Sínodo Mato Grosso



Rua Aristides Félix de Andrade , 840 - Araés
CEP 78005-605 - Cuiabá /MT - Brasil
Telefone(s): (65) 2129-6592
sinodomt@luteranos.com.br
ID: 10

Isaías 66.10-14 - 7º Domingo após Pentecostes - 07.07.2013

Caderno de Cultos 2013

07/07/2013

07/07/2013 -  7° Domingo após Pentecostes
Pregação: Is 66.10-14  Lc 10.1-11 e Gl 6.1-6
Diácona Mariane Schneider – Sinop

LITURGIA DE ABERTURA

ACOLHIDA
Bom dia/noite.
Saúdo a comunidade reunida com o lema da semana:  “ A semente que caiu na boa terra são os que, tendo ouvido de bom e reto coração, retêm a palavra; estes frutificam com perseverança.” Lc 8.15


CANTO DE ENTRADA
Nº 408 HPD 2  - Tem misericórdia de mim

Ou: __________________________________________________

SAUDAÇÃO
A graça de nosso Senhor Jesus Cristo, o amor e a comunhão do Espírito Santo sejam com todos vocês. Amém


CANTOS DE INVOCAÇÃO
Nº 85 HPD 1- Vem Espírito Divino

Ou: Nº ____________________________________________________

CONFISSÃO DE PECADOS
Querido Deus, aqui estamos na tua presença com nossas limitações, fraquezas e pecados. Buscamos a tua face, tua misericórdia e teu perdão. Tu nos conheces e sabes o que se passa em nosso coração e em nosso pensamento. Sabes o que precisamos para viver em paz contigo e com as outras pessoas, por isso pedimos tua graça e o teu perdão onde falhamos. Perdoa-nos e ajuda-nos a vivermos uma vida melhor sob a ação do teu Espírito Santo. Amém

ANÚNCIO DO PERDÃO
“e o amor de Deus é isto: não fomos nós que amamos a Deus, mas foi ele que nos amou e mandou o seu Filho para que, por meio dele, os nossos pecados fossem perdoados” (1Jo 3.10). Fundamentados nesse amor, anuncio o perdão de Deus em nome do Pai do Filho e do Espírito Santo, Amém.

KYRIE
Convido a orarmos pelas pessoas de todo mundo. Convido a ficarmos de pé.

Oremos:
Queremos lembrar em oração de todos aqueles que sofrem pela violência, pela indiferença, pelas guerras, pela fome, pelo luto, pelas doenças e por todas as maldades que vivenciamos diariamente. Pedimos que a tua bondosa mão nos ampare e sustente  em todo tempo para que possamos sentir  teu amor e cuidado nas mais diversas situações. Em nome de Cristo. Amém

GLÓRIA IN EXCELSIS
Porque Deus atende a nossa suplica e prontamente nos ajuda, louvemos o nome dele cantando:

Glória, glória, glória a Deus nas alturas.
Glória, glória, paz entre nós, paz entre nós.

ORAÇÃO DO DIA
Oremos:
Deus de amor, que tem misericórdia e amor sem fim, fortalece a nossa fé em ti, para que permanecemos firmes em ti, confiantes em tua palavra, com ânimo para te servir em todos os lugares. Por Jesus Cristo, que contigo e com o Espírito Santo reina de eternidade a eternidade. Amém.

LITURGIA DA PALAVRA

LEITURAS BÍBLICAS
1ª Leitura Bíblica:  Gl 6.7-16

2ª Leitura Bíblica Lc 10.1-11

3ª Leitura Bíblica: Pregação Isaías 66.10-14
CÂNTICO INTERMEDIÁRIO
Nº - 379 HPD 2 Estou Pronto Senhor

PREGAÇÃO

O CORAÇÃO MATERNAL DE DEUS
(Pr. Lindolfo Weingärtner)

Isaías 66.10-14
Nós estamos acostumados a tratar Deus pelo seu nome mais belo: pelo nome de Pai. E fazemos bem em escrever a palavra “Pai” com “P” maiúsculo, bem sabendo que nós, pobres pais humanos, somos uma imagem muito fraca do Deus eterno, que nos criou e que nos mantém com seu poder e com seu amor. Apesar disto, Deus não rejeita ser tratado de Pai, ser comparado, portanto, com um pai humano, embora seja infinitamente mais poderoso, mais misericordioso e mais amoroso.
O que muitos não sabem, é que Deus, para deixar mais claro ainda quem Ele é, e como pensa sobre nós, quis ser comparado também como uma mãe. Não é só na passagem de Isaías 66, lida há poucos minutos, que isso acontece. No mesmo livro (cap 49), Deus fala por seu profeta: “Acaso pode uma mulher esquecer-se do seu filho que ainda mama, de sorte que não se compadeça do filho do seu ventre? Mas, ainda que esta viesse a se esquecer dele, eu, todavia, não me esquecerei de ti”.
Notamos que “mãe humana” também se escreve com “m” minúsculo. Assim como “pai humano” se escreve com “m” minúsculo. Apesar disto, Deus fez a comparação. “Se vós que sois maus, sabeis dar boas dádivas a vosso filho, quanto mais vosso Pai que está nos céus dará boas coisas aos que lhe pedirem?”.
• A mãe, apesar de ser mãe, poderá esquecer o que é.
• O pai pode esquecer.
• Mas Deus não esquece nunca. Ele é o “Eu sou o que sou”, como revelou a seu servo Moisés  no monte Horeb.
Jesus usou a imagem da proteção materna para resumir aquilo que Ele quis e quer, com seu evangelho. Ele diz, olhando a cidade de Jerusalém, cidades esta que não o aceitou como Senhor e Salvador: “Jerusalém, Jerusalém, quantas vezes quis eu reunir os teus filhos como a galinha os seus pintinhos debaixo de suas asas, e vós não o quisestes”. Mais uma vez vemos bem para dentro do coração de Deus. O instinto materno da galinha que protege seus pintinhos com suas asas. Jesus se serve deste fenômeno maravilhoso da natureza para descrever o seu amor, para revelar o seu desejo terno e ardente de salvar e abrigar o seu povo, a vista do gavião, a circular no alto.
Talvez seja bom dizermos estas coisas na data em que costumamos celebrar o “dia das mães”.  Dizermos que vemos no amor materno um espelho em que se reflete o amor de Deus. Espelho pobre, é verdade. Espelho muitas vezes quebrado e meio cego, mas espelho que Deus usa para nos revelar sua imagem. Talvez a mulher, para entender-se melhor a si mesma, precisa entender de vez que ela, assim como o homem, foi feita imagem de Deus: “criou Deus o homem a sua imagem; homem e mulher os criou”. É essa, pois, a função que Deus deu à mulher. E é esta a função que Jesus Cristo quer restituir-lhe em toda a sua plenitude:
• Ser imagem de Deus; ser espelho em que a imagem de Deus se revela.
É verdade que não seria direito, se no dia das mães quiséssemos colocar a mãe num lugar de destaque especial, separando este dia de todos os outros dias, e separando a mãe de seu marido, o pai de seus filhos. A Bíblia não diz: “honrarás a tua mãe em um dia do ano”. Ela diz: “honrarás o teu pai e a tua mãe”. E ENTENDE-SE QUE ISTO VALE TODOS OS DIAS DO ANO. Mas talvez este dia possa ser um modelo para todos os outros dias do ano, e talvez nós, os pais, precisamos também aprender a ter o dom de “espírito maternal” que tantas vezes nos falta. Então, não tenhamos receio de destacar a mãe hoje. Vamos deixar este espelho bem claro e reluzente, para que dê uma imagem bem nítida e clara. A nossa passagem bíblica nos encoraja de fazê-lo, e o mundo precisa desesperadamente de tais  espelhos em que se reflete o amor de Deus. Ou, talvez seja melhor dizermos: o mundo precisa esperançosamente do espelho do amor materno!
O profeta, depois de descrever que coisas boas Deus vai fazer a Jerusalém depois de convidar os ouvintes a se alegrarem com sua cidade diz: “como alguém a quem sua mãe consola, assim eu vos consolarei; e em Jerusalém vós sereis consolados”.
Então, para entendermos como Deus consola, precisamos entender como uma mãe consola. Se não a palavra mencionada não faria sentido.
- Isso não é uma coisa maravilhosa?
- Qual é a pessoa humana que seja capaz de consolar como uma mãe consola?
Não há criatura que console como uma mãe! Os que tiveram uma infância iluminada pelo amor de uma mãe carinhosa, esses o sabem:
• Não há tristeza, trauma, desapontamento de criança que não encontre consolo nos braços carinhosos de uma mãe.
• Só a criança que teve medo, a criança pisada, injustiçada, traumatizada, que se refugiou junto à mãe sabe o que é ser consolada. Sabe o que significa: “Fiz calar e sossegar minha alma, assim como a criança desmamada se aquieta nos braços de sua mãe”.
É a criança pequena  que mais precisa deste conforto materno. Deus foi muito bondoso, por ter dado um lugar de abrigo e de paz à criança, justamente nesta idade em que ela é tão sensível, tão quebradiça, tão fraca. Nesta idade em que o mundo parece, muitas vezes, tão ameaçador, tão complicado e tão confuso.
• O que seria do mundo, se não houvesse mães que consolam?
• Mães que não apenas amamentam, mas que nutrem seus filhos com confiança, com fé, com coragem?
E o que vamos dizer agora, só poderemos fazê-lo com o coração a tremer:
• Que será das crianças que não tem por abrigo e refúgio um colo materno,
• O que será das crianças que não conhecem braços de mãe em que se possam refugiar, na tristeza e na hora do medo e do desespero?
• o que será de crianças, cuja mãe morreu? Ou crianças que tem mãe só na certidão de nascimento, mas não na vida real? Filhos abandonados por pai e mãe?
No Brasil há milhões de menores abandonados, que vivem na rua, sem lar, sem pai, nem mãe que olhem por eles!
• O que vai ser de nosso país se estes milhões de menores abandonados não encontrarem consolo durante aquela fase da sua vida que é tão delicada, jogados num ambiente cruel, ao qual só poderão resistir, revestindo a alma com uma casca dura como pedra?
• O que vai ser de nossas casas, sejam casas de favela, ou seja, casas de pessoas ricas, se não houver dentro delas um lugar, uma realidade, chamada coração de mãe?
Deus tenha piedade de nós! E nós tenhamos piedade também! Piedade daqueles que não tem o que nós tivemos ou que ainda temos. Talvez não haja país no mundo mais desesperadamente ( ou mais esperançosamente) necessitado de consolo do que o nosso. Há muita gente desconsolada no Brasil. Não só entre os milhões de pobres. Não são só os milhões de menores abandonados jogados na rua. Há jovens confundidos e revoltados, revoltados por fora, mas em realidade feridos por uma indescritível solidão dentro do coração, que, bem por dentro nada mais pensam do que:
• Se eu tivesse uma boa mãe, um bom pai!
O “Correio do Povo” publicou, recentemente, o caso de um menino de 15 anos que chegou a matar uma pessoa. Preso pela polícia contou que não tinha lar. Disse que tinha matado, porque ninguém, na vida dele, jamais lhe tinha oferecido um bolo de aniversário! Este jovem infeliz, com a vida estragada, não quis dizer outra coisa a não ser:
-  o que me faltou foi amor.
E como este rapaz, há milhões de adultos que tampouco sabem o que é amor e o que é consolo, nem o que é confiança, amizade ou paz. Onde estão os corações maternos ( e o homem, como a mulher, podem ter este coração materno também, graças a Deus!)  que são suficientemente grandes para poderem oferecer um lugar - oferecer tempo, interesse, amor - para aqueles que, mais do que pão, precisam da segurança e do conforto de uma pessoa que os ame!
• Só o dinheiro não vai resolver o problema do menor abandonado, nem os do jovem ou os do adulto amargurado.
É preciso que haja corações que refletem a misericórdia de Deus!
Uma pergunta angustiante, para pais e mães:
- Como uma criança que nunca soube o que é amor materno, nem paterno pode compreender que Deus a  ama? Este “como” de nossa passagem bíblica é fogo que queima em nossa consciência: “Eu vos consolarei como alguém é consolado por sua mãe”.  Então nossos filhos medem o amor pelo nosso amor? E se não há onde medir, como uma criatura humana poderá crer que Deus a ama de fato?
Há pouco dissemos que queríamos deixar o espelho do coração materno bem claro e reluzente. Agora precisamos confessar que não damos conta do recado. Os espelhos são tão poucos e são frágeis, e os que precisam deles são tantos! Mas queremos dizer com clareza que há quem possa fazer o milagre. É Deus. Ele poderá criar, fazer brilhar, fazer brilhar de novo os  corações de mãe. Quem sabe, também em você ou para você. Ou tanto uma coisa como a outra!
Creio que o texto de Isaías aponta para a direção onde os espelhos são criados e onde seu brilho é renovado. É um lugar chamado Jerusalém. No tempo em que o profeta pregava, era mesmo a cidade de Jerusalém, que simbolizada a “Aliança de Deus” com o seu povo. Esta cidade necessitava de consolo, naquele tempo, tanto como os milhões de menores abandonados, na Brasil.
• E Jerusalém era a cidade do templo, era a cidade de Deus!
• Era a “cidade da paz”, mas não havia paz.
• Era a cidade do povo de Deus, mas o povo de Deus andava espalhado, pisado por seus inimigos.
É nesta situação que Deus fala através de seu pregador: alegrem-se! Vocês que choram por sua cidade, riam! Minha cidade vai ser igual a uma grande mãe; vocês serão filhos dela, que vão mamar em seus peitos. O alimento que ela vai dar a vocês será gostoso e abundante. Haverá paz de fato, nesta cidade sem paz. Haverá consolo de fato, nesta cidade desconsolada. É que eu consolarei: “Consolarei assim como uma mãe consola. E em Jerusalém serei consolados”.  Vocês serão revigorados, e o poder do Senhor será visto por todos.
Então Jerusalém, a cidade do povo de Deus, será a grande mãe. O próprio povo do Senhor será fonte de consolo. O povo consolador vai ensinar seus membros individuais a consolarem também, a terem espírito maternal. Nós precisamos dizer as coisas de forma breve e simples. Temos aqui a visão do povo de Deus, a comunidade de Cristo, que recebeu de seu Senhor o distintivo do amor, que recebeu o consolador, o Espírito Santo, que cria e que mantém a igreja. E, nesta igreja de Cristo se criam e se purificam os espelhos nos quais se reflete o amor de Deus de que nosso mundo precisa.
Assim, você, seja mãe ou seja pai, filho, filha, irmão, irmã: Aceite o consolo que o próprio Deus lhe oferece na comunidade de Jesus e passe-o adiante; porque você precisa saber: só os consolados sabem consolar, Deus o quis assim.

 

CONFISSÃO DE FÉ
Fortalecidos pela graça e misericórdia de Deus por nós convido a nos colocarmos de pé e confessarmos a nossa fé com o Credo Apostólico.

Creio em Deus Pai, ...

CANTO PÓS CONFISSÃO (proceder motivação e o recolhimento das ofertas)
Nº - HPD 286 – Obrigada Pai Celeste


ORAÇÃO DE INTERCESSÃO
Motivos de Oração:
1. Aniversariantes
2._______________________________________________________
3._______________________________________________________
4._______________________________________________________

PAI NOSSO
Pai nosso ...

LITURGIA DE DESPEDIDA

AVISOS
Próximo Culto: ___/___/______ às ___:___ h.
Oferta último Culto: R$ _________ - destinada para ...
______________ _________________________________________
________________________________________________________
________________________________________________________
BÊNÇÃO:
Que o Senhor Deus te abençoe e guarde. Que Ele levante o seu rosto sobre vós e vos conceda a paz. Amém

ENVIO:
Vamos em paz e servir ao Senhor com alegria.
CANTO FINAL
350- HPD – Que a Graça do Senhor Jesus

 


Autor(a): Diác. Mariane Schneider
Âmbito: IECLB / Sinodo: Mato Grosso
Natureza do Domingo: Pentecostes
Perfil do Domingo: 7º Domingo após Pentecostes
Testamento: Antigo / Livro: Isaías / Capitulo: 66 / Versículo Inicial: 10 / Versículo Final: 14
Título da publicação: Caderno de Cultos - Sínodo Mato Grosso / Ano: 2013
Natureza do Texto: Pregação/meditação
Perfil do Texto: Prédica
ID: 22979

AÇÃO CONJUNTA
+
tema
vai_vem
pami
fe pecc

Quem persiste na fé, verá, ao final, que Deus não abandona os seus.
Martim Lutero
EDUCAÇÃO CRISTÃ CONTÍNUA
+

REDE DE RECURSOS
+
Deixem que o espírito de Deus dirija a vida de vocês.
Gálatas 5.16
© Copyright 2020 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br