1 João 4. 7-21 - 5º Domingo da Páscoa: - 03.05.2015

Caderno de Cultos 2015

30/04/2015

03/05/2015 - 5º Domingo da Páscoa
Pregação: 1 Jo 4.7-21; Leituras: Sl 22.25-31; Jo 15.1-8
Pa. Gizele Zimmermann – Canarana/MT

LITURGIA DE ABERTURA

ACOLHIDA
Bom dia/boa noite!
Somos saudados por Deus neste culto através do Salmo 22.27: “Lembrar-se-ão do Senhor e a ele se converterão os confins da terra; perante ele se prostrarão todas as famílias das nações”. (Sl 22.27)
Chegamos à casa de Deus nesta hora para revigorar nossas forças para mais uma semana de vida que Deus nos concede. DEUS É AMOR, e é disso que seremos lembrados ao longo deste culto.
Saudamos carinhosamente todas as pessoas que nos visitam, com os votos de que sintam muito bem acolhidos e irmanados em nossa comunidade. E que todos e todas nós possamos nos sentir bem, e acolhidos por Deus em sua casa. Na presença de Deus e na companhia de irmãs e irmãos, sejam todos bem-vindos!

CANTO DE ENTRADA
Nº 325 - HPD 2 – Aqui você tem lugar

Ou: Nº ____________________________________________________

SAUDAÇÃO
Estamos reunidos em nome de Deus Pai, o Criador, em nome do Filho, Jesus Cristo, o Redentor, e em nome do Espírito Santo, o Consolador. Amém.

CONFISSÃO DE PECADOS
Nos coloquemos diante de Deus em confissão, e para isso, vamos ler juntos o texto do hino 150 do HPD 1, “Se sofrimento te causei, Senhor”.

ANÚNCIO DO PERDÃO
Com as palavras de 2 Timóteo 4.18 recebamos o perdão de Deus: O Senhor me livrará de todo mal e me levará em segurança para o seu Reino Celestial. Amém.

ORAÇÃO DO DIA
Nos coloquemos diante de Deus em oração:
Graças te damos, Senhor, por que agora queres novamente falar a nós e encontrar-te conosco por meio de tua Palavra. Livra-nos de todos os pensamentos e inquietações que pretendem perturbar a pregação do teu Evangelho. Permite-nos que possamos entender a tua mensagem, e que ela se transforme em atitudes concretas em nosso dia a dia. Que todo o amor que Jesus Cristo demonstrou por cada um de nós nos sirva de exemplo para também amarmos o nosso próximo como a nós mesmos. É o que te pedimos por Jesus Cristo, que contigo e com o Espírito Santo vive e reina hoje e sempre. Amém.

HINO
Nº 383 - HPD 2 – A lei do Senhor é perfeita

LITURGIA DA PALAVRA

LEITURAS BÍBLICAS
1ª Leitura Bíblica: Salmos 22.25-31

Aclamação do Evangelho: Jesus Cristo diz: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim. (Jo 14.6)

2ª Leitura Bíblica: João 15.1-8

3ª Leitura Bíblica: 1 João 4.7-21

CÂNTICO INTERMEDIÁRIO
Nº 397 - HPD 2 – Meu mandamento é este

PREGAÇÃO
Estimada comunidade!

“Diga-me mais uma vez o quanto você me ama!”, pergunta o menino à mãe. Ela já conhece o jogo, abre um sorriso e os braços bem abertos: “Eu te amo taaaaanto assim”. “E eu te amo taaaaaaaaaanto assim”, diz o garoto, estendendo seus pequenos braços tanto quanto consegue. “E eu um tantão assim”, diz a mãe de volta, com os braços ainda mais esticados. E os dois seguem a brincadeira, cada um procurando algo maior para declarar o seu amor. “Eu te amo daqui até o fim da estrada - E eu te amo até o fim da cidade, e continua através do mar e continentes, para a Lua e Vênus, até o sol e a Via Láctea. E eu te amo até o fim do universo triunfou o menino, pois então chegou até o fim do mundo, e mais longe a mãe não poderia chegar. “Então, tanto assim eu também te amo, diz ela, e lhe dá um beijo. É tanto amor, até o fim do mundo e do tempo, além do limite para a eternidade.
“Diga-nos de novo, João, quanto Deus nos ama?” Esta parece ter sido a pergunta das pessoas a quem foi endereçada a Primeira Carta de João. “Ele nos ama tanto, que não é suficiente só para essa vida, mas também para a próxima? E como esse amor pode nos ajudar a sobreviver neste mundo sem amor?” Esta era a experiência que as pessoas tinham todos os dias, e que nós fazemos ainda hoje. Pois muito do amor é apenas discurso, mesmo que se dê a ele muito valor, que tudo permite e tudo perdoa, muito pouco amor podemos realmente ver e sentir.
Quantos casais de noivos procuram um texto bíblico para o casamento, no qual esteja a palavra 'amor', pois desejam que sua união seja rica de amor. Quando ouvimos ou lemos que, por seu grande amor, alguém superou inúmeros obstáculos e dificuldades, isso já nos provoca um suspiro romântico. Mas, o que fazer quando o amor não chegar longe o suficiente, ou não for tão tãaaaaooo grande até o fim do universo?
Que pais e filhos se amam, nós sabemos. E nós também sabemos que uma educação amorosa inclui limites. O príncipe Frederico da Dinamarca fez uma declaração sobre seu pai há alguns anos: “Dizem que quando os pais castigam seus filhos, eles o fazem por amor. Se isso é verdade, querido papai, então você nos demonstrou seu amor muitas vezes, e de maneira intensa, pois até na pele nós pudemos senti-lo”, afirmou Frederico, referindo-se ironicamente às surras levadas do pai.
Quantas coisas terríveis as pessoas já fizeram em nome do amor! É por isso que a comunidade a quem João escreve faz essa pergunta, duvidosa, se tanto amor é possível. Eles já ouviram falar muito de Jesus, seus milagres, e a boa nova do Evangelho, mas eles também queriam crer que o mundo podia ser assim. Porém, o seu dia a dia demonstrava exatamente o contrário: havia desavenças com outros grupos cristãos; a ruptura com o judaísmo já é completa; o ambiente não-cristão responde à nova fé com a perseguição. As dúvidas eram frequentes: será que eles tinham tomado a decisão correta ao romperem com o judaísmo e decidirem seguir Jesus?
João tenta responder essas questões em sua primeira carta. “Fé e amor andam juntos”, diz ele, porque o amor é de Deus (v.7), e quem confessar que Jesus é o Filho de Deus, Deus permanece nele, e ele permanece em Deus (v.15). Esta é a base do pensamento de João, através da qual ele formula três perguntas: O que precisamos saber? O que podemos esperar? E o que devemos fazer? A primeira questão nos leva a olhar para a causa e origem de nossas vidas, ou seja, Deus. A segunda investiga o futuro do sentido da vida e o que vem depois da morte. A terceira examina nossas ações, sobre o que somos, ou deveríamos ser. E as respostas para essas perguntas levam todas a uma palavra: AMOR: Deus é amor, diz João. Ele não diz que Deus é o amor, ou que Deus é só amor. Ele quer dizer: Deus, em sua totalidade, é amor.
Deus conhece o mundo, que ele mesmo criou, pois ele chegou bem perto do mundo. Ele sabe como se sente uma pessoa quando ela ama, pois ele experimentou tudo isso através do corpo de Jesus Cristo. Por isso, quando queremos saber quem é Deus, como ele pensa e age, não devemos nos deter em conceitos abstratos e distantes. Devemos apenas nos lembrar quem foi Jesus, como ele lidou com as pessoas que o conheceram. Podemos citar os milagres que ele fez, através dos quais ele promoveu mudanças regeneradoras, que restauraram relações partidas. Através das parábolas e sermões de Jesus nós podemos nos assegurar quem é Deus. Jesus mostra-nos o Pai, quando ele diz: Permanecei no meu amor (Jo 15.9), e, finalmente, nós reconhecemos que o laço entre ele e nós existe por amor, não por obrigação ou até mesmo medo.
“No amor não há medo”, esclarece João, e já se dirige à segunda pergunta, 'o que podemos esperar?'. Certamente ele sabe que o Dia do Juízo irá chegar, ele conta com isso. Mas não se deixa abalar pelas imagens do inferno que lhe são apresentadas, pois sabe que o medo só produz tormento - quem realmente ama e é amado sabe que o medo não é um problema, tampouco a dúvida e falta de confiança.
O verdadeiro amor perdura até mesmo quando não se é amado de volta, o verdadeiro amor nada exige, nada pede de volta. A fé, que brota do amor de Deus, não carrega o medo. Onde há medo do castigo divino, dúvida do seu amor por nós, ali a fé se afasta de nós, e nós nos afastamos do amor de Deus. O amor lança fora o medo – também o medo do julgamento dos outros. Claramente, esse é o exemplo que João escolheu para responder à terceira pergunta: O que devemos fazer? João afirma: Se alguém diz: Eu amo a Deus, e odeia a seu irmão, é um mentiroso, escreve ele, e ele sabe que esta situação atinge cada um, e todos na comunidade!
E mesmo onde queremos cobrir nossos conflitos com uma grande capa de harmonia e obediência, muitas faíscas perigosas de raiva e ressentimento ficam na profundeza do nosso coração. Por isso, sempre é melhor falar abertamente e esclarecer o que nos dói e incomoda, e perdoar, se necessário, mesmo às custas do nosso orgulho. Nem todos os erros podem ser corrigidos. Mas, em nome do amor, não podemos deixar a raiva e o ressentimento dominarem nosso coração.
O que precisamos saber? DEUS É AMOR!!!
O que podemos esperar? O amor não tem a ver com castigo e punição; nós não precisamos temer o Dia do Juízo.
O que devemos fazer? Vamos amar uns aos outros, e através da maneira como nos tratamos mutuamente, vamos reconhecer quem é Deus e quanta esperança ele nos dá.
Vamos mostrar isso para os outros, assim como a mãe foi capaz de mostrar ao seu filho: Eu te amo taaaaanto assim - e se ela quer dizer-lhe quão grande e amplo é o amor de Deus, então ela vencerá com facilidade o jogo: Deus nos ama tanto - não só até os limites do universo, não até o fim do mundo e do tempo, mas também para muito além, daqui até a eternidade.
Deus é amor de eternidade a eternidade, amor que não teme a morte e que não conhece o medo – e quem permanece neste amor, permanece em Deus, e Deus nele!
Amém!

HINO
Nº 452 - HPD 2 – Senhor, eu quero amar-te

CONFISSÃO DE FÉ
Como resposta a Palavra de Deus lida e anunciada, confessemos a uma só voz a nossa fé, dizendo juntos:

Creio em Deus Pai, ...

CANTO PÓS CONFISSÃO (proceder motivação e o recolhimento das ofertas)
Nº 414 - HPD 2 – Cantar do amor

ORAÇÃO DE INTERCESSÃO
Motivos de Oração:
1. Aniversariantes
2._______________________________________________________
3._______________________________________________________
Amado Deus, te agradecemos por este culto, por tua palavra pregada, e pelos irmãos e irmãs que aqui encontramos. Envia teu Espírito Santo sobre nós, toque o nosso coração para o amor ao nosso próximo, que possamos servi-lo em todas as circunstâncias da vida. Molda-nos, querido Deus, conforme tua vontade, dá-nos coragem nas adversidades da vida, ajuda-nos a ser luz no mundo de trevas.
Pedimos-te, ó Deus, por todos que pregam o teu Evangelho, que sempre o possam fazer com amor e para a glória do teu santo nome.
Pedimos pelas autoridades de nosso município, estado e país. Dá que administrem com responsabilidade, pensando no bem estar da humanidade, e fazendo aquilo, amado Deus, que condiz com a tua vontade.
Intercedemos pelas famílias, que te faças presente com a tua bênção e proteção, e que todos tenham verdadeiros lares, onde reina o amor, perdão, compreensão.
Pedimos-te por todos os teus filhos e filhas que se encontram doentes. Fortaleça-os física e espiritualmente, e que eles se entreguem completamente em tuas bondosas mãos, na certeza que farás o melhor por cada um.
Rogamos a tua presença nos lares enlutados, consola a todos, que cada um se sinta abraçado pelos teus longos braços a cada amanhecer, e encontrem forças e esperança quando a tristeza os abater.
Tudo mais que temos em nosso coração, queremos colocar na certeza que nos ouves, na oração que teu Filho Jesus nos ensinou a orar...

PAI NOSSO
Pai nosso ...

LITURGIA DE DESPEDIDA

AVISOS
Próximo Culto: ___/___/______ às ___:___ h.
Oferta último Culto: R$ _________ - destinada para ...
______________ _________________________________________
________________________________________________________
________________________________________________________
________________________________________________________
________________________________________________________

BÊNÇÃO
O Senhor te abençoe e te guarde; o Senhor faça resplandecer o seu rosto sobre ti, e tenha misericórdia de ti; o Senhor levante sobre ti o seu rosto, e te dê a paz.
Em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo (+). Amém.

ENVIO
Ide na paz do Senhor, que esta paz caminhe com vocês e faça resplandecer todo o amor de seus corações!

CANTO FINAL
Nº 327- HPD 2 – No Espírito unidos
 


Autor(a): Gizele Zimmermann
Âmbito: IECLB / Sinodo: Mato Grosso
Área: Celebração / Nível: Celebração - Ano Eclesiástico / Subnível: Celebração - Ano Eclesiástico - Ciclo da Páscoa
Natureza do Domingo: Páscoa
Perfil do Domingo: 5º Domingo da Páscoa
Testamento: Novo / Livro: João I / Capitulo: 4 / Versículo Inicial: 7 / Versículo Final: 21
Título da publicação: Caderno de Cultos - Sínodo Mato Grosso / Ano: 2015
Natureza do Texto: Pregação/meditação
Perfil do Texto: Prédica
ID: 33175
REDE DE RECURSOS
+
Que cada um dê a sua oferta conforme resolveu no seu coração.
2Coríntios 9.7
© Copyright 2020 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br