Paixão e Páscoa - Sabemos que Cristo foi ressuscitado e nunca mais morrerá

01/12/2010

Paixão e Páscoa

Sabemos que Cristo foi ressuscitado e nunca mais morrerá, pois a morte não tem mais poder sobre ele. - Romanos 6.9


Todos nós guardamos fatos marcantes da infância, alguns de alegria, outros de dificuldade. Lembro, por exemplo, quando nuvens escuras prenunciavam um temporal O pai e a mãe tomavam medidas para proteger os animais, recolher objetos e, depois, a ordem era todos dentro de casa, com a precaução de fechar portas e janelas. Eram momentos de apreensão. Normalmente, depois das primeiras lufadas de vento, o pai dizia, para alívio de todos: O pior já passou!.

Estamos na época da Paixão e da Páscoa. Jesus caminha em direção a Jerusalém. Isto significava ir ao encontro às nuvens escuras que subiam no horizonte. Ou melhor dizendo: Jesus caminhava em direção ao olho do furacão, onde o plano da sua morte estava sendo arquitetado. A oração do Getsêmani - o pedido ao Pai para que o poupasse da cruz - mostra profunda angústia. Quando, por volta do meio dia, Jesus morre, o sol se escondeu e a escuridão cobriu a terra (Lucas 23.44).

A apreensão e a incerteza perduraram até domingo, especialmente para os/as seguidores/as. A notícia surpreendente chegou com a alvorada. Ao clarear deste novo dia as mulheres encontram a pedra removida. Espantadas, admiradas e alegres elas saem para dar a notícia: Jesus vive! Aquele que na cruz carregou sobre si os pecados, que não eram seus, ressuscitou. O amor de Deus para com a humanidade e a fidelidade ao seu Filho fizeram a vida vencer a morte: É Páscoa!

Você e eu sabemos que na jornada da vida somos presenteados com alegrias: o nascimento de um filho, o reencontro com um amigo, o convívio em comunidade, etc. Mas, também sabemos que as alegrias são entremeadas por apreensão: o diagnóstico de uma doença, a notícia da perda do emprego, o/a filho/a envolvida com drogas. Em qualquer uma destas situações, de bonança ou de tempestade, os filhos e as filhas de Deus carregam consigo e se agarram à Boa Nova contida no sofrimento, morte e ressurreição de Jesus Cristo.

Na Paixão e na Páscoa Deus declara:. O pior já passou. As alegrias e a comunhão já são sinais do Reino entre nós. As cruzes que ainda existem estão com os dias contados. O povo de Deus caminha em direção à alvorada. Quando assim cremos, temos motivos para louvar a Deus. Quando assim cremos, recebemos força para enfrentar obstáculos, ânimo para servir o próximo, coragem para dar testemunho de fé no lugar onde Deus nos coloca.

P. Sinodal Nilo O. Christmann Toledo/PR


Oração:

Bondoso Deus! Muito obrigado que percorreste em nosso favor o caminho da cruz. Obrigado pela dádiva da salvação. Ajuda-nos em meio às tempestades. Presenteia-nos tempos de paz. Concede-nos ânimo para te servir. Amém.


Voltar para índice Anuário Evangélico 2011
 


Autor(a): NIlo Christmann
Âmbito: IECLB
Área: Celebração / Nível: Celebração - Ano Eclesiástico / Subnível: Celebração - Ano Eclesiástico - Ciclo da Páscoa
Título da publicação: Anuário Evangélico - 2011 / Editora: Editora Otto Kuhr / Ano: 2010
Natureza do Texto: Pregação/meditação
Perfil do Texto: Meditação
ID: 32338
REDE DE RECURSOS
+
É isto que significa reconhecer Deus de forma apropriada: apreendê-lo não pelo seu poder ou por sua sabedoria, mas pela bondade e pelo amor. Então, a fé e a confiança podem subsistir e, então, a pessoa é verdadeiramente renascida em Deus.
Martim Lutero
© Copyright 2021 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br