Deem fruto!

Dimensionando a ordem de Jesus para dentro da vida pessoal e da sociedade. (série de cinco pregações)

14/06/2020

Jo1516-1
Jo1516-2
Jo1516-3
Jo1516-4
Jo1516-5
Jo1516-6
deem fruto
1 | 1
Ampliar

14062020 - Rio
João 15.16

Eu escolhi vocês para que deem fruto.

A graça do Senhor Jesus Cristo, e o amor de Deus, e a comunhão do Espírito Santo estejam com todos vocês.”

Prezada comunidade virtual!

Neste ano nossa Igreja elegeu o desafio de que déssemos fruto como lema de atuação, cf o Ev. de João 15.16: “Eu escolhi vocês para que deem fruto”. Não tínhamos ideia de que seríamos pegos por uma pandemia que impede as ações em comunidade. Como temos por princípio preservar a vida, nossa denominação ainda não está abrindo seus templos aqui no Sudeste, mas isso não significa fraqueza ou prejuízo.

Ao contrário, muito mais pessoas estão tendo a oportunidade de crescer na fé e desenvolver um cuidado espiritual pessoal e solidário. Observando isso, vamos começar hoje uma série de pregações que, à luz das Escrituras, irão dimensionar a ordem de produzir o bom fruto para dentro da nossa sociedade. Assim estaremos mais perto uns dos outros e desenvolvendo em nossa condição de solitários oportunidades de sermos solidários. Igreja que ama, cresce!

A Igreja cresce ao cuidar de forma pessoal e solidária.

Creio que existe na terra um santo grupinho e congregação composto apenas de santos, sob uma só cabeça, Cristo, grupo congregado pelo Espírito Santo, em uma só fé, mente e entendimento, com diversidade de dons, mas unânimes no amor, sem seitas e sem cismas. Eu também sou parte e membro dessa congregação, co-participante e co-desfrutante de todos os bens que possui. Pelo Espírito a ela fui levado e incorporado através do fato de haver ouvido e ainda ouvir a palavra de Deus, que é o princípio para nela se entrar. Esta é uma citação de Walter Lohrman quando se refere ao Catecismo Maior de Martin Luther. Ainda dentro do pano de fundo de que a Igreja de Cristo seja frutífera, cito do Pacto de Lausanne de 1974:

A evangelização mundial só se tornará realidade quando o Espírito renovar a igreja na verdade, na sabedoria, na fé, na santidade, no amor e no poder. Portanto, instamos com todos os cristãos para que orem pedindo pela visita do soberano Espírito de Deus, a fim de que o seu fruto todo apareça em todo o seu povo, e que todos os seus dons enriqueçam o corpo de Cristo. Só então a igreja inteira se tornará um instrumento adequado [nas mãos do Senhor], para que toda a terra ouça a Sua voz”.

Igreja que ama, cresce.

Produzir fruto — observem que sempre usamos a palavra no singular — requer de nós uma postura pró-ativa na ação do Espírito Santo. O Espírito Santo e amor de Jesus, formam uma unidade desde o começo da nova existência (Rm 5.5)” escreve Lohrmann. O amor agape é o primeiro a ser citado na relação como fruto do Espírito (Gl 5.22) e quando isso é levado em conta vemos que a Igreja de Cristo se torna realmente relevante na história da humanidade. Mas, quando isso não acontece, quando o amor não encabeça as ações frutíferas da Igreja de Cristo, sua história se torna um exemplo deplorável de miséria e incosistência. E daí resultaram isolamentos desastrosos, reduções e posições de enfrentamento cerradas.Mas, onde isso é reconhecido, se tornará evidente que não basta uma mera revisão do conhecimento. Reavivamento espiritual e fraternidade aprofundada sempre foram fruto de arrependimento sincero”, cf Lohrmann.

A força da comunidade.

A presidência de nossa Igreja nos faz lembrar que a “comunidade cristã é uma comunhão de pessoas justificadas pela fé em Jesus Cristo. Por isto se espera que as lideranças comunitárias sejam pessoas tementes a Deus, pessoas de fé. A fé nos motiva a trabalhar em comunidade e para a comunidade. A fé se manifesta no amor e no cuidado que temos com as pessoas. Num mundo cada vez mais tomado por mentiras, suavizadas pelo termo fake news, a verdade e a honestidade são características imprescindíveis.

E também: O Apóstolo Paulo enfatizou que cada membro tem uma função e exerce a função em razão do corpo (1 Coríntios 12.12-31). Como membros do corpo de Cristo … servimos ao corpo e recebemos do corpo. Este corpo existe pela ação do Espírito Santo: 'Pois, em um só Espírito, todos nós fomos batizados em um só corpo' (1 Coríntios 12.13)”.

O amor multiplica possibilidades.

O Novo Testamento nos apresenta o Espírito Santo como sendo realidade pessoal. Não é uma revelação etérea, o ES não é uma geleia cósmica, mas “fala”, “arrebata” e “envia” pessoas para missões específicas.

Únicamente pela ação do Espírito Santo, como pessoa, aliás, feminina — ruah —, é que a Igreja pode ser frutífera. Fruto é consequência natural de árvore plantada no terreno fértil da fé e da pró-atividade. João Batista emprega esta figura quando anuncia o Messias: Produzi, pois, fruto digno do arrependimento! Toda árvore, pois, que não produz bom fruto, é cortada e lançada ao fogo” (Mt 3.8,10).

Ser indivíduo e igreja furtífera implica em abraçar ações práticas de amor. Isso testifica que a pessoa e a comunidade abandonaram o caminho trilhado até então e passaram a caminhar com Cristo a partir de uma conversão esperançosa ao Cristo vindouro. Jesus vê nas ações de cada pessoa seu fruto; vê o sinal que identifica a nova natureza interior de cada pessoa que passa a frutificar.

Não é o fruto que torna a árvore boa.

Ao contrário, a árvore boa dá o bom fruto. Da mesma forma devemos dizer: “…não ficamos bons através do nosso fazer, mas o nosso fazer se torna bom, quando nós mesmos tivermos sido feitos bons…” pela ação do Espírito Santo que nos revela a graça de Cristo.

Tomemos como exemplo o fruto do pé de tangerina. Chamemos o fruto todo de amor e os gomos lá dentro de alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão e domínio próprio.

A fé se torna ativa no amor.

O amor torna a fé ativa, e ela vai se desdobrar em um fruto completo e pleno para a transformação da Igreja e transformação da sociedade. Frutificar é servir! “Servi-vos uns aos outros pelo amor”! O mandamento do amor resume tudo e cumpre toda a lei. Portanto, quem está cheio de agape, do amor de Jesus, não tem mais diante de si a lei reivindicadora. No amor “todo o programa da lei tornou-se ação”. A vida no Espírito (v. 16) é serviço livre no amor ao próximo. “O único fruto divino é o amor, os outros são somente as irradiações”.

Prezada comunidade!
Que no tempo único e precioso que vivemos, o de reavaliar a nossa vida, nossos valores, nossas relações com as pessoas, sejamos frutíferos no amor de Jesus Cristo. Nossa fé e convicção cristã estão sob provação nestes dias, porém, o amor de Deus se irradia através daquilo que fazemos. Deixa o Espírito Santo indicar o caminho, Jesus, em sua vida. Aceita o Seu guiar que se torna em ”fé ativa no amor.”


Citações: Lohrmann, Walter. FRUTO E DONS DO ESPÍRITO SANTO. Ed. União Cristã. (versão digitalizada) 

Mais pregações desta série:

https://www.luteranos.com.br/textos/martin-luther-rio-de-janeiro-centro/deem-fruto-ii-2

https://www.luteranos.com.br/textos/martin-luther-rio-de-janeiro-centro/deem-fruto-iii

https://www.luteranos.com.br/textos/martin-luther-rio-de-janeiro-centro/deem-fruto-iv

https://www.luteranos.com.br/textos/martin-luther-rio-de-janeiro-centro/deem-fruto-v


Autor(a): Pr. Rolf Rieck
Âmbito: IECLB / Sinodo: Sudeste / Paróquia: Rio de Janeiro - Martin Luther (Centro-RJ)
Área: Confessionalidade / Nível: Confessionalidade - Prédicas e Meditações
Testamento: Novo / Livro: João / Capitulo: 15 / Versículo Inicial: 16
Natureza do Texto: Pregação/meditação
Perfil do Texto: Prédica
ID: 57213
REDE DE RECURSOS
+
Mal tenho começado a crer. Em coisas de fé, vou ter que ser aprendiz até morrer.
Martim Lutero
© Copyright 2021 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br