Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil e Ecumene



ID: 2676

Testemunho de Wittenberg - Uma Declaração Conjunta da Comunhão Mundial de Igrejas Reformadas e a Federação Luterana Mundial

05/07/2017

Testemunho de Wittenberg

Uma Declaração Conjunta da Comunhão Mundial de Igrejas Reformadas e a Federação Luterana Mundial

5 de julho de 2017


Preâmbulo

Hoje, na cidade de Martim Lutero e na igreja em que ele costumava pregar, nos reunimos para dar resposta às oportunidades únicas de renovação continua que o 500º aniversário da Reforma oferece à Igreja. Nesta importante ocasião, a Comunhão Mundial de Igrejas Reformadas e a Federação Luterana Mundial, na presença de representantes de toda a Igreja, participam de um testemunho comum. Este Testemunho de Wittenberg se baseia nos passos em direção à unidade adotados por nossas igrejas membros em todo o mundo e por décadas de diálogos teológicos cujos frutos agora reclamamos.

1. Juntos, damos graças a Deus e nos regozijamos na unidade que já temos em Cristo, a qual nós não criamos e que não podemos destruir, porque a Igreja é obra de Deus Trino, é criação da Palavra e do Espírito. O dom da unidade não requer uniformidade, mas pode encontrar-se e também celebrar na diversidade. A diversidade das nossas tradições confessionais e de nossas igrejas são um reflexo legítimo dos nossos contextos particulares, de modo que estamos unidos e não divididos por tal diversidade.

2. Juntos, nós celebramos que somos um em Cristo, compartilhando uma herança comum da Reforma e uma fé comum. Estamos unidos na confissão do evangelho de Jesus Cristo. Alegramo-nos que não haja mais nenhuma necessidade de estarmos separados; e nossas diferenças não são para a divisão da igreja. Agradecemos pelos exemplos das Igrejas Luteranas e das Igrejas Reformadas que já declararam a comunhão eclesial, e agora estão compartilhando um testemunho comum na adoração, no testemunho e no serviço para o mundo.

3. Juntos, nós reconhecemos, confessamos e lamentamos que divisões ainda obscurecem a nossa unidade e dificultam nosso testemunho. Lamentamos que ao longo da nossa história com muita frequência desenvolvemos hábitos e estruturas divisivas e falhamos em discernir o corpo de Cristo. Injustiças e conflitos prejudicam e escandalizam nosso corpo único. Estamos envolvidos no colonialismo e exploração que marcaram a nossa história. Entristece-nos como permitimos separações com base em raça e etnia, em classes e outras desigualdades, em patriarcalismo e sexo, e que orgulho nacional, língua e cultura se tornassem motivos de divisão e de opressão em nossas igrejas e em nosso mundo.

4. Juntos, nós ouvimos o chamado de Deus e reconhecemos o reclamo de Cristo sobre todas as áreas de nossas vidas. Ao escutarmos a Palavra de Deus para nossas vidas, experimentamos o chamado para a reforma contínua.

Nós ouvimos este chamado quando a Palavra é pregada e os sacramentos são celebrados.
Nós ouvimos este chamado de nossos antepassados e antepassadas que estiveram profundamente comprometidos com a unidade visível da Igreja, que lamentaram os  cismas chamando-os de pecado, e que descreveram a igreja dividida com tristeza, como um corpo desmembrado.
Nós ouvimos este chamado dos muitos protestos nascidos no sofrimento dos  refugiados e migrantes, na frustração, humilhação e anseios de muitos em nosso  mundo comum, das vozes dos jovens expressando preocupação com o futuro da terra, a nossa casa comum.

5. Juntos, nós ansiamos por imaginação renovada do que poderia significar a igreja em comunhão - para o nosso mundo e o nosso tempo.

Precisamos de uma nova imaginação para viver juntos, de tal forma que não só abracemos a nossa unidade como graça, mas também como vocação.
Precisamos de uma nova imaginação para sonhar um mundo diferente, um mundo onde a justiça, a paz e a reconciliação prevaleçam.
Precisamos de uma nova imaginação para praticar espiritualidades de resistência e de visão profética, espiritualidades a serviço da vida, espiritualidades impregnadas pela missão de Deus.

6. Juntos, comprometemo-nos em responder a este anseio com ações concretas, convictos de que a Palavra de Deus nos leva a uma comunhão mais profunda.

Como comunhões globais, luteranos/as e reformados/as, comprometemo-nos em explorar novas formas de vida em unidade, que expressem mais plenamente a comunhão que já temos em Cristo.
Comprometemo-nos a redobrar nossos esforços comuns para encarnar a nossa unidade e resistir juntos às forças da injustiça e exclusão.
Convocamos nossas igrejas-membro a expressar nossa unidade de forma mais visível em seus contextos locais. Convidamos os nossos parceiros ecumênicos a expressar este compromisso comum pela unidade e testemunho ao mundo.

7. Juntos oramos para que o Espírito Santo nos dê coragem e imaginação para viver fielmente o nosso compromisso com a unidade, expresso em compartilhada adoração, testemunho e serviço ao mundo. Oramos pela libertação em todo o mundo e, por graça de Deus, por uma renovação profunda e reforma de nossas igrejas.


Veja também: Igrejas reformadas endossam o acordo católico-luterano sobre disputa crucial da Reforma


 


Âmbito: IECLB
Área: Ecumene / Organismo: Federação Luterana Mundial - FLM
Natureza do Texto: Manifestação
Perfil do Texto: Ecumene
ID: 43102

AÇÃO CONJUNTA
+
tema
vai_vem
pami
fe pecc

Procurem a ajuda do Senhor. Estejam sempre na sua presença.
Salmo 105.4
REDE DE RECURSOS
+
Quanto mais a gente de embrenha na Criação, maiores os milagres que se descobre.
Martim Lutero
© Copyright 2020 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br