IECLB e Dia Mundial de Oração - DMO



ID: 2706

Informações sobre Inglaterra, País de Gales e Irlanda do Norte

17/11/2021

Irlanda do Norte
País de Gales
Inglaterra
1 | 1
Ampliar

 

Informações Históricas sobre Inglaterra, País de Gales e Irlanda do Norte

Introdução

Inglaterra, País de Gales e Irlanda do Norte são três partes do Reino Unido (UK), dentro do grupo de ilhas conhecido como Ilhas Britânicas. A Escócia também faz parte do Reino Unido. Embora haja muito que compartilhamos, também somos diversos, com diferentes idiomas, culturas e governos. Nossas histórias estão interligadas, às vezes pacíficas, às vezes chocando-se, às vezes incluindo tempos de opressão e violência.

1. Lugares e espaços

Em muitos aspectos, somos definidos por nossas costas: cercados e moldados por água, mantidos temperados pela Corrente do Golfo, o que nos dá um clima de ilha úmido com neblina, chuva, estações e luz suave. Temos períodos mais longos de crepúsculo do que na maioria das outras partes do mundo. Somos verdes, atravessados por muitos rios, que cortam a paisagem formando férteis terrenos agrícolas, lagos e zonas de grande beleza natural, algumas dos quais preservamos em Parques Nacionais. Somos pequenos, somos o 80º país do mundo em área territorial (abaixo de 165.000 km2 ou 64.000 milhas quadradas na Inglaterra, País de Gales e Irlanda do Norte).

O País de Gales tem um caráter rural, cercado por montanhas e delimitado por uma costa acidentada. Seus grandes campos de carvão ao sul forneciam uma exportação importante para cidades como Newport, Swansea e Cardiff. A Irlanda do Norte possui o Lough Neagh, um dos maiores lagos de água doce da Europa Ocidental, bem como a espetacular Giant's Causeway, uma massa de colunas de basalto interligadas na costa de Antrim, causada por uma antiga erupção vulcânica.

A Inglaterra tem paisagens menos dramáticas, mas inclui um litoral espetacular, especialmente na parte oeste, enquanto o norte tem lagos, montanhas e grandes áreas de charnecas e florestas. A Inglaterra tem o mais alto nível de desenvolvimento urbano.

Estamos mergulhados em história. Muitas de nossas cidades têm belos edifícios antigos, que datam da época medieval, incluindo catedrais e igrejas construídas por nossos ancestrais cristãos. Hoje, nossas igrejas modernas podem parecer muito menos bonitas, mas geralmente são mais práticas.

2. Pessoas, Diversidade e Migração

Somos uma população de aproximadamente 70 milhões de pessoas. Belfast, a capital da Irlanda do Norte, e Cardiff, a capital do País de Gales, cada uma tem uma população de mais de meio milhão. Muitas partes da Inglaterra são marcadas pela urbanização, com grandes áreas metropolitanas, incluindo Manchester e West Midlands, bem como a mega cidade de Londres. Recentemente, Londres atraiu uma população enorme e diversa de cerca de nove milhões para trabalhar nos setores financeiro e de serviços. Redes de transporte, instalações culturais e outras facilidades atendem Londres e o Sudeste com mais eficiência do que o resto da Inglaterra, País de Gales e Irlanda do Norte.

A população da Inglaterra, País de Gales e Irlanda do Norte foi enriquecida ao longo dos séculos por ondas de migração. Às vezes, isso acontecia dentro da população britânica, como no caso da plantação de protestantes escoceses na Irlanda sob os Tudors, e mais tarde por meio do incentivo de proprietários e administradores escoceses. Outros primeiros imigrantes incluíram pessoas da Europa continental, por exemplo, os huguenotes, fugindo da perseguição religiosa, que receberam proteção real. Diplomacia, comércio e aprendizado acadêmico sempre representaram um grande número de escritores, pensadores e políticos. À medida que a influência da Grã-Bretanha no exterior se espalhou, mais pessoas de outros lugares foram morar na Inglaterra, País de Gales e Irlanda do Norte, muitas vezes em torno de portos, como no caso de Londres, Liverpool e Cardiff, todos com comunidades chinesas e judaicas de longa data.

Durante o século XX, trabalhadores do Império Britânico, mais tarde da Comunidade Britânica, vieram para o Reino Unido para aceitar empregos no setor público, como trabalhadores em transportes, enfermeiras, etc. Alguns deles passaram por momentos difíceis quando chegaram. No entanto, a diversidade agora é um modo de vida em nossas cidades. Embora haja alguns receios quanto a imigração, a maioria de nós, que somos imigrantes de segunda e terceira geração, nos sentimos bem integrados e às vezes temos dificuldades quando alguém nos pergunta: De onde você vem?

3. Encontrando nosso lugar no mundo

Com a votação do Reino Unido em um governo que retirou o país da União Europeia (UE) em 2020, ainda permanecemos incertos sobre nosso lugar no mundo de hoje. Parte disso se deve ao legado e à arrogância do Império, pois enfrentamos as consequências de longo prazo do colonialismo. Apesar da popularidade contínua da Rainha Elizabeth, uma mulher que tem sido constante em sua fé e valores cristãos e que ao longo dos anos se manteve decididamente fora do debate político, grandes setores da população se sentem excluídos de uma sociedade rica com base nos setores financeiro e de serviços de Londres. A divisão norte/sul roubou partes do país de empregos e infraestrutura. O impacto das tentativas do governo de reduzir os déficits orçamentários após a crise financeira global de 2008 também teve um impacto. Um relatório de 2018 das Nações Unidas descreveu os níveis de pobreza na Grã-Bretanha como inaceitáveis, com 14 milhões de pessoas no Reino Unido vivendo abaixo da linha de pobreza.

Em 2016, Inglaterra, País de Gales, Escócia e Irlanda do Norte votaram coletivamente em Brexit para deixar a União Europeia (UE), que muitos viam como um rico 'clube' de europeus, mantendo salários baixos e facilitando a imigração ilimitada para o país. Na Inglaterra e no País de Gales, o voto para sair ganhou por 52%, embora Londres tenha votado para ficar; A Escócia e a Irlanda do Norte votaram pela permanência na União Europeia. O plano do Brexit foi aprovado em 2019 e a implementação é responsabilidade do governo. Nas palavras de Charles Dickens: Foi o melhor dos tempos, foi o pior dos tempos, foi a era da sabedoria, foi a era da tolice.

Alguns no Reino Unido ainda veem nosso país como uma grande e merecedora potência internacional. A Grã-Bretanha mantém um arsenal de armas nucleares, constrói porta-aviões que não pode pagar e ainda faz parte do Conselho de Segurança da ONU. Algumas pessoas procuram se retirar deste mundo, acreditando que existe segurança isolada.

Também houve grandes mudanças em termos de observância religiosa. Como grande parte da Europa Ocidental, o quadro geral em termos de frequência a igreja na Inglaterra, País de Gales e Irlanda do Norte é de declínio, particularmente nas denominações tradicionais. Apesar disso, a igreja costuma estar na vanguarda de projetos para ajudar os necessitados, tais como bancos de alimentos, abrigos para desabrigados e trabalho entre refugiados. A igreja também foi revigorada pela recente imigração.

Talvez, tanto como igrejas quanto como sociedade, precisemos abraçar uma nova humildade, aprendendo com os países do mundo que uma vez dominamos para que possamos nos tornar um lugar de liberdade, acolhimento e generosidade.

4. Como vivemos

Inglaterra, País de Gales e Irlanda do Norte têm cada um seu próprio caráter e cultura, mas existem algumas tradições que abrangem todos os três. Todos concordamos que não há nada melhor para o conforto do que uma bela xícara de chá, e o tempo é um assunto constante, pois é sempre imprevisível. Tentamos manter uma tradição de etiqueta, educação e cortesia comum. O senso de humor britânico autodepreciativo, espirituoso e às vezes sarcásticas foi exportado para todo o mundo na forma de livros, programas de TV e filmes.

Arte, Cultura e Esportes

Inglaterra, País de Gales e Irlanda do Norte foram influenciados e moldados por uma série de talentos extraordinários, através da ciência, música, teatro, poesia, literatura, dança, festivais e outras formas de arte.

Jocelyn Bell Burnell descobriu pulsares de rádio. Sua observação é considerada uma das maiores descobertas astronômicas do século XX. Ela doou um prêmio que recebeu em 2018 para encontrar maneiras de incentivar mulheres, estudantes de minorias e refugiados a se envolverem em pesquisas de fisica.

Shakespeare, Jane Austen, Zadie Smith, Seamus Heaney e Dylan Thomas são apenas alguns dos escritores cujas obras são lidas e estudadas em todo o mundo.

A música é uma parte vital de nossa cultura e, em todas as nações, é expressa de diferentes formas: por meio da música clássica, baladas, punk, rock, pop, grime, folk, dança de Morris e coros de vozes masculinas, ao lado da música folk celta tradicional. O País de Gales é tradicionalmente conhecido como a terra da música e, além da cantora popular Shirley Bassey de Tiger Bay, uma área portuária de Cardiff, muitos hinos que são cantados em todo o mundo vêm do País de Gales. Por exemplo, Guie-me, ó Tu Grande Redentor, escrito pelo prolífico escritor de hinos William Williams Pantycelyn, cantado ao som de Cwm Rhondda por John Hughes (derivado do nome do Vale Rhondda). A Sra. Alexander (1823 - 1895) viveu em Derry, Irlanda do Norte, durante grande parte de sua vida e o hino Há uma Colina Verde Distante foi inspirado nas pequenas colinas fora das muralhas de Derry. As canções de adoração de Keith e Krysten Getty da Irlanda do Norte são cantadas em todo o mundo.

Cultura e tradição também se expressam por meio de festivais e danças. Os festivais que celebram as artes e a criatividade acontecem nos meses de primavera e verão. Os laços com a Escócia são celebrados na Irlanda do Norte, especialmente em torno do aniversário do eminente poeta escocês Robert Burns e Féile an Phobail. O maior festival comunitário de West Belfast celebra a cultura irlandesa por meio da música, dança, poesia, teatro e palestras. O País de Gales é o lar do Eisteddfod, apresentando a riqueza das artes e da cultura da língua galesa; enquanto o festival de artes cênicas contemporâneas de Glastonbury, na Inglaterra, é o maior festival greenfield do mundo.

Somos também uma nação de amantes dos esportes, em particular futebol (soccer), críquete, golfe, rúgbi, tênis (todos inventados aqui), ciclismo e atletismo, e jogos paraolímpicos. Existem variações regionais - por exemplo, a união do rugby é uma paixão particular no País de Gales, enquanto os fãs de esportes da Irlanda do Norte também podem seguir o futebol gaélico e o hurling. Produzimos muitos atletas populares: futebolistas e ciclistas nas Olimpíadas e Paraolimpíadas.

A participação feminina nos esportes populares vem ganhando mais respeito e interesse, resultando em melhor cobertura na TV e no restante da mídia. O futebol feminino teve um grande aumento de popularidade e as integrantes da seleção inglesa de críquete feminino já venceram a Copa do Mundo de Críquete Feminino.

Comida e bebida

O clima ligeiramente úmido na Inglaterra, País de Gales e Irlanda do Norte significa que a comida tradicional costuma ser reconfortante e calorosa. Cozidos e bolinhos, tortas quentes e pudins doces são apreciados há centenas de anos. Uma boa xícara de café da manhã inglês ou chá Earl Grey é uma bebida quente típica, mas o café também é extremamente popular. Há uma forte tradição de preparar e beber cerveja, com muitas atividades sociais ocorrendo no pub local (bar), onde os amigos se encontram para tomar um pint ('cerveja').

É interessante notar que as refeições que são vistas como uma parte essencial da identidade da nação - como peixe com batatas fritas - muitas vezes foram introduzidas por refugiados e colonos de outros países. Da mesma forma, há um grande amor pela comida chinesa e indiana para levar, e o frango tikka masala é um dos favoritos.

Existem pratos nacionais e variações regionais espec1a1s em cada país, por exemplo bolos galeses e champ da Irlanda do Norte.

No entanto, o aspecto desafiador da Grã-Bretanha significa que alguns setores da sociedade enfrentam o que é conhecido como pobreza alimentar. Uma em cada quatro famílias de baixa renda luta para suprir alimentos. Caridade de lideranças, como por exemplo,The Trussell Trust, apóia uma rede de mais de 1.200 bancos de alimentos, que fornecem pacotes de alimentos de emergência para indivíduos e famílias necessitadas. Entre abril de 2018 e março de 2019, 1.6 milhão de embalagens foram entregues a pessoas em crise. Os principais motivos para a necessidade de utilizar um banco de alimentos são: baixa renda, atrasos e alterações nos benefícios da Previdência Social e endividamento por diversos motivos.

Muitas pessoas tentam fazer uma alimentação saudável na Inglaterra, País de Gales e Irlanda do Norte, mas, como em muitos países, é mais fácil ter acesso a alimentos de conveniência e junk food (baboseiras), que são ricos em carboidratos e açúcar.Tem havido um aumento na obesidade e no diabetes tipo 2. Algumas comunidades mais pobres foram chamadas de desertos alimentares por causa da falta de acesso a vegetais frescos, frutas e outros alimentos saudáveis.

E ainda há esperança. Os lotes (pedaços de terra atribuídos pelo conselho para cultivar frutas, vegetais e flores) e as hortas comunitárias estão se tornando muito populares mais uma vez. Há um interesse renovado em dietas à base de plantas e tem havido um aumento no número de pessoas que se tornam vegetarianas e veganas. Alimentos orgânicos, locais e de Comercialização Justa estão ganhando popularidade e há um interesse geral em saber de onde vêm os alimentos e como são produzidos.

5. Mulheres e família

Em termos gerais, desde o início da industrialização e do movimento do campo para as cidades ao longo dos séculos 18 e 19, a taxa de natalidade aumentou e a mortalidade infantil diminuiu em toda a Inglaterra, País de Gales e Irlanda do Norte. A mulher de classe média em 1800 tinha entre 5 a 7 filhos. Os pais provavelmente perdiam 2 ou 3 filhos nos primeiros anos de vida. No entanto, dados recentes indicam que a pobreza ainda existe. A mortalidade infantil agora é de 4 por mil e os novos números da Fundação Resolução indicam que o número de crianças que vivem em pobreza relativa está a caminho de chegar a 37 por cento, superando o recorde anterior de 34 por cento registrado na década de 1990. No final de 2019, pode ser que a maioria das crianças em famílias monoparentais ou em famílias maiores- com dois ou mais filhos-viva em relativa pobreza.

A vida familiar tradicional não é mais a norma na Inglaterra, País de Gales e Irlanda do Norte. O tamanho mais comum, em 9.609.000 famílias, é de duas pessoas. O segundo tamanho de família mais comum é de uma pessoa. Um estudo recente descobriu que a idade média de uma mulher solteira que se casa agora é de 30.8 anos, pouco mais de oito anos em relação a 1971, quando a média era de 22.6 anos. Em 2017, pouco mais da metade da população (51,0%) com 16 anos ou mais na Inglaterra e no País de Gales era casada.

Mesmo assim, comemoramos o progresso das mulheres em nossa sociedade, ainda lutamos para combater a violência em nossas casas, melhorar a vida de quem vive na pobreza e apoiar as pessoas com deficiência física, mental e emocional. Então acrescenta: Embora as universidades de Oxford e Cambridge não permitissem que as mulheres se formassem até 1920, as mulheres agora representam mais da metade dos alunos que estudam para obter os primeiros graus. Elas ainda são minoria apenas em ciência, tecnologia, engenharia e matemática.

6. Dia Mundial de Oração na Inglaterra, País de Gales e irlanda do Norte

Como uma única organização do Dia Mundial de oração, as três vozes da Inglaterra, País de Gales e Irlanda do Norte se reuniram para apresentar o culto deste ano, reconhecendo nossas diferenças, mas também nossas similaridades. Nossos vizinhos, Escócia e República da Manda, têm suas próprias organizações para o Dia Mundial de Oração.

Em resposta ao que vimos como uma necessidade de envolver as participantes mais jovens, nosso DMO agora organiza um Y Pray Annual Event ( um Evento anual de Oração para Jovens) em maio, quando as mulheres mais Jovens são incentivadas a se juntar a nós para um fim de semana de oração, comunhão e entretenimento. Ouça o comentário de Gladys Kusiwaa, uma das participantes:

Eu participei do 'Y Pay' no ano passado e estou feliz em dizer que tive um encontro maravilhoso e adorável, aprendendo, tendo comunhão e relaxando com outras mulheres de todas as esferas da vida. Ouvir e compartilhar nossas experiências de vida foi multo emocionante e inspirador. Os palestrantes de ambos os anos foram ótimos e suas mensagens me incentivaram a não desistir e continuar ajudando as pessoas e mudando vidas de todas as maneiras que posso. Embora todos nós viéssemos de diferentes origens e denominações cristãs, sentíamos que precisávamos de um tempo de nossa vida cotidiana para relaxar, refletir e reavivar nossa fé e nossas jornadas com Cristo. 


 

Ó Deus, meu libertador, tu tens sido a minha ajuda. Não me deixes, não me abandones.
Salmo 27.9
© Copyright 2022 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br