Novas compreensões sobre a formação da sociedade moderna foram compartilhadas no 1º Seminário Reformas Históricas e suas influências sobre as cidades.

Para Werner Schünemann, Lutero se sobressaiu na história ao defender a justiça social. Para Euler Westphal, a Reforma Protestante rompeu com o sistema medieval

10/11/2021

1º Seminário Reformas Históricas e Suas Influências Sobre as Cidades
1º Seminário Reformas Históricas e Suas Influências Sobre as Cidades
1º Seminário Reformas Históricas e Suas Influências Sobre as Cidades
1º Seminário Reformas Históricas e Suas Influências Sobre as Cidades
1º Seminário Reformas Históricas e Suas Influências Sobre as Cidades
1º Seminário Reformas Históricas e Suas Influências Sobre as Cidades
1º Seminário Reformas Históricas e Suas Influências Sobre as Cidades
1 | 1
Ampliar

 

Novas compreensões sobre a formação da sociedade moderna foram compartilhadas no 1º Seminário Reformas Históricas e suas influências sobre as cidades.

Para Werner Schünemann, Lutero se sobressaiu na história ao defender a justiça social. Para Euler Westphal, a Reforma Protestante rompeu com o sistema medieval

Cumprindo sua missão: aprofundar o entendimento da história e do contexto da formação de Joinville, para ressignificar e entender os impactos na sociedade atual, os dois dias do 1º Seminário Reformas Históricas e Suas Influências Sobre as Cidades, trouxeram um debate com olhares minuciosos e diversificados sobre a colonização da maior cidade de Santa Catarina. A convite do Vereador Henrique Deckmann (MDB) e a Comunidade Evangélica de Confissão Luterana de Joinville (CEJ), Werner Schünemann, ator, diretor e historiador; Euler Westphal, professor universitário, escritor e doutor em teologia; e Dilney Cunha, historiador e coordenador do Arquivo Histórico de Joinville promoveram um grande diálogo sobre cultura, educação, colonização e sociedade moderna.

“Este seminário veio em boa hora”, iniciou Euler. Em sua fala contou como Lutero rompeu com o sistema medieval, trazendo uma reforma no âmbito religioso, mas com implicações no âmbito jurídico, político e que causou consequências na sociedade, para a cultura, ciência, tecnologia, direitos humanos, assim impactou a música e a educação. Euler discutiu a formação da sociedade moderna, assim como a crise civilizatória, no ponto de vista da formação dessa sociedade. Discorreu que, com a reforma, a sociedade se particularizou e setorializou-se demasiadamente, assim, tornou o sujeito medida de todas as coisas, egoísta e voltado para si mesmo. Desta forma, o professor elencou estes aspectos como negativos, uma vez que a consciência do sujeito nos trouxe a valorização da sociedade de consumo.

Dilney Cunha trouxe seu conhecimento sobre a imigração em Joinville assim como a ética luterana, na formação da sociedade joinvilense. “O debate foi extremamente reflexivo e é no embate do bom debate que surgem outras interpretações. É quando passamos a rever conceitos e pré-conceitos, quando falamos de fé, religião, e outras áreas, como economia, política”, explicou Cunha. Para ele, o tema tem tudo a ver com Joinville porque a cidade teve em sua colonização, em sua grande maioria, protestantes. “A sociedade que se formou aqui foi muito influenciada por estas práticas religiosas. Falar deste tema é debater a sociedade atual”, ressaltou.

Werner considerou o Seminário bastante diversificado e por vezes controverso, mas justificou que o confronto foi pertinente, porque trouxe dentro de si, figuras necessárias para a sociedade. “Lutero foi um líder fundamental nas transformações desde o fim da idade média, apresentando características até hoje”, comentou. Hoje, a educação pública universal para meninos e meninas gratuita acontece porque Lutero foi o primeiro homem no ocidente a propor isso que existe até hoje. “Temos que perceber que somos frutos dessas propostas que mudaram o mundo”, enfatizou Schünemann.

Segundo Westphal, citando Lutero, o poder público, é instrumento de Deus para que a vida seja possível, combatendo a morte prematura. Ou seja, o poder público está à serviço da vida. Para o ator e historiador Werner, estamos num período de transição e precisamos garantir o direito a. A justiça legítima e social, ser justo com o próximo, conforme a pregação de Lutero. “E não é isso que estamos vendo na sociedade agora”, reforçou.

Concordando com essas percepções e apontamentos que o vereador Henrique Deckmann se animou ao debate. “Me parece que estamos em uma época de pouca profundidade. Muitos de nossos diálogos têm sido rasos. Exatamente por esse sentimento que propusemos o Seminário em conjunto com a CEJ. “No meu entendimento, houve muitos estudos, pesquisas, inquietações compartilhadas ao redor da mesa, por cartas, e escritos, até chegarmos em Romanos 1:17 “(...) o justo viverá pela fé”.

O evento aconteceu nos dias 09 e 10 de novembro na Igreja da Paz e no Salão Paroquial da Paz, no Bom Jesus/Ielusc, no Centro de Joinville. A intenção é que o evento seja realizado anualmente para que novas discussões acerca dos impactos das Reformas continuem a acontecer em Joinville. Essa primeira edição contou com o apoio da Igreja de Confissão Luterana no Brasil – IECLB, Comissão Organizadora dos 170 anos da CEJ, Sínodo Norte Catarinense, Colégio Bonja, Faculdade Ielusc, Univille, Hospital Dona Helena, Sicoob São Miguel, Döhler e Prefeitura de Joinville.
    

COMUNICAÇÃO
+
ECUMENE
+
A Palavra de Deus é a relíquia das relíquias, a única, na verdade, que nós cristãos reconhecemos e temos.
Martim Lutero
© Copyright 2021 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br