Mateus 18.1-5- Véspera de Ano Novo - 31/12/2021

Caderno de Cultos 2021 - Sínodo Mato Grosso

30/12/2021

31/12/2021 – Véspera de Ano Novo
Pregação: Mateus 18.1-5; Leituras: Isaías 55.6-11; Salmo 90.1-12 Hebreus 13.8-9b
Ari Schneider Sobrinho – Cuiabá

LITURGIA DE ABERTURA

ACOLHIDA
Bom dia/boa noite!
Com muita alegria desejo saudá-los com a palavra bíblica de Mateus 5.3: “Bem-aventurados os humildes de espírito, porque deles é o Reino dos Céus”. O primeiro passo em relação à bem-aventurança é ser pobre em espírito, isto é, reconhecer o nosso próprio vazio espiritual e a indignidade.
A pessoa humilde, e pobre de espírito é aquela que tem dentro de si o reconhecimento de quem é de verdade, de suas fraquezas, de sua condição pecaminosa, de sua pequenez, de sua total dependência de Deus e da atuação do Senhor em suas vidas. São pessoas que de fato reconhecem a grandeza de Deus e se submetem a Ele de coração.

Acolher os visitantes

CANTO DE ENTRADA
18 – O nosso encontro

SAUDAÇÃO
Reunimo-nos aqui em nome e na presença de Deus que é o Pai criador de todas as coisas, em nome de Jesus Cristo que nos ensina a amar e ajudar as outras pessoas, e em nome do Espírito Santo, que nos dá força para tornarmos este mundo mais feliz para todas as pessoas.

CANTO DE INVOCAÇÃO
8 – Canção de chegada

CONFISSÃO DOS PECADOS
Queremos neste momento nos achegar a Deus e confessar os nossos pecados:
Deus bondoso e misericordioso, nos colocamos diante de ti como pessoas pecadoras e necessitadas de perdão. Reconhecemos que pecamos em pensamentos, palavras, ações e omissões. Reconhecemos que não vivemos de acordo com a tua vontade. Esquecemos de olhar para o nosso próximo, não amamos e não perdoamos como deveríamos. Com palavras e ações ferimos nossos semelhantes e estamos sempre cheios de orgulho e egoísmo.
Preferimos nós mesmos decidir sobre o que é bom ou mau para nossas vidas. Permitimos tão pouco que tu sejas o nosso Criador, porque nós mesmos preferimos construir uma vida e o mundo que estejam de acordo com os nossos planos e sonhos. Perdoa o nosso egoísmo, nossa falta de humildade, nossa inveja, nosso comodismo, nossa dificuldade de vivermos como irmãos. Necessitamos da tua misericórdia Senhor, Por isso te suplicamos, tem piedade de nós! Amém

ANÚNCIO DO PERDÃO
O evangelista João diz: “ Eis o cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo”! (João 1.29). Em Jesus temos vida nova e salvação.
Todos aqueles que com sinceridade confessaram seus pecados, e estão dispostos a abandoná-los, podemos anunciar o perdão dos seus pecados em nome do Pai, Filho e Espírito Santo. Amém

KYRIE
Elevamos o nosso pensamento ao Deus da vida, pedindo pela paz no mundo, pela proclamação e divulgação do evangelho e pelos oprimidos, por todos que de alguma maneira sofrem neste mundo, rogamos-te piedade. Que tua compaixão alcance o desempregado. Teu amor encha o coração do enlutado. Que a tua paz alcance o aflito. Que a tua mão acompanhe o desamparado e a tua esperança traga novo rumo ao desesperado. Que cada pessoa que sofre neste mundo e que te busca não volte sem resposta, sem animo, sem consolo. Que teu Espírito Santo renove a vida e a esperança. Assim oramos em nome de Jesus Cristo. Amém

GLÓRIA IN EXCELSIS
Confiantes na condução sobre nossas vidas e sobre o mundo em que vivemos, cantamos todo juntos.

183 – Glorificado seja teu nome


ORAÇÃO DO DIA
Obrigado Senhor, que mais uma vez nos chamastes para estarmos aqui. Abençoa-nos com tua palavra. Dá-nos ouvidos atentos e corações abertos, para que tua mensagem encontre um solo fértil onde possa crescer e frutificar. Que em nenhum momento percamos a confiança na tua proteção e no Teu amor. Em nome de Jesus suplicamos. Amém

LITURGIA DA PALAVRA

Leituras Bíblicas
1ª Leitura Bíblica: Isaias 55.6-11
2ª Leitura Bíblica: Salmo 90.1-12
3ª Leitura Bíblica: Hebreus 13.8-9b

CÂNTICO INTERMEDIÁRIO
152 – Pela palavra de Deus

PREGAÇÃO: Mateus 18.1-5

Ao nos prepararmos para comemorar a chegada de um novo ano, com certeza, muitos de nós estão rememorando os acontecimentos que se passaram em nossas vidas no ano que se despede, e estamos provavelmente planejando, com esforço, o novo ano que se aproxima.
No planejamento do ano vindouro, qual o espaço que você reservou para dedicar-se a ouvir a Deus? Convido para refletirmos neste culto sobre o texto que encontramos em Mateus 18.1-5, através do qual Jesus nos ensina o que é necessário para entrar no reino do Céu.
A indagação sobre quem está “por cima” ou quem está “ por baixo” acontece sempre onde as pessoas convivem ou se encontram. Entre os discípulos de Jesus surgiram dúvidas quanto à hierarquia. A questão de ser inferior ou superior, tem causado muitos males e divergências nas comunidades e grupos.
É natural que também na igreja, como em qualquer setor social, tenha e deva existir degraus de competência. Nisso não há nenhum mal. Mal é se vangloriar, ser arrogante, não ser humilde e não aceitar viver para a glória de Deus (João 5.44). Isso é um grave mal: sentir-se superior ao outro ou fazer o outro sentir-se menosprezado. Lamentavelmente isso também acontece entre os cristãos.
Infelizmente o mundo se compraz naquilo que é grande. Os discípulos não estavam livres desse espírito. Eles querem saber quem é o mais importante no Reino do Céus. Jesus contudo, não responde a pergunta e diz: “O mais importante é entrar no Reino dos Céus e, para entrar, é preciso ser pequeno”. Com objetivo de gravar no espírito dos discípulos esse ensinamento. Jesus chama uma criança e a coloca no meio deles e diz: “ Se vocês não mudarem de vida e ficarem iguais as crianças, nunca entrarão no Reino do Céu”. O mais importante no Reino do Céu ´é aquele que se humilha e se torna como uma criança.
Jesus não vê em uma criança o futuro adulto, e sim, no adulto ele vê a criança que deixou de existir. “Se não vos tornardes como crianças de modo algum entrareis no Reino do Céu” Qual seria o motivo de Jesus valer-se de uma criança para ensinar os discípulos? Foi nas pessoas simples e singelas, foi nos “pequeninos”, que Jesus achou aceitação. As pessoas proeminentes, honradas, admiradas, temidas, poderosas, o rejeitaram.
Na época, as crianças, tal qual os escravos, servos e mulheres, não tinham nenhuma importância, porém uma criança crê e tem fé a sua maneira e, para Jesus, ela não é nenhum pouco menos do que um adulto com sua fé.
O que uma criança tem a mais que o adulto? Não devemos ver aqui o merecimento maior da criança do que do adulto. A criança é pequena e não sabe ser diferente, aceita que é pequena. A criança sabe de sua dependência dos pais. Deixa-se presentear, aceita tudo sem qualquer reserva. Seu coração ainda não está endurecido pelas pressões do mundo. A criança deixa-se amar. Mais do que isso não é necessário, também no Reino do Céu.
A todo instante, Jesus nos chama a sermos construtores de um mundo melhor, a sermos promotores da vida, esvaziando a nós mesmos, para elevar o outro! Para atendermos a este chamado de Jesus, precisamos em primeiro lugar, nos despir das nossas vaidades das nossas manias de grandezas, ter um coração puro, como o coração de uma criança!
Em toda sua trajetória terrena, Jesus foi itinerante, Ele não tinha sequer um lugar para recostar a cabeça, identificando-se com os pobres, uma identificação, que vem lá do seu nascimento, Jesus nasceu pobre, e foi para os pobres que Ele dirigiu o seu primeiro olhar, para os pastores, pessoas simples que nem eram reconhecidas pela sociedade, mas que se tornaram grandes aos olhos de Deus. Eles foram os primeiros a acolher Jesus e a anunciar o seu nascimento.
Jesus está sempre a nos revelar a sua predileção pelos pequeninos, a quem Ele se refere? Não somente as crianças, são todos aqueles que o mundo despreza, quem é pequeno aos olhos do mundo, é grande aos olhos de Deus!
Mesmo tendo deixado tudo para seguir Jesus, os discípulos ainda não haviam entrado na dinâmica do Reino, eles deram espaço para que a vaidade crescesse neles. Na visão deles o seguimento a Jesus, possivelmente se traduzia em realização pessoal, tanto, que quando Jesus lhes revelou o desfecho da sua trajetória terrena, eles se inquietaram discutindo entre si, qual deles seria o maior.
Embora convivendo diretamente com Jesus, os discípulos ainda não haviam entendido o seu messianismo, continuavam presos à mentalidade egoísta do mundo. A grande preocupação deles, não era com a promoção da vida do outro, e sim com a promoção pessoal.
Quando deixamos de viver de forma simples, é sinal de que já fomos pegos, pelo grande mal, da vaidade. A vaidade distorce a nossa imagem e semelhança de Deus, nos torna artificiais, nos faz passar uma imagem falsa de nós, com a finalidade de impressionar o outro, de nos aparentar grandes.
Jesus andou no reino dos homens carnais e enfrentou tremendos desafios. Como poderia ele capturar seus corações para moldá-los como servos humildes que o Pai quer? Não foi uma tarefa fácil. Ele falava frequentemente de humildade, e mostrava em sua vida de serviço, o que significa elevar os outros acima de nós mesmos. Quem poderia exemplificar melhor a humildade voluntária do que o próprio Deus, que deixou sua habitação celestial para servir e mesmo morrer pelos homens pecadores?
Dois Exemplos fantásticos mostram claramente como Jesus ressaltava a humildade para seus apóstolos. O primeiro exemplo é o texto da nossa predica. O segundo exemplo, ainda mais tocante, é registrado em João 13.1-17. Quando se preparavam para partilhar a refeição da Páscoa, Jesus aproveitou para ensinar uma lição necessária. Os apóstolos jamais esqueceriam aquela noite, e Jesus não perdeu a oportunidade de ensinar. Ele tomou uma toalha e água e foi, de discípulo em discípulo, lavando seus pés. Isto era, por costume, serviço de servos mais humildes, mas aqui o Senhor do universo estava se humilhando diante de simples galileus. Quando terminou voltou-se aos discípulos e perguntou: “entenderam o que vos fiz? Vocês me chamam de “Mestre e Senhor” e tem razão, pois sou mesmo. Se eu, o Senhor e Mestre, lavei os pés de vocês, então vocês devem lavar os pés uns dos outros. Jesus deu o exemplo aos seus discípulos para que eles fizessem o mesmo.
Podemos tirar algumas conclusões claras e importantes. Entender por que a falta de humildade impede a salvação. Considere como o orgulho é absolutamente oposto às qualidades e comportamentos que Deus quer de nós! Sem humildade, não servimos outros como deveríamos, porque aqueles que são arrogantes e egoístas querem ser servidos e não servir. Sem humildade, não seremos seguidores. Os orgulhosos querem ser chefes e cobiçam ter uma posição e influência sobre os outros.
Devemos aprender a desenvolver a humildade, estar consciente de que somos pequenos e necessitados perante Deus, assim como uma criança frente a seus pais. É preciso tornar-se alguém que, em sua vida, espera tudo somente de Deus. Jesus toma a criança por exemplo porque ela aceita sem restrições o fato de ser pequena e necessitada. Toda a cena perante Jesus é uma simples, mas marcante, mostra de justificação pela fé. Só pela fé.
Em síntese: devemos nos deixar amar por Deus, em toda simplicidade, assim como as crianças deixam-se amar e abençoar por Jesus. Amém

HINO
320 – Senhor se tu me chamas

CONFISSÃO DE FÉ
Motivados pela palavra de Deus queremos confessar juntos a nossa fé com as palavras do Credo Apostólico
Creio em Deus Pai ...............

CANTO PÓS CONFISSÃO
(proceder motivação e o recolhimento das ofertas)
HINO
479 – Graças dou por esta vida

ORAÇÃO DE INTERCESSÃO
1. Aniversariantes
2. ¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬----------------------------------------------------------------------
3. -----------------------------------------------------------------------
4. ------------------------------------------------------------------------
5. ------------------------------------------------------------------------
Ó Deus, obrigado pelas bênçãos derramadas em nossas vidas nesse culto. Ajuda-nos a entender que somos pequenos e necessitados perante ti, assim como uma criança é frente aos seus pais, ajuda-nos a abandonar a velha natureza humana e viver o Batismo todos os dias de nossas vidas, tendo como foco a Ti e Tua palavra. Faz com que nos sintamos confortados, amparados e amados por ti, ainda que as circunstâncias digam o contrário. Isso é viver pela fé e é assim que queremos viver. Pedimos também que como comunidade aqui reunida, possamos viver unidos ao mesmo corpo que é: CRISTO JUSESUS. Oramos pelas autoridades de nossa cidade, estado e país, que todos possam governar com justiça e retidão.
Queremos colocar diante de ti, os pedidos da tua comunidade (incluir os pedidos da comunidade) e te suplicamos ouve e atende nossas orações.
Estejas ao nosso lado em mais uma semana e especialmente no novo ano que se inicia, protegendo a todos nas mais diversas atividades, tanto individual quanto em nossa comunidade e paróquia. E tudo mais que queremos incluir na oração que nosso Senhor Jesus nos ensinou.

Pai nosso........

LITURGIA DE DESPEDIDA
Avisos
Próximo culto -------/-------/--------às-------:-----------h.
Oferta do último Culto: R$ -------------- destinada para......

BENÇÃO
Que Deus nos abençoe e nos proteja. Que possamos sentir a sua presença em nossa vida. Que Deus te dê a sua paz, hoje e sempre. Em nome do Pai do Filho e do Espírito Santo. Amém

ENVIO
Vamos em paz servindo a Deus com alegria, cheios de fé nesse novo ano que se inicia.

CANTO FINAL
93 – Salmo 25

 

 


 


Autor(a): Sr. Ari Schneider Sobrinho
Âmbito: IECLB / Sinodo: Mato Grosso
Testamento: Novo / Livro: Mateus / Capitulo: 18 / Versículo Inicial: 1 / Versículo Final: 5
Título da publicação: Caderno de Cultos - Sínodo Mato Grosso / Ano: 2021
Natureza do Texto: Pregação/meditação
Perfil do Texto: Prédica
ID: 63988
REDE DE RECURSOS
+
Arrisco e coloco a minha confiança somente no único Deus, invisível e incompreensível, o que criou o céu e a terra.
Martim Lutero
© Copyright 2024 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br