Tempo Pós-Pascal

Recursos Litúrgicos

O lugar litúrgico
De preferência, arranjar o espaço ocupado pela comunidade de forma circular. A mesa da comunhão e a estante de leitura/púlpito podem estar incluídas no círculo.

No centro desse espaço para o culto serão colocados o círio e, sobre um toco ou uma pequena mesa, cobertos com panos coloridos (indicando alegria, festa), uma bacia com água.

Materiais necessários
Um ou dois sinos pequenos, uma caixa de papelão grande, uma semente recém-brotada.

Pregação
A mensagem será anunciada através da encenação feita por seis participantes.

LITURGIA DE ENTRADA
Sino

Prelúdio

Acolhida
L Na Páscoa ouvimos: “Mas a verdade é que Cristo ressuscitou dentre os mortos, sendo ele as primícias dos que dormem” (1 Co 15.20).
Bem-vindas...

Voto inicial

Cântico
C (CM 1) Eis o dia do Senhor!
Silêncio

L Também no silêncio Deus se revela. Silenciemos na presença do Senhor.
Silêncio

Círio Pascal
Uma pessoa entra no recinto portando o Círio Pascal. Um grupo começa a cantar. Aos poucos, a comunidade toda passará a cantar esse cântico.
C (canta) Luz radiante, luz de alegria

Intróito
Salmo 118.1,13-24 (Ilson KAYSER, Falai entre vós com Salmos, SL: Sinodal, 2001, p. 40).
Dois grupos

L Rendei graças ao Senhor, porque ele é bom, porque a sua misericórdia dura para sempre.
C2 Empurraram-me violentamente para me fazer cair, porém o Senhor me amparou.

C1 O Senhor é a minha força e o meu cântico, porque ele me salvou.
C2 Nas tendas dos justos há voz de júbilo e de salvação: a destra do Senhor faz proezas.

C1 A destra do Senhor se eleva, a destra do Senhor faz proezas.
C2 Não morrerei, antes viverei e cantarei as obras do Senhor.

C1 O Senhor me castigou severamente, mas não me entregou à morte.
C2 Abri-me as portas da justiça; entrarei por elas e renderei graças ao Senhor.

C1 Esta é a porta do Senhor, por ela entrarão os justos.
C2 Render-te-ei graças porque me acudiste e foste a minha salvação.

C1 A pedra que os construtores rejeitaram, essa veio a ser a principal pedra, angular:
C2 isto procede do Senhor e é maravilhoso aos nossos olhos.

L Este é o dia que o Senhor fez; regozijemo-nos e alegremo-nos nele.
C Glória seja ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo. Como era no princípio, agora e sempre. Amém.

Kyrie
L Somos comunidade cristã. Celebramos a Páscoa. Festejamos a nova vida conquistada por Jesus Cristo. Porém o mundo não vive de forma completa a nova realidade. Por isto, neste culto trazemos diante de Deus o grito de irmãs e irmãos que sofrem e clamamos pela compaixão do Senhor. Pedimos também que Deus ajude o seu povo a dar testemunho, com convicção, da vida que irrompeu na Páscoa.

M (canta Músicos, conforme CPD, p. 9): Em paz oremos ao Senhor:
C Tem piedade, Senhor!

M Pela paz que vem do alto e a salvação dos oprimidos, oremos ao Senhor:
C Tem piedade, Senhor!

M Pela paz do mundo inteiro, pela divulgação do Evangelho e o testemunho do povo de Deus, oremos ao Senhor:
C Tem piedade, Senhor!

M Por esta casa santa e por todos que aqui oferecem sua adoração e louvor, oremos ao Senhor:
C Tem piedade, Senhor!

M Para sermos libertados de ódio, angústia e opressão, oremos ao Senhor:
C Tem piedade, Senhor!

M Por graça socorre-nos, Senhor!
C Amém.

Gloria in excelsis
L O Cristo ressuscitado ouve nosso clamor e vem até nós na Palavra pregada e nos sacramentos ministrados. Por isto glorificamos o nome do Senhor.

L (CPD, p. 12-14) Glória a Deus nas alturas,
C e paz na terra ao mundo por ele amado.

L Senhor Deus, Rei dos céus, Deus Pai Todo-Poderoso:
C nós te louvamos,

L nós te bendizemos,
C nós te adoramos,

L nós te glorificamos,
C nós te damos graças por tua imensa glória.

L Senhor Jesus Cristo, Filho Unigênito,
C Senhor Deus, Cordeiro de Deus, Filho de Deus Pai,

L Tu que tiras o pecado do mundo, tem piedade de nós.
C Tu que tiras o pecado do mundo, acolhe a nossa súplica.

L Tu que estás à direita do Pai, tem piedade de nós.
C Só tu és o Santo,

L só tu, o Senhor,
C só tu o Altíssimo, Jesus Cristo, com o Espírito Santo, na glória de Deus Pai. Amém.

Oração do dia
L Oremos. Deus de amor, que através do teu Filho Jesus Cristo nos deste uma nova vida e nos libertaste do poder da morte, nós te pedimos: ilumina-nos com a luz da tua palavra e dá-nos a graça de receber o teu Filho na mesa da comunhão para que, fortalecidos, possamos viver a alegria da Páscoa. Por Jesus Cristo, que contigo e com o Espírito Santo reina de eternidade a eternidade.
C Amém.

LITURGIA DA PALAVRA
Hino
C (HPD 59.1-3) Louvai a Deus em alta voz.
Leituras bíblicas

L Leitura de Colossenses 3.1-4.

L (HPD 59. 4-6) Morreu, porém ressuscitou.

L Leitura de Atos dos Apóstolos 10.34-43.
Tempo de silêncio
Aclamação do Evangelho

L Aclamemos o Evangelho, cantando:
C (canta, conforme HPD 59) Aleluia.

L (versículo de aclamação) “Mas de fato Cristo ressuscitou dentre os mortos, sendo ele as primícias dos que dormem”
(1Co 15.20).
C (canta, conforme HPD 59) Aleluia.

L O Evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo segundo Mateus 28.1-10.
Leitura
C (canta, conforme HPD 59) Aleluia.

Pregação
Viva a Páscoa, criação de Edson Ponick
Dinâmica: depois da leitura do Evangelho, faz-se um momento de silêncio. Ouve-se o sino (ou um sininho) durante alguns segundos. Ai entram em ação as seis pessoas, conforme indicado abaixo.
T (o grupo que encena, menos a pessoa 4): PÁSCOA!

2 Passa correndo no meio da Igreja e, no final, diz: PASSAGEM.

4 Saindo de dentro da caixa (melhor seria se tivesse o formato de um ovo): LIBERTAÇÃO.

6 Mostrando um broto de uma semente: VIDA NOVA.

1, 3 e 5 Levantam dos seus lugares e apontam para o Círio Pascal: RESSURREIÇÃO.

T Pulando e erguendo os braços: VIVA (permanecem assim alguns instantes).

T Todos caminham até a fonte (bacia com água), acocoram-se e dizem: BATISMO.

3 se levanta e, mexendo na água da fonte, diz: BATISMO TAMBÉM É RESSURREIÇÃO.

1 Levantando-se: TAMBÉM É LIBERTAÇÃO.

5 Levantando-se: É O ABRAÇO DE DEUS.

2, 4 e 6 Levantando-se: É VIDA NOVA.
T Fazendo um sinal de convite para a comunidade: VIVA!
Todos se dirigem à frente do altar e se sentam ali com um olhar pensativo.

6 CORNÉLIO AGUARDAVA ANSIOSO O ANÚNCIO DA RESSURREIÇÃO.

3 ELE QUERIA APRENDER MAIS SOBRE A VIDA NOVA.

1 PEDRO CONHECIA A LIBERTAÇÃO.

4 ELE CONVIVEU COM O RESSURRETO.

5 MAS AINDA TINHA MUITO A APRENDER.

2 NA CASA DE CORNÉLIO, PEDRO ENTENDEU:

T De pé, abraçadas; as pessoas das extremidades estendem os braços como sinal de continuação do abraço.

O ABRAÇO DE DEUS NÃO TEM FRONTEIRAS.

3 e 4 Dão um passo para frente e dizem: PEDRO COMEÇOU A ENSINAR.

1 e 2 Dão um passo para frente e dizem: CORNÉLIO, SEUS FAMILIARES

5 e 6 Dão um passo para frente e dizem: E AMIGOS MAIS ÍNTIMOS

T Fazendo um sinal de quem ouve atento: OUVIAM COM ATENÇÃO.

1 COMO APRENDERA DO MESTRE,

3 e 5 PEDRO CONTOU-LHES UMA HISTÓRIA.

2, 4 e 6 A HISTÓRIA DE JESUS.

1 a 3 SEU BATISMO E ATUAÇÃO.
(4 é João Batista, 5 é Jesus e 6 é um doente no chão. Enquanto falam, Jesus é batizado e ajuda a pessoa a se levantar).

4 a 6 SUA MORTE NA CRUZ... (Todos caem abruptamente e ficam imóveis e em silêncio durante alguns segundos).

T Levantando-se num salto: E A RESSURREIÇÃO.

5 Dirigindo-se para a fonte: CORNÉLIO E OS SEUS COMPREENDERAM.

1 Dirigindo-se para a fonte: MAIS DO QUE ISSO:

2 e 4 Dirigindo-se para a fonte: ACEITARAM.

3 Dirigindo-se para a fonte: O ESPÍRITO SANTO SE MANIFESTOU

6 Dirigindo-se para a fonte: SOBRE CADA PESSOA QUE OUVIU A BOA NOVA.

T Fazem o gesto do Batismo com a mão na água, viram-se para a comunidade e dizem: E FORAM BATIZADOS.
Todos permanecem olhando nos olhos das pessoas da comunidade, uma a uma.

T SOMOS BATIZADOS.

6 VIVER A PÁSCOA

3 É VIVER O BATISMO.

4 É MORRER

1 E RESSUSCITAR DIARIAMENTE.

2 É OUVIR A PALAVRA;

5 ENSINAR E APRENDER A BOA NOVA;

T CONVERTER-SE A CADA DIA.

1 diz a sua palavra bem alto e, depois, começa a repetir baixinho as outras palavras, conforme cada uma vai sendo dita. Cada pessoa diz sua palavra em voz alta e vai repetindo em voz baixa até que todos estejam falando em conjunto todas as palavras. Depois de repetir em voz alta uma vez, todos param, e 1, 3 e 5 entram imediatamente.

1 OUVIR

5 CONTAR

2 DANÇAR

4 OLHAR

3 SENTIR

6 SEGUIR

1,3 e 5 A BOA NOVA

2, 4 e 6 A RESSURREIÇÃO

T VIVA A PÁSCOA
O sino toca novamente. Sem anúncios, a comunidade canta a canção.

Hino
C (HPD 315) Cristo está vivo.

Oração geral da Igreja
A oração tem dois momentos. Primeiro, são indicados motivos de agradecimento. Após cada motivo, dá-se um tempo para a comunidade orar em silêncio. No final, se canta:
C (canta) Graças, Senhor!

Num segundo momento, são indicados motivos para a intercessão. Após cada pedido, dá-se um tempo para a comunidade orar em silêncio. No final, se canta:
C (canta) Ouve nossa oração e atende nossa súplica.

LITURGIA DA CEIA DO SENHOR
Ofertório e preparo da mesa
L Jesus ressuscitou! Ele vive! Por isso cremos. E por isso também testemunhamos o que cremos. Uma das formas desse testemunho é a ação concreta em favor de outras pessoas. Por isto ofertamos quando nos reunimos em culto. Como sinal visível desse testemunho, convidamos a comunidade a trazer as ofertas (em dinheiro, em material escolar para uma escola, em alimentos para..., conforme ela foi previamente motivada) até este cesto (que, de preferência, está sobre uma mesa menor, ou um toco, ao lado da mesa da comunhão). Trazemos também para esta mesa o pão e o fruto da videira. Deles Deus fará uso para ser presença real na comunhão da sua Ceia.

Hino
C (canta) Tudo vem de ti, Senhor.

Oração do ofertório
L Oremos.
Nós te louvamos, Deus da vida, pelas dádivas que recebemos de ti, pela terra e pela chuva, pelo emprego e pela força que nos dás para o trabalho e o estudo. Em gratidão damos daquilo que de ti recebemos. Usa estas ofertas para o bem das pessoas que vão recebê-las. Louvado sejas, Deus da vida, que nos dás o pão e o fruto da videira, dádivas da terra e do trabalho humano, por ti abençoadas. Dá que este pão se torne pão da vida e este fruto da videira se torne bebida da libertação. Louvado sejas, ó Deus, para sempre.
C Amém.

Oração eucarística
L O senhor seja convosco.
C E contigo também.

L Vamos elevar a Deus os nossos corações.
C Ao Senhor os elevamos.

L Vamos render graças a Deus.
C Sim, é digno e justo render graças a Deus.

L Oremos.
É justo e nosso dever que, em todos os tempos e lugares, te rendamos graças, ó Deus. Pois revelaste o teu grande amor para conosco através do teu Filho. Derrotaste o poder do mal e da morte com a ressurreição de Jesus. Na Páscoa do teu Filho, tu fortaleceste a esperança de uma nova vida, que se estende até a vida eterna. Por tudo isto, Deus de amor, nós te adoramos:
C (canta) Santo, santo, santo.

L Nós te damos graças, ó Deus, porque o teu Filho, antes de entregar-se à morte e ressuscitar, reuniu-se com os discípulos para a ceia pascal.
C Ele veio nos salvar!

L E, enquanto comiam, Jesus tomou um pão e, tendo dado graças, o partiu e deu aos discípulos, e disse: “Isto é o meu corpo dado por vós: fazei isto em minha memória.” Depois de cear, tomou um cálice e, tendo dado graças, o deu aos discípulos e disse: “Isto é o meu sangue, o sangue da nova aliança, derramado por vós; fazei isto em minha memória.”

Lembrando disso, Senhor, nós nos reunimos ao redor desta mesa para, com alegria, receber o teu Filho que ressuscitou da morte e conquistou a vida eterna.
C Anunciamos, Senhor, a tua morte e proclamamos tua ressurreição. Vem, Senhor Jesus!

L Deus Eterno: derrama o teu Espírito Santo, o Espírito que dá vida e cria comunhão. Dá que, partilhando o pão e o cálice da comunhão, possamos viver a Páscoa em nossa vida diária e testemunhar tua ressurreição. C (canta) Vem, Espírito Santo.

L Lembra-te, ó Deus, de todas as pessoas que foram chamadas desta vida, familiares nossos, pessoas amigas, irmãos e irmãs na fé. Reúne-nos com elas à mesa do banquete no Reino prometido e por Cristo inaugurado.
C (canta) Por Cristo, com Cristo e em Cristo.

Pai-Nosso

Gesto da Paz
L A boa nova da ressurreição tem um significado tão forte para a nossa vida, que nós só podemos ficar alegres e desejar que a paz de Cristo reine entre nós, afastando todo tipo de divisão, mágoa e conflito. Por isso, saudemonos com um aperto de mão, ou um abraço, dizendo uns aos outros: “Viva a Páscoa!”

Fração
L (Elevando o cálice) O cálice pelo qual damos graças é a comunhão do sangue de Cristo.
(Elevando o pão) O pão pelo qual damos graças é a comunhão do corpo de Cristo.
C (canto) Nós, embora muitos, somos um só corpo.

Cordeiro de Deus

Comunhão
L Venham, pois tudo está preparado. Quem convida é o Senhor!

Oração pós-comunhão
L Oremos.
Graças te damos, ó Deus, porque vieste a nós nesta Ceia e nos fortaleceste. Que esta comunhão nos ajude a crescer na fé e no amor solidário. Que possamos sair daqui animados e animadas a viver a Páscoa em nossa vida pessoal, familiar e comunitária. Por Cristo, teu Filho amado.
C Amém.

LITURGIA DE SAÍDA
Avisos gerais

Hino
C (HPD 316) Semente de libertação.

Bênção
L Que o Deus da vida abençoe vocês. Que o Cristo ressuscitado acompanhe vocês. Que o Espírito Santo ajude vocês a viverem a Boa Nova da ressurreição (+).
C Amém.

Envio
L Vão em paz, vivam a alegria da Páscoa e sirvam ao Senhor.
C Demos graças a Deus.

Poslúdio

Oração silenciosa

Sino
 

Fonte: Livro de Culto da Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil

- Portal Luteranos

O Espírito Santo permanece com a santa congregação, ou cristandade, até o dia derradeiro. Por ela, nos busca e dela se serve para ensinar e pregar a Palavra, mediante a qual realiza e aumenta a santificação, para que, diariamente, cresça e se fortaleça na fé e em seus frutos, que ele produz.
Martim Lutero
© Copyright 2021 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br