Livros de uso ''obrigatório'', o maior movimento

EDITORA SINODAL

01/08/1988

Livros de uso “obrigatório”, o maior movimento

Publicar livros e periódicos é apenas um lado da tarefa. Ela não faria sentido sem o complemento da divulgação, que leva o livro até o leitor, para que seja lido e refletido, resultando em crescimento de fé e comunhão, em ação transformadora de vidas e estruturas. Com este objetivo fizemos com a IECLB uma campanha de leitura sob o slogan E TEMPO DE LER, iniciado em dezembro de 1985. Entre as iniciativas constavam a implementação da Livraria Volante, seminários com agentes de literatura e melhorias no setor de promoções, que devem continuar como prioridade.

Mesmo tende aumentado a penetração no mercado nacional, por exemplo com uma boa variedade de livros teológicos, o maior movimento se faz — e nisso a Editora corresponde à sua tarefa específica —com as publicações de uso obrigatório nas comunidades da IECI,B, como hinários, manuais de ensino, anuários e livros devocionais. A propósito, o best-seller com grande margem é o livro devocional Castelo Forte. Em suas primeiras edições lançávamos 5 a 6 mil exemplares, e nos últimos anos as tiragens se situam entre 40 e 50 mil.

Com a maior abertura ecumênica, após o Concilio Vaticano II, tornaram-se viáveis coedições também com editoras católicas, como Edições Paulinas e Editora Vozes. Temos publicado inclusive alguns livros em espanhol, e importa buscar maior fortalecimento da cooperação neste subcontinente latino-americano. 1h1 cooperação está sendo incentivada também por organismos internacionais como a Federação Luterana Mundial, Luteranos Unidos em Comunicação, Associação Mundial para a Comunicação Cristã, Evangelisches Missionswerk (RF Alemanha), Conselho Mundial de Igrejas e entidades nacionais como a UCBC-União Cristã Brasileira de Comunicação Social, quer promovendo encontros e oportunidades de treinamento, quer facultando a participação em eventos e feiras.

Apesar de nos inserirmos neste amplo contexto ecumênico, não podemos negligenciar a tarefa imediata e especifica atender as comunidades da IECLB. Mas sentimos que ai os hábitos de leitura estão regredindo. Seja lá quais foram os motivos — dificuldades econômicas, avanço da televisão — precisamos tornar-nos mais criativos tanto no planejamento editorial como nas formas de divulgação para servir melhor e poder concorrer com outros meios de comunicação. Com esta finalidade está por ser implantado na Editora Sinodal em regimento interno, já aprovado pelas direções da ISAEC e da Igreja e que deverá adequar a estrutura aos novos desafios.

Neste apanhado puderam ser mostrados apenas alguns aspectos da história e da atuação da Editora Sinodal. Em outra oportunidade, o quadro histórico deveria ser completado lembrando setores como o Centro de Elaboração de Material, a ex-Editora Luterana, Literatura Evangelística, o projeto Crer e Viver, a Tipografia e as pessoas que, nas diversas etapas, se dedicaram à causa, não esquecendo amigos e irmãos que, a partir de entidades do exterior, sempre de novo nos têm auxiliado com recursos para determinados projetos de publicação ou aquisição. Assim temos motivo para agradecer e encarar com fé e coragem a missão — esta missão comum que temos como cristãos e igrejas e que é sempre maior do que tudo que conseguimos realizar.


Hasenack, 28 anos na Editora 

Johannes Friedrich Hasenack se formou na Faculdade de Teologia da IECLB no final de 1955, assumiu o pastorado em Porto dos Gaúchos, Mato Grosso, em 1957, e de lá retornou com a esposa e um filho dois anos e três meses depois, em abril de 1959, com a intenção de fazer o exame pró - ministério. Em função das fortes chuvas na região, a viagem de barco de Porto dos Gaúchos a Cachoeira do Pau demorou demais, e Hasenack chegou tarde para integrar a turma do pró-ministério em que estava Inscrito. Por sugestão da direção do Sínodo Rio-grandense na época, não retornou a Porto dos Gaúchos antes de ter prestado o exame teológico e aceitou exercer seu pastorado neste meio-tempo na Paróquia Esperança, de Montenegro (RS). Lá atuou de abril de 1959 a janeiro de 1960, e em dezembro de 1959 fez o pró-ministério. Ainda em janeiro de 1960, iniciou seu trabalho pastoral na Editora Sinodal, onde continua após 28 anos de dedicação integral, com grande parte do tempo respondendo pela direção.


Voltar para índice de Um Século de História de Nossa Imprensa

 


Autor(a): Johannes Hasenack
Âmbito: IECLB
ID: 32209
HISTÓRIA
+
Vivam como pessoas que pertencem à luz, pois a luz produz uma grande colheita de todo tipo de bondade, honestidade e verdade.
Efésios 5.8-9
© Copyright 2024 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br