O que faz a igreja ser igreja? At 2

Autoria P. Me. Alexander Busch Atos 2.1-8,14,22-24,37-38,41-42

17/07/2021

 

Prédica a partir de Atos 2.1-8,14,22-24,37-38,41-42

Estimada comunidade, minhas irmãs e irmãos em Cristo,
O que faz a igreja ser igreja? É com esta pergunta que quero conduzir nossa meditação a partir da leitura bíblica do livro de Atos. O que faz a igreja ser igreja?

Em Jerusalém é dia de festa – Festa de Pentecostes, na qual o povo agradecia pelos frutos da terra. No calendário agrícola daquele local e tempo era época da colheita. Portanto, a festa de Pentecostes para o povo judeu é equivalente à nossa festa da Colheita, dia de ação de graças pelos frutos da terra.

Reunidos em um local de portas fechadas, a comunidade de Jesus – homens e mulheres – estavam reunidos e aguardavam o cumprimento da promessa de Jesus, “vocês receberão o poder do Espírito Santo e serão minhas testemunhas” (At 1.8). As portas permaneciam fechadas até quando, de repente, veio do céu um forte barulho como de um vento soprando com força e algo como chamas e línguas de fogo descendo sobre os seguidores e seguidoras de Jesus. As línguas de fogo abriram os lábios das pessoas e o vento forte abriu as portas, conduzindo o grupo para fora, para as ruas, para estar em meio à multidão de Jerusalém.

Era o Espírito Santo fazendo a igreja ser igreja. Deus enviou o seu Espirito, impulsionando e movendo a comunidade a dar testemunho de Jesus em diferentes idiomas. Como era dia de Pentecostes em Jerusalém, pessoas vindas de diferentes localidades visitavam a cidade. E o Espírito Santo capacitava a comunidade de Jesus a falar em diferentes línguas que eram reconhecidas pelas pessoas que tinham vindo de longe. As pessoas da cidade ficaram admiradas e impressionadas porque, apesar da comunidade de Jesus ser também de fora, da região da Galileia, a comunidade de Jesus conseguia se comunicar em diferentes línguas estrangeiras.

Lucas, autor do livro de Atos, não dá uma explicação de como aconteceu este milagre, exceto que o milagre era o Espirito Santo agindo. Lucas não se perde em especulações tentando explicar o fenômeno. E Lucas também registra adiante apenas uma outra ocasião em que um milagre parecido aconteceu: quando Pedro visitou a casa de Cornélio, comandante no exército romano. Além destas duas ocasiões, Lucas não se refere ao Espírito agindo desta forma espetacular. Mas Lucas menciona o Espírito agindo de outras formas na vida das pessoas e na vida da comunidade de Jesus. E não necessariamente agindo de uma forma tão espetacular e extraordinária. Conforme Lucas escreve no livro de Atos, O Espírito Santo conduz pessoas, de uma forma discreta e sutil, para dar testemunho de Jesus, o Espirito Santo abre o entendimento das pessoas para afirmar sua fé em Cristo Jesus, o Espírito Santo ajuda as pessoas a interpretar as Escrituras Sagradas (o AT) a partir da fé em Cristo, o Espirito Santo chama e vocaciona pessoas para posições de liderança na comunidade, o Espírito Santo conduz pessoas ao batismo.

São muitas e diferentes as formas do Espírito Santo agir na vida das pessoas, fazendo a igreja ser igreja. Se hoje ouvimos um relato extraordinário da ação do Espírito na festa de Pentecostes, é bom sempre de novo lembra que o Espírito muitas vezes e geralmente está agindo de uma forma mais discreta e sutil, como por exemplo neste culto onde textos da Bíblia são lidos e ouvidos e o Espirito Santo nos revela a Palavra de Deus, gerando em nós fé, esperança e compromisso para agir a partir da palavra de Cristo.

 de fato, logo após a vinda do Espírito Santo, as pessoas estão falando e agindo a partir da palavra de Cristo. Pedro se levantou e começou a falar. Ele fala de Jesus crucificado e ressuscitado. A sentença de matar Jesus na cruz, pronunciada pelas autoridades romanas e lideranças judaicas, com o apoio de muitas pessoas da população de Jerusalém, não foi suficiente para impedir que Deus levasse adiante seu plano. Nem mesmo o poder da morte foi suficiente para impedir a missão de Deus através de Jesus.

Na sua mensagem, Pedro relaciona a morte e ressurreição de Jesus com um texto do AT, do profeta Joel, que não ouvimos. Eu não quis estender demais a leitura bíblica em Atos 2. Mas mesmo não tendo ouvido o texto do profeta Joel, ainda assim podemos enfatizar que Deus age na vida da comunidade através de sua Palavra. A palavra de Deus se faz presente na Bíblia, estes textos tão antigos e tão atuais. Como comunidade cristã confessamos, a partir da fé, que lemos estes textos para encontrar a voz de Jesus falando conosco. Ele que venceu a morte, ele que está vivo, fala para sua comunidade e igreja através destes textos na Bíblia. Como comunidade humildemente lemos em conjunto estes textos, buscando discernimento e sabedoria do Espírito Santo para praticar o ensino de Jesus em nosso chão e nosso tempo. Lemos os textos bíblicos em oração e humildade, pedindo para que o Cristo vivo nos revele sua Palavra e vontade e nos conduza para viver o batismo. Ou seja, a Palavra de Deus faz a igreja ser igreja. Junto com o Espirito Santo, a Palavra viva de Jesus nos falando pela Bíblia está agindo para converter pensamentos, transformar atitudes, criar comunhão.

A comunhão se realiza pelo batismo, porta de entrada para a comunidade cristã. A partir do livro de atos, lemos e ouvimos que o batismo é sinal de acolhida e integração na igreja de Jesus. Em Atos 2 um grupo entre a multidão, que ouviu a mensagem de Pedro, ansiosamente pergunta a Pedro, “o que devemos fazer?”. Sua resposta, “arrependam-se, e cada um de vocês seja batizado para que os seus pecados sejam perdoados e vocês receberão de Deus o Espírito Santo” (At 2.38). Arrepender-se tem o sentido de mudar de direção na vida. Arrepender-se é voltar-se para Jesus e caminhar na mesma direção que Jesus. E o batismo, porta de entrada para a comunidade cristã, é também sinal do perdão de Deus e do Espírito Santo presente na vida da pessoa e da comunidade batizada.

Muitos outros exemplos de batismo encontramos no livro de Atos, como Filipe batizando o homem da etiópia, alto funcionário da corte real (At 8), ou Paulo, antes conhecido como Saulo, sendo batizado por Ananias e se integrando à comunidade cristã na cidade de Damasco (At 9), ou ainda Cornélio e sua casa, que depois de ouvir a mensagem de Pedro, receberam o batismo cristão. O que fica claro nestes relatos é Deus agindo, através de seu Espírito e sua Palavra e através do batismo para fazer a igreja ser igreja. Pelo Espírito, pela Palavra, pelo batismo, Deus está unindo pessoas numa mesma comunhão. Nesta comunhão Deus chama as pessoas para viver seu batismo em comunidade. Em Atos 2 encontramos uma breve descrição de como a comunidade vive seu batismo, de como Deus faz a igreja ser igreja.

“Muitas pessoas creram na mensagem de Pedro e foram batizadas. Naquele dia quase três mil pessoas se juntaram ao grupo dos seguidores e seguidoras de Jesus. E permaneceram firmes, seguindo os ensinamentos dos apóstolos, vivendo em amor cristão, partindo o pão juntos e fazendo orações” (At 2.41-42 – texto ligeiramente modificado pelo autor). A nova vida em comunidade inclui o permanecer firme, seguir os ensinos dos apóstolos, viver o amor cristão, compartilhar o pão e as orações. Nós poderíamos, em cada uma destas partes, falar e meditar por horas e horas. Mas o tempo certamente não nos permite assim o fazer. O que podemos dizer é que viver o batismo é viver em comunidade, aprendendo a perseverar com fidelidade, ouvindo com atenção o ensino dos apóstolos que não é outro senão a Palavra de Jesus, praticando o amor em gestos e ações, incluindo repartir o pão da Santa Ceia e ofertando o pão alimento com pessoas em necessidade e, por fim, humildemente reconhecendo na oração nossas limitações e nossa dependência de Deus para viver em comunidade, para viver o batismo.

Pois somente Deus faz a igreja ser igreja. Somente Deus sustenta a comunhão da comunidade. Somente Deus agindo na comunidade, pelo Espírito, pela Palavra, pelo batismo, pelos laços de comunhão criados por Deus que a igreja é igreja. E para concluir, iniciamos nossa meditação com a pergunta, “O que faz a igreja ser igreja?”. Depois de percorrer este caminho e tempo de meditação somente podemos reconhecer que esta é a pergunta errado. Não é um ‘o que’ que faz a igreja ser igreja, mas sim um ‘quem’ que faz a igreja ser igreja. A pergunta correta é, “Quem faz a igreja ser igreja?”. A resposta é Deus, cujo amor e cuidado revelados em Cristo Jesus, nos chama para viver o batismo em comunidade, sustentada pelo Espírito Santo. É nesta comunhão com o trino Deus que a igreja é igreja. Amém.
 


Autor(a): P. Me. Alexander R. Busch
Âmbito: IECLB / Sinodo: Rio Paraná / Paróquia: Maripá (PR)
Área: Confessionalidade / Nível: Confessionalidade - Prédicas e Meditações
Testamento: Novo / Livro: Atos / Capitulo: 2 / Versículo Inicial: 1 / Versículo Final: 42
Natureza do Texto: Pregação/meditação
Perfil do Texto: Prédica
ID: 63721
REDE DE RECURSOS
+
Assim diz o Senhor: Buscai-me e vivei.
Amós 5.4
© Copyright 2021 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br