Jornal Evangélico Luterano

Ano 2020 | número 841

Terça-feira, 01 de Dezembro de 2020

Porto Alegre / RS - 15:02

Plano de Ação Missionária da IECLB

O legado da justificação por graça e fé

O contexto de pandemia pelo Covid-19 nos desafia. Muito se tem falado sobre medidas que diminuem os riscos do contágio. O isolamento social é, até o momento, o único método eficaz na prevenção, o que é fundamental, uma vez que ainda não há remédio que cure nem vacina que imunize. Prevenir é sempre melhor que remediar. Prevenir é cuidar!

O cuidado é uma atitude, um valor sobre o qual precisamos aprender mais e mais. Ele é bíblico, pois, para Deus, toda a pessoa é sagrada a partir da sua natureza e não da sua funcionalidade. Cada pessoa é, assim, a imagem do próprio Criador. Disso advém a dignidade inalienável de cada ser humano: cada vida é valiosa.

O agir cuidadoso e responsável é fundamental no atual contexto. A Teologia e a Igreja Cristã têm muito a oferecer neste aspecto. Então perguntamos: Como a Igreja Cristã pode contribuir no desenvolvimento de uma cultura do cuidado? A Igreja, a partir dos valores evangélicos, reforça a importância das leis de proteção, muitas das quais se encontram na Bíblia. A Teologia também nos lembra que a marca da pessoa verdadeiramente discípula de Cristo é a vida responsável. Trata-se de uma atitude baseada na ética cristã, que é sempre a ética do cuidado, tanto de si quanto das outras pessoas e de toda a Criação.

O agir responsável não busca se referir a uma ‘obediência cega’, mas a uma ação livre e responsável, fundamentada na compreensão da vontade de Deus. Significa viver a partir da graça e do amor de Deus na nossa vida e na nossa sociedade. É assim que nos tornamos livres para amar a Deus, ao próximo e a nós mesmos. Significa um servir que é capaz de discernir, no nosso cotidiano, a vontade de Deus em situações concretas.

No caso do novo Coronavírus, trata-se de prevenir o contágio. No seguimento fiel a Cristo, a Igreja deixa de se preocupar com ela mesma e assume ser presença serviçal entre as pessoas. Ela participa das dores e dos sofrimentos do mundo. Ela é presença diaconal, assim como Jesus Cristo o foi na sua época.

Isolamento social não significa viver egoisticamente, em reclusão, indiferente às dores das demais pessoas e do que ocorre na localidade onde mora. Muito pode ser feito, pois o amor não tem fronteiras. Cada Comunidade Cristã precisa estruturar a sua diaconia, a sua presença serviçal, com as suas forças e possibilidades. Não há padrão, norma ou exigência. Há, isso sim, uma grande possibilidade para expressar a fé por meio do amor.

Pa. Dra. Rosane Pletsch | Ministra na Paróquia em Maringá/PR

Ultima edição

Edição impressa para folhear no computador


Baixar em PDF

Baixar em PDF


VEJA TODAS AS EDIÇÕES



Educação Cristã Contínua

Tempo de abraçar, Tempo de afastar

Mário Elói Goetz, 75 anos de idade, luterano desde o Batismo, membro da IECLB na Comunidade Trindade em Colombo/PR, ficou conhecido na região metropolitana de Curitiba como o homem do ‘abraço grátis’. Fervoroso defensor da diaconia, que, segundo ele, se manifesta em acolhimento (+)

AÇÃO CONJUNTA
+
tema
vai_vem
pami
fe pecc
A graça só tem um recipiente - o nosso coração.
Martim Lutero
© Copyright 2020 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br