Sínodo Mato Grosso



Rua Aristides Félix de Andrade , 840 - Araés
CEP 78005-605 - Cuiabá /MT - Brasil
Telefone(s): (65) 2129-6592 | (65) 9840-66020 | (65) 9846-83271
sinodomt@luteranos.com.br
ID: 10

Lucas 10.1-11 - 4º Domingo Após Pentecostes - 03/07/22

Caderno de Cultos 2022 - Sínodo Mato Grosso

28/06/2022

03/07/22 - 4º Domingo Após Pentecostes
Texto de prédica: Lucas 10.1-11
Missionário Whanderson Perobelli Lucas do Rio Verde - MT

LITURGIA DE ABERTURA

ACOLHIDA
Bom dia! Sejam bem-vindos à presença de Deus! Ele nos recebe com o verso de Lucas 8.15: “A Semente que caiu na terra boa são os que, tendo ouvido de bom e reto coração, retém a palavra; estes frutificam com perseverança. ”
E que você que está conosco pela primeira vez tenha certeza de que Deus também o recebe com seus braços de amor! Que bom que você está aqui!

CANTO DE ENTRADA
337 – HPD 2 – Reunidos aqui

SAUDAÇÃO
Nos reunimos na presença dAquele que é Pai, Filho e Espírito Santo! Ele cria o melhor ambiente para que nós possamos disfrutar de Sua presença!

CANTOS DE INVOCAÇÃO
85 – HPD I – Vem Espírito Divino

CONFISSÃO DE PECADOS
Querido Pai, tu és Santo! Tu és também um Pai repleto de amor. Ficamos admirados com a tua grandeza e o poder manifestado em tudo o que criastes! Quando olhamos para nossas atitudes e para o nosso coração percebemos o quão pecadores somos, e carecidos estamos de tua graça e perdão. Muitas vezes como sementes teimosas e tardias demoramos a acolher Tua palavra em nossa vida, fazendo com que os frutos que esperas de nós tardem vir. Tem misericórdia de nós e perdoe-nos por nossa desobediência! Desobediência que se reflete em nossa vida, na vida com o próximo e Contigo. Ajuda-nos a ouvirmos o Teu chamado para irmos a Ti e nos aproximarmos sem medo! Pelo nome de Teu filho Jesus, oramos!

ANÚNCIO DO PERDÃO
“Se dissermos que não temos pecado nenhum, a nós mesmos nos enganamos, e a verdade não está em nós. Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça” (1 Jo 1.8-9). Como ministro/a chamado/a e ordenado/a pela Igreja de Jesus Cristo, declaro a vocês o perdão de todos os seus pecados, em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo. Creia e confie em Sua Palavra. Amém.

KYRIE
Nosso coração se inclina para o mal e para nos esquivarmos de viver a Palavra de Deus sem compromisso com a sociedade. Também por causa disto pessoas sofrem. A dor e o sofrimento fazem parte de nosso mundo: Clamemos pelas dores deste mundo, cantando: Pelas dores deste mundo...

GLÓRIA IN EXCELSIS
Pela misericórdia e bondade de Deus cantemos-lhe glória (ENE nº140 – Glória)

ORAÇÃO DO DIA
Obrigado, Pai Celeste, porque tu vês o quão longe as pessoas estão de Ti. Obrigado por que Tu sabes que somente em teus braços de amor seremos capazes de transformar o mundo. Obrigado porque Tua Palavra é a dinamite que implode as indiferenças e mostra o poder de transformação que é o Evangelho. Dá-nos ouvidos para ouvir que Tu estás falando conosco onde nós estamos. Que Tua palavra, encontre em nós, um coração receptivo a Ela. É o que te pedimos em nome de Jesus Cristo, nosso Senhor e único Salvador. Amém.

LITURGIA DA PALAVRA

LEITURAS BÍBLICAS
1ª Leitura Bíblica: Isaías 66.10-14
2ª Leitura Bíblica: Salmos 66.1-8
3ª Leitura Bíblica: Lucas 10.1-11

CÂNTICO INTERMEDIÁRIO
165 – LCI – Estou pronto, Senhor.

PREGAÇÃO

Há alguma incerteza textual sobre se o número é 70 ou 72, o que eu suspeito que seja devido ao senso de paralelo com os 70 anciãos designados por Moisés em Números 11.16-25. Isto pode sugerir que Jesus não está fazendo algo novo, mas repetindo um padrão de relacionamento de Deus com seu povo no passado – ou, talvez, melhor, que essa coisa radicalmente nova é a mesma coisa radicalmente nova que Deus sempre fez. Deus nunca desejou ficar longe de seu povo e sempre tentou trazê-lo para próximo dEle.
Trabalho em equipe (vs. 1)
Jesus os envia dois a dois; missão nunca é realizada por indivíduos, mas apenas em equipes. É por isso que Paulo nunca trabalhou sozinho - exceto em Atenas (At 17.16-34), o único lugar onde não temos relato de uma congregação estabelecida. Este é um desafio constante ao nosso individualismo persistente. (Eu me pergunto se há também uma conexão com a ênfase bíblica na pluralidade do testemunho, de acordo com Dt 17.6.)
Por que enviá-los em pares? Existem muitas razões práticas, como segurança (Eclesiastes 4:12 ), mas acho que principalmente foi por eficácia e companheirismo. Eclesiastes 4:9 afirma: “É melhor haver dois do que um, porque duas pessoas trabalhando juntas podem ganhar muito mais. “Existem muitas pessoas multi-talentosas, mas ninguém tem todos os dons ou habilidades. Ao ter pelo menos dois em uma equipe, cada membro pode contribuir com suas forças particulares para compensar a fraqueza da outra pessoa. O companheirismo também é importante porque é fácil ficar sobrecarregado e desanimado quando você está tentando fazer as coisas sozinho. Um parceiro pode ajudar a mantê-lo encorajado e manter o foco adequado. Até os profetas geralmente tinham um servo com eles. Este é um princípio atemporal que faríamos bem em lembrar. Esta não é tarefa somente de uma pessoa, ou atribuição de alguns; ou a comunidade de fé é assim, ou não é comunidade de fé – discípulos de Jesus!
Eles foram enviados para os lugares onde 'Jesus estava prestes a ir', embora na verdade ele não pareça ter ido para lá posteriormente na narrativa de Lucas . Assim, os 72 realmente funcionam como a presença de Jesus nesses lugares, o que é confirmado por sua declaração posterior. O 'reino de Deus' está presente no ministério de Jesus, mas agora se faz presente no ministério dos 72 e seus discípulos.
Oração (v. 2) O segundo princípio a ser observado é a importância que Jesus deu à oração na preparação para o ministério. A tarefa diante deles seria muito maior do que a capacidade de alguns deles realizarem, então eles precisariam trazer essa necessidade diante do Senhor. Certamente não é diferente hoje. Nossa dificuldade missionária começa ao não percebermos a urgência e tamanho dos campos e ao não levarmos isto em oração. Compartilhar o Evangelho é um trabalho árduo e as pessoas simplesmente não estão interessadas. Em outras obras, ainda encontramos trabalhadores mais dispostos, mas a colheita não parece estar pronta. Jesus aqui diz exatamente o oposto; a colheita está lá, e pronta, e tudo o que é necessário é que os trabalhadores saiam e a colham! Isso, por sua vez, levanta questões sobre o que estamos dispostos a fazer e se, apesar de nossos melhores esforços, estamos realmente engajados no tipo de missão que Jesus tem em mente.
Segurança e foco (vs. 3-4) O ministério exigia que eles saíssem para um mundo muito hostil e eles mesmos estavam indefesos – cordeiros no meio de lobos. Isso seria insanidade se o que eles fizessem fosse apenas um esforço humano, mas não foi, não é e não será. Eles estavam sendo enviados pelo Senhor, para que pudessem ter certeza de que o Senhor os capacitaria a cumprir Sua vontade. O próprio Jesus os incumbiu da tarefa. A “missão” é vista como inerentemente arriscada; se há uma relação de poder, então os enviados são os sem poder, o que parece ser o contrário da história mais recente da missão. Há uma certa imprudência na tarefa, pois os enviados não planejam sua própria provisão. A ideia não é cair no improviso total, mas saber exatamente a quem o enviado serve e que ele será sustentado, protegido, por Aquele que o enviou. Sua confiança e foco estão em Deus.
Hospedagem - contentamento (5-7) Impressionante aqui o senso de realidade que esta seção assume. Aqueles que Jesus envia fazem uma diferença tangível; se eles abençoam as pessoas, essas pessoas são verdadeiramente abençoadas. Talvez o aspecto mais fascinante dessa realidade seja que as boas novas do reino são quase uma mercadoria, no sentido de que as pessoas que as recebem estarão dispostas a apoiá-lo porque apreciam o valor do que você traz. A ideia de que devemos receber e até depender das pessoas para quem estamos pregando é bastante chocante. Jesus aqui assume que as boas novas são em si uma bênção suficiente - e que aqueles que as ouvem ficarão tão gratos por elas que ficarão mais do que felizes em nos recompensar. Paulo faz o mesmo em 1 Tm 5.18, citando o ditado do Antigo Testamento de Dt 25.4.
A 'pessoa da paz', é o receptor solidário do evangelho que podemos encontrar nos lugares que vamos, nas famílias que visitamos. Devemos nos concentrar não nas multidões, mas em indivíduos significativos nas comunidades para as quais somos enviados que respondem positivamente.
Contentamento (7-8). Eles não deveriam ir de casa em casa tentando encontrar comida e alojamento melhores. Eles deveriam ficar onde estavam e comer o que lhes fosse dado. Eles também deveriam reconhecer que isso não era caridade pela qual eles ficariam em dívida com seu anfitrião, mas parte do salário de seu trabalho no ministério. Deus é aquele que provê para todos.
Esse é um princípio geral que ainda se aplica hoje. Muitas vezes as pessoas se mudam de um lugar para outro porque não estão satisfeitas com o que têm. Não estou dizendo que é errado melhorar a si mesmo ou suas circunstâncias, mas estou dizendo que tais esforços não devem aumentar por causa do descontentamento. É melhor fazer mudanças em sua vida porque você tem uma visão divina para o futuro e não porque não pode tolerar o presente. Um bom exemplo disso está em 1 Co 7.21-24.
O contentamento é mais importante para ter uma vida bem-sucedida do que a posição, e é crucial para um ministério bem-sucedido. Paulo afirma em Fp 4.11 que ele aprendeu a estar contente em qualquer circunstância em que estivesse. Isso não vem automaticamente, embora não deva ser difícil. Paulo disse a Timóteo: “Portanto, se temos comida e roupa, fiquemos contentes com isso”. As oportunidades de ministério abundam quando você não está sobrecarregado pelas coisas deste mundo (Ex: 1 Co 7.32-35).
Ministério (8-9)
“Comer o que está diante de você” seria uma coisa chocante para os judeus que querem observar as leis alimentares e que visitam aqueles que são menos kosher do que eles, mas está completamente alinhado com outro ensinamento de Jesus que prioriza o relacionamento sobre as sutilezas da lei judaica. Em muitas partes do mundo, estar disposto a receber hospitalidade é essencial para estabelecer relacionamentos; Ainda temos esta humildade de receber o que nos oferecem como alimento?
É desafiador aqui ver que o reino é entendido como estando presente no ministério encarnado dos seguidores de Jesus. Isso se aproxima muito da ideia de Paulo da comunidade cristã como 'o corpo de Cristo', mas porque a linguagem de Paulo se refere à comunidade reunida, muitas vezes esquecemos que aqui Jesus também aplica a ideia à comunidade dispersa. Somos a presença de Cristo não apenas quando nos encontramos, mas onde quer que estejamos.
O ministério específico que esses discípulos deveriam realizar está no versículo 9 – “curem os doentes daquela cidade e digam ao povo ali: “o reino de Deus chegou até vocês”.
São tantos os doentes que conhecemos: doenças emocionais, espirituais e físicas - curem estes. Façam o simples: conheçam as necessidades das pessoas. Cuidem delas. Saiam de si mesmos e observem as necessidades ao redor! A mensagem é simples. Não são necessárias grandes pesquisas, grandes estratégias de marketing. Só saiam de sua zona de conforto e cuidem das pessoas.
Contamos às pessoas as boas novas da salvação do pecado através da fé na pessoa e obra do Senhor Jesus Cristo e deixamos os resultados para o Espírito Santo. A conversão é uma obra de Deus na alma de um indivíduo. Você nunca argumentará com alguém para entrar no reino, e se você tentar ajustar o evangelho para aumentar a resposta das pessoas, você acabará mudando o evangelho e ganhando falsos convertidos que permanecem sob a justa condenação de Deus, mas que pensam que vão para o céu. Essa é uma das grandes tragédias do “evangelismo” moderno.
De acordo com 1 Coríntios 12, Deus dá a cada cristão um dom ou dons particulares para funcionar dentro do ministério particular que Ele lhes dá de acordo com o Seu poder sobre eles. Seu dom, ministério e habilidade serão diferentes de outros crentes, mas todas essas coisas devem trabalhar juntas para a edificação do corpo de crentes e realizar o ministério para o mundo.
Há sempre um senso de urgência no ministério. Há urgência para você também porque você não sabe quanto tempo você tem para realizar o ministério que Deus lhe deu.
Rejeição (10-12) Não presuma que as pessoas responderão positivamente ao seu ministério. Jesus preparou esses discípulos para a rejeição nos versículos 10-12. Devemos estar preparados também.
A realidade do reino de Deus na presença e ministério do povo de Deus significa a partida do reino na rejeição da mensagem. O comando é simplesmente 'limpar a poeira'. O simbolismo do ato surge da compreensão do Antigo Testamento da Terra de Israel como o lugar da bênção de Deus; quando o povo de Deus retorna à terra vindo do território gentio, eles sacodem a poeira de seus pés para que a terra da bênção não seja contaminada. O ato torna-se assim um sinal de rejeição judaica dos valores e estilo de vida dos gentios, e sinaliza um claro senso de separação entre os dois grupos. Assim, Jesus 'inclusivo', que comia com 'cobradores de impostos e pecadores', deixa claro que a rejeição da mensagem do reino levará à separação simbólica e real; a uma perda, ou a escolha de que alguém não quer o Reino!

HINO
Nº 200 – HPD I – Cantai e folgai

CONFISSÃO DE FÉ
Na comunhão com as pessoas que creem no trino Deus, confessemos nossa fé com as palavras do Credo Apostólico.
Todos: Creio em Deus...

CANTO PÓS CONFISSÃO (proceder motivação e o recolhimento das ofertas)
Deus tem sido misericordioso conosco e não nos tem deixado faltar nada. Neste momento queremos agradece-lo com aquilo que Ele nos deu.
Vamos recolher as ofertas que tem como destino a Comunidade Local.
Rogamos que Deus abençoe dádivas e doadores.
Cantamos para recolher as ofertas o hino: ENE - nº 42 – Cristo vive, e nós também

ORAÇÃO DE INTERCESSÃO
Motivos de Oração:
1. Aniversariantes
2._______________________________________________________
3._______________________________________________________
4._______________________________________________________
5._______________________________________________________
6._______________________________________________________

PAI NOSSO
Pai nosso ...

LITURGIA DE DESPEDIDA
AVISOS
Próximo Culto: ___/___/______ às ___:___ h.
Oferta último Culto: R$ _________ - destinada para ...
______________ _________________________________________
______________________________________

BÊNÇÃO
Que o amor do Senhor Jesus atraia você para ELE;
Que o poder do Senhor Jesus te fortaleça em seu serviço, em seus estudos;
Que a alegria do Senhor Jesus encha seus corações;
Que você possa ouvir o envio do Senhor e ir ao encontro das pessoas com o evangelho;
e a benção de Deus Pai, Deus Filho e Deus Espírito Santo esteja entre vocês e permaneça com você.

ENVIO
Vão, curem as pessoas e anunciem que o Reino está entre nós!

CANTO FINAL
Nº 207 – HPD I – Sem Jesus tudo está perdido
 


Autor(a): Missionário Whanderson Perobelli
Âmbito: IECLB / Sinodo: Mato Grosso
Área: Celebração / Nível: Celebração - Liturgia
Área: Celebração / Nível: Celebração - Ano Eclesiástico / Subnível: Celebração - Ano Eclesiástico - Ciclo do Tempo Comum
Natureza do Domingo: Pentecostes
Perfil do Domingo: 4º Domingo após Pentecostes
Testamento: Novo / Livro: Lucas / Capitulo: 10 / Versículo Inicial: 1 / Versículo Final: 11
Título da publicação: Caderno de Cultos - Sínodo Mato Grosso / Ano: 2022
Natureza do Texto: Pregação/meditação
Perfil do Texto: Prédica
ID: 67361

AÇÃO CONJUNTA
+
tema
vai_vem
pami
fe pecc

A palavra 'orai' nada mais significa do que 'pedi, clamai, buscai, batei, fazei barulho!' É preciso que assim façamos a cada momento, sem cessar.
Martim Lutero
EDUCAÇÃO CRISTÃ CONTÍNUA
+

REDE DE RECURSOS
+
À casa de Deus não pertence nada mais que a presença de Deus com a sua Palavra.
Martim Lutero
© Copyright 2022 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br