IECLB e Dia Mundial de Oração - DMO



ID: 2706

Que a justiça prevaleça

Estudo Bíblico DMO 2012 - Habacuque 1.2-5; 3.2;17-19

02/03/2012

DIA MUNDIAL DE ORAÇÃO 2012 - MALASIA

TEMA: QUE A JUSTIÇA PREVALEÇA

ESTUDO BÍBLICO 1

*************

Texto: Habacuque 1:2-5; 3:2, 17-19

1. Contexto

O reino do norte (Israel) caiu ante a Assíria em 722 a.C. e crescia a ameaça da invasão babilônica do reino do sul (Judá). As menções bíblicas em outros textos levaram os comentadores a crer que Habacuque vivia em Judá durante o reinado de Joaquim (2 Reis 23.36-24.7). Esse fato o faria contemporâneo de Naum, Sofonias e Jeremias. Habacuque profetizou durante a queda do império Assírio (620 a.C) e a invasão babilônica de Judá (588 a.C.), o que coloca seu livro no contexto da decadência e queda do reino de Judá.

O profeta Jeremias adverte o então rei de Judá, Joaquim, quando diz: ”Teus olhos e teu coração só estão voltados para tua própria ganância, para derramar sangue inocente e para praticar a opressão e a violência”. (Jeremias 22.17; Habacuque 1.2-4; II Reis 23.34-24-5).

A violência, as violações do pacto e as injustiças eram abundantes. O clamor e as orações dos justos eram inúteis. Parece que o Senhor consentia com a geração má e não fazia nada para castigar ou corrigir a situação. Habacuque estava perplexo com o fato que Deus deixara crescer o mal sem castigá-lo. Ele clama: “a justiça nunca se manifesta... a justiça é torcida” (Habacuque 1.4). O profeta apresenta a Deus sua queixa e a resposta de Deus revela a perspectiva divina e a maneira divina de “fazer com que a justiça prevaleça”.

Como Habacuque, nós também questionamos: Como pode Deus ver as injustiças e a maldade do mundo e dar a impressão que não faz nada sobre isso? Este é um problema que atinge cada geração, incluindo a nossa. A injustiça prevalece e prolifera. Parece nunca acabar ou diminuir. Portanto, neste estudo bíblico, vamos buscar algumas respostas para nosso tempo e contexto atuais.

2. Perspectiva de Habacuque

Habacuque é único entre os livros proféticos. O profeta não fala da parte de Deus ao povo, mas a Deus acerca do povo. Dirigiu suas queixas a Deus e o Senhor respondeu a cada uma delas:

1. Primeira queixa de Habacuque:
Como podia Deus permitir que a injustiça e a violência opressoras seguissem desenfreadas em Judá? (Habacuque 1.2-4)
A resposta de Deus:
Deus declara que a maneira de tratar esse mal era por intermédio dos babilônios impiedosos (Habacuque 1.5-11).

2. Segunda queixa de Habacuque:
Como podia Deus permitir que uma nação ainda mais traidora fosse a agente do juízo de Deus contra Judá? (Habacuque 1.13).

A resposta de Deus:
Deus está no controle da situação. Em seu devido tempo, Ele fará que as coisas aconteçam conforme Seu plano e propósito e fará que “a justiça prevaleça” (Habacuque 2.2-20).

3. A oração de Habacuque:
O profeta conclui com uma oração cantada, expressando confiança na promessa de Deus acerca da poderosa libertação que será alcançada (Habacuque 3.2, 16-19).

3. ESTUDO BÍBLICO SOBRE “QUE A JUSTIÇA PREVALEÇA!”
Texto: Habacuque 1.2-5; 3.2 e 3.17-19

I. O CLAMOR PELA JUSTIÇA (Habacuque 1.2-5)

O clamor e a queixa (v.2)

“Até quando, oh Senhor, pedirei ajuda e não escutarás, clamarei a Ti: violência! e não salvarás?”

O clamor resulta de uma situação de crise, da qual o profeta busca libertação. O clamor a Deus para que “escute”, traz a conotação do desejo de uma resposta ativa. A crise em que Habacuque solicita ajuda é “violência”, que tem o sentido implícito de um mal ético e possivelmente uma brutalidade física; é uma conduta maliciosa destinada a prejudicar o outro; e a resposta que se espera de Deus é que “salve”, o que significa libertar-se de quem oprime ou restringe.

“Até quando” mostra agonia de Habacuque pela demora de Deus em responder suas preocupações e petição. O reinado de Joaquim esteve cheio de injustiça e derramamento de sangue (Jeremias 22.17; Habacuque 1.2-4; II Reis 23.34-24.5). Sem dúvida, parece que Deus não ouve, ou que é indiferente a essas condições desagregadoras. Habacuque quer saber por que Deus não reage ante as condições corruptas e injustas. Por que Deus não ajuda ou salva: Por que Deus não intervém nas injustiças desenfreadas?

O problema (v. 3)

As perguntas e a queixa de Habacuque a Deus continuam no versículo 3 e são utilizados três pares de palavras para descrever a corrupção social.

“Por que me fazes ver a iniqüidade e me fazes contemplar a opressão?
A destruição e a violência estão diante de mim; rixa e discórdia prevalecem.”

“Iniquidade” e “opressão” normalmente se traduzem por mal e por problemas: “destruição” e “violência” estão associadas à opressão injusta sobre os membros mais débeis da comunidade; “rixa” e “discórdia” são termos legais no hebraico que sugerem a ira e a dissensão como resultado de juízos e pleitos legais.

Deus abriu os olhos do profeta para que visse a verdadeira situação na qual está imerso e afrontado pela injustiça e pela violência. Ele derrama seu coração diante de Deus, perguntando-se por que Deus lhe permitiu vivenciar essa situação intolerável. Ao contrário, Deus parece tolerá-la, permitindo tudo e não fazendo nada acerca disso!

A situação deplorável (v. 4)

Os seis problemas sociais mencionados no 3º versículo conduzem às quatro terríveis situações que são assinaladas no versículo 4.

“Por isso não se cumpre a lei e nunca prevalece a justiça. Pois o ímpio assedia o justo; por isso a justiça é pervertida”.

A lei chegou a ser considerada como sem força e sem autoridade. A lei não é respeitada; ou é ignorada ou se distorce. Os maus cercam os justos por todas as partes, de tal maneira que estes não podem receber o que lhes é devido. Os ímpios pervertem a integridade e a honradez. Os maus aparecem como vencedores impunes, porque a justiça foi suprimida e não pode sair para lutar ou fazer ouvir sua voz em favor do que é justo. Os justos são mantidos fora do sistema político e legal. A justiça nunca prevalece; é pervertida. Ignora-se, distorce e sufoca-se a justiça e em seu lugar coloca-se a injustiça.

Por isso o clamor do profeta Habacuque ao Senhor é: ”QUE A JUSTIÇA PREVALEÇA!”

A resposta do Senhor (v. 5)

Este versículo contém uma mudança, e agora é o Senhor quem fala, dirigindo-se a Habacuque, e diz:

“Olhem entre as nações e as observem; fiquem admirados e assustados; porque farei uma obra em vossos dias que não crereis se eu as contar” (1.5).

Aqui temos a palavra confortadora do Senhor: “Vou fazer algo em vossos dias”, para que a justiça siga seu curso e prevaleça. Mas, qual é a maneira surpreendente e incrível que Ele utilizará para tratar da injustiça e da opressão, da destruição e da violência, da rixa e da discórdia? Deus vai usar os “ferozes e impetuosos” caldeus, “um povo imponente e temível”, arrogantes e traidores, para resolver a maldade desenfreada e impune de Judá (1.6-13).

Isso complica ainda mais o problema e a queixa de Habacuque. Ele diz, com incredulidade:

“Oh, Rocha, o que estabeleceste para correção! Muito limpos são teus olhos para ver o mal, e não podes contemplar a opressão. Por que olhas com agrado os que procedem perfidamente, e calas quando o ímpio traga o que é mais justo que ele?” (1.12-13).

O Senhor responde de novo, dizendo:

“Porque a visão ainda está para cumprir-se no tempo determinado, mas se apressa para o fim e não falhará; ainda que tarde, espera-a; porque certamente virá, não tardará” (2.3).

Habacuque encontra-se preso a uma angústia mais profunda. Está acostumado a ver opressão, derrota, sofrimento e exploração pelos governantes e seus exércitos, que são descritos como invencíveis (1.5-11). Ele segue perguntando a Deus: Como podia Deus associar-se a um povo tão mau? Como peixes do mar, são caçados e enganados. Os inimigos regozijam-se do sofrimento que impõem e fazem sacrifícios e oferendas a suas redes. Quando vai terminar esta forma de poder?

Habacuque coloca-se entre o poder do mal e o poder de Deus. Nesse lugar, ele permanecerá e observará. É vigilante e persistente em sua vocação pela justiça. É como a parábola que Jesus conta no Evangelho de Lucas sobre uma viúva que é persistente em seu apelo pela justiça ante um juiz injusto.

Deus responde a Habacuque com uma visão que é verdadeira e que é uma confirmação de que Deus não se demora. A visão se cumprirá no devido tempo de Deus. Habacuque terá que manter-se alerta, confiando na compaixão de Deus. Ele deverá esperar com fidelidade entre a promessa e seu cumprimento, entre o problema e a solução. Habacuque deve observar e ver que o espírito do inimigo é o orgulho, mas o justo viverá por sua fé. (2.1-4)

II. GARANTIA DE QUE A JUSTIÇA PREVALECERÁ (Habacuque 3.2, 16-19)

O livro conclui com uma oração cantada, na qual Habacuque canta acerca de uma libertação poderosa que ainda está por manifestar-se. Apesar da apresentação gráfica do que sucederá quando os babilônios atacarem a terra e as difíceis circunstâncias nas quais se encontrará, ele aprendeu a confiar em que Deus sempre será fiel a Seu caráter e fará que a justiça prevaleça.

Habacuque decide: “tranquilo espero o dia da angústia, ao povo que se levantará para nos invadir
(3.16). Sim, ainda que o futuro pareça sombrio, “ainda que a figueira não floresça, nem haja fruto
na vide; o produto da oliveira minta, e os campos não produzam mantimento; as ovelhas sejam
arrebatadas do aprisco, e nos currais não haja gado, todavia, eu me alegro no SENHOR, exulto no
Deus da minha salvação “(3.16-18).

Habacuque conhece Deus e pode proclamar sua confiança no poder definitivo da sua bondade.
Como o investigador bíblico William Brown escreve acerca de Habacuque 3: “Tal gozo e vigor
vital renovado só podem ser alcançados sondando as profundidades de nossas dores e desilusões
mais profundas e elevando-as em uma honrada e íntima conversa com Deus”.

Habacuque confia que Deus fará “QUE A JUSTIÇA PREVALEÇA”.

III. CONCLUSÃO

Vemos um profeta, Habacuque, protestando perante Deus acerca das más condições e perguntando onde está Deus. O livro acaba com uma poderosa descrição da presença salvadora de Deus. O livro de Habacuque coincide com os dos outros profetas que clamaram a Deus. Deus ouve suas queixas e guia-os até que possam depositar sua fé na misericórdia e no poder de Deus.

Do livro de Habacuque aprendemos que:

1. Deus está com Habacuque. Em seu devido tempo, Deus fará com que o que parece insensato ao homem conduza à bondade e à misericórdia, o plano de Deus é para todos.

2. Deus capacita-nos para viver pela fé nos tempos mais tenebrosos, a confiar e crer que Deus é a fonte do poder pelo qual o mal é derrotado. Deus fará a Sua maneira e a Seu tempo “QUE A JUSTIÇA PREVALEÇA”.

Hoje a injustiça é desenfreada. O fracasso da justiça parece estar na ordem do dia. Os que praticam a injustiça dão a impressão que são os vencedores. Pode ser que tenhamos a mesma queixa que Habacuque e estejamos lutando com problemas sérios de injustiça. Façam o que fez Habacuque e levem-no perante Deus; façam perguntas e busquem as respostas de Deus. Considerem a mensagem que Deus dá a Habacuque e dêem-se conta dos planos e propósitos de Deus a longo prazo. A Seu tempo, a Sua maneira, Ele revelará as respostas que buscamos. Pode ser que seja num tempo e de um modo que estejam além de nossa expectativa.

Clamem a Deus em oração – nosso Deus que é reto e justo fará “QUE A JUSTIÇA PREVALEÇA”.

 

DEBATE:

Habacuque 1.2-4; 3.2, 16-19

1. Em que situação encontra-se Habacuque: Que crise ele tem de enfrentar?
2. Qual é a queixa de Habacuque? A quem se queixa? Por quê?
3. Qual é a resposta do Senhor; por que é assombrosa?
4. Quando vocês se queixaram? Quais as circunstâncias? Como entenderam a resposta de Deus? Que semelhanças ou diferenças vêem entre suas experiências e as do profeta Habacuque?

Contexto contemporâneo

1. Identifiquem os problemas causados por questões de injustiça em seu país.
2. Como poderia Habacuque ajudar seu grupo a enfrentar questões de injustiça?
3. Para vocês, que promessa contém o texto em sua luta para que a justiça prevaleça?

 

Preparado por Fui-Yung Chong
 


Autor(a): Fui-Yung Chon
Âmbito: IECLB / Organismo: Dia Mundial de Oração - DMO
Testamento: Antigo / Livro: Habacuque / Capitulo: 1 / Versículo Inicial: 2 / Versículo Final: 4
Natureza do Texto: Educação
Perfil do Texto: Estudo Bíblico
ID: 12733
Nenhum serviço agrada a Deus, seja ele enorme, quando este fere o próximo.
Martim Lutero
© Copyright 2020 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br