Cuidado com os lobos em pele de cordeiro!

17/01/2021

 

Todos nós, mais cedo ou mais tarde, enfrentamos situações difíceis – algumas delas, podendo chegar ao limite de nossas forças. Nessas horas, faz muito bem receber manifestações de apoio e solidariedade - pra que as coisas não fiquem ainda mais pesadas. Esse apoio e essa solidariedade, nem sempre são presenciais e também podem vir via Internet ou telefone. Infelizmente, porém, nem tudo que aparece é ajuda de verdade. É isso aí. Justamente quando estamos fragilizados, é que os aproveitadores podem encontrar o caminho mais livre. Não raro, as mensagens que recebemos são produzidas com total profissionalismo. São belas na aparência e de conteúdo interessante. Mas, como se dizia tempos atrás, podem ser “lobos em pele de cordeiro”. Sim, há um tipo de gente que, justamente, nos tempos de aflição, aparecem com a intenção de tirar algum tipo de proveito. Infelizmente, aqueles que compartilham esses conteúdos conosco, nem sempre conseguem analisar direito o que nos mandam com boas intenções.

Hoje, escolhi comentar sobre os que utilizam a religião para enganar quem já está na pior. Geralmente, esses “lobos” têm fala agradável e doce. Se for um vídeo ou um áudio, tudo parecerá bom demais. Parecem anjos nos passando coisas divinas, mas com muita frequência, é conteúdo que não tem nada de angelical e, sim, de demoníaco. Esse tipo de gente sempre existiu. O próprio Jesus falou sobre eles, conforme registrou o evangelista Mateus: “Cuidado com os falsos profetas! Eles chegam disfarçados de ovelhas, mas por dentro são lobos selvagens. Mas, vocês conhecerão os falsos profetas pelo que eles fazem” (e não pelo que dizem!).

Prezados! Os aproveitadores da fé sabem muito bem como tirar proveito de quem sofre. Falam em Deus de forma tão bonita, que parecem crentes fervorosos. Na maioria das vezes, a pessoa até sente novas forças e recupera as esperanças. É que esses larápios afirmam, entre outras coisas, que Deus agirá poderosamente, se for agradado com boas ofertas em dinheiro ou em bens – como se o Senhor fosse tipo um negociante ávido por fazer um negócio lucrativo. Mas você, que provavelmente conhece o Salmo 23, pense nesse Salmo. Nele, o rei compara o Senhor a um pastor que cuida muito bem dos carneiros e das ovelhas. Davi tem certeza que Deus é, para Ele, semelhante ao dedicado cuidador de ovelhas. Penso que essa comparação pode nos ajudar a compreender melhor a forma de agir de Deus.

Antes, porém, não esqueçamos que Davi tinha sido pastor de rebanhos antes de tornar-se rei. Portanto, ele se baseia na sua própria experiência de peão de ovelhas para afirmar que o Senhor age parecido. O Senhor protege e orienta o seu povo. Ele está perto e sempre atento aos perigos e dificuldades que nós, seus filhos e filhas, enfrentamos. No tempo de Davi, um bom pastor de rebanho fazia o possível para guiar suas ovelhas por caminhos que levassem a águas limpas e a boas pastagens. Mas, ele não as carregava no colo. Eram as ovelhas que tinham de caminhar até esses lugares e eram elas que tinham de pastar e ir até onde houvesse água. Além disso, as ovelhas precisavam usar as próprias pernas para fugir quando um ladrão ou um animal feroz se aproximasse. E, para maior proteção, elas deviam andar juntas, porque juntas eram mais fortes.

Nesse interessante exemplo, vemos que o pastor não é omisso, pois ele orienta e guia o rebanho pelo caminho certo. Entretanto não é o pastor que faz tudo. As ovelhas também precisam agir segundo a orientação do pastor. Assim, o que o pastor faz é suficiente para que o rebanho se sinta tranquilo. As ovelhas sabem que Ele está ali, prestando atenção em tudo, cuidando o tempo todo. E, ao final do dia, as conduz para local seguro, onde possam dormir em paz. É justamente assim, que Deus faz conosco: Cuida a vida toda e, quando chegar a noite, ou seja o final de nossa vida, Ele nos conduz para junto de si, onde poderemos viver em paz perfeita. E, por falar em paz; a falta de paz e outros problemas da alma, têm muito a ver com o tipo de alimento espiritual que consumimos. O alimento oferecido pelos “lobos” vem recheado de conteúdo falso, vem carregado de fraude.

Jesus Cristo, porém, nos oferece alimento de verdade e quer nos livrar da mão dos maus pastores, aqui comparados a lobos vorazes. Por isso, diz: “As minhas ovelhas escutam a minha voz. Eu as conheço. Elas me seguem. Eu lhes dou a vida eterna. Por isso, elas nunca morrerão. Ninguém pode arrancá-las da minha mão”. Portanto, ouvir a voz do Bom Pastor, é o que importa, pois isso dá rumo na vida – e, também dá força e fé, paz e proteção, esperança e alegria. Mas, Ele não nos obriga a segui-lo e nem exige nada em troca. Quem não quer segui-lo, não vai. Mesmo assim, ele continuará a nos chamar com persistência, porque o nosso coração, a nossa alma, precisa dele. A mensagem e a presença de Jesus Cristo estão aí para todos que procuram por vida em abundância. Então, que Ele sempre nos ajude a reconhecer os maus pastores, a reconhecer os que abusam do nome de Deus, querendo enganar seu povo, para fazer da religião um negócio lucrativo. Sim, Senhor, ilumina nossa mente contra os “lobos”. Amém!

Oremos: Pai Celeste, nosso supremo Pastor! Sabemos que em teu reino haverá um só Pastor. Mas, neste mundo, teu povo está dividido pela política e dividido em muitas denominações. Agradecemos que o teu poder pode manifestar-se mesmo assim. Por isso, te louvamos por nos dares a bênção de experimentarmos comunhão quando nos reunimos em teu nome. Então, Senhor, ajuda-nos a percebermos se for semeado “joio” e não a boa semente que vem de ti. Fortalece nossa fé, principalmente durante as provações, para não cairmos na lábia dos lobos disfarçados de pregadores. E, que a fé que nos dás, nos fortaleça para estarmos a teu serviço e em favor do nosso próximo. Amém!
 


Autor(a): P. Aldemis Rodolfo da Cunha
Âmbito: IECLB / Sinodo: Norte Catarinense / Paróquia: Garuva-SC (Martinho Lutero)
Área: Confessionalidade / Nível: Confessionalidade - Prédicas e Meditações
Testamento: Antigo / Livro: Salmos / Capitulo: 23
Natureza do Texto: Pregação/meditação
Perfil do Texto: Meditação
ID: 60876
REDE DE RECURSOS
+
O ponto principal do Evangelho, o seu fundamento, é que, antes de tomares Cristo como exemplo, o acolhas e o reconheças como presente que foi dado a ti, pessoalmente, por Deus.
Martim Lutero
© Copyright 2021 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br