Fundação Luterana de Diaconia - FLD no Portal Luteranos



Rua Dr. Flores , 62 901 - Centro
CEP 90020-120 - Porto Alegre /RS - Brasil
Telefone(s): (51) 3225-9066
fld@fld.com.br
ID: 2412

No AGOSTO LILÁS, Jornada Nem Tão Doce Lar trabalha o tema da superação da violência doméstica e familiar no Distrito Federal e em Goiânia (GO)

06/08/2022

Jornada Nem Tão Doce Lar - Distrito Federal
Jornada Nem Tão Doce Lar - Distrito Federal
Jornada Nem Tão Doce Lar - Distrito Federal
Jornada Nem Tão Doce Lar - Distrito Federal
Jornada Nem Tão Doce Lar - Distrito Federal
Jornada Nem Tão Doce Lar - Distrito Federal
Jornada Nem Tão Doce Lar - Distrito Federal
Jornada Nem Tão Doce Lar - Distrito Federal
Jornada Nem Tão Doce Lar - Distrito Federal
Jornada Nem Tão Doce Lar - Distrito Federal
Jornada Nem Tão Doce Lar - Distrito Federal
Jornada Nem Tão Doce Lar - Distrito Federal
Jornada Nem Tão Doce Lar - Distrito Federal
1 | 1
Ampliar

No AGOSTO LILÁS, Jornada Nem Tão Doce Lar trabalha o tema da superação da violência doméstica e familiar no Distrito Federal e em Goiânia (GO)


Campanha nacional, marcada pelo mês de agosto, é uma referência ao aniversário da Lei Maria da Penha, instituída pela Lei nº 11.340 (de 7 de agosto de 2006), que, em 2022, completa 16 anos.

Entre os dias 2 e 6 de agosto, a Fundação Luterana de Diaconia (FLD), por meio da Nem Tão Doce Lar, promoveu momentos de formação e visitas à sua exposição no Sínodo Brasil Central. As atividades foram realizadas em parceria com o Centro Social Luterano Cantinho do Girassol, que atua com educação infantil, serviço de convivência e fortalecimento de vínculos na cidade de Ceilândia (DF). A instituição integra a Rede de Diaconia e tem como mantenedora a Comunidade Evangélica de Confissão Luterana de Brasília/IECLB.

Duas turmas, formadas por profissionais da entidade e por equipes de instituições parceiras da rede de atendimento e apoio, participaram das oficinas para pessoas acolhedoras.

O P. Everton Luiz Knaul, da Comunidade Evangélica, conta que o envolvimento das colaboradoras e dos colaboradores foi intenso, marcante e impulsionou para mais encontros. “A formação sensibilizou e despertou para atuação junto às pessoas que sofrem violência com a finalidade de auxiliá-las a romper o ciclo e a viver com dignidade. A vivência motivou a equipe multidisciplinar do Cantinho para promover novos e frequentes momentos de formação sobre a demanda e a fortalecer as redes de apoio no seu território.”

Crianças, adolescentes e mulheres foram recebidas, entre os dias 4 e 5, na exposição itinerante e interativa, que traz a réplica de uma casa com evidências de violência. Mais de 190 visitantes circularam pelos cômodos, identificaram pistas deixadas nos cenários e expuseram suas impressões em uma roda de conversa conduzida pelas acolhedoras e acolhedores que participaram da formação.

Terezinha de Jesus Martins da Costa, diretora pedagógica do Cantinho do Girassol, fez uma autoavaliação. “Através dos relatos de acontecimentos reais vivenciados pelos participantes a respeito da temática, nos remetemos à desagradável realidade de que somos partícipes deste contexto quando nos omitimos e silenciamos. A emoção estampada no rosto de participantes, de adolescentes e das famílias, relatando acontecimentos do cotidiano e das cenas montadas na casa, foi a certeza de que a metodologia apresentada mais do que alcançou os objetivos propostos.”

Para Vanessa Morais, psicóloga no Cantinho do Girassol, o ponto alto foram as lembranças afetivas, os relatos de experiências e os casos de superação relatados. “Discussões como estas são necessárias para se pensar estratégias de atuação profissional, segurança familiar, importância do empoderamento da vítima e superação da violência. Sabemos que os estudos nos trazem dados críticos e alarmantes de uma problemática mundial que afeta milhares de pessoas. Por isso, temas envolvendo esta problemática precisam estar sempre em foco e atenção.”

Nos dias 23 a 28 de agosto, a Jornada estará em Goiânia (GO) por meio de uma parceria entre a FLD, Ouvidoria da Mulher da Câmara Municipal de Goiânia, Comunidade Evangélica de Confissão Luterana de Goiânia, Paróquia Anglicana São Felipe, Coordenação de Gênero, Gerações e Etnias da IECLB, Programa de Gênero e Religião da Faculdades EST e o Núcleo de Pesquisa Religião, Gênero e Poder da PUC Goiás.

As oficinas, que acontecerão nos dias 23 e 24, têm aproximada de 8 horas de duração e são voltadas para profissionais que atuam na rede de apoio através dos equipamentos públicos de assistência, educação e saúde como também às equipes técnicas de organizações da sociedade civil, movimentos sociais, coletivos, lideranças comunitárias e pesquisadoras e pesquisadores da temática.

As atividades realizadas no ano de 2022 contam com o apoio da Igreja Evangélica de Confissão Luterana (IECLB) através do Fundo de trabalho com vítimas de violência doméstica, constituído a partir do plano de ofertas nacional.

Agenda para os próximos meses:

• Setembro: Minas Gerais
• Novembro: Rio Grande do Sul

 

 

  

A misericórdia de Deus é como o céu, que permanece sempre firme sobre nós. Sob este teto, estamos seguros, onde quer que nos encontremos.
Martim Lutero
© Copyright 2024 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br