Habilitação ao Ministério com Ordenação



ID: 2864

6º Domingo de Epifania

Liturgia e Prédica

14/02/2020

LITURGIA DE ABERTURA
ACOLHIDA

Boa noite. “Porque nós somos companheiros de trabalho no serviço de Deus, e somos o terreno no qual Deus faz o seu trabalho. Somos também o edifício de Deus” 1 Co 3.9
HINO: 333 – Estamos aqui Senhor
SAUDAÇÃO
Estamos reunidos/as, e celebramos este culto lembrando do trino Deus, Pai Filho e Espírito Santo.
- ENVIAR AS CRIANÇAS AO CULTO INFANTIL
HINO: 150
– Se sofrimento te causei
CONFISSÃO DE PECADOS
Senhor nosso Deus, chegamos à tua presença para te agradecer por nos dar a Palavra. Por ter nos revelado por meio de Jesus e, através dele nos aconselhado tantas vezes para uma vida melhor e mais feliz. Contudo, confessamos que muitas vezes não seguimos os ensinamentos e conselhos de Jesus. No dia a dia preferimos ofender nosso irmão, levar todos os nossos problemas para a justiça, ao invés de procurar reconciliação. Magoamos uns aos outros e também guardamos mágoas. Este nosso jeito de agir nos faz sofrer e sentimos como o pecado nos dificulta viver. Por isso, confessamos que necessitamos de teu perdão para também perdoarmos e pedirmos perdão ao nosso irmão e irmã.
ANÚNCIO DO PERDÃO
O Apóstolo João, na sua 1º carta, escreve: “Porém, se vivemos na luz, como Deus está na luz, então estamos unidos uns com os outros, e o sangue de Jesus, o seu Filho, nos limpa de todo o pecado. Mas se confessamos os nossos pecados a Deus, ele cumprirá a sua promessa e fará o que é correto: ele perdoará os nossos pecados e nos limpará de toda a maldade.”
Amparados nesta palavra podemos crer que nossos pecados foram perdoados em nome do Deus Pai, Filho e Espírito Santo. Amém.
HINO: 239 – Damos graças ao Senhor
SALMO 119.1-8
1 Felizes são os que não podem
ser acusados de nada,
que vivem de acordo com a lei
de Deus, o Senhor!
2 Felizes os que guardam
os mandamentos de Deus
e lhe obedecem de todo o coração!
3 Felizes os que não praticam o mal,
os que andam nos caminhos de Deus!
4Tu, ó Deus, nos deste as tuas leis
e mandaste que as cumpríssemos
fielmente.
5 Como desejo obedecer às tuas ordens
e cumpri-las com fidelidade!
6 Se eu der atenção
a todos os teus mandamentos,
não passarei vergonha.
7 Com um coração sincero eu te louvarei
à medida que for aprendendo
os teus justos ensinamentos.
8 Obedecerei às tuas leis;
peço-te que não me abandones nunca.

ORAÇÃO DO DIA
Bondoso e eterno Deus, tu nos revelaste por meio do teu filho Jesus, que nos anunciou o Reino de paz, justiça e ressurreição. Um reino que nos promete vitória sobre a dor e a morte. Essa mensagem nos sustentou ao longo da história e nos fortaleceu. Por isso pedimos que oriente os nossos governantes para a prática da justiça. E que suas palavras sejam sempre palavras de amor e de compaixão. Pedimos para que nossas autoridades jamais dirijam ao seu povo com palavras de ódio e de zombaria. Pedimos para as lideranças da nossa igreja, e nós como comunidade, sejamos exemplo de uma igreja da palavra de fé e de amor ao próximo. E que busquemos sempre a reconciliação entre nossos irmãos e irmãs.
CREDO APOSTÓLICO:
Creio em Deus, Pai todo-poderoso,
Criador do céu e da terra.

E em Jesus Cristo, seu Filho unigênito, nosso Senhor,
O qual foi concebido pelo Espírito Santo,
Nasceu da virgem Maria,
Padeceu sob o poder de Pôncio Pilatos,
Foi crucificado, morto e sepultado,
desceu ao mundo dos mortos,
ressuscitou no terceiro dia,
subiu ao céu, e está sentado à direita de Deus Pai, todo-poderoso,
de onde virá para julgar os vivos e os mortos.

Creio no Espírito Santo,
na santa Igreja cristã, a comunhão dos santos,
na remissão dos pecados,
na ressurreição do corpo e na vida eterna. Amém.

LITURGIA DA PALAVRA
HINO: 381 – Pela Palavra de Deus
2ª Leitura Bíblica: Mt 5.20-26, 33-37

Tema: Jesus nos aconselha a praticar a justiça e a dizer palavras de paz
Prezada Comunidade reunida. Que a paz de nosso Jesus Cristo, o amor de Deus e comunhão do Espírito Santo esteja conosco.
Antes de lermos o texto do Evangelho Mateus, que nos trazem conselhos de Jesus Cristo, gostaria de fazer com vocês um pequeno desafio. Na verdade um convite. Este convite nos revela um conselho que Jesus nos traz no texto bíblico de hoje.
Eu vou falar uma frase de Jesus do texto de hoje no ouvido de alguém (qualquer um que ficar com raiva do seu irmão será julgado). Vou falar para uma pessoa e ela irá falar, bem baixinho, no ouvido da pessoa que está próxima. E esta para a próxima. Assim por diante, para mais cinco pessoas.
Pergunto à pessoa que ouviu por último o “telefone sem fio”: O que lhe foi contado? Qual conselho você ouviu?
Vocês observaram como as palavras que dizemos pode ter várias interpretações. A forma como a gente diz e o quê a gente diz pode ser entendido de formas diferentes. Pois bem, Jesus nos afirma que as palavras que proferimos tem muito poder. Por isso, não se deve jurar em nome de nada ou de ninguém. Ou dizer que somente os outros não seguem a leis.
Convido para fazermos a Leitura do evangelho Mt 5.20-26;33-38
Jesus, no sermão do monte, reunido com muitas pessoas fala para elas muitos conselhos. De uma forma muito simples e com exemplos da vida cotidiana explica para as pessoas porque precisam do amor de Deus.
E o conselho mais importante de Jesus está no versículo 20, onde ele diz que para entrar no Reino de Deus é preciso obedecer as leis mais que os escribas e os fariseus. Os escribas eram o maiores especialistas na lei. De acordo com o pensamento da época: se alguém podia cumprir as leis de verdade eram os escribas e os fariseus. Os escribas eram os expert em lei, eram pós-graduados, eram os mestres da lei.
Com isso, Jesus quer dizer que ninguém pode dizer que segue 100% as leis, os mandamentos. Ou pode dizer que é perfeita e nunca erra. Ao contrário, Jesus quer nos mostrar que nem mesmo o 5º mandamento, não matarás, conseguimos cumprir. Ele nos diz que sem o amor e a graça de Deus não podemos entrar no reino dos céus. Por ser puro amor, bondade e compaixão, Jesus se coloca como nosso conselheiro, como nosso pai, mãe ou como nosso irmão mais velho. Melhor, como nosso avó ou avó, que sabe das coisas da vida e nos dá conselhos na hora certa, na hora do aperto.
Jesus explica porque não conseguimos cumprir o mandamento de não matar. Ao mesmo tempo que explica, como bom conselheiro, vai dando conselhos às pessoas. Jesus diz: “Não mate. Quem matar será julgado. Mas eu lhes digo que qualquer um que ficar com raiva do seu irmão será julgado”.
Quem de nós nunca ficou com raiva de alguém? Parece impossível não sentir raiva. E até mesmo dizer palavras ásperas para as pessoas que nos deixam irritados. Todos nós já discutimos e ficamos com raiva, de um vizinho, parente, amigo, esposo/esposa. Somos seres humanos. Pecadores.
E Jesus diz mais: “Quem disser ao seu irmão: “Você não vale nada” será julgado pelo tribunal. E quem chamar o seu irmão de idiota estará em perigo de ir para o fogo do inferno.” São palavras fortes de Jesus que são ditas aos discípulos e ao povo no sermão da Montanha, mas também para nós, nos dias de hoje. Palavras que Jesus nos diz ao pé do nosso ouvido. Ele nos dá em forma de conselhos.
Ele nos diz: “cuidado com as palavras que você dizem as pessoas, elas também matam”. Matam não em sentido literal, mas elas podem matar aos poucos a amizade de uma pessoa para a outra. As relações que existem na comunidade. Entre os casais. Entre pais e filhos.
Para ilustrar estes conselhos de Jesus para nós, hoje, gostaria de contar uma história real. Uma menina foi criada a vida toda, desde seu nascimento, por sua mãe. O pai dela havia abandonado sua mãe antes mesmo de nascer. A mãe era empregada doméstica. Por isso, passava todos os dias na casa dos seus patrões trabalhando, limpando a casa. A partir deste trabalho digno tirava o sustento da família.
A menina, que se chamava Joice, era levada por sua mãe para o trabalho. E lá passava o dia. Mas ela tinha que ficar no canto. Por vezes saia para andar pela casa e pelo pátio. E muitas vezes ouvia das crianças da casa: “é filhinha da empregada”, “não estraga os meus brinquedos”, “não mexe nas minhas coisas, feiosa”. Eram palavras que machucavam. E à noite, contava tudo o que ouvia, no coloco de sua mãe. Enquanto isso, a mãe penteava os seus cabelos em silêncio e a ouvia atentamente.
O afago da mãe, seu carinho e as palavras doces de amor elogiando a filha, falando de como era importante acalmava Joice. Então ela podia dormir em paz.
Joice cresceu, ficou moça, e também uma mulher batalhadora. Com o muito esforço da mãe começou a estudar. Começou a trabalhar num café de garçonete. E no café muitas vezes ouvia elogios de muitas pessoas pela atenção que tinha. Mas também era xingada quando acidentalmente derrubava o café ou quando se esquecia do pedido.
Muitas vezes via casais apaixonados se declarando com palavras bonitas e com poesias de amor. Ouvia pais e filhos se abraçando de alegria pelo reencontro e dizendo que se amavam. MAS também ouvia pessoas se maltratando com palavras ásperas em momentos de raiva e frustração. Essas situações a marcavam muito.
Um dia Joice decidiu ir ao melhor cabelereiro da cidade. Era um salão muito conhecido. Queria ficar linda, pois ia rever a mãe. Chegando no salão, foi reconhecida por uma jovem senhora que perguntou o que ela fazia ali. Perguntou se como garçonete podia pagar a arrumação dos cabelos. Joice respondeu educadamente que trabalhava muito e tinha pouco, mas o suficiente para o salão.
Mesmo ouvindo a resposta respeitosa, a mulher continuou comentando com as amigas e funcionários que ali não era lugar de gente pobre e humilde. Que essas pessoas rebaixam o nível do lugar. Aquilo maltratou a auto estima de Joice. Era muito doído.
Ao reencontrar a mãe, já no abraço percebeu a tristeza da filha. Questionada, Joice contou o que tinha acontecido. Diante do que a filha contou, a mãe pediu para se sentar no chão em frente ao sofá para pentear seu cabelo. Joice se irritou: - mas mãe não sou mais criança. Estava no cabelereiro. Não preciso de pentear os cabelos! Mas com a insistência da mãe Joice cedeu.
Com lágrimas nos olhos, Joice desabafou sobre como era difícil ouvir tantas vezes que era menos que os outros. A mãe penteou os cabelos e disse à filha alguns conselhos. Primeiro que amava a filha e tinha orgulho dela. Depois, repetiu o conselho para levantar a cabeça. Que era preciso ignorar as palavras mal intencionadas. Procurar estar atenta às palavras que querem o seu bem. Ninguém era melhor do que Joice.
Ela então se recompôs, abraçou a mãe e seguiu sua caminhada. Jesus também é assim um conselheiro, como esta mãe. Ele nos diz que não somos menos e piores do que ninguém. Também não somos melhores ou mais perfeitos seguidores da lei que os outros.
Jesus nos diz para estarmos atentos as nossas palavras. Elas são poderosas. Antes de sairmos dizendo que somos muito justos, que somos os melhores na vida, na comunidade, precisamos até o irmão e procurar nos reconciliar.
Muitas vezes a gente diz palavras duras, que magoam, que de alguma modo matam o sentimento das pessoas. Praticamos bullyng, tanto quando crianças e adolescente como depois de adultos. A gente vê hoje como a raiva, o preconceito e as palavras de ódio matam. Recentemente, em Porto Alegre um Jovem rapaz matou uma família por causa de um discussão de trânsito. Os nomes das vítimas revelam muito: Rafael Zanetti Silva, 45 anos, Fabiana Innocente Silva, 44 anos, e o filho do casal, Gabriel Innocente Silva, 20 anos. Este é um exemplo de como as palavras são poderosas para o bem e para o mal, e podem literalmente matar.
Jesus nos aconselha nos momentos de raiva, de desentendimento, de muita dúvida a lembrarmos do seu grande amor por nós. Os seus conselhos são muito valiosos para a nossa vida. Necessitamos sempre pensar: como Jesus agiria nesta situação?
Certamente encontramos nos ensinamentos de Jesus bons conselhos para a nossa vida. Podemos ainda sempre contar com o discernimento do Espírito de Deus. Ele sempre nos lembrará de procurar a reconciliação, antes de nos colocar acima das pessoas. Que estes conselhos cheguem aos nossos ouvidos através do Espírito Santo, e edifique nossa comunidade. E como comunidade possamos ser exemplos para um mundo cheio de raiva e ódio, com palavras e gestos que promovem a paz de Cristo. Amém
HINO: 249, Graças Senhor eu rendo
ORAÇÃO DE INTERCESSÃO
Motivos de Oração:
Todos estes pedidos e agradecimentos e das pessoas que aqui não puderam estar colocamos na oração que teu filho Jesus Cristo nos ensinou.
PAI NOSSO
Pai nosso que estás nos céus,
santificado seja o teu nome.
Venha o teu reino.
Seja feita a tua vontade,
assim na terra como no céu.
O pão nosso de cada dia nos dá hoje.
E perdoa-nos as nossas dívidas,
assim como nós também perdoamos aos nossos devedores.
E não nos deixes cair em tentação,
mas livra-nos do mal.
Pois teu é o reino, o poder e a glória para sempre. Amém

GESTO DA PAZ e RECONCILIAÇÃO (Paz, paz de Cristo – Hino 368)
LITURGIA DE DESPEDIDA
AVISOS
HINO FINAL: 197
– Buscai primeiro o Reino de Deus
BÊNÇÃO FINAL
O Senhor te abençoe e te guarde; o Senhor faça resplandecer o rosto sobre ti e tenha misericórdia de ti;
o Senhor sobre ti levante o seu rosto e te dê a paz.
ENVIO: Ide em paz, e servi ao Senhor com muita alegria.
 


Autor(a): PPHMista Willian Kaizer de Oliveira
Âmbito: IECLB / Sinodo: Norte Catarinense / Paróquia: Garuva-SC (Martinho Lutero)
Área: Celebração / Nível: Celebração - Ano Eclesiástico / Subnível: Celebração - Ano Eclesiástico - Ciclo do Natal
Área: Ministério / Nível: Ministério - Habilitação
Natureza do Domingo: Epifania
Perfil do Domingo: 6º Domingo após Epifania
Testamento: Novo / Livro: Mateus / Capitulo: 5 / Versículo Inicial: 20 / Versículo Final: 26
Natureza do Texto: Pregação/meditação
Perfil do Texto: Prédica
ID: 55118

AÇÃO CONJUNTA
+
tema
vai_vem
pami
fe pecc

O Senhor é o Deus verdadeiro. Ele é o Deus vivo, o Rei eterno.
Jeremias 10.10
REDE DE RECURSOS
+
Deve-se orar de forma breve, mas seguidamente e com convicção.
Martim Lutero
© Copyright 2020 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br