Johann Scheffler (1624-1677)

Obra e Biografia

29/06/2012

Johann Scheffler (1624-1677) HPD nº 177, 203, 205

Nasceu: 1624, Breslau, Schlesien (Silesia). Faleceu: 9 de julho de 1677, St. o Matthias monastério, Breslau, Silésia. Sepultado: St. Matthias monastério, Breslau, Silesia. Pseudônimo: Ângelus Silesius (o anjo da Silésia)

O pai de Johann, Stanislaus Scheffler, era membro da nobreza polonesa, mas foi forçado a deixar a sua pátria porque aderiu ao Luteranismo. Johann, depois de freqüentado o Elisabeth-Ginásio em Breslau, se matriculou como estudante de medicina na Universidade de Estrassburgo em 1643. Um ano depois, ele foi para Leyden (Holanda), e em 1647, para Pádua (Itália), onde se formou (PhD & MD 1648). Ele voltou então a Silésia, onde em 1649 ele se tornou o médico particular de Sylvius Nimrod de Württemburg-Oels.

O Duque era um luterano fiel, e o pastor da corte dele, Christoph Freitag, administrou os negócios eclesiásticos do distrito de acordo com rigorosa doutrina luterana. Scheffler, que na Holanda tinha se familiarizado com os escritos do místico e filosófico sapateiro Jakob Böhme (1575-1624), e tinha sido um amigo pessoal de Abraham von Frankenberg (1593-1652), editor dos trabalhos de Böhme, achou logo que a atmosfera espiritual de Oels não lhe servia. Johann resignou o seu cargo em 1652 e voltou a Breslau. Ali ele chegou a conhecer os Jesuítas. Em 1653 ele se juntou à igreja católica romana, e aceitou o nome de Ângelus.

Em 1654, o Imperador Ferdinand fez Scheffler o Médico da Corte Imperial, mas o título era puramente honorário, e Scheffler permaneceu em Breslau. Em 1661, Scheffler uniu-se a ordem de São Francisco, e foi ordenado como padre em Niesse, Silesia. Em 1664 ele foi designado Rath (Conselheiro) e Hofmarschall (Mordomo-mor) do seu amigo Sebastian von Rostock (1607-1671), o Príncipe-Bispo recentemente instalado em Breslau. Tornou-se um dos líderes da Contra-Reforma. Depois da morte do bispo em 1671, Johann Scheffler se aposentou e foi morar no monastério de São Matthias em Breslau.

Através de sua poesia lírica (Heilige Seelen-Lust oder Geistliche Hirten-Lieder ( Prazer de Almas Santas ou Canções pastoris Espirituais) e seus versos (Cherubinischer Wandersmann (Peregrino Querubínico) Johann Scheffler se tornou um dos mais significativos representantes da Mística do século 17, com influência expressiva sobre Gottfried Arnold (1666-1714), Gerhard Tersteegen e Ludwig von Zinzendorf.

No nosso hinário encontram-se da autoria de Johann Scheffler:

HPD nº 177 Segui-me, diz Cristo, o Senhor = EG nº 163: Mir nach, spricht Christus, unser Herr , foi publicado em 1668 no 5º volume de “Heilige Seelen-Lust...”, sendo que a 4ª estrofe foi anexada em 1704 no hinário de Freylinghausen. E´ um dos poucos hinos feito por Angelus Silesius depois de sua conversão para o catolicismo romano, e que se conservou até hoje.

HPD nº 203 Santo amor, que me criaste = EG nº 201: Liebe die du mich zum Bilde, ao qual igualmente a 4ª estrofe foi acrescentada em 1704.

HPD nº 205 Meu Salvador, eu quero amar-te = EG nº 200 Ich will dich lieben, meine Stärke foi publicado pela primeira vez como uma poesia na coleção Heiligen Seelen-Lust (Breslau 1657), a qual contém exclusivamente produções do mensageiro da Silésia Johannes Scheffler. O texto é influenciado pela teologia de Augustinus (354-430).

Fontes:

- www.cyberhymnal.org/

- Kleinbes Nachschlagewerk zum Evangelischen Gesangbuch für Bayern und Thüringen München, s.d. (1996)


 


Autor(a): Leonhard Creutzberg
Âmbito: IECLB
Natureza do Texto: Música
Perfil do Texto: Autor Letra
ID: 15369
REDE DE RECURSOS
+
A Deus, aos pais e aos mestres, nunca se poderá agradecer e recompensar de modo suficiente.
Martim Lutero
© Copyright 2019 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br