Sínodo Mato Grosso



Rua Aristides Félix de Andrade , 840 - Araés
CEP 78005-605 - Cuiabá /MT - Brasil
Telefone(s): (65) 2129-6592
sinodomt@luteranos.com.br
ID: 10

Lucas 12.32-40 - 12º Domingo Após Pentecostes - 11.08.2013

Caderno de Cultos 2013

11/08/2013

12º Domingo após Pentecostes, dia 11/08/2013

Prédica: Lucas 12.32-40              Leituras: Gênesis 15.1-6 e Hebreus 11.1-3, 8-16                                                                     

Teobaldo Witter – Cuiabá, MT

LITURGIA DE ABERTURA

ACOLHIDA

Dia 11 de agosto de 2013 é dia dos pais. A mensagem, em qualquer época do ano, sempre é mais importante do que tempo, períodos e datas comemorativas. A mensagem é fundamental para a vida e salvação. Sem ela, não haveria o que comemorar. Segundo o entendimento cristão, sem a palavra de Deus não há vida com sentido.
Apesar da reflexão acima, Deus permite comemorar datas importantes. Através delas Deus nos fala, também. Veja como Deus é real, concreto, simples e fácil de entender. Ao comemorarmos o dia dos pais, refletimos a partir da pessoa paterna do próprio Deus, conforme Jesus ensinou.

Neste culto, a Igreja está feliz, porque o Senhor vai falar. Ele veio para se revelar, nos servir e defender. E nós queremos nos comprometer com ele pela promoção da vida verdadeira e salvação para todos. Queremos crer nele e permanecer no seu amor, na comunhão do seu povo. Além disso, temos visitantes entre nós, sendo isso motivo de muita honra e felicidade para a igreja toda. A igreja está muito feliz com a presença de vocês. Pedimos que as pessoas que nos visitam sejam apresentadas para a igreja: Mencionar o nome dos visitantes................

Cantar (ou ler), depois da apresentação dos visitantes:
Visitante seja bem-vindo/Sua presença é um prazer/ Te afirmamos com toda a certeza:/ Esta igreja  ama você.
Visitante seja bem-vindo/ Sua presença é um prazer/ Te afirmamos com toda a certeza:/ Jesus Cristo ama você.
Solicitar que as pessoas próximas ao local onde se encontram os visitantes para que os cumprimentem em nome da comunidade, enquanto as outras batem palmas de boas vindas.

CANTO DE ENTRADA

Nº 333- HPD 2 – Canção da chegada


SAUDAÇÃO TRINITÁRIA

Anunciamos que estamos reunidos neste culto, em nome de Deus criador e libertador: Pai-Filho-Espírito Santo. Amém.
O salmo 95.6 conclama:” Vinde, adoremos e prostremo-nos; ajoelhemos diante do Senhor, que nos criou. Ele é o nosso Deus, e nós, somos povo do seu pasto e ovelhas de sua mão”.
Segundo Gênesis 15.1-6, Abraão, um candidato a pai, fala de sua ansiedade e preocupação em relação ao fato de já estar avançado em idade e de Deus já ter-lhe prometido descendência, mas ele e Sara continuam sem filho. Ele se queixa, porque Deus estaria lhe negando descendência. Deus, no entanto, reafirma a promessa da descendência. E manda que Abraão levante a cabeça e conte as inumeráveis estrelas. Assim será a sua descendência. Abraão creu. A promessa se cumpriu. Na questão da justiça da fé, Abraão é o pai de muitos povos, inclusive do povo cristão. Neste dia dos pais lembramos Abraão como um dos pais da fé, estamos sendo vocacionados por Deus para dar razão da esperança, o nosso Pai querido.  
Orar junto com as crianças, próximo ao altar

CANTOS DE INVOCAÇÃO
Nº 473 - HPD 2– Em tua presença
Nº 366 - HPD 2 – Vem, Espírito Santo

CONFISSÃO DE PECADOS

Saiu no jornal Zero Hora, faz tempo. Um pai levou seu filho à faculdade, de manhã, que ficava no caminho de seu trabalho.
Durante o percurso, avistam lixeiras limpas e pintadas para a coleta seletiva lixo. O pai conclui: “Veja que bom. Agora podemos jogar o lixo diretamente na lixeira”.
O filho comenta: “Vamos ver por quanto tempo estas lixeiras vão ficar aqui. O povo vai jogar o lixo na rua e vai destruir as lixeiras”.
No segundo dia, saiu manchete no jornal. E ela dizia: “ontem, os vândalos queimaram duas lixeiras novas”. E no dia seguinte já não havia lixeira, mas o lixo estava jogado na rua, fedendo, criando mosquitos e provocando doenças. (Texto contado pelo P. Nestor e adaptado). 
O pai ficou preocupado com a queima das lixeiras. Mas a maior preocupação dele foi com a falta de esperança do filho dele. Falta de esperança causa indiferença. O filho não moveu um “palitozinho” para mudar a situação. Ele se conformou e ficou por isso, como se o assunto não fosse com ele. A falta de esperança leva à indiferença. A indiferença leva à morte. Vamos confessar nossa falta de esperança e nossa indiferença em viver o discipulado e de promover justiça e paz.

Convite à comunidade para um minuto de oração individual, onde todos possam se voltar a DEUS, em silêncio, e fazer a sua confissão de pecados particular.... (Silêncio para a oração de confissão individual)

Em seguida, faremos a confissão comunitária:
Querido e bondoso Deus, tu és nosso Pai querido. Nós somos teus filhos e filhas amados por ti. Tu cuidas de nós. Teu amor não aguenta a nossa falta de  esperança e nossa indiferença. Por isso, tu ages para fazer mudanças. Tu és a fonte da nossa vida e felicidade. Sabemos que essa vida e felicidade sofrem danos, quando pecamos, pois o pecado nos afasta de ti. Neste momento, queremos, humildemente, confessar que falhamos perante o Senhor. Sempre desconfiamos de ti, assim como os nossos pais desconfiavam. Desconfiamos da importância do teu amor, de tuas obras, da tua graça, das tuas promessas de vida e salvação. Somos egoístas, gananciosos, briguentos e avarentos.  Até mesmo na vida piedosa somos, muitas vezes, exclusivistas, porque queremos toda luz para nós e as trevas para os outros.  Usamos mal os dons que tu nos dás. Também nós desobedecemos teus mandamentos. Perdoa-nos pelo nosso egoísmo diante do sofrimento e das dores dos nossos irmãos. Perdoa-nos quando agimos sem amor com aqueles que clamam pela nossa solidariedade. Sim, neste sentido pecamos por palavras, atos e omissões. Abusamos de tua paciência conosco. Isso tem provocado mal-estar pessoal e comunitário, inclusive na precariedade missionária a que nos acostumamos e acomodamos.  Precisamos do teu perdão para voltarmos a ter comunhão contigo e comunhão em ti com o teu povo, tua comunidade. Concede pela fé que aceitemos o perdão oferecido por Jesus na cruz. Obrigado Deus pelo teu perdão e amor. Tem compaixão de nós, Senhor.

ANÚNCIO DO PERDÃO
Jesus ensina: “Não temais, pequeno rebanho, porque o vosso Pai se agradou em dar-vos o seu reino”. As minorias abraâmicas “esperam contra toda a esperança”. Irradiam confiança pelo Reino do Pai e pela edificação de igrejas acolhedoras, amigas e compromissos e de sociedade justa e fraterna, superando todas as formas de pecados, de medos, indiferença, insensatez, falta de compromisso e violências. Aos e às penitentes anunciamos reconciliação e o perdão de Deus.
Deus Pai, Filho e Espírito Santo ouviu os seus clamores por perdão, vida e salvação e anuncia a paz. Amém. 
KYRIE

Abraão, um dos pais de nossa fé, resmungou. Ele se queixa, porque Deus estaria demorando em cumprir a sua promessa. Deus, no entanto, reafirma a promessa da descendência. E manda que Abraão levante a cabeça e conte as estrelas, se for capaz. Ele não conseguiu nem contar as estrelas. São muitas e incontáveis, pois Deus Pai continua criando estrelas. Imagina, então, se Abraão fosse capaz de contar todas as promessas que Deus já cumpriu. Mas, ele creu. E viu Deus cumprindo com as suas promessas. E não ficou mais indiferente, mas compromissado e esperançoso.
As pessoas precisam de Deus. Elas vivem atribuladas, confusas, angustiadas, machucadas, amarguradas. A igreja deve ouvir estes clamores. Levar a Deus as suas promessas para que elas se realizem junto às pessoas e trabalhar para que a vida seja melhor para todos.
Queremos agora pedir pelas dores do mundo.
Senhor, nós imploramos tua piedade e misericórdia sobre nós. Vem guiar o teu povo que, ainda, anda em caminhos errantes. Por caminhos de enganos e trevas.
Cobre de luz a tudo e todos. Olha, especialmente, para e junto ao povo que vive nas trevas da indiferença que produz ignorância, injustiça, fome, sede, violência, brutalidade e miséria humana.
Há muitos líderes e governantes que só pensam na guerra e no poder, que não são fiéis a ti, apesar de toda a responsabilidade que lhes foi confiada. Senhor, trate das dores das pessoas vítimas destes líderes e restaura paz e justiça. Restaura a justiça social e a paz como fruto desta justiça, também, mediante governos e autoridades corretas, íntegras e justas. Mediante ministros, ministras, presbitérios e demais líderes da igreja equilibrados e justos nas suas atitudes.  Restaura a humanidade, na sociedade e nas igrejas, e dá vida abundante e graciosa para todos, Senhor. “Ouve, senhor, eu estou clamando. Tem piedade de mim e me responde”.


GLÓRIA IN EXCELSIS
A igreja abençoada com a palavra de Deus é igreja alegre e feliz. É feliz, porque é humilde, misericordiosa, tem fome e sede de justiça, trabalha pela paz, é sal e luz no mundo. É alegre, porque  a sua alegria vem do Senhor e é perfeita, como chuva de bênção.
Depois do momento do Kyrie em que lembramos as dores do mundo e levantamos os lamentos ao Senhor que os ouve e atende, queremos glorificar. Deus é bom. E a sua glória enche céu e terra.  Cantemos glória a Deus, pois, ele governa com justiça e amor. Cantemos todos juntos, a uma só voz:
Nº 253 - HPD 1- Glorificado seja o teu nome

ORAÇÃO DO DIA
Tua Palavra entre nós é o alimento que nutre nossa vida de fé e comunhão. E a realização de tua promessa de estar conosco. As tuas promessas são fundamentais para vivermos na confiança, no amor, na comunhão e na amizade. Mas a tua palavra salva e condena. Salva a vida, vive na confiança em ti, condena a vida vivida com indiferença a ti e ao próximo. Por isso, oramos: prepara-nos para que possamos ouvir, entender e legitimar o teu amor e a tua graça na nossa vida cotidiana. Senhor Deus e Pai bondoso, nós queremos agora declarar nosso amor e confiança em ti. Somos carentes de teu amor. Tu és maravilhoso e soberano sobre tudo e todos. Queremos neste dia nos entregar totalmente a ti e ouvir atentos a tua Palavra. Fala ao coração de cada de um de nós aqui presentes. Tira de nós as trevas da cegueira que impedem que nós notemos a proximidade do teu Reino.  Que tenhamos disposição para acolher a tua palavra e praticá-la. Por Jesus Cristo, teu filho amado, nosso Senhor, que contigo e com o Espírito Santo governa de eternidade a eternidade. Amém.

LITURGIA DA PALAVRA

LEITURAS BÍBLICAS

Canto: Felizes os que ouvem a palavra do Senhor. Felizes os que buscam a justiça e o amor (2X)

1ª Leitura Bíblica: Gênesis 15.1-6

Canto: Felizes os que ouvem a palavra do Senhor. Felizes os que buscam a justiça e o amor (2X)

2ª Leitura Bíblica: Hebreus 11.1-3, 8-16

CÂNTICO INTERMEDIÁRIO

Nº 379 – HPD 2 – Pronto para ouvir

PREGAÇÃO

Olhemos na Palavra das Escrituras, segundo o Evangelho de Lucas: Lucas 12.32-40 (ler o texto)

Amigos, amigas!

Você já recebeu um presente que não gostou? Como foi? O que fez? E ainda guarda um presente que ganhou e gostou? Que presente é? Quem deu para você? Por que gostou de um e não gostou de outro? O que os presentes significam na sua vida?

Você, pai, já deu presentes para seus filhos e suas filhas? O que elas e eles fizeram com os presentes? Será que gostaram? Valorizaram o presente? Acho que não tem nada mais triste para um pai dar um presente para o filho ou a filha que faz “bico, faz cara feia”, quando recebe.

Neste dia dos pais quem dá o presente é o Pai, não os filhos e as filhas. Os filhos recebem, de graça, sem cobranças, o presente, neste dia. O Pai dá o presente, não porque é obrigado, mas porque gosta de dar o presente. Mas que presente? Um presentão. Um presente que ninguém esperava. “Não temais, pequeno rebanho, pois, o Pai agradou-se em dar para vocês o seu Reino”. O centro do texto é o presente do Pai, isto é, o seu Reino, todo ele, de graça para você, para nós.

Apesar disso, tem gente que não gosta do presente. Tem gente que fica triste, porque têm outros tesouros, outros reinos. Permanecer junto ao Reino do Pai. E aí não sabem direito o que fazer com o presente do Pai. A grande diferença é que o reino dos humanos, os seus tesouros, são de morte e acabam logo. Mas o reino que o Pai dá é eterno, para sempre, e é de vida. E as pessoas tem dificuldade para entender isso. Jesus chama os filhos que gostam do presente do Pai de Pequeno rebanho. E chama de loucos, avarentos e ansiosos os que não gostam do presente do Pai. Jesus fica triste, porque as pessoas confiam nos bens materiais e tem ansiedade pela posse dos mesmos. Vamos ver no contexto do Evangelho.
O texto de Lucas está inserido num contexto maior. Há uma crítica de Jesus em relação à postura de lideranças e pessoas influentes, especificamente, em Lucas 11.37-12.36.  Ele pontua assuntos de sua crítica em relação ao ensino e postura de fariseus e escribas. Mas, para o entendimento do texto da pregação, importa verificar o tema de Lucas 12. 13ss. Jesus é solicitado por um homem, no meio da multidão, para ser juiz numa questão de herança. A partir deste fato, a crítica de Jesus se centra no tema da confiança nos bens materiais e da ansiedade pela posse dos mesmos. O tema é aprofundado até o versículo 34. Jesus chama a atenção para não se entregar completamente aos cuidados da avareza (vs. 15-21). Disse que é louco quem confia na abundância de seus bens, a exemplo do agricultor insensato. Depois, adverte para não viver ansiosamente na busca pelos bens. Menciona, positivamente, os lírios do campo e as aves do céu, porque não estão ansiosos.  Entregues aos cuidados do Pai, eles vivem abundantemente, felizes e com boniteza. E Jesus ensina para buscar o reino do Pai e sua justiça ( vs. 22-31).
Depois, Jesus volta-se para o pequeno rebanho. Ensina não temer. E prega sobre a promessa do Reino do Pai. Ele se agradou em lhes dar o seu Reino. O pequeno rebanho é desafiado a não confiar nos bens, repartindo-os e a fundamentar sua vida no tesouro eterno, preparado pelo Pai e que não será corroído. E concluiu, dizendo que “onde está o tesouro, aí estará o coração” (vs. 32-34). A seguir, é mencionada a postura do pequeno rebanho. Vivem em postura de preparo e vigilância diante da eminente e da surpreendente vinda do Filho do Homem (vs. 34-40). O tema continua nos versículos seguintes ( vs. 41-48), cada vez mais “em sentido da surpresa e do pavor para o servo que não assume a postura de vigilância e preparo correto, tornando-se novamente semelhante ao agricultor avarento”.   Ele errou, porque seu coração avarento estava preso ao tesouro errado.
Os versículos 32 e 34 são fundamentais ao conjunto, porque enfocam a temática da confiança (da fé) , do coração e do tesouro. Estamos sendo perguntados: onde está nosso coração: no Pai e seu Reino eterno ou nos bens temporários? O preparo correto e a vigilância (vs. 35 40) são lidos no contexto da vida cotidiana de confiança e do cuidado. O agricultor avarento teve cuidado e confiança, mas ele errou o alvo, isto é, colocou a confiança, a vigilância e o cuidado nos bens materiais. Estes são temporários e transitórios. Na hora do Reino Eterno não podem ajudar e para nada servem.

Jesus tem foco no Pequeno rebanho que é feliz. Como pode alguém ser pequeno e feliz, neste mundo onde tudo e todos querem ser grandes? ”Mas Jesus diz: Não temais pequeno rebanho, pois, o Pai agradou-se em dar para vocês o seu reino”.  Com vida fundamentada no tesouro eterno, o pequeno rebanho está feliz. A sua felicidade é contagiante. Por ser fundamental para a vida, o rebanho se encontra em preparo constante, em vigilância e cuidado. Ninguém sabe quando, nem como o reino do Pai vem em plenitude. Por isso, o pequeno rebanho está atento sempre.  Mas Jesus não deixa ninguém fora. Ele quer a salvação de todos e todas. Sua crítica não é para condenar, mas para explicar e salvar.
Como assim? Penso em algumas ideias. A vigilância e preparo constante poderia ter alguns jeitos humanos: trabalhar normalmente, em trabalhos honestos. Dedicar diariamente ao diálogo com a Palavra do Senhor. Valorizar e respeitar as pessoas que conosco convivem e as demais que encontramos em nossos caminhos, incluindo as que pensam e vivem diferentes de nós. Deus as colocou junto de nós, aos nossos cuidados. Nós cuidamos delas, e elas cuidam de nós. Os nossos cuidados são para a vida e salvação, no Senhor. Devemos incluir as pessoas em nossos sonhos. Observar os ciclos da vida e perceber neles os cuidados de Deus. Defender e promover a justiça e solidariedade nos âmbitos da vida humana. Buscar nosso projeto de vida com fundamento no tesouro eterno. A gente não pode ter muitas ilusões, nem ser ingênuo. Por isso, é necessário refletir, pensar nosso projeto e se apaixonar por ele, assumi-lo com cuidado e atenção. E nele ser perseverante.
Penso que, assim, a Igreja e seus membros estão livres para semear minorias abraâmicas, pequenos rebanhos, onde estiverem. Não podemos nos deixar vencer pelo deserto, mas vencer o deserto pela vida do Reino de Deus, também, na edificação de muitas comunidades pequenas como sementes para transformarmos juntos, o mundo, as instituições, as pessoas e a justiça.
Com o coração grudado na Palavra, no tesouro eterno, a nossa fé nas promessas de Deus ganha um novo gás, novo ânimo, novo impulso que se renova a cada dia. P. Frank Tiss, pastor e professor, trabalhou junto com grupos do povo Kulina, no sul do estado do Amazonas. Ele escreveu, dizendo que fez uma reflexão junto com o povo indígena. Franck escreve que “tudo nesta terra é de durabilidade limitada e é uma experiência diária para quem vive na selva. Que vale a pena dedicar-se ao que é eterno, os Kulina concordam imediatamente. E que o nosso coração fica sempre perto daquilo que para nós tem mais valor, já está até na língua deles: para dizer que amam alguém, dizem que o seu coração “está grudado” no outro. Ou, como ensina Jesus: “Onde está o vosso tesouro, aí estará também o vosso coração”. ]
Pai, mãe, filho e filha, gostou do presente de Deus, o Pai eterno? O que vai fazer com o presente? Onde está o teu coração, amiga, amigo?
HINO
Nº 356- HPD 2 – Pai nosso, pão nosso

CONFISSÃO DE FÉ

Depois de ouvirmos a Palavra do Senhor, estamos motivados e compromissados para confessar bem alto a nossa fé em Deus. Confessemos, pois, em conjunto e junto com toda a cristandade na terra, a nossa fé com as palavras do Credo Apostólico.

Creio em Deus Pai, ...

CANTO PÓS CONFISSÃO (proceder motivação e o recolhimento das ofertas durante o canto)

Nº 26- PC – Boa noite, meu Pai ( recolher as ofertas)


ORAÇÃO DE INTERCESSÃO
Recolher os motivos de oração que a igreja mencionou e os que os membros trouxeram para o culto:
1. Aniversariantes
2._______________________________________________________
3._______________________________________________________
4._______________________________________________________
5._______________________________________________________
6._______________________________________________________

Oremos:    
Deus, obrigado pelo encontro e convívio, aqui neste culto, onde tu nos serviste com tua Santa Palavra.
Obrigado, Pai querido, pelo presente do teu Reino que nos estás dando. Tu gostas em nos dar o teu presente. Nós gostamos de recebê-lo. De forma especial te agradecemos pelo irmão e amigo que nós deste, nosso Senhor Jesus Cristo.  Rendemos-te graças pelo nascimento, vida, ensinamento, morte e ressurreição de teu filho amado, nosso Senhor Jesus Cristo que trouxe luz e vida à nossa escuridão e morte. Obrigado pela esperança e pelo perdão que nos deste, por tua promessa em atender nossas súplicas pelas dores do mundo, pela pregação. Obrigado que tu permites nosso louvor através dos hinos. Graças pelo dinheiro que temos e que nos dá condições para viver melhor e te ofertar para o trabalho da tua igreja, na sociedade. Senhor, o teu povo deseja interceder e pedimos que tu ouças e atendas as intercessões, se for de tua vontade e de nossa necessidade:  (mencionar motivos de oração da comunidade).....................................................

Deus, nosso Criador e Libertador, em tuas mãos nós confiamos as intercessões de tua comunidade, aqui reunida em oração.  Queremos, de forma especial, interceder pelos homens entre nós, pelos nossos pais, na vida e na morte. Abençoa seu esforço por dar o melhor para seus filhos. Obrigado pelo trabalho deles, pela dedicação, pelo cuidado. Queremos interceder pelos casais em conflito, pelos pais e filhos que têm dificuldades em se entenderem, pelos conflitos entre irmãos e irmãs, pelos conflitos comunitários, pelos conflitos na rua, no trabalho e em qualquer outra parte em que pessoas se agridem, se traem, de machucam, se magoam.  Pedimos, especialmente, a favor dos cristãos do mundo todo que estão brigando, discutindo, se ferindo e magoando mutuamente. Dá criatividade e ânimo ao presbitério para trabalhar e enfrentar tais questões em suas atividades. Dá coração aberto e sensibilidade para percebermos a importância da reconciliação contigo e com as pessoas ao nosso redor. Tudo mais que precisamos para nossa reconciliação, vida e salvação, e tu bem sabes do que necessitamos, incluímos na oração que Jesus Cristo nos ensinou (Pai Nosso):

PAI NOSSO
Pai nosso ...

LITURGIA DE DESPEDIDA
AVISOS
Próximo Culto: ___/___/______ às ___h___ min.
A oferta do último culto foi de R$ _________ - destinada para ............................................
O último culto, que foi no dia___ /____ / contou com a presença de____ pessoas..,
________________________________________________________
________________________________________________________
________________________________________________________
________________________________________________________

BÊNÇÃO

Graças a Deus que nos dá pessoas com diversidade de dons para que sua Palavra chegue onde lhe aprouver. Que Deus guarde cada um de vocês, como Ele sempre tem feito na palma de sua mão de pai querido. Recebe a bênção como filhos e filhas amadas do altíssimo Deus:

Que o senhor os abençoe e guarde. Que Senhor os guarde dos caminhos do mal, das trevas e da morte. Que o Senhor os proteja de todos os danos e perigos, de confusões e da morte. Em nome de Deus Pai, Filho e Espírito Santo. Amém.


ENVIO
Agora, caminhamos em paz, cientes do nosso compromisso e de nossa responsabilidade na amizade com Deus e na comunhão fraterna de ensinar e viver na perspectiva do Reino de Deus que, em Jesus Cristo, já chegou. Enquanto caminhamos, vamos dizer ao mundo todo que o Senhor Deus é bom, amoroso, justo e, através do perdão, mediante arrependimento, faz acontecer vida e salvação para todos os que assim o necessitarem e desejaram. Amém.

CANTO FINAL
Nº 372- HPD 2 – Hosana hey


Autor(a): P. Teobaldo Witter
Âmbito: IECLB / Sinodo: Mato Grosso
Natureza do Domingo: Pentecostes
Perfil do Domingo: 12º Domingo após Pentecostes
Testamento: Novo / Livro: Lucas / Capitulo: 12 / Versículo Inicial: 32 / Versículo Final: 40
Título da publicação: Caderno de Cultos - Sínodo Mato Grosso / Ano: 2013
Natureza do Texto: Pregação/meditação
Perfil do Texto: Prédica
ID: 22745

AÇÃO CONJUNTA
+
tema
vai_vem
pami
fe pecc

A vida cristã não consiste em sermos piedosos, mas em nos tornarmos piedosos. Não em sermos saudáveis, mas em sermos curados. Não importa o ser, mas o tornar-se. A vida cristã não é descanso, mas um constante exercitar-se.
Martim Lutero
EDUCAÇÃO CRISTÃ CONTÍNUA
+

REDE DE RECURSOS
+
Ninguém sabe o que significa confiar em Deus somente, a não ser aquele que põe as mãos à obra.
Martim Lutero
© Copyright 2020 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br