diz assim: “Não há porventura, nem ao menos um sábio entre vós, que possa julgar no meio da irmandade?”

Trago aqui uma história de um árabe que deixou 17 camelos de herança aos seus três filhos. No testamento, determinou que o filho mais velho receberia a metade dos animais. O segundo filho, a terça parte dos camelos e o mais novo receberia a nona parte. Os filhos não sabiam o que fazer e começaram a brigar entre si. Dividir 17 camelos pela metade não era possível, nem 17 por 3 e muito menos por 9.

Nesta situação veio um amigo da família, montado no seu camelo. Quando lhe contaram o problema, ele disse: Eu coloco o meu camelo como presente na herança. Façam agora a divisão e assim a partilha foi fácil: a metade de 18 são 9, um terço de 18 são 6 e a nona parte de 18 são 2. O resultado da soma 9+6+2 é 17. Muito inteligente e sábia a solução do problema. Então a herança foi dividida e o testamento cumprido conforme a vontade do pai, com a ajuda daquele amigo da família e por gratidão o seu camelo lhe foi devolvido. Talvez possamos pensar que o cálculo foi surpreendente, não deixa de ser certo, nos ensina também uma importante verdade: quando encontramos e enfrentamos problemas na família, na escola, na faculdade, no ambiente de trabalho, quando o conflito parece sem solução, é melhor procurar a ajuda um amigo sincero, de uma pessoa fora do problema, ou seja uma pessoa neutra. Porque as discussões dentro da família, não levam a lugar nenhum, criam mágoas, e também inimizades e distanciamento. Nesta situação é bom lembrar do que o apóstolo Paulo falou: “O só existir entre vós demandas já é completa derrota. Por que não sofreis a injustiça? Por que não sofreis antes o dano? Mas irá um irmão a juízo contra outro irmão?” 1 Co 6.6-7 Que Deus consiga nos iluminar para resolvermos as situações de conflitos, convido para uma palavra de oração: Bondoso Deus e pai, te agradecemos por mais um novo dia em nossas vidas, que possamos neste dia, sermos instrumentos de paz, de boa comunicação e diálogo de comunicação não violenta, de acolhimento a dor das pessoas. Te agradecemos Senhor, pela tuas muitas bençãos, em nome de Jesus. Amém!

Benção: – Que o Senhor, esteja a tua frente para te mostrar o caminho correto, o Senhor esteja ao teu lado, para te abraçar e proteger, que o Senhor esteja atrás de ti para te livrar das armadilhas do inimigo, que o Senhor esteja dentro do teu coração para te consolar quando estiver triste, que o Senhor esteja acima de ti para te abençoar. Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém! Um abençoado dia a todos vocês.

   


Temor a Deus - Salmo 128 - P. Eldo Kruger - 10 de agosto de 2021
 

É possível o homem ser uma pessoa bem sucedida, feliz e próspera na sua vida pessoal, no casamento, na família, no trabalho e na sociedade? O que você acha?

O Salmo 128 afirma que sim. Ele diz: “Bem-aventurado aquele que teme ao Senhor e anda nos seus caminhos! Do trabalho de tuas mãos comerás, feliz serás, e tudo te irá bem. Tua esposa, no interior de tua casa, será (virtuosa e fértil) como a videira frutífera; teus filhos, como rebentos da oliveira, à roda da tua mesa (cheios de vida e saúde). Eis como será abençoado o homem que teme ao Senhor! O Senhor te abençoe desde Sião, para que vejas a prosperidade de Jerusalém durante os dias de tua vida, vejas os filhos de teus filhos. Paz sobre Israel!”

Conforme o Salmo, para o homem ser verdadeiramente feliz e ter uma vida abençoada, precisa “temer a Deus e andar nos seus caminhos”. Esse é o princípio da sabedoria da vida que deve nortear a fé e a conduta de quem quer ter uma vida feliz e próspera, uma vida realizada e longa, boa esposa/marido, filhos/filhas e netos/netas. Mas, o que significa temer a Deus? Conforme o próprio Salmo diz, temer a Deus significa andar nos seus caminhos, isto é, procurar viver de acordo com a vontade de Deus, ser um praticante da Palavra de Deus, inspirar e orientar minha vida a partir da palavra de Deus. Significa ter atitude de humildade, de respeito e de reverência pra com Deus. Significa levar Deus a sério na minha vida, crer e amar a Deus, ter ele como meu único Deus.

A nossa atitude para com Deus e os seus ensinamentos influi sobre o tipo de vida que vamos ter. Se tememos a Deus e vivemos segundo os seus ensinamentos, Deus promete que seremos pessoas bem aventuradas, que teremos uma vida feliz e abençoada, uma vida boa e longa. Isso vai se refletir no âmbito pessoal, no trabalho bem sucedido, na família e na sociedade. Que assim seja! Amém! 


Deus é refúgio e fortaleza! - Salmo 91.1-2 - P. Jonathan Klebber - 09 de agosto de 2021
 

Meus amados irmãos e amadas irmãs! Que a graça e a paz de Cristo estejam conosco! Amém.

Confiar em Deus! Este é um tema sobre o qual nós refletimos diversas vezes durante nossa caminhada de fé. Será que confiamos em Deus de fato?Conseguimos entregar nas mãos de Deus tudo aquilo que nos preocupa? Confiamos que Deus está cuidando de nós e faz aquilo que é o melhor para nós?

Ao refletir sobre este tema, quero compartilhar uma história que ouvi em uma pregação quando era criança e, desde lá, ela sempre vem a minha mente.

Enquanto aguardava seu avião, um homem observou o menino sozinho na sala de espera do aeroporto.

Quando o embarque começou, o menino foi colocado na frente da fila, para entrar e encontrar seu assento antes dos adultos. Ao entrar no avião, o homem viu que o menino estava sentado ao lado de sua poltrona.

O menino foi muito atencioso quando puxou conversa com ele e, em seguida, começou a passar o tempo colorindo um livro. Ele não demonstrava ansiedade ou preocupação enquanto as preparações para a decolagem estavam sendo feitas.

Durante a viagem, o avião entrou numa tempestade muito forte, o que fez que ele balançasse como uma pena ao vento. A turbulência e as sacudidas bruscas assustaram alguns passageiros. Mas o menino parecia encarar tudo com a maior naturalidade.

Uma das passageiras, sentada do outro lado do corredor, ficou preocupada com aquilo tudo e perguntou ao menino:

— Você não está com medo?

— Não senhora, não tenho medo, ele respondeu, levantando os olhos rapidamente de seu livro de colorir. Meu pai é o piloto!

Esta história que fala na confiança de uma criança em seu pai, nos convida a refletir sobre a nossa fé em Deus.

Muitas vezes, o ser humano confia em Deus quando tudo vai bem em sua vida, mas quando surgem as dificuldades, problemas e desafios a confiança enfraquece. Corremos até mesmo o risco de pensar que Deus não se preocupa conosco e nos abandonou.

A palavra de Deus, por sua vez, nos convida a confiar em Deus. O Salmista escreveu no salmo 91.1-2: Aquele que habita no esconderijo do Altíssimo e descansa à sombra do Onipotente diz ao Senhor: “Tu és o meu refúgio e a minha fortaleza, o meu Deus, em quem confio.”

Existem situações, em nossa vida, que lembram um avião passando por uma forte tempestade. Entretanto, podemos ter a certeza de que Deus está conosco! Não importa o tamanho da tempestade! Por esta razão podemos buscar segurança, abrigo e proteção nos braços amorosos de Deus em todos os momentos da vida.

Confie em Deus! Ele é o nosso refúgio e fortaleza. Em Deus encontramos o porto seguro em qualquer situação. Ele nos ama e não nos desampara.

Oração: Deus de amor! Tu és o nosso refúgio e fortaleza. Nós, entretanto, muitas vezes esquecemos e duvidamos disto. Diante das adversidades da vida sentimos quão frágeis nós somos na fé. Por esta razão, nós te pedimos: fortalece-nos na fé e ensina-nos a confiar em ti nos bons e nos maus momentos da vida. Amém!

Benção: Que Deus lhes conceda um dia abençoado sob o seu cuidado e proteção! 


A Bíblia é um livro negro - P. Gerson Acker - 07 de agosto de 2021
 

Saudação: Olá meu irmão! Olá minha irmã! Que a graça e a paz de Jesus Cristo esteja conosco. Amém!

Reflexão: É assustador em pleno século XXI ainda ouvirmos discursos de ódio, discursos racistas, diminuindo e humilhando pessoas negras. Quando olhamos para Jesus Cristo e os relatos sobre a sua vida nos evangelhos, vemos ele como uma pessoa que acolhia e perdoava todas as pessoas. Sem dúvida nenhuma, Jesus Cristo é um exemplo de inclusão de todas as pessoas!

Precisamos perceber o quanto o nosso olhar ocidental foi contaminado com uma visão “branqueadora”, europeia, colonialista da Bíblia. Quando o Da Vinci pintou aquela cena linda da “última ceia”, colocando no centro um Jesus europeu, branco, loiro, de olhos claros, tenho certeza de que ele não fazia ideia de que essa imagem iria povoar a mente de tantas e tantas pessoas, fazendo a gente esquecer, ou pior, não enxergar que a Bíblia é um livro negro!

Se olharmos a Bíblia, vamos encontrar citados mais de 40 vezes a “Etiópia” ou Cush/Cusi (em outras traduções), obviamente uma cidade da África. O Egito é citado mais de 700 (setecentas) vezes! E obviamente a África, onde fica a Palestina - a terra de Jesus! - faz parte do Continente Africano. A África é o continente que mais aparece na Bíblia.

Nós temos inúmeros protagonistas bíblicos negros. Quero citar apenas alguns, para a gente começar a desmistificar essa ideia de que todo personagem da Bíblia é branco. A Zípora ou Zefora em algumas traduções, esposa de Moisés é de Cush (Números 12.1). O profeta Sofonias é filho de Cusi/Cush (Sofonias 1.1) e a famosíssima rainha de Sabá (traduzido por Sul), ou seja, Rainha do Sul (Gênesis 10.7). Ela era a Rainha da região que hoje corresponderia ao Iêmen.

No Novo Testamento, temos Simão Cireneu (Mateus 27.32, Marcos 15.21 e Lucas 23.31), aquele que ajuda Jesus a carregar a cruz no caminho ao Calvário. Cirene localizada na Líbia, hoje atual Tunísia, que fica na costa norte da África. Então, Simão Cireneu com certeza era negro! Filipe e sua famosa história de conversão de um eunuco etíope (Atos 8.27-28), relata a conversão de uma pessoa negra nos primórdios do Cristianismo.

E se a gente volta ao livro do Gênesis, quando nos é narrada a história da criação dos seres humanos, vai dizer que Deus cria os seres humanos do pó da terra, em hebraico: Adamah, que é uma terra marrom-escura-avermelhada, ou seja, Deus cria o ser humano do pó escuro da terra. Deduza: Que cor esse ser humano vai ter?

Quando a gente fala do Éden e observa a delimitação que o Gênesis nos dá, citando Cush e as regiões dos rios Tigre e Eufrates (Gênesis 2.8-14), seremos obrigados a constatar que o Éden ficava na África.

Meu querido irmão, minha querida irmã, eu digo tudo isso para reiterar, a Bíblia é um livro negro! E a gente precisa ser lembrando disso ou acordado para isso, para combater o preconceito sistêmico que ainda permeia a nossa sociedade, que ainda faz com que pessoas brancas se achem superiores a pessoas negras.

Meu querido irmão, minha querida irmã, eu digo isso para que a gente perceba e saiba que Deus criou a todas as pessoas a sua imagem e semelhança (Gênesis 1.27). Obviamente, nós ainda caminhamos muito longe desse ideal de Deus.

O Apóstolo Paulo escreve aos Gálatas no capítulo 3, versículo 28: “Não pode haver Judeu, nem grego, nem escravo, nem liberto, nem homem, nem mulher. Porque todos vós sois um em Cristo Jesus”.

Nós ainda não somos um em Cristo Jesus e é por isso que sim, inspirados e inspiradas no próprio Cristo, precisamos defender as minorias. Precisamos defender e nos colocar ao lado das pessoas excluídas. Precisamos combater todo e qualquer discurso de ódio. Precisamos nos autoanalisar, olhar para si mesmo e romper com tudo aquilo que é preconceituoso e que está emaranhado, que entranhado na gente. Este é um grande desafio cristão! Meu irmão, minha irmã, lutemos contra todo tipo de preconceito, segregação e ódio. Pense com carinho nisso!

Oração: Bondoso Deus torna-nos pessoas empáticas e sensíveis à dor dos irmãos e irmãs. Afasta-nos de todo e qualquer preconceito. Ajuda-nos a ter um olhar de amor que acolhe, que perdoa e que reconcilia. Que possamos nos inspirar no exemplo do próprio Cristo. Amém!

Benção: Que Deus mantenha a tua cabeça fria, o coração quente, as mãos abertas e os pés sem pressa e sem preguiça. Que assim te abençoe o Deus que é Pai-Mãe, Filho e Santo Espírito. Amém!

 


Deus nos encontra no próximo - Mateus 25.31ss - Missionário Felipe Milani - 06 de agosto de 2021
 

Olá,

Quero trazer hoje uma mensagem adaptada de um comentário de Martin Lutero sobre o texto bíblico de Mateus 25.31 em diante, quando Jesus disse:

“eu estava com fome, e vocês me deram comida; estava com sede, e me deram água. Era estrangeiro, e me receberam na sua casa. Estava sem roupa, e me vestiram; estava doente, e cuidaram de mim. Estava na cadeia, e foram me visitar (...) quando vocês fizeram isso ao mais humilde dos meus irmãos, foi a mim que fizeram.”

Quem poderia ter imaginado que o próprio Deus se rebaixa tanto assim e aceita aquilo que fazemos aos pobres como se fosse para ele?

Assim, o mundo está cheio, cheio de Deus. Em cada beco, diante de sua porta, você encontra Cristo.

Não levante os olhos para o céu, dizendo: “Se eu pudesse enxergar o Senhor nosso Deus ao menos uma vez, faria tudo para servir-lhe de todas as formas possíveis!”.

Você quer mesmo servir a Deus? Ele está em sua casa, na pessoa de seus empregados e filhos. Está no próximo que anda aflito e doente, precisando de consolo. Console, ajude com seus bens, conhecimentos e trabalho.

Deus está bem perto de nós, em toda e qualquer pessoa miserável que precisa de ajuda e orientação. É exatamente ali que ele se encontra.

O pouco ou o muito que fazemos para o nosso próximo, na verdade, o fazemos para o próprio Deus.

Abençoada seja a vida de alguém que não vive apenas para si mesmo.

Grande desafio, num tempo em que o senso coletivo é desprezado em nome de uma liberdade egoísta e individualista.

Deus está muito perto de nós!


Abrindo os olhos - 2 Reis 6.15-17 - PPHMista Evair Tonn - 04 de agosto de 2021
 

A Bíblia nos conta histórias incríveis de homens e mulheres que caminharam com Deus. Não esconde o modo de vida delas, mas mostra os seus pecados e suas falhas, e também quando não enxergavam aquilo que o Senhor estava fazendo em sua volta. Vamos refletir sobre um texto que fala de uma pessoa que Deus abriu os olhos para ver o que havia em sua volta?

Em 2 Reis 6.15-17 diz: O servo do homem de Deus levantou-se bem cedo e, ao sair, eis que tropas, cavalos e carros de guerra haviam cercado a cidade. Então o moço disse a Eliseu: Ai, meu senhor! Que faremos? Ele respondeu: Não tenha medo, porque são mais os que estão conosco do que os que estão com eles. E Eliseu orou e disse: Senhor, peço-te que abras os olhos dele para que veja. O Senhor abriu os olhos do moço, e ele viu que o monte estava cheio de cavalos e carros de fogo, ao redor de Eliseu.

O servo de do homem de Deus não estava vendo o que de fato estava acontecendo em sua volta. Mas, ele ouve palavras de encorajamento: “Não tenha medo, porque são mais os que estão conosco do que os que estão com eles”. E em seguida é feito uma oração: Senhor, peço-te que abras os olhos dele para que veja. Os olhos do servo de Samuel são abertos para ver o que estava acontecendo.

Muitas pessoas em nossa volta não estão vendo o que Deus fez e está fazendo por elas. Neste texto aprendemos que devemos falar para elas, que o nosso Deus fez algo maravilhoso, entregando seu amado Filho para morrer por nos na cruz, assim, reconciliando-nos com Ele. Também devemos orar como Eliseu orou, para que os olhos daqueles que não enxergam a presença do Senhor sejam abertos.

Oração

Senhor Deus, obrigado por nos usar em sua obra para comunicar o teu Evangelho, mesmo sabendo que somos pessoas falhas e pecadoras. Pedimos, esteja nos guiando e orientando com teu Santo Espírito, dando-nos palavras certas para falar com aquelas pessoas que não conhecem o seu amor, que os seus olhos, o coração e a mente destes sejam abertos para receber a tua Palavra. Em nome de Jesus, amém.

Que Deus te abençoe e guarde, amém.


Comparação! - Lucas 18.9 - 14 - P. Ernani Ropke - 03 de agosto de 2021
 

O tema que quero abordar hoje na oração é a comparação.

Você tem o hábito de se comparar com outras pessoas? Há dois caminhos, igualmente perigosos no que diz respeito à comparação: o primeiro deles é se ver como alguém inferior, desdenhando sua própria vida, e o outro é se ver como alguém superior, que está acima dos demais.

Na parábola do fariseu e publicano, Lucas 18.9 – 14, Jesus trabalha a questão da comparação. Lá diz:

Como você se coloca em oração diante de Deus?

Os dois, o fariseu e o publicano, tiveram jeitos diferentes de orar. O fariseu, na oração, elogiava a si mesmo. Louvava a sua própria justiça. Sua oração girava em torno do que ele fazia e em nada do que Deus fazia por ele. A atitude do publicano, do cobrador de impostos, ao contrário, era de humildade. Ele tinha clareza de que era pecador, que necessitava da misericórdia de Deus.

Os dois exemplos nos convidam a refletir sobre as nossas atitudes e posturas diante de Deus e de nossos irmãos e irmãs. Será que a auto suficiência do fariseu, muitas vezes, também não faz parte das nossas atitudes? O que significa a afirmação de Jesus que o publicano saiu justificado, em paz, e o fariseu não!

O tema da justificação também ocupou a vida de Lutero. Ele também achava que o único caminho para a salvação era a autojustificação. Porém, quanto mais tentava esse caminho, mais se desesperava. Percebia que não conseguia cumprir a lei na íntegra. Por isso, se perguntava: Como alcançar um Deus misericordioso? A resposta ele encontrou na Palavra de Deus. Ao ler Romanos 1.17, “Que o justo vive pela fé!”, ele descobre que não são as obras da lei que salvam, mas sim a fé em Jesus Cristo.

Somos justificados diante de Deus e salvos se cremos no que Cristo fez por nós. A nossa salvação está apenas em Jesus Cristo, que morreu para nos salvar.

Isso significa, então, que não é necessário fazer obras boas, que posso passar a perna nos outros, como o publicano, ou que posso me achar superior aos outros, como o fariseu? Não. De maneira nenhuma.

O que Lutero descobre é que as obras não são mais condição para a salvação, mas consequência da salvação. Eu realizo boas obras em consequência da compaixão de Deus, que me fez em Cristo morrer para o pecado e ressurgir para uma nova vida.

Enquanto o publicano confessa suas falhas e procura um novo caminho, o fariseu esconde os seus pecados. O publicano saiu justificado, em paz, pois se confiou nas mãos de Deus.

O confiar-se nas mãos de Deus nos humaniza, nos permite perceber os nossos limites, nossos erros e nossa provisoriedade. O confiar-se nas mãos de Deus não nos torna superiores e arrogantes, mas sensíveis aos que procuram reencontrar o caminho de vida.

A Parábola do Fariseu e do Publicano nos convida a não buscar na oração o caminho da comparação, mas da compaixão e da misericórdia do Deus que se revela em Jesus Cristo.

A justificação acontece quando, em oração, nós nos confiamos nas mãos do Senhor como verdadeiramente somos, com nossas falhas e limites, com nossas virtudes e dons.

Confiando-nos a Deus, em oração, reconhecemos que não somos justificados por nossos méritos, mas pela paixão, morte e ressurreição de Cristo Jesus.

Confiando-nos a Deus, em oração, recebemos o perdão que nos cura, liberta das culpas, e nos faz andar nos passos de Jesus. Confiando-nos a Deus, em oração, não humilhamos o outro, dizendo: “- Você sabe com quem está falando?” ou “- Quem você pensa que é?”, porém vivenciamos o amor que diz: “- Como posso te ajudar?” Amém.

Desejo que a luz de Cristo brilhe e nos envolva hoje e sempre na paz e no amor. Amém.

 


Aprender - P. Elton Pothin - 02 de agosto de 2021
 

Havia um professor em biologia que também era ecologista. Certa vez, estava conversando sobre a água e a importância dos rios. O professor pediu que o aluno observasse por algum tempo o rio que passava ao longo da cidade.

Depois de um tempo, voltaram a conversar sobre o rio e o aluno relatou:

- O rio é fonte de sustento de nossa cidade. Ele nos dá a água que bebemos, irriga a plantação, os campos dos animais, as árvores que nos dão frutas. Nossa vida depende do rio.

Ao que o professor recomendou que o jovem continuasse a observar o rio. Algum tempo depois, voltaram a conversar sobre o assunto:

- O rio serve também como lição de vida para nós. Ele nasce pequeno, mas ao longo do seu curso, vai se tornando cada vez maior. O rio tem por objetivo chegar ao oceano. Mas para chegar lá, vai precisar passar por muitas mudanças. Precisa também aprender a fluir de acordo com o terreno, aprendendo a desviar os obstáculos.

Mais uma vez, o professor pediu que o aluno continuasse a observar o rio por mais algum tempo. Algum tempo depois, os dois voltaram a conversar.

- Observei o ciclo das águas. Esta água já foi uma nuvem, virou chuva e penetrou na terra várias vezes. O rio pode diminuir de tamanho em épocas de seca e aumentar de tamanho em época de muita chuva. Seca e enchente fazem parte de um processo maior do clima do planeta. Professor, aprendi que, cada vez que eu observo o rio, aprendo algo novo. É observando o rio que aprendi tudo isso. Se não tivesse feito isso, ainda muito pouco saberia dele.

Essa história quer nos ensinar em relação à nossa vida de fé. Muitos já acham que sabem o suficiente. Afinal, foram no Ensino Confirmatório (antigamente chamado de Doutrina), foram confirmados, dizem que sabem o que precisam sobre Deus e Sua vontade.

Mas, assim como o estudante aprendeu a cada vez um aspecto diferente sobre o rio, assim também aprendemos sempre algo novo ao lermos a Bíblia, ao participarmos de um estudo bíblico ou outro grupo de estudo da Comunidade, ao lermos os devocionários com meditações.

2 Timóteo 3.16 nos lembra: “Toda Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção, para a educação na justiça a fim de que o home de Deus seja perfeito e perfeitamente habilitado para toda boa obra.”

Não por acaso que Lutero escreve sobre a leitura da Bíblia: “As escrituras sagradas se comparam a um imenso pomar, no qual há sempre frutos a colher. A Bíblia é como uma erva; quanto mais é manuseada, mais perfume exala.”

Aprendamos da história acima, de Lutero e não cansemos de sempre olhar para a Sagrada Escritura, de participar da Igreja, de ler meditações, de orar. Sempre iremos descobrir um aspecto novo que não havíamos observados, sempre haverá uma nova fruta a colher, sempre haverá um bom perfume que irá tornar nossa vida melhor.


Oração - Pa. Daiane Berndt Bottcher - 30 de julho de 2021
 

Que a graça do nosso Senhor Jesus, o amor de Deus nosso Pai e a comunhão do Espírito Santo esteja e permaneça conosco, amém.

Sabemos que orar nada mais é do que conversar com Deus. Para isso, não importa as palavras que usamos, de que modo oramos, importante é orar com o coração e em plena confiança. E pensando nisso eu gosto muito de relembrar uma história, que encontramos com algumas versões diferentes, hoje compartilho com vocês a versão que encontramos no Devocional Amor sem Fronteiras.

Em um país no interior da África, havia uma comunidade cristã. O pastor durante o culto disse:

- Prezada comunidade, todos nós estamos sofrendo pela falta de chuva. Já faz dois meses que não chove. A terra está toda ressequida e os poços estão quase secos. Estamos em uma grande dificuldade. Nossas plantações estão morrendo por causa da seca. Porém, Jesus disse: Pedi e dar-se-vos-á. Proponho que nos agarremos a esta promessa. No domingo que vem, teremos um culto de oração. Vamos pedir a Deus a chuva da qual tanto necessitamos.

Todos concordaram. E no domingo seguinte, as famílias se prepararam para ir ao culto de oração na igreja. Diante de uma casa, o pai esperava, impaciente, pela filha de dez anos. Ele chamou:

- Venha Débora, temos de ir, se não chegaremos atrasados.

- Pai – respondeu a menina, - eu estou procurando minha sombrinha. Não sei onde está.

- Menina, venha. Não precisamos de guarda-chuva. Não há nenhuma nuvem no céu.

- Papai, o pastor não disse que, pedindo, Deus nos dará o que nós precisamos? Nós precisamos de chuva e Jesus disse que, pedindo, será dado. Ele nos dará chuva, por isso preciso da minha sombrinha.

O pai riu-se dessa ingenuidade infantil, mas esperou até que a filhinha achasse a sombrinha e, juntos, foram à igreja. O culto começou e toda comunidade implorou a Deus pela água de que tanto precisavam. E Deus operou um milagre. Enquanto estavam orando, o céu escureceu e começou a chover torrencialmente. O culto de oração terminou com louvor e adoração a Deus. Indo para casa, todos se molharam, mas não Débora, que tinha levado sua sombrinha.

Sabemos que é apenas uma história, mas que nos mostra uma confiança que somos chamados a ter. Confiar mesmo quando tudo nos leva ao contrário. Sabemos também, que nem sempre Deus responde imediatamente ou ainda da forma como gostaríamos.

Quando oramos a Deus precisamos sempre saber que Ele pode responder nossa oração de 3 formas: Sim, Não ou Espere. Nem sempre nossas orações são atendidas de acordo com nossa vontade, ou no tempo em que nós esperamos. Em todas as situações, porém, cabe a nós confiar e esperar no Senhor, aceitando Sua vontade para nossas vidas. Vamos orar?

Oração:
Que a benção de Deus nos acompanhe também neste dia, amém.


Quando Deus parece distante - Hebreus 13.5 - P. Astor Albrecht - 29 de julho de 2021
 

Adorar a Deus quando as coisas vão bem, nos parece fácil: ele provê comida, família, saúde, situações felizes, o time vence. Mas as circunstâncias não são sempre agradáveis. O time perde.

E como fica a adoração a Deus quando ele parece distante? Dias em que terá o sentimento de que Deus me abandonou. Ele se esqueceu de mim. Você ora, mas nada acontece, só há silêncio. Parece que suas orações batem no teto e voltam.

Davi tinha uma comunhão muito rica com Deus. Mas nos Salmos ele fala da ausência de Deus: “Porque, Senhor, tu permaneces afastado na hora do sofrimento? Por que te escondes de mim?” (Sl 10.1). “Por que me abandonaste? Por que estás tão longe de salvar-me, tão longe dos meus gritos de angústia?” (Sl 22.1).

É óbvio que Deus não o abandonou. Também não abandonou você. Não há nada de errado contigo. É tempo de amadurecimento da sua amizade com Deus. Deus quer que você sinta a alegria da sua presença, mas ele está mais interessado que você confie e espere nele. O profeta Isaías descreve assim: “Esperarei pelo Senhor, que está escondendo o seu rosto da descendência de Jacó. Nele porei a minha esperança.”(Is 8.17).

Diga a Deus exatamente como você se sente. Derrame seu coração perante ele. É melhor pôr para fora, do que deixar isso criar raízes em sua alma. A vida muda, as circunstâncias da vida mudam. Deus não muda. Lembre-se daquilo que sempre é verdade sobre Deus: ele é bom, me ama, está comigo, sabe por que coisas eu estou passando e se importa comigo. Em tempos de seca espiritual, espere nas promessas de Deus. Em grande provação, Jó se apegou à Palavra de Deus: “Não me afastei dos mandamentos dos seus lábios; dei mais valor às palavras de sua boca do que ao meu pão de cada dia” (Jó 23.12). Esta confiança nas palavras de Deus o ajudaram a permanecer fiel, ainda que nada parecia fazer sentido. Lembre-se do que Deus já fez por você. Em quantos momentos Deus te guardou? E ainda que nada tivesse feito, ele é digno de todo louvor pelo que fez por meio de Cristo Jesus. Não podemos nos esquecer da cruz! Quando você sente que Deus não está contigo, aproxime-se da cruz de Jesus! Você acha que ele te abandonaria?

Guarde: Deus está contigo, não importa como ou o que você sente. Ele prometeu: “Nunca os deixarei e jamais os abandonarei” (Hebreus 13.5).


Até aqui Deus nos amparou! - 1 Samuel 7.12 - Margarida Schmid Antonoff - 28 de julho de 2021

 

Olá, meu nome é Margarida e eu frequento a Paróquia do ABCD em Santo André /SP.

Em 2020 nós completamos 50 anos da inauguração da Igreja da Ressurreição e do Centro Social Heliodor Hesse.

A partir de agosto de 2019 foi formada uma “Comissão de Festa” que se reuniu várias vezes para organizar e programar as atividades que seriam realizadas no ano do Jubileu de Ouro em 2020.

Algumas resoluções tomadas : concurso para escolha do Logotipo do Jubileu, chaveiro comemorativo baseado nesse Logo, convites às autoridades, aos Ministros e Ministras que atuaram na paróquia nesses 50 anos, decoração do Salão Paroquial, lembranças do evento, matéria sobre a instalação do sino em 1980, coquetel e a celebração máxima em setembro com um Culto Festivo seguido de almoço.

Em 2020, mais precisamente no dia 18 de março, recebemos orientação da Presidência da IECLB e também do Sínodo Sudeste, para o cancelamento de todas as atividades presenciais. Nosso último culto presencial foi no dia 8 de março com a celebração do Culto do Dia Mundial de Oração pelas senhoras da OASE.

A decisão foi unânime : Diante da situação da Pandemia a preocupação foi o bem-estar da Comunidade. O foco foi direcionado para a manutenção da vida.

Acredito que esse meu relato seja bem parecido com o de muitas outras Comunidades pelo Brasil afora que tiveram que cancelar todas as festividades e cultos.

Em um primeiro momento a perplexidade, as dúvidas, o medo, a insegurança..... tomaram conta de todos. Porém, o Lema do ano de 2020 trouxe alento: “Eu escolhi vocês para que deem fruto” (João 15.16) . E o Tema : Viver o Batismo.

Consultei o Portal Luteranos onde li as seguintes informações: O XXXI Concílio da Igreja que aconteceu em Curitiba /PR aprovou metas e a primeira delas diz : .....”Igreja que valoriza o sacerdócio geral, capacita as pessoas e aprofunda a Fé para ser testemunho na igreja e no mundo”.

Lutero afirmou: “todos nós somos ordenados sacerdotes através do Batismo”.

Assim, essa frustração inicial logo foi substituída por uma nova energia, novos planos e muita determinação para não deixar a data do Jubileu de Ouro – 50 anos de inauguração – passar em branco, passar despercebida.

O sentimento de louvor a Deus e de gratidão por esses 50 anos era o mesmo, porém, agora com formato diferente.

A Diretoria e o Presbitério se mobilizaram para resolver as dificuldades e substituir todo o planejado por algo virtual.

Vídeos foram gravados com vários depoimentos da Diretoria, do Presbitério, da Equipe do Centro Social Heliodor Hesse e dos membros da Comunidade. Foram celebrados Cultos virtuais no Dia do Centro Social e de Ação de Graças.

Sob a luz da Palavra de Deus e através da união de todos e todas conseguimos comemorar essa data tão significativa para nossa Paróquia e o CSHH.

Em tudo Deus nos ajudou. Ele até aqui nos trouxe! Guiou-nos com bondade! Louvado seja Deus que nos amparou e ampara maravilhosamente! Amém. 


Quem és tu para julgar? - Atos 14.1- Pa. Argéli Katiusa Karsburg - 27 de julho de 2021
 

Que a paz do nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo esteja com você!

Em Atos 14.1 temos um precioso conselho do apostolo Paulo:

“Aceitem entre vocês quem é fraco na fé sem criticar as opiniões dessa pessoa”.

Como temos falhada não é mesmo. Como temos dificuldade em aceitar as pessoas sem criticar. É uma pena, mas precisamos admitir que, infelizmente, temos agido na contramão do conselho de Paulo e criticamos uns aos outros dentro da igreja.

Perdemos muito tempo criticando e discutindo opiniões e pouco tempo acolhendo e aceitando quem está fraco.

No versículo 4 Paulo ainda indaga: “Quem és tu, que julgas o servo alheio?”

Quem sou eu para criticar o trabalho que uma pessoa realiza para Deus?

Quem é você para criticar o trabalho do teu irmão e da tua irmã realiza para o Senhor?

É muito triste, quando tomamos postura de acusadores e julgadores da vida de nossos irmãos e irmãs na fé, pois não sabemos os propósitos de Deus na vida das pessoas, não sabemos suas lutas e provações, pois isso não nos cabe julgar, antes orar, aceitar e acolher como Jesus nos ensina. Jesus amava, incluía e ensina a verdade e as pessoas se transformavam.

Oração

Senhor Jesus! Eu venho te pedir perdão pelas tantas vezes que critiquei meus irmãos e irmãs na fé. Tu sabes muito bem, quantas vezes alimentei pensamentos e palavras cruéis e acusadoras contra pessoas que buscam fazer o seu melhor pelo evangelho. Eu não quero agir assim, pois não cabe a mim julgar o trabalho que é realizado para Ti Senhor, me ensina a aceitar e acolher as pessoas e principalmente me concentrar em fazer a minha parte da melhor forma possível. Amém. 


A herança! - Salmo 127 - Ministro Candidato Éder Behling - 24 de julho de 2021
 

De que fala o Salmo 127? Ele fala da família! Nos faz refletir sobre a casa! Sim, sobre os Filhos e filhas que são a herança de Deus! Este cerne do salmo é duplamente significativo.

O salmo fala de algo muito importante no Antigo Testamento: a herança. Mas antes de confundirmos isso com a herança enquanto aquilo que alguma pessoa deixa de bens após a sua morte. Quando o Salmista fala em herança e família, ele está falando da importância do núcleo familiar, onde há aceitação, amor e respeito, e que a herança é aquilo que as pessoas recebem de Deus. Por isso, no Antigo Testamento, a terra sempre foi um tema importante, pois ela é entendida, antes de mais nada, com o “herança”. Por isso não pode ser vendida. Sendo a terra para ser lugar de trabalho e ser trabalhada, e jamais um negócio (1 Rs 21). Além de entender a terra desse modo, também o próprio povo, o próprio Israel é “herança”.

O v .3 se usa o conceito de “herança”, para fazer as pessoas recordarem o passado de seu povo. E lembraram que a elas foram concedida liberdade através de Moises e que elas, assim, puderam ir em busca da terra prometida. O que traz à tona a mais profunda das experiências históricas do povo hebreu.

Por outro lado, surpreende que a mediação concreta da “herança” venha a ser pessoas jovens, filhas e filhos. É-lhes atribuída importância decisiva, como se verifica na figura do v .4 e no mencionado no v.5. A defesa da vida é esta gente nova (v.4). E ela que sustenta o direito dos injustiçados (v.5). Desta forma, os filhos e as filhas são a mediação da presença e gratuidade de Deus. A partir disso, fica bem evidente o que o salmista quer nos dizer: que as casas bem construídas e as cidades bem guarnecidas nada valem se não tiverem em mente a “herança”, as filhas e filhos, a gente moça. Em si, casas e instituições não fazem sentido. Nosso salmo tem a lado muito humano. Não é mesmo? Ele se importa pelas pessoas, não por coisas! E é nisso que o Salmo mexe com a nossa vida.

Por isso, podemos dizer que Deus se preocupa pessoalmente pela construção das casas de seus “amados”. Pois, é o próprio Deus quem constrói as casas de seus filhos e filhas. Se os construtores trabalham na construção, e Deus trabalha na construção, então o trabalho dos construtores não é inútil. No fundo, é Deus quem trabalha, sendo ele o próprio fundamento da casa.

Também o que nos afirmas o versículo 2 é inquietante. Sendo até mesmo bem radical. Entre as pessoas que estudaram esse Salmo não são poucas as que se irritaram com essa afirmação. Pois, este versículo põe em xeque a tese de que o trabalho duro, de sol a sol, traz comida e bem-estar. Pois isso, o v.2 duvida que o trabalho, por mais árduo que seja, traga soluções. E, de fato, por mais que muitas pessoas trabalhem arduamente ainda vemos índices alarmantes de fome entre a nossa população.

O Salmo 127 condensa realidades e as correlacionam a Deus. Que precisamos agir a partir das necessidades das pessoas, dos filhos e filhas e da “herança” que Deus nos deu, o seu mundo. E assim, podemos aprender um sentido mais profundo da fé que se articula e expressa através das pessoas, onde temos a chance de compreender melhor o que é a fé. Mas isso, não acontece sem conflito ou oposição. O mundo não é algo harmonioso, nem sempre a família também o é. O mundo desse salmo conhece amigos e inimigos, sabe seus pontos fortes e fracos. Mas, é justamente ali que ocorre o agir de Deus, em meio a tais contradições. E Deus procura, desta forma, colocar o ser humano em uma nova direção, um novo rumo.

Deus quer que compreendamos o que é viver a partir da graça e da gratuidade (v.2) e da herança (v.3). O coração deste salmo bate por pessoas, pela criação de Deus, por todos os filhos e as filhas. Deus deposita toda a sua confiança em suas criaturas e em sua criação.

É por isso, que a maior herança não são bens, mas a chegada de um novo filho ou nova filha ao lar. Trata-se de uma alegria. Que ninguém pense, por um minuto, que não se entende a relevância desse momento teológico: os filhos são dados por Deus, são seu dom, sua herança. O ser humano que tem muitos filhos e filhas é como o guerreiro que tem a mão cheia de flechas. Sim, os filhos e as filhas são dádiva e dom, mas é Deus quem os dá, se os dá... “Podemos considerar esse salmo como oração de confiança em Deus, expressa em termos negativos e positivos: “sem Deus é inútil... mas Deus dá”, então teremos deixado escapar que, a rigor, o salmo não afirma, categoricamente, que “Deus dá”: a composição está suspensa sobre o inexorável tempo-modo condicional: se Deus não, então é em vão. Convenhamos que haja formas mais claras, diretas e inequívocas de se dizer “Deus dá”, declaração que, nesses termos, o Salmo 127 não faz. Tudo aí é condicional. Tudo o que Deus tem a dar está inexoravelmente preso a uma condição. A condição de continuarmos sendo os seus filhos e suas filhas e a vivermos a sua herança de amor e respeito.

Baseado em:

SCHWANTES, Milton. A herança de Javé: meditando o Salmo 127. Estudos Teológicos, São Leopoldo, v. 27, n. 2, p. 175-180, 1987.

RIBEIRO, O. L. O risco de não ir a Jerusalém. Lendo o Salmo 127 no contexto dos Salmos 120-134. Horizonte - Revista de Estudos de Teologia e Ciências da Religião, Belo Horizonte, v. 16, n. 49, p. 166-193, abr. 2018.


Navegue para cá! - Isaías 43.2 - P. Rolf Rieck - 23 de julho de 2021
 

Li que na costa chinesa do Oceano Pacífico há uma corrente marítima muito poderosa. Esta corrente já levou muitos navios com suas preciosas cargas a se espedaçar contra as rochas. Isso acontecia no tempo em que a nevegação era muito precária. Os especialistas, preocupados com os acidentes, estudaram exaustivamente a corrente e chegaram a uma solução inusitada.

Há alguns quilômetros da costa construiram uma pequena estrutura e sobre ela colocaram uma placa bem vistosa onde se lia: “Navegue para cá”. Ou seja, o timoneiro deveria apontar a proa de sua embarcação para cima da placa e deixar com que a corrente marítima fizesse o resto. O que parecia ser um iminente desastre, seria a salvação.

Vivemos em meio a mares muito turbulentos na vida social, com o medo de sermos contaminado com este vírus mortal… Vivemos nas turbulentas águas da insegurança financeira, na insegurança política, na expectativa de boas coisas que não se concretizam. Nos fazemos perguntas sobre para onde tudo isso vai nos levar e qual o sentido da nossa luta hoje. Vale a pena lutar contra as correntezas? Quem nos dará forças para lutar? Dias difíceis! Águas agitadas!Correntezas turbulentas! Lá está Jesus, em pé sobre a rocha, com algumas placas nas mãos que dizem: AMOR, DIREÇÃO, CONFIANÇA, VIDA, ESPERANÇA, VERDADE, PERDÃO. Quem sabe devêssemos novamente, como povo brasileiro, navegar nesta direção.

Quando você atravessar as águas, eu estarei com você; quando você atravessar os rios, eles não o encobrirão. (Isaías 43.2)

Oremos

Senhor Jesus. Tu és a nossa vida. Tu dás direção à nossa vida que navega em águas turbulentas. Tu és a nossa esperança que ressurge em meio aos sinals da morte. Nos chamas para que naveguemos em fé no rumo que Tu nos indicas. Agradecemos por podermos navegar ao teu encontro de coração aberto anunciando que a nossa salvação vem de Ti, Senhor. Em meio às incertezas que vivemos, pedimos, continua conosco, ajuda-nos, permite que o Teu Espírito Santo esteja conosco e fortalece-nos nestes dias ruins. Intercede por nós, Jesus, junto ao Pai. Amém.


Lealdade e Fidelidade - Provérbios 3.3-4 - P. Natanael da Silva - 22 de julho de 2021
 

“Não abandone a lealdade e a fidelidade; guarde-as sempre bem-gravadas no coração. Se você fizer isso, agradará tanto a Deus como aos seres humanos”. Provérbios 3.3-4

Estamos realizando esse momento de oração em nome do Deus Pai Filho Espirito Santo.

O autor dos provérbios diz que as pessoas para serem bem sucedidas, respeitadas, devem ser leais e fiéis. Podemos entender esse texto de duas formas. Em primeiro lugar ele diz respeito ao meu interior como pessoa. Como ser humano devo ser leal aos meus sonhos, desejos que movem e dão sabor a minha vida. E para que isso produza satisfação devo ser fiel ao que me move. Logo, lealdade e fidelidade são palavras chaves que nos ajudam a ter uma vida interior sadia.

Em segundo lugar essas duas palavrinhas também nos ajudam a ter uma vida social, comunitária saudável. Lealdade significa que podemos participar de um grupo e permaneceremos por muito tempo, afinal é um princípio de aceitação da maioria dos grupos. Sendo assim fidelidade significa nesse caso assumir uma moral e permitir que a vida seja conduzida por tal, muito embora nem sempre estejamos no grupo.

Para nós o que é importante, tanto no nível individual quanto coletivo essas duas palavras dizem respeito aos princípios que carregamos. E quanto mais temos claro os princípios que acreditamos, menos problemas temos para viver.

Lembro da passagem do Evangelista Lucas capitulo quinze (15) nela é descrito que fariseus e escribas começam a criticar Jesus Cristo porque ele se colocava no meio de pessoas que não eram consideradas puras. Então Jesus Cristo conta umas das parábolas mais tocante no que diz respeito a vida. Ele diz que um pai com dois filhos vive sua vida, no entanto o mais novo decide ir longe e experimentar novos jeitos de olhar para a vida. Mas como em qualquer vida as pessoas precisam cuidar da sua. Esse moço vive de forma a perder e perde tudo o que tinha. Após pesar em seu coração, decide voltar. Quando o pai olha para aquele que ele formou com tanto cuidado e deseja salvar voltando. Ele abraça, coloca roupas, chinelo, e um anel. Talvez as palavras que saíram de sua boca foram, que saudade. O filho mais velho não entendendo que pai o era não por causa daquilo que conquistou, mas porque o gerou se afasta e sai bravo. O principio daquele pai era o amor. O filho mais velho não conseguiu entender. O filho mais experimentou.

Queridos que esse momento de oração nos ajude a refletir sobre nossos princípios. E também nunca esquecer que a melhor forma de viver um principio é experimentar o que acreditamos. Que deus nos ajude e guarde. Amém. 


O Espírito Santo nos une - 1 Coríntios 12.3-4 - P. Marcos Jair Ebeling - 21 de julho de 2021
 

Irmão e irmã, a paz.

Em 1 coríntios 12 (3b-4) nós lemos: “ninguém pode dizer que Jesus é o Senhor, senão pelo Espírito Santo. Ora, há diversidade de dons, mas o Espírito é o mesmo.”

Como pessoa de fé e também como Igreja Luterana cremos que o Espírito Santo está em e entre nós. Sem a ajuda do Espírito Santo sequer poderíamos confessar nossa fé em Jesus Cristo. Aliás, Paulo testemunha que até o nome de Cristo teríamos dificuldade de falar sem o auxílio do Espírito Santo. Veja como ele é importante em nossa vida de fé.

Os povos de todos os tempos se perguntam: como podemos perceber o Espírito Santo entre nós? Seria muito bom se pudéssemos definir um padrão para a ação do Espírito Santo. Aí nós o reconheceríamos com facilidade, assim como reconhecemos uma flor, uma planta ou mesmo uma pessoa.

Como isso não é possível desta forma, Deus nos dá outras referências. Faço uso de um exemplo: num jogo de futebol cada jogador tem uma função diferente no campo. Um é goleiro, outro zagueiro e há os atacantes. O conjunto forma o time. Ao final do jogo todos ganham ou todos perdem. Como fica se alguém decide jogar contra o seu time?

Assim as pessoas receberam diferentes dons de Deus. Você já imaginou a confusão que isso seria se cada um fizesse simplesmente o que imagina com seu dom? É aqui que entra o Espírito Santo como um guia: ele coordena os muitos dons para que, ao final, sejamos um corpo só, o corpo de Cristo, e apontemos para Ele na vida das pessoas. O segredo não está no teu dom em si, mas no que fazemos com ele.

Na igreja reúnem-se as pessoas com estes muitos e diferentes dons, guiadas pelo Espírito Santo. A Igreja é como um time guiada pelo Espírito Santo. Ali o podes reconhecer.

Oremos: Senhor, amado pai. Deste a todos e todas nós um dom e por ele agradecemos. Pedimos, Senhor, que este dom gracioso seja para a união e unidade da tua igreja, corpo de Cristo. Teu Santo Espírito seja o guia que nos une num mesmo propósito. Por Jesus Cristo, guarda-nos, hoje e sempre em teu amor e cuidado. Por Jesus Cristo, amém.

A bênção do trino Deus guarde o teu dia e mantenha tua família unida. Amém.


O Senhor é misericordioso e compassivo - P. Luis Carlos Oliveira - 20 de junho de 2021
 

Bom dia! Paz e bem a você nesta manhã.

Que o amor de Deus se renome sobre sua vida e dos seus familiares.

Nas Senhas Diárias de hoje, 26.07, temos o profeta Amós, consciente da fraqueza e do pecado humanos, clamando a Deus por perdão e misericórdia. Se Deus mantivesse seus desígnios de castigar o pecador, ninguém sobreviveria. E a palavra de clamor do profeta tem eco no coração de Deus. Ele perdoa e retira sua ira, dando um novo tempo para seu povo. Isso nos mostra que, na verdade, o Senhor quer o bem de cada uma e cada um.Por isso Paulo exorta a que se use orações, súplicas e ações de graças em favor de todas as pessoas.

Deus revelou seu profundo amor na pessoa de Cristo Jesus, nosso Senhor e Salvador. Dele vem o perdão e a vida em abundância. Nos alegramos pelo perdão incomparável e até incompreensível de Deus sobre nós. Assim, convido você nesta manhã, para iniciarmos o dia com um momento de oração usando o salmo 111: Aleluia! Darei graças ao Senhor de todo o coração na reunião da congregação dos justos.

Grandes são as obras do Senhor; nelas meditam todos os que as apreciam. Os seus feitos manifestam majestade e esplendor, e a sua justiça dura para sempre. Ele fez proclamar as suas maravilhas; o Senhor é misericordioso e compassivo. Deu alimento aos que o temiam, pois sempre se lembra de sua aliança. Mostrou ao seu povo os seus feitos poderosos, dando-lhes as terras das nações.

As obras das suas mãos são fiéis e justas; todos os seus preceitos merecem confiança. Estão firmes para sempre, estabelecidos com fidelidade e retidão. Ele trouxe redenção ao seu povo e firmou a sua aliança para sempre. Santo e temível é o seu nome! O temor do Senhor é o princípio da sabedoria; todos os que cumprem os seus preceitos revelam bom senso. Ele será louvado para sempre! Amém. Certos de todo o cuidado de Deus para conosco, sigamos para a caminhada do dia sob a bênção do Pai.

Fiquem com Deus.

Bom dia a todas e todos.


Deus sempre nos perdoa e não tem dificuldade com isso! - P. Klaus Dieter Wirth - 19 de julho de 2021

Querida irmã, querido irmão em Cristo

Que a Graça do nosso Senhor Jesus Cristo, o enorme amor de Deus, o Pai, e a sempre presente comunhão do Espírito Santo seja com você e todos os seus familiares.

Quero convidar você para participar da oração do dia, hoje sob a minha responsabilidade: Klaus, pastor aqui na Paróquia Leste da Grande São Paulo.

Desejo compartilhar os dois versículos bíblicos que constam nas Senhas Diárias. Senhas Diárias é um livrinho que temos na Igreja Luterana que nos auxilia a pelo menos lermos dois versículos bíblicos por dia. É muito pouco, não é verdade?!? Mas acredito que quando a gente faz isso, nós acabamos permitindo que a Palavra de Deus faça a diferença no nosso dia, seja quando a gente faz a leitura de manhã cedo ou ao final do dia. A Palavra de Deus sempre tem algo importante a nos dizer.

Olha que coisa mais linda o tema de hoje: “Perdão”. Sim, nós somos seres que sempre de novo insistem em cair no pecado, em fazer coisas erradas, em pensar coisas erradas, em deixar de fazer coisas certas. A Bíblia chama tudo isso de pecado. Pecado é qualquer situação que erramos o alvo. Existem vários alvos na nossa vida. Não quero dizer que um seja mais importante do que o outro, mas, por exemplo, um alvo é Deus na nossa vida e quando erramos este alvo e deixamos Deus de lado, estamos pecando. Outro alvo na nossa vida é a pessoa que Deus coloca na nossa vida, ou melhor, as pessoas, no plural, nosso próximo. Quando a gente não consegue perceber o nosso próximo e as necessidades dele, então nós estamos pecando. Às vezes a gente percebe a necessidade e não faz nada: estamos pecando. E também, muitas vezes, passam por nossa cabeça, nossa mente, nossos pensamentos coisas que não deveriam, coisas que jamais verbalizaríamos (colocaríamos em palavras) e quando a gente permite que esses pensamentos continuem em nossa cabeça, estamos errando o alvo. Sim, estamos pecando.

Muito bem! Você já percebeu que você, assim como eu, é um grande pecador. E aí vem os versículos bíblicos para o dia de hoje que dizem: “Feliz a pessoa cuja as maldades Deus perdoa e cujo os pecados Ele apaga”. Ele passa uma borracha. Eu gosto de dizer que quando alguém faz uma coisa errada na nossa vida o que a gente faz? A gente pega um papel, pega um lápis e aponta o lápis para ele ficar bem pontudo e escreve com toda a força naquele papel e aí quando a gente vai tentar passar a borracha, a gente até tira o grafite do lápis, não é verdade, mas continua no papel marcado aquilo que a gente escreveu, com tanta raiva e com tanta força. Deus, sim, anota nossos pecados. Ele pega um papel e um lápis (com a ponta bem redondinha) e bem levezinho Ele vai anotando aquilo que fazemos de errado. E aí Ele nos escuta em oração, clamando a Ele que nos perdoe. Ele, então, pega a borracha apaga e não dá para ver nada, nada! Nada daquilo que foi anotado. É lógico... não é bem assim que funciona, mas é para você entender a diferença entre como nós anotamos na nossa vida as coisas erradas que as outras pessoas fazem e como Deus anota os nossos erros. E aí vem do Novo Testamento palavras do apóstolo Paulo, porque que Deus anota daquele jeito. Aqui está a resposta: Colossenses 1.14 diz: “É Jesus Cristo quem nos liberta, e é por meio dEle que os nossos pecados são perdoados”. Simplesmente porque Jesus morreu na cruz por causa dos seus e dos meus pecados e em favor dos seus e dos meus pecados. E por causa disso, ali, nessa atitude, nessa ação da morte e ressurreição vemos, por traz disso, que há muito amor divino. Amor divino que a gente não consegue nem conceber na nossa mente. E por isso que eu disse o amor de Deus é tão grande que Ele anota de um jeitinho que dá para apagar e não dá para ver mais nada.

Que a gente possa ter certeza desse perdão ilimitado que Deus, em Jesus Cristo, nos concede a cada dia.

E aí eu escolhi uma música do nosso Livro de Canto. É o numero 38: “Se na maior angústia”. O autor é um pastor Luterano e também era professor na Universidade de Wittenberg na Alemanha. O nome dele era Paul Eber e ele viveu entre 1511-1569. Em outras palavras, meio que no tempo de Lutero, e a melodia é de um musicista reformador Presbiteriano Louis Bourgeois. Ele também viveu entre 1510-1561. Diz a letra o seguinte:

Se na maior angústia e cruz nós não podemos ver a luz, se não há quem estenda a mão e dê conforto ao coração, então chegamos, Deus, Senhor, a ti, com toda a nossa dor. De profundeza e escuridão em ti buscamos redenção. Pois a palavra de Jesus, o sangue que verteu na cruz, concede indulto, remissão e sempiterna salvação. Buscamos, pois, refúgio em ti, na dor que nos aflige aqui. Em abandono, em aflição, ampara-nos com tua mão. Nosso pecado pesa em nós. Ó Cristo, não nos deixes sós! Liberta-nos de todo o mal, por tua graça perenal! Que assim possamos, com fervor, graças render a ti, Senhor, findando a peregrinação em obediência e submissão.

Eu desejo a você abençoada segunda-feira, uma abençoada semana, e amanha você pode ouvir por parte de uma outra ou um outro colega do Sínodo Sudeste a Oração do Dia.

Um beijo no seu coração e não deixe de ouvir a Oração do Dia de amanhã e de toda a semana.  


Deus é bom! - Naum 1.7 - P. Jonathan Klebber - 17 de julho de 2021
 

Olá! Meus amados irmãos e amadas irmãs! Que a graça e a paz de Cristo estejam conosco! Amém.

Deus é bom! Eu acredito que você já tenha ouvido ou até dito esta frase. Acredito também que em muitos momentos você já experimentou a bondade de Deus em situações bem concretas de sua vida! Eu convido você, neste dia, a tirar um tempo para relembrar aquilo que o nosso bondoso Deus tem feito por ti.

Em Naum 1.7 está escrito: O Senhor é bom, é fortaleza no dia da angústia e conhece os que nele se refugiam.

As palavras do profeta nos lembram que:

1) Deus é bom! Tudo de bom que nós temos em nossa vida são presentes que recebemos das bondosas mãos de Deus. Ele nos concede o pão de cada dia, o ar que respiramos, o sol que nos aquece, a chuva que refresca e tantas outras coisas que somos incapazes de mencionar todas. Ele nos dá vida e preserva nossa saúde. Deus nos dá a nossa família e amigos que nos cercam de amor e cuidado. Ele enviou Cristo a este mundo para nos salvar.

2) Deus é fortaleza no dia da angústia. Ao refletir sobre a bondade de Deus lembramos facilmente das bençãos e alegrias que Ele nos concede. Reconhecemos que Deus é bom quando tudo vai bem em nossas vidas. A palavra de Deus, por sua vez, lembra que a bondade de Deus não se manifesta apenas nos momentos bons da vida. Ele é bom quando nós enfrentamos desafios e dificuldades. Deus é bom também quando as coisas não vão bem.

Deus não nos abandona em nenhum instante. Ele não desampara nos momentos de dor e sofrimento. Ele caminha conosco em meio as tempestades. Deus é fortaleza e abrigo onde encontramos refúgio nos dias de aflição.

3) Deus conhece os que nele se refugiam. Assim como o pastor conhece suas ovelhas, Deus também conhece quem se refugia nele. Deus nos conhece. Ele conhece nossas lutas. Ele nos ama e se importa conosco. Deus sabe o que precisamos e seus braços estão sempre abertos para nos acolher.

Meu amado irmão! Minha amada Irmão! Eu desejo que Deus nos conceda olhos para enxergarmos o quão bondoso Ele é nos momentos bons da nossa vida e também nos difíceis!

Oração: Deus de amor! Nós te agradecemos porque podemos experimentar a tua bondade em todos os momentos da vida. Obrigado pelas alegrias que tu nos presenteias. Obrigado pelo cuidado e proteção nos dias de aflição. Senhor, capacita-nos e conduza nossos passos para que outras pessoas experimentem a tua bondade através de nossas vidas! Amém!

Benção: Que o bondoso Deus te abençoe e guarde hoje e sempre!


Deus nos ampara e fortalece - Salmo 23 - P. Eldo Kruger - 16 de julho de 2021
 

Bom dia. Graça e paz!

Na meditação de hoje quero fazer uso da letra de uma música, chamada “Canção da Vida”, de autoria de Edson Marques e Urias Chagas. A música tem uma mensagem muito boa para esse tempo de pandemia que estamos vivendo.

O Coral da Comunidade de Ferraz, que faz parte da Paróquia de Rio Claro, SP, depois de mais de um ano sem fazer ensaio, voltou a se encontrar na semana passada e por duas vezes ensaiou a música “Canção da Vida”. Para que todos os Coralistas pudessem escutar e sentir como ficou a música cantada a quatro vozes, a regente Eliane Fernandes de Camargo pediu autorização para gravar o Coral cantando.

A gravação foi feita através de um celular. Como faço parte do Coral, pedi a permissão de todos para compartilhar a canção nesta meditação. Todos se sentiram muito honrados e com alegria aceitaram dar o seu testemunho e fazer esta meditação junto comigo. Assim sendo, escute a canção e acolha a mensagem que ela comunica. Estou certo de que a canção irá ecoar no seu coração e abençoar a sua vida. Que assim seja!

Pai querido obrigado pelos planos, grandes sonhos especiais pra mim.

Tu me guias nos caminhos desta vida, ao teu lado nada faltará.

Eu te amo mais que tudo. Quando forte quando fraco, ao meu lado estás.

Agradeço, Pai querido, por ligar a nossa vida num só coração.

Pai querido obrigado pelos planos, grandes sonhos especiais pra mim.

Tu me guias nos caminhos desta vida, ao teu lado nada faltará.

Eu te amo mais que tudo. Quando fraco tua força, nunca falhará.

Por tua graça, Pai, imploro, transformar a minha vida em uma canção.


Você é convidad@ de honra! - Mateus 22.1-14 - P. Gerson Acker - 15 de julho de 2021
 

Saudação: Olá meu irmão! Olá minha irmã! Que a graça e a paz de Jesus Cristo esteja conosco. Amém!

Reflexão: Quando uma família prepara um casamento, ela se preocupa com quem convidar. Entre os Pomeranos, antigamente, tinha uma figura chave nesse processo o “Hortizbira”, traduzindo, o convidador. O convidador ia de casa em casa, adentrava na sala da família e dizia um texto memorizado, falando sobre o dia do casamento, o nome dos noivos. E depois de ficar, literalmente, girando dentro da sala da família falando, proclamando o convite (porque essa coisa de convite escrito, não existia), ele perguntava a família se aceitava participar do casamento. E se a Família dizia: “sim, nós vamos participar”, ele oferecia para a família um “traguinho” de cachaça. Obviamente, o chefe da família e às vezes também a mãe da família, tomavam o golinho dizendo: “sim, a gente vai para a festa”.

Fazer uma lista, escolher pessoas para fazer parte de uma festa (quem já se viu nessa situação, sabe o como isso é complicado). O próprio Jesus conta uma parábola no evangelho de Mateus, capítulo 22, versículo de 1 a 14. Ele conta dizendo que o Rei vai preparar a festa do casamento do seu filho e é um festão com direito a carne bovina, muita comida! Enfim, um festão! E ele pede que os empregados saiam para convidar pessoas e as pessoas convidadas, começam a dar desculpas do tipo: “ah! Eu tenho muito trabalho”, “ah, porque eu comprei um novo celeiro”. E o Rei fica muito chateado, por que ninguém vem para festa de casamento. E ele, então, manda os empregados voltarem às ruas e convidar todo mundo. “Quem quiser vir para essa festa, vem! Você é meu convidado, minha convidada de honra!”

O que Jesus quer dizer com essa parábola? Todas as pessoas são convidadas para a grande festa do Reino de Deus. A opção de dizer sim ou não é de cada pessoa.

Eu fico pensando, meu querido irmão, minha querida irmã, quantas desculpas nós inventamos para não viver numa vida coerente com a vontade de Deus. Quantas vezes Deus nos convida e a gente diz um categórico não e inventa desculpas mil para não participar do projeto do Reino de Deus aqui e agora.

Meu querido irmão, minha querida irmã, você é convidado, é convidada de honra, não recuse o convite que Deus faz para você todos os dias. Pense com carinho nisso!

Oração: Vamos Orar? Querido Deus, abra a nossa mente, os nossos ouvidos, os nossos corações, para recebermos o convite que nos fazes todos os dias. Que de nossos lábios, mentes e corações possam retumbar um categórico sim. Oh Deus, usa-nos como instrumentos de um mundo melhor. Por Cristo, nós oramos. Amém!

Benção: Que Deus mantenha a tua cabeça fria, o coração quente, as mãos abertas e os pés sem pressa e sem preguiça. Que assim te abençoe o Deus que é Pai, Mãe, Filho e Santo Espírito. Amém!


Qual é o peso da cruz que você carrega? - Mateus 16.24b - PPHMista Evair Tonn - 12 de julho de 2021
 

“Jesus certa vez disse para os seus discípulos: Se alguém quer vir após mim, negue a si mesmo, tome a sua cruz e siga-me.” Mateus 16.24b

Jesus não nos obriga a segui-lo. Mas quando queremos segui-lo devemos também seguir a sua liderança. Ele disse: “negue a si mesmo”. Negar a si mesmo quer dizer ceder, abrir mão das nossas próprias vontades e nos submeter ao senhorio de Cristo em nossa vida.

Em seguida Jesus diz: “tome a sua cruz”. Facilmente pensamos que a cruz é algo que nos irrite ou não gostamos. No entanto, a cruz é bem mais profunda do que isso. Tomar a cruz implica em sacrifício, doação, entrega de tempo e recursos; ou seja, diminuir o meu eu para deixar Jesus tomar conta de mim. Não buscar apenas a minha prosperidade ou evoluir como pessoa, mas sim deixar Jesus crescer dentro de mim enquanto eu diminuo.

Significa uma vida simples, de obediência, querendo ser surpreendido por Deus. Caminhar em discipulado com Jesus não quer dizer que todos os nossos problemas serão resolvidos; teremos sim dificuldades, mas Jesus nos instrui a termos bom animo porque ele venceu o mundo.

Tenhamos a certeza que Jesus está conosco, caminha com a gente e tem prazer em nos orientar e direcionar no caminho. E o caminho é Ele mesmo.

Oração

Senhor Jesus, muito obrigado por termos a oportunidade e o privilégio de segui-lo. Sabemos que não é fácil, por isso te pedimos, nos dê forças, coragem e fé para permanecermos firmes em ti. Quando as dificuldades chegarem nos lembre do que o Senhor fez por nós, se entregando por cada um e cada uma. Assim nos direciona e dê coragem e ousadia para anunciar as suas boas novas; anunciar o seu evangelho aos que não te conhecem para que também caminhem contigo. Assim esteja conosco, nos guiando e orientando pelo poder do seu Santo Espírito em nome de Jesus. Amém


Palavras vazias! Isaías 55.11 - P. Ernani Ropke - 10 de julho de 2021
 

“Deus diz: A palavra que sair da minha boca não voltará para mim vazia, mas fará o que me apraz e prosperará naquilo para que a designei.”

Desejo que a graça de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo, o amor de Deus e a comunhão do Espírito Santo sejam contigo nesse dia.

Deus diz em Isaías 55.11: A palavra que sair da minha boca não voltará para mim vazia, mas fará o que me apraz e prosperará naquilo para que a designei.

O que são palavras vazias? Palavras proferidas sem reflexão! Palavras sem sentimentos! Palavras que não correspondem com as atitudes! Palavras vãs! Palavras que não fazem efeito! Não é raro ver pessoas afirmarem após algum discurso ou fala: - Isso não me disse nada! Também como Pastor ouço às vezes: - Pastor, hoje a sua pregação não me disse nada!

Palavras são vazias quando não têm fundamento, quando ditas e não cumpridas, quando deixam um vazio em nossas vidas. Muitos têm belos discursos, prometem muitas coisas, mas não cumprem suas palavras. Expert nesse assunto são muitos políticos e os espertinhos de plantão.

Já com a Palavra de Deus é totalmente diferente. A palavra de Deus não volta vazia, pois ela é promessa que se cumpre. É palavra que se torna realidade. É palavra que toca e transforma a vida fragilizada e desanimada.

É essa Palavra que dá novo ânimo ao povo de Israel deportado para a Babilônia. É essa Palavra que lembra o povo que Deus não os esqueceu no exílio. É essa Palavra que lembra que os tempos sombrios têm os seus dias contados. É essa Palavra que leva o profeta Isaías a não desanimar no testemunho.

Assim como para o povo de Deus, que se encontrava no cativeiro babilônico, também para nós hoje, as perspectivas de um futuro bom e promissor, a partir da Pandemia, ainda são bastante sombrias. O amanhã nos coloca muitas perguntas e incertezas!

O que fazer? Desanimar? Não. Convido você a confiar na Palavra de Deus. Ela não é vazia. Deus renova esta sua Palavra em nós por intermédio de Cristo Jesus. Como diz em João 1.14a: “A palavra se tornou um ser humano e morou entre nós, cheia de amor e de verdade”. É a Palavra de Deus, que se encarna em nosso meio em Cristo Jesus, que nos fortalece na fé, que nos lembra que não estamos sozinhos e abandonados na pandemia. Essa Palavra é que nos consola na dor e sofrimento. É essa Palavra que nos carrega quando as forças acabam. É essa Palavra que nos faz esperançar por dias melhores. É essa Palavra que nos anima e inspira no exercício da solidariedade. É essa Palavra que nos faz testemunhas do amor de Deus, que ajuda as pessoas a vencer os seus vazios, seus desânimos, seus medos, suas desesperanças, suas necessidades e lutos. Amém.

Obrigado, Senhor, pela tua Palavra que se encarna em nosso meio por intermédio de Cristo Jesus. Ela é que preenche os nossos vazios, nossas incertezas, nossos medos, nossas desesperanças com o teu amor. Ajuda-nos, por intermédio do teu Santo Espírito, a levar a tua Palavra aos corações vazios de esperança, paz, compaixão, consolo e perdão. Amém.

Que o Senhor te abençoe nesse dia com palavras que preenchem os vazios existenciais da alma e do coração. Amém.


Um novo começo - Isaías 64.4 - P. Elton Pothin - 09 de julho de 2021
 

“Nunca ninguém viu ou ouviu falar de outro Deus além de Ti, de um Deus que faz coisas assim em favor dos que confiam Nele.” (Isaías 64.4)

Estas palavras de Isaías são ditas referindo-se ao fim do exílio do povo de Israel na Babilônia. Foi um dos períodos mais difíceis na história de Israel. Em 597, Nabucodonosor invade Jerusalém e a põe abaixo. Em 587, destrói o Templo de Jerusalém, construído por Salomão. Muitos são levados contra sua vontade, cativos para a Babilônia, onde precisam viver em meio a estranhos. E não somente isso: com deuses diferentes, costumes diferentes. Como adorar a Deus no Templo, lhe oferecer sacrifícios com o Templo destruído?

O que fazer? Desistir da fé, desistir da esperança de retornar à pátria? Os israelitas não fizeram isso. Fortaleceram sua fé no Deus criador e mantenedor da vida. Esta fé passou a ter um novo aspecto visível que a caracterizava: a observância do sábado. Isso, claro, além da circuncisão e observância dos mandamentos divinos, dos quais o sábado fazia parte. Mas guardar o sábado passou a ter uma relevância maior no exílio, um elo de ligação e identificação entre aqueles que acreditavam em Deus.

E esta fé não foi em vão. Mesmo tendo que suportar viver um longo período (70 anos) numa terra estranha, Deus não abandonou Seu povo. A volta para casa finalmente chegou. Por isso, o profeta Isaías fala que nunca outro Deus fez coisas assim em favor dos que confiam Nele – Deus derrotou o poderoso império Babilônico e trouxe de volta os cativos!

Guardadas as devidas proporções, estamos vivendo um tempo de aflição, restrição e sofrimento com a pandemia do coronavírus. Cerca de um ano e meio enfrentando um vírus invisível e que atinge cada pessoa de fora diferente, sendo que ninguém sabe se vai ter sintomas graves, leves, vir a óbito ou não.

Mas a pesquisa na busca de uma vacina eficaz foi incansável. A vacinação iniciou. Quando assistimos jogos da Eurocopa, vemos estágios semilotados ou lotados, alguns onde as pessoas usam máscara, outros onde não se usa máscara – isto porque já há uma maioria ou todas as pessoas já estão vacinadas nesses países europeus em que se realizam as partidas. Em pouco tempo, também a população brasileira será vacinada e poderemos recomeçar.

Usando as palavras de Isaías, “nunca ninguém viu ou ouviu falar de outro Deus que faz coisas assim em favor dos que confiam Nele.” O vírus foi estudado, medicamentos foram usados e tiveram eficácia, medidas preventivas foram tomadas, o contágio que seria muito pior foi evitado por essas medidas preventivas e as vacinas foram fabricadas de forma mais rápida que vacinas anteriores.

As palavras de Isaías e a experiência da pandemia nos convidam a repensarmos nossas atitudes enquanto humanidade em relação a Deus, em relação aos nossos familiares, em relação a nossa vida social. O convite é nos aproximarmos de Deus para que o nosso recomeçar seja para uma vida melhor.


Escolhas - Pastora Daiane Berndt Bottcher - 07 de julho de 2021
 

Que a graça de nosso Senhor Jesus o amor de Deus o Pai e a comunhão do Espírito Santo esteja com você, amém!

A vida é feita de escolhas! Sabemos disto e certamente muitas vezes já refletimos a respeito desta verdade. Constantemente, todos os dias (e em todos os momentos para falar a verdade) estamos fazendo escolhas, quer nos damos conta disso ou não. Escolhemos a roupa que vamos vestir, a comida que vamos fazer, a forma como trataremos as pessoas que cruzarem o nosso caminho, como reagiremos diante das situações da vida, que caminhos iremos trilhar.

Sempre estamos fazendo escolhas, algumas bem acertadas, outras infelizmente não. Você já parou para refletir como uma escolha pode desencadear uma série de acontecimentos? Bons ou não? A escolha de colocar o despertador na função soneca (só mais 5 minutinhos), uma resposta ríspida que poderia ter sido deixada pra lá, um gesto de carinho ou gentileza feitos de forma inesperada, a escolha de um ou outro curso, emprego. Enfim... temos liberdade de escolher, em todas as áreas de nossa vida, mas teremos que conviver com as consequências de nossas escolhas. E uma escolha pode mudar drasticamente o rumo de nossa história. Por isso, devemos sempre ponderar muito bem antes de escolher e ter critérios muito bem estabelecidos para fazê-lo. Sabendo que uma escolha bem ou mal feita nos acompanhará por algum tempo.

A palavra de Deus em muitos momentos fala de escolhas, lembro de Josué chamando o povo a decidir quem iria seguir, se aos deuses estrangeiros ou ao Senhor, lembro de Deus dizendo ao povo: pus diante de ti a vida e a morte, a bênção e a maldição; escolhe, pois, a vida, para que vivas... E lembro de Jesus dizendo: Busquem pois em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua justiça e todas as coisas voz serão acrescentadas.

Penso que é um bom critério para fazermos escolhas acertadas, buscar o Reino de Deus em primeiro lugar, levar a palavra e vontade de Deus em consideração ao fazer nossas escolhas. Ainda assim, não estamos livres de errar, quando isso acontece também ali a graça de Deus nos encontra e nos ajuda a recomeçar e fazer escolhas melhores. Que possamos colocar nossos dias e nossas escolhas (acertadas ou não) na presença de Deus e que Ele nos ajude a fazer boas escolhas. Amém.

Vamos orar?!

Que a benção de Deus, Pai Filho e Espírito Santo estejam e permaneçam contigo, amém!


Como é bom ter amigos/as - Provérbios 17.17 - P. Alberi Neumann - 06 de julho de 2021
 

Que a graça, a paz e o amor de Deus sejam com todos e todas nós. Amém.

Conta-se que dois amigos viajavam no deserto e, num determinado ponto da viagem, discutiram.
Ofendido, sem nada dizer, um deles escreveu na areia: _Hoje meu melhor amigo me ofendeu.

Seguiram e chegaram a um oásis, onde resolveram banhar-se. O que havia sido ofendido começou a afogar-se, sendo salvo pelo amigo. Ao recuperar-se, pegou um estilete e escreveu na pedra: _Hoje meu melhor amigo salvou-me a vida.

Intrigado, o outro perguntou: _Por que depois que o ofendi, você escreveu na areia e agora escreveu na pedra?

Sorrindo, o companheiro respondeu: _Quando um grande amigo nos ofende, devemos escrever na areia, onde o vento do esquecimento e do perdão se encarregam de apagar. Porém, quando nos faz algo de bom, devemos escrever na pedra, onde vento nenhum do mundo consegue desfazer.

Linda estória não é mesmo?! Ela nos ajuda a entender bem o texto bíblico de Provérbios 17.17, lemos: O amigo ama sempre e na dificuldade ele se torna um irmão. Temos aqui um lindo Provérbio!

Provérbio é uma frase curta, bem construída, que expressa uma verdade adquirada através da experiência de vida. Sua finalidade é instruir, fornecendo orientações para a vida humana, como as placas de sinalização no trânsito.

Valorize seus amigos e amigas. Fortaleça os laços sempre. Uma amizade tem gandioso valor. Louve a Deus pelos amigos e amigas que você tem; louvemos a Deus pelos amigos e amigas que nós temos. Amém.

Hino: Se uma boa amizade você tem,
louve a Deus, pois a amizade é um bem
Toda boa amizade você deve conservar.
Como é bom quando se sabe amar.
A amizade vem de Deus e a Deus deve levar.
Como é bom quando se sabe amar.

Uma boa amizade
é mais forte do que a morte.
Mesmo longe na saudade
a amizade vai ficando até mais forte. 


A palavra do Senhor nos guia - Pastor Luis Carlos Oliveira - 03 de julho de 2021
 

Bom dia!

Hoje, dia 03 de julho de 2021, é uma alegria podermos acordar e na presença de Deus, também em comunhão, mesmo que distante, virtual, trocarmos algumas palavras a partir da Palavra do Senhor nosso Deus. Nesta manhã, quero convidar vocês, estou aqui em Rio Claro/SP, e sou o Pastor Luiz Carlos, a refletirmos numa palavra do salmista e depois num breve texto de Martinho Lutero. O hino que ouvimos inicialmente (depois vou deixar ainda com vocês) também é uma palavra de Martinho Lutero. É uma oração, que ele escreveu e que foi musicada. Quem está cantando é o Grupo Anima, de nosso igreja, IECLB. Esse grupo que se reúne em torno da Faculdade de Teologia, em São Leopoldo.

Então quero ler com vocês um texto e depois refletir com palavras de Lutero e uma breve oração no final. O texto que quero ler com vocês é do salmo 119.33-38: Ensina-me, Senhor, o caminho dos teus decretos, e os seguirei até o fim. Dá-me entendimento e guardarei a tua palavra; de todo o coração vou cumprir a tua lei. Guia-me pela vereda dos teus mandamentos, pois neste caminho eu me comprazo, eu me alegro. Inclina o coração aos teus testemunhos e não à cobiça. Desvia os meus olhos para que não vejam a vaidade e nem a ostentação, e vivifica-me no teu caminho. Confirma ao teu servo a tua promessa feita para àqueles que temem ao teu nome.

O salmo 119, nós sabemos disso, é um salmo que fala exclusivamente da palavra, dos mandamentos, da lei do Senhor nosso Deus. E procura nos mostrar o quanto é bem aventurada a pessoa que segue nos caminhos do Senhor. Em referência a este texto lido, Martinho Lutero escreve uma reflexão, que está na Bíblia Sagrada com reflexões de Lutero. Diz assim: Nós precisamos praticar diariamente as orações de Davi, como: “Senhor, guia-me em teu caminho e não me deixes seguir os meus caminhos” (Sl 119.35-37), e muitas outras deste tipo, que estão todas compreendidas na oração: “Venha a nós o teu reino”.

Pois os desejos e as cobiças são tantos, tão diversos e, às vezes, por inspiração do maligno, tão astutos, sutis e de boa aparência, que não é possível para uma pessoa dirigir-se a si mesmo em seu caminho. Ela precisa abrir mão de seu próprio agir, encomendar-se ao regimento de Deus e não confiar em sua razão, como diz Jeremias: “Eu sei, Senhor, que os caminhos do ser humano não estão sob seu controle” (Jr 10.23). Isto foi denotado quando os filhos de Israel, saindo do Egito, atravessaram o deserto, no qual não existia caminho, alimento, bebida, nem qualquer refúgio. Por isso Deus andava na sua frente durante o dia com uma nuvem reluzente, e à noite com uma coluna de fogo, alimentava-os do céu, com pão do céu, conservava suas vestes e calçados para que não se rasgassem, conforme lemos nos livros de Moisés (Êxodo e Deuteronômio). Por isso é que pedimos: “Venha o teu reino, para que tu nos governes, e não nós mesmos”; pois nada há de mais perigoso em nós do que a nossa razão e vontade. Podemos acrescentar: quando a razão e a vontade não estão submetidas à Palavra e à vontade do Senhor.

Por isso então, vamos também neste dia colocarmos a nossa vida na presença de Deus e desde cedo nos dedicarmos aos mandamentos e à palavra do Senhor, que é palavra de bênção, palavra de vida. Especialmente a palavra trazida por Cristo Jesus, nosso Senhor e Salvador. Ele é bendito e nele n´[os queremos colocar nosso dia.

Convido para um breve momento de oração: Amado Senhor, nosso Deus, obrigado por tua palavra. Ela é luz para os nossos caminhos e lâmpada para os nossos pés não tropeçarem no mal. Ajuda-nos a viver segundo a tua palavra, amado Deus. Que tudo aquilo que Cristo Jesus, teu Filho, nos deixou de ensinamentos, sejam estes ensinamentos o que vai nos guiar em todos os nossos caminhos e por todos os nossos dias. Entregamos a ti mais este dia e pedimos ajuda-nos a vivermos segundo a tua vontade. Tudo colocamos na tua mão, a partir de Cristo Jesus, nosso Senhor e Salvador. Amém.

Tenham todas e todos um bom dia. Deus os acompanhe; Deus os guie em tudo. Bom dia!


Salmo 119 - Ministro Candidato Éder Behling - 02 de julho de 2021
 

O Salmo 119 é um dos maiores salmos presentes na Bíblia, conta com 176 versículos. E é composto de uma forma bem singular. Como todos os Salmos são poéticos e as vezes procuram alguma coisa que os possa guiar em sua estrutura, no caso do Salmo 119 tem em suas estrofes como ordem e correspondência o alfabeto. Assim, cada versículo segue a ordem do alfabeto hebraico.

Em todo o Salmo encontraremos palavras como: lei, mandamentos, preceitos, juízos. Mas duas ou três palavras se tornam importantes na interpretação do texto que são: lei, palavra e promessa.

Aqui o Salmista ora, suplica, geme, louva, se defende, e Deus, com seus atributos próprios se identifica com ele. A Palavra Lei necessariamente não quer apenas designar o Pentateuco e a correta observação da lei, mas tem uma conotação mais profunda que está relacionado com a forma como se realiza a lei e como cada pessoa cumpre a Lei e a vontade do Senhor. O salmo procura fazer as pessoas refletirem sobre a Palavra de Deus e de como ela pode cumprida em nossa vida. Por isso, o Salmo 119 é uma oração fervorosa e carrega em suas palavras a confiança em Deus.

A pessoa que ora certamente não é alguém preocupado principalmente com a observância literal das determinações legais (um “fariseu”), mas sim um fiel servidor de Deus, preocupado em encontrar o caminho que conduz à salvação e ao mesmo tempo convencido de que este caminho é único e consiste na realização constante e interiormente aceita da vontade de Deus. É por isso que ele se volta para ela e a nomeia em todos os termos possíveis, a fim de conhecê-la plenamente. Para isso, a iluminação divina é necessária acima de tudo: “Bendito sejas, Deus, ensina-me os teus preceitos” (v. 12), “Abre os meus olhos para contemplar as maravilhas da tua lei” (v. 18), “Sou um estranho na terra, os teus mandamentos não se escondem de mim” (v. 19), “Não me afasto dos teus julgamentos, porque tu me ensinas” (v. 102), “A revelação das tuas palavras esclarece e dá entendimento aos simples.” (v. 130).27u

O Salmista não quer somente seguir uma lei, uma palavra ou preceito. O salmista não quer somente ser guiado por aquilo que ele deve fazer. Ele quer compreender mais profundamente. O salmista quer vivenciar aquilo que Deus tem pra ele. Para isso, ele procura na Palavra de Deus orientação para a sua vida. O salmista quer fazer de sua vida e das suas vivencias e experiencias a própria encarnação da vontade de Deus, que está nas Leis e nos Mandamentos.

Por isso, a vontade de Deus é comunicada ao Salmista pelo próprio Deus, e aquilo que Deus comunica se se torna carne e sangue e está gravada em seu “coração” (v. 22). Dessa forma, não é o salmista que simplesmente tenta viver de acordo com a vontade e a promessa de Deus, aquilo que Deus quer para o Salmista e para a pessoa que ora o Salmo 119 está intimamente presente nele, faz parte da vida da pessoa como a verdadeira vontade de Deus. Por isso, o Salmista pode dizer coisas como:

“Bem-aventurados os que guardam as suas prescrições e o buscam de todo o coração” (v.2). Ou ainda: “De todo o coração te busquei; não me deixes fugir aos teus mandamentos” (v.10). Ou ainda: “De todo o coração eu te invoco; ouve-me, Senhor; observo os teus decretos.” (v. 145).

Do princípio ao fim, abundam no Salmista a confiança, a humildade, o abandono absoluto e a certeza de que no conhecimento e interiorização da vontade de Deus, há salvação. A confiança do Salmista é tanta que ele pode até morrer: “Desfalece-me a alma, aguardando a tua salvação; porém espero na tua palavra” (v. 81).

A salvação é também a verdadeira vida que a pessoa que ora intensamente pede: “Tenha misericórdia do teu servo e viverei e guardarei a tua palavra” (17), “Nunca me esquecerei dos teus preceitos, visto que por eles me tens dado vida” (v. 93).

O verdadeiro acento que tudo caracteriza está no último versículo, que é ao mesmo tempo comovente e uma confissão de culpa e um pedido de perdão, única atitude autêntica do homem e da mulher perante o seu Deus e Criador, que sintetiza todas as demais: “Ando errante como ovelha desgarrada; procura o teu servo, pois não me esqueço dos teus mandamentos.”, que poderíamos também dizer em outras palavra, resumindo tudo o que o Salmo 119 representa: “Não me esqueço dos teus mandamentos.”(176). Quem não vê que nestas duas ou três linhas a parábola de Mateus (18,12-14) e Lucas (15,4-7) das ovelhas já está completamente perdido, visto não da perspectiva do pastor, mas da própria ovelha perdida.

Baseado em: MEJÍA, Jorge Antonio. La Ley del Señor y las expresiones de su voluntad en el Salmo 119. Anuario Argentino de Derecho Canónico [en línea], Buenos Aires, n. 13, p. 295-316, 2006.13 (2006). Disponível em: https://repositorio.uca.edu.ar/handle/123456789/5917. Acesso em: 10 jun. 2021.


Ao orarmos, Senhor - 1 Tessalonicenses 5.17 - P. Rolf Rieck - 30 de junho de 2021
 

Depois de sabermos que somos chamados à solidariedade, a fazer o bem ao nosso próximo, nos resta tomar posse do privilégio de ORAR. Sim, cabe à pewssoa cristã ORAR. Da mesma maneira como a vida exige de nós um olhar de compaixão e amor pelo próximo, indo ao encontro de suas necessidades e carências, assim como diariamente constatamos que estamos sujeitos aos poderes de morte e derrota, assim também diariamente e constantemente podemos nos dirigir a Deus em oração. NEle buscamos auxílio e proteção — para nós e para o mundo inteiro.

Embora seja conveniente orar sozinho e em algum lugar silencioso e prazeroso, nem sempre temos a oportunidade de nos trancar em um quarto. Basta derramar o coração perante Deus, livre e desempedidamente. “Deveríamos falar com Deus a partir do nosso coração e conversar com ele como uma criança fala com seu pai”. (C.H.Spurgeon) Podemos orar com o coração, mesmo sem gestos ou som algum. A pessoa cristã encontra conforto e forças à medida que o Espírito Santo a desperta para esta comunhão com Deus. Orar sem cessar (1Ts 5.17) é uma consequência pois a pessoa cristã tem o espírito da oração dentro de si, ensina M. Luther (OS 9,142-3).

É simples. É confortante. Jesus ensina: “…vós orareis assim: Pai nosso, que estás nos céus, santificado seja o teu nome... (Mt 6.9). Você e eu podemos nos encontrar, assim, constantemente em oração. É como constantemente suspirar, desejar a intimidade com Deus e suplicar por Seu livramento.

Lhe convido a orar, pausadamente. Primeiro encha seus pulmões de ar. Acalme seu coração. Tome um pouco de tempo e fale mansamente com seu Deus.

Deus de toda consolação.
A Ti queremos dizer o que está em nosso coração:
Teu nome seja santo.
Teu reino seja uma realidade.
Tua vontade seja feita entre nós.
O nosso pão cotidiano seja dado.
Nossa culpa seja perdoada.
A tentação não nos leve à derrota.
A maldade não tome conta de nós.
Que nossa vida revele ao mundo a Tua justiça e Tua glória.
Para sempre! Amém!


Palavras instruem exemplos arrastam - Mateus 9.1-8 - P. Natanael da Silva - 29 de junho de 2021
 

Estamos realizando esse momento de oração em nome do Deus Pai filho Espirito Santo.

Vocês já perceberam como temos em nossos dias histórias de super heróis, vilões, e alguém que precisa ser salvo. Floresce um sem números de anime, filmes, séries. Um ponto em que creio todos eles convergem é que alguém tem poder para salvar outras pessoas ou um grupo que não tem capacidade. Mas quando lemos a história do Evangelho de Mateus, temos uma situação muito parecida. As pessoas estão sem esperança, e a falta dessa atitude está intimamente ligada aquilo que se crê.

As pessoas que estão ao redor do Senhor Jesus Cristo estão sem esperança e isto fica claro, porque estão adoecendo. A falta de esperança muitas vezes se traduz em nosso corpo através de doenças. No texto nos diz que Jesus Cristo foi apara a sua cidade e lhe trouxeram um paralitico sobre um leito. Vendo a fé daqueles que o trouxeram Jesus Cristo diz aquele moço, filho os teus pecados estão perdoados. Os escribas ficaram agitados e diziam: “ele blasfema”. Sabendo do que passava pelo coração dos escribas Jesus Cristo indaga, o que é mais fácil dizer: “Estão perdoados os teus pecados ou Levanta-te e anda?”. Para então falar da sua autonomia diante do mundo que o rodeava, ele diz: “Levanta, toma o teu leito e vai para tua casa”. Nesse momento o Senhor Jesus Cristo devolve aquele jovem a sua esperança de um mundo melhor. Ter os pecados perdoados significa que o Senhor o aceitou e não vai cobrar nada daquilo que a pessoa deve. Logo, ela não está subjugada, mas tem poder para decidir sobre sua vida e fazer diferente. Assim ela pode ter expectativa que sua vida vai ser diferente.

Ter esperança é ter o poder sobre a sua vida. No começo falei sobre filmes, séries e animes que retratam a dificuldade de um grupo. E surge um “heróis” e as salvas. Agora com bastante carinho ter esperança significa saber que as situações que vão se apresentar vão ser vencidas. Saber esperar coisas novas do mundo ao qual nó estamos é sim ter esperança. Praticar atitudes diferentes daquilo que todos fazem é ter esperança. Saber que temos um Deus que vai cuidar de nós é ter esperança. “As misericórdias do SENHOR são a causa de não sermos consumidos, porque as suas misericórdias não têm fim; renovam-se cada manhã. Grande é a tua fidelidade”. Jeremias 3.22-23

Deus demonstrou sua misericórdia que nos oferta esperança, que ele nos ajude a praticar e buscar com todas nossas forças essa verdade. Amém.


Gratuidade, marca da espiritualidade - Mateus 6.26-30 - P. Marcos Ebeling - 28 de junho de 2021
 

Irmãos e irmãs, a paz.

Em Mateus 6 encontramos o grupo de discípulos preocupados. A preocupação deles é com o que comer e com o que vestir. Também, numa vida itinerante como a deles esta pergunta é mais do que pertinente.

Esta é também a pergunta de muitas pessoas na pandemia.

A resposta de Jesus surpreende. “...eu lhes digo: não se preocupem com suas próprias vidas, quanto ao que comer ou beber; ... Observem as aves do céu: não semeiam nem colhem nem armazenam em celeiros; contudo, o Pai celestial as alimenta. Não têm vocês muito mais valor do que elas?”

Jesus responde falando de espiritualidade. De satisfazer-se com o que Deus dá, generosamente, a cada dia. Assim vivem os pássaros. Eles se satisfazem com o que recebem e não alimentam em si a cobiça por ter algo mais.

Satisfazer-se com o que recebemos desperta também o sentimento de gratidão. Um coração agradecido aprecia a gratuidade da vida. Nada considera como um direito, mas tudo como dádiva de Deus.

Fiquei meditando nestas palavras na última semana. A cada meditação somam-se ideias novas. Mas uma se repete: quando a gente se satisfaz com o que recebemos, a generosidade de Deus pode alcançar todas as pessoas. Nisto reside a justiça e a abundância de Deus. Pense nisso.

Oremos: Amado Deus. Por esta oração reúnes teu povo e a ele dás a porção diária da tua palavra. Rendemos graças por isso. Dá, Senhor, também o pão nosso de cada dia. Que seja o pão suficiente para saciar a fome e manter a vida. Por Jesus Cristo, amém.

Deus, em graça e paz, conduza o teu dia. Amém.


A cada novo dia fazemos a experiência do amor de Deus em nossa vida - Klaus Dieter Wirth - 25 de junho de 2021

Querida irmã, querido irmão em Cristo!

Que a Graça do nosso Senhor Jesus Cristo, o grande Amor de Deus, o Pai, e a Comunhão do Espírito Santo seja com você, seja com tod@s seus f amiliares, seja com suas irmãs e seus irmãos em Cristo.

O que seria de nós se a gente não experimentasse, a cada novo dia, a bondade de Deus, o cuidado de Deus, a misericórdia de Deus, enfim, o amor de Deus. Tem uma música sobre a qual eu quero meditar hoje com você. Ela é do meu colega pastor Rodolfo Gaede Neto e talvez seja uma das mais gostosas de ser cantada, por causa da melodia, mas também, e principalmente, por causa do texto e da mensagem que o pastor Rodolfo traz para você e para mim a partir desta música. Ela fala desse amor de Deus e do cuidado dEle, e da misericórdia dEle a cada novo dia. Fala da experiência de, a cada novo dia, sentir tudo isso na nossa vida. Tudo isso, que eu digo, que vem de Deus, é que nos capacita e nos motiva a sermos cristãs e cristãos neste mundo, um mundo que nem sempre é fácil, um mundo que traz para nós, sempre de novo, surpresas tanto agradáveis quanto surpresas que nos colocam em xeque, nunca em mate porque Deus não permite. Um mundo que nos desafia a sermos, como vai dizer Jesus Cristo, e o pastor Rodolfo vai recuperar essa palavra, a sermos luz neste mundo, a sermos alguém que ilumina a vida das pessoas fazendo com que as trevas possam desaparecer. Sim, lá onde há luz as trevas jamais irão prevalecer. Mas também nos desafia a sermos sal neste mundo, e quando Jesus fala em sal, Ele quer dizer ser aquilo que dá gosto para a comida, aquilo que dá gosto para a vida do dia-a-dia. Infelizmente ainda existem muitas pessoas que apenas sobrevivem neste mundo. Jamais isso faz parte dos planos de Deus. Somos nós, seres humanos, que criamos estas condições muitas vezes desumanas para que outros humanos vivam neste mundo, sim, nós muitas e muitas vezes como pessoa, como comunidade, como sociedade, somos responsáveis por isso. E é por isso que Jesus nos desafia a sermos também sal neste mundo, aquilo que vai trazer vida digna, aquilo que vai trazer vida com qualidade para essas pessoas que apenas sobrevivem. Tudo isso nós só somos capazes de fazer porque Deus age em nossa vida.

Agora eu gostaria de compartilhar com você este belo texto e no final vou colocar um clip que eu achei na internet muito bonito. Diz o pastor Rodolfo Gaede Neto em sua música: “A cada dia nasce de novo o sol, assim renasce a cada manhã a misericórdia de Deus. Recebo hoje a dádiva da vida novamente de Tuas mãos, Senhor, e grato disponho-me a servir. Vamos cantar… É bom viver… E despertar… Pra conviver… Dar mais calor… Fazer brilhar o sol do amor no amanhecer”.

E na segunda estrofe o pastor Rodolfo vai recuperar o que eu trouxe antes, lá de Mateus 5.13 e 14 onde está escrito que somos desafiad@s a sermos sal (no versículo 13) e luz (no versículo 14). Então o pastor Rodolfo diz: “Nós somos o sal da terra, nós somos fermento na massa, nós somos a luz do mundo refletindo o sol da Graça”, e aí ele nos desafia a cantar o refrão: Vamos cantar… É bom viver… E despertar… Pra conviver… Dar mais calor… Fazer brilhar o sol do amor no amanhecer”.

E antes de escutarmos o clip eu quero lhe convidar para um momento de oração.

Nosso querido Pai, nós te agradecemos porque a cada novo dia Tu vens ao nosso encontro, derramando sobre nossas vidas o Teu cuidado, a Tua bondade, a Tua misericórdia, enfim, o Teu amor. Permita que, por experimentarmos o Teu amor diariamente, também possamos levar este Teu amor adiante, a partir de atitudes nossas ao sermos sal neste mundo, isto é, ao podermos dar gosto gostoso para a vida das pessoas com as nossas atitudes, mas também a sermos luz, principalmente na vida das pessoas que experimentam trevas na sua vida do dia-a-dia. Senhor, usa-nos para mudarmos a vida dessas pessoas que tanto sofrem. Mas também, Senhor, caso eu seja alguém que esteja sofrendo, permita que eu me abra para este Teu amor através das pessoas que Tu escolheres para colocar na minha vida. E é em nome de Jesus, o nosso Senhor e Salvador, que oramos. Amém!

Vamos agora para o clip com a música e a letra do pastor Rodolfo Gaede Neto, e o arranjo e a regência do Martin Altefogt. O coro é lá da Comunidade Evangélica de Feliz/RS. Tenho certeza que você vai gostar. Um beijo no seu coração.


Semear - Mateus 13.31-32 - P. Jonathan Klebber - 24 de junho de 2021

Olá! Meus amados irmãos e amadas irmãs! Que a graça e a paz de Cristo estejam conosco! Amém.

Conta-se que um homem caminhava pela praia, quando avistou uma criança que se abaixava, pegava algo na areia e jogava no mar.
Ao aproximar-se, viu que eram estrelas-do-mar que o menino jogava na água. Então, perguntou:
– O que você está fazendo?
– Estou pondo estas estrelas-do-mar de volta na água, senão elas morrem na praia, respondeu o jovem.
– Menino… disse o homem, com ares de sábio. Há milhares destas estrelas-do-mar na areia. Não dará tempo de você salvar todas elas e, por fim, não fará nenhuma diferença você salvar meia dúzia.
– Para estas aqui fará muita diferença, respondeu o menino, mostrando sua mão cheia delas. E continuou jogando-as de volta no mar.

Meus amados irmão e amadas irmãs! Em nossas vidas corremos o risco de não dar o devido valor que nossas ações merecem. Muitas vezes subestimamos as coisas erradas que fazemos. Foi só uma mentirinha... Ninguém vai notar...
Há momentos em que minimizamos pequenas ações de amor e cuidado. A palavra de Deus, por sua vez, nos lembra que Deus pode fazer coisas grandiosas através de pequenas sementes.

Em Mateus 13.31-32 Jesus contou uma parábola: “O Reino do Céu é como uma semente de mostarda, que um homem pega e semeia na sua terra. Ela é a menor de todas as sementes; mas, quando cresce, torna-se a maior de todas as plantas. Ela até chega a ser uma árvore, de modo que os passarinhos vêm e fazem ninhos nos seus ramos.”

A parábola do grão de mostarda tem muito a nos ensinar. O grão de mostarda é uma semente bem pequena que o agricultor planta na terra. Quando cresce, ela nos surpreende ao tornar-se um arbusto onde os pássaros fazem seus ninhos.

Que esta parábola nos inspire em nossa caminhada de fé! Que nossa atitude seja semelhante ao rapaz jogando estrelas-do-mar de volta na água!
Continue devolvendo estrelas ao mar! Continue semeando! Não pense jamais que a semente que você está lançando é insignificante. Elas contêm o amor de Deus e Deus tem poder para fazer coisas grandiosas por meio delas.

Nossas ações talvez não transformarão o mundo inteiro, mas certamente impactarão a vida das pessoas que estão à nossa volta.

Meu amado irmão e minha amada irmã! Compartilhe o amor de Deus, esteja disposto a caminhar ao lado das pessoas, dedique tempo, atenção, amor e cuidado. Compartilhe com os outros aquilo que Deus tem feito por você.

Oração: Deus de amor! Ensina-nos a semear sementes de paz, amor e cuidado. Que elas possam crescer e produzir seus frutos. Senhor! Capacita-nos e concede-nos a coragem e a ousadia para compartilhar teu amor e anunciar a tua palavra que traz paz e esperança. Amém.

Bênção: Que Deus te abençoe e te guarde hoje e sempre! Amém!


João Batista - P. Eldo Krüger - 23 de junho de 2021
 

Bom dia. Graça e paz.

Amanhã é dia 24 de junho, dia de São João. Uma referência ao profeta João Batista. Em Rio Claro é feriado, aniversário da cidade.

Compartilho com vocês um breve histórico da vida de João Batista.

O profeta Isaías anunciou a vinda do profeta João Batista (Isaías 40-1-3). João era filho do sacerdote Zacarias e esposa Isabel, ambos idosos (Lc 1.5-7,18, 57-66). Isabel, sendo estéril, aprendeu que “para Deus não há impossíveis em todas as suas promessas” (Lc 1.7,37)

Um anjo apareceu a Zacarias e lhe disse: “Não temas, porque a tua oração foi ouvida; e Isabel, tua mulher, te dará à luz um filho, a quem darás o nome de João. Ele será grande diante do Senhor e será cheio do Espírito Santo, já desde o ventre materno e converterá muitos dos filhos de Israel ao Senhor, seu Deus” (Lc 1.13,15-17)

Zacarias “não acreditou nas palavres do anjo” (Lc 1.20) e por isso perdeu a fala até quando João foi circuncidado (Lc 1.59-64). Quando o povo soube do nascimento de João, perguntou: “Que virá a ser, pois, este menino? (Lc 1.66).

Quando João nasceu Zacarias glorificou a Deus e profetizou a respeito de João dizendo: “Tu, menino, serás chamado profeta do Altíssimo, porque precederás o Senhor, preparando-lhes o caminho, para dar ao povo conhecimento da salvação, no redimi-lo dos seus pecados” (Lc 1.76-77).

Antes de assumir a vocação de profeta, João viveu no deserto (Lc 1.80), se vestiu de “pelos de camelo e um cinto de couro (Mt 3.4) e se alimentou de “gafanhotos e mel silvestre” (Mt 3.4).

João teve um grupo de discípulos e costumava fazer pregações no deserto da Judéia (Mt 3.1). Tinha como motivação “anunciar a vinda do Messias e preparar as pessoas para recebe-lo”. Dizia: “Aquele que vem depois de mim é mais poderoso do que eu, cujas sandálias não sou digno de levar. Ele vos batizará com o Espírito Santo e com fogo” (Mt 3.11). Disse: “Convém que Jesus cresça e eu diminua” (Jo 3.30). Anunciou Jesus como Luz do mundo, como o “cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo” (Jo 1.29) e desafiava as pessoas a crer nele (Mt 3.3; Lc 1.17b; Jo 1.6-8). Pessoas de Jerusalém, de toda Judéia e arredores do Jordão (Mt 3.5) que foram escutar João e levavam a sério a pregação eram batizadas no rio Jordão (Mt 3.6).

João tinha uma mensagem bem radical. Anunciava a necessidade de arrependimento e mudança de vida para perdão dos pecados (Mt 3.2,6; Mc 1.4; Lc 3.3). Disse aos fariseus e saduceus: “Produzi, pois, fruto digno do arrependimento. Toda árvore que não produz bom fruto é cortada e lançada ao fogo” (Mt 3.7-8,10,12). Como sinal visível do arrependimento, João dizia: “Quem tiver duas túnicas, reparta com quem não tem; e quem tiver comida, faça o mesmo. Os publicanos não eram pra cobrar mais do que o estipulado e os soldados não eram pra maltratar as pessoas, não fazer denúncia falsa e contentar-se com o seu salário” (Lc 3. 11-14)

João não tinha medo de falar a verdade, de denunciar os pecados das pessoas, até mesmo das autoridades. João denunciou Herodes de cometer adultério e muitas maldades (Mt 14.3-4; Lc 3.19) e por causa disso acabou sendo preso e morto decapitado (Mt 14.6-10).

Podemos dizer que João Batista foi um servo fiel a Deus e à sua vocação de profeta. Foi uma pessoa simples e humilde. Um mártir que deixou um bom testemunho. Jesus disse que “entre os nascidos de mulher, ninguém apareceu maior do que João Batista” (Mt 11.11).

Termino deixando uma pergunta para reflexão: Qual é o histórico e o testemunho que vamos deixar quando partirmos desse mundo? Pense nisso!


Você não é todo mundo - Mateus 5.9 - P. Gerson Acker - 22 de junho de 2021
 

Saudação: Olá meu irmão. Olá minha irmã. Que a graça e a paz de Cristo estejam contigo. Amém!

Reflexão: Toda vez que eu pedia para minha mãe ir para algum lugar ou comprar alguma coisa alegando que todos os meus amigos tinham determinada coisa ou todos os meus amigos iam para aquela festa, minha mãe dizia: “Gerson, você não é todo mundo!”.

Quando a gente é adolescente é decepcionante ouvir “Você não é todo mundo”. Mas é bom saber que a gente não é qualquer pessoa. Nós somos filhos e filhas de Deus. E como filhos e filhas de Deus, nós temos um a grande missão. Diz o Evangelho de Mateus, no seu capítulo 5, versículo 9: “Bem-aventurados os pacificadores, pois serão chamados de filhos e filhas de Deus.” Ao longo de todo o capítulo 5, nós temos o sermão da montanha, onde, Jesus vai dizendo que os pobres de espírito receberão o Reino de Deus, os que choram serão consolados, os puros de coração verão a Deus, mas somente e apenas os pacificadores é que serão chamados Filhos e Filhas de Deus.

Ser pacificador e ser pacificadora é um grande desafio nesse nosso mundo tão perigoso. As pessoas preferem atritar a dialogar, onde as pessoas preferem buscar as razões para se odiarem, na vida real e na vida virtual ao invés de “tentar entender as coisas da melhor maneira” – como dizia Martim Lutero. Nós não somos todo mundo. Nosso chamado é de Paz!

Assim escreve a Martha Medeiros, uma crônica chamada “Nem todo mundo”: “Nem todo mundo vem ao mundo para brilhar, para reclamar, para agredir, para difamar, para fofocar, para magoar, para se vingar, atrapalhar. Hábitos de muitos, arrisco dizer que da maioria, já que é mais fácil chamar a atenção através do nosso pior do que do nosso melhor. O pior faz barulho, o pior, ganha as manchetes, o pior gera comentários, o pior recebe holofotes, o pior causa embaraço. Porém, há os que vieram em missão de paz, não se afligem pela discreta repercussão dos seus atos. Há quem queira apenas viver de um jeito que não seja julgado por ninguém, há quem queira apenas se expressar de um modo menos exuberante e mais íntimo, há quem queira apenas passar pela vida nutrindo a própria identidade sem nem se preocupar em colecionar seguidores, admiradores, e afetos de ocasião”.

Meu querido irmão, minha querida irmã, você não é todo mundo. Busque semear a paz e seja uma pessoa pacificadora. Seja um filho e uma filha de Deus. Amém!

Oração: Vamos Orar! Querido Deus, torna – me um instrumento da tua paz. Onde haja ódio, que o leve o amor. Onde houver a discórdia, que o leve o perdão. Querido Deus, que em palavras, pensamentos e ações, possam transmitir a sua Paz. A Paz que Cristo nos deixou e que nós oramos. Amém!

Bênção: Que Deus mantenha a tua cabeça fria, o coração quente, as mãos abertas e os pés sem pressa e sem preguiça. Que assim te abençoe o Deus que é Pai, Mãe, Filho e Santo Espírito. Amém!


Sim, sim; não, não - Mateus 5.37 - Pastor Francisco Santos - 21 de junho de 2021
 

Olá! Graça e paz a todos vocês que estão nos acompanhando. Quero trazer uma meditação do livro Amor sem fronteiras, do P. Alcides Jucksch. Queremos refletir sobre A palavra bíblica se encontra em Mt 5.37 Jesus disse: “Seja, porém, a tua palavra: Sim, sim; não, não. O que disto passar, vem do maligno”

Certo filho causava muita mágoa a seu pai. Estudava em outra cidade, e lá vivia em farras, festa fazendo dívidas. O pai procurou o filho e, falando-lhe carinhosamente, mostrou o grande perigo da vida desregrada que levava. O filho prometeu regenerar-se e, então, o pai lhe disse: - Dá-me todas as notas promissórias e faturas e as liquidarei. O filho tirou da gaveta um maço de papéis e entregou-o a seu pai. Estava muito envergonhado e pensou que as maiores notas poderiam pagá-las sozinho. Não queria que seu pai soubesse que havia cometido tantos pecados.

- Estas faturas e promissórias que me deste são todas as dívidas que tens a pagar? – perguntou o pai. Sim, são todas, mentiu o filho.

O pai logo liquidou as dívidas, pagando nota por nota e se despediu do filho voltando para casa.

Em seguida vieram três agiotas restantes e exigiram:

- Queremos também o pagamento, como os outros devedores.

- Tenham paciência, suplicou o moço. Esperem que eu mesmo vou pagar.

Os agiotas disseram: não queremos esperar, se não pagar vamos falar com seu pai, e ele nos pagará a importância devida. O filho nervoso de dar tanto prejuízo e desgosto a seu pai, resolveu tirar a sua própria vida.
Novamente o pai viajou para ver, pela última vez, o seu filho querido e para sepultá-lo. Emudecido de dor diante do túmulo, finalmente, com profunda tristeza disse:

- Meu filho, por que não disseste toda a verdade?

A mentira nunca faz bem. A mentira nos separa de Deus e das pessoas das pessoas que convivemos. Falar a verdade, reconhecer o erro é um gesto de humildade. Vamos orar? Ó, Bondoso Deus e pai, neste dia consagramos a ti nosso coração e nossas vidas, tudo o que temos. Pedimos a ti Senhor, a graça do perdão, socorre-nos Senhor, tem piedade de nós, inclina Senhor os teus ouvidos para a nossa oração proteja nossa família, proteja Senhor, a tua Igreja te agradecemos em nome de Jesus. Amém!

Benção: Queremos deixar a benção para você neste dia – Que o Senhor, esteja a tua frente para te mostrar o caminho correto, o Senhor esteja ao teu lado, para te abraçar e proteger, que o Senhor esteja atrás de ti para te proteger do ataque dos inimigos, que o Senhor esteja dentro do teu coração para te socorrer quando estiver triste, que o Senhor esteja acima de ti para te abençoar. Em nome do Pai, do filho e do Espírito Santo. Amém!


No Reino de Deus Servimos - Mateus 20.25-27 - Missionário Felipe Milani - 19 de junho de 2021
 

Olá, inicio essa mensagem fazendo a leitura do Evangelho de Mateus 20.25-27

Jesus Cristo diz: “Como vocês sabem, os governadores dos povos pagãos têm autoridade sobre eles, e os poderosos mandam neles. Mas entre vocês não pode ser assim. Pelo contrário, quem quiser ser importante, que sirva os outros, e quem quiser ser o primeiro, que seja o escravo de vocês”.

Há uma certa radicalidade de Jesus nesse fragmento que acabei de ler... e nós enquanto cristãos e cristãs comprometidos com o Reino de Deus, devemos observar.

A proposta de Jesus considerando que o que está em jogo é a organização da vida humana e seus desdobramentos sociais, políticos e econômicos, enfim, é um modelo de sociedade sem disputas e jogos de poder. Não há último, primeiro, segundo ou terceiro.

O reinado de Deus não se baseia na riqueza e no poder, no refugo de pessoas, mas, na generosidade, no serviço sem pretensões e sem interesses. Aliás, a única pretensão e interesse é o bem-estar coletivo, é a igualdade social, a oportunidade de vida digna, o conhecimento Deus, o seu amor e governo sendo acolhido.

É difícil conceber uma realidade assim, onde não existem diferenças de grandeza, onde não haja menores e maiores, grandes e pequenos, quem manda e quem é mandado.

Se quisermos levar a sério o pedido que oramos frequentemente na oração do Pai Nosso: ‘venha o teu reino’, será necessário cada vez mais desse engajamento.

Que a Igreja persevere, não baixe a cabeça, pelo contrário, retire cabrestos, combata as injustiças sociais, caminhe com quem não tem voz, com quem não tem vez, assuma o seu papel de ensinadora da mensagem de Jesus.

Oração:
Deus de amor e misericórdia, não nos deixes perder a esperança e achar que o teu reino nunca se concretizará. Mova-nos, pelo teu Espírito, como movia teu Filho Jesus para continuamente servirmos, apontarmos o caminho da justiça e andarmos ao lado de quem não consegue mais acompanhar a dinâmica louca desse mundo. Mostra-nos onde precisamos mudar e ampara-nos quando o cansaço se apresentar. Amém.


Salmo 40 - Pastor Felipi Schütz Bennert - 18 de junho de 2021
 

Olá meu irmão, minha irmã!

Vivemos tempo de espera... Esperamos dias melhores, esperamos pela vacina, esperamos por responsabilidade diante do cenário catastrófico que vivemos.

Enfim, esperamos sair logo dessa situação triste que vivemos.

A palavra bíblica do Salmo 40.1 quer vir ao encontro do teu coração neste dia. Lá diz esperei com paciência pela ajuda de Deus, o Senhor, e ele escutou e ouviu meu pedido de socorro.

O Senhor ouve nossas súplicas, ele ouve nosso pedido de socorro, nosso lamento e nossos pedidos. No tempo certo, quando oportuno, ele responde e nos atende.

Que você seja abraçado pela esperança de que a resposta de Deus vira, de que dias melhores virão, de que ele nos livrará dessa situação.

Que o eterno Deus, Pai, Filho e Espírito Santo, te abençoe hoje e sempre. Amém.


Existe diploma de cristão - Colossenses 3.1 - PPHMista Evair Tonn - 17 de junho de 2021
 

Há pessoas cristãs prontas? Com formação e reconhecimento por meio de um diploma como pessoa cristã?

O apóstolo Paulo diz na carta aos Colossenses: “busquem as coisas lá do alto, onde Cristo vive, assentado à direita de Deus.” (Colossenses 3.1b)

Jesus Cristo quando andou como homem na terra chamou pessoas para caminhar com ele em discipulado. Mas esse caminhar com o Mestre não resultou em uma sala de aula com certificado de conclusão no final do curso.

Porque, o ensino e treinamento para o qual Jesus nos convida, não se limita a um tempo especifico, mas, é um caminhar por toda a vida. Nesse caminhar somos convocadas e convocados para participar da missão do nosso Deus. Essa missão consiste em: “Anunciar as suas Boas Novas.” Para isso devemos olhar para as coisas do alto, onde Jesus está sentado à direita do Pai. Não devemos perder esse norte, mas ficarmos focados nele, pois, é de lá que vem a nossa força.

A propósito, mais um detalhe: no fim a pessoa cristã não recebe um certificado ou diploma, mas sim uma coroa. A “coroa da vida” (Apocalipse 2.10b). Para recebê-la, Jesus pede para sermos fieis a ele e manter a nossa fé até o fim da nossa vida terrena.

Oração

Senhor Deus, obrigado por caminhar conosco e nos ensinar por toda a nossa vida. Por nos deixar fazer parte de sua missão, e assim podermos falar de suas maravilhas. E também te pedimos: mantenha nossos olhos sempre firmes em ti. Para quando completar o nosso tempo de vida aqui na terra, podermos dizer como Paulo disse: “Combati o bom combate, completei a carreira, guardei a fé.” (2 Timóteo 4.7). Assim oramos, agradecendo e pedindo em nome do Senhor Jesus. Amém!


Venha o teu Reino - Mateus 6.10 - Pastor Ernani Ropke - 16 de junho de 2021
 

Saudação: Que a graça do nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo, o amor de Deus e a comunhão do Espírito Santo sejam conosco. Amém.

No Evangelho de Mateus 6.10, na oração do Pai Nosso, diz: Venha o teu Reino! Você, ao orar o Pai Nosso, já parou alguma vez para refletir o que significa venha o teu Reino? Lutero diz no Catecismo Menor: “O reino de Deus vem por si mesmo, sem a nossa oração. Mas pedimos nesta oração que ele venha também a nós”. Como o Reino vem a nós? Lutero diz no Catecismo Maior: “Deus enviou seu Filho Cristo, nosso Senhor, ao mundo para nos resgatar e libertar do poder do diabo, arrebanhar-nos junto a si e conduzir-nos, como rei da justiça, da vida e da felicidade, contra o pecado, a morte e a má consciência; para tanto ele também concedeu seu Espírito Santo, para que ele nos proporcione isso por meio da sua santa palavra e da sua força, iluminando e fortalecendo na fé. Nesta prece, pedimos, em primeiro lugar, que isso entre em vigor entre nós, seu nome seja exaltado por meio da sagrada palavra de Deus e pela vivência cristã, em dois aspectos: que nós, que o aceitamos, assim continuaremos e cresçamos dia após dia; e que isso encontre aceitação e seguidores entre outras pessoas, alastrando-se poderosamente mundo afora, para que muitos entrem no reino da graça, passem a participar da redenção, conduzidos para tal pelo Espírito Santo, para que todos conjuntamente permaneçamos em um único reino ora iniciado.”

Em Cristo Jesus o Reino de Deus irrompeu em nosso meio. Deus vem a nós em Cristo Jesus com a sua palavra e com o seu Santo Espírito para que os sinais do seu Reino também já se tornem visíveis e realidade em nosso meio. Jesus contou várias parábolas sobre o Reino de Deus. Nas parábolas Jesus sempre dizia o Reino dos Céus é semelhante ao fermento, a um tesouro escondido, a um grão de mostarda...

Talvez em nossos dias, para ilustrar o Reino dos Céus, Jesus contaria a parábola do Pequeno Santo e do Anjo. Ela diz o seguinte: O pequeno Santo não se assusta quando o anjo aparece para levá-lo para a eternidade, mas alegra-se e diz: “- Anjo, olha para estes meus alunos. Eles ainda carecem dos meus ensinamentos e cuidados. A eternidade, por acaso, não pode ser adiada um pouco?”

O anjo desaparece e o pequeno Santo continua o seu trabalho com muita alegria e dedicação. Um tempo depois, quando o pequeno Santo está no seu jardim, o anjo novamente aparece. Aí o pequeno Santo diz: “- Anjo, olha para este jardim: Muitas plantas ainda precisam do meu cuidado. Precisam ser regadas e podadas. A eternidade não pode esperar mais um pouco?”

Sorridente o anjo desaparece. Na terceira vez os dois se encontram no hospital. O pequeno Santo está visitando de leito em leito os doentes e orando com eles. Desta vez o pequeno Santo só abre significativamente os braços e o anjo entende o que ele quer dizer.

Porém, chegou um determinado momento da vida em que o pequeno Santo, já idoso e realizado, pensou: “- Que bom seria se o anjo viesse agora e me levasse para a eternidade”.

E quando o anjo repentinamente aparece, o pequeno Santo lhe diz: “- Anjo, se for do agrado do Senhor podes me levar agora para o Reino eterno!”

E o anjo respondeu: “- Onde tu pensas que estavas todo este tempo!”

O Reino dos Céus já está em nosso meio. Ao orar, “venha o teu Reino”, estamos dizendo: Senhor, faça-nos um instrumento da tua fé, da tua esperança e do teu amor. Guia-nos com o teu Santo Espírito para que em nossos gestos e atitudes se revele o teu Reino. Ajuda-nos a assistir, proteger e cuidar da vida como teu Filho até que o teu Reino se manifeste na sua plenitude. Amém.

Que a bênção do Trino Deus, do Pai, do Filho e do Espírito Santo, nos faça instrumento do seu amor, da sua justiça e da sua paz. Amém.


O quadro da Paz - João 14.27 - Pastor Elton Pothin - 15 de junho de 2021
 

Um homem queria um quadro que retratasse a paz para colocar no seu escritório. Mas não apenas que retratasse a paz, mas lhe transmitisse paz. Ofereceu uma grande quantia em dinheiro para quem conseguisse.

Os mais diversos artistas se puseram a trabalhar. Trouxeram a ele vários quadros: bosques ao entardecer, rios tranquilos, crianças correndo na areia, o arco-íris no céu, gotas de orvalho numa pétala de rosa e, é claro, vários quadros com a pomba da paz voando sob o céu azul.

O homem examinou todos os quadros e escolheu dois.

O primeiro mostrava um lago tranquilo, espelhando as montanhas ao redor e o céu azul. Havia pequenas nuvens brancas e, ao olhar bem o quadro, no canto direito havia uma pequena casa com uma janela aberta e fumaça saindo pela chaminé, indicando que alguém estava cozinhando algo muito gostoso.

O segundo quadro também mostrava montanhas, mas estas eram escabrosas, os picos com pedras afiadas e escuras. Sobre as montanhas, o céu estava muito escuro e das nuvens saíam raios, granizo e uma chuva torrencial.
A pintura estava em total desarmonia com todos os outros quadros enviados. Entretanto, quando se observava o quadro com mais cuidado, notava-se, numa fenda da rocha, um ninho de pássaro. Ali, no meio da violenta tempestade, estava sentada calmamente uma andorinha no seu ninho.

Esta segunda pintura foi a que ele escolheu. E explicou a todos o motivo de sua escolha:

- Paz não é aquilo que encontramos em um lugar sem ruídos, sem problemas, sem trabalho duro. Paz é o que permite manter a calma em nosso coração, mesmo no meio das situações mais adversas e difíceis na vida.

Quando falamos em paz, logo lembramos de Jesus. Ele é o Príncipe da Paz.

E, quando ouvimos esta história do quadro sobre a paz, nos lembramos logo de Jesus quando foi preso e condenado à morte. O cenário ao redor de Jesus era como odo quadro escolhido: todos agitados, furiosos, gritando “crucifica-o”. Pedro saca a espada quando Jesus estava sendo preso e Jesus o contém. Não se deixa abalar. Ficou sereno e tranquilo em meio a toda aquela violência e tumulto. Parecia a andorinha no meio da tempestade calmamente no seu ninho.

Nós estamos em meio a uma das piores tempestades da história da humanidade. Como ter paz? Olhe para Jesus. Busque Nele a paz. Assim você poderá passar pelo temporal de forma serena e tranquila.

Termino com as palavras de Jesus, que diz em João 14.27: “Deixo-vos a paz. A Minha paz vos dou. Não vo-la dou como o mundo a dá. Não se turbe o vosso coração, nem se atemorize.”


Oração da Manhã de Martin Lutero - PPHMista Jéssica Lais Kriese Duffeck - 14 de junho de 2021

Paz de Cristo!

Inicio este momento de meditação com uma pergunta: você tem o hábito de orar?

Muitas vezes, em meio aos nossos afazeres e demandas do dia a dia, vamos jogando a oração para mais tarde, outra hora, agora não dá tempo!. E o dia passa e nem sequer agradecemos a Deus pela dádiva do dia, da vida, do alimento. E assim passa dia após dia.

Isso acontece porque colocamos a oração como um afazer, como um trabalho árduo e difícil de se executar, esquecemos da simplicidade que é uma oração. Quando a oração é vista apenas como uma tarefa a ser executada, sempre teremos necessidades mais urgentes para serem realizadas.

Por isso Lutero já recomendava que oração fosse a nossa primeira e última atividade do dia. Assim antes de tudo e depois de tudo, nossa voz seria ouvida em oração. Te convido a fazer essa experiência, faça uma pequena oração ao abrir os olhos pela manhã e outra antes de os fecha-los a noite. Verás como além da sua fé que será diariamente fortalecida, também seu coração irá se acalmar, pois você estará tirando um tempo para ouvi-lo e entregando tudo a Deus.

Assim trago para este dia uma oração de Lutero, intitulada Oração da manhã. Convido para nos colocarmos em oração:

Meu Pai celestial, graças te dou, por Jesus Cristo, teu amado Filho, por me haveres defendido de todo o dano e de todos os perigos da noite passada, e peço­-te que me preserves também neste dia do pecado e de todo o mal, para que todas as minhas ações e a minha vida te agradem. Nas tuas mãos me entrego, de corpo e alma, bem como todas as coisas. Esteja comigo o teu santo anjo, para que o inimigo maligno não tenha poder algum sobre mim. Amém.

Que Deus nos guie, guarde e abençoe hoje e sempre. Amém. 


Polindo a aliança e o relacionamento - Pa. Daiane Berndt Bottcher - 12 de junho de 2021
 

Que a graça do Senhor Jesus o amor de Deus nosso Pai e a comunhão do Espírito Santo estejam e permaneçam conosco hoje e sempre, amém.

Hoje é dia dos namorados... ahh como é belo o amor, e como é difícil às vezes se relacionar, não é verdade?!

Este ano João e eu completaremos 11 anos de casamento, e no dia de nosso casamento o pastor usou uma analogia que gostei muito à época, mas hoje 11 anos depois devo confessar que então eu não havia compreendido o quão profunda e necessária seria aquela analogia ao longo do casamento. Ele disse que com o passar do tempo, seria importante de vez em quando polir a aliança e o relacionamento: limpar, polir, dar brilho. Certamente entendemos a analogia, mas quando analisamos como acontece o processo de polir, vamos entender ainda melhor a importância de polir a aliança e o relacionamento.

Nem todos sabem, mas João é restaurador e foi ele quem me ajudou com os materiais e a técnica necessária para fazer o que pretendo fazer hoje com vocês aqui no momento de oração.

Ao olhar para minha aliança, creio que concordaríamos que é uma boa aliança, feita de um bom material, que ainda tem certo brilho. Mas este material que parece pronto, na verdade não está. Ao olhar bem de perto, vamos perceber que há ranhuras, micro poros que acumularão sujeiras, e que ao longo do tempo se não receber o devido cuidado acabarão por apagar completamente o seu brilho e esconderão o seu real valor.

Assim é com a aliança e assim é com o relacionamento. E então? O que fazer para devolver o brilho? Dar o devido cuidado? É necessário polir... Tirar as imperfeições, remover a sujeira, alisar, no relacionamento seria aparar as arestas (que sempre de novo surgem).

Mas sabe, polir não é um processo fácil, porque é necessário você utilizar um produto abrasivo, que será capaz de alisar a superfície, e na prática vai “lixar” vai remover uma camada daquilo que foi se incrustando ali, mas que não deveria estar ali, e isto dói. Porque significa olhar para as imperfeições, erros, falhas e pecados, meus e de meu cônjuge, não é gostoso polir um relacionamento, mas é necessário, porque quanto mais deixamos acumular mais difícil será para recuperar algo que tem um potencial incrível.

E, se por um lado aqui o pecado fica em evidência, temos como antídoto o perdão. Tão essencial em qualquer relacionamento. O perdão cura, restaura liberta, nos coloca diante de uma nova possibilidade.

Após tirar as imperfeições é importante passar uma camada protetora, para que as sujeiras não tenham acesso tão facilmente e para que o brilho possa permanecer por mais tempo. Penso que neste ponto é fundamental mantermos nosso relacionamento com Deus em dia, isto terá um impacto direto em todos os nossos relacionamentos. Na aliança a cera vai nos ajudar, nos relacionamentos é necessário que seja um relacionamento a 3, o casal e Deus. Ele é quem vai nos ajudar a proteger nosso relacionamento, Ele vai nos ajudar a polir, limpar, aparar arestas através do agir do Seu Santo Espírito e da Sua Palavra em nossas vidas.

Que tenhamos coragem de fazer o trabalho “sujo”, desafiador e purificador/restaurador de polir de tempos em tempos nossa aliança e nosso relacionamento, que Deus nos ajude, amém.

Vamos orar?!

Que a benção do nosso Deus: Pai, Filho e Espírito Santo esteja sobre nós e nossos relacionamentos. Amém.


Descanso ou conflito? - Êxodo 17 - Pastor Astor Albrecht - 11 de junho de 2021
 

Em Êxodo 17 o povo de Israel, em sua jornada para a terra prometida, parou num lugar chamado Refidim, que significa refrigério. Um lugar para descansar. Era um lugar muito bom, mas este lugar bom foi transformado pela ação do povo e, por isso, recebeu outro nome Massá e Meribá, que significa tentação, conflito, disputa, murmuração.

É uma figura da própria vida, quando o que é bom pode ser transformado em algo ruim. “Veja o que fulano fez da sua vida: estava tão bem e agora nesta situação ruim”. É um exemplo do que pode acontecer. Este relato bíblico está aí para nos ajudar não transformarmos o que é bom, em algo ruim.

Avalie suas expectativas. Faltava água para o povo de Israel. Aí vem reclamação e acusação contra Moisés e exigem que, no deserto, ele lhes de água. Será que o povo pensava que Moisés era senhor do clima? Quais são as suas expectativas em relação às pessoas de sua casa? De seu trabalho? Elas são realistas ou são fonte de discussão? Pense nisso! Quando as expectativas estão além do que é possível e você procura atendê-las, você ficará sobremodo cansado e exausto e, por mais que você faça e se dedique, nunca será bom o suficiente. Aí o que é para ser bom, se tornará em algo ruim. O que é para renovar as forças, irá sugar a sua energia.

Aceite a ajuda de quem Deus coloca ao teu lado. O povo hebreu enfrenta os amalequitas numa batalha. E Moisés pediu a Josué que escolhesse homens para a batalha. A vida pode se tornar difícil, quando não aceitamos ajuda de quem Deus coloca ao nosso lado. Nem sempre conseguimos ver bem o caminho que está à nossa frente, e precisamos de quem nos ajude a ver melhor. Portanto, dê valor as pessoas de sua casa, ao seu pastor/a, ao presbitério. Isso certamente fará com que as coisas sejam melhores.

Acima de tudo, nas lutas da vida, levante as suas mãos para o alto. O povo hebreu enfrenta os amalequitas. Eles são força contrária. Querem impedir a jornada para a terra prometida. Luta, desafio e vento contrário faz parte de nossa vida. São coisas que querem transformar o que é bom em algo ruim. O que fazer?

Moisés subiu para o alto do monte e levantou as mãos para o céu em oração. O texto bíblico relata que “Quando Moisés levanta a mão, Israel prevalecia; quando, porém, ele abaixava a mão, prevalecia Amaleque” (v.11). Levantar as mãos é gesto de oração, de fé e confiança em Deus. É buscar com fé a providência e cuidado de Deus. Era ocasião de vitória! Mãos para baixo aponta para o desânimo, murmuração, dúvida. Era ocasião de derrota. Os amalequitas também vem contra você: é a tentação, a tristeza, a infelicidade, o receio, o fracasso, o medo. Querem impedir você de seguir em frente! Que você não alcance o bem que Deus tem lhe preparado! É com as mãos levantadas, em oração confiante em Deus, que você terá força para vencer e prosseguir. Assim o inimigo não vai transformar em mal o bem que Deus te dá. Deus te abençoe.


Até aqui me trouxe Deus! - 1 Samuel 7.12 - P. Alberi Neumann - 10 de junho de 2021
 

Que a graca, a paz e o amor de Deus sejam com todos e todas nós. Amém.

Convido você a recordar, a fazer memória, de momentos na sua vida em que experimentou a graça, o cuidado, a misericórdia de Deus, e disse: “Até aqui me trouxe Deus”; ou “Até aqui nos ajudou o Senhor”. Procure lembrar: desde o nascimento até os dias de hoje! Você vai se surpreender, pois temos muitas histórias a contar.

No Livro de 1º Samuel 7.12 narra-se que Samuel, e sob sua liderança o povo israelita, passaram por um momento tenso e difícil. Quando tudo isso passou, ele então erigiu uma pedra MEMORIAL, entre Mizpa e Sem, e a chamou de Ebenézer (que significa “Pedra de socorro”). Ele fez isso para que ninguém esquecesse de que eles foram ajudados por Deus. E, a seguir, ele expressa: “Até aqui nos ajudou o Senhor”. Temos aqui uma confissão de fé de quem experimentou a presença e a ajuda de Deus. Samuel demonstra, assim, a sua gratidão a Deus.

Em nossa vida podemos recordar também hoje os vários momentos ou situações em que Deus nos ajudou e abençoou, e expressar gratidão!

Com base neste texto bíblico foi criado o hino Até aqui me trouxe Deus (470 LCI). Ouçamos ou cantemos juntos/as, agradecidos/as:

1. Até aqui me trouxe Deus; guiou-me com bondade.
Ele amparou os passos meus com graça e fieldade.
Até aqui me protegeu, perdão e paz me concedeu,
conforto e alegria.

2. Louvor te rendo e gratidão por tudo que fizeste;
por toda a graça e proteção que sempre, ó Pai, me deste.
Quero exaltar, meu Salvador, o teu poder, o teu amor
com que me agraciaste.

3. Ajuda no porvir, Senhor, com teu poder me guia;
revela o teu eterno amor em dor e em alegria.
Confessarei até morrer: Por Cristo, ó Deus, me hás de valer!
Somente em ti confio! 


Jesus acalma uma tempestade - Marcos 4.35-41 - Estagiário Tiago Schroeder - 08 de junho de 2021
 

“Que a graça do nosso Senhor Jesus Cristo, o amor de Deus e a comunhão do Espírito Santo estejam com todas e todos vocês!”

“Naquele mesmo dia, quando a noite chegou, Jesus lhes disse: Passemos para o outro lado. E deixando a multidão para trás, eles o levaram no barco, exatamente como ele estava. Outros barcos estavam com ele. Surgiu uma grande tempestade de vento e as ondas bateram no barco, de modo que o barco já estava sendo inundado. Mas Jesus estava na popa, dormindo sobre uma almofada; e eles o acordaram e disseram-lhe: Mestre, você não se importa que estejamos perecendo? Ele acordou e repreendeu o vento, e disse ao mar: “Paz! Fique quieto! Então o vento cessou e houve grande bonança. Ele lhes disse: “Por que você tem medo? Vocês ainda não têm fé?” E eles ficaram cheios de grande temor e disseram uns aos outros: Quem é este, que até o vento e o mar lhe obedecem? (Marcos 4, 35-41)

Esse texto que acebei de ler é conhecido pelo título “Jesus acalma uma tempestade” e nestes tempos, podemos perceber que surgiu uma grande tempestade, com ondas batendo cada vez mais em todos os nossos barcos. Nossos barcos, no plural mesmo, porque, apesar de muitas vezes ouvirmos que estamos no mesmo barco, isso não é exatamente assim. Estamos na mesma tempestade, mas não no mesmo barco. Mas o que é então essa tempestade em tempos de pandemia? Não é apenas o vírus em si; é também o sofrimento daquelas pessoas que estão doentes e solitárias, das pessoas que têm medo, que não sabem como ganharão o seu sustento ou de onde virá sua próxima refeição. É a perda dos nossos cultos presenciais. É a intensa pressão sobre os serviços de saúde, economia, sobre toda a nossa vida e isso tudo já a mais de um ano.

No entanto, Jesus prometeu que estará sempre conosco. Por isso, voltamo-nos a Ele em oração, enquanto enfrentamos esta tempestade. Ele nos chamou para sermos Corpo de Cristo. Assim, também Jesus, através do seu povo, por meio das nossas palavras e ações, está trabalhando para acalmar esta tempestade. Amém


Salmo 100 e a descoberta de outros motivos de ação de graça - Ministro Candidato Éder Behling - 07 de junho de 2021
 

A comunidade cristã, não perfeita, mas de amor, não parou de orar ao longo da pandemia de COVID-19. Pelo contrário, ela foi redescobrindo que ainda tem motivos para dar graças a Deus. O Salmo 100 é um salmo de ação de graças. É um agradecimento por tudo o que Deus faz na vida das pessoas. Podemos louvar a Deus com a nossa voz. Nossa voz é um instrumento que Deus usa para darmos testemunho da bondade e do amor de Deus por toda a sua criação e por todas as suas criaturas. E normalmente, mesmo na celebração, não é somente a voz falada que dá testemunho de Deus. Assim, como o salmista expressa, a comunidade canta e louva a Deus com as várias vozes.

Mas as vozes podem fazer muito mais do que cantar. As vozes podem falar do amor e da misericórdia de Deus. As vozes podem ser usadas para fazer o bem e o que é bom. Mas também para o mal e o que afasta de Deus. No tempo em que não foi possível se reunir presencialmente no mesmo lugar. O lugar de culto foi onde as pessoas estavam. Lá onde a voz de Deus alcançou ser ouvida pelo rádio, pela TV ou internet. Lá onde foram proferidas e ouvidas a oração. Lá onde se louvou a Deus “em espírito e verdade” (João 4.23) Cristo esteve, como ele mesmo prometeu: “onde dois ou três estivessem, lá eu estou” (Mt 18.20). Deus jamais abandona ou deixa nenhuma pessoa sozinha. E é, por isso, que foi e continua sendo possível louvar a voz a Deus e dar testemunho do que Ele tem feito.

E é possível saber disso pois, o próprio salmista assim nos confirma “que SENHOR é Deus; foi ele quem nos fez, e dele somos; somos o seu povo e rebanho do seu pastoreio” (Sl 100.3). A comunidade é o povo de Deus e o seu rebanho. Deus alimenta, dá conforto e consola. E Deus guia a cada pessoa a realizar atos de bondade. Para praticar a bondade e a usar nossa voz para fazer o que bom e o que é correto. Seguindo, o mandamento de Jesus Cristo, seu mandamento do amor. “Amar a Deus acima de todas as coisas e ao nosso próximo a como a nós mesmos” (Mc 12:29-31). E podemos usar muito mais que as vozes para louvar a Deus e a agradecer a ele. Pode-se transformar o mandamento do amor em um gesto concreto, em uma ação que nos leva a ver que o amor de Deus é serviço.

É por isso, que louvar a Deus, vem também acompanho do serviço, do testemunho e da ação. O trabalho diaconal da Igreja tem como fundamento e função servir, testemunhar e ser uma ação concreta. O trabalho diaconal da Igreja é compartilhar com o outro o amor de Deus. Diaconia como empatia. O servir faz olhar para o lado, para as pessoas à nossa volta, para as necessidades do outro e para a Igreja na qual fazemos parte e somos chamados/as a nos envolver e contribuir. Servir com alegria é colocar os dons a disposição de Deus e de sua vontade. É ser grato a Deus pelo que Ele é, fez e faz em nossas vidas através de seu Filho Jesus. Servir é compartilhar a razão da fé, o evangelho da Graça que me move através de palavras e ações.

Como nos lembra o Salmo 100, o amor e a misericórdia de Deus duram para sempre. E isso é algo muito bom. Pois, isso nos dá a certeza de em nosso dia podemos colocar em prática o amor de Deus por nós e por todas as pessoas. Sem medo, sem preconceito, sem julgamentos. Basta para isso a nossa vontade de nos colocarmos a serviço de Deus neste mundo que por ele foi criado. E assim usar as nossas vozes para agregar e trazer mais pessoas para próximo de Deus e de sua igreja. E em meio a tantas vozes diferentes, que falam tanta coisa e muitas vezes nos deixam confusos em meio a tantas palavra e vozes que parecem não se conversar entre si, que possamos nós continuar firmes do Deus que ensina o amor e respeito a todos os irmãos e irmãs.

E assim, descobriu-se outros motivos de ação de graça. Que ser grato não é um ato isolado, de um dia ao longo do ano. Servir a Deus e ao próximo não tem lugar, não tem horário. Tem, sim, somente a vontade de ouvir e a seguir a voz de Deus, que chama para viver em comunhão, através da vida em oração, da Palavra de Deus e do agir do Espírito Santo.

Benção: Que a benção do bondoso Deus, venha sobre vocês e permaneça com vocês hoje e sempre. Assim, vos abençoe o Deus que é Pai, Filho e Espírito Santo. Amém.


Por que sofremos? - 2Coríntios 1.3-4 - Pastor Tiago Sacht Jaske - 05 de junho de 2021
 

Por que continuamos sofrendo? Essa é uma pergunta difícil, que não pode ser respondida numa reflexão tão breve. Talvez nem mesmo tenha resposta! Gostaria já de início de recomendar a você, e indicar de coração, a leitura de um dos livros que mais me marcaram na vida: “Caminhando com Deus em meio a dor e ao sofrimento” de Timothy Keller.

Há diversas razões para o sofrimento. Em algumas situações nós mesmos somos os causadores, por causa de erros ou pecados cometidos. Em outras, pessoas nos prejudicam e trazem dor e sofrimento. Também podemos perder pessoas amadas ou perder a nossa própria saúde. Há circunstâncias que não podemos controlar, como muitos dos problemas sociais que enfrentamos, e outras que podemos. Alguns sofrimentos são disciplina que Deus nos dá, para nosso crescimento; outros não. O mais importante é que, independente da razão, simplesmente devemos atravessar estes sofrimentos! Devemos passar por eles. Por isso, talvez a pergunta “por quê” não ajude tanto quanto a pergunta “para quê”, para qual finalidade, para onde vamos caminhar. Neste sentido, convido a lermos 2Coríntios 1.3-4:

“Louvado seja o Deus e Pai do nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai bondoso, o Deus de quem todos recebem ajuda! Ele nos auxilia em todas as nossas aflições para podermos ajudar os que têm as mesmas aflições que nós temos. E nós damos aos outros a mesma ajuda que recebemos de Deus.”

Louvamos a Deus porque Ele carregou o maior sofrimento de todos, o maior abandono e miséria, em nosso lugar, na cruz! Pela fé em Jesus e seu sacrifício por nós recebemos paz, consolo, esperança e salvação! Além disso Ele se coloca ao nosso lado e nos ajuda a lidar com nossas lutas e dores. E ainda mais: Ele usa nosso sofrimento para nos ajudar a crescer e assim ajudarmos outras pessoas que estão enfrentando situações parecidas. Graças a Deus! Vamos falar com Ele em oração?

Senhor, muito obrigado porque Tu suportaste o maior sofrimento de todos, na cruz, em nosso lugar. E muito obrigado porque Tu te colocas ao nosso lado e nos ajudas a passar por todas as situações de luta e sofrimento neste mundo, não só para o nosso bem, mas também para o bem de nosso próximo. Fortalece-nos Senhor para que nós também possamos fortalecer, animar, consolar e ajudar as pessoas que passam por situações semelhantes às nossas, pessoas que precisam de nosso testemunho e nosso amor. Usa Senhor a cada um de nós, para a tua glória, em teu Reino, para o bem de nosso próximo! Em nome de Jesus, Amém!

Que assim te abençoe o Deus todo-poderoso, o Pai, o Filho e o Espírito Santo! Amém!


Vigiar e orar - LCI 625 - Pianista: Marcos Vinícius Vieira. Voz: Mônica Silva - 04 de junho de 2021
 

1. Bem de manhã,
embora o céu sereno
pareça um dia calmo anunciar,
vigia e ora: o coração pequeno
um temporal pode abrigar.

Estr.: Bem de manhã,
e sem cessar: Vigiar e orar!

2. Ao meio-dia,
enquanto os sons da terra
abafam mais de Deus
a voz de amor,
recorre a Cristo,
o coração descerra
e goza paz com o Senhor!

Estr.: Bem de manhã,
e sem cessar: Vigiar e orar!

3. Do dia ao fim,
após os teus lidares,
relembra as bênçãos
do celeste amor,
contando a Deus
prazeres e pesares,
a tua mágoa, a tua dor.

Estr.: Bem de manhã,
e sem cessar: Vigiar e orar!

4. E sem cessar,
vigia a todo instante,
pois o inimigo ataca sem parar;
só com Jesus
em comunhão constante
podemos sempre triunfar.

Estr.: Bem de manhã,
e sem cessar: Vigiar e orar! 


Plantar - Provérbios 11.18 - Pastor Francisco Santos - 03 de junho de 2021
 

Olá! Que a graça, a paz e o amor de Jesus Cristo, estejam com todos vocês. Estamos começando o momento de oração queremos refletir sobre as palavras de Provérbios 11.18: “O perverso recebe um salário ilusório, mas o que semeia justiça terá recompensa.”

A uns três meses atrás recebi alguns maracujás doce, que me remete a minha infância: o maracujá que a gente come de colher, da nossa irmã da Comunidade, a Ila. Eu consegui fazer algumas mudas, essas mudas cresceram. E agente compartilhou com as famílias da Comunidade e alguns amigos e amigas e podemos pensar com certeza e é assim: que a gente pode escolher o que plantamos, eu escolhi aqui plantar semente de maracujá, e nesse sentindo nós podemos então escolher o que plantamos, mas somos obrigados a colher o que semeamos. Se semearmos paz, amor, justiça, solidariedade, perdão, cura vamos receber isso.

Vamos orar para o nosso Senhor Deus: Ó! Bondoso Deus e pai nós te pedimos sê presente em nosso dia. E que neste dia possamos a vir semear muita paz, amor, solidariedade, justiça. Ó Senhor, fortaleça nossas famílias. Ó Deus que a tua Igreja também possa ser renovada pelo Espírito Santo, esteja junto da Comunidade, da Igreja Luterana, aqui em Niterói e de todas as Igrejas do Sínodo Sudeste. Te agradecemos em nome de Jesus Cristo. Amém!

Benção: Que o Senhor, esteja a tua frente, para te mostrar o caminho correto, que o Senhor esteja ao teu lado, para te abraçar e te proteger, que o Senhor esteja atrás de ti, para te proteger dos ataques do inimigo, que o Senhor esteja, dentro de ti para te consolar quando estiver triste, que o Senhor esteja acima de ti para te abençoar. Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém! Que possamos ter um abençoado dia. Obrigado a todos e todas.


Deus, fonte de forças para a vida - Isaías 55.3 - Pastor Marcos Ebeling - 02 de junho de 2021

Irmãos e irmãs, a paz.

Iniciamos mais um dia. Existem diferentes formas de iniciar o dia.

Algumas pessoas dizem que viver é “matar um leão por dia”. É naturalmente uma metáfora para falar das dificuldades da vida. Essas pessoas, quando dizem isso, estão preparadas para os enfretamentos que o dia trará. Podemos imaginar que será um dia difícil.

Deus, ao contrário, quer que vivamos a vida sendo uma bênção. E para esta bênção nos prepara. Em Isaías 55.3 lemos: “Escutem-me e venham a mim, prestem atenção e terão vida nova.”

Iniciar o dia com a oração e a leitura da Palavra de Deus é pedir-lhe da bondade necessária para este novo dia. Por palavras Deus nos abastece com dádivas de vida e um espírito de paz, de misericórdia, de amor. De Deus vem a força e a bondade que precisamos para viver o dia.

Martin Lutero expressava esta fé assim: hoje tenho muito por fazer, logo preciso muito orar.

Oremos: Deus amado. Obrigado por este novo dia que nos dás. Obrigado pela vida e por tua palavra que enche nosso dia de esperança, amor, força e ânimo para bem cuidar de cada situação que for aparecer. Por Jesus Cristo, amém.

Deus mantenha em você Sua bondade ao longo deste dia.


Trabalho e Bênção - Provérbios 16.3 - Ministro Candidato Éder Behling - 01 de junho de 2021
 

Peça a Deus que abençoe os seus planos, e eles darão certo. (Pv 16.3)

No mundo bíblico, trabalho e religião sempre estiveram relacionados. A separação moderna da sacralidade do trabalho é um processo que ocorreu mais recentemente. Na Bíblia, trabalho e religião fazem parte do mesmo contexto. Por isso, existem várias ritos e cuidados que se devem ter para o que trabalho realizado seja abençoado.

Seja o trabalho pastoral ou no campo, o trabalho sempre foi importante para o povo hebreu. Desde o período do nomadismo até à ocupação das terras de Canaã, o trabalho se dava essencialmente no cuidado pastoral, bem como na agricultura e produtos que rendiam, bem como no respetivo comércio. Existiam, entre os Hebreus, pessoas de várias profissões, após a saída do Egito, Moises supervisionou a construção da arca da aliança e do santuário dedicado a Javé, bem como a elaboração dos paramentos e objetos destinados ao culto.

Nos tempos de Davi e dos reis, já havia uma economia de excedentes, sendo que o desenvolvimento da vida urbana (já presente na Mesopotâmia desde o iv milénio a.e.c.), fez com que surgissem artesãos independentes. Ao mesmo tempo ainda haviam grupos nômadas na região que constituíam uma complementaridade saudável para a economia. Havia trabalhadores que recebiam por dia trabalhado, contratados por um determinado período, para tarefas específicas. E mesmo casos em que eram contratados por longos períodos de tempo, como sucedeu, por exemplo, com Jacob, que combinou com seu tio Labão cuidar-lhe do gado durante sete anos, era possível uma renovação, se assim as partes o entendessem (Gn 29:20; 27-30). Podiam ser remunerados em dinheiro e/ou em géneros.

É interessante notar que os capítulos 24 a 28 do livro do Êxodo contêm uma descrição pormenorizada dos trabalhos encomendados por Deus a Moisés, que recebe a incumbência de incluir no santuário que viria a ser construído dois altares e um átrio com colunas, com ornamentos e objetos de culto ricamente adornados. São enumeradas medidas precisas, produtos e materiais específicos: será necessário azeite puro de azeitonas pisadas, para manter as lâmpadas do candelabro do santuário sempre acesas; requerem-se animais para holocausto. A agricultura e pastorícia são, pois, dois trabalhos fundamentais também para o culto.

Certos trabalhos estavam confiados às mulheres hebreias, que detinham relevante papel na economia. As leis de celebração do Sábado, o acender das velas, a preparação da mesa, as regras relativas à alimentação, a comida a escolher e como cozinhar adequada e santamente (as leis de kašrut), tudo isso pertence à mulher, que assim transforma a mesa doméstica num altar.

Também o trabalho no campo era regido por regras divinas. Quando se fazia a colheita, não se podia colher tudo até as às extremidades do campo e as espigas caídas não podiam ser apanhadas. Se ao fazer a colheita ficasse esquecido algum feixe, não era permitido voltar lá para o levar. Também na vindima não podiam ser apanhados os bagos caídos. Ao colher as oliveiras, não se podia voltar a colher o resto das azeitonas que tinha ficado nos ramos. Tudo isto deveria ser deixado para as viúvas, órfãos, pobres e demais desprotegidos (Lv 19:9-10; Dt 24:19-21).

De três em três anos, os hebreus tinham que tirar a décima parte de tudo o que tinham produzido nesse ano e ir entregá-la aos responsáveis da sua cidade, que a redistribuíam aos estrangeiros, órfãos e viúvas (Dt 14:28-29). Deviam, passados cada seis anos, observar no sétimo um ano de descanso durante o qual não trabalhavam a terra, não semeavam nem podavam, e o que ela produzisse nesse ano deveria servir de alimento a todas as pessoas da casa, seus diaristas e hóspedes, e animais.

Também o descanso das pessoas era importante, tanto que existe um mandamento para isso. Santificar o dia de descaso. Para o povo hebreu, isso ocorria no sábado. A primeira indicação desta norma está no segundo capítulo do livro do Génesis, em que Deus, contemplando tudo o que havia feito nos seis dias anteriores, decidiu descansar no sétimo dia. E isso era observado rigorosamente.

Deus está presente em todos os passos da vida quotidiana, desde o trabalho até o lazer, além do tempo de oração. E aqui temos o sentido da benção de Deus. Todas as vezes que os hebreus iam fazer algo, um trabalho no campo, na cidade, no seu ofício. Eles se colocam sob a benção. Invocavam a Deus para que abençoasse aquilo ia ser feito, e no fim invocam a Deus para que abençoasse aquilo que tinha sido feito. Todo o trabalho pertence ao Criador, e é por sua graça e em seu louvor que o Hebreu desempenha as suas tarefas diárias e as oferece a Deus, o misericordioso criador.

Texto baseado em:
FERNANDES, Maria – Trabalho e religião na literatura bíblica: alguns exemplos do Antigo Testamento. Lusitania Sacra, Lisboa, v. 36, p. 29-39, jul.-dez. 2017. Disponível em: http://hdl.handle.net/10400.14/26762. Acesso em: 27 de maio de 2021.


Seguir a justiça, fazer o que é direito: é o que Deus espera de nós, cristãs e cristãos! - Isaías 56.1 - Pastor Klaus Dieter Wirth - 31/05/2021
 

Querida irmã, querido irmão em Cristo.

Que a graça do Senhor Jesus Cristo, o grande amor de Deus, o Pai, e comunhão do Espírito Santo seja com você, seja comigo, seja com nossas amigas e amigos, com irmãs e irmãos na fé.

Hoje eu sou responsável pela oração do dia. Meu nome é Klaus e sou Pastor na Paróquia Leste da grande São Paulo.

Eu gostaria de compartilhar com vocês dois versículos bíblicos, um do Antigo Testamento, outro do Novo Testamento. São os dois versículos prescritos pelas Senhas Diárias. Então... lá do profeta Isaías 56.1, veja só que interessante: um versículo bíblico para os dias atuais... “O Senhor Deus diz ao Seu povo: sigam a justiça e façam o que é direito, pois daqui a pouco Eu vou livrá-los, mostrando assim o Meu poder salvador”. Deus está falando através do profeta Isaías para o povo de Deus, o povo de Israel, o povo daquela época. Ele também fala para nós hoje, e Ele está dizendo o seguinte: olha, se vocês fizerem aquilo que é justo, aquilo que é correto aquilo que é direito, eu vou livrá-los, eu vou mostrar a vocês o meu poder. Se você olhar em que contexto está escrito isso, olha que interessante, se você ler Isaías 56, os primeiros dez versículos, você vai perceber o seguinte: Deus está dizendo que se o eunuco cumprir a Lei, obedecer a lei do sábado (sábado era uma lei especial para os judeus, nenhum outro povo tinha isso), se você obedecer às minhas leis, aquilo que é correto, aquilo que é certo, você vai experimentar a libertação. Eunuco era um grupo de pessoas, de homens. Eles eram castrados e eram banidos do povo, nenhum homem castrado era bem-vindo no povo judeu. É interessante que Jesus se refere aos eunucos, e diz: “olha, muitos de vocês não conseguem compreender o que eu vou dizer agora, e então Jesus vai falar de três tipo de eunuco: aquele que nasceu e não vai poder se procriar por questões de órgãos genitais (assim como existiam mulheres estéreis, existiam homens que não podiam se procriar); Jesus vai chamar de eunuco o homem que nasceu dessa forma. Também vai falar de eunucos, de homens que foram castrados. Sim, muitos homens foram castrados para trabalhar em haréns, para cuidar das mulheres dos reis, dos imperadores, e sei lá o que tudo mais, e para não correr nenhum risco esses homens eram castrados. E ainda existiam os eunucos por opção de vida, para servir a Deus dessa forma, que, por exemplo, nos dias de hoje assumem o celibato. Então Jesus vai estar se referindo a esses três grupos de pessoas, de homens que não vão poder se reproduzir, não querem se reproduzir, e não vai falar mal deles não, ao contrário de como o povo de Israel no Antigo Testamento os via e tratava. Outro grupo que tinha pouquíssima chance no grupo de Israel eram os estrangeiros. Eram muito mal vistos. Um dos motivos é que nenhum estrangeiro obedecia a lei do sábado. Olha só: Deus vai estar dizendo pelo profeta Isaías: se um eunuco obedecer as minhas leis, se um estrangeiro obedecer as minhas leis, estas pessoas estarão experimentado a libertação e também estarão experimentando nas suas vidas o meu poder salvador.

Lá do Novo Testamento, da segunda carta que o apóstolo Paulo escreveu aos Coríntios 6.2 diz o seguinte: “Escutem! Este é o tempo em que Deus mostra a Sua bondade, hoje é o dia de ser salvo”. O dia de ser salvo é sempre hoje, nunca o ontem, nem o amanhã. Primeiro que o ontem já passou, e se não experimentou salvação não dá mais, é passado. O amanhã você não conhece, então hoje é o dia de ser salvo. O que significa o “dia de ser salvo”? Dia de ser salvo nada mais é do que experimentar a Graça, o Amor de Deus. E como é que a gente experimenta isso? Fazendo aquilo que Deus quer, fazendo o que é justo, fazendo aquilo que é correto. E no mundo de hoje, nos dias de hoje, no meio da pandemia que nós estamos vivendo, há muitas formas de fazer o que é certo. Por exemplo: em meio a muitas pessoas estar usando máscara. Você não precisa usar máscara dentro de casa, mas se você recebe visita você põe a máscara. Se você vai para a rua você põe a máscara. Distanciamento social você respeita. Você não vai ficar em meio a aglomerações. Lá no versículo 3 desse texto de Isaías 56, Deus promete santificação a todas as pessoas que cumprirem as leis dEle e os mandamentos dEle, e os andamentos de Deus sempre são para uma boa convivência humana.

Lá no vers. 9 vai haver uma denúncia aos guias cegos. Nós temos pessoas com o poder político enorme em suas mãos, que são guias cegos nos dias de hoje, falam contra as máscaras, contra o distanciamento social. Eu não entendo como é que um sujeito que quer liderar todo o povo brasileiro pode falar coisas tão estúpidas, tão falta de… sem juízo, tão com falta de cuidado um pelo outro. É, essas pessoas não fazem o que é certo, o que é correto, o que é justo. Há uma denúncia clara nesse texto de Isaías contra este tipo de pessoa.

Mas você que é cristã, você que é cristão, leve a sério. Leve a sério tudo o que Deus espera de você. E Deus espera nada mais, nada menos que você ame a Ele com todas as forças e ame seu próximo. Amar o próximo significa nada mais, nada menos que respeitar a vida do seu próximo, fazendo com que o que você faz promova vida na outra pessoa.

E aí eu escolhi o hino 566 do nosso Livro de Canto da IECLB. Ele é antigo... é dos anos 70, é do tempo quando aconteceu o golpe militar aqui em nosso país. E ainda tem gente que diz que não aconteceu golpe nenhum. Eu não entendo, o sujeito matou a aula naquele dia, aula de História. E matou a aula do dia-a-dia na vida do povo brasileiro. O hino diz o seguinte: “Que estou fazendo se sou cristão, se Cristo deu-me o seu perdão. Há muitos pobres sem lar
sem pão, há muitas vidas sem salvação. Meu Cristo veio para nos remir (significa salvar) o homem todo, sem dividir. Não só a alma do mal salvar, também o corpo ressuscitar. Há muita fome no meu país, há tanta gente que é infeliz. Há criancinhas que vão morrer, há tantos velhos a padecer. Milhões não sabem como escrever, milhões de olhos não sabem ler, nas trevas vivem sem perceber que são escravos de outro ser.

Aos poderosos eu vou pregar, aos homens ricos vou proclamar que a injustiça é contra Deus e a vil miséria insulta os céus. Meu Cristo veio para nos remir, o homem todo sem dividir. Não só a alma do mal salvar, também o corpo ressuscitar.

Obrigado ao Pastor Presbiteriano João Dias de Araújo por compor uma letra tão bonita. A melodia é do Décio Emerique Lauretti.

Eu desejo a você uma abençoada segunda-feira, uma abençoada semana. Faça tudo que estiver ao seu alcance para fazer o que é certo, o que é correto, o que é justo. Deus irá se alegrar muito com essas atitudes. 


Deus nos conhece! - 1 Samuel 16.7 e Salmo 139.1-4 - Pastor Jonathan Klebber - 29 de maio de 2021
 

Olá! Meus amados irmãos e amadas irmãs! Que a graça e a paz de Cristo estejam conosco! Amém.

Em algum momento você já tentou esconder algo em sua vida? Tentou aparentar algo que não é real?

Como seres humanos corremos o risco de, em algumas situações, viver a partir de aparências. Tentar esconder nossas fraquezas, nossas falhas, nossos medos, nossas imperfeições, nossos pecados... Podemos fazer isto na tentativa de agradar as outras pessoas e aparentar aquilo, fará com que sejamos aceitos. Muitas pessoas agem desta forma devido ao medo da rejeição!

Infelizmente, muitas vezes, o ser humano usa máscaras invisíveis que escondem quem ele realmente é e aquilo que carrega em seu coração!

Diante de Deus, entretanto não há nada que possamos esconder. Ele conhece quem nós realmente somos e o que carregamos em nosso coração.

Em 1 Samuel 16, no relato da unção de Davi como rei de Israel, Deus diz para Samuel que estava impressionado com um dos irmãos de Davi: “Não olhe para a sua aparência nem para a sua altura, porque eu o rejeitei. Porque o Senhor não vê como o ser humano vê. O ser humano vê o exterior, porém o Senhor vê o coração” (1 Samuel 16.7).

No Salmo 139.1-4, o salmista escreve: “Senhor, tu me sondas e me conheces. Sabes quando me sento e quando me levanto; de longe conheces os meus pensamentos. Observas o meu andar e o meu deitar e conheces todos os meus caminhos. A palavra ainda nem chegou à minha língua, e tu, Senhor, já a conheces toda.”

Deus, o nosso criador, nos conhece melhor que nós mesmos. Ele conhece nosso coração, nossos pensamentos e os caminhos pelos quais temos trilhado. Não há nada que possamos esconder dele. Ele nos conhece e sabe aquilo que precisamos e quer o melhor para nós. Por esta razão, podemos confiar nele.

Podemos confessar nossos pecados e buscar seu perdão. Podemos expressar nossos medos e fragilidades, buscando a força, o auxílio e a orientação que necessitamos a cada instante de nossas vidas.

Deus nos ama e o seu amor por nós é incondicional. Ele nos ama e acolhe apesar de nossos pecados, fraquezas e defeitos!

Oração: Deus de amor! Tu conheces nossos corações, nossos pensamentos e os caminhos pelos quais nós temos trilhado. Tu sabes que não somos pessoas perfeitas. Tu sabes que muitas vezes fazemos aquilo que é contrário à tua vontade. Mas, apesar disto, tu nos amas e nos concedes vida nova através de Cristo. Senhor, nós te pedimos: concede-nos a força, sabedoria e orientação que necessitamos. Conduza nossos passos e ensina-nos a viver conforme a tua vontade! Amém!

Benção: Que Deus te abençoe e te guarde hoje e sempre! Amém!

 


Você já recebeu uma notícia ruim? - Mateus 11.28 - PPHMista Jéssica Lais Kriese Duffeck - 28 de maio de 2021
 

Algumas notícias em nossas vidas nos pegam despreparados, despreparadas e geralmente elas mudam temporariamente ou definitivamente o nosso futuro. Você já teve alguma notícia dessas? Algum momento que mudou o seu futuro?

Quando algo assim acontece, quando a noticia é ruim, nossos objetivos mudam, chegamos muitas vezes aos nossos limites e achamos que perdemos as nossas forças. Quando os fardos vão ficando maiores e a preocupação começa a pesar sobre nós, vemos a nossa frente apenas as queixas, esquecemos da força que vem da fé.

É a Fé o que pode nos confortar, é a Fé que nos encoraja, nos inspira, é ela que nos faz ter esperanças. Esta é a nossa força em tempos difíceis. É isso que nos dá segurança em meio a uma tempestade. Essa esperança que nos carrega nos dias difíceis vem de Jesus Cristo. A nossa fé vem dEle.

Ele disse: Venham até a mim, você que está cansado, cansada, você que está sobrecarregado, sobrecarregada. Você que já perdeu as forças, venha até mim! Jesus convidou a cada um e a cada uma de nós a entregarmos a Ele tudo aquilo que está pesando em nós. Ele sempre está pronto para nos acolher, para nos segurar, para nos fortalecer.

Ele é a ressureição e a Vida. Por amor e misericórdia, Deus o fez salvação para nós. Nossa vida está em boas mãos. Ele é o nosso conforto no Vale, luz em nossa noite, nossa esperança de cura e salvação.

Se você está passando por um momento desses em sua vida desejo a você: Força em tempos difíceis, segurança em meio a uma tempestade, e que a sua esperança esteja sempre ancorada em Cristo Jesus.

Que assim Deus esteja e proteja a cada um e cada uma de nós e fortaleça a nossa fé. Amém!


Recomeçar - Lucas 18.1-8 - Pastor Gerson Acker - 27 de maio de 2021
 

Saudação: Olá meu irmão. Olá minha irmã. Que a graça e a paz de cristo esteja contigo. Amém!

Reflexão: “Veja. Não diga que a canção está perdida. Tenha Fé em Deus, tenha Fé na vida! Tente outra vez!” Canção famosa de Raul Seixas. E eu fico pensando... Tentar outra vez é um processo bastante complicado. Tem dias que a gente “tá” preparado para a batalha, mas, tem dias que tentar novamente, é gostoso. Talvez, a perseverança seja uma das qualidades cristãs mais importantes de ser cultivada. Penso agora no texto bíblico de Lucas 18, versículos 1 a 8, numa parábola contada por Jesus. Ele usa a imagem de uma viúva persistente, que insiste, continuamente, diante de um juiz para que ele julgue a causa dela.

Jesus, conta essa parábola para que os discípulos aprendam que eles não deveriam esmorecer no processo de orar. Diz assim, o versículo primeiro, do capítulo 18 de Lucas: “Jesus contou a seguinte parábola mostrando aos discípulos que deveriam orar sempre e nunca desanimar.” Penso que nós precisamos ser mais humanos e reconhecer que, sim, nós desanimamos. Mas a nossa fé é que nos motiva a fazer como Beth Carvalho canta: “a reconhecer a queda, a não desanimar, a sacudir a poeira e dar a volta por cima.”

Meu querido irmão, minha querida irmã, pensemos com carinho nesse exemplo da viúva que persevera, insistindo, buscando para que assim a gente também não desanime. Apesar agruras da vida. Tenha força, animo e Fé para recomeçar sempre que for necessário. Lembrando do mais importante, Toda vez que a gente recomeça, a gente não está começando da estaca zero, a gente já “tá” reiniciando com experiência. Pense com carinho!

Oração: Vamos Orar? Querido Deus, queremos te agradecer, por nossa vida, pela vida das pessoas que nos são importantes. Concede-nos ânimo e força para recomeçar tantas vezes quanto for necessário. Para que assim se aprimore em nós a fé a sabedoria e a experiência divina. Por cristo Jesus, Amém!

Benção: Que Deus mantenha a tua cabeça fria, o coração quente, as mãos abertas e os pés sem pressa e sem preguiça. Que assim te abençoe o Deus que é Pai, Mãe, Filho e Santo Espírito. Amém!


Palavras instruem, exemplos arrastam - Mateus 14.30 - Pastor Natanael da Silva - 26 de maio de 2021
 

“Mas, quando reparou no vento, ficou com medo e, começando a afundar, gritou: Senhor, salva-me!”. Mateus 14.30

Estamos realizando esse momento de oração em nome de Deus Pai Filho e Espirito Santo.

O Senhor Jesus Cristo aparece para os seus discípulos que estavam pescando. De longe Pedro disse, que se fosse realmente o mestre ele conseguiria atravessar por sobre água e ir na direção do mestre. Mas, todavia, quando percebe o que o vento é forte e não existe chão de terra para que ele possa pisar, ele afunda, e pede auxilio para o Senhor.

Ter fé significa vencer os medos: O Pedro estava aprendendo que confiar pode ser difícil, quando o normal não está do seu lado. Para Pedro que já tinha visto o Senhor Jesus Cristo em terra. Já tinha visto ele restaurar vidas. Agora ver Jesus Cristo demonstrando seu cuidado para com as pessoas sobre a água foi a primeira vez.

Confiar é uma atitude muito pessoal: Pedro e os outros discípulos estavam juntos. No entanto, foi o único que teve coragem de anunciar que tinha fé de que poderia andar sobre as águas. Me pergunto como os outros discípulos reagiram a essa situação. Ele não está bem! Deve ser o cansaço! Talvez essa foi a primeira tentação de Pedro, os outros não estavam conseguindo gerir a situação. Mas, no entanto, ele foi.

A fé pode deixar por um momento sentirmos solidão: A segunda tentação de Pedro agora é olhar para os lados e perceber “estou sozinho”. Mas ele tem aquela confiança que conseguira. E então o vento se apresenta e parece instalar uma desordem. O burburinho dos seus amigos ficou para trás, e apenas o vento sopra seu impetuoso vento. A confiança foi testada e não aprovada. A água começa a molhar o seu corpo. Só tem uma solução pedir ajuda para o mestre.

Pedro aprendeu uma lição a melhor atitude que uma pessoa pode ter quando enfrentar situações de conflitos é pedir ajuda ao Senhor. Mesmo que isso signifique que tenhamos de enfrentar nossos medos.

Depois que o medo se foi vamos para a próxima fase desse processo de crer no Senhor Jesus Cristo. A próxima etapa é aprender a ter esperança. Assunto para o próximo momento de oração.


Formando um corpo - João 15.12b - Missionário Felipe Milani - 25 de maio de 2021
 

Na véspera da sua morte, Jesus se ajoelhou para lavar os pés dos discípulos. Ele conhecia a dificuldade de viverem juntos e a importância do perdão e do serviço mútuo.

Jesus deseja que a vida, o amor, o serviço e perdão circulem através de nós e assim sejamos, enquanto comunidades cristãs expressão da unidade da Igreja.

Não é fácil viver juntos. Somos frequentemente colocados e colocadas diante de nossas limitações e fraquezas. Às vezes falhamos com aqueles e aquelas que estão bem perto de nós numa comunidade, paróquia ou família.

Há situações em que nossos relacionamentos se quebram completamente.

Somos convidados e convidadas, no entanto, por essa Graça que acolhe e nos reveste de compaixão, a agirmos em incontáveis recomeços se for preciso, para que esse corpo não se fragmente.

O reconhecimento de sermos amados e amadas por Deus nos move até o fim nesse imperativo do amor e assim Cristo se faz e se fará sempre presente.

Oração

Deus, nosso Pai, que revelou a nós o seu amor através de Cristo e através de nossos irmãos e irmãs. Abre nossos corações para acolhermos uns aos outros e umas às outras com nossas diferenças e vivermos em clima de perdão. Faça-nos viver unidos e unidas em um só corpo, para que venha à luz o dom que é cada pessoa. Que juntos e juntas possamos ser um reflexo do Cristo vivo em nossos contextos. Amém! 


Excelência no trabalho - Colossenses 3.23 - PPHMista Evair Tonn - 22 de maio de 2020
 

Qual é o propósito de sua vida? Você entende claramente o objetivo pelo qual está se esforçando dia após dia? Tem alegria que compensa toda essa entrega diária?

Vamos refletir sobre isso?

O apostolo Paulo, na carta que ele escreve a igreja dos Colossenses diz: Tudo o que fizerem, façam de todo o coração, como para o Senhor e não para as pessoas (Colossenses 3.23)

Paulo quer dizer que tudo aquilo que realizamos diariamente, em família, no trabalho ou qualquer outro lugar, devemos fazer bem feito, com amor e dedicação. Colocar nossa força e energia naquilo que fazemos como se estivéssemos fazendo para o Senhor Deus.

Porque uma coisa é certa: se não nos alinharmos aos propósitos do Senhor, aquilo que realizamos nunca será suficiente. Mas quando fazemos para o nosso Deus, damos sentido para nossa vida. Sendo mais fácil realizar as tarefas com alegria, independente da atividade exercida. Significa então que iremos depender e confiar no nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. Que façamos todas as coisas para Ele de todo o coração.

Oração

Senhor, te agradecemos por cuidar de cada detalhe em nossa vida. Cuidar e manter toda a criação. Agradecemos pela oportunidade contínua de executarmos tarefas e glorificarmos teu nome assim. Pelo privilégio de exercermos tarefas que ajudam as pessoas próximas de nós; pessoas essas que muitas vezes estão distantes de ti. Querido Deus, ajude-nos a fazer melhor a cada dia, fazendo todas as coisas como para o Senhor. Que o seu Santo Espírito nos guie e oriente na tarefa que tem para nós. Que possamos ser bons mordomos e cuidar bem daquilo que recebemos. Tudo isso pedimos e já agradecemos por fé, em nome de Jesus. Amém.


Você já ouvir falar de Pentecostes? - Atos 2.1-4 - Pastor Ernani Ropke - 21 de maio de 2021
 

Ao cumprir-se o dia de Pentecostes, estavam todos reunidos no mesmo lugar. De repente, veio do céu um som, como de um vento impetuoso, e encheu toda a casa onde estavam sentados. E apareceram, distribuídas entre eles, línguas, como de fogo, as quais pousaram sobre cada um deles. Todos ficaram cheios do Espírito Santo e começaram a falar em outras línguas, segundo o Espírito lhes concedia que falassem. (Atos 2.1 - 4)

Que a graça de a paz de Cristo sejam contigo nesse dia!

Você já ouviu falar de Pentecostes? Nos grupos de Ensino Confirmatório, quando faço essa pergunta, fica um silêncio geral. Raramente alguém sabe o que é Pentecostes. O que é Pentecostes para você?

O “Pentecostes” vem do grego pentēkostḗ, que significa “quinquagésimo”. A origem dessa festa é baseada em uma antiga tradição hebraica, chamada Shavuoth, que significa “Semanas”. Era uma celebração de agradecimento a Deus pela colheita realizada pelos judeus cinqüenta dias após a Páscoa. A data também homenageia a memória do dia em que Moisés recebeu de Deus as Tábuas com as Leis Sagradas, conhecidas por Torah, quando estavam no deserto rumando em direção a terra prometida. Talvez você pergunte: Ué, já existia Páscoa antes! Páscoa não é a ressurreição de Jesus! Para nós cristãos e cristãs a Páscoa é sim a ressurreição de Jesus. Mas para os judeus a Páscoa é a libertação da escravidão do Egito. Essa festa de pentecostes era tão importante que reunia em Jerusalém multidões de judeus vindos de vários países.

E é justamente nesse dia da Festa de Pentecostes dos judeus que, para nós cristãos, se cumpre a promessa de Jesus em João 14.16 “Eu pedirei ao Pai, e ele lhes dará outro Auxiliador, o Espírito da verdade, para ficar com vocês para sempre”. Pentecostes é para nós cristãos e cristãs, cinquenta dias após a Páscoa, o derramamento do Espírito Santo. Dia que Deus nos presenteia com o seu Espírito Santo.

Como diz em Atos 2.1 – 4: Ao cumprir-se o dia de Pentecostes, estavam todos reunidos no mesmo lugar. De repente, veio do céu um som, como de um vento impetuoso, e encheu toda a casa onde estavam sentados. E apareceram, distribuídas entre eles, línguas, como de fogo, as quais pousaram sobre cada um deles. Todos ficaram cheios do Espírito Santo e começaram a falar em outras línguas, segundo o Espírito lhes concedia que falassem. (Atos 2.1 - 4)

O Espírito Santo ao descer sobre os seguidores de Jesus em Jerusalém habilitou-os e animou-os para o testemunho do Cristo Ressurreto. Os discípulos, por exemplo, que durante e após a crucificação de Jesus fugiram e negaram a Cristo, trancando-se em casa com medo das autoridades, tomam, a partir da experiência de Pentecostes, a frente para proclamar publicamente que Cristo vive, que nele está a verdadeira vida.

Neste domingo, dia 23, celebraremos novamente Pentecostes. Que o Espírito Santo também toque nossas línguas para que possamos proclamar e praticar o que Cristo ensinou: o consolo, o diálogo, o perdão e a solidariedade. Que o Espírito Santo toque nossas línguas para proclamar a sua paz e não a discórdia, a intolerância e o ódio. Que o Espírito Santo toque nossas línguas para que em nossos lares palavras doces e amáveis, muitas vezes raras e estranhas, possam ser balbuciadas. Amém.

Oração:

Senhor, rogo nesse momento que o teu Santo Espírito abrace cada pessoa que nos ouve. Toca com o teu Espírito nossas línguas para que possamos espalhar ao nosso redor a esperança, a compreensão, o consolo, a paz, a justiça, o perdão e solidariedade do teu Filho. Ajuda-nos com o teu Espírito Santo nos momentos em que nos sentimos órfãos na vida. Consola e anima com o teu Santo Espírito as tantas famílias enlutadas em nossos dias. Por Jesus Cristo, nosso Salvador! Amém.

Que o Espírito Santo sopre e toque sempre os seus, os meus, os nossos lábios com palavras que consolam, orientam e fortalecem a vida! Amém.


Paciência - Gálatas 5.22-23 - Pastor Elton Pothin - 20 de maio de 2021
 

A todos que nos assistem, saúdo fraternalmente, desejando que a paz de Deus seja com cada um.

Nós realizamos esta meditação em nome de nosso Deus, Ele que é Pai, Filho e Espírito Santo. Amém.

Eu sou o pastor Elton, da Comunidade Luterana em Petrópolis e gostaria hoje de conversar com vocês sobre a PACIÊNCIA.

Inicio citando Gálatas, capítulo 5, versículo 22 e 23, onde o apóstolo Paulo diz: “Mas o Espírito de Deus produz o amor, a alegria, a paz, a PACIÊNCIA, a delicadeza, a bondade, a fidelidade, a humildade e o domínio próprio.”

A paciência é um fruto do Espírito Santo. Por isso, precisamos pedir a Deus em oração que nos dê paciência.

Lembro de um homem que estava no vigor da vida. Trabalhava, tinha sua família, fazia tudo. Um dia, acidentou-se. Estilhaçou o osso da canela. Fez a cirurgia. A primeira cirurgia não foi bem feita. Teve que ir a outra cidade, outro hospital, fazer outra cirurgia. E ficar em casa, sentado, imobilizado.

Acostumado a fazer tudo, trabalhar, sair, me contou em uma das visitas que fiz a ele que já não aguentava mais aquela situação. Ficar em casa, sentado, sem nada poder fazer.

Disse a ele que precisava ter paciência. Paciência? Mas como a gente têm paciência?

Ao que lhe disse que a paciência é um dom do Espírito Santo, que precisamos exercitar a paciência para a termos e a aperfeiçoarmos. Como?, perguntou?

Iniciei lembrando a ele Eclesiastes 3, que diz: “Tudo tem o seu tempo determinado e há tempo para todo propósito debaixo do céu.” Disse que era preciso que ele orasse diariamente pedindo a Deus o dom da paciência. E lhe expliquei que poderia também fazer um pequeno exercício: ficar todos os dias um minuto em silêncio, sem se movimentar, sem pensar em nada, sentindo somente sua respiração. Deveria fazer isso uma semana. Na semana seguinte, aumentar o tempo para três minutos. Depois, para cinco. Depois, para 10.

Um tempo depois, numa outra visita que fiz a ele, disse: “Pastor, agora eu tenho paciência. Aprendi.”

Foram três anos e meio de limitação para aquele homem até que a perna estivesse recuperada. Hoje, está trabalhando novamente. Voltou a sua vida como era antes do acidente. Com uma grande diferença: hoje ele é um homem que sabe ter paciência. E sua fé se fortaleceu.

Estamos numa pandemia onde muitos estão agitados, nervosos, impacientes. Os conflitos familiares aumentam. Todos queremos sair desta pandemia o mais rápido possível. Mas não é tão fácil. Leva tempo para controlar uma pandemia.

A isto ainda se soma o fato de que, já antes da pandemia, no nosso mundo ocidental, a impaciência reinava: todos queriam tudo para ontem. Tudo devia ser rápido. Ninguém tinha paciência para esperar.

Aprendamos de Deus: tudo tem o seu tempo determinado nesta vida. E peçamos a Deus em oração que nos dê o dom do Espírito Santo: a paciência. E ajudemos com exercícios que ajudam a desenvolver a paciência. Meditar, ficar em silêncio por alguns minutos, tranquilizar o coração.

Com certeza, nossa vida será bem melhor. Amém.


Semana de Oração pela Unidade Cristã 2021 - João 15.1-17 - Pastor Eldo Kruger - 19 de maio de 2021
 

Semana de Oração pela unidade cristã (texto transcrito com adaptações)

Desde o último domingo até o próximo, que a Igreja comemora o Dia de Pentecostes, está acontecendo a semana de Oração pela unidade dos cristãos (SOUC).

A Semana de Oração é uma iniciativa ecumênica do Pontifício Conselho para a Promoção da unidade dos Cristãos e da Comissão de Fé e Constituição do Conselho Mundial de Igrejas. É um dos maiores eventos globais realizado todos os anos que propõe o diálogo entre membros de igrejas cristãs. É uma oportunidade de aprofundar o diálogo e laços entre igrejas e movimentos sociais que se identificam com a cultura do encontro e da acolhida.

Todas as igrejas cristãs são convidadas a participar, independente do fato de fazerem ou não parte de um Conselho de Igrejas. Ano após ano, comunidades cristãs das mais diferentes tradições têm aderido às celebrações propostas pela SOUC, o que reflete que está havendo uma compreensão cada vez maior da mensagem de Cristo, que na sua oração sacerdotal, disse: Rogo para que todos sejam um, como tu, ó Pai, o és em mim, e eu em ti; que também eles sejam um em nós, para que o mundo creia que tu me enviaste. (João 17:21)

O tema da semana de oração deste ano é: “Permanecei no meu amor e produzireis muitos frutos” (João 15.5-9). Este tema dá continuidade à reflexão sobre diálogo como compromisso de amor motivado pela Campanha da Fraternidade Ecumênica 2021. Esta Semana de Oração também faz memória a todas as pessoas que perderam suas vidas em função desta pandemia. Cada uma destas vidas que se foram exigem de nós o compromisso de nos engajarmos para revertermos esta situação. Os frutos do amor que desejamos produzir precisam ser o maior senso de coletividade, zelar pela Casa Comum, a solidariedade e a superação de todas as formas de desigualdade.

A cada ano é preparado um material apresentando um cartaz, roteiros para rodas de conversa sobre o tema e propostas litúrgicas para celebrações que podem ser usadas cada dia desta semana ou ao longo do ano. Em função da pandemia da Covid-19 que exige evitar todo e qualquer tipo de aglomerações, infelizmente neste ano as igrejas não podem fazer celebração ecumênica presencial. Mas cada igreja pode fazer uso do material que neste ano está disponível sem custos no site do CONIC e usar da forma como for possível.

Além disso, a cada ano também é sugerida uma oração oficial. Quero convidar você a orar comigo esta oração:

Amado e misericordioso Deus pai e mãe, Tu nos chamas para vivermos a unidade e a reconciliação. Por isso estamos reunidas (os) para celebrar, orar, e Te louvar.

Nesta semana de oração, queremos ser tocadas (os) por Teu Amor e ao permanecer Nele, nos reconciliamos conosco e com nossas irmãs e irmãos.

Em Cristo, Teu Amado Filho, desejamos produzir bons frutos para vivermos em comunhão, restabelecendo relações de amizade, partilha e solidariedade e, assim, nos reconhecermos como irmãs e irmãos neste mundo tão dividido.

Que a Divina Ruah sopre sobre nós, iluminando-nos para que saiamos, desta semana, fortalecidas (os) na fé e no testemunho do Teu Amor. Movidas (os) por Deus e seu Filho Jesus Cristo sejamos sinal de justiça, solidariedade e paz. Amém!

Bênção: Nestes tempos de intolerância que estamos vivendo no mundo, desejo que Deus abençoe todas as pessoas que reconhecem e promovem no diálogo e na diversidade da Criação a presença amorosa de Deus. Amém!
 


SOUC 2021 - Um pouco da história e do texto internacional - João 15.1-17 - Pa. Daiane Berndt Bottcher
 

Que a graça do nosso Senhor Jesus, o amor de Deus nosso Pai e a comunhão do Espírito Santo esteja e permaneça com você também nesse dia, amém.

Do 16 ao dia 23 deste mês lembramos e celebramos a Semana de Oração pela Unidade Cristã. Este ano a semana de oração foi preparada pela Comunidade Monástica de Grandchamp. O tema que foi escolhido é bastante pertinente: - Permanecei no meu amor e produzireis muitos frutos. O tema está baseado em João 15.1-17 e expressa a vocação para a oração, reconciliação e unidade na Igreja e na família humana, presente na Comunidade de Grandchamp.

A história da Comunidade inicia na década de 1930 e hoje a comunidade tem cinquenta irmãs, cinquenta mulheres de diferentes gerações, tradições eclesiais, países e continentes. Em sua diversidade as irmãs são uma parábola viva de comunhão. Elas permanecem fiéis a uma vida de oração, vida em comunidade e acolhimento de convidados. Que são os pilares da Comunidade.

Buscar proximidade com outros, viver juntos em comunidade com outros, pessoas às vezes bem diferentes de nós, pode ser e é um desafio. Falar em unidade não é simples. Nossos corações, corpos e mentes, longe de estarem em unidade, estão muitas vezes espalhados, puxados em várias direções. Muitas destas direções pouco ou nada tem a ver com a fé cristã. Por isso, vale o convite e o desafio lançado pelo tema da Semana de Oração, feito por Jesus: Permanecei no meu amor e produzireis muitos frutos.

É apenas em Cristo, por Cristo e através de Cristo que conseguiremos verdadeira unidade, Ele precisa estar (e está) acima de nossas diferenças. É apenas Nele, por Sua graça que conseguiremos permanecer em Seu amor e produzir muitos frutos, sem Ele nada somos nem podemos fazer.

Pensando no desafio que é viver em comunidade, e buscar a unidade deixo o ensinamento do irmão Roger de Taizé, que foi muito útil para as irmãs de Grandchamp: “Não há amizade sem sofrimento purificador. Não há amor ao nosso próximo sem cruz. Só a cruz nos permite conhecer a incompreensível profundidade do amor”.

Que possamos refletir sobre isso, e nos dar conta de que divisões entre cristãos, que se afastam uns dos outros, são um escândalo porque nos afastam também de Deus. Que possamos permanecer no amor de Cristo, buscar a unidade, produzir muitos frutos e com eles glorificar a Deus. Que assim seja, amém.

Oremos: Amado Deus e Pai confessamos que muitas vezes não nos empenhamos na busca pela unidade, perdoa-nos quando nosso egoísmo fala mais alto, quando priorizamos nossas diferenças ao invés de Cristo que nos une. Nos ajude a permanecer no Teu amor para que assim sejamos capazes de produzir frutos para Tua honra e glória, por Cristo nosso Senhor e Salvador, amém.


Saber portar-se na adversidade - Romanos 5.3 - Pastor Astor Albrecht - 17 de maio de 2021
 

A graça e a paz de Jesus, nosso Senhor, estejam com vocês.

Em Romanos 5.3 lemos: “E não somente isto, mas também nos gloriamos nas próprias tribulações”. Nós estamos sujeitos à adversidade. Por exemplo: o desemprego, conflito familiar, enfermidade, pessoas querendo prejudicar, acidente. Paulo cita tribulações, o termo grego significa opressão, aflição, adversidade, circunstâncias difíceis. Com certeza não achamos nada bom quando momentos assim confrontam a nossa vida.

Podemos pensar nas causas da adversidade. A imprudência pode trazer tempos difíceis. Em Oséias 8.7 lemos: “Eles semearam ventos e colherão tempestades”. Tomar uma atitude errada, palavra precipitada, ação fora da vontade de Deus e eis a luta chegando! Fez o que não devia, envolveu-se com pessoas erradas, foi a lugares que não deveria ir! Vem fruto amargo!

A adversidade também pode acontecer por permissão de Deus. E porque ele permite? Em razão do pecado. Há quem cai em pecado e se acostuma com ele. Não deixa práticas erradas e más e não confessa ao Senhor o seu pecado. “Quem tenta esconder os seus pecados não terá sucesso na vida, mas Deus tem misericórdia de quem confessa os seus pecados e os abandona” (Provérbios 28.13). Neste caso, a adversidade é o meio que Deus usa para que a pessoa abra os olhos e acerte o seu caminho. Tem ainda a frieza. A adversidade surge quando a pessoa se mostra fria e indiferente às coisas de Deus. Tá com grana, paga as contas, cercado de coisas boas e já não precisa de Deus. A adversidade mostra que nós carecemos de Deus. Lembro ainda as muitas bênçãos. “Quem está com o estômago cheio rejeita até o mel; mas, para quem está com fome, até a comida amarga é doce” (Provérbios 27.7). Na dificuldade busca-se por Deus; quando alcança a bênção logo se esquece. E tem a pessoa cristã fiel e ainda assim as lutas surgem. Aqui é Deus que quer fortalecer, levantar, erguer seu servo e serva. E Deus é bom, porquanto ele faz isso tão somente de acordo com a medida que podemos suportar. Ele põe limite na tribulação.

Uma tribulação deveria se tornar algo que nos faça crescer e conhecer a Deus de um modo novo e pessoal. De uma maneira em que nós mesmos somos transformados para melhor. Creia que no tempo certo o Senhor transformará o mal em bem, tribulação em bênção. Ele tem poder e pode fazer de você um vencedor em tempo de tribulação. Ouça o testemunho do salmista: “Este pobre homem clamou, e o Senhor o ouviu; e o libertou de todas as suas tribulações” (Salmo 34.6). A pessoa que crê em Jesus como seu Salvador deve contar com ele. Há sempre uma grande diferença entre a pessoa que crê no forte nome do Senhor e daquela que quer se virar com suas próprias forças. Segurando a mão de Deus nas tribulações seremos pessoas mais perseverantes e que têm paciência.

Ainda que adversidades surjam ao longo do caminho, nunca deixe de olhar para o Senhor como aquele que ao teu lado está. Ele sempre vai estar no comando. Portanto, confie nele. Amém.


Bons hinos - Mateus 26.30 - P. Alberi Neumann - 15 de maio de 2021
 

Que a graca, a paz e o amor de Deus sejam com todos e todas nós. Amém.

No evangelho de Mateus 26.30, lemos: Tendo Jesus e os seus discípulos cantado um hino, saíram para o monte das Oliveiras.

Temos aqui o relato de que Jesus cantou com os seus discípulos. E isso se deu na quinta-feira à noite, que chamamos de quinta-feira da Paixão, no contexto da instituição da Ceia.
Jesus cantou com seus discípulos!

Eu sempre gostei de cantar ou ouvir bons hinos. Mas o que são bons hinos?

Bons hinos pra mim tem uma boa melodia e um bom conteúdo em sua letra!

E agora um destaque sobre o conteúdo da letra: o conteúdo precisa estar muito alinhada com a Palavra de Deus, ou seja, com a vida e o ministério de Jesus Cristo, a saber, alinhado com o seu evangelho. Um conteúdo que ensina Cristo, que o louva, que o coloca sempre no centro de nossas vidas.

Assim, para mim bons hinos tem boas melodias e bom conteúdo em suas letras. Não costumo cantar por cantar. Ou cantar sem crer no que canto. Para mim, o canto também é uma Confissão de fé ou uma oração.

Nestes tempos de distanciamento social e de saudades dos Cultos presenciais, eu trago comigo um hino que tem uma boa melodia, um bom conteúdo em sua letra e é uma linda oração. Ouçamos, oremos, cantemos juntos/as:

1. Se as águas do mar da vida quiserem te afogar,
segura na mão de Deus e vai.
Se as tristezas desta lida quiserem te sufocar,
segura na mão de Deus e vai.

Segura na mão de Deus, segura na mão de Deus,
pois ela, ela te sustentará.
Não temas, segue adiante, e não olhes para trás,
Segura na mão de Deus e vai.

2. Se a jornada é pesada e te cansas da caminhada,
segura na mão de Deus e vai.
Orando, jejuando, confiando e confessando:
Segura na mão de Deus e vai.

3. O Espírito do Senhor sempre te revestirá;
segura na mão de Deus e vai.
Jesus Cristo prometeu que jamais te deixará:
Segura na mão de Deus e vai.

 

Autoria da letra e da melodia: Nelson Monteiro da Motta  


Exaltação a Deus - Salmo 103.19; Apocalipse 19.6-7 - P. Luis Carlos Oliveira - 14 de maio de 2021
 

Bom dia a todas e todos! Paz e bem a vocês.

Que este dia esteja na mão do Senhor nosso Deus.
Quero compartilhar um momento de reflexão com vocês nesta manhã. É uma alegria podermos iniciar nosso dia em comunhão com Deus e entre nós.
Uso para este momento as senhas diárias de hoje, 14.05.2021

Salmo 103.19: O Senhor estabeleceu o seu trono nos céus, e como rei domina sobre tudo o que existe.
Apocalipse 19.6-7: Aleluia! Pois o Senhor, nosso Deus, o Todo-Poderoso, é Rei! Fiquemos alegres e felizes! Louvemos a sua glória!

O salmista exalta a Deus como o Senhor da terra e do mundo. Afirma que Ele estabeleceu seu reinado e se colocou sobre tudo e todos. A imagem de ter seu trono no céu caracteriza pleno poder sobre a terra. Ninguém há que esteja à sua altura e assim tudo está sob seu olhar e seu poder. Para a cosmovisão da época o fato de ter seu trono no céu dava a Deus a capacidade de ver tudo, controlar tudo e cuidar de tudo. Isso trazia paz e segurança aos que confiavam no Senhor, pois Ele tinha a última palavra sobre tudo. Diante das dificuldades o povo de Israel poderia, e deveria, confiar que o Senhor o conduzia com sua mão forte e misericordiosa. Nenhum perigo, por mais tempo que durasse, poderia enfrentar a força de Deus e tudo tinha o desfecho que Ele determinava. Martinho Lute7ro, de certa forma, usava esta mesma figura de Deus sobre tudo e todos, para dizer que Ele só poderia olhar para baixo, era “obrigado” a olhar para baixo, e assim não teria como desviar seu olhar de nós e ver nossas carências, fragilidades e necessidades. Esta figura é muito importante e significativa, pois nos dá a certeza do cuidado de Deus sobre nós.

A passagem de Apocalipse nos remete a esta certeza do cuidado de Deus. O fato de Ele estar sobre tudo e todos e ser Rei nos traz a alegria para a vida; nos traz força e motivação para continuar a caminhada cristã. A certeza da vitória final do nosso rei nos ajuda a enfrentar com mais firmeza as dificuldades que se nos acometem. Louvado seja Deus que nos acolhe em nossas dificuldades e mantém a nossa alegria da vida. Nossa oração é de louvor e adoração a Deus por causa de seu poder que é para nosso bem. Por isso podemos dizer como a multidão que louvará o nome de Deus, conforme o livro do Apocalipse: “Aleluia! Pois o Senhor, nosso Deus, o Todo-Poderoso, é Rei! Fiquemos alegres e felizes! Louvemos a sua glória!” O Senhor é digno de todo louvor, adoração e gratidão. Louvemos sempre o poder e a ação de nosso Deus e Senhor. Confiemos que o Senhor quer o nosso bem sempre e vai nos levar segundo a sua bondosa vontade. Tenham todas e todos um agradável dia sob a mão do Senhor. Um bom dia e fiquem com Deus.


Ascensão - Atos 1. 9-11 - Tiago Schroder - 13 de maio de 2021
 

“Que a graça do nosso Senhor Jesus Cristo, o amor de Deus e a comunhão do Espírito Santo estejam com todas e todos vocês!”

Para quem gosta de ler as Senhas Diárias todos os dias, vai perceber que hoje, 13 de maio, lembramos do dia da ascensão do Senhor, 40 dias após a Páscoa. Normalmente, costumamos lembrar desse acontecido sem perceber, quando professamos nossas crenças dizendo “subiu ao céu, e está sentado à direita de Deus Pai, todo-poderoso.”

A ascensão de Jesus é, assim como a Páscoa, sinal da sua vitória sobre a morte, motivo de louvor e esperança para nós, seus discípulos e discípulas. E isto deve também nos levar a caminhar na mesma direção, cumprindo a missão que Jesus nos deixou, de anunciar o Evangelho, sendo suas testemunhas até os confins da terra (Atos 1,8). Testemunhas que anunciam o Evangelho com palavras e ações, animadas e animados pelo Espírito prometido por Ele.

Vale lembrar ainda, que a ascensão de Jesus Cristo para nós, pessoas cristãs, é um dos principais eventos da vida de Jesus, juntamente com o Batismo, Crucificação e Ressurreição, já que, a partir desse momento, Jesus deixa de ter uma vida terrena e passa a ter uma vida celestial “sentado à direita de Deus Pai todo -poderoso.” Ele cumpriu até o fim a missão que o Pai lhe confiou. Agora Ele volta para o Pai, após ter nos ensinado a percorrer o caminho que nos levará de volta para Deus, e Ele próprio faz o caminho – “ninguém vai ao Pai, senão por mim” (Jo 14,6).

Com isso, queridas irmãs, queridos irmãos, não tenhamos medo! Ainda que com os olhos da carne não possamos contemplar Aquele que é o nosso Senhor e reina sobre tudo, sustentados pelo Espírito Santo e com os olhos da fé, temos a certeza que este mundo e nossa vida têm um sentido e são conduzidos pelo Crucificado que foi glorificado à direita do Pai!

Renovemos o nosso ânimo e recordemos que o Senhor nos convida a voltar cheios de alegria, como os apóstolos, e sermos suas testemunhas em toda a terra. Sejamos fiéis ao mandato do Senhor, fortalecidas e fortalecidos pela esperança que a data de hoje suscita em nós. É assim que glorificaremos o Cristo, bendito para todo o sempre. Amém.


Sobre rir e sorrir - Lucas 6.21 - Ministro Candidato Éder Behling - 12 de maio de 2021

 

“Bem-aventurados vocês, que agora têm fome, pois serão satisfeitos. Bem-aventurados vocês, que agora choram, pois haverão de rir.” Lucas 6.21

Essas palavras bíblicas nos lembram que estamos com fome, não somente a fome física, da falta de alimentos, de um teto, de ter o básico para viver, ou como diria Lutero, na Explicação sobre a petição do Pai-Nosso, quando pedimos: “O pão nosso de cada nos de hoje”, precisamos de “tudo o que se refere ao sustento e às necessidades da vida.”

São várias as necessidades da vida, além das que foram mencionadas acima. Rir também é uma delas. E é por isso que o Evangelista registra também o riso. “Bem-aventurados vocês, que agora choram, pois haverão de rir”.

Como país, somos conhecidos pela nossa alegria, nosso riso, nosso jeito alegre e vivo de ser. Não é assim que estamos vivendo nos últimos meses. Nossa capacidade de rir e sorriu deu lugar à dor e ao sofrimento que advém de tantas mortes evitáveis em função do COVID. Vivemos um tempo de luto, um grande luto coletivo, não há em qualquer lugar do país inteiro uma única pessoa que não tenha sofrido direta e indiretamente alguma perda. Como rir diante da morte de tantas mães, pais, amigos, amigas, tios, sobrinhos, primas, enfim, uma quantidade de pessoas que não são só uma catalogação de relações familiares. Cada pessoa é importante e cada pessoa importa.

Como rir? Como sorrir? Como voltar a ser o país do carnaval? Da alegria?

Na igreja, a muito tempo se perdeu uma tradição importante do riso no âmbito do culto ou da missa. Vocês já ouviriam falar do Riso Pascal?

Essa tradição começou na Baviera, e perdurou por mais de mil anos, e foi se perdendo. Sendo que deve ter durado até 1911. O riso pascal, como o próprio nome já indica, ocorria no Domingo da Páscoa, mas não só. E era uma forma da comunidade poder voltar a se alegrar após o período de penitência e preparação para a Páscoa. O objetivo principal do riso pascal era fazer as pessoas rirem e sorrirem. Para isso, o sacerdote contava piadas, anedotas no qual se contavam histórias com caráter popular, popularesco e até obsceno. E isso era feito para “expressar a vida nova inaugurada pela Ressurreição”,1 e assim rir de tudo aquilo que se coloca contra a vontade de Deus, contra a vontade da vida e da ação de Deus.

Na Bíblia podemos encontrar o riso sob diversas formas.

“No Antigo Testamento, o riso aparece em momentos de remissão [de perdão e de perdoar]. Assim é com o riso de Abraão e Sara, que riram ao receber a notícia do cumprimento da promessa de um filho na velhice (Gn 17.17). O sorriso do Senhor é sinal de benção (Nm 6.25); um coração alegre é remédio contra as doenças (Provérbios 17.22); as festas santas deveriam ser regradas por risadas efusivas (1RS 1.40); e a alegria se transforma em exaltação pela salvação (Hc 3.18), por que a risada do Senhor “é a vossa força” (Neemias 8.10). No Novo Testamento, a orientação é “Regozijai-vos sempre no Senhor; outra vez digo, regozijai-vos” (Fl 4.4); pois é assim que o sinal da benção aparece para aqueles que testemunham que “[...] os discípulos estavam cheios de alegria e do Espírito Santo” (At 13.52).”2

Como rir diante de tantas injustiças? Tantas mortes? Tanta violência? Tanto sofrimento?

O riso pode ser algo libertador. Porque, o humor nos faz refletir sobre aquilo que realmente é importante. Não rimos das coisas que não são importantes. Rimos daquilo que nos é importante e que requer de nós uma conversão, uma mudança de perspectiva e de olhar. Não rimos somente para rir. Nós rimos porque o humor quanto feito com responsabilidade nos faz refletir sobre a nossa situação, e de como ela é cômica diante da tragédia que vivemos. Cômica porque ela poderia ser diferente, se tivéssemos feitos outras escolhas ou tomado uma outra ação, é o riso justamente zomba daquilo que podemos fazer de forma diferente.

Como nos lembra o agora saudoso Paulo Gustavo, pai, marido, filho, amigo, sobrinho, primo “rir é um ato de resistência”.

Que diante de tantas barbaridades e sofrimento possamos nos sentir “bem-aventurados”, ou traduzindo essa palavra de uma outra forma, que nós nos sintamos “salvos” por Deus quando nos faltar o motivo para o riso. E que ao mesmo tempo sejamos tão “bem-aventurados” para poder sorrir e rir, após enxugarmos dos nossos olhos todas as lágrimas (Ap 21.4).

E como nos lembra Provérbios: “Mesmo no riso o coração pode sofrer, e a alegria pode terminar em tristeza.” Provérbios 14.13

Hoje estamos tristes, com saudades, mas o Senhor há de nos dar o motivo para voltar a sorrir e a rir em meio ao coração sofredor.


Os pés e o que calçamos neles - Isaías 52.7 - Pastor Rolf Rieck - 10 de maio de 2021
 

O que o ser humano faz se parece com seus pés. Às vezes estão descalços e outras vezes estão protegidos por algum calçado. Nós estamos vivendo um tempo em que provavelmente nossos pés estão trabalhando menos. Provavelmente também estamos economizando calçados. Pés descalços nos fazem lembrar descanso, estar relaxados, fazer uso do conforto natural. Mas nem sempre pode ser assim. Usamos sandálias que ventilam os pés quando está calor e usamos calçado fechado quando faz frio. Sandálias de tiras são adequadas para lavar uma calçada e galochas são indicadas para dias de chuva. Sapato leve para caminhadas e o tênis adequado para a corrida ou para algum jogo. Calçados de segurança são necessários em obras onde sempre há o perigo de algo cair sobre os pés. Sapatos finos, de couro, ou de salto alto, são os que se destacam em ocasiões formais. Para cada ocasião uma forma de cobrir e proteger os pés.

Mas o calçado nada significa sem os pés. Ele foi feito para os pés e não para os armários. Também o ser humano nada é sem a relação com o outro. Seres humanos interagem sempre com outros humanos. Nada se faz de bom ou ruim, de bonito ou feio, de extraordinário ou odioso sem que isso tenha a ver com a nosso relacionamento com outras pessoas. O ser e o fazer tem relação direta com as pessoas com as quais convivemos. Isso acontece da mesma forma como nosso calçado espera pelos nossos pés para que sirvam na sua função.

Para onde levam nossos pés calçados? Usamos a proteção adequada para cada momento? Sentimos falta de algum calçado mais adequado? Corremos perigo em calçar algum sapato que não está de acordo com o terreno que pisamos ou com aquilo que nos propomos a fazer? Que esforço desnecessário fazemos quando não damos atenção ao que fazem e a como fazem os nossos pés?

O profeta Isaías fala de um tema muito interessante. Fala dos pés bem calçados.

“Como são belos nos montes os pés daqueles que anunciam boas novas, que proclamam a paz, que trazem boas notícias, que proclamam salvação, que dizem a Sião: ‘O seu Deus reina!’”. (Isaías 52.7)

Sou como os calçados que uso nos meus pés, e gostaria que Deus cuidasse destes pés e de cada passo que dou diariamente. A força e o amor de Deus, revelados em Jesus Cristo, me fazem mover os pés como os que calçam calçados seguros e firmes; sabem exatamente onde querem chegar e estão preparados.
 


Perdão! - Mateus 18.21-22 - Pastor Natanael da Silva - 08 de maio de 2021
 

“Então, Pedro, aproximando-se, lhe perguntou: Senhor, até quantas vezes meu irmão pecará contra mim, que eu lhe perdoe? Até sete vezes? Respondeu-lhe Jesus: Não te digo que até sete vezes, mas até setenta vezes sete”.

Graça e Paz! Estamos realizando esse momento em nome do Deus Pai Filho Espirito Santo. Amém

Os versos bíblicos tratam de um tema muito importante. Como viver a vida que é um presente de Deus.

O contexto da fala de Pedro está dentro do ensinamento que o senhor Jesus Cristo vinha fazendo com seus discípulos. Ele fala e esclarece sobre o reino dos céus, onde os seres humanos serão tratados de forma igualitária, mas respeitando suas identidades. Por isso o conselho de como tratar uma pessoa dentro de uma comunidade. Se um irmão pecar em palavras e ações, vai conversar com ele. Se ele não te ouvir arrume testemunhas e exorta. Todavia se não ouvir considerai como longe do caminho (18.18).

Após ouvir essas palavras Pedro se aproxima do Senhor e pergunta: quantas vezes devo perdoar alguém que está me pisando o calcanhar. “Até sete vezes?”. Para entender a resposta que o Senhor Jesus Cristo oferece a Pedro é necessário entender qual o conceito que ele possuía sobre o ser humano.

• O ser humano foi criado a imagem e semelhança de Deus (Gn 1.26).

• O ser humano é possui glória e honra conferida pelo próprio Deus (Sl 8.5).

• O ser humano é a menina dos olhos de Deus (Zc 2.8).

Esses versos dizem respeito a humanidade, logo cada um que a compõe é uma parte muito necessária para Deus. Esclarecido qual o conceito, voltamos agora para Jesus Cristo e Pedro.

A pergunta de Pedro revela que essas verdades ainda não estavam claras. Pois o perdão é algo profundo e processual. E facilmente pode ser distorcido. O perdão só pode ser oferecido por alguém que é maior. (Bert Hellinger. Ordens do amor; Editora Cultrix).

Para Bert, o perdão quem pode oferece é Deus, pois está acima da criação. Só pedimos perdão para quem está acima. Logo, quando o ser humano assume essa tarefa, facilmente pode incorrer num erro que nem sempre pode estar claro. Muitas vezes aquele que perdoa, está se colocando acima do que foi perdoado. E o perdoado fica abaixo daquele que lhe perdoou. Assim cria um sistema perigoso, pois a comunhão é mantida a partir de um jogo entre forte e fraco. Aquele que tiver mais força, falar bem, ter poder dentro da comunhão é o melhor. Agora, aquele que já está com baixa auto estima terá dias ruins e cada vez pior. Por causa disso o senhor Jesus Cristo diz a Pedro: “Não te digo que até sete vezes, mas até setenta vezes sete”. Não há um numero que indique quanto uma pessoa deve ser perdoada, mas sim um sequencia ou processo onde a cada dia o ser humano trata ao outro com respeito e dignidade.

Que o Senhor Deus acrescente aos nossos dias o seu amor. Amém.


Encontrar-se com Deus em oração! - Salmo 138.3 - Pastor Marcos Jair Ebeling - 07 de maio de 2021
 

Irmãos e irmãs na fé, graça e paz!

No Salmo 138.3 lemos: “Quando te chamei, tu me respondeste e, com o teu poder, aumentaste as minhas forças.”

Davi era homem de fé. Na fraqueza da vida clamou a Deus. Em resposta Deus o cuidou. O cuidado veio em forma de forças para que pudesse continuar a jornada da vida. Davi, ao orar, recebeu a ajuda decisiva de Deus pois os problemas ganharam também o senhorio de Deus.

Cada um e cada uma de nós tem os seus problemas. São problemas pessoais, da família, da Igreja e também da sociedade. Por vezes são tantos que “me sufocam”, dizemos.

A palavra pastoral de hoje recomenda fazer o que Davi fez. Clamar a Deus em oração e colocar sob o senhorio dele todos os problemas.

Viver a esperança de que Deus responderá à oração com gestos de cuidado, forças e a solidariedade necessárias para a continuidade da caminhada da tua vida. Nada faltará e a missão a ti confiada se cumprirá.

Creio que Deus responde todas as orações feitas. Talvez não no tempo da nossa ansiedade ou da forma como desejamos. Mas certamente com o que precisamos pois enquanto nós queremos resolver os problemas imediatos Deus nos conduz por toda a vida e sabe o que precisaremos lá na frente.

Oremos: Amado Deus. Nós invocamos o teu nome e colocamos em teu senhorio os problemas que temos na família, na igreja e no nosso país. Estende tua mão graciosa e misericordiosa sobre eles e sobre nós. Não pedimos que os resolvas de forma mágica, mas que nos dês o cuidado, a força e a perseverança necessárias para superar cada um deles. Contigo, Senhor, será possível. Em nome de Jesus Cristo, amém.

Deus te abençoe. E ao fazê-lo mantenha sua vida aberta e seu coração receptivo para o que Cristo tem a oferecer. Amém.


Deus provê o que você e eu necessitamos! - Lc 12.22-24 - Pastor Klaus Dieter Wirth - 06 de maio de 2021

Querida irmã, querido irmão em Cristo!

É um prazer novamente poder participar junto com você da Oração do Dia, aqui do Sínodo Sudeste da nossa Igreja Luterana - IECLB.

Que a Graça do nosso Senhor Jesus Cristo, o grande amor de Deus o Pai, a comunhão do Espírito Santo seja com você, seja comigo, seja com todas as pessoas que agora se juntam para ouvir esta palavra.

Eu quero meditar rapidamente com você sobre dois versículos bíblicos. Eles falam do nosso alimento no nosso prato dia após dia. Lá do Salmo 145.15 e 16 podemos ler: “Todos os seres vivos olham para Ele com esperança, e Ele dá alimento a todos no tempo certo. Quando os alimenta, o SENHOR Deus é generoso”. Do Novo Testamento, os versículos estão lá no Evangelista Lucas 12.22 a 24 e diz o seguinte: “Não se preocupem com a comida que precisam para viver, nem com a roupa que precisam para se vestir, pois a vida é muito mais importante do que a comida e o corpo é muito mais importante do que as roupas; vejam os corvos: não semeiam, nem colhem, não tem despensas, nem depósitos, mas Deus dá de comer a eles. Será que vocês não valem muito mais do que os pássaros?”.

Pegando esses dois versículos bíblicos lá do Evangelista Lucas fora do contexto, torna-se uma palavra que eu, Klaus, iria discordar de Jesus Cristo, se Ele falasse algo como: “Olha! Não se preocupem com a comida, ela vai aparecer no prato de vocês!”. Não! Não é esse o intuito de Jesus quando Ele diz isso, de jeito nenhum. Jesus jamais diria uma coisa dessas.

A gente precisa olhar para o contexto que Ele vai dizer isso. Logo antes dessa fala Jesus conta uma parábola, e antes de contar a parábola, lá no versículo 15, Ele vai dizer o seguinte: “Tenham cuidado com todo tipo de avareza, porque a verdadeira vida de uma pessoa não depende das coisas que ela tem, mesmo que sejam muitas”. Jesus já conhecia esta expressão, hoje muito usada: o importante não é ter, mas ser! E é verdade, é uma verdade absoluta!

Mas depois dessa frase, Jesus vai contar uma parábola, e nesta parábola conta a história de um homem rico que fez uma colheita fantástica. Eu gostaria que você lê-se essa parábola, você vai perceber que antes de todos os verbos que aparecem lá você vai poder colocar um eu na frente, porque a história toda gira na primeira pessoa do singular: “eu”, “eu”, “para mim”, “meu” e assim por diante. Esse homem só conseguia olhar para si mesmo, para o seu próprio umbigo.

Ele não sabia esticar os olhos para frente, ele só olhava para si. E aí, o que acontece depois que ele fez uma colheita fantástica... vai construir silos maiores ainda... o que vai acontecer? Ele vai bater as botas, ele vai morrer. E é em cima desse contexto que Jesus trazer para nós esses dois versículos bíblicos sobre não se preocupar com a comida de cada dia, a roupa de cada dia, porque Deus vai cuidar disso.

Eu acredito que Deus cuida disso, simplesmente porque Ele faz com que pessoas, diferentes deste homem da parábola, sejam pessoas que olham para frente, olham para o lado e percebam as necessidades uns dos outros. Quando nós conseguimos olhar para os lados, para frente e perceber que as outras pessoas têm suas necessidades e que precisam ser saciadas, Deus vai agir na vida dessas pessoas através de nós, que olhamos para o lado, que percebemos as necessidades.

Eu gostaria de contar para você rapidamente uma história real que aconteceu a poucos dias atrás. Nós estamos com uma campanha muito bonita da cesta solidária, Páscoa solidária, Pentecostes solidário, tanto faz o nome da campanha.

É para arrecadar cestas, e teve então uma senhora que veio buscar uma cesta básica aqui com a Noeme, na Igreja. E ela contou para a Noeme a seguinte história: Ela passou a noite ajoelhada orando pedindo que Deus fizesse com que tivesse comida no dia seguinte porque ela não tinha mais nada. Gente! Eu nunca fiz isso, eu não conssigo nem entender que alguém possa chegar a esse limite, mas infelizmente muitas, mas muitas pessoas estão nesse limite, de não conseguir saber se amanhã terei algo para botar no prato da minha filha, do meu filho, no meu próprio prato. Sim, aí essa mulher acordou e foi olhar no celular e tinha uma mensagem da Noeme para ela vir aqui na Igreja buscar uma cesta básica para a família dela. Olha! Quando a Noeme escutou essa história, a Noeme disse que ficou arrepiada, eu também fico arrepiado a você também fica arrepiado. Por que? Porque simplesmente Deus saciou as necessidades, a fome dessa mulher e de seus familiares, através daqui da nossa Igreja, através do Projeto, através das pessoas que doaram recursos para que pudéssemos comprar cestas básicas.

Eu gostaria de lembrar você que esse texto que eu li depois da parábola e depois daquele “tenham cuidado com todo tipo de avareza” Jesus também vai ter outro versículo bíblico muito parecido com “buscai primeiro o Reino de Deus e todas as outras coisas vos serão acrescentadas!”... na sua vida. Sim, eu quero afirmar para você: Deus sacia as nossas necessidades, mas Ele não faz chover lá do céu. Ele vai usar outras pessoas, assim como Ele quer usar você para saciar as necessidades das pessoas que estão ao seu redor na vida do dia-a-dia, pessoas conhecidas ou talvez desconhecidas.

Que a gente permita que Deus nos use e que a gente não seja como esse homem avarento da parábola que só pensa nele mesmo, no “eu”, “eu”, “eu”. Que a gente consiga fazer o pronome primeira pessoa do plural falar mais alto, o “nós”. Olha que coisa mais linda: em vez de “eu, eu, eu”, “nós, nós, nós”, ou então ser capaz de “você”. Que a gente possa ser cristãs e cristãos extremamente responsáveis com o título que a gente carrega “cristã” ou “cristão”, e que faça através de Deus o bem às pessoas que nos cercam.

Um beijo no seu coração.

 


Não esqueça o que Deus faz por você! - Salmo 103.2 - Pastor Jonathan Klebber - 04 de maio de 2021
 

Olá! Meus amados irmãos e amadas irmãs! Que a graça e a paz de Cristo estejam conosco! Amém.

Certa vez eu ouvi uma história que falava a respeito de um homem que queria vender o sítio onde morava.

Certo dia, ele encontrou-se com um amigo, que era um grande poeta, e disse: – Olá, meu amigo! Como é bom encontrá-lo! Eu estava pensando em você.

Eu vou vender o meu sítio, que você conhece tão bem. Você poderia escrever para mim o anúncio do jornal?

O amigo poeta pergunta: - Por que você quer vender o sítio?

O homem responde: - Eu estou cansado daquele lugar. É um lugar chato e monótono. Não há nada especial lá. Quero me mudar para um lugar especial onde eu e minha família sejamos felizes.

O poeta, prontamente, pegou um papel e escreveu: “Vende-se encantadora propriedade, onde cantam os pássaros ao amanhecer no extenso arvoredo, cortada por águas cristalinas de um ribeiro. A casa banhada pelo sol nascente oferece a sombra tranquila das tardes, na varanda”.

O homem respondeu: – Ficou ótimo, meu amigo. Eu sabia que ninguém poderia fazer um anúncio melhor que você. Obrigado.

Meses depois, os dois se reencontraram e o poeta perguntou ao homem se já havia conseguido vender o sítio.

Ele responde: – Nem penso mais nisso, meu amigo. Quando cheguei em casa e li o anúncio para a minha esposa lembramos de coisas que havíamos esquecido. Redescobrimos o quão especial é o lugar onde estamos!

Meus amados irmãos e amadas irmãs!

Em nossa vida, muitas vezes, nós não enxergamos e valorizamos tudo aquilo que Deus tem feito por nós. Às vezes nós não lembramos do seu amor e seu cuidado que estão ao nosso lado a cada instante.

No Salmo 103.2 está escrito: “Que todo o meu ser louve o SENHOR, e que eu não esqueça nenhuma das suas bênçãos!”

A palavra de Deus nos desafia a louvarmos a Deus e não esquecermos nenhuma das bençãos que Ele nos concede. Quais são as bençãos que tem te presenteado? Quais são as razões pelas quais você louva a Deus?

Certamente nós temos muitas razões para louvar e agradecer a Deus: nossa vida, nossa família, nossos amigos, o pão nosso de cada dia, o consolo, o cuidado, a proteção que Deus nos concede e seu infinito amor revelado em Cristo.

Que Deus nos capacite diariamente a não esquecermos aquilo que Ele tem feito por nós!

Oração: Deus de amor! Graças te damos porque tu és amoroso e bondoso. Tu te importas conosco e caminhas ao nosso lado nos bons e maus momentos da vida. Capacita-nos, Senhor, para lembrarmos diariamente tudo o que tu fazes por nós e concede-nos um coração que te louva e agradece por todas as bençãos que tu nos dás. Amém!

Benção: Que Deus te abençoe e te guarde hoje e sempre! Amém!


A vida é preciosa - Salmo 150.6 - PPHMista Jéssica Lais Kriese Duffeck - 03 de maio de 2021

Tudo o que tem vida louve o Senhor! Aleluia! (Salmo 150.6)

A vida é um presente maravilhoso que Deus nos dá, por isso é necessário viver de forma equilibrada. Trabalhar é bom e necessário, mas o descanso, o lazer, o tempo em família de qualidade e o convívio são vitais. O trabalho deve estar a serviço da vida e não o contrário.

“Imagine que a vida é um jogo e que você está equilibrando cinco bolas no ar. Vamos chama-las de trabalho, família, saúde, amigos e vida de fé. Você está conseguindo manter todas no ar. Não demora muito e você descobre que o trabalho é uma bola de borracha. Se deixar cair ela bate e volta. Mas as outras quatro bolas, família, saúde, amigos e vida de fé – são feitas de vidro. Se deixar uma delas cair, elas ficarão arranhadas, trincadas, danificadas, se não quebradas. Elas poderão nunca mais ser as mesmas”

Conto esta ilustração para você refletir onde você está investindo o seu tempo e a sua vida. Não deixe aquilo que é realmente importante para você para depois. Aproveite o tempo de descanso, o tempo livre com aquilo que é importante e imprescindível na sua vida.

Tire um tempo essa semana para fazer algo que você ame, algo que faça o seu coração bater mais forte. Lembre-se que a felicidade está presente nos detalhes do dia a dia.

Que assim Deus nos ajude a ter um trabalho dignificado, o descanso merecido, responsabilidade sobre o nosso tempo, e que consigamos tirar tempo para aquilo que realmente é importante. Amém!

Que Deus te proteja e te acompanhe nesse início de semana! Amém!

Fiquem em paz, na certeza de que Deus está contigo!


Oração de Tomás de Aquino - Pastor Gerson Acker - 01 de maio de 2021

Saudação: Olá irmão! Olá irmã! Que a graça e a paz de Jesus Cristo estejam conosco. Amém.

Mensagem: Partilho uma oração escrita por Tomás de Aquino:

Que eu chegue a ti, Senhor,
Por um caminho reto e seguro,
Caminho que não se desvie entre prosperidades ou adversidades,
De tal forma que eu te dê graças nas horas prósperas
E nas adversas conserve a paciência
Não me deixando exaltar pelas primeiras,
Nem abater-me pelas outras.
Que nada me alegre ou entristeça,
Exceto o que me conduz a ti ou o que de ti me separe.
Que eu não deseje agradar ou não receie desagradar a ninguém senão a ti.
Tudo o que passa torne-se desprezável aos meus olhos por tua causa, Senhor,
E que tudo o que te diz respeito me seja caro,
Mas tu, meu Deus, mais do que o resto.
Dá-me, Senhor Deus,
Um coração vigilante.
Que nenhum pensamento curioso arraste para longe de ti,
Um coração nobre que nenhuma afeição indigna debilite;
Um coração reto que nenhuma afeição inequívoca desvie;
Um coração firme que nenhuma adversidade abale;
Um coração livre que nenhuma paixão subjugue.
Concede-me, Senhor, meu Deus,
Uma inteligência que te conheça,
Uma angústia que te procure,
Uma sabedoria que te encontre,
Uma vida que te agrade,
Uma perseverança que te espere com confiança
E uma confiança que te possua, enfim, quando a derradeira hora chegar. Amém.

Bênção: Que Deus mantenha a tua cabeça fria, o coração quente, as mãos abertas e os pés sem pressa e sem preguiça. Que assim te abençoe o Deus Pai, Filho e Santo Espírito. Amém.

 


Paciência - Salmo 46.10 - Pastor Francisco Santos - 30 de abril de 2021
 

Olá, pessoal! Que a graça, a paz e o amor de Jesus Cristo, estejam com todos vocês. Hoje vamos falar sobre paciência. Queremos refletir sobre a palavra bíblica que se encontra no Salmo 46.10 que diz assim: “Aquietai-vos e sabei que eu sou Deus; sou exaltado entre as nações, sou exaltado na terra.”

Muitos de nós não sabemos passar por tempos complicados, porque tendemos a não ter paciência. Acreditamos que esse momento, quem sabe da pandemia, que se está vivenciando parece ser eterno. Mas pense sobre a palavra de Deus, sobre o que estamos aprendendo com todo esse sofrimento, o que nós podemos evitar? Trabalhar a nossa ansiedade. Nossas metas não a longo prazo, mas a curto prazo. O que podemos fazer? Aquietar nosso coração, ouvir a voz de Deus.

Quero então nesse momento orar com você: Óh! Bondoso Deus e pai pedimos que o Senhor, esteja presente em nossas vidas, através da palavra de Deus e do Espírito Santo, para aquietar o nosso coração a nossa mente, que possamos ter paciência e um pensamento claro para enfrentar todas as situações complexas, que estamos vivendo, nesse tempo. Te agradecemos pela vida, pelo trabalho, pelo pão, pelos nossos familiares, pela Comunidade, pela Igreja. Tudo isso pedimos e agradecemos em nome de Jesus Cristo. Amém!

Benção: Que o Senhor vos abençoe e vos guarde, que o Senhor faça resplandecer o seu rosto, sobre vós e vos dê a paz. Que todos nós tenhamos um abençoado dia.


Casais - Colossenses 3.14 - Missionário Felipe Milani - 29 de abril de 2021

A minha mensagem hoje é para casais. Em recente pesquisa o IBGE, informou que o número de divórcios no meio do ano de 2020, teve um aumento de 260% em cima da média de meses anteriores.

As pessoas, em geral, passaram e ainda passam por grande pressão emocional. Entre casais não é diferente. Medos diversos, irritação, o aumento do tempo de convívio acaba suscitando sérios problemas conjugais.

Lamentavelmente cresceu os casos de violência física, psicológica, sexual, patrimonial contra a mulher. Injustificáveis tais violências e a atitude mais coerente é a denúncia em instâncias policiais.

Homens também estão sofrendo tendo que lidar com pressões que nunca imaginariam vivenciar.

Longe agora de entrar no mérito sobre os divórcios que ocorrem, até porque isso pode acontecer com qualquer casal, muitas separações poderiam ser evitadas, especialmente no tempo de Pandemia, se houvesse mais diálogo, mais comunicação entre o casal.

Uma conversa franca, propositiva na resolução de conflitos, procurando também reforçar as coisas boas, encontrar ou reencontrar aquilo que existe de melhor na outra pessoa. É agora que mais precisamos do amparo do nosso companheiro ou companheira.

Claro que não é tão simples esse processo. Às vezes é necessário buscar ajuda, de repente uma terapia com profissional da área.

Quero incentivar você a olhar com carinho para seu relacionamento. Para essa pessoa que vive ao seu lado e compartilha de tantas tristezas e alegrias.

Diz a palavra bíblica: “revistam-se do amor, que é o elo perfeito.” Colossenses 3.14.

Que o Deus de amor e união inspire e reanime a caminhada conjugal.

E como motivação deixo uma canção que ficou eternizada na voz de Elvis Presley, só que vocês vão ouvir na minha humilde voz...
[música: Can’t Help Falling In love]


A melhor amizade - João 3.29-30 - PPHMista Evair Tonn - 28 de abril de 2021

Você quer ser amigo de Jesus?

João Batista, certa vez contou para as pessoas que estavam a sua volta: “O que tem a noiva é o noivo; o amigo do noivo que está presente e o escuta se alegra muito por causa da voz do noivo. Pois essa alegria já se cumpriu em mim. Convém que ele cresça e que eu diminua.” João 3.29-30

Ser amigo de Jesus significa se importar com o que é mais importante para o coração dele, ou seja, sua noiva, que somos nós que pertencemos à ele.

E João Batista ainda diz que ser amigo do Noivo (Cristo) é se alegrar só de ouvir sua voz. Você se alegra com a voz divina enquanto lê as escrituras sagradas, em uma pregação ou mensagem no culto? Porque quando temos um amigo gostamos de estar com ele. Além de gostar de contar as histórias que vivemos juntos.

Com Jesus não é diferente. Ser amigo de Jesus é contar suas histórias, fazendo parte de sua missão: anunciar suas boas notícias, seu evangelho para que mais pessoas o conheçam e se tornem amigas dele. Vamos fazer parte dessa missão de Jesus? Nos tornando cada dia mais íntimos dele, seus verdadeiros amigos e amigas.

Oração

Jesus, como é bom ter a sua amizade, conviver e ter a sua presença em nossa vida. Poder ouvir a tua voz, e falar de ti. Agradecemos por ser esse amigo tão especial e próximo. Queremos te pedir que nos guie e oriente a cada dia através do que aprendemos por sua amizade. Nos impulsione através do seu Santo Espírito à falar sobre ti para outras pessoas, para que elas conheçam à ti e se tornem suas amigas. Em teu nome que oramos, amém. 

 


O que move teu olhar? - Lucas 10.33-34 - Pastor Ernani Ropke - 27 de abril de 2021
 

Certo samaritano, que seguia o seu caminho, passou perto do homem e, vendo-o, compadeceu-se dele. E, aproximando-se, fez curativos nos ferimentos dele, aplicando-lhes óleo e vinho. Depois, colocou aquele homem sobre o seu próprio animal, levou-o para uma hospedaria e tratou dele.

Que a graça de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo, o amor de Deus e a comunhão do Espírito Santo sejam conosco. Amém.

O que move o teu olhar? É a esperança de uma retribuição ou a compaixão? Creio que somos movidos pelos dois. Há momentos que o nosso olhar é movido pelo desejo da retribuição e em outros pela compaixão. Qual realiza mais? Qual preenche alma e coração? Para ilustrar a minha pergunta trago um exemplo maravilhoso da logoterapeuta Elizabeth Lukas. Ela, no seu livro Assistência Logoterapêutica, ilustra o olhar de dois meninos em relação à uma senhora idosa. Diz ela: “Suponhamos que um menino encontre pelo caminho uma senhora idosa carregando uma cesta pesada de maçãs. O menino, ao ver as maçãs apetitosas, sente vontade de comer uma delas. Pensa então que certamente a mulher lhe daria algumas maçãs se ele a ajudasse a carregar a cesta para casa. E assim aconteceu: ele carregou para ela a cesta pesada e ela lhe deu algumas maçãs em troca. Aqui o olhar foi movido pela expectativa da retribuição. Sua esperteza lhe rendeu algumas maçãs.

Contrastemos agora o caso de um outro menino que também encontra a senhora idosa com a cesta pesada, mas ele vê a idosa e não as maçãs. Ele percebe como ela vai se arrastando pesadamente pelo caminho, de costas curvadas, e como ela tem que usar todas as suas forças. Tocado pela situação da idosa, o menino coloca suas forças juvenis a serviço. Ele se oferece para levar a cesta para casa e, ao fazê-lo, também recebe algumas maçãs de presente. Qual seria o ganho deste segundo menino? Movido por um olhar de compaixão, ele preencheu sua alma e coração. Independente de receber algo em troca, ele se sentiu realizado. Já o primeiro menino, se não tivesse recebido algo em troca diria: Não adianta ajudar, pois ninguém reconhece.

Esse é o olhar de Deus por nós em Jesus Cristo. Não é um olhar que espera retribuição, mas um olhar movido por compaixão. É olhar que enxerga a nossa dor, a nossa agonia e a nossa angústia. É olhar que vem para se tornar próximo. É olhar que vem para aliviar as nossas cargas, nos libertar do peso das culpas e nos convidar a ser próximos dos fragilizados de nossos tempos. Em Cristo Deus nos convida a exercitar diariamente o olhar do Samaritano. Diz em Lucas 10.33 - 34: “Certo samaritano, que seguia o seu caminho, passou perto do homem e, vendo-o, compadeceu-se dele. E, aproximando-se, fez curativos nos ferimentos dele, aplicando-lhes óleo e vinho. Depois, colocou aquele homem sobre o seu próprio animal, levou-o para uma hospedaria e tratou dele.”

Desejo que o seu, o meu, o nosso olhar seja diariamente movido pela compaixão que Deus nos revela em Jesus Cristo. Esse olhar é que faz a vida verdadeiramente pulsar e alma e coração se realizar e alegrar! Amém.

O Senhor te abençoe e te guarde.
O Senhor faça sempre resplandecer em ti o olhar da compaixão,
Para que diariamente possas te tornar próximo da tua irmã e do teu irmão. Amém.

Um grande abraço e muito obrigado pelo seu olhar de compaixão!


Desabafar - Mateus 11.28 - Pastor Elton Pothin - 26 de abril de 2021

Conta-se que, no final de uma tarde, um homem voltava para casa com muita raiva do seu vizinho. Inquieto, agitado, decidiu compartilhar sua raiva com um amigo. Contou tudo a ele e a raiva passou.

Tempos depois, sentiu a mesma raiva de uma pessoa com a qual havia tido desentendimentos há muito tempo. Mas, desta vez, não quis compartilhar com seu amigo aquele seu sentimento de raiva. E a raiva aumentou cada vez mais. Cresceu tanto que nasceram uma úlcera, duas enxaquecas e três problemas no estômago.

Este é apenas um exemplo em relação a um sentimento contido. Este exemplo nos ensina o valor e a importância de conversar sobre aquilo que passa em nosso coração. Desabafar, contar para um amigo. Hoje, muitos pagam terapeutas para poder desabafar. Muitas vezes, damos pouca importância à verbalização de nossos sentimentos. Mas é muito importante podermos falar com alguém aquilo que se passa em nosso interior: com um amigo, com o pastor, o padre, o terapeuta.

Jesus sabia muito bem disso. Por isso, sentava com as pessoas e conversava com elas. Ouvia suas dores, suas angústias, suas histórias. Ensinava, curava, abençoava. E deixou dito para todos nós: “Vinde a mim todos os que estais cansados e sobrecarregados. Eu vos aliviarei.” (Mateus 11.28). Fazemos isso através da oração. Orar é falar com nosso Deus, com Jesus sobre tudo que se passa em nosso coração. Ele escuta, Ele nos consola, Ele nos alivia o pesado fardo.

Jesus também ensinou como orar. Em Mateus 6.6, Jesus diz: “Tu, porém, quando orares, entra no teu quarto e, fechada a porta, orarás a Teu Pai, que está em secreto; e teu Pai, que vê em secreto, te recompensará.”

Nesta pandemia, somos convidados por Deus a ouvir a dor do outro, mesmo que seja à distância. De se colocar à disposição de quem precisa falar. E também somos convidados a chegar diante de Deus e orar, abrir nosso coração. Ele nos dará alívio.

 


Viver o Batismo - Apocalipse 21.5 - Pastor Eldo Kruger - 24 de abril de 2021
 

Bom dia. Graça e paz!

O Tema da Igreja (IECLB) para esse ano de 2021 é: “Viver o batismo: dons a serviço”. O tema está desdobrado em três subtemas interligados: Batismo: Deus nos vocaciona; Dons: Deus nos presenteia; Serviço: Deus nos compromete.

Por meio de Cristo e do batismo, Deus nos vocaciona e adota como seus filhos e filhas, perdoa nossos pecados, nos concede vida eterna e nos dá dons para servi-lo. Como pessoas batizadas precisamos saber e ter consciência disso. Quando fomos batizados por Deus, em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, aconteceu algo muito importante na nossa vida.

No batismo Deus nos deu uma nova identidade e condição de existência. Fomos redimidos, nos tornamos filhos e filhas de Deus. Recebemos uma vida nova.

Passamos a fazer parte do povo de Deus. Não por mérito nosso, mas por iniciativa e obra de Deus (2Tm 1.9).

Agora, para que essa graça que Deus nos concedeu no batismo tenha proveito e possamos desfrutá-la na nossa vida, precisamos crer em Cristo e viver o batismo. Viver dignamente como filhos e filhas de Deus, seguindo fielmente a Cristo, obedecendo a Deus e fazendo a sua vontade, colocando nossos dons a serviço de Deus e das pessoas, da edificação da igreja e da sua missão no mundo. É isso que Deus espera. É isso que evidencia e confirma que o batismo tem proveito e faz sentido na sua vida.

Oremos: Deus misericordioso, obrigado pela graça que recebemos no batismo. Que o Espírito Santo que recebemos no batismo desperte e ative em nós o dom da fé em Cristo. E que por meio da fé procuremos acolher, nos apropriar e em palavras e ações dar testemunho da graça batismal, abençoando a vida das pessoas. Que assim seja! Amém! 

 


Um bom Conselho - 1 Coríntios 16.13-14 - Pastora Daiana Bernd Bottcher - 23 de abril de 2021

Diz o ditado que se conselho fosse bom, não se dava, se vendia. Você gosta de conselhos? Quem sabe sim, quem sabe não. Ou ainda diríamos que depende do momento, se pedimos o conselho e quem dá este conselho. Às vezes gostamos de dar conselhos de forma rápida, mas nem sempre gostamos de ouvir. Mas fato é que alguns conselhos são realmente bons, e deveriam ser levados em conta.

O Apóstolo Paulo no fim da primeira carta aos Coríntios deixa uma exortação final, que não deixa de ser um conselho, assim lemos em 1 Coríntios 16.13-14: Estejam alertas, fiquem firmes na fé, sejam corajosos, sejam fortes. Que tudo o que vocês fizerem seja feito com amor.

Penso que estas 5 frases podem ser aplicadas em nossa vida, independente do momento ou situação que vivemos. Um bom conselho que vale à pena darmos ouvido em todo tempo: estejam alertas! Quantas vezes andamos desatentos? Importante estarmos alertas, atentos e vigilantes. Justamente para permanecermos firmes na fé! Quantas vezes nos descuidamos dos assuntos básicos da fé?! Deixamos de lado nosso tempo com Deus, na leitura/meditação na Palavra, na oração?! Como permanecer firmes descuidando do básico? Sejam corajosos, sejam fortes! Os tempos não estavam fáceis para os Coríntios, haviam muitas adversidades e desafios, a palavra final aqui é de ânimo: sejam corajosos, sejam fortes! E o conselho final é útil, precioso e deveria estar sempre diante de nós: que tudo o que vocês fizerem seja feito com amor. Às vezes fazemos as coisas com a melhor intenção, mas sem amor nosso gesto pode se tornar vazio e sem sentido. Fazer tudo com amor, isso faz diferença.

Então para este dia gostaria de te animar: esteja alerta, fique firme na fé, seja forte, seja corajoso e tudo o que você fizer neste dia, faça com amor. Amém.

Vamos orar?!

Pai querido graças te damos por mais este dia de vida que nos concede, agradecemos porque na tua palavra encontramos orientações para nossa vida. Nos ajude senhor a sempre levarmos em conta a Tua Palavra nos conselhos que damos e ouvimos. Que Tu possas nos dirigir em nossa vida, que nossos pensamentos, palavras e ações sejam por Ti guiados. Nas tuas mãos entregamos este dia, fica conosco e especialmente com todas as pessoas que sofrem e que precisam da tua ajuda, é o que te pedimos em nome de Jesus. Amém.

Que a Benção de Deus esteja contigo ao longo deste dia amém.
 


As marcas de quem ama - Romanos 12.9 - Pastor Astor Albrecht - 22 de abril de 2021
 

A graça e a paz de Jesus, nosso Senhor, estejam com vocês.

O casal discute e o marido diz que agora cada um fica de um lado da casa. A esposa responde: eu fico com o lado de dentro. O relacionamento humano na igreja, no trabalho ou em casa não é algo que está pronto! Eu preciso sempre cuidar e mostrar amor, senão ficamos em lados opostos. Em Romanos 12.9ss temos várias marcas de quem ama. Quero lembrar duas neste momento.

No versículo 9 lemos: “O amor seja sem hipocrisia”. O amor deve ser sincero. Não pode ser falso ou fingido. Mas isso pode acontecer? Sim, por isso o amor deve ser sem hipocrisia. Sobre a palavra “hipocrisia”: nos dramas gregos, o ator (em grego “hypocrites”), usava uma máscara que cobria seu rosto. O comportamento de quem crê não deve ser como quem toma parte em um papel (usa uma máscara).

O amor deve ser sincero. Nele deve haver verdade, razão de confiar. Interessante a origem da palavra “sincero”: os romanos fabricavam certos vasos de uma cera especial, tão pura que o vaso ficava transparente. Podia ver o que estava dentro. Diziam: “é um vaso sine cera!”, isto é, parece que não tem cera. Podia se ver o que tinha dentro (qualidade). Amor sincero: ser autêntico, verdadeiro. Deixe que vejam através de suas palavras de seus sentimentos o amor em seu coração.

Quem ama serve. Lemos no v.11: “sede fervorosos de espírito, servindo ao Senhor”. Fato é que o estopim de muitas brigas e desentendimentos está no fato de não servir, não ajudar, não cooperar.

Uma ilustração. Quando a 2ª guerra mundial terminou, os membros de uma igreja na Alemanha começaram a concertar os estragos no templo. Tinha uma estátua de Cristo que estava quebrada. Encontraram todas as partes, menos as mãos. O que fazer? Resolveram deixar sem as mãos e escreveram: “Cristo só tem as nossas mãos”.

Em um mundo de pessoas, Deus trabalha por meio de pessoas. O Reino de Deus virá, mas você e eu devemos hoje trabalhar nele para que venha. A maneira como a verdade, o caminho e a vida de Cristo serão estendidas para outras pessoas é por meio da vida de pessoas que servem com dedicação. Saiba que o nosso Senhor tem bons planos para serem executados hoje mesmo com a nossa ajuda.

As marcas de quem ama vão abençoar a vida de outras pessoas. Eu não sei o que Deus quer conceder a você em sua vida. Mas eu creio que ele é bom e dá com fartura. E você pode partilhar isso por meio do amor que lhe é dado pelo Espírito Santo que habita contigo. Quem vive pela fé, deixa marcas de amor.

Oração: Obrigado Senhor pela nossa vida ser tão importante. Tu chamas para te servirmos e sermos um vaso de bênção na vida de nosso próximo. Que a tua graça em nós promova testemunhos desse amor que torna a vida rica. Ajuda-nos nisso querido Pai. Em nome de Jesus. Amém.

 


Esperar - Salmo 27.14 - Pastora Argéli K. Karsburg - 21 de abril de 2021
 

“Espera tu pelo Senhor, anima-te, e fortalece o teu coração, espera, pois, pelo Senhor” Salmo 27.14

Quanto tempo você consegue esperar por algo que deseja muito?

Segundo o dicionário, esperar é não agir, não tomar decisões até a efetuação de um evento que se tem por certo, ou provável.

Esperar não é fácil, eu mesma tenho muito a aprender sobre isso, por isso, busco na palavra de Deus as orientações para saber esperar.

No Salmo 27.14 está escrito: Espera tu pelo Senhor, anima-te, e fortalece o teu coração, espera, pois, pelo Senhor”.

A orientação é clara, espera pelo Senhor, assim é dito duas vezes. Não faça nada, não tome decisões, não haja antes que o Senhor nos deixe claro sua decisão e seus planos.

Fácil? Nenhum um pouco.

Possível? Sim, é possível se prestarmos atenção nas outras orientações do mesmo versículo.

Para que se torne possível a esperar pelo Senhor é necessário animar-se e fortalecer o coração.

Animar-se com o que está acontecendo no seu dia, na sua vida, animar-se com suas tarefas, com seu trabalho. Pense em sua vida e reflita o que te anima, o que acontece ao teu redor que anima e se anime, sejam grandes ou pequenos fatos, se anime e fortalece o teu coração enquanto espera.

Se você não buscar fortalecer seu coração, certamente não dará conta de esperar pelo Senhor e fará do seu jeito, por isso é tão precioso este ensinamento de fortalecer o coração através da oração, do estudo da palavra, do louvor.

Se você está esperando por uma resposta, por uma solução, por um sinal, por um desfecho ou qualquer outra coisa... enquanto espera se anime e fortalece teu coração para que não desista de esperar pelo Senhor. 

 


A súplica de um inocente injustamente acusado! - Salmo 5. 1-6 - P. Alberi Neumann - 20 de abril de 2020

 

Que a graça, a paz e o amor de Deus sejam todos e todas nós. Amém.

O livro dos Salmos é o livro de orações e cantos do povo de Deus. Isso mesmo! E eu agora os/as convido a orarem comigo com as Palavras do Salmo 5. 1-6:

1 Ó Senhor Deus, ouve as minhas palavras e escuta os meus gemidos!

2 Meu Rei e meu Deus, atende o meu pedido de ajuda, pois eu oro a ti, ó Senhor!

3 De manhã ouves a minha voz; quando o sol nasce, eu faço a minha oração e espero a tua resposta.

4 Tu não és Deus que tenha prazer na maldade; tu não permites que os maus sejam teus hóspedes.

5 Tu não suportas a presença dos orgulhosos e detestas os que praticam o mal.

6 Acabas com os mentirosos e desprezas os violentos e os falsos.

Neste Salmo, temos a súplica de um inocente injustamente acusado. Ele, por sua vez, apresenta a sua causa a Deus, confiando que o mesmo lhe fará justiça. Ele confia que Deus é justo, a saber, que Ele não aprova e nem é conivente com a injustiça.

Que esta seja a nossa oração também hoje. Coloquemos nas mãos de Deus o que nos dói e nos faz sofrer. Oremos também por justiça. Ele nos ouvirá! E sigamos fazendo o bem, pois Deus é justo e age com justiça! As injustiças são assim pecado contra Deus!!! Amém.

Deus os/as abençoe. 


Deus nos guia - Salmo 37.23-24 - Pastor Luis Carlos Oliveira - 19 de abril de 2021
 

Bom dia! Paz e bem a todas e todos vocês! Sou o Pastor Luiz Carlos, atuando aqui em Rio Claro/SP. Nos alegramos por mais um dia que está aí, à nossa disposição. Por isso, quero trazer um pequeno momento de reflexão e oração para fazermos juntos. Nos diz o salmo 118: este é o dia que o Senhor fez; regozijemo-nos e alegremo-nos nele. E, de fato, temos razão para nos alegrar no Senhor. Ele é o nosso Deus e Ele é o nosso cuidador. As senhas diárias de hoje, 19.04, nos trazem dois versículos para refletir. O primeiro é do Salmo 37.23-24 e diz: “O Senhor nos guia no caminho em que devemos andar e protege aquele cuja vida é agradável a Ele. Se eles caírem, não ficarão caídos porque o Senhor os ajudará a se levantarem”. Davi canta a certeza de que seus caminhos não são ao acaso. Deus se propõe a guiá-lo por onde ele for. Se acontecerem dificuldades a mão do Senhor será com ele. E, da mesma forma, será com todos que se dispuserem a ouvir a voz de Deus e a seguir nos seus caminhos. Deus se propõe a cuidar de todas as pessoas da terra, porém não se impõe sobre elas. Ele dá a sua palavra e seus mandamentos, que sempre são para vida em abundância, e deixa que as pessoas aceitem e vivam conforme eles. Assim, o Senhor guia seus caminhos e levanta os que caem por algum motivo. Isso é motivo de grande alegria. Na medida em que não se dá ouvidos a Deus, acabamos andando sozinhos e perdemos as oportunidades de bênção do Senhor. Não ouvimos sua voz e caímos numa vivência sem a presença do Pai. Para quem tem consciência de que Deus quer o melhor, andar sem a sua presença traz tristeza.

O segundo versículo para reflexão é de Romanos 8.37: Em todas essas situações temos a vitória completa por meio daquele que nos amou. Paulo também motiva os cristãos a ouvirem a voz de Jesus, pois Ele tudo fez por nós e continua fazendo o que é necessário para que se viva bem, com vida em abundância. O Senhor continua cuidando de seu povo e ajudando nas horas difíceis. Não com milagres que caem do céu, mas com a ação de pessoas que escutam a voz do Senhor e se propõem a ser seus instrumentos no cuidado para com os sofredores. Da mesma forma que Davi, o apóstolo diz que Deus não força pessoas a segui-lo, mas está sempre providenciando o bem e quem se propõe a seguir sua palavra tem a possibilidade concreta de se sentir sob seus cuidados. Haverá situações de dores e sofrimentos, como é natural para nossa vida, mas Ele vai nos conduzir, consolar e reanimar para a caminhada de vida. Ele é por nós. Podemos confiar que tudo faz para nos fazer viver em sua palavra.

Oramos a Deus: Amado Senhor! Agradecemos pelo dia que está aí, à nossa disposição. Não sabemos o que vai acontecer adiante. Sabemos, porém, que a tua mão vai nos acompanhar e, se ouvirmos tua voz, vai nos conduzir por bons caminhos e receberemos teus cuidados. Ajuda-nos a te ouvir e experimentar cada vez mais a tua presença em nós, entre nós e ao longo de nossa vivência. Por Jesus Cristo, nosso Senhor, amém. 


É preciso acreditar - Lucas 24.36b-48 - Estagiário Tiago Schroeder - 17 de abril de 2021

Que a paz de Cristo esteja com todas e todos vocês.

Queridas irmãs, queridos irmãos, a duas semanas celebramos a Páscoa, onde relembramos a ressurreição de Jesus Cristo. Amanhã, domingo, em muitos cultos iremos relembrar o momento em que Jesus ressuscitado aparece aos seus discípulos. Nesta história, podemos perceber que os discípulos de Jesus tiveram uma grande dificuldade em acreditar que Jesus Cristo em carne e osso estava vivo frente aos seus olhos. Eles já não haviam acreditado na boa nova que Maria Madalena, Maria, mãe de Tiago e Salomé anunciaram, Jesus está vivo, Jesus ressuscitou.

Os discípulos conviveram um bom tempo com Jesus, ouviram as suas palavras, presenciaram seus milagres, participaram de sua vida extraordinária e sabiam que Jesus havia anunciado a sua própria morte, mas também a sua ressurreição, e mesmo assim, acreditar em tudo o que estava acontecendo diante dos seus olhos parecia ser muito difícil. Nem ver e tocar as cicatrizes dos pregos nos pés e nas mãos foi o suficiente para acreditarem.

Hoje em dia poderíamos dizer que os discípulos eram do tipo que dizem “eu só acredito vendo” e quando viram disseram “não acredito”. O acreditar ou não em algo, também é hoje para nós um grande desafio. Se olharmos para a principal notícia nas mídias desde o início do ano passado, vemos que a pandemia é o principal tema. Desde o início do ano passado, vimos dia após dia o número de pessoas infectadas e pessoas mortas crescer. Só no Brasil já passamos de 360 mil mortes, no mundo, estamos nos aproximando de 3 milhões de vidas levadas em decorrência da pandemia, e mesmo assim, acreditar nisso tudo ainda parece ser muito difícil para muitas pessoas. Mesmo com o Brasil tendo uma média móvel diária de mais de 3 mil mortes, muitas pessoas, assim como os discípulos “só acreditam vendo”, porém nesse caso, o “acreditar vendo” pode ser muito mais difícil quando você ou alguém que você ama estiver numa fila esperando para ser entubado, ou até pior. Tudo isso porque alguém não quis acreditar no que estava vendo e ouvindo todos os dias a mais de um ano, o “acreditar vendo” nesse caso, é mais um acreditar sentindo, sentindo na pele ou sentindo na consciência.

Queridas irmãs, queridos irmãos, sempre teremos momentos de dúvidas, incertezas e medos, assim como os discípulos de Jesus tiveram, mas novamente, neste momento que nós estamos vivendo, dúvidas, incertezas e até negacionismo em relação a pandemia geram mortes. E nós, pessoas cristãs, somos chamadas e a sermos responsáveis, cuidando uns dos outros, e, neste momento, cuidar do outro, da outra, pode ser feito de casa, simplesmente tentando ao máximo evitar contato social, evitar com que o vírus se espalhe.

A palavra de Deus está cada dia mais viva. A cada dia nos damos conta de que ela foi escrita justamente para esses tempos. Deus sabe que também nós precisamos ser libertados e libertadas do medo e da dúvida. Ele sabe que a realidade que estamos enfrentando também nos apavora e por isso, nos alimentarmos de fé e esperança se torna tão importante, mesmo que de forma virtual. Oremos para que Deus nos liberte desta angústia, deste medo e que consigamos ouvir com alegria o chamado de Jesus aos seus discípulos: “Se alguém quer vir após mim, a si mesmo se negue, tome a sua cruz e siga-me”. Mt 16.24


Para Além do Azul do Céu - Grupo Anima - 16 de abril de 2021

Para além do azul do céu, voa a nossa fantasia.

Vai brincar no horizonte da vida, vai buscar a alegria.

1. Mas enquanto voa assim ouve a voz da multidão,
grito que a dor sufoca e que nos convoca a pisar no chão.
Só a fé que faz sonhar é capaz de se arriscar
a viver no horizonte da dor.

Para além do azul do céu, voa a nossa fantasia.
Vai brincar no horizonte da vida, vai buscar a alegria.

2. Encantar-se com o infinito, contemplar a imensidão,
perceber no horizonte uma eterna fonte de inspiração.
Não se deixa alcançar, mas nos chama a caminhar
sempre mais em sua direção.

Letra e música: Rodolfo Gaede Neto


Gente tóxica - 2 Timóteo 3.1–5 - Pastor Gerson Acker- 15 de abril de 2021

Saudação: Olá meu querido irmão! Olá minha querida irmã! Que a Graça e a Paz de Cristo estejam contigo. Amém.

Reflexão: Todos os anos o dicionário Oxford elege uma palavra do ano. Essa palavra é escolhida analisando a busca de palavras em sites, e, no ano de 2018 a palavra mais pesquisada e procurada foi à palavra “Tóxico”. Isso nos lembra de relacionamentos tóxicos, de políticos tóxicos, de pessoas tóxicas. Tanto no dia a dia quanto no mundo bíblico, nós convivemos com pessoas tóxicas; e na carta que o Paulo escreve para Timóteo, na segunda carta para ser mais específico, no capítulo 3, o Apóstolo, ele elenca a característica de pessoas tóxicas e eu quero partilhar dessa leitura; 2Tm 3.1 – 5 e diz assim: “Lembre disso, nos últimos dias haverá TEMPOS difíceis, pois muitos serão egoístas, avarentos, orgulhosos, vaidosos, xingadores, ingratos, desobedientes aos seus pais e não terão respeito pela religião. Não terão o amor pelos outros e serão duros, caluniadores, incapazes de se controlarem, violentos e inimigos do bem. Serão traidores, atrevidos e cheios de orgulho. Amarão mais os prazeres do que à Deus, parecerão ser seguidores da nossa religião, mas com todas as suas ações negarão o verdadeiro poder dela. Fique longe dessa gente!.” Nesses breves versículos, o Apóstolo Paulo elenca 20 características de pessoas tóxicas, que infelizmente são características que fazem parte do nosso dia – a – dia . Muitas vezes, nós mesmos nos comportamos dessa forma.

Meu querido irmão, minha querida irmã, pense com muito carinho e analise a sua vida, muitas vezes nós temos sido pessoas tóxicas e envenenado a vida das outras pessoas, e da mesma forma perceba o seu ambiente nas pessoas ao teu redor, quais pessoas, quais ambientes, quais situações também tem sido nocivos para você mesmo, para você mesma. Talvez valioso é o finalzinho, quando o Apóstolo Paulo nos diz: fique longe dessa gente que te faz mal. Reflita, com carinho isso!

Oração: Vamos Orar? Deus bondoso, Deus compassivo, perdoa – nos quando nós agimos de forma a toxicar o nosso próximo. Livra – nos e afasta – nos de pessoas tóxicas que em nada acrescentam na nossa vida. Dá – nos, dias de paz mesmo em meio às tempestades. Que a tua presença nos fortaleça, hoje e sempre, em nome de cristo Jesus. Amém!

Bênção: Que Deus mantenha a tua cabeça fria, o coração quente, as mãos abertas e os pés sem pressa e sem preguiça. Que assim te abençoe, o Deus que é pai, mãe, filho e santo espirito, amém!

 


A Travessia - Romanos 5.3-5 - Pastor Rolf Rieck - 14 de abril de 2021

A vida de cada um de nós é uma viagem. Alguns se deslocam por grandes distâncias. Outros preferem ficar mais próximos do lugar onde nasceram e se criaram. Alguns se deslocam para viver uma aventura, alguns por opção, outros por necessidade. O mesmo acontece com quem fica onde sempre esteve: uma necessidade ou uma opção.

No entanto todos nós, sem escolha, vivemos neste momento uma grande travessia. Vivemos uma travessia onde tentamos nos cuidar, nos manter saudáveis, nos impondo restrições na tentativa de não ser apanhado ou apanhada por esta terrível doença pandêmica que o vírus invisível tenta passar para cada habitante da Terra.

No cenário do povo da Bíblia vamos perceber várias travessias. No meu conceito, uma travessia sempre estará ligada a alguma aventura ou, melhor ainda, a correr perigos. Na navegação se conhece o fenômeno do vento travessão, aquele que sopra contrário à ação planejada, atrasando ou impedindo uma viagem. Portanto, as travessias bíblicas estão normalmente relacionadas a imprevistos.

Por exemplo, anunciar a esperança a partir do Senhor Ressuscitado — ainda respiramos os ares da Páscoa — continuava e continua sendo uma travessia perigosa para a cristandade.

Toda a vida de Jesus foi uma espécie de travessia com seus perigos mortais. Quando João Batista foi decapitado por Herodes, Jesus voltou à Galileia. Ali havia se estabelecido o centro da revolta contra o poder romano. Ao falarem que Jesus é galileu, estavam dizendo com isso que ele era um rebelde. A região da Galileia foi devastada, consumida por fogo e sangue. E Jesus, com sua pregação do Reino de Deus, se deslocava da Galileia para a Judeia. Visitava cidades que lhe eram amistosas e aquelas em que corria risco de morte. Tiberíades, Séforis, Samaria e Jerusalém eram alguns dos seus destinos nas suas travessias. Na última parada, é crucificado, como fomos recordados há alguns dias.

Fazer as travessias em nossos dias não está sendo tarefa fácil. O que poderia nos ensinar o companheiro de caminhada — Jesus — se também as suas travessias foram tensas e, por fim, o levaram à morte? Ele pode nos ensinar sobre a paz que brota a partir da fé.

No decorrer do tempo a comunidade cristã foi aprendendo a suavizar as travessias conturbadas e tempestuosas. Lembro do que Paulo escreve na sua carta à igreja em Roma falando da paz com Deus e da segurança da fé à medida que avançamos em nossa experiência de vida com Jesus. Ele escreve: “…nos alegramos nos sofrimentos, pois sabemos que os sofrimentos produzem a paciência, a paciência traz a aprovação de Deus, e essa aprovação cria a esperança.

Essa esperança não nos deixa decepcionados, pois Deus derramou o seu amor no nosso coração, por meio do Espírito Santo, que ele nos deu”. (Rm 5.3-5). Note que a suavização de uma travessia não acontece no isolamento, mas na caminhada conjunta. Ao caminharmos como pessoas unidas, que saem de um mesmo ponto buscando chegar a um mesmo alvo, vamos mais longe um uma travessia. Isso não significa que o vento travessão não possa nos tirar do alvo, mas nossa travessia terá os cuidados que mutuamente — em nossa comunhão de fé — poderemos experimentar.

Aliás, quem de nós não lembra a travessia do mar da Galileia onde Jesus acalmou a tempestade? Não precisamos logo dar uma de Pedro e querer andar sobre as águas, mas a travessia do Senhor e Salvador Jesus Cristo pode — e quer! — nos carregar na nossa necessidade tão atual e urgente: seguir com paciência, na aprovação de Deus (em algumas traduções, perseverança), na esperança neste tempo de sofrimento, na certeza de que Deus não nos decepciona.

Busquemos forças na comunhão, mesmo que por canais virtuais. Não nos isolemos. Meditemos na palavra bíblica. Respiremos. Aquietemos seu coração.

Oremos: Senhor Deus. Reconhecemos que no início da nossa travessia ficamos inquietos e inseguros. Mas, à medida que avançamos, vamos criando pontes — nossas aflições com as aflições de outras pessoas e nossa fé, paciência e esperança com a fé, paciência e esperança de outras pessoas — e essas pontes vão nos proporcionando uma jornada de paz e confiança. Aumenta nossa fé, Senhor. Que os reveses não nos derrubem, pelo contrário, nos fortaleçam. Vem, Senhor Jesus, e fortalece nossa vida. Amém!

Que te abençoe e guarde o Pai, o Filho e o Espírito Santo!  


Ouvir, Chorar, Agir! - João 11.35 - Pastor Natanael da Silva - 13 de abril de 2021

Graça e paz do Senhor Jesus Cristo. Estamos realizando esse momento de oração em nome de deus Pai Filho e Espirito Santo. Amém.

O capitulo 11. 35 do evangelista João deixa transparecer o profundo Amor de Deus para com a humanidade. Um amor que sente a dor, perda e a angustia da separação. O conhecimento do relacionamento entre Lazaro, Marta e Maria e Jesus Cristo é muito bonito. Eles não estavam apenas na direção de ter um Deus que atenderia todas as suas vontades, dando a oportunidade de vencer o poder da morte e do pecado. Eles tinham com o mestre uma afinidade. O mestre foi tratado por Marta e Maria como a pessoa que se presente resolveria a situação. Mas ele demonstra que mesmo distante o seu cuidado permanece. O versículo para a nossa reflexão mostra a dor da perda, mesmo embora momentânea. Do ponto de vista de Deus Lazaro estaria num sono. A hora que fosse oportuno Jesus Cristo poderia levanta-lo. Lembro daquela passagem do servo centurião (Lucas 7.1-10 a cura do servo centurião). Com uma Palavra Jesus Cristo poderia ter mudado a situação de lazaro. Todavia, o próprio Deus tinha outro plano. Mas isso não impossibilitou que o Senhor Jesus Cristo sofresse a dor da perda. Por isso a forma como o Ele enfrentou a situação é boa oportunidade para aprendermos.

Ele Ouviu: Muitas vezes diante de situações difíceis, conflituosa tendemos a expressar nossa surpresa. No texto Jesus Cristo apenas ouviu tanto o lamento de Marta e Maria, quanto daqueles que estavam ao redor da situação. O mais importante não era falar alguma coisa, mas ouvir. Emprestar sua vida para poder compartilhar um peso.

Ele chorou: Jesus Cristo permitiu sentir. A dor de Marta e Maria foi grande e Jesus Cristo não se preocupou em falar o “evangeliquez”. “A vida é assim”,
“esse é o plano de Deus”, “está no céu agora”. Ele se colocou ao lado e junto deles chorou. As palavras não eram necessárias nesses momentos, mas o
estar junto. As palavras do silêncio foram tão altas que nada mais precisava ser dito.

Ele agiu: após ouvir, chorar, agora ele se põe a sua tarefa. Ele pediu para que fosse tirada a pedra. E houve quem não achasse interessante, pois afinal já se passaram quatro dias. Dai ele responde com a fé, que é a resposta a uma incerteza. “Não te disse que se creres verás a glória de Deus? (11.40)”. Antes de Lazaro ser levantado, Jesus Cristo agradece porque Deus sempre o ouviu. Logo, a ação vai na direção de uma incerteza e é procedida pela gratidão. Assim podemos compreender que a ação do ser humano em meio a dor é enfrentar uma incerteza e mesmo assim agradecer por aquilo que Deus pode fazer. Por isso falamos em ressurreição. Tudo isto é um milagre de Deus, por mais forte que possamos nos entender, a dor é algo que rouba todas as ferramentas que temos. E enfrentar ela e ser levantado dela, é um ato, milagre de Deus em nossas vidas.

Que nossas perdas possam ser vencidas com o poder a graça e a força que emana do próprio Deus. não se esqueça ninguém é forte sozinho.

Que Deus nos abençoe e guarde. Amém.  


Crer e receber a bem aventurança - João 20.29 - Pastor Marcos Jair Ebeling - 12 de abril de 2021
 

Vejo muitas crianças e jovens estudando. Sonham com um futuro melhor pela educação. Mas como saberão que este futuro promissor se concretizará? Sabemos que muitos fatores interferem. Mas decisivo é o testemunho e exemplo dos seus pais e mães.

A Bíblia conta-nos uma história parecida na fé. Jesus ressuscitou no domingo da Páscoa. Apareceu às mulheres e alguns dos discípulos. Um deles, chamado Tomé, que não vira Jesus, não quis acreditar na ressurreição. Só vendo as marcas em Jesus.

Em sua próxima aparição Jesus se mostra a Tomé e diz: “você creu porque me viu? Felizes são os que não viram, mas assim mesmo creram.” (João 20.29)

Crer no que não vemos. Nisto consiste a fé que recebe a bem-aventurança de Deus. Sim, nós cremos na ressurreição para a vida eterna e o fazemos sem vê-la.

É bem verdade que nós temos 2 testemunhos muito bons para crer na ressurreição: a palavra de Deus que narra os depoimentos das testemunhas oculares da ressurreição e também nossos pais e mães que, antes de nós, creram e nos deixaram belíssimos testemunhos.

Feliz a geração que acolhe a fé na ressurreição dois mil anos depois de Cristo ter ressuscitado. É verdadeiramente abençoada. Feliz a geração de adolescentes e jovens que acredita num futuro melhor pela educação.

Oremos: Amado Deus. Graças te rendemos por teres ressuscitado no domingo de Páscoa. Graças rendemos por nos dares testemunhos de fé vivos. Graças rendemos por nos dares a fé que crê na promessa da ressurreição para a vida eterna. Por teu Espírito Santo, permite ensinarmos esta fé às novas gerações. Por Jesus Cristo, amém.

Deus abençoe o teu dia. Amém.


Não tenha medo! - Isaías 43.1 - Pastor Klaus Dieter Wirth - 09 de abril de 2021

Querida irmã e irmão em Cristo, hoje a oração do dia está sob nossa responsabilidade, Paróquia Leste, aqui da grande São Paulo.

O meu nome é Pastor Klaus e eu gostaria de compartilhar com você dois versículos bíblicos. Um que é lá do Antigo Testamento o outro do Novo Testamento. O do Antigo Testamento é muito conhecido, muito usado em batismos. Esse é o versículo bíblico de muita gente, versículo de batismo: Isaías 43.1. Se você tem esse versículo, já lembrou! Não tenha medo pois eu o salvarei eu o chamei pelo seu nome e você é meu. Há muitos motivos nesta época para termos medo, mas eu gostaria de dizer para você: confie em Deus! Isso não significa, de jeito nenhum, que você possa cruzar os braços e não fazer nada ou, pelo contrário, ter atitudes incoerentes com a sua fé. Por exemplo, o uso da máscara em lugares públicos é uma forma de você professar a sua fé; o distanciamento social e respeitá-lo é uma forma de você professar a sua fé; não fazer festinhas para lá e para cá é uma forma de você professar a sua fé. E quando a gente professa a fé dessa forma, cuidando de si e cuidando das outras pessoas, então a gente não precisa ter medo. Deus irá cuidar de nós! Isso não significa que pessoas que vieram a falecer não tinham fé em Deus. Eu não estou dizendo isso! Mas até aqueles que tinham fé Deus e vieram a falecer, eles têm certeza de que se encontraram com o próprio Deus para toda a eternidade.

Do Novo Testamento, lá em Romanos 8.31, Paulo escreve: se Deus está do nosso lado quem poderá nos vencer? Sim, o conteúdo é o mesmo do versículo do Antigo Testamento, por isso não preciso repetir aqui. Deus cuida de nós, Ele é todo poderoso e Ele faz na nossa vida aquilo que Ele quer. Eu gostaria de compartilhar com você um hino que eu aprendi na minha infância, nos Cultos. Eu acho ele lindo. É o 495 do nosso LCI: Se Deus está comigo. É uma profissão de fé maravilhosa. É de um dos maiores poetas e músicos luteranos: Paul Gerhardt. A melodia é tradicional inglesa.

1. Se Deus está comigo, eu tudo hei de enfrentar; se, orando, imploro abrigo, tudo há de recuar.
Se as Suas mãos me guiam, se tenho o Seu amor, que mal me causariam inferno, morte ou dor?

2. Alegre e com firmeza proclamo-O sem temor: refúgio e fortaleza é Deus, o meu Senhor.
Em todos os momentos me guarda a Sua mão, abranda os sofrimentos, assiste na aflição.

3. A base em que me fundo, é Cristo e o sangue Seu; Ele é aqui no mundo o bem eterno meu.
Em mim e minha vida não há nenhum valor; por Cristo é concedida a luz ao pecador.

4. Já nada me condena, nem faz desesperar; de inferno e dura pena Jesus me há de salvar.
Sentença deste mundo a mim não causa dor; do mal, por mais profundo, liberta-me o Senhor.

5. Minh’alma, jubilosa, não pode triste estar; vê Sua luz radiosa e canta sem cessar.
O Sol resplandecente é Cristo, o meu Senhor: cantar alegremente me faz o Seu fulgor.

 


Confiar e Agradecer! - Tiago 5.13 - Pastor Jonathan Klebber - 08 de abril de 2021

Olá! Meus amados irmãos e amadas irmãs! Que a graça e a paz de Cristo estejam conosco! Amém.

A nossa vida é marcada por altos e baixos. Há momentos nos quais estamos alegres e experimentamos períodos de paz e tranquilidade. Mas existem também momentos de dificuldades, dor e sofrimento. Ao olhar para a sua vida, você certamente lembrará que você também já experimentou isto.

Neste dia queremos refletir a respeito de como lidamos com nossas tristezas e nossas alegrias. Em Tiago 5.13, nós lemos: “Se algum de vocês está sofrendo, ore. Se alguém está contente, cante hinos de agradecimento.”

Estas palavras da carta de Tiago nos convidam a reconhecer o quanto nós somos dependentes de Deus nos bons e nos maus momentos da vida.

Nos momentos de dor e sofrimento, a palavra de Deus nos convida a orar. Somos desafiados a confiar no agir amoroso de Deus. Deus se importa com nossa dor e sofrimento. Por esta razão podemos entregar em suas mãos aquilo que nos preocupa e faz sofrer. Podemos confiar naquele que jamais nos abandona e está sempre pronto para estender a sua mão para nos auxiliar.

E nos momentos de alegria, a palavra de Deus nos convida a louvar a Deus. Somos desafiados a reconhecer que tudo de bom que acontece em nossas vidas são presentes que recebemos das bondosas mãos de Deus. Que possamos reconhecer diariamente cada benção que Deus nos concede e sejamos gratos pelo seu amor e cuidado que nos acompanham a cada instante!

Você está sofrendo? Ore! Busque o auxílio de Deus! Confie em Deus!

Você está contente? Cante hinos de agradecimento! Louve a Deus pelas bençãos que ele te concede!

Oração: Querido Deus! Tu conheces a cada um e cada uma de nós. Tu conheces nossas alegrias e nossas dores. Nós confiamos em ti e entregamos em tuas bondosas mãos tudo o que carregamos em nosso coração.

Auxilia-nos nos momentos de dificuldades, dor e medo que enfrentamos em nossas vidas. Concede-nos a força e a sabedoria que necessitamos diariamente.

Senhor! Queremos também te agradecer porque sabemos que tudo de bom que acontece em nossas vidas é um presente que recebemos de ti. Por esta razão, louvamos e agradecemos pelo teu amor, pelo teu cuidado e pelas bençãos que tu nos presenteias a cada dia. Graças te damos porque podemos contar contigo em todos os momentos de nossa vida. Amém.

Benção: Que Deus te abençoe e te guarde hoje e sempre! Amém


Sejamos Prudentes! - Mateus 26.41 - PPHMista Jéssica Lais Kriese Duffeck - 07 de março de 2021

Queridos irmãos, queridas irmãs em Cristo!

Sejam prudentes, diz o Senhor!

Estamos vivendo o pior momento da Pandemia. O momento é crítico, é dolorido, é delicado. Nesse cenário devemos cobrar ações governamentais que garantam a nossa segurança, a nossa vida, o prato de comida para todas as pessoas. Precisamos urgentemente de vacinas, mas não adianta só cobrar, se nós não fazemos a nossa parte. Nós devemos cumprir com as nossas obrigações de cidadãos, cidadãs, de companheirismo, de cristãos e cristãs. Usar máscara corretamente e em qualquer lugar, usar álcool em gel e lavar as mãos é o básico para esse momento. O básico precisa ser dito de novo se ele não está sendo feito.

Quem pode ficar em casa, faça o máximo para manter isso. Quem precisa sair, se cuide e saia apenas para o necessário. Eu sei que tá todo mundo cansado, eu sei que nós não aguentamos mais. Mas não sou só eu ou você quem está sofrendo com as restrições, é o mundo todo. Em especial os brasileiros e brasileiras nesse atual momento.

Não sejamos negacionistas, não sejamos nós os co-responsáveis pela morte do próximo, da próxima.

Cristo nos diz, orai e vigiai, sejam prudentes!

Sejamos nós prudentes! Cumpramos nós as restrições, como cristãos e cristãs. Celebramos a Páscoa nesse domingo, devemos ser exemplo desse Cristo que deu a vida por nós, que nos salvou. Estamos diariamente perdendo pessoas que amamos, pessoas que tinham sonhos, família. Esse vírus está levando no atual momento mais de 15 mil pessoas por semana, já se foram mais de 330 mil pessoas. É hora de cair na real. Se não for por você, faça em respeito ao próximo.

Jesus em Mateus 4.6 poderia ter saltado da montanha. Poderia, mas ele não o fez porque decidiu não tentar a Deus. Não tente o Senhor seu Deus, seja consciente. Saia de casa apenas para o necessário, use a mascara corretamente. Não aglomere! Sejamos prudentes, conscientes. Sejamos um exemplo a ser seguido!

Que Deus esteja conosco nesse dia, que Deus console as famílias que esperam notícias de seus familiares que estão internados, entubados, na fila de espera por um leito. Que Deus esteja com as Pessoasfamílias que não tem o que comer. Que Deus esteja com os enlutados. Que Deus nos dê sabedoria. Amém! 


O que você está disposto/a a fazer? - Lucas 18.18-23 - P. Gerson Acker - 06 de abril de 2021
 

Saudação: Olá meu querido irmão! Olá minha querida irmã! Que a graça e a paz de Jesus Cristo estejam contigo. Amém.

Meditação: Domingo passado nós celebramos a Páscoa. Reafirmamos a nossa fé na ressurreição e na vida eterna. O que nós fazemos com essa informação? Será que a gente tranca e fica com ela guardada? Ou será que a gente a proclama através da nossa vida em palavras e ações?

Há uma grande diferença entre “saber algo” e “colocá-lo em prática”. Talvez essa seja a grande dicotomia que acontece no nosso dia a dia. Quantas coisas a gente efetivamente sabe, mas não faz? Quantas vezes a palavra de Deus nos toca, puxa nossa orelha, nos admoesta, mas a gente efetivamente não coloca em prática aquilo que a gente aprendeu.

Poderia enumerar muitos textos bíblicos que desmascaram essa ironia com a qual vivemos, mas escolhi o texto de Lucas 18.18-23:
Certo líder judeu perguntou a Jesus: — Bom Mestre, o que devo fazer para conseguir a vida eterna? Jesus respondeu: — Por que você me chama de bom? Só Deus é bom, e mais ninguém. Você conhece os mandamentos: “Não cometa adultério, não mate, não roube, não dê falso testemunho contra ninguém, respeite o seu pai e a sua mãe.” O homem respondeu: — Desde criança eu tenho obedecido a todos esses mandamentos. Quando Jesus ouviu isso, disse: - Falta mais uma coisa para você fazer. Venda tudo o que você tem, e dê o dinheiro aos pobres, e assim você terá riquezas no céu. Depois venha e me siga. Quando o homem ouviu isso, ficou muito triste, pois era riquíssimo.

A pergunta feita por Jesus para essa pessoa, foi a pergunta que também me conduziu nessa reflexão: O que eu/você estou disposto a fazer depois que o evangelho me toca? O que a gente faz depois que ouve a proclamação da ressurreição e da vida eterna? O que a gente está disposto a fazer depois que ouvir um conselho/admoestação de uma pessoa?

Não basta saber. É preciso transformar o que nós sabemos em ações concretas que transformam a vida. Esse é o grande diferencial, que justamente faltou ao jovem rico e muitas e muitas vezes essa tomada de atitude que falta na nossa vida cristã. Pense com carinho nisso!

Oração: Vamos orar? Querido Pai Celeste! Muito obrigado pelo teu evangelho que nos impulsiona a mudar atitudes e a tomar uma postura coerente com a nossa vida. Que possamos transformar em palavras e ações tudo aquilo Jesus nos ensinou. Amém.

Bênção: Que Deus mantenha a tua cabeça fria, o coração quente, as mãos abertas e os pés sem pressa e sem preguiça. Que assim te abençoe o Deus Pai, Filho e Santo Espírito. Amém.


Metamorfose - Amós 3.6 e Lucas 24.26 - P. Francisco Santos - 05 de abril de 2021


Quero desejar a Paz de nosso Senhor Jesus Cristo, a todos vocês.

Nesse dia quero compartilhar as palavras das Senhas Diárias para esse dia, que está em Amós 3.6: “Por acaso, cai alguma desgraça sobre uma cidade, sem que o Senhor Deus a tenha feito acontecer?”

E no Novo Testamento em Lucas 24.26: “Era preciso que o Messias sofresse e assim recebesse de Deus toda a glória.”

Gostaria de perguntar a todos vocês, o que acontece depois da Páscoa? Estamos no dia seguinte, em que comemoramos em nossas Comunidades, famílias e em nossas casas a Páscoa como fazer para levar essa mensagem de esperança que a Páscoa nos traz. Assim como a metamorfose que acontece com a borboleta. A transformação, a metanoia, que vem de dentro, o arrependimento. Tudo isso queremos cultivar, preservar e não deixar na Páscoa, essa mensagem de superação, o nosso mundo precisa do arrependimento, da transformação interior e da busca pelo bem comum; da solidariedade com o próximo.

Oremos: Querido Deus e Pai, intercedemos nesse momento pelas pessoas que estão nos hospitais, vítimas ou não do Covid-19, esteja junto dos profissionais de saúde que estão na linha de frente na pandemia. Intercedemos Senhor pelas famílias enlutadas de nossa Comunidade. Intercedemos Senhor, pelas pessoas sem pão, sem emprego. Intercedemos Senhor, pelas famílias e os relacionamentos. Nós colocamos tudo isso em tuas mãos, e pedimos em nome de Jesus Cristo. Amém!

Bênção: Que o Senhor te abençoe, que o Senhor te proteja. Que o Senhor te dê a paz. Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém!

Que possamos ter uma segunda-feira, abençoada. Fiquem com Deus! 


Vista da cidade - Salmos 121.1-2 - Pastor Tiago Sacht Jaske - 01 de abril de 2021

Falo com vocês tendo à minha frente a vista do Monte Cocaia, de onde tenho uma visão ampla da cidade de Guarulhos e da cidade de São Paulo. Quantas pessoas estão nestas casas, nestes prédios, esperando um socorro?

Quantas pessoas, quantas vidas, quantas situações! Olhar para esta cidade me faz lembrar do quanto precisamos do socorro que vem de Deus. Neste sentido podemos ler em Salmos 121.1-2: “Elevo os meus olhos para os montes, de onde me virá o socorro? O meu socorro vem do Senhor, que fez o céu e a terra.”

Olhar para o alto e buscar ajuda é o impulso natural do ser humano, mas onde está a ajuda que é verdadeira? Onde está a ajuda que realmente pode colaborar em meio a tantas situações difíceis? Eu creio que somente Deus, o criador do céu e da terra, não qualquer deus, nem qualquer superstição, mas o Senhor Criador do Universo pode nos ajudar. Por isso é tão importante nos colocarmos diante Dele em oração, buscarmos a presença Dele e também sermos pessoas que multiplicam o amor deste Deus, o Deus crucificado em nosso favor.

É isto que lembramos na Semana Santa: O Deus Criador se tornou um de nós, e morreu por nós, por amor. Que nós também estejamos servindo a Deus em amor! Vamos falar com ele em oração?

Senhor Deus e bondoso Pai, obrigado porque Tu criaste o céu, a terra, e também cada um de nós. Nós somos feitos à Tua imagem e semelhança, por isso te louvamos, ó Deus! Por podermos falar contigo, por podermos te buscar e por podermos encontrar em Ti o socorro que precisamos nos momentos mais difíceis. Estende a tua mão sobre aquelas pessoas que estão sofrendo. Estende a tua mão, ó Deus, sobre aquelas pessoas que ainda não creem em Ti, que não encontraram o teu amor revelado em Jesus Cristo, especialmente neste Cristo crucificado em nosso favor. Revela-te Senhor! Mostra-te Senhor e usa a nossa igreja, a Tua Igreja, a nossa vida em tuas mãos como teus instrumentos. Em nome de Jesus Cristo é que oramos. Amém!

Que assim te abençoe o Deus Todo-Poderoso, o Pai, o Filho e o Espírito Santo! Abençoada Semana Santa! Amém!

 


Pai, Perdoa-lhes - Lucas 23.34 - Missionário Felipe Milani - 31 de março de 2021

Que a Graça e a Paz de Jesus estejam sobre você.

Pai, perdoa-lhes. Eles não sabem o que estão fazendo. (Lucas 23.34)

Essa foi a primeira frase que Jesus falou na cruz. Ele sentiu o desejo de perdoar os seus algozes.

Esta palavra de perdão, na perspectiva de Jesus, é sobretudo uma declaração de que todo ser humano, por pior que possa ser, continua tendo uma fagulha de humanidade dentro de si que o permite esperançar. Que o permite se abrir para uma nova vida.

Somos ensinados na oração do Pai Nosso, no quinto pedido a solicitar o perdão de nossas dívidas e ofensas, assim como, perdoarmos aos nossos devedores.

Deus perdoa as nossas dívidas. E quando fazemos o mesmo, nos tornamos semelhantes a Ele.

Se existe alguém em seu círculo de relação, alguma situação do passado ou no presente que merece um olhar de cuidado e a sua entrega em perdão.

Ou de repente, se você tem dificuldades em lidar com suas próprias questões interiores que te fazem definhar em culpa, lembre-se disso: o perdão desembaraça a vida e recupera traços da humanidade e essencialmente recupera os traços de Deus em nós.

Vamos orar:

Ó Deus que tem compaixão e bondade, olhe para as minhas fraquezas e debilidades e tenha piedade de mim. Ajuda-me a enxergar as áreas de minha vida que estão em escuridão pela falta de perdão. Ilumina minha mente, meu coração e minha alma. Mostra-me onde há amargura, ressentimento, ódio e raiva. Dá-me a força e o desejo de me abrir ao dom e à graça do perdão, de aceitá-lo e de dá-lo. Por Jesus Cristo, Amém.

Que Deus te abençoe e te guarde!

Baseado em:
https://www.centroloyola.org.br/revista/outras-palavras/espiritualidade/1267-as-sete-palavras-de-jesus-na-cruz

 


Um exemplo incrível - Atos 16.25 - PPHMista Evair Tonn - 30 de março de 2021

Se você levasse uma surra ao ponto de ficar com feridas, suas roupas fossem rasgadas, seus pés e mãos amarados, depois jogado em um lugar fedorento, úmido e escuro. O que você faria? Vamos ver o que dois homens fizeram nesta situação em uma passagem bíblica?

Por volta da meia-noite, Paulo e Silas oravam e cantavam louvores a Deus, e os demais companheiros de prisão escutavam. Atos 16.25

Esse dois homens foram humilhados, e mesmo assim, tarde da noite, oravam e cantavam hinos de louvor a Deus.

Que resposta incrível à injustiça!

Na nossa vida passamos por muitos momentos, alguns são difíceis e, muitas vezes, somos injustiçados.

Ficamos deslocados, sem saber o que fazer, qual rumo tomar, as vezes desesperados e muito preocupados.

Mas parece que Paulo e Silas, no fundo daquela prisão, estão bem. Como eles conseguiram?

Eles estavam cientes do que estava acontecendo, no entanto a sua confiança não estava baseada naquela situação, mas sim em Jesus Cristo. Eles creem que o Senhor está no controle, por mais difícil que estava parecendo. Por isso eles não se desesperam, mas podem orar e cantar louvores a Deus.

Não temos o controle de todas as situações em nossa vida, mas podemos escolher o que fazemos nestes momentos. Podemos ficar desesperados, tristes e abatidos, ou fazer como Paulo e Silas, nos apegar à Cristo e confiar que ele tem e é o controle de tudo.

Oração

Senhor Deus, quando andou na terra como homem, sentiu fome, dor e sofreu tentações. O Senhor sabe tudo o que sentimos, porque passou por isso. Ajude-nos a aguentar firmes, caminhando contigo. Dê-nos força nos momentos difíceis para olharmos para ti e, assim, encontrar refúgio e fortaleza. Assim como Paulo e Silas no fundo daquela prisão oraram e cantaram louvores. Ensina-nos a fazer o mesmo nos diversos momentos e situações da nossa vida. Amém!


Um testemunho de vida - Romanos 1.16; João 11.25 - Pastor Ernani Ropke - 29 de março de 2021

Graça e Paz de Cristo sejam contigo!

Hoje gostaria de lhes partilhar, neste momento de oração, uma experiência pessoal de vida. Estamos na semana da Paixão e Ressurreição de Cristo. Uma semana que faz parte da minha caminhada de vida de forma muito especial.

Quando eu completei 12 anos, meus pais me iniciaram nos trabalhos diários da lavoura. Ajudava a capinar e arar a terra. Colher milho, soja, mandioca. Nesses momentos com meus pais várias perguntas afloravam. E uma, em especial, era a questão da morte. Comecei, nessa idade, participando de um e outro velório, a ter consciência que as pessoas morrem. Uma verdade que não conseguia assimilar. Não conseguia aceitar a ideia de perder um dia meus avós e pais. Comecei a fazer, com isso, muitas perguntas sobre esse tema aos meus pais durante os trabalhos na lavoura. Por que as pessoas precisam morrer? Não tem um jeito de viver eternamente? Incomodava tanto meus pais com esse tema, que em alguns momentos eles se cansavam comigo. Para os meus pais, na época, a morte era o fim. O que viria depois ninguém sabia...

Em busca de uma resposta, aflorou em mim, já aos 12 anos, o desejo de ser pastor. Deus teria uma resposta para a minha angustiante pergunta. Por isso, aos 14 anos, na minha confirmação, o versículo bíblico que escolhi como lema para a minha vida foi Romanos 1.16: “Pois não me envergonho do evangelho, porque é o poder de Deus para a salvação de todo aquele que crê”.

Aqui estou eu como pastor, porque realmente não me envergonho de testemunhar que em Jesus Cristo Deus não deixa a última palavra a morte. Não há um fim. O que prevalece não é a sexta-feira da paixão, mas o domingo da ressurreição. Como diz Jesus em João 11.25: “- Eu sou a ressurreição e a vida. Quem crê em mim, ainda que morra, viverá.”

É esse presente de Deus, a ressurreição, a sua salvação, que tirou uma pergunta angustiante do meu coração. Me fez um apaixonado pelo trabalho do evangelho. Me levou a testemunhar ainda com mais intensidade, em meio a toda a angústia com a pandemia da Covid-19, que Deus está conosco para cuidar da vida, para nos abençoar com manhãs de Páscoa. Por isso, diariamente oro e canto: (LCI 581)

1. Deus sempre me ama, com amor me chama, e assim me inflama do mesmo amor.

Estr.: Por isso cantarei o amor divino; será meu hino o amor do rei.

2. Cativo estive e graça obtive do amor que vive e faz viver.

3. Enviou seu Filho, prestou-me auxílio, mostrou-me o trilho que ao céu conduz.

Desejo que o Senhor te abençoe nessa semana da Paixão com sinais da sua ressurreição!

Um grande abraço,
 


Liberdade - Gálatas 5.1,13-15 - Pastor Elton Pothin - 27 de março de 2021

Em Gálatas capítulo 5, versículos 1, 13,14 e15, o apóstolo Paulo nos escreve: “Cristo nos libertou para que sejamos de fato livres. Por isso, continuem firmes nesta liberdade e não se tornem novamente escravos. Porém, vocês, irmãos, foram chamados para serem livres. Mas não deixem que essa liberdade se torne uma desculpa para se deixarem dominar pelos desejos humanos. Ao contrário, que o amor faça que sirvam uns aos outros. Porque toda a lei se resume num só mandamento: “Ame os outros como você ama a você mesmo.” Mas, se vocês agem como animais, ferindo e prejudicando uns aos outros, então cuidado para que não acabem se matando.” (Tradução de acordo com a Bíblia na Linguagem de Hoje).

Ao ler este texto de Gálatas, logo lembrei-me de um fato ocorrido certa vez em um supermercado. Naquele dia, havia muita gente no supermercado. Uma grande fila havia se formado diante do caixa. Uma senhora idosa estava pagando suas compras. Atrás dela, encontrava-se uma mãe com seu filho de cinco anos e um carrinho cheio de compras. A criança, impaciente, empurrava o carrinho contra as pernas da senhora idosa. Na primeira vez, a vovó não disse nada. A criança, no entanto, continuou a empurrar o carrinho contra suas pernas. Ela, então, pediu ao menino para que parasse com isso, pois a estava machucando. Mas o menino não parou. Já meio desesperada, a senhora pede à mãe do menino que intervenha e o faça parar. A mãe responde agressiva: “Meu filho querido foi educado com liberdade e pode fazer o que quer.” A senhora idosa ficou sem palavras. E o carrinho continuava a lhe machucar as pernas. Atrás da mãe e do menino encontrava-se um senhor que escutou tudo. Ele estava com um pote de mel na mão, aguardando o momento de pagá-lo. Com calma ele abre a tampa do vidro de mel e o derrama sobre a cabeça e a roupa da mãe da criança. Esta, furiosa, grita com o senhor: “O que é isto? Que falta de respeito é esta?” Ao que o senhor calmamente responde: “Eu também fui educado com liberdade e posso fazer o que quero!”

Este fato nos leva a refletir sobre um perigoso engano que existe no nosso mudo de hoje: julgamos que somos donos de tudo e de todos e livres para fazermos o que bem entendermos. O corpo é meu, a vida é minha, o dinheiro é meu: faço com eles o que bem entender. Ser livre para fazer o que se quer pode se tornar um lema perigoso para a vida. Vida que não conhece limites coloca em perigo a vida dos outros e a nossa própria vida. É o que experimentamos neste tempo de pandemia. A situação toma um rumo tão complicado e difícil em boa parte pelo individualismo das pessoas, que não pensam nos outros. Se não tomarmos cuidado, vamos acabar nos matando, diz Paulo em Gálatas.

A liberdade que Cristo nos deu é diferente da liberdade concebida como vida sem regras e limites. Paulo diz com clareza: “não se deixem dominar pelos desejos humanos.” Aquele menino e sua mãe se deixaram dominar pelo desejo humano. E isto levou ao desrespeito, levou ao sofrimento. O cristão, ao contrário, deve fazer que o amor o leve a servir os outros. “Porque toda a lei se resume num só mandamento: ame os outros como você ama a você mesmo”, diz Paulo.

Esta é a liberdade que Cristo nos deu: LIBERDADE DE AMAR E SERVIR AO PRÓXIMO. É importante nós vivermos nesta liberdade que Cristo nos deu, é importante nós ensinarmos aos nossos filhos o conceito de liberdade cristã, para que respeitem e amem as outras pessoas. Que Deus nos dê a força do seu Santo Espírito para podermos viver nesta liberdade que Cristo nos deu, amando ao nosso próximo como amamos a nós mesmos e que nos ajude a ensinar nossos filhos a viver nesta liberdade.


Cristo é a nossa paz - Efésios 2.14 - Pastor Eldo Kruger - 26 de março de 2021

Em todo período da Quaresma, que iniciou na quarta-feira de cinzas, está acontecendo a Campanha da Fraternidade Ecumênica ano 2021. O tema da Campanha desse ano é: “Fraternidade e diálogo: compromisso de amor”. Esse tema está fundamentado num texto que encontramos na carta que foi escrita para a Igreja de Éfeso, especialmente o capítulo 2.14ª: “Cristo é a nossa paz: do que era dividido, fez uma unidade”.

Na Igreja de Éfeso havia uma forte tensão e conflito entre os judeus que se tornaram cristãos e pessoas de outras etnias, culturas e religiões que também se tornaram cristãos. O relacionamento e a convivência na Igreja entre esses dois grupos distintos não foi tranquilo e pacífico. Havia um muro cultural e religioso que separava judeus e gentios, uma realidade que a gente vê hoje na sociedade e nas igrejas.

A carta escrita para a Igreja de Éfeso nos desafia a repensarmos hábitos e comportamentos em relação as pessoas que são diferentes. Nos desafia a superarmos todas as formas de inimizade, antipatia, insensatez, intolerância, racismo (inimizade étnica e racial), preconceitos, hostilidades e violências, especialmente em relação as pessoas de etnia e cultura diferentes, jovens e mulheres negras, povos indígenas, imigrantes, grupos LGBTQI+.

O propósito de Deus sempre foi de reconciliar e reunificar todas as pessoas, povos e nações, como seu povo. A partir de Cristo isso começou a se tornar realidade. Com a morte, Cristo derrubou todas as barreiras que separam as pessoas e povos. Promoveu relação de equidade e acolhida entre os povos. Fez o milagre de aproximar, pacificar e unir pessoas e povos diferentes. Essa unidade na diversidade precisa ser preservada.

Se existem divisões e conflitos, e talvez até causados em nome da fé, isso é um pecado que estamos cometendo. Como cristãos precisamos saber que em Cristo não há lugar para a discriminação, preconceito, racismo, antipatia, ódio e violência. Pelo contrário, como cristãos somos chamados a amar todas as pessoas, a reconhecer sua dignidade e valor, a praticar o respeito e a empatia, o diálogo e a convivência fraterna. Que assim seja!


Que valor Jesus tem para nós? - João 12.1-8 - Pastora Daiane B. Bottcher - 25 de março de 2021

Que a graça do nosso Senhor Jesus, o amor de Deus nosso Pai e a comunhão do Espírito Santo estejam contigo, amém.

Este tempo antes da Páscoa é marcado uma série de textos muito característicos e muito significativos. Gostaria de motivar você hoje a ler o texto do Evangelho de João 12.1-8. Onde lemos sobre o momento onde Jesus é ungido em Betânia por Maria. Um gesto lindo, mas que ainda assim causa crítica por parte de algumas pessoas. Afinal, ela unge os pés de Jesus com um perfume muito caro feito de nardo puro. Ela quebra protocolos, barreiras sociais e culturais. Mas parece que nada disso a impede de expressar com seu gesto seu amor e sua gratidão.

No Evangelho de João este fato está descrito logo após a ressurreição de Lázaro e os planos para tirar a vida de Jesus. Maria que tem toda uma história com Jesus quer demonstrar seu amor, sua gratidão. E ela faz isso usando tudo o que tem, materialmente falando. Como Judas ressalta bem, o perfume que ela usa em sua homenagem é feito de nardo puríssimo, muito caro, se vendido custaria em torno de 300 denários. Um denário era salário de um trabalhador pago por um dia de trabalho, ou seja para fazer a sua homenagem Maria teve que economizar, se planejar, e derramou aos pés de Jesus o equivalente a quase um ano de trabalho. E ela deposita tudo aos pés de Jesus. Sem barreiras, sem reservas, ela faz a homenagem que deseja fazer. Jesus aprova o seu gesto.

De certa forma a pergunta que este texto lança para nós é: que valor Jesus tem para nós? Qual o valor de Jesus para nós? O que estamos dispostos a colocar a seus pés? O valor que dizemos que Jesus tem para nós pode ser visto em nossas escolhas diárias? Temos usado aquilo que temos e somos para demonstrar nosso amor e nossa gratidão ao Senhor?

Que possamos refletir sobre isto ao longo deste dia. Vamos orar?!

Senhor, amado Deus e Pai. Tudo o que temos e somos é dádiva das tuas mãos, te louvamos por tudo aquilo que em tua imensa graça nos presenteias diariamente. Com tudo que nos dás, fez e fazes por nós o mínimo que temos a fazer é apresentar um coração grato, uma vida que demonstre esta gratidão. Porém, muitas vezes falhamos nisto, por isso pedimos por Teu perdão. Ajuda-nos a consagrar tudo que temos e somos a Ti. Que nosso amor por ti seja traduzido em ações bem concretas. Que nossa gratidão seja diária e manifestada das mais variadas formas. Nas tuas mãos entregamos este dia e todas as pessoas que precisam de ti e do teu cuidado. Fica conosco, nos mostra o caminho em que devemos caminhar e nos dá a Tua companhia, Tua proteção e a Tua benção é o que te pedimos em nome de Jesus, amém.

Que o Senhor te abençoe e guarde, hoje e sempre, amém.


Efatá - Levanta-te - Marcos 7.33-34 - Pastor Astor Albrecht - 24 de março de 2021

A graça e a paz de Jesus, nosso Senhor, esteja contigo.

No final do capítulo 7 do Evangelho de Marcos, Jesus saiu da Galileia, e está entre os não judeus. E, ali, algumas pessoas trazem um homem surdo e gago para ele. Devido suas limitações este homem deveria conhecer pouco sobre Jesus.

Então, os gestos de Jesus falam com intensidade. Nos versículos vv.33 e 34, Jesus tira ele da multidão e o leva à parte, um gesto que diz “eu o valorizo”. Nosso Senhor adapta-se à situação dele: coloca os dedos nos seus ouvidos e toca a sua língua com saliva. Jesus orou por ele e, com um profundo suspiro, expressou sua emoção contra o mal que age no mundo e que destrói a vida. Jesus ordenou: “Efatá!”. Esta não é uma palavra mágica, é aramaico e significa “seja aberto”.

O texto bíblico, Marcos 7.34, diz assim: “Então voltou os olhos para o céu e, com um profundo suspiro, disse-lhe: ‘Efatá’, que significa ‘abra-se’”.

Há hoje uma profunda necessidade de um “efatá” para o ser humano. Em grande parte, estamos confusos, assustados, brigando uns com os outros, o caminho está difícil de acertar. Dificuldades sempre existiram, mas essa pandemia tornou elas muito mais intensas. O ser humano carece de experimentar este “efatá” que livra e restaura a vida.

Precisamos de um “efatá” no amor ao próximo. Marcas de nosso tempo que deveriam causar em nós um “profundo suspiro” são o individualismo (cada um por si) e a crise ética (importa que eu me dê bem). Isso há tempo já é falado, mas a pandemia tornou isso mais evidente. Também com consequências ainda mais severas. É preciso que sejam abertos nossos olhos e nosso coração para olharmos para o lado e cuidarmos uns dos outros. A vida é dádiva de Deus é deve ser muito bem cuidada. Deveríamos nos identificar mais com estas pessoas que levaram este homem surdo e gago até Jesus. Ele não sabia e não conhecia Jesus, mas teve pessoas que se importaram com ele. O que você pode fazer que mostra que se importa para o bem da vida do próximo?

Interessante que Jesus tirou um tempo para cuidar deste homem. Jesus não mudou! Tem tempo para você. Você é a sua prioridade. E quem é ele para você? Imagine um quadro que está torto na parede. Qual o motivo? Ele não está fixado no centro. A vida fica torta quando o centro está deslocado. Algumas pessoas têm colocado no centro o sucesso e outras a diversão (veja as baladas e aglomerações desnecessárias). E você? O que está no centro de sua vida influencia toda a sua vida. “Efatá” - o centro é Cristo Jesus. É perceber que nestes dias ele continua sendo o Senhor, sua palavra deve ser guardada e vivida por nós. O povo de Deus está aí para promover o que edifica, faz bem. Povo de Deus produz bons frutos. Isso traz equilíbrio para a vida. E precisamos disso.

Como você tem percebido tudo o que está acontecendo? Certamente isso tem nos tocado. Mas não desespere! “Efatá” – “Abre-te”. Ouçamos àquele que até aqui nos guiou e vai à nossa frente. Exercitemos nestes dias o amor ao próximo cuidando uns dos outros e sigamos firmados em Cristo. E confiemos, tudo ficará bem! Aquele que diz “Efatá”, ainda é o Senhor. Ele nos ajuda. Amém.

Oração: Senhor, graças que cuidas de nós. Não precisamos ficar na fila contigo. Abre nossos ouvidos para te ouvirmos e fazermos tua vontade. Estamos num tempo difícil, que mostremos amor no cuidado uns pelos outros. Pedimos pela tua palavra de saúde e cura neste tempo de pandemia. Contigo seguimos. Tu novamente farás que fique bem. Amém”.

 


Inveja mata - Marcos 11.28 - Pastora Argéli Katiusa Karsburg - 23 de março de 2021

O palco está cheio de armações e intrigas.

Os chefes dos sacerdotes, os anciões e os mestres da lei se reuniram para procurar provas que pudessem condenar Jesus.

Em meio a toda essa armação Jesus está silêncio, imóvel, impassíve


Autor(a): P. Tiago Sacht Ushino Jaske
Âmbito: IECLB / Sinodo: Sudeste
Área: Missão / Nível: Missão - Coronavírus
Área: Espiritualidade
Natureza do Texto: Oração
ID: 57502

AÇÃO CONJUNTA
+
tema
vai_vem
pami
fe pecc

Vivemos rodeados da bênção de Deus e não nos damos conta disso.
Martim Lutero
REDE DE RECURSOS
+
Ajuda-nos, Senhor, nosso Deus, porque em ti confiamos.
2Crônicas 14.11
© Copyright 2022 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br