Dia da Reforma - Filipenses 2.12-13

Caderno de Celebrações 2022 - Sínodo da Amazônia

01/04/2022

31/10/2022- Dia da Reforma
Pregação: Filipenses 2.12-13; Leituras: Isaías 45.19-25; Salmo 46.1-7;
Ministro Candidato João Henrique Stumpf – Comunidade da Paz/ Espigão do Oeste  

 

LITURGIA DE ABERTURA

Prelúdio: 482 – LCI - Deus é Castelo Forte

ACOLHIDA

             Bom dia queridos irmãos e irmãs em Cristo. Sejam todos bem vindos e bem vindas à casa do Senhor! Que alegria é poder nos reunir como família de Cristo, para celebrarmos o amor de Deus, nesta data tão especial, na qual comemoramos o dia da Reforma Protestante! Saúdo a cada pessoa aqui reunida com as palavras do apóstolo Paulo que dizem: “A minha graça te basta, porque o poder se aperfeiçoa na fraqueza”(2 Coríntios 12.9).

CANTO DE ENTRADA

06 – LCI - Aqui você tem lugar

SAUDAÇÃO

    Celebramos este culto não em nosso nome, mas em nome do trino Deus, que é Pai, Filho e Espirito Santo, amém (+).

CANTOS DE INVOCAÇÃO

251 – LCI – Vem, Espirito Santo

CONFISSÃO DE PECADOS

    Por nossas próprias obras e forças jamais conseguiríamos alcançar a vida eterna, mas por meio de Cristo, que levou nossos pecados na Cruz, somos presenteados com a salvação. Mesmo assim, nos mantemos até o final de nossa vida, simultaneamente justos e pecadores: justos porque somos justificados por meio de Cristo, pecadores porque somos incapazes de cumprir a totalidade da vontade de Deus em nossa vida. Por tal motivo, confessemos os nossos pecados: quem puder se coloque de pé, e em silencio confesse seus pecados perante Deus.

Oração de Confissão:
    Amado Deus, tu és como o pai do filho pródigo que o acolhe novamente após ele pecar, perder tudo e regressar para casa. É por isso que neste momento te pedimos perdão por todas as coisas erradas que fizemos. Pedimos perdão pelas vezes que deixamos de confiar em sua promessa, quando acreditamos mais nas nossas próprias obras para alcançar a salvação ao invés de nos entregarmos em fé em teus braços. Pedimos perdão pelas vezes que não fomos solidários com as pessoas que sofrem, quando nos deixamos ser movidos pelo ódio, pela inveja, pelo desprezo, pela ganância, pela indiferença. Por tudo isso, e também por aquilo que não temos consciência, pedimos pela sua misericórdia e compaixão. Deus da misericórdia te pedimos perdão… Perdão Senhor, perdão… Por Jesus Cristo, nosso Senhor e Salvador é que te pedimos. Amém!

34 – LCI - Concede o teu perdão

ANÚNCIO DO PERDÃO

    “Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça”. Por meio desta promessa, como servo de Cristo posso anunciar a toda pessoa que confessou os seus pecados, que eles estão perdoados, (+) em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, amém. Que o perdão e a paz do trino Deus se manifeste no seu coração e na sua mente, lhe dando a oportunidade de um novo recomeço.

KYRIE

    Nosso Senhor Jesus diz: “No mundo tereis aflições, mas tenham bom ânimo, pois eu venci o mundo”. Jesus não nos engana quanto à realidade do mundo, ele não nos promete um mar de rosas, um encontro de fadas aqui na terra. Lutero afirma que somos simultaneamente justos e pecadores: justos porque causa de Cristo, por meio da fé Cristo nos torna justo, permanecemos, no entanto, pecadores até o final de nossas vidas. Nossa dimensão pecadora deixa suas marcas no mundo. Somos excelentes na tarefa de piorar o mundo já caído. O mundo que já carrega as marcas da imperfeição da criação é piorado ainda mais pelo nossa ação sobre ele. Tudo isso gera sofrimento, de modo que o sofrimento fará parte da minha, da tua e de nossa vida como um todo. Todas as pessoas sofrem, sendo Cristãs ou não, a diferença é que em meio ao vale da sobra da morte Cristo caminha ao nosso lado. Por ser o nosso amigo, nosso companheiro, podemos conversar com Ele, desabafar, clamar e expor a ele nossas preocupações e nossos medos. É isso que fazemos quando cantamos o hino pelas dores deste mundo.

56 – LCI – Pelas Dores Deste Mundo

GLÓRIA IN EXCELSIS

    O salmista ora a Deus com as seguintes palavras: “Graças te dou, visto que por modo assombrosamente maravilhoso me criaste; as tuas obras são admiráveis, e a minha alma o sabe muito bem.” Estimados irmãos e irmãs, o salmista nos ensina a importância de reconhecermos a graça de Deus em nossa vida. Deus nos salva por puro amor, de forma absolutamente gratuita. Não merecemos a salvação, e mesmo assim ele nos oferece de forma gratíta a todas as pesssoas que crêem. Tudo que somos devemos a Deus, e por isso expressamos nossa gratidão. Agradecemos pela vida, pela nossa família, pelos nossos amigos, pela nossa saúde, pela oportunidade de estarmos vivos. Enfim, por cada momento de alegria, de paz e também de sofrimento, rendemos glória ao nosso Deus cantando:

93 - LCI- Salmo 95

ORAÇÃO DO DIA

    Querido e amado Deus, chegamos à tua presença com o coração transbordando de gratidão por tudo o que fez, tens feito e ainda vais fazer em nossa vida. São tantos motivos de gratidão que temos, que para nós é impossível descrever todos eles. No entanto, de forma muito especial, queremos te agradecer pela oportunidade de nos reunirmos neste dia para te louvar, te agradecer, experimentar a comunhão contigo e com nossos irmãos e irmãs na fé. Neste dia nós queremos celebrar a sua graça e o seu amor. Pedimos Senhor para que derrame teu Santo Espírito sobre a tua igreja aqui reunida, pedimos que abençoes nosso momento de Culto, pedimos que aqueça o nosso coração, ilumine nossa mente para que possamos sair daqui fortalecidos na fé, a qual é um presente seu. Tudo isso te pedimos em nome de Jesus Cristo, Amém.

 

LITURGIA DA PALAVRA

    De modo assombrosamente maravilhoso Deus nos criou, e igualmente de modo assombrosamente maravilhoso ele nos mantém e nos guia por meio do Espírito Santo. A Palavra de Deus, a qual tocou a mente e o coração de Lutero, continua sendo para nós lâmpada que ilumina os nossos passos e luz que clareia o nosso caminho.


LEITURAS BÍBLICAS

1ª Leitura Bíblica: Is 45. 19-25

2ª Leitura Bíblica: Salmo 46.1-7

CÂNTICO INTERMEDIÁRIO

149 – LCI – É como a chuva que lava

PREGAÇÃO (Filipenses 2.12-13)

    Neste ano celebramos os 505 anos da reforma protestante. Nesta data não celebramos a divisão, a separação entre protestantes e católicos, pelo contrário, lamentamos este fato. Não era intuito de Lutero criar uma nova igreja ao elaborar suas críticas a Igreja Católica de seu tempo, pelo contrário, em seu horizonte estava uma reforma dentro da própria Igreja Católica em coerência ao Evangelho de Jesus Cristo. Nesse sentido, a divisão, a qual permanece até os dias atuais, foi antes fruto do pecado existente também dentro da Igreja Católica daquele tempo, do que propriamente vontade de Lutero ou vontade de Deus. O que gerou o conflito e a divisão foi a cegueira e a ganância de lideranças eclesiásticas e políticas que não estavam dispostas a abrir mão de suas certezas e privilégios em prol da coerência com o Evangelho de Cristo. Mas então o que celebramos no dia 31 de Outubro? Temos o que celebrar? É claro que sim... Através da reforma pudemos perceber que não precisamos pagar indulgências para alcançarmos a salvação, pelo contrário, Deus nos salva por puro amor e graça. A reforma desvendou o Deus revelado através de Jesus Cristo, o qual é amor transbordante em graça. Salvação não é algo que negociamos com Deus, pelo contrário, é um presente que recebemos por meio da nossa fé em Jesus. Por meio desta fé somos justificados de todos os nossos pecados, por isso costumamos afirmar que somos salvos por graça mediante a fé. Aqui está o aspecto medular da nossa identidade como pessoas luteranas.
    Diante disso, a celebração do dia da reforma lembra da nossa identidade, a qual tem seus alicerces no reconhecimento sincero de que somos pessoas pecadoras, não merecedoras da salvação, no entanto, temos nossa esperança voltada para Deus, o qual nos ama e nos salvar por puro amor e graça. Por meio da fé em Cristo somos pessoas justificadas, e assim, não precisando realizar obras para nossa própria salvação, estamos livres para servir nosso próximo por pura gratidão a Deus. É isso que celebramos e lembramos nesta data.
    A leitura do Salmo 46. 1-7 nos aponta para o poder, amor e misericórdia de Deus. A leitura nos lembra que não temos motivos para temer, visto que o nosso Deus é criador de tudo que existe, nada escapa ao seu poder e amor. Esta certeza nos deve encorajar. A leitura de Mateus 10.26b-33 sinaliza que Jesus conta com seus discípulos para realizar sua missão no mundo, no entanto a ênfase está na necessidade de termos coragem, pois o Deus todo poderoso, conforme destacado no Salmo 46, está conosco. Nada foge ao seu poder, nada pode nos separar do amor de Deus. Da mesma forma o texto de Filipenses afirma que Cristo age através de nós, para cumprirmos corajosamente a sua missão de testemunharmos o seu Evangelho – eis aqui a base do conceito de sacerdócio geral de todas as pessoas crentes, enfatizado por Lutero. A linha vermelha que perpassa as três leituras é a coragem que devemos ter na missão de proclamar o Evangelho de Cristo, nos anima na tarefa de assumirmos o sacerdócio geral de todas as pessoas crentes de forma corajosa e decidida.
    O trecho da carta de Paulo aos Filipenses, lida anteriormente, inicia com a conjunção “portanto”, ou seja, significa que o conteúdo dela representa uma continuidade ou conclusão de um raciocínio já desenvolvido por Paulo desde o início do capítulo 2. Diante disso, todo o capítulo 2 de Filipenses precisa ser levado em consideração para compreender o significado do trecho lido. No início do capítulo 2 Paulo afirma que a união dos Filipenses com Cristo produz vários frutos, tal união torna-se visível a partir do ânimo, bondade e da misericórdia dos membros da igreja de Filipos. Para Paulo a fé dos Felipenses tem gerado uma enormidade de bons frutos. No versículo 5 do Capitulo 2 ele exorta a comunidade a “ter o mesmo modo de pensar que Cristo tinha”. A partir dessa exortação Paulo apresenta uma narrativa acerca do significado da vida e obra de Jesus Cristo. Ou seja, para Paulo está claro que só podemos ter o mesmo modo de pensar que Cristo tinha se efetivamente conhecermos Ele, por tal motivo ele apresenta essa narrativa. Na sequência Paulo pede para que os Filipenses continuem a obedece-lo, visto que ele é um imitador de Cristo. Nesse contexto Paulo afirma no V. 12 b: “Continuem trabalhando com respeito e temor a Deus para completar a salvação de vocês”. Por fim o apóstolo afirma que Deus está agindo na comunidade para que ela cumpra a sua vontade. Deus age especialmente por meio da fé, a qual é imprescindível para cumprir a vontade Dele, ou seja, sem a ajuda de Deus jamais conseguiremos cumprir sua vontade. Somos como um lápis, dependemos sempre da mão de Deus que nos segura e nos manuseia.
    A nossa união com Cristo acontece por meio da fé, que é presente de Deus. Por meio dessa mesma fé a salvação se faz presente em nossas vidas. Quando Paulo afirma que a comunidade deve continuar trabalhando e perseverando na fé para completar a salvação, ele pressupõe que está salvação já se faz presente, já é um presente de Deus, já está em nossas mãos. Completar a salvação nesse contexto é sinônimo de continuarmos perseverantes na fé em Cristo, fé esta que automaticamente produz boas obras e bons frutos. Perseverar na fé significa também buscar o mesmo modo de pensar que Cristo tinha ( v.5), significa buscar obedecê-lo tanto em pensamento como nas ações (v.13). Obedecer a Cristo não para alcançar a salvação, pois esta já nos foi alcançada por meio de Cristo, a salvação já foi conquistada por Cristo e dada de presente aos que creem, no entanto, a pessoa crente busca obedecer a Cristo como resposta de gratidão á Deus. Obediência essa torna-se visível a partir do nosso jeito de pensar e agir, os quais são balizados pelo ânimo, bondade e misericórdia (v.1).
    Nesse culto da reforma celebramos esse amor gracioso de Deus que nos presenteia com a salvação mediante nossa fé em Cristo. Nos luteranos somos movidos pela leveza e a gratidão, esses dois sentimento gerados pela fé em Cristo. Somos leves porque somos aceitos do jeito que somos por meio de Cristo. O peso do medo da condenação, o peso da incerteza em relação a salvação já foi carregado por Jesus, estamos leves, aliviados... O medo e a incerteza são substituídos pela gratidão de quem já se sabe por meio de Cristo salvo. A leveza e a gratidão, frutos da fé, juntam se com a coragem também proveniente da fé. Por meio da fé somos chamados a espalharmos com leveza e coragem o amor de Deus pelo mundo, e fazemos isso por pura gratidão, não porque precisamos mas porque o amor de Deus nos enche de ânimo, de leveza, gratidão e coragem. É assim que buscamos vivenciar o sacerdócio geral, a vivência dele é sempre como resposta de gratidão. Por pura gratidão viveremos balizados pelo amor de Deus, que nos ensina que as pessoas que partilham o mundo conosco são nossas irmãs, que a natureza é criação do mesmo Deus que o nosso, e que o amor de Deus que trasborda em forma de graça quer ser vivenciado de forma concreta entre nós. Que Deus nos abençoe na tarefa de sermos sal e luz neste mundo tão necessitado de tempero e claridade. Amém.

 

HINO

90 – LCI – Pelos Prados e Campinas

CONFISSÃO DE FÉ
Creio em Deus Pai, ...

CANTO PÓS CONFISSÃO

472- LCI- Graças, Senhor eu rendo muitas graças

Anúncio da oferta: Oferta nacional: Missão com Literatura Evangelística

ORAÇÃO DE INTERCESSÃO
    Senhor nós intercedemos por todas as pessoas, as de dentro e de fora da nossa comunidade, de forma especial te pedimos por aquelas passam pelo processo do luto, por dificuldades financeiras, pedimos pelas pessoas enfermas, acamadas, enfim, te pedimos que conforte e de forças para cada pessoa que enfrenta o sofrimento no dia a dia. Pedimos que caminhe com as lideranças e grupos da nossa comunidade e paróquia. Pedimos Senhor, por todas as lideranças da nossa sociedade, pedimos pelas lideranças políticas para que busquem a promoção da paz e do bem comum para todo o povo, olhando com maior atenção para as pessoas e grupos mais vulneráveis da nossa sociedade, pedimos pelas lideranças jurídicas para que atuem no horizonte da verdadeira justiça. Pedimos também pelas seguintes pessoas e situações: Motivos de oração da comunidade...

Tudo aquilo que se cala em nosso coração incluímos na oração do Pai Nosso...

LITURGIA DE DESPEDIDA

AVISOS
    Próximo Culto: ___/___/______ às ___:___ h.
    Oferta último Culto: R$ _________ - destinada para ...
______________ _________________________________________
________________________________________________________
________________________________________________________
________________________________________________________
________________________________________________________

BÊNÇÃO
    O Senhor te abençoe e te guarde;
    O Senhor faça resplandecer o seu rosto sobre ti, e tenha misericórdia de ti;
    O Senhor sobre ti levante o seu rosto e te dê a paz. Que assim te abençõe Ele que é Pai, Filho e Espírito Santo, amém.

ENVIO
    Vamos na paz do Senhor e sirvamos a Ele com alegria. Amém.

CANTO FINAL
482- LCI- Deus é Castelo Forte
  


Autor(a): Ministro Candidato João Henrique Stumpf
Âmbito: IECLB / Sinodo: Amazônia
Testamento: Novo / Livro: Filipenses / Capitulo: 2 / Versículo Inicial: 12 / Versículo Final: 13
Título da publicação: Caderno de Celebrações 2022 - Sínodo da Amazônia / Ano: 2022
Natureza do Texto: Pregação/meditação
Perfil do Texto: Prédica
ID: 66703
REDE DE RECURSOS
+
Fale em favor daqueles que não podem se defender. Proteja os direitos de todos os desamparados.
Provérbios 31.8
© Copyright 2022 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br