Mateus 25.31-46 - Véspera de Ano Novo - Véspera de Ano Novo

Caderno de Cultos 2022 - Sínodo Mato Grosso

28/11/2022

Mateus 25.31-46 – Véspera de Ano Novo – Véspera de Ano Novo

Pregação Mateus 25.31-46
Leituras: Eclesiantes 3.1-13; Salmo 8; Apocalipse 21.1-6ª
Ari Schneider Sobrinho – Cuiabá

LITURGIA DA ABERTURA

ACOLHIDA
Quero com muita alegria saudar a querida comunidade com as palavra do evangelho de Mateus 24.42, onde Jesus Cristo diz: “Fiquem vigiando, pois vocês não sabem em que dia vai chegar o seu Senhor”. Vigiar é ficar atento, observar notar. Devemos nos lembrar que o vigiar vem do amor. Esperar a volta de Cristo nunca pode nos levar a indiferença para com esse mundo. Por amor a Cristo, nossos olhos devem estar atentos para o próximo e suas necessidades. Por amor a Cristo devo vigiar e não permitir que a cegueira espiritual me impeça de ver que é aqui nesse mundo que devo servi-lo. Não sabemos quando Ele virá, por isso é preciso continuar vigiando atentamente para que em nossas palavras e ações continuemos sendo servos fiéis, cuja fidelidade se mostra no cuidado com os pequenos e frágeis desse mundo. Que Ele nos encontre atentos!

ACOLHER OS VISITANTES

CANTO DE ENTRADA
519 – Jesus Cristo é Rei e Senhor

SAUDAÇÃO
Nós estamos aqui reunidos em nome de Deus Pai, que é amor, eis que entregou seu único filho para na cruz pagar pelos nossos pecados, em nome de Jesus Cristo seu filho, que com sua morte na cruz conquistou a vida eterna para todos aqueles que nele creem; e em nome de Espírito Santo, consolador, força viva e luz presente em meio ao sofrimento e fôlego de uma vida nova.

CANTO DE INVOCAÇÃO
463 – Vem, Espírito Divino

CONFISSÃO DOS PECADOS
Queremos neste momento nos achegar a Deus e confessar os nossos pecados:
Deus bondoso e misericordioso, nos colocamos diante de ti como pessoas pecadoras e necessitadas de perdão. Reconhecemos que pecamos em pensamentos, palavras, ações e omissões. Reconhecemos que não vivemos de acordo com a tua vontade. Esquecemos de olhar para o nosso próximo, não amamos e não perdoamos como deveríamos. Com palavras e ações ferimos nossos semelhantes e estamos sempre cheios de orgulho e egoísmo.
Preferimos nós mesmos decidir sobre o que é bom e mau para nossas vidas. Permitimos tão pouco que tu sejas o nosso criador, porque nós mesmo preferimos construir uma vida e o mundo que estejam de acordo com nossos planos e sonhos. Perdoa nosso egoísmo, nossa falta de humildade, nossa inveja, nosso comodismo, nossa dificuldade de vivermos como irmãos. Necessitamos da tua misericórdia Senhor. Por isso te suplicamos, tem piedade de nós! Amém

ANÚNCIO DO PERDÃO
O nosso consolo e fortalecimento vem da palavra de Deus que diz: em Jo 5.24 “Quem ouve a minha palavra e crê naquele que me enviou tem a vida eterna e não será julgado, mas já passou da morte para a vida.
Com base na promessa de Deus podemos anunciar a todos que sinceramente se arrependeram de seus pecados e neles não mais desejam reincidir, o perdão dos pecados em nome do Pai, dos Filho e do Espírito Santo. Amém

KYRIE
Elevamos o pensamento ao Deus da vida, pedindo pela paz no mundo, pela proclamação e divulgação do evangelho e pelos oprimidos, por todos que de alguma maneira sofrem neste mundo, rogamos-te piedade. Que tua compaixão alcance o desempregado. Teu amor encha o coração do enlutado. Que a tua paz alcance o aflito. Que a tua mão acompanhe o desamparado e a tua esperança traga novo rumo ao desesperado. Que cada pessoa que sofre neste mundo e que te busca não volte
sem resposta, sem animo, sem consolo. Que teu Espírito Santo renove a vida e a esperança. Assim oramos em nome de Jesus Cristo. Amém

GLÓRIA IN EXCELSIS
Motivados pelo amor e pela bondade de Deus, vamos louvá-lo cantando o hino:
183 – Glorificado seja teu nome

ORAÇÃO DO DIA
Senhor Deus Pai amado, obrigado pelo teu convite em nos chamar a este culto, pois sabemos que queres falar a cada um de nós pessoalmente e sabes muito bem o quanto precisamos de paz e sossego, e de tempo para ouvir tua palavra e deixar que ela ilumine nossa vida. Afasta por isso, agora tudo aquilo que nos possa atrapalhar. Dá-nos também entendimento para que entendamos a tua palavra. Que a tua palavra seja em nosso coração uma semente e nosso coração seja terra fértil de tal maneira que em nós cresça a certeza da salvação por graça e fé, para que assim possamos vivenciar esta realidade no dia-a-dia a começar pela nossa casa. Por Jesus, nosso Senhor e Salvador. Amém

LITURGIA DA PALAVRA
Leituras Bíblicas
1ª Leitura Bíblica: Eclesiastes 3.1-13
2ª Leitura Bíblica: Salmo 8
3ª Leitura Bíblica: Apocalipse 21.1-6ª

CÂNTIGO INTERMEDIÁRIO
576 – Jesus Pastor Amado

Vamos aclamar o evangelho cantando Aleluia, Aleluia ..

Que a graça do nosso Senhor Jesus Cristo, o amor de Deus pai e a comunhão do Espírito Santo estejam com você.

Pregação Mateus 25.31-46

Ao nos prepararmos para a chegado de um novo ano, com certeza, a maioria de nós estão rememorando os acontecimentos que se passaram em nossas vidas no ano que se despede, e estamos provavelmente planejando, com esforço, o novo ano que se aproxima.
No seu planejamento do ano vindouro, qual o espaço que você reservou para dedicar-se a ouvir a Deus e se preparar para o Juízo final? Convido então. Para refletirmos neste culto sobre o texto que encontramos em Mateus 25.31-46, através do qual Jesus nos fala do
Chamado “julgamento final”, ou “juízo final”.
Deus fez o homem dotado de livre-arbítrio. Ou seja, o homem foi feito com poder de escolha, com a liberdade para fazer o bem ou o mal. Entretanto, a liberdade tem um outro lado: a responsabilidade. Desta forma, todas as escolhas feitas pelo homem trazem consequências. Que devem ser suportadas pelo próprio, que podem ser consequências positivas ou negativas, que devem ser suportadas ou deliciadas pelo próprio homem. O homem queira ou não, é responsável pelos seus atos e deverá prestar contas a seu Criador.
A responsabilidade é, portanto, um traço da humanidade, uma característica natural à natureza humana e, por isso todos os homens, salvos ou pecadores, têm de ser julgados diante d’Aquele que é o Senhor de todas as coisas, que é o nosso Deus. O último julgamento é chamado “julgamento final”, ou “Juizo final”.
Muitas pessoas pregam que o fim do mundo está próximo. A Bíblia não diz nada sobre qual o dia em que Cristo voltará. Isso não foi revelado, mas é revelado o que vai acontecer quando Cristo voltar. Jesus mesmo falou sobre esse assunto no evangelho de Mateus 25, cujo parte do texto estamos refletindo.
Primeiramente, o Senhor contou a parábola das dez virgens. Talvez vocês possam se lembrar. Havia dez virgens. Cinco dentre elas eram imprudentes e cinco eram prudentes. As prudentes eram bem preparadas, as outras não. As imprudentes não se prepararam bem para o encontro com o noivo. Com essa história, Cristo quer nos ensinar que nós não sabemos quando ele voltará. E que temos de estar preparado para sua volta todos os dias. Quem é prudente se prepara para encontrar Jesus.
O que é importante? É conduzir nossa vida no dia-a-dia de forma correta! Isso Cristo nos ensina na segunda parábola do capítulo 25 do evangelho de Mateus. A história de um senhor que ia fazer uma viagem. Ele chamou os seus empregados, e os pôs para tomarem conta da sua propriedade. Ele lhes deu dinheiro de acordo com a capacidade de cada um. Ao primeiro deu quinhentas moedas de ouro; ao segundo duzentas e ao terceiro cem. O que recebeu quinhentas moedas, saiu imediatamente e trabalhou com amor e zelo e assim conseguiu ganhar outras quinhentas, o escravo que recebeu duzentas fez o mesmo, mas o escravo que tinha recebido cem não fez nada. Ele odiava o seu senhor e por isso nada fez. Era um escravo mau e preguiçoso. Ele não era um bom exemplo.
O Senhor está nos ensinando que o amor e o zelo dos outros foram premiados.
Amor e zelo com as coisas do nosso Senhor. É muitíssimo importante. E por isso uma pergunta que não pode calar: Qual a posição de vocês irmãos? Isso será decisivo no último dia.
Não podemos nos deixar levar pela ideia de que somos cristãos e temos a vida eterna garantia. Jesus nos alerta que devemos no nosso dia-a-dia vigiar e estar atentos.
Vigiar e estar atento me faz lembrar o cuidado de um pai e de uma mãe para com os filhos, eles estão sempre vigiantes e atentos e, mesmo não sendo compreendidos nisso muitas vezes, agem por amor. Querem evitar perigos, dor, sofrimentos daqueles que tanto amam.
Desde pequeninos os filhos seguem numa vigilância constante.
Vigiar e estar atento não é coisa fácil! É preciso mais do que olhos abertos. Isso não só ao que se refere a filhos. Vivemos tempos em que nossa atenção é disputada e onde, por vezes, andamos como cegos. O mundo, com o seu egoísmo, consumismo e outros ismos, acabam nos entorpecendo com seu canto de sereia. Por isso, vigiar exige também sabedoria, discernimento e coração aberto. Há coisas que vem somente com os olhos da fé e do amor. Por isso exige de nós também tempo e disposição.
Mateus nos orienta a vigiar, pois não sabemos o dia em que o Senhor vai chegar. Há muitos cristãos vigiando e olhando para o vazio do céu. Fixamo-nos no vazio e esquecemos que Ele, o Cristo, se encontra aqui entre nós. É aqui que precisa acontecer o vigiar e o estar atento. Vigiar é perceber o Cristo que chega em nós no pequenino, no frágil, no desprezado, no doente, no faminto, no pobre, no excluído.
Ah, e como andamos distraídos!!!! Há muita gente que se tornou invisível nesse mundo. Estão entre nós e não os vemos ou os ignoramos. Ficamos somente olhando para o céu esperando Cristo voltar.
Aí lembro que vigiar vem de amor. Esperar a volta de Cristo nunca pode nos levar à indiferença para com esse mundo. Por amor a Cristo, nossos olhos devem estar atentos para o próximo e suas necessidades. Por amor a Cristo devo vigiar e não permitir que a cegueira espiritual me impeça de ver que aqui nesse mundo que devo servi-lo. Não sabemos quando Ele virá, por isso é preciso continuar vigiando atentamente para em que nossas palavras e ações continuemos sendo servos fiéis, cuja fidelidade se mostra no cuidado com os pequenos e frágeis desse mundo.
A santidade de Deus exige a existência de uma juízo final. Se não existisse um juízo final, a história e nossa vida não teriam sentido. Jesus deixa isso de forma bem clara no texto sobre qual estamos refletindo, que ele voltará para ser o Juiz do Tribunal.
Neste mundo, vemos muitas vezes, um Herodes no trono e um João Batista na prisão, um Nero julgando e um Paulo sendo degolado. Nesse mundo muitas vezes, o culpado está empoleirado no poder, julgando e condenando inocentes. Neste mundo muitas vezes, a verdade é aviltada e a mentira é elevada ao trono. Neste mundo muitas vezes, homens perversos planejam e executam crimes e escapam da lei ou são pelos representantes dela protegidos. Há aqueles que conseguem se esconder dos tribunais da terra, mesmo sendo vil, (não presta) são aplaudidos como beneméritos da sociedade e assim existem inúmeras outras situações de injustiças praticadas nesse mundo afora.
O juízo final será o momento que Deus vai cobrar a sua justiça. Todos indistintamente vão comparecer perante o tribunal de Cristo para dar conta de suas obras. Naquele dia tudo o que o homem falou, fez, deixou de fazer e pensou vem à tona. Nada será esquecido. Nada ficará encoberto. A mentira cobrirá sua cara de vergonha. E o homem irá receber a sentença final, sem chance de apelação para instancia superior. Os ímpios irão para o castigo eterno e justos para a vida eterna. Naquele dia quem não tiver o seu nome inscrito no livro da vida, ou seja, quem deixou de crer em Cristo como seu salvador e Senhor, será lançado logo no fogo.
Se rejeitarmos a oportunidade de salvação por meio do sacrifício de Jesus, seremos condenados eternamente. Veja o que o próprio Cristo disse a seus discípulos:
“Vão pelo mundo todo e preguem o evangelho a todas as pessoas. Quem crer e for batizado será salvo, mas que não crer será condenado”. (Marcos 16.15-16)
Já aqueles que se arrependeram de seus pecados e creram em Jesus como seu único e suficiente Salvador, serão salvos, mas também serão julgados e cada um vai receber o que merece de acordo com o que fez de bom ou de mau na sua vida aqui na terra. ( 2º Corintios 5.10)
E aí que muitos cristãos serão surpreendidos! Eles acreditam que as suas prioridades são as mesmas das de Deus e pensam que o que é importante para eles, também deve ser importante para o Senhor. E, com isso, acabam querendo agradar a Deus do jeito que eles acham que é o certo, e não de acordo com que a bíblia diz. Por isso é muito importante sabermos pelo que seremos julgados naquele dia.
Vamos elencar algumas situações que devemos ficar atentos:
1 – Você não será julgado pelas suas boas intenções
Infelizmente, essa é uma armadilha que derruba muitos cristãos. Nós somos filhos pecadores e por isso não conseguimos obedecer a Deus como deveríamos. Por mais que tentemos, nunca conseguimos atingir a excelência que o Pai merece. Porém, precisamos tentar seguir os mandamentos do Senhor e, buscar com todas as nossas forças agradar a Deus seguindo sua palavra. Jesus contou uma história sobre isso em Mateus 21. Veja o que Ele disse:
O que você acha? Havia um homem que tinha dois filhos. Ele foi até o primeiro e disse: Filho, vá trabalhar hoje na vinha. Não vou respondeu ele, mas depois mudou de ideia e foi. Então o pai foi ao outro filho e disse a mesma coisa. E ele respondeu: Sim, senhor, mas não foi. Qual dos dois fez a vontade do pai? O primeiro, responderam eles. (Mateus 21.28-31).
Nós até podemos ter boas intenções e concordar com tudo o que a Bíblia diz. Podemos ter a intenção de viver a nossa vida cristã da forma mais santa possível. Mas naquele dia não seremos julgados por nossas intenções, mas por nossas ações. Então por mais pecador que você seja, seja, como o primeiro filho da parábola de Jesus e faça o que o Pai espera de você!
2 – Você não será julgado por quantas vezes foi à igreja
Isso pode ser bem complicado, pois é isso que boa parte das igrejas pregam nos dias de hoje. Para muitos líderes espirituais, o que conta é que você vá a igreja no domingo, sente em um banco por uma ou duas horas por semana, cante alguns louvores, ouça a pregação, deixe seu dizimo ou sua oferta e volte para casa. Resumindo: se você apenas aparecer para fazer número, já basta.
Mas esse pensamento vai totalmente contra a verdadeira definição de “igreja”. Quando Jesus se aproximou de Pedro e disse ao discípulo que sobre ele se edificaria a Sua igreja (Mateus 16.18), Cristo estava se referindo às pessoas pelas quais Ele deu a própria vida para salvá-las; não tinha nada a ver com templo ou denominações religiosas.
A igreja nunca foi o prédio. Ela nunca foi a placa. A igreja sempre foi aquela que seguiu e serviu a Cristo, cumprindo os seus mandamentos dia após dia, independente das circunstâncias. Você não será julgado pela quantidade de cultos que você participou, mas será julgado por como você cumpriu os mandamentos de Jesus Cristo durante o tempo que você viveu nesta terra.
3 – Você será julgado pela forma com que desenvolveu dons e talentos
Quando os discípulos perguntaram a Jesus sobre o fim dos tempos e o dia do julgamento, o Mestre aproveitou aquela oportunidade para contar a parábola dos talentos, a qual já nos referimos anteriormente (Mateus 25.14-30).
Nesta história, uma homem parte em uma longa viagem e dá a três de seus servos três somas diferentes em dinheiro. Quando o Senhor daqueles servos volta (refere-se aí ao Dia do Julgamento), ele os responsabiliza pelo que fizeram com o que foi dado a eles. Os primeiros dois servos receberam quantias diferentes, mas ambos dobraram o que lhes foi dado e foram elogiados por isso. Já o terceiro servo foi condenado por não ter aproveitado e investido aquele valor para dar retorno ao seu Senhor.
Deus dá a cada pessoa tipos diferentes de dons, os quais não são comparáveis com os dons de outras pessoas. Não importa se você recebeu cinco, dois ou um talento: importa o que você está fazendo com ele! Por isso, querida comunidade, desenvolva o potencial que Deus colocou em sua vida. Peça ao Espírito Santo para que te ajude a encontrar aquilo de especial que o Senhor te confiou e faça com que isso gere frutos para o Reino de Deus, pois é isso que o Senhor pedirá contas naquele grande dia.
4 – Você será julgado pela forma com que cuidou dos outros
O grande exemplo que Jesus nos apresenta consta no nosso texto no Versículo 32 é conhecida como a “Separação das Ovelhas e das Cabras”. Nela Jesus afirma que o Rei vem para julgar o seu povo e o separar daqueles que não fazem parte dele. E o critério que o Senhor usará para fazer essa separação é surpreendente! Jesus disse:
Então o Rei dirá aos que estiverem a sua direita: “Venham vocês que são abençoados pelo meu Pai! Venham e recebam o Reino que o meu Pai preparou para vocês desde a criação do mundo. Pois eu estava com fome, e vocês me deram comida; estava com sede e me deram água. Era estrangeiro e me receberam em sua casa. Estava sem roupa, e me vestiram; estava doente e cuidaram de mim. Estava na cadeia, e foram me visitar (Mateus 25.34-36).
Então aqueles homens e mulheres de Deus ficaram surpresos com a fala de Jesus e perguntaram: “ Senhor quando isso aconteceu”? Então, Cristo respondeu, dizendo: “Eu afirmo a vocês que isto é verdade: quando vocês fizeram ao mais humilde dos meus irmãos, foi a mim que fizeram.
Esse julgamento é surpreendente porque vai contra a forma com que muitos de nós, que dizemos ser cristãos, vivemos nossas vidas hoje.
Nós sabemos que o maior mandamento de Cristo é que devemos amar a Deus com todo nosso coração a nossa alma, a nossa mente e a nossa força. Porém, nos esquecemos da segunda parte dessa ordenança e não assumimos a responsabilidade deixada por Cristo de amar os outros como a nós mesmos. (Mateus 22.37,38).
Acreditamos que, se concentrarmos toda a nossa atenção em Deus, Ele ficará satisfeito, e que amar ao próximo é algo opcional. Porém não é assim que funciona. Cristo não nos deu meia ordem. Ele deixou uma ordem completa! Isso mostra que a melhor maneira de amar a Deus é amar aos outros – e no dia do julgamento seremos responsabilizados por isso!
Uma das coisas que Jesus disse em Seu Ministério que ele voltaria para julgar os vivos e os mortos, e, isso fica muito claro no nosso texto. E, por isso, Ele deixou tudo o que você e eu precisamos saber para não sermos surpreendidos quando Ele chamar pelo nosso nome e começar a nos julgar. Por isso, não seja um cristão que não age; não se acomode em um banco de igreja; não se compare com o potencial dos outros e desenvolva os seus dons e talentos e, principalmente, ame a Deus amando também os Seus filhos. Se você conseguir tudo isso com a ajuda de Deus, Cristo te aprovará e poderá passar toda a eternidade ao lado Dele. Deus abençoe a cada um de vocês. Amém

HINO
600 – Sou Cordeiro de Jesus

CONFISSÃO DE FÉ
Na alegria de sermos amado por Deus, e na certeza que através da ressurreição de Cristo podemos alcançar a salvação, vamos confessar a nossa fé com as palavras do Credo Apostólico.
Creio em Deus Pai...

CANTO PÓS CONFISSÃO
(proceder a motivação e o recolhimento das ofertas)

HINO
614 – Em Nada Ponho a Minha Fé

ORAÇÃO DE INTERCESÃ0
1_______________________________________________________________
2________________________________________________________________
3_________________________________________________________________
4________________________________________________________________
Senhor agradecemos por tua palavra, que nos chama, motiva e fortalece, hoje aprendemos que precisamos vigiar e estar atentos para tua volta. Queremos te esperar confiantes e fazendo o teu trabalho de evangelização para que outros também entrem no teu reino.
Fortalece-nos na fé e no exercício do amor. Abra os nossos olhos para que enxerguemos as necessidades do próximo, utiliza as nossas mãos para agir e a nossa boca para consolar aqueles que estão tristes. Dá-nos coragem e a alegria necessárias para falar do teu amor que salva através de Jesus. Agradecemos te Senhor, pelos dons que nos destes. Ajuda-nos para que os usemos para o crescimento pessoal, mas, também, para o de outras pessoas, e para que os talentos que nos confiastes produzam frutos para o teu Reino. E tudo mais que queremos colocar diante de ti, através da oração que teu filho nos ensinou.
Pai nosso.......

LITURGIA DE DESPEDIDA
Avisos
Próximo culto ________/______/______às_______;________h
Oferta do último culto: R$___________ destinado para...............

BENÇÃO
Que o Senhor nos abençoe e nos proteja. Que possamos sentir a sua presença em nossa vida. Que Deus te dê a sua paz, hoje e sempre. Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém

ENVIO
Vamos em paz servindo a Deus com alegria, cheios de fé nesse novo ano que se inicia.

CANTO FINAL
523 – Jesus Cristo Reina em Glória

 

 

 

 

 



 


Autor(a): Ari Schneider Sobrinho
Âmbito: IECLB / Sinodo: Mato Grosso
Área: Celebração / Nível: Celebração - Liturgia
Natureza do Domingo: Silvestre/Véspera de Ano Novo

Testamento: Novo / Livro: Mateus / Capitulo: 25 / Versículo Inicial: 31 / Versículo Final: 46
Título da publicação: Caderno de Cultos - Sínodo Mato Grosso / Ano: 2022
Natureza do Texto: Pregação/meditação
Perfil do Texto: Prédica
ID: 68862
REDE DE RECURSOS
+
Deus é um forno ardente repleto de amor, que abraça da terra aos céus.
Martim Lutero
© Copyright 2024 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br