Comunicação deve ser prioridade da IECLB nos anos 90

1º. CONGRESSO LUTERANO DE COMUNICAÇÃO

01/08/1988

Comunicação deve ser prioridade da IECLB nos anos 90

O Congresso Luterano de Comunicação, reunido sob o tema “Anos 90 – Comunicação e Testemunho”, em Joinville (SC), de 19 a 22 de maio último, pediu que Comunicação fosse incluída como prioridade da IECLB nos anos 90. Participaram do encontro todas as áreas e entidades que fazem comunicação na Igreja, além de representantes de Distritos e Regiões. Com base em quatro palavras-chave e discussões em grupos, o congresso elaborou, ao final, um documento com propostas e recomendações sobre como deve acontecer comunicação na IECLB. Veja, na íntegra, o documento.


I — A comunicação cristã visa partilhar a boa notícia de Jesus Cristo com empenho em favor da vida desejada por Deus. Por isso deve promover e criar comunidade, ser participativa, libertadora e profética e ficar atenta para as relações interpessoais, grupais e comunitárias.

II — A comunidade deve sensibilizar-se para a importância da comunicação e repensá-la a partir de Deus que se comunica na história concreta e a partir do receptor, reconhecendo-o como sujeito no processo comunicativo. A linguagem do receptor, seus anseios e necessidades são referenciais na busca de clareza em benefício do anúncio da boa notícia, que promove vida digna.

III — Quando a Igreja usa meios de comunicação de massa, deve fazê-lo consciente de que a fé e o testemunho dos receptores acontecem na vida comunitária. Além do aspecto tecnológico, a Igreja precisa considerar o conteúdo de sua mensagem específica, cuidando para não ser cooptada pelo sistema existente na sociedade, pois está comprometida a promover vida digna para todos.

IV — É compromisso da Igreja promover comunicação libertadora, isto é, que transforme situações de opressão e injustiça social. Por isso deve considerar a situação em que vive a grande maioria do povo brasileiro, marginalizado e empobrecido. Nesse sentido cabe à Igreja o papel de criar e apoiar meios alternativos a serviço das causas populares.

Sugestões práticas:

1) Incluir Comunicação entre as prioridades da IECLB na década de 90.

2) Investir tempo, dinheiro e pessoal na capacitação de comunicadores, profissionais ou não.

3) Descentralizar e democratizar a comunicação a nível local, regional e nacional.

4) Buscar a colaboração de profissionais para a capacitação e produção junto a entidades e Igrejas com maior experiência.

5) Incluir Comunicação no currículo obrigatório de formação e atualização de obreiros, contando com a colaboração de profissionais da área.

6) Cadastrar e avaliar os meios existentes na Igreja, com ampla participação das bases, definir seus objetivos, a idéia de Igreja que estão comunicando e a clareza de sua linguagem junto ao receptor.

7) Desenvolver cursos de leitura crítica da comunicação nos diversos segmentos da comunidade eclesial.

8) Discutir o fluxo de informação interna da IECLB, visando maior transparência da instituição em todos os seus níveis.

9) Tornar obrigatório o cadastramento dos presbitérios/diretorias paroquiais, com duração de mandato indicado, num banco de dados da IECLB, para maior eficiência nas comunicações internas.

10) Promover encontros e seminários nas diversas áreas da Igreja: literária, jornalística, radiofônica, musical, grupal, audiovisual etc.

11) Incentivar empresários evangélicos, em especial detentores de meios de comunicação, a aliarem suas forças com o projeto de comunicação da IECLB.

12) Procurar medidas alternativas de subsistência dos meios de comunicação atualmente existentes na IECLB, para que possam praticar outras metodologias de comunicação, agora impossibilitadas pela dependência da atividade comercial.

13) Desenvolver projetos de comunicação em caráter ecumênico no Brasil e engajar-se naqueles já existentes.

14) Divulgar a função e os objetivos da Secretaria de Comunicação e a atribuição do Conselho de Comunicação.

15) Incentivar, num esforço interdisciplinar, a pesquisa e elaboração de uma Teologia da Comunicação.

16) Abrir espaços nos jornais da IECLB para compartilhar experiências sobre os jornais comunitários.

17) Incentivar, através da Secretaria de Comunicação, a criação de jornal mural impresso para uso junto aos murais das comunidades.

18) Comunicação comunitária:

a) Reavaliar a comunicação existente nas comunidades: culto, prédica, liturgia, música e canto, boletins e programas.
b) Publicar material de apoio para orientação na confecção de boletins informativos; um manual para correspondentes dos órgãos de imprensa e sugestões para uso eficiente de meios de comunicação simples como avisos nos cultos, mural, painel (out-door), cartões de felicitação de seus membros.
c) Buscar com vigor a participação dos leigos nas comunidades para atividades de comunicação, proporcionando-lhes capacitação para isto.
d) Fazer coincidir a distribuição do boletim informativo, dos cartões de felicitação e outros materiais do interesse da comunidade com a visitação aos membros.

19) Delegar ao Conselho de Comunicação da IECI,B a atribuição de compor uma comissão com a tarefa específica de elaborar um projeto amplo que atenda as propostas e reivindicações colhidas neste Congresso. Que esta comissão seja constituída de profissionais das diversas áreas de comunicação e a proposta no projeto amplamente debatida nas bases da IECLB.


Voltar para índice de Um Século de História de Nossa Imprensa 
 

HISTÓRIA
+
Entrega os seus problemas ao Senhor e Ele o ajudará.
Salmo 55.22
© Copyright 2019 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br