Carl Gustaf Boberg (1859-1940)

Obra e Biografia

29/06/2012

CARL GUSTAF BOBERG (1859-1940) HPD 254

Nasceu: 16 de agosto de 1859, Mönsterås, Suécia.

Faleceu: 7 de janeiro de 1940, Kalmar, Suécia.

Sepultado: Mönsterås, Suécia.

Carl Boberg nasceu em Mönsterås, na Costa sudoeste da Suécia. Seu pai era carpinteiro num estaleiro de navios, e sua casa dava bem para o estuário do rio Monsteras. Carl converteu-se aos 19 anos de idade, e freqüentou uma Escola Bíblica em Kristinehamm.

Num certo domingo, quando ia para a reunião, encontrou-se com alguns jovens pouco mais velhos do que ele, os quais insistiam para que fosse jogar em sua companhia e de algumas garotas amigas. Carl, que esperava encontrar, na reunião, o pregador que anteriormente tinha tocado profundamente em seu coração, e, não querendo perder o seu novo sermão, não aceitou o convite dos amigos.

A mensagem do pregador, naquele domingo, sobre o pecado e a graça foi direta ao coração de Boberg. Após a reunião, todavia, vagueou de um lado para outro sob profunda convicção de pecado, a tal ponto que, ao chegar a uma campina, caiu de joelhos e confessou-se um pecador irremediavelmente perdido. Nesse estado de espírito buscou o perdão, orando dia e noite, até que, ouvindo um menino tentando aprender de cor o versículo de João 14.13, que diz: Tudo quanto pedirdes em meu nome eu o farei, a sua constante repetição fez com que ele compreendesse a verdade e assim encontrasse perdão e paz, simplesmente aceitando as palavras de Cristo.

Quatro anos mais tarde, no verão quente de 1885, Boberg escreveu o poema O Store Gud, (Ó grande Deus) que conhecemos como Quão Grande és Tu ou Grandioso és Tu e que foi publicado pela primeira vez em A Folha de Monsteras, no dia 13 de Março de 1886.

Ele serviu como pastor leigo durante dois anos. De 1890 até 1916 Boberg foi editor de um semanário cristão, o Sanningsvittnet = Testemunho da Verdade. De 1911 até 1924 foi representante de sua cidade no Parlamento Sueco. Sofreu, porém, um derrame em 1937, que paralisou o seu lado direito, vindo a falecer em 7 de janeiro de 1940.

Os trabalhos dele incluem vários volumes de poesia e muitos hinos; ele também ajudou a compilar os dois primeiros Hinários da Igreja de Convenção Sueca.

No nosso Hinário HPD encontra-se de sua autoria (na tradução de Manoel da Silveira Porto Filho) o hino de nº 254 Senhor, meu Deus, quando eu, maravilhado, contemplo a tua imensa criação... com o conhecido refrão: Então minh' alma canta a ti, Senhor: - Grandioso és tu, grandioso és tu. Este hino foi um dos favoritos do evangelista norte-americano Billy Graham nas suas campanhas evangelísticas.

Fontes:

- http://www.refrigerio.net/hinos14.html e

- www.cyberhymnal.org/


 


Autor(a): Leonhard Creutzberg
Âmbito: IECLB
Natureza do Texto: Música
Perfil do Texto: Autor Letra
ID: 15525
REDE DE RECURSOS
+
A Palavra de Deus é a relíquia das relíquias, a única, na verdade, que nós cristãos reconhecemos e temos.
Martim Lutero
© Copyright 2019 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br