Ó, meu Jesus, que mal tu cometeste

LCI 426

12/04/1630

 

1. Ó, meu Jesus, que mal tu cometeste
que tão cruel sentença recebeste?
Qual tua culpa? Quais os teus pecados
tão castigados?

2. És açoitado, adornam-te de espinhos,
com bofetadas pagam teus carinhos.
Dão-te vinagre, morres desprezado,
à cruz pregado.

3. Por que motivo foste maltratado? 
Foi minha culpa, foi o meu pecado! 
Eu, meu Jesus, causei as tuas dores, 
teus amargores.

4. Ó que castigo singular e estranho: 
O Bom Pastor morrer por seu rebanho! 
Paga o Senhor a culpa dos criados 
já condenados.

5. Morre Jesus, que andava em reta estrada, 
e o pecador, que é mau, não sofre nada; 
quem mereceu a morte sai ileso; 
o Justo é preso.

6. Foi teu amor profundo e sem medida 
que te lançou em ânsia dolorida. 
Eu me entregava ao mundo, às alegrias;
tu padecias.

7. Ó Rei supremo, Todo-Poderoso, 
como pagar o teu amor precioso? 
O teu amor pagar jamais podemos! 
Graças rendemos! 

8. Quando, afinal, da terra eu for chamado, 
quando acordar no Reino teu sagrado, 
hei de louvar, por toda a eternidade, 
tua bondade!

 


Autor da letra: Johann Heermann

Autor da melodia: Johann Crüger


Autor(a): Johann Heermann
Âmbito: IECLB
Área: Celebração / Nível: Celebração - Ano Eclesiástico / Subnível: Celebração - Ano Eclesiástico - Ciclo da Páscoa
Hino: 48. Ó, meu Jesus, que mal
Natureza do Texto: Música
Perfil do Texto: Hino
ID: 16304
MÍDIATECA
REDE DE RECURSOS
+
Ainda não somos o que devemos ser, mas em tal seremos transformados. Nem tudo já aconteceu e nem tudo já foi feito, mas está em andamento. A vida cristã não é o fim, mas o caminho. Ainda nem tudo está luzindo e brilhando, mas tudo está melhorando.
Martim Lutero
© Copyright 2019 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br