Prefácio - Proclamar Libertação - Vol. 27

01/11/2001

No oitavo capítulo de Atos, Lucas passa a narrar como a Palavra de Deus, anunciada inicialmente em Jerusalém pelos discípulos, começa a ultrapassar limites e fronteiras. Nada pode detê-la. Toda pessoa, independente de sua condição social ou étnica, deve ter a oportunidade de confrontar-se com a boa-nova de Deus revelada em Jesus Cristo. Filipe, expulso de Jerusalém por conflitos decorrentes de sua formação helenista, é um desses instrumentos que Deus utiliza para pôr a sua Palavra em movimento.

No final do capítulo, nós o vemos a caminho de Gaza. Seguia por esta estrada um alto funcionário da rainha Candace, governante do reino de Méroe, ou da Núbia, ao sul do Egito. Assentado em seu carro, ele vinha lendo um trecho do profeta Isaías sobre o servo sofredor. Filipe se aproxima e pergunta: “Compreendes o que vens lendo?” Responde o funcionário: “Como poderei entender, se alguém não me explicar?” Filipe é convidado a subir na carruagem. E a viagem pela estrada desértica subitamente se transforma: O funcionário ganha um interlocutor. Sua solidão e perplexidade são quebradas por uma animada conversa. Filipe explica as Escrituras e a partir delas anuncia Jesus. O funcionário é integrado ao povo de Deus pelo batismo e segue seu caminho cheio de júbilo.

Pregadores e pregadoras do Evangelho encontram-se, muitas vezes, nessas carruagens do caminho de Gaza. A estrada é desértica, e o fim de semana se aproxima de forma inexorável. O texto bíblico previsto para o domingo já foi lido várias vezes, mas eles e elas ainda não sabem qual é a Palavra de Deus que devem anunciar. O que o texto bíblico quer dizer? Qual é a boa-nova que se deve proclamar em meio a esse mundo marcado por um pessimismo assustador, por um conformismo que paralisa as pessoas ou por um otimismo inconseqüente que as ilude?

A série de auxílios homiléticos Proclamar Libertação, pelo vigésimo sétimo ano consecutivo, tem procurado ajudar tais pregadores e pregadoras. De maneira muito modesta ela procura assumir, por assim dizer, o papel reservado a Filipe na história antes aludida: ser um parceiro de jornada, para que a compreensão e o anúncio da Palavra de Deus sejam fruto de diálogo aberto, sério e criativo entre pessoas. Proclamar Libertação quer romper com a solidão e perplexidade de pregadores e pregadoras, oferecendo informações sobre os textos, idéias estimulantes para as prédicas, sugestões para a conformação litúrgica do culto. Dispõe-se a subir na carruagem, a refletir conjuntamente sobre o texto, para que a Palavra de Deus possa emergir, clara e cristalina, através das Escrituras.

O volume que você tem em mãos reúne 45 auxílios homiléticos correspondentes ao ano A da Série Ecumênica Trienal ABC, além de dois auxílios para ocasiões especiais. Em nome das pessoas que já se acostumaram a encontrar em Proclamar Libertação um fiel companheiro de jornada, queremos agradecer aos autores e autoras pelo tempo e trabalho investidos. Sabemos o quanto isso representa em meio a suas tarefas rotineiras. Resta-nos interceder para que o Espírito Santo, o mesmo que animou Filipe a descer ao caminho de Gaza, possa abençoar esse trabalho e fazê-lo frutificar nas mãos dos leitores, das leitoras e das comunidades sedentas pelo Evangelho.

Verner Hoefelmann e João Artur Müller da Silva

 


Âmbito: IECLB
Título da publicação: Proclamar Libertação / Editora: Editora Sinodal / Ano: 2001 / Volume: 27
Natureza do Texto: Artigo
ID: 6918
REDE DE RECURSOS
+
Ao deixar de orar por um único dia sequer, perco grande parte da minha fé.
Martim Lutero
© Copyright 2020 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br