Sessão de Abertura da VI Assembleia do CLAI

23/05/2013

Abertura 1
Pastor Nilton Giese
Rosilea Wille
Bispo Juliio Murray
Plenária
Apresentações
Mesa
Pastor Walter Altmann
Delegação da IECLB
1 | 1
Ampliar

1ª Sessão

O Bispo Julio Murray (Igreja Anglicana do Panamá, Presidente do CLAI) deu início e procedeu com palavras de abertura e saudação da VI Assembleia Geral do CLAI. Foi composta a Mesa Executiva de Trabalho, feita a composição e aprovação das várias Comissões e colocado em votação a solicitação de novos membros plenos e membros fraternos. Sendo aprovada o ingresso das seguintes Igrejas, como membros Plenos: Igreja Cristã Discípulos de Cristo (Porto Rico), Aliança Batista do Brasil, Igreja Cristã Menonita da Colômbia e Igreja Evangélica Unida de Cuba - Sínodo Luterano.

Houve a aprovação de Membros Fraternais das seguintes instituições: Serviço Social de Igrejas Dominicanas (República Dominicana), Centro Memorial Martin Luther King Junior (Cuba), Programa de Formação e Educação Comunitária - PROFEC (Brasil), Associação Médica Cristã de Nicaragua, Centro Cristão de Reflexão e Diálogo, Centro de Estudos Bíblicos (Brasil).

O quórum das votações é de 118 votantes. Votações favoráveis serão aprovadas com a presença de metade mais um dos membros votantes. Os membros do CLAI participam plenamente da reflexão, diálogo e tarefas conjuntas, no marco de mútuo respeito e aceitação (Artigo 5 da Constituição do CLAI). Foram aprovadas as regras parlamentarias (Regimento Interno da VI Assembleia Geral do CLAI).

Também houve algumas solicitações de desfiliações de membros plenos: Igreja Metodista da Costa Rica, Igreja Metodista de Cuba, Grupo de Trabalho Missionário Evangélico, Igreja Cristã reformada do Brasil e Igreja Evangélica Congregacional da Argentina. As desfiliações, por vontade das próprias Igrejas, foram aprovadas por amplia maioria. 

A Agenda da VI Assembleia foi revisada, adequada a nova realidade e aprovada por unanimidade pelos membros da Assembleia. 

2ª Sessão

Relato da realidade atual de Cuba através de autoridades de Cuba (Licenciadas Caridad Diego e María de los Ángeles). E saudações do povo e do Governo de Cuba. Um relato que enfatizou o câmbio e a unidade. Transformação de políticas econômicas que buscam a integração de jovens na sociedade. São mais de 8 milhões de habitantes. Ênfase da política de governo na educação, na saúde. Aporte à saúde em 34 países da América Latina e Caribe. Ênfase na exportação de produtos cubanos e de serviço. Ampliar o conceito de cooperativa. Busca de menor custo às empresas do governo. Mais de 80% dos trabalhadores da indústria privada estão sindicalizados. Aprovada a lei tributária que instituí o pagamento de impostos que são revestidos em programas sociais. Mas sempre ratificando que ninguém ficará desprotegido/a na sociedade cubana. O bloqueio continua sendo o maior obstáculo para que a sociedade cubana siga com mais e melhores propósitos de dar bem estar ao povo de Cuba. Houve reações e perguntas ao relato apresentado pela representante do Governo. A mística do povo vem de suas lutas, de suas vitórias, da busca por uma sociedade mais solidária e igualitária. 

3ª Sessão 

Após o almoço passou-se para os trabalhos de apresentação e aprovação dos relatórios. Funções da Assembleia, artigo 7, letras c e d diz: Receber os relatórios financeiros para consideração e aprovação. E, receber os relatórios da Junta Diretiva (Diretoria), Secretário Geral e, avaliar suas tarefas.
No relatório o Presidente Julio Murray afirmou que, desde a V Assembleia de Buenos Aires, procurou estabelecer condições para o trabalho em equipe, onde o respeito, a participação, as decisões tomadas sobre as tarefas atribuídas pela assembleia e as tarefas próprias da administração de funcionários administrativos e programas, foram levados a cabo de maneira integral. A tarefa consistiu em responder, respaldar e acompanhar as Igrejas e Organismos Ecumênicos que conformam a família CLAI. O relatório foi aprovado por unanimidade.

O Secretário Geral do CLAI, Pastor Nilton Giese (Pastor da IECLB) apresentou seu relatório tendo como objetivo proporcionar elementos para olhar adiante. O relatório foi apresentado em três partes: Dificuldades, Avanços e Projeções. Foram muitas as turbulências pelo qual o CLAI passou, desde 2007. As crises internas e externas pelo qual passou o CLAI exigiu uma pronta reação. 

A recuperação do CLAI passou por um fortalecimento das bases e foi necessário abandonar a imagem de uma ONG Evangélica, apoiando uma participação democrática e inclusiva. E, a necessidade de afirmar que o CLAI é um organismo de Igrejas e não de pessoas. Também fortalecer o trabalho com outros organismo ecumênicos, governamentais e com a ONU. A Secretaria Geral do CLAI quer procurar oferecer subsídios para que a VI Assembleia possa direcionar o trabalho do Conselho Latino Americano de Igrejas nos próximos 6 anos. Entre os subsídios estão os desafios sociais (População Indígena, Pastoral Jovem e debate sobre Direitos sexuais Reprodutivos), desafios eclesiásticos (acompanhamento pastoral e teológico em temas como a Teologia da Prosperidade, sustentabilidade das igrejas e fortalecer o ecumenismo com gestos concretos e diálogo com espiritualidade indígena e afro). O Pastor Giese terminou dizendo: Afirmando um ecumenismo de gestos concretos, somente para a Glória de Deus.

O relatório foi colocado em discussão, e, após algumas manifestações, o mesmo foi aprovado.

Antes de prosseguir com apresentação do Relatório da tesouraria, aconteceram algumas saudações ecumênicas. Destacamos a saudação do Conselho Mundial de Igreja (CMI) que chegaram até a Assembleia através do Moderador do CMI, Pastor Dr. Walter Altmann. (Veja a saudação na íntegra aqui.)

A Pastoral da Juventude apresentou uma declaração (manifestação) onde os/as jovens afirmaram; Por favor, não desprezem nossa juventude! Não queremos ser servidos, nem tampouco queremos deixar de servir; queremos igualdade. 

Passou-se ao último relatório, referente aos estados financeiros. O relatório foi apresentado pela Tesoureira Rosilea Roldi Wille (Membro da Junta Diretiva e membro da IECLB). O relatório foi apoiado na análise da execução orçamentária 2007-2012. Foram apresentados em três momentos: 1. Balanço Financeira, 2. Entradas e Saídas e 3. Conclusões e Recomendações. O relatório foi recebido com aplauso e aprovado.

 

 

 

COMUNICAÇÃO
+
ECUMENE
+
Todas as nossas orações devem fundamentar-se e apoiar-se na obediência a Deus.
Martim Lutero
© Copyright 2020 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br